Page 1

2009/10

Alunos do 6.º B

A Caneta Feliz de João Pedro Mésseder faz amigos!

Z


A partir de frases do livro “Caneta Feliz” (identificadas a verde) os alunos do 6º B, num texto colectivo, imaginaram uma história, fazendo-se passar por pequenos escritores.

3


Às vezes pergunto a mim mesmo quem terá inventado a escola? Bruxa ruim não foi com certeza, que a escola nem é má, quer dizer, não magoa. Mas às vezes mói. Por um lado, eu até gosto da escola: viajar entre as ondas de folhas dos livros, aprender coisas novas

que

nunca

pensara

que

existissem. A escola pode ser muito divertida, como uma árvore da qual o seu fruto é a aprendizagem e a instrução. Por outro lado, nem todas as

matérias

são

fáceis,

mas

desenrasco-me bem!

4


Mas o dia em que fui pela primeira vez à escola principiou bem: o Pai ofereceu-me uma caneta. Igualzinha às dele, é preciso dizer. Com este aparo macio e fino aprendi a combinar os

números

abecedário,

e que

a

escrever para

o

mim,

anteriormente, pareciam gatafunhos.

5


Com esta caneta, desenho e escrevo coisas maravilhosas, vejam lá, até era capaz de fazer o arco-íris, com todas as suas cores, com todas as suas qualidades, com toda a sua beleza e também com toda a sua magia. Ao estreá-la percebi que eu poderia ser mais feliz do que antes!

E ou me engano muito ou o Pai sente o mesmo: em qualquer sítio, puxa das canetas, de um caderninho e põe-se a desenhar mil e uma coisas, coisas tão maravilhosas,

que

mereciam

um

grande prémio. Quando desenha, diz ele que aprende como na escola. 6


Um dia o meu pai pôs-se à janela, estava a chover. De repente, viu algo colorido, o arco-íris, e decidimos em conjunto

desenhar

um

arco-íris

diferente, no meu quarto. O nosso sonho, à luz da nossa imagem: alegria, paz e amor.

7


Na escola, poucos entendem por que gosto

de

escrever,

desenhar

e

estudar com a minha caneta. Uns dizem que sou maluco por gostar tanto daquela caneta, outros dizem que a caneta até nem é grande coisa. Mas eu nem ligo às parvoíces que eles dizem! Para mim, aquela caneta vai ser sempre especial, pois é com ela que eu estou a plantar as minhas primeiras sementes da aprendizagem!

Com a caneta irei escrever todas as histórias para um dia mais tarde poder contá-las aos meus filhos, mais tarde aos meus netos e mais tarde ainda aos meus bisnetos. Um dia, irei 8


oferecer esta caneta ao meu filho, e nessa altura os seus neurónios da imaginação irão começar a viajar tal como os meus começaram a viajar.

E é por isso que agora, sou mais feliz, mais criativo e sonhador.

9

Canetas felizes  

A partir de frases do livro “Caneta Feliz” , os alunos do 6º B, num texto colectivo, imaginaram uma história, fazendo-se passar por pequenos...

Canetas felizes  

A partir de frases do livro “Caneta Feliz” , os alunos do 6º B, num texto colectivo, imaginaram uma história, fazendo-se passar por pequenos...