Issuu on Google+

Magazine de Profissionais de Turismo | Dezembro 2012 | nº 254 | Director: Pedro Chenrim | www.ambitur.pt

entrevista

Cecília Meireles, SET “Temos que ganhar escala e isso implica união”

Publicação mensal - Ano XXII - Preço 10 Euros (Iva Incluído)

// pág. 6

DESTAQUE Análise Tendências turísticas 2013 // pág. 10


Editorial | 3

Pedro Chenrim T

Índice

edição no 254 Dezembro

entar obter e sistematizar

Mas procurámos ir ainda

a percepção das

mais longe nesta edição,

empresas turísticas nacionais

apresentando uma entrevista

de vários quadrantes, e por

com a secretária de Estado

vezes tão distintas, não é

do Turismo, Cecília Meireles.

fácil, ainda para mais quando

Numa altura em que são vários

as temáticas abordadas são

os dossiers, sobre a sua mesa,

consumidor, modelos de

com uma resolução para breve.

negócio, tecnologias e suas

Por esse motivo considerámos

tendências. Mas tentámos e

oportuno ouvir quem tem a

quem sabe teremos conseguido.

responsabilidade de definir as

O resultado da nossa ambição

políticas do turismo para os

poderá ser observado nas

próximos anos em Portugal.

páginas seguintes, numa edição

Não nos faltou ambição este

diferente, que pretende olhar

ano, nem o querer ir mais

para o futuro, sem esquecer o

longe. Continuando a olhar

trabalho feito este ano.

para a frente, no próximo

Ouvimos, nesta edição, 36

ano organizaremos o II

empresas, num universo de

Fórum do Turismo Ambitur,

facturação que ultrapassa

continuaremos a acompanhar

as centenas de milhões

os profissionais turísticos nos

de euros, completando

diversos certames mundiais

esta sistematização com a

do turismo, partilhando com

abordagem de duas empresas

estes o trabalho e o espírito

globais, a TAP e a Amadeus, em

de “vender melhor Portugal” e

artigos de análise, assim como

também numa aposta ao nível

do Turismo de Portugal. Poderemos dizer que apresentamos aqui um “brainstorming” único, tendo em conta a técnica que a Ambitur se baseiou para reunir pensamentos e ideias dos principais players turísticos nacionais para se chegar a alguns denominadores comuns, neste caso sobre as novas tendências que se impõem na

“ Que 2013 seja profissionalmente um ano de

04

Actualidade

06

Entrevista Secretária de Estado do Turismo

10

Destaque Análise

36

Entrevista Aigle Azur

40

Hotel do Mês Villa Pampilhosa Hotel

de conteúdo: cada vez mais próximo da sua realidade. Que 2013 seja profissionalmente um ano de enriquecimento para todos e que Ambitur seja uma mais-valia nesse sentido para os profissionais da actividade.

enriquecimento para todos...

indústria turística nacional.

Medalha de Ouro de Mérito Turístico Administradora Teresa Fernandes Editor Pedro Chenrim redacção Rute Elias, Raquel Relvas Neto Colaboradores Célia Marques, Cláudia Silveira design editorial Ana Rita Fernandes fotografia Raquel Wise, Rafael Antunes, Luís Faustino sede, administraÇÃo, redacÇÃo, publicidade ATM - Edições e Publicidade, Lda - Av. Infante Santo, 343 - r/c esq. 1350 - 177 Lisboa Tel.: 213 954 110 Fax: 213 953 070 EMAIL REDACÇãO: atm.ambitur@mail.telepac.pt Email comercial: comercial.ambitur@mail. telepac.pt impressão MX3 - Artes Gráficas, Lda tiragem 5.500 exemplares distribuição A.T.M. - Edições e Publicidade, Lda. Tel.: 213 954 110 site www.ambitur.pt A Ambitur não escreve ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico. Inscrição na Direcção de Comunicação Social sob o nº 114713 com dep. legal 21471290 - ISN 0872-2714

Assinatura anual Portugal 75 € |Estrangeiro 90 € Nome: Morada: C.P.: Tel: NIF: Pagamento por cheque ou vale dos CTT dirigido: Av. Infante Santo, 343 R/C Esq. |1350-177 Lisboa Mais informações: comercial.ambitur@mail.telepac.pt +351 21 395 41 10


4 | Actualidade

figuras do mês

Grupo Pestana investe seis milhões de euros na unidade do Porto

O

Sociedade Porto Carlton

Grupo Pestana

(também participada pela

assinou um contrato de

financiamento que permite a

família Soares da Costa) e o

aquisição de cinco edifícios

BPI numa parceria que visa

anexos ao Pestana Porto

o desenvolvimento deste

Hotel, os quais vão ser alvo

projecto, que se encontra

de uma requalificação para

em fase avançada de

o alargamento da unidade,

licenciamento.

Frederico Costa Presidente do Turismo de Portugal

situada na baixa ribeirinha do

“O Pestana Porto Hotel é

Porto.

uma das unidades mais

O investimento de seis

requisitadas ao longo de todo

"As empresas do sector não podem continuar a baixar preços ou não conseguem pagar os investimentos feitos"

milhões de euros, vai permitir

o ano, tendo uma localização

a construção de 47 novos

privilegiada, numa das zonas

Elidérico Viegas presidente da AHETA [caso CS[ “não foi uma surpresa, ninguém acreditava que todos esses projectos fossem feitos sem financiamento”

Pedro Costa Ferreira Presidente da APAVT "Temos de abandonar a última moda no país, a aposta cega nas companhias ‘low cost’, que se revelou catastrófica para regiões como o Algarve"

Gonçalo Rebelo de Almeida Administrador Vila Galé "As associações não podem deixar de ouvir os grupos hoteleiros"

mais bonitas do país e do

quartos e a criação de cerca de 10 novos postos de trabalho.

Fundo da União Europeia que

mundo, a zona ribeirinha

Esta iniciativa teve o suporte

tem como objetivo financiar

da cidade do Porto” afirma o

do banco BPI, uma das

projectos sustentáveis em

administrador responsável

entidades gestoras do Jessica

áreas urbanas. O contrato

pelo projecto de expansão,

Holding Fund Portugal, um

de financiamento une a

José Roquette.«

Pullmantur apresenta nova imagem

A

Pullmantur renovou a

principal da sua identidade, a

sua imagem corporativa

promessa de uma experiência

para dar maior peso aos seus

de qualidade, e a ligação

valores como marca. Gonzalo

emocional que a companhia

Chico Barbier, Presidente e

estabelece com o seu público”.

CEO do Grupo Pullmantur,

A nova imagem corporativa irá

referiu que “para nós a marca

ser implementada a partir deste

é muito mais que um logótipo,

momento em todas as linhas

transcende a barreira de

de negócio – cruzeiros, tour-

algo meramente visual para

operation, circuitos terrestres,

converter-se num contingente

e city tours, MICE, aviação

de valores do grupo, e

regular e charter, tanto nas

transmitir tudo aquilo que ele

suas frotas, como nos restantes

significa. A marca é a fonte

elementos de comunicação.«

Iberojet apresenta novidades na programação de Inverno

O

s operadores turísticos

especiais para as Ilhas Espanholas

do grupo Orizonia -

e Europa.

Iberojet, Solplan e Orizonia

Segundo Paulo Almeida, a aposta

Life – lançaram novidades na

deste ano do grupo “vai para

programação para este Inverno

todos os produtos lançados, mas

2012/2013.

como destino puro de Inverno

À Ambitur, Paulo Almeida,

continuamos a apostar no folheto

director comercial dos operadores

Esqui / Neve”, produto que

turísticos do grupo espanhol

sofreu uma adaptação ao cliente

em Portugal, adiantou que a

português. Entre os destinos

principal novidade é a inclusão

propostos estão Espanha (Serra

da brochura Iberojet Grandes

Paulo Almeida esclarece que

Nevada, Astun, Candanchu,

Viagens. “Esta é a segunda edição

“resolvemos este Inverno

Cerler e Formigal), Andorra

deste produto na Iberojet e a

unificar alguns destinos”, assim

(Granvalira e Vallnord), Pirenéus

primeira vez no Inverno”, explica.

as Caraíbas e o Brasil; Tunísia,

Franceses (Saint Lary) e Alpes

No que diz respeito aos folhetos,

Cabo Verde e Marrocos; e ainda os

Franceses.«


5 | Radar

Nova proposta de Lei de regime jurídico das áreas regionais de turismo de Portugal aprovada em Conselho de Ministros

{escolha do mês*} por Vítor Costa, Director-geral do Turismo de Lisboa

in ambitur.pt, 15/11/2012

públicas e associações empresariais. No início, as competências da ATL

irracionais que desmentem o

600 associados, tenham expresso

circunscreviam-se à cidade. Com

anúncio de eficiência e poupança.

legítimas preocupações face a esta

o tempo, e perante os resultados

O Governo não deve, naturalmente,

iniciativa legislativa.

apresentados, a intervenção da

explicações à ATL, mas deve aos

E porque havia um consenso em

associação foi-se alargando: há quase

cidadãos contribuintes e às empresas

relação à solução a adoptar para o

uma década é responsável pelo

do sector uma acção política racional.

nosso território, outras entidades

marketing turístico internacional de

A ATL, por seu turno, deve aos seus

como as ERT do Oeste e de Leiria/

toda a área promocional de Lisboa.

associados a garantia de que vai

Fátima manifestaram também a sua

Ora, a proposta de lei, na versão

continuar a operar com o empenho,

discordância.

conhecida, passa a atribuir muitas das

o profissionalismo e a dedicação

Perante o óbvio consenso (não só em

competências agora nas mãos da ATL

habituais. Naturalmente que, se

Lisboa) contra a solução proposta pelo

a uma nova entidade exclusivamente

o reforço financeiro que temos

Governo e a ausência de defensores

Governo decidiu proceder

pública, do mesmo modo que

recebido, através de contratos-

da mesma, perguntar-se-á como sair

à reorganização regional do

pretende excluir os privados (com

programa exigentes e escrutinados,

desta situação. O Presidente da APAVT

Turismo e anunciou o resultado da

excepção de uns meros pareceres não

for deslocado para entidades públicas,

apontou uma saída ao afirmar que,

sua iniciativa como um exemplo de

vinculativos) da promoção turística

enfrentaremos mais dificuldades para

“apesar da aprovação do diploma em

melhoria de eficiência e de poupança

interna ou internacional.

atingir as performances a que nos

Conselho de Ministro, o diálogo está

nos recursos envolvidos. No caso de

No caso de Lisboa, se a iniciativa

comprometemos.

longe de estar esgotado” e que “ainda

Lisboa, o argumento não é verdadeiro.

do Governo for avante, poderemos

A Marca Lisboa representa, hoje em

será possível evoluir no sentido de

Há cerca de 15 anos que a nossa

passar a ter uma rede de postos

dia, cerca de 30% da economia do

uma melhor solução”.

promoção turística é assegurada pela

de Turismo públicos a operar

Turismo português. Por isso, é natural

É o que todos esperamos.«

ATL – Associação Turismo de Lisboa,

em redundância com os da ATL,

que a CTP e as câmaras municipais

uma entidade privada de interesse

presenças a duplicar nas feiras

mais directamente envolvidas

público em que estão representados

internacionais, dois websites de

(Lisboa, Cascais, Sintra, Mafra), assim

municípios, empresas privadas e

destino, entre outros fenómenos

como a generalidade dos nossos

O

*

A Ambitur convida mensalmente um profissional de turismo a comentar a 'Escolha do Mês'

{notícias do mundo} A Turquia vai construir o maior aeroporto do mundo, a norte de Istambul, com capacidade para 150 milhões de passageiros, numa área de construção de 90 milhões de m2. O aeroporto terá entre cinco a seis pistas e a primeira fase estará concluída em 2016.

A marca Holiday Inn do InterContinental Hotels Group (IHG) vai ser pioneira ao tornar-se a primeira cadeia hoteleira a lançar uma aplicação turística para o Windows 8, a mais recente versão da plataforma Windows para PCs e tablets. A nova aplicação permite que os hóspedes encontrem e reservem quartos em qualquer hotel Holiday Inn, bem como nos mais de 4.500 hotéis IHG a nível mundial.

Búzios acaba de ganhar uma série de tecnologias para a sustentabilidade e consumo eficiente de energia, tornandose, na prática, a primeira cidade inteligente da América Latina.

O hotel mais alto do mundo, o JW Marriott Marquis, no Dubai, já abriu as portas aos primeiros hóspedes, com a inauguração da primeira torre, com 804 quartos e suites, e três restaurantes do total de nove que formam a estrutura.


6 | Entrevista

Cecília Meireles

“Temos

que ganhar escala e isso implica união„ Em altura de fazer escolhas, Cecília Meireles, secretária de Estado do Turismo, defende que a promoção não é para cortar. A prioridade máxima avança também no apoio às empresas. Para trás pode ficar a linha I do PIT, vocacionada sobretudo para investimento público. Em entrevista, a executiva frisa, sobre o processo de Reestruturação das Entidades Regionais do Turismo que a aprovação por um orgão como o parlamento poderá “contribuir e muito para a aceitação universal do modelo”. Para 2013, é um ano de se começar a trabalhar no Código do Turismo.

A

s suas linhas de intervenção

a mesma estratégia para Espanha

duro, de publicidade vamos ter

passam pela mensagem

ou o Reino Unido, e para mercados

sempre menos recursos, ainda

“vender, vender, vender”. As

de diversificação como é a Rússia ou

que estivéssemos numa altura de

empresas turísticas terão que

a Índia, estamos a falar de estratégias

maior expansão e de crescimento

começar a assumir maiores

diversas.

económico. Temos que competir

responsabilidades no curto prazo?

Mas temos de ser realistas.

pela diferença, utilizando, uma

O ano que vem

Quando digo “vender, vender,

Portugal está no mercado global

mensagem diferente e é nisso

vender”, significa dar prioridade

a competir com países com mais

que o Turismo de Portugal (TP)

será de apresentar

à promoção. Não falo apenas de

recursos. Num mercado, puro e

está a trabalhar, porque temos

resultados, ou seja,

ou de promoção de ‘hard selling’. Ou

diria que este ano

mensagens directas ao consumidor

que passou foi

planos de comercialização e venda seja, a promoção, associada e com final, tem um papel fundamental nos nossos mercados, sobretudo

de redefinição de

nos consolidados.

prioridades...

princípio, é que não podemos fazer

O que quero salientar, desde o a mesma promoção em todos os mercados, ou seja, não podemos ter

Em discurso directo: Quando viajo levo sempre comigo…Uma National Geographic, para ler no avião e relaxar. Para os meus amigos sou… Tenho sentido humor, mesmo nos piores momentos não me levo excessivamente a sério. Para os meus inimigos sou… Acho que não sou uma adversária fácil, mas sou uma adversária muito leal e não guardo rancores. Daqui a 10 anos estarei… Não faço ideia, nem quero fazer. Em tempos de crise não pode faltar… Persistência e determinação.


Entrevista | 7

Perfil

Quem é… cecília meireles? Nasceu no Porto, há 35 anos, e é do signo Gémeos. Se acreditarmos no zodíaco, Cecília Felgueiras de Meireles Graça poderá ser descrita como uma pessoa de raciocínio rápido, com uma enorme facilidade de expressão e capacidade de adaptação. Ou seja, indecisão não será a palavra

que ser muito criativos. Creio que conseguiremos, no princípio do próximo ano ter novidades da mensagem propriamente dita. Nesse contexto, as empresas turísticas vão começar a assumir cada vez maior responsabilidade? Elas são chamadas e isso tem sido percebido na estratégia do TP. Agora, não tenho ilusões de que as empresas não conseguem, nesta altura, em que as dificuldades aumentam e atravessam problemas financeiros, libertar mais verbas para a promoção. Cada matéria tem o seu lugar e portanto as empresas não substituirão aquilo

Temos que competir pela diferença, utilizando,

opção estratégica do TP e não um compromisso em lei, terá que ser assumido de outra forma? Não. A promoção é uma das missões centrais do TP, não me parece que fizesse sentido deixar do fazer, muito pelo contrário. Fizemos um corte profundo naquilo

uma mensagem

que era a despesa do instituto, um

diferente e é nisso

No Orçamento de Estado 2013 foi

que o Turismo de

seu orçamento, mas, com toda a

Portugal está a trabalhar...

corte de mais de 30% em 2012. possível manter aquilo que era o franqueza, ainda que tenhamos que fazer um esforço suplementar de cortes no futuro, a promoção continua a ser uma das missões

que é o papel fundamental de

centrais. Se no limite tivesse que

promoção do destino Portugal,

haver essa escolha, este Governo e

que é o papel do TP. Poderão ter

sejam. Há uma grande diferença de

esta Secretaria de Estado preferiria

cada vez mais uma voz activa em

atitude das empresas, estas cada vez

cortar noutro sítio a cortar na

centrar e ter capacidade em focar as

mais percebem isto e sentem essa

promoção, isso tem que ficar muito

preocupações do sector público do

dificuldade e não é por acaso que

claro.

que de uma participação financeira.

começam a surgir pequenos sinais

O TP, como toda a administração

Noto nas empresas uma grande

de união sobretudo vocacionados

pública, tem que se concentrar

mudança de atitude, elas percebem

para a distribuição, a parte mais

primeiro, em encontrar formas

a mesma coisa que o poder público

ligada à comercialização e à

de funcionar mais eficiente.s Isso

e as várias regiões têm de perceber:

promoção.

foi possível mesmo neste ano,

temos que ganhar escala e isso

por exemplo, há uma poupança

implica união. Irmos para o mesmo

Tendo em conta o orçamento do TP

muito significativa nas despesas de

mercado com o dinheiro dividido

no próximo ano será muito idêntico

funcionamento, mesmo quando já

por sete regiões ou concentrado

à despesa e tendo em conta que a

tínhamos vindo de um orçamento

numa acção conjunta, pode ter um

sua principal fonte de financiamento

com muito rigor. A verdade é que

valor muito superior ao das sete

tem registado quebras, isso significa

o orçamento deste ano (2013) se

somadas, por melhores que elas

que a promoção, sendo apenas uma

mantém, mas reduz nas despesas

indicada para descrever a actual secretária de Estado do Turismo, que ocupa este cargo desde Junho de 2011. O que fará com que a própria se descreva como uma adversária difícil para quem estiver “do outro lado” mas sempre com lealdade. Cecília licenciou-se em Direito, pela Universidade de Coimbra, e mais tarde tirou uma especialização em Gestão de Empresas pela Escola de Gestão do Porto. Profissionalmente, deu os primeiros passos como assessora jurídica da Câmara Municipal da cidade que a viu nascer, e aí esteve até Setembro de 2009. Para além de ser membro da Comissão Política Nacional do CDS-PP, tendo sido eleita deputada do CDS pelo círculo eleitoral do Porto, a governante destaca-se ainda pela sua participação numa instituição de solidariedade de Braga, a Associação de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental, onde integra a assembleia geral.


8 | Entrevista

de funcionamento, o que é que isto

Se dizemos que a nossa grande

significa: que às áreas materiais é

prioridade é o apoio às empresas

alocado mais dinheiro, isto é uma

e se for preciso fazer escolhas,

boa notícia, sobretudo na área de

naturalmente, que esta linha, que

apoio às empresas e também de

era vocacionada sobretudo para

alguma área vocacionada para

investimento público e para apoio

apoio a este ou aquele destino, mas

ao investimento público, vai ser

em todo o caso a preocupação

seriamente repensada.

“ O Turismo está de parabéns, quem está de parabéns não é o Governo,

é esta, funcionar de forma mais eficiente.

Relativamente à Legislação dos

são mesmo as

Hostels, de acordo com o que

empresas, que

Como poderá o Turismo de Portugal

apurámos, a Ahresp tem uma

trabalhar um crescimento da sua

análise feita, faltaria consensualizar

receita?

com a AHP, com possível

Em primeiro lugar, não podemos

intermediação da CTP. Qual o ponto

estar demasiado concentrados na

da situação?

receita. O jogo é uma assunto que

O ponto da situação é exactamente

tem uma tradição muito antiga

esse. Mas naturalmente, não

ligada ao turismo em Portugal.

podemos ficar eternamente

É uma das matérias que prova,

à espera desse trabalho de

algumas mudanças cirúrgicas,

as pessoas se desencantam com

bem, como o turismo é um sector

consensualização, mas também

mas para o ano sim, é um ano de se

os políticos e com a política se lhes

estratégico em Portugal, como

é saudável que o sector o consiga

começar a trabalhar no Código do

forem vendidas ilusões. Prefiro que

isso tem sido reconhecido, não

fazer.

Turismo. É uma oportunidade de

as pessoas sejam surpreendidas

só por este governo que manteve

foram lá buscar os turistas e trabalhar os mercados...

simplificação de procedimentos.

de forma positiva do que serem

essa consignação, mas por muitos

Há espaço para um maior

Mas por outro lado também

induzidas em erro e grande parte

Governos e acho importante que

consenso e diálogo no processo

poderá ser uma boa oportunidade

dos problemas que o turismo

se mantenha esta tradição, porque

de Reestruturação das Entidades

de aperfeiçoar e limar arestas.

atravessa hoje em dia, é porque

é saudável que tenha atravessado

Regionais do Turismo?

Ou seja, há aqui um esforço de

foram vendidas muitas ilusões.

Governos muito diferentes e

Essa pergunta terá que a fazer

eliminar barreiras, burocracias

Relativamente ao ano, nunca se

completamente díspares na sua

aos deputados e ao Parlamento

e dificuldades, muitas vezes de

escondeu que ia ser um ano do

natureza.

português. Certamente, que

compreensão, daquilo que é a

ponto de vista do mercado interno

Em todo o caso, esta matéria pode

esta matéria já foi tratada e

regulação deste ou daquele sector.

muito particular e certamente com

vir a sofrer alguma actualização.

resolvida por Decreto-Lei,

Estamos a estudar a forma de tornar

agora será por Lei, acho que

O que espera a tutela mostrar ao

dos mercados externos, estamos

mais eficiente uma regulamentação

não há órgão de soberania

sector no próximo ano?

em crescimento, com uma redução

que tem muito tempo. O jogo é

mais independentemente da

O ano que vem será de apresentar

significativa do nosso principal

uma matéria muito transversal

representatividade e legitimidade

resultados, ou seja, diria que este

mercado em termos de hóspedes e

e sensível porque atravessa

de todos. Não há nenhum órgão

ano que passou foi de redefinição

com um ano que foi muito exigente

vários ministérios e exige muita

em que estejam representadas

de prioridades, sobretudo na

do nosso principal mercado em

ponderação. Estamos a falar em

todas as regiões de Portugal, todas

promoção e no apoio às empresas

termos de dormidas que é o Reino

muitos casos em comportamentos

as localidades, municípios e todos

e nota-se grandes alterações no

Unido. A Espanha teve uma redução

aditivos, e o Estado não pode ter

os sectores de actividade e é um

TP nesta matéria. 2013 vai ser o de

que foi significativa e do Reino

um papel de, pura e simplesmente,

órgão que dá grande importância

velocidade cruzeiro, ou seja, colher

Unido não foi um ano nada fácil. As

se abster de regular esta matéria.

ao turismo, estou certa que será

os frutos daquilo que foi sendo

nossas empresas estiveram à altura

Não é uma regulamentação que se

possível, mantendo ou não aquilo

plantado este ano. As grandes

e conseguiram-se bater no Reino

faça de ânimo leve ou que se faça

que é a proposta inicial do Governo.

alterações, a aprovação da orgânica,

Unido, conseguiram trazer muitos

tendo como única coisa em mente

A aprovação por um orgão como

tudo isso levou muito tempo.

turistas britânicos a Portugal, mas

a receita.

o parlamento vai contribuir e

No âmbito do Turismo de Portugal,

dificuldades, e foi. Do ponto de vista

muito mérito delas.

muito para a aceitação universal do

Manteve-se cautelosa durante todo

O Turismo está de parabéns,

modelo, que é isso que importa.

o ano relativamente a expectativas

quem está de parabéns não é o

turísticas. Chegando a este ponto do

Governo, são mesmo as empresas,

o PIT linha I irá manter a sua estrutura no próximo ano?

O Código do Turismo poderá ser

ano pode revelar qual a espectativa

que foram lá buscar os turistas

Em princípio não. Estamos em

uma realidade?

que tinha?

e trabalhar os mercados, foram

tempo de fazer escolhas e a escolha

Estamos agora a trabalhar com

Sou cautelosa, mas não porque

elas que muitas vezes fizeram

do Governo e do Turismo de

afinco nas prioridades que

tenho uma natureza cautelosa, mas

sacrifícios e no seu preço isso

Portugal é dar prioridade máxima à

estão incluídas no Memorando

sim porque não gosto de vender

nota-se bem, portanto, o mérito é

promoção e ao apoio às empresas.

da ‘troika’ e que têm a ver com

ilusões e muitas vezes acho que

todo delas. «


10 | Destaque

Análise

consumidor a quanto obrigas?

"O

Denominador comum e transversal a todas as actividades económicas, o consumidor é hoje o mais instável e mutante dos seres. Os condicionantes não param por aqui. São: informados, exigentes, atentos a oportunidades de negócio e preocupados com a rentabilização do seu investimento…aliás, quem já não se reviu a assumir um destes atributos?

conhecimento

afinal o consumidor, “é o

CEO da Travelstore, “o factor

velhos e em melhor forma,

profundo do cliente é

‘drive’ do negócio”.

decisivo passa assim a ser a

mas que se preocupam com os

uma das maiores ferramentas

Informados, exigentes,

qualidade da experiência geral

cuidados de saúde na altura de

de sucesso em qualquer

atentos a oportunidades

vivida pelo consumidor em

escolha do destino de férias,

actividade económica”.

de negócio e preocupados

que o serviço e o ambiente

factor que pode ser decisivo”.

Quem o afirma é Pedro

com a rentabilização do seu

ocupam um papel chave”.

Para o inquirido, a alteração

Costa Ferreira, presidente

investimento, são apenas

Nuno Anjos, director

das estruturas familiares e dos

da Associação Portuguesa

alguns dos atributos do cliente

comercial da Soltrópico,

estilos de vida tradicionais

das Agências de Viagens

actual. A todos estes factores,

identifica algumas realidades

levam à emergência de

e Turismo (APAVT). Para o

juntam-se, nos dias de hoje,

que condicionam o

novos segmentos como

responsável “não há uma ou

outros aliados.

consumidor de turismo de

o turismo gay, as famílias

outra tendência ou factor, mas

Na escolha de um produto,

hoje, nomeadamente, “o

monoparentais, os viajantes

sim que conhecer, mesmo,

“cada vez mais o consumidor

aumento da esperança média

solitários, o que obriga a uma

quem é o cliente, o que ele

se baseia no testemunho

de vida e envelhecimento da

maior variedade e flexibilidade

quer, e depois adequar o seu

de outros obtidos nas redes

população que, combinados,

da oferta turística. Digno

serviço e a sua oferta”, porque

sociais”. Para Frédéric Frère,

resultam em turistas mais

ainda de nota é a crescente


Destaque | 11

O conhecimento profundo do cliente é uma das maiores ferramentas de sucesso em qualquer actividade económica

PEDRO COSTA FERREIRA

O consumidor de hoje (…) Quer cheirar, provar, ver, sentir a cultura do local que visita

Estamos num momento de viragem, em que não basta ter ofertas de preço muito baixo, para garantir sucesso nas vendas

o factor decisivo passa assim a ser a qualidade da experiência geral vivida pelo consumidor

Rodrigo Machaz

António gama

Frédéric Frére

“consciência ecológica”. Para

experiências de auto-realização

da Humanidade. Esta nova

média, altera o valor disponível

o profissional da Soltrópico,

e bem-estar, personalizadas e

apetência fará com certeza

do orçamento familiar para

“o consumidor é cada vez mais

exclusivas. Nuno Anjos realça

aumentar o turismo cultural”.

férias.

adverso a fórmulas turísticas

ainda uma “maior importância

erosivas dos recursos naturais

dada à componente cultural

Contexto económico afecta

os cruzeiros, a visão também

e alheias do bem-estar das

e a eventos como reprodução

perfil

converge neste tema.

populações locais”.

de batalhas, mercado

Não fugindo ao contexto

Francisco Teixeira, director

Também a percepção do

medievais, peças ao ar livre,

económico, social e tecnológico

geral da Melair sublinha

conceito de luxo está a alterar-

locais considerados pela

actual, Nuno Anjos adverte

que “o orçamento familiar

se, estando agora mais ligado a

UNESCO como Património

que o futuro incerto da classe

disponível para as férias,

Noutro segmento turístico,


12 | Destaque

aquele que viaja com frequência já experimentou e sentiu que ‘nem sempre o que parece, é’

o mais correcto será a busca do preço mais competitivo e mais ajustado, no momento, à oferta e à procura

Francisco Sá Nogueira

Rogério Cardoso

as famílias com menos rendimentos ... procurAm o mesmo serviço ... a um preço mais baixo

o orçamento familiar disponível para as férias, será hoje um dos principais pontos de catalogação do perfil do consumidor

Paulo Mendes

Francisco teixeira

será hoje um dos principais

Mendes, Director Geral do

preço mais baixo, ou produtos

i-compradores que procuram

pontos de catalogação do

Grupo Airmet, como essencial.

de gama inferior porque não

Xpertagents e Ciber@agents”.

perfil do consumidor”. Para

Para o profissional, a

conseguem pagar mais pelo

Miguel Ferreira, director-

o entrevistado, “a alteração

conjuntura económica actual,

mesmo produto que estavam

geral do operador turístico,

dos escalões do IRS, trará sem

também é um dos factores

habituados a comprar”.

Exoticoonline, que considera

dúvida grandes mexidas nos

que vai alterar o cliente

perfis de consumidor”.

nacional. “As famílias têm

Consumidor quer pagar

exigente e volátil. Exigente,

A atenção aos padrões de

menos rendimentos como

menos

pois quer mais valor pelo que

consumo é tida para Paulo

consequência do aumento da

Para Teresa Santos, Directora

tem disponível para pagar.

carga fiscal e o desemprego

do English Department da

Volátil, pois dada a incerteza

faz com que as pessoas

AIM Group International,

que caracteriza o actual

procurem o mesmo serviço

“o cliente toma decisões

contexto sócio-económico, as

que estão habituados a um

com base no custo, este tem

marcações são no ‘last minute’,

prioridade quase absoluta

o que contraria muitas vezes

What’s tingo.com?

sobre qualquer outra questão

o objectivo da melhor relação

A TripAdvisor introduziu um novo modelo de negócio em 2012, explorando os reembolsos e os cancelamentos para ganhar as melhores tarifas hoteleiras. O www.tingo.com faz uma nova reserva automaticamente quando há uma descida do preço para quartos reservados até 24 horas antes do check-in.

considerada”. A responsável da

valor/preço”.

d Tren Alert

SaBIA QUE... O Tingo.com já devolveu 56 mil libras em reembolsos aos consumidores até Agosto de 2012, segundo relatório World Travel Market 2012. Ao revender os quartos de hotéis, a empresa cobra uma comissão sobre qualquer quarto vendido e é esse o principal gerador de receitas.

que o consumidor está “mais

empresa de DMC reforça ainda a ideia: “sempre que possível

‘Value for the money’

[o cliente] trata directamente

“Estamos num momento de

com o fornecedor final;

viragem, em que não basta

serviços são confirmados

ter ofertas de preço muito

tão tarde quanto possível;

baixo, para garantir sucesso

e reduzidos ao básico, com

nas vendas”. O alerta vem de

algumas excepções”.

António Gama, director geral

Da mesma opinião partilha,

da Nortravel. “Por mais barato

Maria José Silva, CEO da RAVT.

que seja o produto, ele deve

“O consumidor (…) quer pagar

garantir um bom conteúdo”. O

menos, compara muito e tudo

inquirido da Ambitur, reforça,

e mais alguma coisa, mesmo

actualmente “a tendência

o incomparável, regateia

mais evidente é o downgrade

demais, viaja a lazer menos

em praticamente todas as

vezes por ano e há uma maior

camadas socioeconómicas

concentração novamente nos

com o consequente

picos de época alta”.

desaparecimento de uma

Com uma descrição “sui

boa fatia dos que consumiam

generis”, Maria José Silva,

os produtos de baixa

sintetiza a sua visão do

qualidade/preço. Nos estratos

actual e futuro consumidor

intermédios também tende a

como: “temos hoje uns

haver grande erosão por via do

e-clientes, m-consumidores,

momento difícil que Portugal


14 | Destaque

o consumidor é cada vez mais adverso a fórmulas turísticas erosivas dos recursos naturais e alheias do bem-estar das populações locais

[o consumidor está] mais exigente ... pois quer mais valor pelo que tem disponível para pagar

a solução será mostrar ao cliente que aquele é o valor justo a pagar pelos serviços que são prestados

nuno anjos

Miguel Ferreira

Miguel Jesus

sempre que possível [o cliente] trata directamente com o fornecedor final Teresa Santos

atravessa”.

Viagens, “a busca a todo o

será a busca do preço mais

A resposta vem da Image

E porque “Viajar é hoje um

custo por preço acessível

competitivo e mais ajustado,

Tours. Tem que se negociar

investimento importante e

significando preço mais

no momento, à oferta e à

com os fornecedores “e,

a escolha tende a ser muito

barato, tem contribuído para

procura, acompanhado por

principalmente, ser inteligente

ponderada”, António Gama

alguma degradação da cadeia

uma oferta de produtos o

e fazer negócios com quem

considera que o “o preço tem

de valores e para um deficiente

mais alargada possível. É esse

proporciona melhores

que ser, acima de tudo, justo e

posicionamento de destinos e

o preço que o consumidor

retornos”. Miguel Jesus,

honesto”.

produtos”.

de viagens procura e que o

Director Comercial da Image

Também na visão de

Rogério Cardoso, Director de

mercado deve oferecer”.

Tours, defende que “a solução

Francisco Sá Nogueira, CEO

Marketing e Comunicação

da Portugalres, o consumidor

da Espírito Santo Viagens

hoje é mais criterioso na

assegura que “o mais correcto

escolha, que num passado recente. “Deslumbrado pela atracção do factor preço em especial, aquele que viaja com frequência já experimentou e sentiu que ‘nem sempre o que parece, é’ e assim o que parece barato, em geral, é mau ou não corresponde às expectativas do cliente”. Para o responsável da

será mostrar ao cliente que aquele é o valor justo a

d Tren Alert

BRIC vão às compras na Europa As chegadas dos países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) continuam a incentivar o turismo, com os mercados tradicionais da Europa e dos EUA a permanecerem vulneráveis às medidas de austeridade. O relatório anual do World Travel Market 2012 à indústria revela que os BRIC estão a apostar no turismo de compras em destinos europeus chave. Paris é o principal destino de compras para todos os BRIC.

pagar pelos serviços que são prestados, acrescentar valor aos produtos e assim valorizar o que se vende”. No Memmo Baleeira, onde a indústria do sono já foi há muito ultrapassada em detrimento da indústria do sonho, é esta a filosofia que se segue. Rodrigo Machaz, Director geral do hotel do Algarve é peremptório: “O consumidor

empresa, que detém no

SaBIA QUE... Muitos retalhistas europeus trabalham de

de hoje procura cada vez mais

mercado plataformas online

perto com operadores turísticos dos BRIC de forma a serem incluídos nas suas excursões. Por exemplo, 95% dos visitantes chineses das lojas Louis Vuitton, em Paris, são em excursões organizadas.

destinos autênticos. Quer

para B2C e B2B, o consumidor já tem hoje os preços melhores do mercado em todos os

cheirar, provar, ver, sentir a cultura do local que visita”. O hoteleiro identifica, mesmo,

canais de distribuição que

que o turista de hoje “quer

operem de uma forma eficaz.

explorar e viver intensamente

No entanto, “ninguém

os destinos. Procura acima

pode garantir que obtém

de tudo um lazer saudável

os melhores preços num

em estreito contacto com a

determinado canal, pois no

natureza”.

momento seguinte ou num

Portanto, nada, como

qualquer outro canal poderão

“construir uma oferta de

aparecer soluções ou preços

sonho para os clientes, que

diferentes para melhor ou

passa sempre por vender mais

pior”.

do que um hotel, mas uma

Na visão da Espírito Santo

forma de viver um destino”.«


16 | Destaque

Tap

tendências de mercado Por Luíz Mór. Vice-presidente da TAP

P

É inequívoca a transformação que se está a operar na forma como o consumidor e as organizações, independentemente do sector de actividade, se relacionam. Torna-se imperativo que as empresas acompanhem esta evolução. Nas próximas linhas, resumo Os principais desafios que se colocam a todo o sector das viagens e turismo, indicando a forma como a TAP se tem posicionado face à nova realidade.

rocurarei desde já

entra no site da TAP, estamos

também aqui uma enorme

sintetizar esta evolução

directamente com o cliente,

transformação.

através de quatro tendências

se entra no mobile, a TAP

Temos uma relação com

de consumo que surgem

está lá, se entra no Facebook,

o cliente completamente

interligadas (ver caixa).

também estamos lá para

transparente, estamos com

“ Estamos a virar a agulha, da

conversar.

ele numa parceria, muito

A TAP adapta-se às novas

Não se trata de querer actuar

mais do que numa relação

tendências dos consumidores

mais ou menos directamente

transaccional em que um

e, sobretudo, está em todos

com o cliente, antes estar

compra e outro vende.

os canais onde estiverem

onde o cliente está. Em

via baixo preço,

clientes.

termos de comunicação, com

Eficiência / segmentação

Se o cliente está numa

a web 2.0 e as redes sociais,

A indústria de transporte

para a afirmação

agência de viagens, actuamos

todo o paradigma se alterou.

aéreo é de alta turbulência

em parceria com o agente, se

Hoje, exige-se uma atitude

em termos económico-

massificação

de Portugal como destino de

relacional, mais do

financeiros, é um negócio de

que transaccional,

incerteza onde a eficiência é

passámos da

um factor chave. A TAP tem

prevalência de

vindo a ganhar eficiência em

grandes campanhas

diversas vertentes: reduziu

the middle' que afecta a

promocionais

custos unitários, criou o

indústria. Na verdade, muitas

dirigidas ao

'hub' em Lisboa, através

empresas não conseguem

público em geral

do qual cresceu muito, até

ser baratas o suficiente para

para “pequenos

desproporcionadamente em

o consumidor que valoriza

actos” individuais,

relação ao 'home market'

100 por cento o preço, nem

do controle da

que estava à sua disposição,

boas o suficiente em serviço

mensagem para

conseguiu internacionalizar-

para atingir aquele cliente

a exposição e

se e, ao fazê-lo, conseguiu

que valoriza 100 por cento a

transparência

captar mercados novos,

qualidade.

total, do “difícil

reforçou grandemente a

A TAP conseguiu quebrar

de contactar” para

capilaridade da sua rede e,

este paradigma, lançou os

o “disponível em

do lado financeiro, alcançou

cinco 'branded products',

qualquer lado”.

um equilíbrio do risco do

('discount', 'basic', 'classic',

O Facebook da TAP

portfólio de produtos.

'plus' e 'executive'), com que

é um 'benchmark'

Ao fazer isto, a TAP

alcança desde o cliente low

mundial, onde

conseguiu a sua base

cost ao top executive (ao qual

estamos em diálogo

operacional e económica

oferecemos lounges de classe

permanente com

para crescer. Paralelamente,

mundial, uma classe business

todos os nossos

realizou um exercício de

posicionada quase como

'stakeholders'. Esta

'unblunding' e 'rebundling'

uma primeira, os 'fast tracks'

nova actuação

através do lançamento dos

nos aeroportos, culinária e

com o cliente

'branded products', com

gastronomia de referência,

é relacional,

o qual conseguiu quebrar

etc.)

operámos

a síndroma de 'stuck in

Acrescentámos ainda o

qualidade.


Destaque | 17

crescimento das vendas web, que demonstram por um lado esta capacidade adicional

As quatro tendências de consumo (que surgem interligadas)

de nos relacionarmos com o cliente e por outro evidencia a vitória na “guerra” de 'market share' com as 'low cost', que competem exclusivamente na arena web. Hoje, com o lançamento da discount, crescemos muito nas vendas web, que ascenderam em 2011 a 606 mil reservas, representado 261 milhões de euros, cerca de 14% da receita total. Especialização Num mercado cada vez mais global, a diferenciação produz-se também através da especialização. Na TAP, a especialização assenta na estratégia de foco absoluto no hub de Lisboa como principal placa giratória dos fluxos Europa/América do Sul/ África. Além da localização geográfica central de Lisboa neste eixo, a TAP potenciou factores competitivos que têm uma grande componente emocional, como a língua portuguesa ou o grande

1) Redução das assimetrias de informação e comunicação entre o consumidor e o produtor de bens ou serviços, envolvendo toda a cadeia de valor. No caso do transporte aéreo, a webização aumenta exponencialmente o nível de informação do consumidor relativamente a factores hard do negócio, como preço, segurança, pontualidade, destinos, etc. Ironicamente, isto leva a que esses factores se tornem quase dados adquiridos, isto é, facilmente se verifica se a empresa é competitiva em todos eles. Tendo acesso fácil e total a todas as informações comparativas relativamente a estas variáveis racionais, a exigência dos consumidores eleva-se a outros patamares, onde as organizações devem explorar uma nova e ampla oportunidade de diferenciação baseada na emoção. Está aberto o espaço para a qualidade de serviço e assistência ao cliente em toda a viagem. Resumindo este ponto, hoje o consumidor tem acesso a todos os factos de qualquer empresa, de qualquer indústria, e espera dela muito mais do que os factores básicos. 2) Vertente emocional: é inegável que o consumidor está mais sensível ao preço, mas é verificável que está também mais emocional na sua relação com as empresas, está mais disposto a ser surpreendido e a exigir coisas para além do normal. Tende não tanto a valorizar unicamente o preço, mas mais o rácio preço/qualidade. Com muito mais informação para avaliar o numerador preço, recorre à emoção para avaliar o denominador qualidade. 3) Webização: estudos de diversas entidades demonstram que mais de 80 por cento dos consumidores que não compram através da web, nela pesquisam as opções de compra. Hoje, o consumidor está praticamente todo na web, seja para pensar e decidir, seja para pensar, decidir e comprar. O mesmo se aplica ao mobile. 4) Mobile: estudos do Google mostram que mesmo os utilizadores de dispositivos mobile que não compram nesse canal, pesquisam aí e depois compram no desktop. Existe ainda alguma indefinição relativamente às tendências do mobile e, por consequência, na estratégia de muitas organizações para este canal.

know-how português de relação com os outros povos. Na verdade, foi potenciada uma parte integrante e diferenciadora do ADN da empresa. Internacionalização e Agregação de Serviços Viajar não é só é só andar de avião, é escolher um destino, um hotel, um restaurante, um

relacionamento com outros

evento…

players que se querem

se e especializar-se no

melhor em Portugal. Estamos a

Hoje, a TAP consegue alargar

também internacionalizar,

incoming. Precisamos de

virar a agulha, da massificação

este ciclo de agregação à

sejam portugueses no

internacionalizar-nos cada vez

via baixo preço, para a

gastronomia, à cultura, ao

estrangeiro, brasileiros na

mais em conjunto, tanto na

afirmação de Portugal como

cinema, à arte de bem servir,

Europa, Europeus no Brasil e

promoção do destino Portugal,

destino de qualidade.

etc. Na realidade, à medida

em África…

como na sua qualificação. Não

Estamos empenhados em

que a TAP se consegue

Finalmente, Portugal, sendo

é difícil promover Portugal

continuar este percurso

internacionalizar, duplicando

uma potência como receptor

via preço, mas a TAP tem

de parceria, porque quem

a sua operação e reforçando

turístico, tem de beneficiar de

conseguido, com os vários

decide é o cliente e é ele que

a sua capilaridade, a empresa

uma cadeia de valor agregado

parceiros, qualificar o destino,

nos mostra o caminho. E o

tem conseguido potenciar o

que permita internacionalizar-

comunicando aquilo que há de

caminho é este.«


18 | Destaque

Análise

No mundo virtual do turismo Hoje, a tendência já foi ultrapassada pela realidade e o consumidor é assumidamente tecnológico, também no mundo do turismo. As empresas apostam em ferramentas que lhes permitem acompanhar a nova necessidade de mobilidade do cliente e não podem dar-se ao luxo de estar “offline” para não perder oportunidades de negócio. Se o investimento é rentável, ou não, é algo que ainda está por descobrir.

O

que antes era tendência, hoje é real. E hoje o

mobilidade. Quem der esse passo

reconhece, no entanto, que “os

das empresas contactadas pela

nesse aspecto vai ser quem vai

recursos são sempre limitados

Ambitur admitir não conseguir

consumidor sabe bem o que

mandar”. Na perspectiva deste

e, nessa medida, apenas os

antever retornos concretos. Mas,

quer, pois tem acesso, em tempo

responsável, “a Internet é hoje uma

adequamos aos novos tempos”,

como refere Fátima Silva, directora

real, a toda a informação de que

grande montra não de produtos,

mas confirma a actuação directa

geral da Carlson Wagonlit Travel,

necessita. É cada vez mais um

mas de informação também, mas

da cadeia através de ferramentas

“cada vez mais temos de estar

consumidor tecnológico que se

há uma coisa que todos queremos

de comunicação como aplicações

onde está o nosso cliente, tempo

enquadra num mundo de turismo

ter, é a nossa vida facilitada. Não há

móveis, presença no Facebook

é dinheiro e é nossa missão

virtual do qual as empresas do

ninguém que queira fazer não sei

ou campanhas e Google adwords,

ganhar tempo para o nosso

sector não podem estar alheadas.

quantas pesquisas para encontrar

entre outras.

cliente”. Por isso, na CWT, tem

Paulo Martins, CEO da GeoWinds

aquilo que quer”.

Acompanhar as novas tendências

sido desenvolvida tecnologia

é categórico: “no futuro vamos

Francisco Moser, director geral

tecnológicas é actualmente

para acompanhar esta “nova

consumir completamente

de Operações da Altis Hotels,

obrigatório, apesar de a maioria

necessidade de mobilidade”,

os recursos são sempre limitados e, nessa medida, apenas os adequamos aos novos tempos

cada vez mais temos de estar onde está o nosso cliente, tempo é dinheiro e é nossa missão ganhar tempo para o nosso cliente

Ainda não há indicadores precisos de retorno mas existe um ganho imediato em imagem e inovação

aproveitamos a tecnologia para prolongar a vida do evento e garantir ao cliente um maior retorno do investimento

Francisco Moser

Fátima Silva

Gonçalo Rebelo de Almeida

Diogo Assis


Destaque | 19

embora seja difícil antever um retorno, temos que o fazer [acompanhar novas tendências], pois de outra forma estaremos completamente ‘out’

a Internet (…) permite-nos actuar conforme a procura que existe a qualquer momento

João Luís Moita

Manuel Guedes de Sousa

através de plataformas de

mobile, bem como aumentar a

reservas online, aplicações para

utilização dos meios digitais para

telefones móveis e tablets, MMS,

efectuar reservas.

SMS, entre outros. “Desta forma,

Sílvia Romeiro, directora comercial

ultrapassamos a distância, os fusos

do VIP Hotels, reconhece que

horários e basta apenas um clique

“a tecnologia faz-se pagar bem”,

para ter acesso aos serviços do país

mas admite que com as novas

de origem e aos serviços locais”,

tecnologias é possível actuar

explica.

directamente, utilizando terceiros.

Da mesma opinião partilha Gonçalo Rebelo de Almeida,

Ganhar mais negócio

director de Marketing e Vendas

Estar ou não estar presente neste

da Vila Galé, que considera

panorama tecnológico acaba por

fundamental a presença das

ser a diferença entre ganhar ou

marcas nos diversos dispositivos

perder negócios. É esta a visão de

usados pelos consumidores.

Diogo Assis, CEO da Events by

“Ainda não há indicadores precisos

TLC, que exemplifica ao referir

de retorno mas existe um ganho

que “aproveitamos a tecnologia

imediato em imagem e inovação

para prolongar a vida do evento

que a marca transmite e, por outro

e garantir ao cliente um maior

lado, o retorno é quase garantido,

retorno do investimento”.

pois os hotéis estão onde estão

Também João Luís Moita,

os consumidores”, sublinha. Dessa forma, o grupo irá manter a presença na comunicação online, reforçando as componentes de

d Tren Alert

Vai ver se estou online! As reservas online registaram uma performance saudável em 2012 em todos os sectores de viagens. As economias mais avançadas dominam, mas as economias em desenvolvimento estão finalmente a mostrar um desempenho constante, de acordo com o que revela o World Travel Market 2012 Industry Report.

SaBIA QUE... As reservas de hotéis foram as que mais cresceram, orientadas pelas vendas das agências de viagens online. No entanto, o transporte aéreo continua a ser a categoria de maior sucesso no turismo online.


20 | Destaque

dos métodos tradicionais de distribuição”, justifica. O responsável reconhece que a dimensão do mercado português nem sempre permite um retorno imediato a projectos que “abracem métodos de distribuição menos

Sabemos que os clientes passam hoje em dia mais tempo a visitar montras virtuais do que montras de rua

É necessário apostar na dinâmica do online e dar mais importância à informação que temos dos clientes

a aposta tecnológica permite ao consumidor entrar no mundo Europcar em qualquer momento, em qualquer lugar

Augusto Cardoso

Eduardo Cabrita

fernando fagulha

ortodoxos” e a aposta tecnológica continua a ser dispendiosa, “mas acreditamos ser possível encontrar um equilíbrio entre o investimento e o retorno”. Quererá isso dizer que o agente de viagens tradicional já não existe nem tem lugar para existir? É uma questão que já vem de há uns anos e, segundo Eduardo Cabrita,

CEO da Citur, admite que a

baseada em formas de trabalho e

Montras virtuais

director-geral da MSC Cruzeiros

mobilidade tecnológica amplia

plataformas de há 10/15 anos atrás,

No sector das agências de viagens,

em Portugal, é verdade que o

as possibilidades de acesso a

a evolução tem que ser constante”.

o termo montra virtual, utilizado

surgimento da Internet no sector

um maior número de pessoas,

O responsável acredita que as

por Augusto Cardoso, director

turístico lançou o debate sobre o

ou seja, de clientes. “As pessoas

empresas deixaram de ser apenas

da Jade Travel, é esclarecedor.

futuro das agências de viagens.

são seres em movimento, as

um escritório e que hoje têm de ser

“Sabemos que os clientes passam

“Penso que é necessário continuar

redes sociais, Facebook, Twitter,

obrigatoriamente uma empresa

hoje em dia mais tempo a visitar

a trabalhar com empenho na

Linkedin etc., estimulam novos

em tempo real, com acesso

montras virtuais do que montras

adaptação às novas tecnologias.

comportamentos e criam novas

imediato aos produtos, a qualquer

de rua, por isso procuramos

É necessário apostar na dinâmica

aspirações”, afirma. E não estar

hora e em qualquer lugar, com a

comunicar utilizando as novas

do online e dar mais importância

neste mundo virtual nem sequer

máxima flexibilidade.

tecnologias em detrimento

à informação que temos dos

se coloca, embora seja “difícil

Outra forma de ganhar mais

antever um retorno, temos que

negócio é, sem dúvida, poder agir

o fazer, pois de outra forma

consoante a procura e aí Manuel

estaremos completamente ‘out’”.

Guedes de Sousa, director de

O mesmo defende Miguel Jesus,

Vendas & Marketing do Palácio

director comercial da Image Tours,

Estoril Hotel & Golf, não hesita

que embora saiba que o custo de

em adiantar que “a internet

“agarrar” as novas tendências é

veio dar-nos a possibilidade

considerável, “é obrigatório para

de alterar o preço ao minuto,

poder competir no mercado

permite-nos actuar conforme

actual. Será muito difícil uma

a procura que existe a qualquer

empresa conseguir sobreviver

momento”.

adultos em 21 países. Divulgado

de 11 dias consecutivos ao sol e

probabilidade de se exercitar na

em Maio de 2012, o relatório da

os americanos são criaturas de

praia e 82% dos alemães passam o

Expedia aponta para que 52% dos

hábito com poucas preocupações

tempo a nadar enquanto estão na

inquiridos planeie fazer férias na

quanto a encontrarem um novo

praia, já os canadianos preferem o

O Relatório Flip Flop de 2012

praia nos 12 meses seguintes, o

destino de praia. Uma vez na

mergulho (34%), e os australianos

da Expedia.com é muito claro

que corresponde a um aumento

praia, as principais actividades

a pesca (35%). Mas apesar da

ao afirmar que a praia é, de

de 45% face a 2011.

nos cinco continentes são muito

natureza descontraída de uma

longe, o destino preferido

Em média, as férias na praia

simples: relaxar e apanhar sol.

semana ao sol, os amantes da

da maioria dos turistas a

duram uma semana (7,7 dias).

Os brasileiros e os irlandeses

praia não descuram o factor

nível mundial. O estudo

E quando a praia chama, os

são quem mais gosta de relaxar,

preço e, quando inquiridos

analisou o comportamento

primeiros países a dar-lhe

enquanto que os mexicanos e

sobre o que torna umas de praia

e preferências dos amantes

resposta são, sem dúvida,

os argentinos lideram o ranking

espectaculares, é o preço global

da praia na América do

a Alemanha, seguindo-se

daquele que gostam de se deitar

que vence (77%), seguindo-se

Norte e do Sul, Europa, Ásia e

o México e a Argentina. Os

ao sol. Quanto a actividades, os

depois a qualidade da praia (72%) e

Austrália, abrangendo 8.599

argentinos passam uma média

brasileiros são quem tem mais

o preço do voo (65%).

Férias de praia no topo das preferências


22 | Destaque

Reino Unido, “recentemente na World Travel Market, a organização dimensionou mal a oferta e com dezenas de milhar de visitantes com tablets,smartphones e laptops a funcionar ficou tudo bloqueado

no futuro vamos consumir completamente mobilidade. Quem der esse passo ... vai ser quem vai mandar Paulo Martins

a tecnologia faz-se pagar bem

a interacção dos clientes depende em grande medida do catálogo virtual

e as empresas com componente tecnológica nem conseguiram fazer demonstrações”. Francisco Sá Nogueira reconhece que nesta fase, o mobile é um excelente canal de comunicação mas ainda tem

nuno sales da ponte

Sílvia Romeiro

limitações na pesquisa e venda, algumas das quais resultantes da dimensão dos ecrãs e dos

clientes para usá-la a nosso favor.

“montra virtual” quando refere

explicando que tem sido feito

custos de acesso à Internet.

A nossa comunicação dirigida aos

que esta aposta “permite ao

um esforço grande por parte

Por isso mesmo, o responsável

consumidores apela no sentido

consumidor entrar no mundo

dos fabricantes de tendências

sugere que os operadores

de estes consultarem o seu agente

Europcar em qualquer momento,

em estreita colaboração com

verifiquem se os investimentos

de viagens para um programa

em qualquer lugar”. A rent-a-car

as empresas de comunicação

para adaptação dos seus ‘front

realizado à sua medida”, alerta.

aposta nas aplicações mobile para

e produtoras de equipamentos

ends’ a este canal sejam pagos

Consciente destas alterações está

iPhone, iPad e Android, apresenta

em identificar as soluções

pelas transacções efectuadas

também a Airmet e Paulo Mendes,

um NFE completamente

mobile com o futuro. E é

neste canal. Caso contrário,

director geral do grupo, explica

renovado, mais “user-friendly,

peremptório em afirmar: “o

deverão procurar que as

que estão a “preparar as agências

dinâmico e interactivo”. Fernando

mobile não dá resposta para

empresas de comunicação e/ou

para terem páginas com reservas

Fagulha sabe que o investimento

tudo, quer na pesquisa, quer

os fabricantes de equipamentos

online para atingir um cliente que

no acompanhamento destas

na venda”. Além disso, em

patrocinem o custo destas

procura serviços na Internet, mas

novas tendências não é acessível,

viagem, os custos associados

soluções, “pois serão eles os

que depois quer comprar toda

mas adianta que fica abaixo do que

ao roaming e às dificuldades

únicos a ganhar com isso”.

a segurança e aconselhamento

seria necessário fazer com acções

na largura de banda e acesso

Ou então, recorda, assumi-los

que uma agência de viagens com

offline.

Wi-Fi “ainda restringem muito

como custos de comunicação e

balcão oferece”.

a utilidade das soluções mobile

marketing.

Nuno Sales da Ponte, Area

Uma perspectiva diferente

no destino final”.

Também Rogério Cardoso,

Manager para Portugal da

Parece estar então confirmada

Por outro lado, a verdade

director de Marketing e

Expedia, que identifica como

a obrigatoriedade das empresas

é que o mobile ainda tem

Comunicação da Espírito

novas tendências por parte

portuguesas acompanharem

restrições e, mesmo num

Santo Viagens, se mostra mais

do consumidor o mobile e

estas tendências ligadas e que

país desenvolvido como o

relutante em admitir que o

os tablet, acrescenta que as

o futuro passa por aqui. Mas

futuro passará pelas novas

empresas turísticas têm que

será que é assim? Francisco Sá

plataformas tecnológicas.

“interagir e comunicar com o

Nogueira, CEO da PortugalRes,

consumidor não só numa óptica

dá-nos uma outra visão

de conselheiros, mas também

d Tren Alert

numa perspectiva de especialista

“São áreas de grande experimentação”, argumenta, e não existe, em nenhum mercado, um modelo operativo

em viagens, alojamento e serviços

Estou sim? É p’ra mim…

que permita medir o retorno

inerentes ao viajante”. Para isso,

Cada vez mais turistas recorrem aos dispositivos móveis para pesquisar opções de alojamento e viagens, bem como para reservarem e comunicarem as preferências ao nível dos quartos directamente junto do hotel. A reserva nos canais móveis aumentou quatro vezes entre 2008 e 2010, de acordo com a Forrester Research.

directo do investimento nessas

SaBIA QUE... O Google também prevê que os aparelhos

mais próximas, de confiança e

“a implicação e a interacção dos clientes dependem em grande medida do catálogo virtual”, evoca o responsável da Expedia. Fernando Fagulha, director de Vendas e Marketing da Europcar Portugal, esclarece que a empresa faz uma forte aposta na mobilidade tecnológica e acaba por ir de encontro à expressão de

móveis ultrapassem os PCs como dispositivo de acesso à Internet, mais comum, em 2013.

áreas. “No nosso entender, e nesta fase, são óptimos veículos de conhecimento mútuo (consumidor/empresas) e que devem ser usados para relações de comunicação”, sublinha. No fundo, é apologista de usar as redes sociais, de acordo com o seu papel de rede social.«


24 | Destaque

Amadeus

tendências de distribuição Tentar entender o mercado a médio prazo começa a ser um processo de semi-futurologia intenso cujo bom senso pede para que não se faça. A velocidade de evolução das tecnologias de informação, a facilidade com que os consumidores derivam de interesses e modas e a volatilidade dos mercados e empresas indicam que qualquer previsão tem uma boa probabilidade de falhar. Ainda assim, porque o exercício é atraente, aceitei-o. Esta é uma breve opinião sobre tendências de distribuição do turismo.

M

Por Miguel Quintas, Director-Geral Amadeus Portugal undo: 4 evoluções a curto prazo

tem ajudado a relegar para segundo plano o papel do profissional

1. O mercado mundial deverá continuar a crescer: Serão boas notícias

do turismo enquanto actor tradicional na venda offline (Agência de

para o receptivo do mundo. Efectivamente o turismo mundial tem

Viagens) como se viu atrás. Para os mercados mais maduros como

registado uma média de crescimento de 3,5% (2,4% nas economias

a Europa e Estados Unidos, os agentes de viagens têm procurado

maduras e 5,0% nas emergentes) sendo que cerca de 51% são turistas

revitalizar a sua importância para os potenciais clientes através da

de lazer (apenas 15% de corporate). Um estudo da UNWTO prevê

especialização e/ou no grau de confiança que prestam na qualidade

quase o dobro de turistas no mundo até 2030.

de serviço. Ainda assim, a tendência é de redução do seu uso por parte dos clientes. Para os restantes mercados o sector continua a

2. O cliente final está mais informado e reserva em todo o lado: Com

evoluir a um ritmo mais lento, mas, ainda assim, o mercado mundial

a penetração cada vez maior de “smartphones” e particularmente

apresenta um crescimento de cerca de 2% ao ano de agências de

de “tablets” (mais de mil milhões de equipamentos e subscritores

viagens.

com acesso a internet 3G no mundo até final de 2011) as plataformas de acesso a reservas de viagens estão por todo o lado. Um estudo

4. O fornecedor está mais inteligente na desintermediação: Os

recente demonstrou que 46% das pesquisas realizadas por estes

fornecedores de turismo (companhias aéreas, hotéis de cidade e

aparelhos móveis resultam numa compra online e este valor tem

resorts, companhias de aluguer de viaturas, operadores, entre outros)

tendência a crescer. Por outro lado, o cliente usa a sua rede de

têm vindo a aproveitar a possibilidade de se promoverem junto

contactos (quer via conteúdos na Internet, quer através de redes

do cliente final através das novas tecnologias, nomeadamente nos

sociais ou outros meios de informação) para se informar e garantir a

meta-buscadores, sites da especialidade e redes sociais. Desta forma,

veracidade testemunhal dos destinos para onde se desloca, retirando

conseguem hoje alavancar vendas que há poucos anos seriam

importância a dois dos papéis principais do agente de viagens: a

difíceis de conseguir. Como exemplo, verifica-se que actualmente,

localização física da agência para onde se deixa de deslocar e da sua

cerca de 35% da aviação mundial é vendida diretamente nos sites das

consultoria técnica que usufruía.

companhias aéreas e com tendência a crescer nos mercados menos maduros. Ainda assim, um estudo recente nesta área demonstrou

3. O papel do agente de viagens varia consoante a maturidade do

que, nos Estados Unidos, o nível de desintermediação chegou a um

mercado: O advento do cliente mais informado sobre os destinos

ponto em que não compensa mais vender a cliente final.


Destaque | 25

Portugal: 5 evoluções a curto prazo Se olharmos para Portugal, a distância para o mundo mais evoluído não é assim tão grande: 1. Lazer em queda acentuada: Na área do lazer, o agente de viagens tradicional começa drasticamente a perder terreno para o cliente final (fruto de uma melhor e maior informação) e para a desintermediação do produtor (hotéis, companhias de aviação, etc.) sendo de antever muitos encerramentos de balcões,

“ A concentração permite aos agentes que o

reduzir as suas margens na venda.

serviço: Por outro lado, à parte da

conseguem fazer,

Tais factos são tão verdadeiros

concentração, terão mais capacidade

para o cliente de lazer como o de

para resistir aquelas agências que

“corporate”.

trabalharam marcas credíveis para

resistir à quebra de

os consumidores. Em alturas de 4. “The winner takes it all”:

crise, pese embora o factor dinheiro

Dos movimentos económicos

seja uma questão de primeira linha,

2. Crédito é vital no “corporate”:

anteriores resulta uma tendência

muitos dos consumidores de lazer

Na área do “corporate”, a dificuldade

crescente na concentração

não querem arriscar comprar

infelizmente.

rentabilidade...

de acesso ao crédito, os atrasos

3. Mercado geral em contração:

do mercado das agências. A

produtos que não lhes garantam

nos pagamentos de clientes e a

A adicionar aqueles efeitos nocivos

concentração permite aos agentes

segurança. Daí também que a

pressão pela redução dos prazos

dos movimentos de mercado, a

que o conseguem fazer, resistir à

especialização seja uma fonte de

de liquidação do BSP irão retirar o

evolução da crise económica afeta

quebra de rentabilidade, trocando-a

soluções para algumas agências

folego financeiro a muitas agências

os nossos agentes de viagens, quer

por um aumento de volumes que

que queiram enveredar por este

que actualmente já se encontram

pela via da redução do mercado

lhe garantam sobrevivência no

caminho, em conjunto com um

demasiado alavancadas, prevendo-

disponível para comprar, quer pela

curto/médio prazo.

serviço de excelência – as agências

se portanto, alguns encerramentos

pressão da oferta/concorrência

também.

dos demais agentes que o obriga a

para clientes que estão dispostos a 5. O cliente quer segurança e

pagar esse serviço “premium”. «


26 | Destaque

Análise

Prepare o negócio para novos consumos O

Chegou a altura de preparar estratégias, posicionamentos de produtos perante as características da procura, pois os planos, que estavam definidos em anos anteriores, encontram-se agora obsoletos.

s vários fenómenos de consumo e o poder das

tecnologias fazem com que cada consumidor seja “uma história à parte”. As empresas turísticas lidam com vários tipos de segmentos e diferentes necessidades de consumo distintas, surge, para Frédéric Frère, CEO da Travelstore, “então a ‘ditadura do segmento de mercado’ que torna cada vez mais complexas as estratégias de alcance dos mesmos”. “A época em que as mensagens mais transversais tinham impacto está ultrapassada e essa táctica de apelo ao consumo, quando não segmentada, pode, inclusive, ter efeitos fortemente negativos”. A advertência vem da Espírito Santo Viagens. Rogério Cardoso, Diretor de Marketing

factores socioeconómicos,

interesse em saber se temos

Administrador Executivo

e Comunicação da empresa

todos os países têm hábitos

um serviço vocacionado

do grupo explica “há uma

constata que “um dos grandes

e culturas diferentes, de

para famílias com ‘babysitter’

estratégia diferente para cada

desafios que se coloca, hoje

forma que tem de haver

gratuito e que o restaurante

segmento de mercado. Por

em dia, na comunicação

alguma diferenciação [na

abrirá logo a partir das 18.00,

exemplo, nos nossos hotéis

é a não dispersão e uma

segmentação de mercado]”.

apenas para crianças. No

de cidade temos mais clientes

optimização de recursos,

A aposta está então em ter

entanto, essa informação para

business e tentamos ir de

linguagem e mensagem para

“para cada segmento uma

um operador turístico de luxo

encontro às suas necessidades

os público e segmentos alvo”.

estratégia diferente”, segundo

que trate apenas de famílias é

e horários, enquanto nos

Também na hotelaria o perfil

Ulisses Marreiros, director

importante”.

hotéis de praia oferecemos

do consumidor é definido em

geral do Reid’s Palace. O

No caso da cadeia Oásis

opções de lazer para completar

função dos vários mercados

hoteleiro, que está à frente da

Atlântico - Hotels & Resorts,

a oferta do destino. Tomamos

onde actuam, pelo que

unidade de cinco estrelas no

a actuar em Cabo Verde e

em consideração também as

Bruno Matos, Director de

Funchal, na ilha da Madeira,

no Brasil, o posicionamento

nacionalidades dos clientes,

Alojamentos do Hotel Mundial,

assegura mesmo, como

segue o mesmo caminho.

para adaptar os nossos

explica que “para além dos

exemplo, “um PCO não tem

Alexandre Abade,

horários aos diferentes


Destaque | 27

O consumidor (…) quer pagar menos, compara o incomparável, regateia demais, viaja a lazer menos vezes por ano

Otemos clientes que não vêm à Madeira, mas sim ao Reid’s

o All Inclusive é uma tendência transversal a vários mercados, sem grandes diferenças ao nível do consumidor

notamos a apetência por viagens menos massificadas

Maria José Silva

Ulisses Marreiros

Agustín Sousa de Macedo

Paula Alves

costumes / hábitos culturais”.

momento pós check out”,

soluções tecnológicas”, bem

modo de actuar junto dos

Em Lisboa, no Tiara Park

informa Conceição Ribeiro,

como “da racionalização dos

clientes varia consoante

Atlatic, com o objectivo de

directora geral da unidade.

consumos de água e energias,

os sectores”. Fátima Silva,

proporcionar ao cliente um

Em concreto, o cinco estrelas

de soluções sustentáveis para

directora geral da empresa

sentimento de pertença e

lisboeta segue um estratégia

que a nossa pegada diminua,

em Portugal informa mesmo,

bem-estar, o plano passa por

"de adequação dos produtos,

e não o contrário”, frisa a

que por exemplo, “a CWT

“identificar uma evolução

na elaboração de pacotes

hoteleira.

especializou-se na área de

das suas necessidades e

atractivos, na utilização

Por sua vez, na agência de

“Energy” para servir empresas

comportamentos, desde o

da internet como veiculo

viagens corporativas, Carlson

globais ligadas a este sector

momento da reserva até ao

preferencial, na busca de

Wagonlit Travel (CWT), “o

(petróleo, gás, etc), uma


28 | Destaque

todos os países têm hábitos e culturas diferentes, de forma que tem de haver alguma diferenciação

as novas tendências estão cada vez mais ligadas (…) às experiências que levem o consumidor a fugir às rotinas

Apoiamos os conceitos... que apelam cada vez mais a uma clientela mais importante

“[no The Yeatman] conseguimos personalizar as experiências e ter a certeza que garantimos a maior satisfação de cada cliente

Bruno Matos

Francisco Mello Breyner

Nicolas Roukos

Miguel Velez

vez que têm necessidades

preferências e necessidades.

do país e de conhecer o perfil

vista privilegiada sobre a

específicas e por esse motivo

Desta forma, conseguimos

de cada vinho. No entanto,

cidade, quer pela experiência

o serviço prestado foca-se

personalizar as experiências e

o The Yeatman consegue

gastronómica no restaurante

na resposta adequada quer

ter a certeza que garantimos

ainda puxar outro tipo de

ou pelos tratamentos vínicos

em termos operacionais

a maior satisfação de cada

clientes, “que procuram

do Spa de Vinotherapie da

quer em termos de gestão de

cliente”.

uma experiência diferente

Caudalie. Estes serviços

fornecedores”.

Pelo conceito vínico único,

e memorável, quer pela

atraem não apenas os turistas,

o hotel atrai muitos amantes

como a comunidade local”,

“Nichos são as novas massas”

e apreciadores de vinho, que

reforça Miguel Velez.

A época do turismo de massas

têm aqui a oportunidade de

é algo, que hoje em dia, faz

viajar pelas diferentes regiões

cada vez menos sentido para

d Tren Alert

alguns dos inquiridos ouvidos

No Alentejo, no Zmar, “as novas tendências estão cada vez mais ligadas ao bemestar aliado ao contacto com

pela Ambitur. O consumidor

Desintoxique-se…da era digital

a Natureza, experiências

é agora um indivíduo que

Os hotéis poderão vir a oferecer pacotes de desintoxicação digital como meio para melhorar o bem-estar dos hóspedes, uma vez que cada vez mais os consumidores estarão ligados a dispositivos portáteis com Internet, o que provoca maiores níveis de stress.

que levem o consumidor a

procura as suas próprias experiências, que sejam únicas e distintas. No Memmo Balleira a estratégia é estar “sempre atentos e a posicionarmos junto de novos nichos pois acreditamos que os nichos são as novas massas”, afirma

SaBIA QUE... Spas, cruzeiros e safaris onde as tecnologias estão proibidas apresentam fortes oportunidades neste campo, oferecendo um contexto ideal para os consumidores desligarem e relaxarem, segundo o World Travel Market 2012 Industry Report.

fugir às rotinas do dia-adia”, explica Francisco Mello Breyner, administrador do Zmar – Eco Campo Resort & Spa, localizado na Zambujeira do Mar. Para o responsável “a aposta em nichos tem um custo para o retorno real muito elevado. Tentamos sempre

Rodrigo Machaz.

adaptar o produto à procura

A Norte, também o The

do nosso cliente.”

Yeatman tem uma estratégia

A Sonae Turismo identifica

muito definida com

como nova tendência

uma proposta de valor

no consumidor de hoje a

completamente diferente

“crescente procura de All

da restante oferta da região,

Inclusive e alguns nichos

alicerçada nos vinhos, na

associados a determinados

gastronomia e no serviço.

mercados como, por exemplo,

Miguel Velez, director Geral

a procura de resorts ‘sports

do hotel explica que a unidade

friendly’. Agustín Sousa de

“segue uma estratégia

Macedo, Director Comercial

muito segmentada, que nos

da Hospitality Sales da Sonae

permite perceber cada nicho

Turismo explica que o “All

de mercado a apresentar

Inclusive é uma tendência

propostas adequadas às suas

transversal a vários mercados,


Destaque | 29

d Tren Alert Gerir um hotel é uma ciência? A gestão das receitas fará da arte de gerir um hotel uma verdadeira ciência. A gestão das receitas evoluiu desde os tempos em que foi introduzida pela indústria aérea na década de 70 para ser hoje uma ciência complexa. De acordo com Robert Rauch, presidente da R.A. Rauch Associates Inc., os gestores sempre reduziram os preços para estimular as vendas quando a procura está fraca e aumentaram os preços durante os períodos de forte procura.

SaBIA QUE... Os hotéis são hoje capazes de actualizar os preços para todas as futuras datas de chegada de forma a corresponder à procura do mercado dia-a-dia, através de aplicações inteligentes avançadas. A TravelClick tem relatórios da procura de grupo e temporária que olham para as reservas com um ano de avanço.

sem grandes diferenças ao

Para a Portugalres, os nichos

drive – circuitos temáticos

de natureza são apenas

nível do consumidor”.

de mercado são “uma forma de

– e “alguns inéditos como

algumas das alternativas

O responsável da Sonae

diferenciação e única forma

os circuitos gastronómicos

que as empresas turísticas

adianta que “no caso do

de abrir novos mercados

assinados pelo Chef Vitor

apresentam. Como refere

mercado corporate a oferta

para o Destino Portugal”.

Sobral e os Estrela Michelin”.

Paula Alves, da Traveltailors,

de soluções chave na mão é

Neste sentido, Francisco Sá

Sustentabilidade, gastronomia

“notamos a apetência por

bem recebida, quer a nível

Nogueira, CEO da empresa

e bem-estar, turismo de

viagens menos massificadas,

de eventos ou de estadias

acentua que a empresa

saúde, turismo de aventura,

a vontade de viajar mais

individuais”.

comercializa ofertas de fly &

surf, mergulho, turismo

do que uma vez por ano, o


30 | Destaque

são os segmentos de Turismo Activo; Desportivo e Cultural as opções mais assertivas de acordo com o futuro

Nuno Paixão

há uma estratégia diferente para cada segmento de mercado

consumidores tipo ‘incentivo’ e o turismo cultural continuarão a ser muito importantes

a partilha de interesses e estratégias, com um alvo comum, é sempre um factor-chave de sucesso

Alexandre Abade

Carla Patrício

Conceição Ribeiro

gosto por hotéis boutique com um atendimento mais personalizado e decoração singular”. No caso do Inspira Santa Marta Hotel, em Lisboa, Nicolas Roukos, director-geral da unidade de quatro estrelas, explica que “o conceito de sustentabilidade acaba por ser atractivo” para os clientes, bem como o ‘feng shui’. “Apoiamos também os conceitos de ‘slow living’ e ‘Slow food’, que apelam cada vez mais a uma clientela mais importante”. Num posicionamento de DMC, a Amazing People prevê “um aumento dos nossos consumidores tipo ‘incentivo’ e o turismo cultural continuarão a ser

Redes sociais…o novo ego dos

as opções mais assertivas de acordo com o futuro”,

consumidores As redes sociais vão continuar a transformar as ligações com os viajantes. Em 2016, metade da indústria turística estará a usar as redes sociais como forma de gerar receitas e reservas. Actualmente, mais de um quinto (22%) usam as redes sociais como ferramenta geradora de receitas com mais 27% a planear fazê-lo ao longo dos próximos cinco anos identifica na sua lista de Tendências da Indústria Hoteleira para 2012-2013, Robert Rauch, presidente da R.A. Rauch Associates Inc.

SaBIA QUE... As publicações no Facebook estão sempre integradas na pesquisa Bing e o Google+ surgiu com uma integração na pesquisa do Google. Os hotéis já não podem dar-se ao luxo de se atrasarem em acrescentar as redes sociais à sua estratégia de marketing. É hoje um elemento necessário de sucesso.

d Tren Alert

identifica Nuno Paixão, director comercial da Bestravel. Em estudo pela RAVT está a futura actuação “em alguns nichos de mercado ainda pouco explorados em Portugal, mas em crescimento internacional, como o Turismo industrial, o para académicos e eventos científicos, medical tourism”. Maria José Silva, sustenta, no entanto que “mantémse a aposta no nicho Golfe, mergulho, surf e eventos desportivos que as agências de viagens da rede já têm”. Recentemente, a rede de

muito importantes, talvez

agências de viagens Top

com grupos cada vez mais

Atlântico apostou nas

reduzidos e mais exigentes”.

viagens de voluntariado e

Na opinião de Carla

aventura, “respondendo não

Patrício, manager director

só às novas tendências de

da Amazing People, para o

mercado, mas também como

consumidor dito de incentivo,

resultado de inputs nesse

o “know-how é fundamental,

sentido que recebemos dos

procuramos sermos rápidos

nossos clientes”. Também

e certeiros nas nossas ofertas,

o caminho da Soltrópico

onde a principal estratégia é

tem passado pelos novos

aliar a qualidade, a um "bom

nichos de mercado, com a

preço" e a alguma inovação/

criação de programas para

surpresa”.

surf, mergulho ou de cariz

Para a rede de agências

ecológico e contacto com a

de viagens Bestravel, “são

Natureza, descreve Nuno Anjos,

os segmentos de Turismo

director comercial.

Activo; Desportivo e Cultural

No domínio dos cruzeiros,


32 | Destaque

d Tren Alert “third party” certification, ou seja,

e em que os consumidores

de entidades independentes que

integram esta dinâmica há que

possam apoiar um destino com

antecipar tendências, até porque

a nomeação de um ou outro

“não sendo uma ciência exacta,

player no turismo”. Em suma

é um aliciante suplementar

“é necessário cada vez mais

para apimentar a profissão dos

SaBIA QUE... Com esta tendência poderão se verificar

formentar parcerias atractivas

artesãos fazedores de viagens”.

algumas mudanças em termos de destinos e mercados que serão substituídas por vídeo-conferências e outros modelos de comunicação de acordo com a mesma fonte.

com linhas aéreas e cruzeiros”.

António Gama, director geral da

Ainda, em Lisboa, também o

Nortravel acredita, ainda, que

Hotel Mundial “já tem vários

“o futuro será sempre menos

acordos comerciais com outras

revolucionário do que alguns

empresas, desde o rent-a-car até

propalam e mais vanguardista

algumas superfícies comerciais,

do que o esperado pelos

onde conjuntamente com

conservadores penitentes. Por

elas tenta encontrar forma de

isso, o retorno é, para alguns,

fazer a promoção das mesmas

um dado adquirido; para outros,

e também uma oferta distinta

uma impossibilidade”.«

Mãos ao ar! Isto é uma viagem… Segurança é um tema actual e cada vez mais restritivo para o consumidor. “Hoje em dia, alguns clientes já proíbem deslocações para determinados destinos���, identifica Carla Silva, responsável em Portugal da Carlson Wagonlit Travel.

perspectiva diferente. Recentemente, o Grupo Altis Eduardo Cabrita, da MSC, refere

associou-se à Blue & Green

que “a cada dia que passa,

(Amorim Turismo) para uma

aumenta a oferta e o portfolio

parceria comercial ao nível das

de escolhas a bordo dos navios

suas actividades de marketing,

de cruzeiros”, pois “é necessário

promoção e vendas. Francisco

apostar nos segmentos

Moser explica que “cada vez mais

procurados pelos clientes e

as empresas têm que se juntar

também apostar em novas rotas,

em parcerias que ofereçam valor

itinerários e destinos alternativos,

acrescentado ao consumidor”.

que seduzam os passageiros e que

Neste sentido, o responsável

os levem a escolher novamente

realça que a comunicação online,

o cruzeiro, como modo de

“é a melhor plataforma para dar

descobrir novas terras, cidades e

suporte a essa estratégia”.

costumes”.

Referindo-se à promoção do

vá lá, seja um 'eco-amigo'!

Localizado num “destino de

destino em si, antes das empresas

nichos, o Reid’s Palace acaba por

e respectivos produtos, Manuel

ser também um desses nichos”,

Guedes de Sousa, do Palácio

defende Ulisses Marreiros,

Estoril Hotel & Golf constata

director-geral da unidade, pois

que “antes de vender um hotel

“temos clientes que não vêm

há que vender o país/região e

Os programas verdes, amigos do ambiente, são bons contributos para a indústria hoteleira. A grande maioria dos entrevistados do TripAdvisor 2012 Industry Index - num total de 88% dos 25.000 participantes em todo o mundo - sentem que é importante trazer práticas amigas do ambiente em seus negócios.

à Madeira, mas sim ao Reid’s”.

normalmente só depois é que

Contudo, a unidade hoteleira

aparece o hotel”, nesse sentido “é

continua a “criar novas facilidades

fundamental que os organismos

e adaptar aos dias de hoje,

públicos e privados continuem a

de forma a conseguir ter um

trabalhar em conjunto”.

rejuvenescimento da clientela”.

Conceição Ribeiro, directora geral do Tiara Park Atlantic

A importância das sinergias

Lisboa, acredita que “a partilha de

“A união faz a força” deixou de

interesses e estratégias, com um

ser apenas um mote sindical

alvo comum, é sempre um factor-

para passar a ser uma estratégia

chave de sucesso quando falamos

comercial das empresas

de empresas que têm um perfil de

na actualidade. Em tempos

consumidor comum”.

conturbados, a procura de

Numa perspectiva diferente,

parceiros comerciais tem surgido

Nicolas Roukos, director geral

cada vez mais, para fazer face

do Inspira Santa Marta Hotel

aos problemas existentes e para

defende que “as estratégias que

abordar o mercado de uma

poderão existir serão ao nivel de

rectificação Na edição n.º253, a Ambitur escreveu erradamente o nome do director-geral do Sofitel Lisboa, que é António Ferreira de Sousa e não António Ferreira da Silva. Por esse facto, pedimos as nossas desculpas.

de pacotes que se enquadrem na procura e que sejam uma mais valia para os clientes”, argumenta Bruno Matos, Director de Alojamentos do Hotel Mundial. Numa sociedade que tem uma dinâmica própria e permanente

d Tren Alert

SaBIA QUE... A prática, amiga do ambiente, mais amplamente adoptada pelos vários tipos de alojamento, pelo mundo fora, é a utilização de energia eficiente (79%). A reutilização das toalhas é a segunda medida mais selecionada (62%) e ter um plano especifico de eficiência energética está em terceiro lugar (56%)


34 | Destaque

Turismo de Portugal

factos e tendências do turismo

Por Luis Matoso. administrador do Turismo de Portugal

T

endência 1 – Internet, mobile e redes sociais

O Turismo de Portugal destaca três tendências fundamentais no sector do Turismo: Internet, mobile e redes sociais; alteração do padrão de procura, cada vez mais dominado pelo “Smart Shopper;”e valorização da autenticidade dos destinos. Estas três tendências estiveram na base da redefinição de uma estratégia de comunicação que reforça o investimento no marketing digital e redefine o modelo de intervenção nos mercados.

substituídos pela concorrência. Os turistas procuram rentabilizar

A internet é uma tendência já muito instalada no sector do

os seus gastos de viagem, mas sem que isso signifique estarem

turismo, sendo a importância dos meios digitais transversal a

disponíveis para aceitar destinos, produtos e serviços de menor

todas as etapas do processo de selecção do destino de férias. Neste

qualidade – reforço do factor preço enquanto factor de decisão.

capítulo, destaca-se a importância do mobile e das redes sociais.

A estratégia de comunicação do Turismo de Portugal passa

A crescente possibilidade de aceder à internet em qualquer

precisamente por garantir a sua presença em todas as etapas do

momento e em qualquer local associada à oferta de novos

processo de decisão de compra, desde a fase de pesquisa / recolha

equipamentos móveis e à possibilidade de conceber aplicações

de informação, feita sobretudo através de motores de busca, às

específicas aumenta o potencial de negócio turístico realizado via

fases de procura de oportunidades e de concretização de reserva, feitas em websites de

comunicações electrónicas. Pesquisa de informação, comparação

partilha de informação

de propostas, pagamentos,

sobre destinos turísticos, em

reservas, check in, localização

operadores online e em sites de

GPS, realidade aumentada,

companhias aéreas.

partilha / socialização através das redes sociais, sistema de

Tendência 3 – Valorização da

alertas – tudo isso pode ser feito

autenticidade do destino

em qualquer momento e local. O

Os turistas procuram cada vez mais que

futuro é mobile. Também as redes sociais têm vindo a assumir um papel cada vez mais importante enquanto meio de divulgação e troca de experiências / recomendações entre turistas. Os novos

uma viagem lhe traga enriquecimento pessoal, experiências mais autênticas e genuínas. Os próprios destinos encontram nesta predisposição uma oportunidade para melhorarem a sua competitividade por via da

meios digitais, ao potenciarem a interactividade, permitem

afirmação e diferenciação.

conhecer directamente o perfil e motivações do consumidor e

Factores como o clima e a luz, a história, cultura e tradição, a

adequar a oferta e processos de gestão e venda com base nesse

hospitalidade e a diversidade concentrada contribuem para diferenciar

conhecimento.

Portugal da concorrência.

O Turismo de Portugal acompanha esta tendência de maior

Mas a experiência do Destino Portugal torna-se única e difícil de

proximidade em relação aos turistas, privilegiando, na sua

replicar por outros destinos quando vivida em função dos valores

estratégia de comunicação, o meio online, e reconhecendo

mais essenciais de Portugal enquanto destino turístico, impossíveis de

que reviews, posts, comments, likes são aspectos a ter em

destacar nos aspectos tangíveis da nossa oferta turística, mas essenciais

consideração quando se avalia o retorno dos investimentos de

na definição da sua identidade. A valorização do entendimento na

comunicação.

relação com os outros, e a aceitação da diferença como factor essencial

O Turismo de Portugal está também a trabalhar num novo portal

da complementaridade entre os povos, são valores que estão presentes

que estará disponível no mercado em 2013 e que integrará redes

nos aspectos quotidianos da nossa cultura e reflectem o nosso modo de

sociais, plataforma de reservas e uma versão mobile.

estar: uma cultura aberta para o mundo, disponível para ouvir, capaz de improvisar e conciliar diferenças. Em resposta a esta tendência do turista,

Tendência 2 – Smart Shopper

de busca de autenticidade e de enfoque na experiência, o Turismo de

O comportamento de reserva de viagens tradicionalmente

Portugal pretende integrar na sua estratégia de comunicação projectos

motivado pelo desejo é agora, em muitas situações, motivado pela

de activação de marca que proporcionem um contacto com os aspectos

oportunidade. Neste sentido, até pela facilidade de comparação

mais intangíveis da oferta turística sem deixar de comunicar os aspectos

detalhada da oferta, os destinos tendem a ser facilmente

que mais diferenciam o destino.«


36 | Entrevista

Aigle Azur

“tem que se

vender outro destino além de Paris„

Com a aquisição de capital por parte do grupo chinês HNA, a Aigle Azur espera conseguir lançar o longo-curso já no Verão IATA 2013. Tiago Martins, delegado da companhia em Portugal, fala à Ambitur de como o próximo ano será estratégico e do objectivo de crescer no cliente corporate.

O

que muda na Aigle Azur

foi antecipado para as 9h00,

desde de Faro, Lisboa, Porto e

com a aquisição de capital

chegando mais cedo a Paris,

Funchal, tem relações muito

por parte do grupo chinês HNA?

o que abre novas margens de

proximas e está a trabalhar para

O objectivo número um é

negócio e conexões em Paris,

desenvolver o Alentejo e também

trazer novos investimentos

quer seja para Moscovo, quer

os Açores.

dentro do grupo Aigle Azur para

para a Argélia e, futuramente,

poder lançar o longo-curso, e o

para o longo curso que a Aigle

Desde que entraram em Portugal,

primeiro grande objectivo será

Azur vai lançar.

quais foram os momentos mais cruciais?

lançar o voo entre Paris e Pequim para o Verão IATA 2013.

Qual o significado da Medalha de

O mais importante foi o

Mérito atribuída pelo Governo de

lançamento da segunda

De que forma influencia a

Portugal?

frequência para Lisboa, quando

presença da Aigle Azur em

Foi uma surpresa muito

no momento tínhamos apenas

Portugal?

agradável para a Aigle Azur

uma rotação para Lisboa e Porto.

Já está a influenciar. Estamos,

ser distinguida por Portugal

Foi uma decisão crucial pois foi

pouco a pouco, a preparar o

pelo investimento que está a

quando as ‘low cost’ entraram

mercado português. A 28 de

fazer no mercado português,

no mercado, fazendo com que

Outubro, a Aigle Azur lançou o

para nós é muito importante.

se desse inicio a uma guerra de

O próximo ano vai

serviço eco-premium nas rotas

Para já, porque somos uma

preços.

de Lisboa. Este é um produto

companhia aérea regular, temos

O segundo momento importante

ser estratégico para

‘business’ na rota de Lisboa,

em Portugal mais de 30 pessoas

foi o lançamento para Faro, onde

porque até hoje a nossa oferta

a trabalhar diariamente, somos

a Aigle Azur tinha projectos

a Aigle Azur porque

era essencialmente económica.

uma empresa da nova geração,

enormes e a nossa filosofia não

vamos repensar

Porque é que o estamos a fazer?

criadora de empregos. A Aigle

se enquadrou com a da região.

Para preparar o nosso segmento

Azur investe, não só em voos,

A Aigle Azur pretendia um

‘corporate’ para o longo curso,

mas em staff, e em períodos de

investimento suave e a região de

para fazer ponto-a-ponto com

crise é um ponto importante. O

turismo queria um investimento

Orly. A segunda mudança é

segundo ponto que nos agrada,

rápido e imediato. Mantemos

o horário de Lisboa: o voo da

é que a Aigle Azur não esquece

a nossa rotação para Faro no

manhã, em vez de sair às 10h10,

nenhuma região em Portugal

Verão, mas é um destino para o

toda a nossa lógica de trabalho.


Entrevista | 37

qual não vemos grande futuro

A Aigle Azur assinou este ano um

e investimento. Não vejo como

acordo com a região do Alentejo

é que vamos poder colocar dois

sobre a possibilidade de trazerem

ou três voos e fazer frente a ‘low

um voo para Beja?

costs’ e a uma região que só se

A possibilidade existe, agora

bateu pelo preço.

as dificuldades de abrir o voo

Depois temos o Funchal, para

para o Alentejo são meramente

onde abrimos a rota há dois

administrativas.

anos, um destino que investiu na qualidade de serviço, na

Relativamente aos desafios da

qualidade de prestação e que está

Aigle Azur para o próximo ano em

a crescer. A Aigle Azur não tem

Portugal?

medo de arriscar, temos colocado

O próximo ano vai ser estratégico

muitos voos extra neste destino

para a Aigle Azur porque vamos

e, aliás, é uma das melhores rotas

repensar toda a nossa lógica de

da nossa oferta. Esta rota está a

trabalho.

funcionar muito bem e estamos

Para já vai começar pela

a estudar soluções para fazer

comercialização do serviço “eco

mais voos em colaboração com

premium”, que é um serviço de

a SATA.

qualidade, com um pequenoalmoço quente ou a refeição no

Tinha anunciado que queriam

final do dia, para um passageiro

lançar uma rota para Porto Santo

‘business’, com lounge no

e para Beja em 2013 ?

Aeroporto de Orly e Lisboa, com

Estamos a estudar, mas ainda

passagem rápida pelas zonas de

não fechámos o negócio. O

embarque. Este produto vai ser

problema de Porto Santo são as

realmente uma aposta.

disponibilidades dos hotéis; se

O segundo desafio vai ser a nossa

os operadores não conseguirem

lógica de trabalho, que hoje é de

o hotel, não vamos conseguir

ponto-a-ponto. Se amanhã um

vender o voo.

avião tiver que fazer um night

Relativamente a Beja, há que

stop em Lisboa para adicionar

notar que, desde há um ano,

mais uma frequência porque o

a Aigle Azur garante cerca de

mercado português pode trazer

30% dos lugares na rota de

10 ou 20% da receita para o voo

Lisboa, dedicados a operadores

com partida de Paris para África

que promovem e vendem o

ou para a Ásia, reveremos o

produto Alentejo. É uma região

nosso programa de voos. Todos

na qual não aterramos, porque

os nossos pontos vão ser revistos

o produto de Beja está ainda

em função da estratégia de longo

em estudo. Há que salientar

curso que vamos colocar.

que temos trabalhado de forma

A Aigle Azur tem que vender

fantástica com a região do

outro destino para além de Paris,

Alentejo, com o presidente da

porque hoje em dia Moscovo e

Agência Regional de Promoção

Pequim, entre outras cidades,

Turística do Alentejo, Vítor

estão em estudo e são bastante

Silva e com António Lacerda,

procuradas pelo mercado

assim como também com o

português.

receptivo Citur, três grandes

Acho que o desafio para 2013 vai

parceiros. Temos trabalhado

ser o de colocar as nossas infra-

para posicionar a região do

estruturas, quer aeroportos, quer

Alentejo no mercado francês

call centers, quer os comerciais,

e os resultados têm sido muito

a saberem vender outro produto

bons. Acho que para o próximo

que não o ponto-a-ponto, o que

ano o mercado francês será uma

não é uma tarefa fácil, dando

grande surpresa na região do

ênfase ao lema da companhia

Alentejo.

“Aproximar os povos”.«


38 | Reportagem

Bahia

Na rota do côco Durante uma semana 13 agentes de viagens portugueses visitaram, a convite da Solférias, os hotéis e resorts de Salvador e do Litoral Norte da Bahia, no Brasil. A viagem pela célebre Costa dos Coqueiros decorreu debaixo de muito sol, axé e da calorosa hospitalidade baiana: “Sorria, você está na Bahia”.

C

Vila Galé Marés

Por Cláudia Silveira Estrada do Coco, e a seguir (a

do grupo jamaicano SuperClub

partir da Praia do Forte) de Linha

Breezes, que tem o mérito de

Verde, servindo de fronteira a

ter apresentado o sistema all-

uma Área de Proteção Ambiental.

inclusive aos turistas brasileiros.

de viagens para conhecerem

A “fam tour” não passou,

Entre o Club, o Premium, o Park,

a oferta hoteleira de Salvador

contudo, do quilómetro 73 da

o Fun e o Class, o complexo tem

e do Litoral Norte da Bahia, no

Linha Verde, onde fica o mega

capacidade para alojar até 3500

Brasil. Entre os dias 22 e 30 de

empreendimento Costa do

pessoas (e empregar entre 1500 e

Novembro, os agentes visitaram

Sauípe, um resort composto

2 mil funcionários, dependendo

cerca de uma dezena de hotéis e

de 5 hotéis, 5 pousadas e uma

da época do ano). Ao longo dos 6

resorts situados na capital baiana

grande variedade de estruturas

km que ocupa na orla de mar, há

e nalgumas das mais belas praias

de apoio e recreação que vão do

diferentes trechos de praia, alguns

daquele estado brasileiro.

golfe à equitação, passando pelos

com rochas, outros com piscinas

Vários dos resorts que foram

desportos náuticos, pelo ténis

na maré baixa, outros de mar

visitados estão localizados na

e por mais uma quantidade de

aberto e agitado e outros mais

famosa Costa dos Coqueiros,

actividades acessíveis com um

tranquilos.

uma região que abriga diversos

“passaporte de lazer”. As opções

A visita educacional passou

ecossistemas que se traduzem em

são tantas que o mais difícil é

também pelo Grand Palladium

Também na Praia do Forte, o

paisagens paradisíacas à beira-

arranjar tempo para descansar.

Imbassai Resort & Spa, uma

grupo ficou alojado no que é

mar: mata atlântica a estender-se

Este gigantesco complexo,

unidade com sistema all inclusive

talvez a jóia hoteleira do litoral

quase até ao mar, entrecortada

erguido pela Construtura

da rede espanhola Fiesta Hotel

baiano: o Tivoli Ecoresort Praia

por rios, dunas, manguezais e

Norberto Odebrecht em parceria

Group, localizado dentro da

do Forte. Aqui tudo foi pensado

coqueirais a perder de vista, ao

com o grupo de Previdência dos

Reserva Natural Imbassaí (a 63 km

para oferecer experiências de

longo de quase 200 km de costa.

Funcionários do Banco do Brasil

de Salvador).

qualidade aos hóspedes, sempre

A Costa dos Coqueiros começa

(PREVI), que administra o espaço,

Já na Praia do Forte, uma

com uma forte preocupação

logo nos limites de Salvador

está a funcionar desde 2000.

charmosa vila de pescadores

ambiental. São 287 apartamentos

– a 3ª capital brasileira, com 3

Hotéis de cadeias internacionais

que hoje tem no turismo uma

de frente para o mar, decorados

milhões de habitantes – próximo

tiveram ali concessões, como a

importante fonte de receitas,

com materiais e cores naturais.

ao aeroporto, e vai até à foz do

Renaissance, a Sofitel, o Marriott

o grupo visitou o complexo

Apenas duas dicas a não perder:

rio Real, na pequena vila de

ou o Pestana, que administrava

Iberostar, a funcionar desde 2006.

o Thalasso Spa, com 25 cabines e

pescadores de Mangue-Seco,

as pousadas, mas, à medida que

Juntos, os espanhóis Iberostar

área de relavamento num jardim

já na fronteira com o estado

os contratos foram cessando,

Bahia e Iberostar Praia do Forte

resguardado, e o restaurante “À

do Sergipe. O acesso a este

a Sauípe SA foi tomando sob a

oferecem mais de 1100 quartos

Sombra do Coqueiral”, de frente

imenso litoral faz-se pela BA-

sua alçada a gestão dos hotéis. O

e um gigantesco centro de

para a piscina infinita que se

099, que no primeiro trecho foi

último a despedir-se de Sauípe,

convenções com 14 salas com

funde com o mar.

apropriadamente baptizada de

em Janeiro de 2011, foi o Breezes,

capacidade para 3200 pessoas.

Aqui avistam-se pássaros de

O

operador turístico Solférias levou 13 agentes

Tivoli Eco Resort Spa


Reportagem | 39

Costa do Sauípe Linha verde

todas as cores, iguanas, micos que

Express: Sol Barra, Sol Victoria

fazem a festa ao pequeno-almoço,

Marina e Sol Bahia. Do grupo

e sapos gigantes (vá, podem

Pestana, estiveram no Pestana

não ser gigantes mas são muito

Bahia, Bahia Lodge Residence

grandes). Há uma pista de Cooper

e Convento do Carmo. Ainda

para quem quiser exercitar-se e,

na cidade, conheceram o Vila

na verdade, o que não falta são

Galé Salvador, o Portas Velhas,

opções de lazer e exercício, das

um pequeno hotel de charme

caminhadas ao yoga. Para ver o

do centro histórico da cidade

que o Projecto Tamar tem feito

(propriedade da Marvel Hostels

pela preservação das tartarugas

que recentemente se fundiu com

marinhas é dar uma saltada à

a Citymar Hotels dando origem a

vila (fica a 10 minutos a andar) e

uma nova cadeia hoteleira, a Vita

visitar a base do projecto, uma das

Hoteliers) e o Catussaba Resort

22 que existem em toda a costa

hotel, em Itapoã, que se orgulha

brasileira.

de ser o “único resort em Salvador

Mais perto da capital, o grupo

com acesso direto à praia”.«

conheceu também o Vila Galé

*A viagem educacional da

Marés, na praia de Guarajuba,

Solférias realizou-se em parceria

uma das 6 unidades do grupo

com a SATA, que proporcionou

no Brasil. Este hotel adoptou

as deslocações entre Lisboa e

também o sistema all-inclusive e,

Salvador, e com a empresa baiana

à semelhança do Tivoli, recorreu

de receptivo BTA, que assegurou

também à utilização de materiais

os transportes na região e guia

naturais a ao aproveitamento da

turístico durante o tour pelas

vegetação local para garantir uma

principais atrações de Salvador,

completa integração na paisagem

como o Pelourinho (continua a

tropical. A piscina com 3 mil

ser necessário ter muito cuidado

metros, o Spa Satsanga e o Mega

com os roubos a turistas), a

Kids Club contam-se entre as

cidade-baixa, e durante um

principais atracções.

passeio de escuna pela Baía de

Em Salvador, os agentes visitaram

Todos os Santos, até às ilhas do

as unidades da rede baiana Sol

Frade e de Itaparica.


40 | Hotel do Mês

Villa Pampilhosa Hotel

Um toque de modernidade no meio da natureza No interior do país nasceu recentemente uma nova unidade hoteleira de quatro estrelas, ideal para quem gosta de um ambiente de montanha e de apreciar boa gastronomia e as tradições regionais. Um projecto de cariz familiar, de um empresário local, que foi concebido a pensar em atrair mais pessoas à região centro de Portugal.

A

s portas do Villa

a apenas 70 km de Coimbra

serra envolvente e, como o

verdadeiro santuário que lhe

Pampilhosa Hotel

e de Castelo Branco, o novo

conforto não foi esquecido,

permite relaxar e desfrutar de

abriram há muito pouco

hotel de quatro estrelas fica

todos eles estão equipados

um momento mais Zen. Pode

tempo, mais concretamente

numa das margens do Rio

com ar condicionado, TV

usufruir e uma piscina interior

no início de Novembro, mas

Unhais, em plena comunhão

LED, fechadura com cartão

dinâmica aquecida, de Jacuzzi,

quem já teve oportunidade

com a montanha. É o sítio ideal

electrónico, minibar, cofre,

Sauna e Banho Turco, e ainda

de estar nesta nova unidade

para recarregar baterias, para

telefone e secador de cabelo.

de suites de tratamentos. Para

hoteleira não hesita em

apreciar a natureza na sua

E a pensar no cliente, o Villa

ficar em forma tem sempre o

demonstrar satisfação com

plenitude e aproveitar uns dias

Pampilhosa Hotel disponibiliza

ginásio.

a qualidade do serviço e do

de descanso para conhecer

Room Service, Internet Wi-fi

espaço em si. Tudo começou

melhor a região centro de

gratuita nos quartos e áreas

Explorar a região

quando um empresário da vila

Portugal, com tudo o que tem

públicas e um Business Center

Mas como a intenção do Villa

de Pampilhosa da Serra, Rui

para lhe oferecer.

para quem precisar de trabalhar.

Pampilhosa Hotel é também

Olivença, decidiu diversificar o

O projecto é da Inplenitus –

Como a região convida à boa

levar o hóspede a sentir a

seu ramo de negócio apostando

Arquitectura e Soluções e a

mesa, o Restaurante Buke

região, aqui ficam algumas

no sector da hotelaria. E se bem

obra esteve a cargo da Ramos

oferece-lhe uma cozinha

dicas do que poderá fazer e

o pensou, logo o fez, investindo

Catarino, que interveio não

tradicional portuguesa e é,

encontrar quando se decidir a

num projecto de paixão que

só ao nível da estrutura como

claramente, uma das apostas

passear.

vem colmatar uma lacuna de

também dos espaços verdes.

desta unidade hoteleira. Situado

Como a Mãe Natureza nos

alojamento na região e que

Claro que a decoração se

no piso térreo, é um espaço

chama a toda a hora, poderá

pretende atrair mais gente ao

inspirou nos materiais, tons e

moderno mas descontraído

começar por aproveitar as

centro do país.

paisagem locais, mas sempre

onde é possível saborear pratos

actividades ao ar livre como o

O cenário não podia ser mais

com um toque de modernidade.

regionais mas contemporâneos.

ciclismo, passeios pedestres,

idílico. Situado no topo da

Ao todo são 52 quartos com

A pensar no corpo e na

BTT, passeios de jipe na

vila da Pampilhosa da Serra,

uma vista fantástica sobre a

mente foi criado o Spa, um

serra, canoagem ou pesca


Hotel do Mês | 41

Check-in Nome Villa Pampilhosa Hotel Director-geral Alexandra Olivença Categoria Quatro estrelas Localização Rua Arlindo de Almeida Esteves, Lote 8E 3320-242 Pampilhosa da Serra Telefone +351 235 590 010 website www.villapampilhosahotel. com Quartos: 52 (6 superiores, 12 comunicantes e 2 adaptados a clientes com mobilidade reduzida) Facilidades Restaurante, bar, sala de conferências, espaço de eventos para 300 pessoas, sala de reuniões para 100 pessoas, Spa, piscina interior, sauna, Jacuzzi, ginásio, estacionamento, lavandaria, wi-fi.

desportiva.

o cabrito assado ou a truta.

Claro que não quererá perder

Para os mais gulosos, o bolo de

a chance de visitar as Aldeias

mel é um dos preferidos, assim

do Xisto, sendo a Pampilhosa

como a tigelada, as castanhas

da Serra uma das 27 aldeias

com leite e as filhós.

que compõem este roteiro

Por aqui encontrará ainda

gastronómico, de artesanato

a Barragem de Santa Luzia,

e de animação. Sabia que no

entre as serras da Estrela,

passado os habitantes deste

Gardunha e Açor, de difícil

concelho comiam aquilo que

acesso mas que vale bem

produziam? E não podiam

a pena para quem quiser

queixar-se: experimente o

avistar a rara trepadeira-dos-

delicioso queijo de cabra, o

muros, espécie que deve ser

mel, a aguardente de mel e de

procurada no paredão da

medronho. E não vá embora

barragem. Mas vá munido de

sem saborear uma típica sopa

paciência, pois nem sempre é

de botelha, a tiborna, o bucho,

de fácil observação.«


42 | Lazer

Uma escapadela na... {casa penhas Douradas}

Em foco Contactos

Contactos: mail@casadaspenhasdouradas.pt (+351) 963 384 026

Nelson almeida

multimédia, e pode ser adaptada a sala de reuniões com capacidade para 25 pessoas. O hotel tem uma piscina interior aquecida com vista panorâmica, hidromassagem

A

Casa das Penhas Douradas

todos com vista panorâmica sobre

e sauna. Tem também um SPA

Design Hotel e SPA**** é

a Serra, aquecimento central, TV

de Montanha com diversas salas

um Hotel de Charme de quatro

Cabo, leitor de DVD, Internet wi-fi

de tratamentos, um duche Vichy,

estrelas situado na Serra da Estrela,

gratuita, leitor de i-pod. Alguns

uma sala de relaxamento. O SPA

a 1500 metros de altitude, em

quartos têm uma varanda com

concebeu um conjunto de rituais,

pleno Parque Natural da Serra da

cadeiras de descanso e pousa pés

de massagem e tratamentos de

Estrela e com um enquadramento

com vista para montanha. As salas

assinatura em que são usados

paisagístico de montanha único.

têm vista sobre a Serra, uma vasta

óleos aromatizados com ervas

O hotel está localizado na estância

biblioteca e peças de designers

da Serra da Estrela e produtos da

de montanha e de repouso das

nórdicos e portugueses, como

Terraké da Thalgo.

Penhas Douradas, a primeira do

Hans Wegner, Bruno Mathsson,

A cozinha do hotel é gourmet,

género em Portugal, fundada em

Mogensen, Pedro Silva Dias,

baseada em produtos locais, e

finais do século XIX. O hotel tem

Pedro Brígida. Uma das salas

tem a consultadoria do Chef Luís

dezassete quartos e uma suite,

tem um ecrã de cinema, sistema

Baena.

Saboreie no… {cais da villa}

O

Cais da Villa – restaurante,

maronesa e para a “lousa de

O Cais da Villa apresenta

wine house e lounge

enchidos tradicionais”, a “salada

três espaços distintos, mas

inserido num antigo armazém de

de bacalhau com tostas de azeite

complementares entre si:

caminhos-de-ferro junto à antiga

e alho”, a “tortilha de bacalhau” e o

restaurante, com capacidade

estação de comboios de Vila Real –

“chiffon de laranja e chocolate” no

para 60 pessoas; wine house

lançou a carta de Outono-Inverno

que toca as sobremesas. As pizzas

composta por um bar (20 pessoas)

com uma nova ementa com tapas,

– “tomate fresco, queijo mozzarela,

e uma garrafeira com mais de

pizzas, tostas e sobremesas “para

azeitonas e manjericão” e

600 referências de vinhos, na

picar” e degustar na wine house,

“cogumelos, bacon e cebola roxa”

sua maioria do Douro; e lounge

mantendo-se a oferta variada de

– marcam a novidade desta carta.

exterior ou esplanada.

sabores inspirados na cozinha transmontana e duriense. Como cliente, em exclusivo, de carne de vitela maronesa com Denominação de Origem Protegida, o Cais da Villa vai oferece vários pratos com este produto típico como “carpaccio de vitela maronesa com azeite trufado, estaladiço de requeijão e avelãs tostadas”, entre outros. Na carta da wine house destaque para as duas opções de vitela

Onde nasceu? Lisboa Onde iniciou a sua carreira? Aparthotel Estoril Eden Onde trabalha agora? Travelport Na sua região o que aconselha um turista a não perder? Um amanhecer no Castelo de São Jorge (também pode ser um pôr-do-sol) Qual foi a última viagem que fez? Fora de Portugal, Varsóvia. O que trouxe de recordação? Uma camisola oficial do Europeu para o meu filho. E qual será a próxima? Saudades dos Açores... O que nunca se esquece de levar quando viaja? Calções de banho e chinelos de dedo. Sim mesmo para Varsóvia! Onde desfrutou da sua melhor refeição? Seguramente em Portugal. Que prato sugere? Cabrito assado em forno a lenha com legumes salteados e batata.



Ambitur Dezembro 2012 (nº254)