Page 1


TRANSFORMANDO

VIAGENS EXPERIÊNCIAS EM

ÚNICAS

DESDE


Quem Somos A Ambiental opera viagens de ecoturismo desde 1987. Nossas viagens permitem aos visitantes conhecer e vivenciar novos ambientes e novas culturas, com o intuito de desenvolver uma melhor percepção de mundo, com mais respeito pela natureza, aliado à diversão, conforto e segurança. A Ambiental é pioneira em destinos como Bonito, Pantanal, Amazônia, Fernando de Noronha, Lençóis Maranhenses, Itacaré, Chapada Diamantina, Chapada dos Veadeiros, entre outros. Nossa presença no mercado tem a marca da qualidade na operação e do respeito aos nossos clientes, à natureza e aos moradores das regiões visitadas. Preparamos viagens com a seleção dos melhores destinos, experiências, passeios e hospedagens. Oferecemos serviços turísticos que garantem conforto e segurança aos viajantes, com guias de alta qualidade e conhecimento profundo sobre os destinos. Respeitamos os limites do ambiente e as necessidades dos prestadores de serviços e comunidades locais. É assim que na AMBIENTAL TURISMO trabalhamos para que cada viagem seja uma experiência única. Atendemos três segmentos: • Viagens de Lazer e Turismo - Ambiental Turismo • Viagens Pedagógicas e de Estudo do Meio - Ambiental Turismo • Viagens de Incentivo - Ambiental Travel Experience

Nossa Missão • Visar à satisfação de nossos clientes em todo o processo da viagem. • Organizar viagens com excelência, prestar os melhores serviços em termo de qualidade e superar as expectativas dos nossos clientes. • Contribuir com o turismo sustentável, respeitando o meio ambiente e a sociedade dos destinos que trabalhamos. • Contribuir com a qualidade de vida e desenvolvimento pessoal de nossos clientes, funcionários e fornecedores. • Superar e aprimorar constantemente nossos serviços.

Nossos Valores • Ética: trabalhar com honestidade, integridade e profissionalismo. • Transparência: construir um ambiente de trabalho em que todos os nossos funcionários, clientes e fornecedores sejam incentivados a expressar suas opiniões e construir laços de confiança. • Compromisso com o cliente: trabalhar de forma planejada e integrada, identificar e satisfazer as necessidades presentes e futuras, com alto padrão de atendimento. • Excelência nos serviços: qualidade, flexibilidade e diferenciação caracterizam nossa forma de atuação. Seleção criteriosa dos fornecedores, para oferecer os melhores de cada destino. Trabalho em equipe promovendo o compartilhamento de responsabilidade e assegurando o alcance dos objetivos. • Humanização: respeitar a toda a cadeia do turismo, como as comunidades locais, as agências de viagens, os funcionários e os clientes. Estimular o contínuo crescimento do Turismo Sustentável, trabalhando com entusiasmo, paixão, e justiça, construindo e mantendo relações de confiança, lealdade e transparência com todos os envolvidos. • Responsabilidade Social e Ambiental: contribuir para o desenvolvimento consciente e sustentável da sociedade, exercitando a cidadania e respeitando o meio ambiente.


Responsabilidade Socioambiental Viaje com a Ambiental e colabore com nossas Ações Sócio-Ambientais. Além de integrar nossos viajantes à natureza, sem esquecer o conforto e a segurança, trabalhamos de forma responsável, incentivando o turismo sustentável e apoiando ações sociais que propiciam alternativas de desenvolvimento das comunidades locais. Dentre as nossas diversas iniciativas, a Ambiental foi pioneira na neutralização de carbono. Mais uma vez saímos na frente em defesa da natureza. Junto com a Fundação SOS Mata Atlântica, lançamos o projeto “Viagem Limpa e Consciente”, para oferecer aos nossos clientes a opção de neutralizar o carbono produzido em suas viagens. Há um cálculo para cada roteiro, por exemplo, se o destino escolhido for para Bonito, Mato Grosso do Sul, o passageiro será convidado a plantar uma árvore para neutralizar todo o carbono emitido em sua viagem aérea e terrestre. Para Israel Waligora, diretor da Ambiental, o projeto não só cravou e impulsionou a adesão de outras operadoras ao projeto, como trouxe à tona um assunto de importância fundamental para melhorar e garantir a qualidade de vida de todos. Segundo ele “Somos pioneiros em atitudes ligadas ao desenvolvimento do turismo sustentável, levamos a sério a prática de preservação da natureza há 25 anos, além de propiciar discussões sobre meio ambiente e dar a possibilidade da sociedade também participar”. A SOS Mata Atlântica também acredita nesta linha de pensamento, como disse Adauto Basílio, diretor da Fundação “Esta iniciativa da Ambiental é um importante passo para que seus clientes pratiquem ações em benefício ao meio ambiente, gerando uma importante contribuição para o programa “Florestas do Futuro” da Fundação SOS Mata Atlântica. Esta parceria garante além de tudo, a recomposição de matas ciliares na Mata Atlântica.

Outras Ações: • Apoio a projetos e atividades de comunidades locais com práticas de desenvolvimento sustentável como: na Amazônia, a extração sustentável de madeira, manejo de lagos de pesca, criação de abelhas nativas e desenvolvimento e incentivo do artesanato local, através da difusão destas técnicas às escolas de São Paulo, por meio de viagens de estudos do meio. • Apoio a Cooperativas de Reciclagem de Bonito, Mato Grosso do Sul; • Apoio ao movimento pelo Tratamento de Esgoto; • Apoio na divulgação de Festivais de Cultura Regional e Local; • Apoio a pequenos empreendimentos de ecoturismo na região da região Amazônica.

Ações Internas: • Reciclagem de material e utilização de material reciclado internamente; • Economia de energia e uso racional de equipamentos eletro-eletrônicos; • Escolha consciente de nossos parceiros e fornecedores, com boas praticas socioambientais.


Estudo do Meio e Educação Ambiental A AMBIENTAL TURISMO trabalha principalmente com roteiros para escolas de todas as idades, dedicados a viagens de Estudo do Meio e a vivência ambiental. O Estudo do Meio pode ser compreendido como o conjunto de atividades didático-pedagógicas, a partir do ensino interdisciplinar, que visa proporcionar aos alunos e professores o contato direto com o meio ambiente, rural ou urbano. Essas atividades pedagógicas se concretizam pela imersão orientada em um determinado espaço geográfico, permitindo que os alunos vivenciem e adquiram um olhar crítico-investigativo das questões ambientais, sociais e econômicas, num panorama local e global. As atividades de Estudo do Meio, na medida em que são organizadas e inseridas no currículo escolar, são de extrema importância para conjugar o conteúdo trabalhado em sala de aula com a vivência em campo, para introduzir e consolidar e introduzir os novos conhecimentos. Além disso, acredita-se que o processo de aprendizagem, quando ultrapassa os limites da sala de aula, é capaz de desenvolver nos alunos um dialogo inteligente com o mundo, e prepará-los para viver em sociedade e exercer a prática da cidadania. Nossas viagens e roteiros proporcionam aos jovens a oportunidade de conhecer novos lugares, ampliar os conhecimentos através da observação direta e da vivencia, o contato com diferentes realidades sociais e ambientais, estreitar a relação com os colegas, e o entendimento da dinâmica da natureza de maneira saudável, com conforto e segurança. Também faz parte dos nossos objetivos, proporcionar discussões sobre questões de ética e cidadania para que os alunos possam se tornar adultos ponderados e ativos socialmente, contribuindo também com seu desenvolvimento pessoal. Dentro desta perspectiva, oferecemos um serviço de assessoria pedagógico-educacional, que analisa as necessidades e propostas pedagógicas de cada escola para estruturar as viagens de estudo do meio, adequando o roteiro e atividades às metas de estudo previstas, contando com material e equipe especializados. Além de viagens de estudo do meio e da assessoria, organizamos também viagens de formatura e confraternização para estudantes.


Nossa Equipe em viagens de Estudo do Meio As equipes que acompanham as viagens são selecionadas, objetivando contemplar às demandas específicas de cada projeto, elaborado em conjunto com a escola. Trabalhamos com monitores das áreas de história, geografia, biologia e geologia, graduados, com mestrado ou doutorado nessas áreas. Também contamos com uma equipe de apoio fixa da Ambiental e com o conhecimento de guias locais.

Escolas Parceiras


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

São Paulo A cidade de São Paulo é a sexta cidade mais populosa do planeta e sua região metropolitana, com 19.223.897 habitantes, é a quarta maior aglomeração urbana do mundo. A cidade mais populosa do Brasil possui grande influência no cenário global e seu município possui o 10º maior PIB do mundo representando, isoladamente, 12,26% de todo o PIB brasileiro, além de ter sido responsável por 28% de toda a produção científica nacional em 2005. São Paulo também concentra muito dos edifícios mais altos do Brasil, como os edifícios Mirante do Vale, Terraço Itália, Altino Arantes, Torre Norte, entre outros. A cidade foi fundada em 1554 por padres jesuítas e abriga pontos turísticos importantes, como museus, parques e monumentos. O turismo na cidade de São Paulo destaca-se mais pelo turismo de negócios, porém, o turismo cultural e recreativo também possui grande relevância para a cidade, especialmente quando se têm em vista os vários eventos internacionais que ocorrem como: a Bienal de Artes, a Mostra Internacional de Cinema e os vários espetáculos internacionais que normalmente ocorrem apenas no eixo Rio-São Paulo.


Atrativos para o Estudo • Centro Histórico e Marco Zero – corresponde à região onde a cidade foi fundada, em 1554, pelos padres jesuítas. É formada pelos distritos da Sé e República. Nele, se encontra a maior parte dos edifícios que retratam a história da cidade, como o Pátio do Colégio, local de sua fundação. A região da Praça da Sé também abriga o monumento "Marco Zero" que indica o ponto mais central da cidade e de onde partem oficialmente as distancias medidas dentro do Estado de São Paulo. • Pinacoteca do Estado – é um dos mais importantes museus de arte do Brasil. Está localizado em um edifício no Jardim da Luz e foi projetado por Ramos de Azevedo e Domiziano Rossi. É o mais antigo museu de arte de São Paulo, fundado em 1905 e regulamentado como museu público estadual desde 1911. • Museu da Língua Portuguesa – é um museu interativo sobre a língua portuguesa localizado no histórico edifício da Estação da Luz. Foi concebido pela Secretaria da Cultura paulista em conjunto com a Fundação Roberto Marinho. • Estação da Luz – é uma antiga estação ferroviária localizada no bairro da Luz e que atualmente, integra a rede de trilhos do transporte urbano de São Paulo. A estação foi construída no fim do século XIX com o objetivo de sediar a recém-criada Companhia São Paulo Railway, de origem britânica, e para sediar a parada paulistana da linha ferroviária, a qual ia de Santos até Jundiaí. Nas primeiras décadas do século XX, foi a principal porta de entrada à cidade de São Paulo. • Mercado Municipal – inaugurado em 1933, é um importante entreposto comercial de atacado e varejo, especializado na comercialização de frutas, verduras, cereais, carnes, temperos e outros produtos alimentícios. O edifício foi construído entre 1928 e 1933 pelo arquiteto Francisco de Paula Ramos de Azevedo. O entreposto foi totalmente reformado em 2004 onde teve a fachada recuperada, os vitrais restaurados e foi construído um mezanino, ocupado por diversos quiosques de comes e bebes. • Museu e Parque do Ipiranga – o Museu do Ipiranga ou simplesmente Museu Paulista faz parte do conjunto arquitetônico do Parque da Independência. Abriga um grande acervo de objetos, mobiliário e obras de arte com relevância histórica, especialmente aquelas que possuem alguma relação com o período da Independência do Brasil. Uma das obras mais conhecidas de seu acervo é o quadro de 1888 do artista Pedro Américo, "Independência ou Morte". O Parque da Independência, inaugurado em 1988 e faz parte do patrimônio histórico nacional brasileiro. Nele estão localizados o Museu do Ipiranga, o Monumento à Independência, os jardins e a Casa do Grito. • Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (MASP) – é uma das mais importantes instituições culturais brasileiras. Está localizado na Avenida Paulista e o seu edifício é famoso pelo vão livre de mais de 70 metros, que se estende sob quatro enormes pilares, concebido pelo engenheiro José Carlos de Figueiredo Ferraz. • Museu de arte Moderna (MAM) – é uma das mais importantes instituições culturais do Brasil. Localiza-se sob a marquise do Parque Ibirapuera em um edifício inserido no conjunto arquitetônico projetado por Oscar Niemeyer, em 1954. É administrado por uma OSCIP sem fins lucrativos, que tem por objetivo a conservação e a divulgação da arte moderna e contemporânea.


• Museu de Arte Contemporânea (MAC) – é uma instituição ligada ao ensino, à pesquisa e à extensão universitária, voltado à produção artística nacional e estrangeira. Com sede no campus central da Universidade de São Paulo, além de seu espaço histórico no Pavilhão Ciccillo Matarazzo, constitui um importante centro de pesquisa e de formação educacional. O MAC possui a mais importante coleção da América Latina especializada na produção ocidental do século XX. Conta com cerca de 10 mil obras - entre óleos, desenhos, gravuras, esculturas, objetos e trabalhos conceituais. • Memorial da Resistência – é uma instituição dedicada à preservação das memórias da resistência e da repressão políticas. Está localizado em parte do edifício que sediou o DEOPS-SP – órgão que controlou a repressão política durante o regime militar. A instituição, inaugurada em 2009, tem como objetivos preservar a memória e ampliar o conhecimento dos visitantes sobre o período de resistência e da repressão no Brasil. Além disso, é um espaço voltado à reflexão e promover a formação de cidadãos conscientes e críticos, sensibilizados para a importância do exercício da cidadania, da democracia e do respeito aos direitos humanos. • Cemitério da Consolação e Arte Tumular - é a mais antiga necrópole em funcionamento na cidade de São Paulo e uma das principais referências brasileiras no campo da arte tumular. Com a prosperidade advinda da aristocracia da cafeicultura e o surgimento de uma expressiva burguesia em São Paulo, passou a abrigar obras de arte produzidas por escultores de renome, para ornamentar os jazigos de personalidades importantes na história do Brasil, como Campos Sales, Washington Luís, Marquesa de Santos, Carlos Augusto Bresser e Monteiro Lobato. Entre os artistas que produziram obras para o cemitério encontram-se Rodolfo Bernardelli, Victor Brecheret, Bruno Giorgi e Celso Antônio de Menezes. • Bolsa de Valores (BM&FBOVESPA) – é uma companhia de capital brasileiro formada, em 2008, a partir da integração das operações da Bolsa de Valores de São Paulo e da Bolsa de Mercadorias & Futuros. Principal instituição brasileira de intermediação para operações do mercado de capitais, a companhia desenvolve, implanta e provê sistemas para a negociação de ações, derivativos de ações, títulos de renda fixa, títulos públicos federais, derivativos financeiros, moedas à vista e commodities agropecuárias. • Estação Ciência (EC) – é um centro de difusão científica, tecnológica e cultural da Universidade de São Paulo. Está localizada numa antiga fábrica reformada e foi fundada pelo CNPq em 1987 e integrada a USP em 1990. No local, os visitantes têm a oportunidade de conhecer, através de exposições e experimentos de forma lúdica e interessante, nas áreas de biologia, física, astronomia, matemática, meteorologia, geografia, urbanismo, geologia, entre outras ciências. • Planetário – foi o primeiro Planetário a ser instalado na América Latina, em 1957. Está localizado dentro do Parque do Ibirapuera e durante sete anos permaneceu em reformas. Reabriu para visitação publica em 2006, com equipamentos modernos, de ultima geração.


• Museu de Geociências (USP) – o Museu de Geociências desenvolveu-se a partir do antigo Museu de Mineralogia do Depto de Mineralogia e Petrologia da USP. Teve início em 1934, por iniciativa do Prof. Dr. Ettore Onorato, e seu acervo foi formado, inicialmente por pequenas coleções de professores, ampliando-se com a integração da coleção Araújo Ferraz, Luiz Paixão e Carl L. Schnyder. Atualmente, o acervo vem sendo aumentado, principalmente, por doações feitas por professores, colecionadores particulares, alunos do curso de geologia e, também, pela aquisição de peças individuais. • Instituto Butantan – O Instituto Butantan é um centro de pesquisas biomédicas fundado em 1901, e é responsável pela produção de mais de 80% do total de soros e vacinas consumidos no Brasil. É também um importante ponto turístico, contando com um parque e três museus – o Museu Biológico, o Museu Histórico e o Museu de Microbiologia, além do Hospital Vital Brazil, unidades produção de vacinas e biofármacos, um Serpentário e uma biblioteca. • Zoológico de São Paulo – é o maior zoológico do Brasil. Exibe mais de 3.200 animais, sendo 102 espécies de mamíferos, 216 espécies de aves, 95 espécies de répteis, 15 espécies de anfíbios e 16 espécies de invertebrados, em recintos que reproduzem os habitats naturais desses animais. Está localizado em uma área de 824.529 m² de Mata Atlântica original, a qual abriga as nascentes do histórico riacho do Ipiranga. • Museu do Instituto Biológico – localizado nas instalações do Instituto Biológico, na Vila Mariana, é o único Jardim Zoológico de insetos do Brasil, autorizado pelo IBAMA e Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo. No Museu é possível o visitante ver de perto abelhas produzindo mel, lagartas produzindo o fio da seda, utilizado em nossas roupas, formigas trabalhando em um sistema organizado, cupins reciclando material orgânico entre outras atrações. • Aquário – inaugurado em 2006 e instalado no bairro do Ipiranga, é considerado o maior aquário da América Latina. É Único aquário temático do Brasil, o qual leva os visitantes a se sentirem imersos aos ambientes, que apresentam aproximadamente três mil exemplares da fauna marinha, com cerca de 300 espécies de animais. • PE Serra da Cantareira (Núcleo Pedra Grande) – criado em 1963, é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral paulista que abrange parte da Serra da Cantareira, inserida em parte dos municípios de São Paulo, Mairiporã, Guarulhos e Caieiras. Percorrendo uma das suas três trilhas é possível avistar bandos de macacos, quatis, preguiças e tucanos. No ponto mais alto do parque se tem uma visão panorâmica da cidade de São Paulo. • Pico do Jaraguá – é o ponto mais alto da cidade de São Paulo, com 1.135 metros de altura. As primeiras notícias que se tem do local é que nele estava estabelecido o português Afonso Sardinha, bandeirante, caçador de índios, traficante, que descobriu vestígios de ouro na região. Em 1961 foi criado o Parque Estadual do Jaraguá, onde os visitantes podem conhecer as pias de lavagem manual do ouro ao lado das ruínas do grande casarão do próprio Afonso Sardinha. Ainda hoje, na entrada do Parque, existe uma aldeia formada pelos descendentes de tribos indígenas que moram no local e vivem em total estado de precariedade. Eles mantêm a língua e os costumes guaranis e sobrevivem do artesanato.

* O roteiro de São Paulo pode ser combinado com: Litoral de São Paulo (Ubatuba e/ou Santos) Roteiro das Nascentes do Tietê


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Paranapiacaba Localizada a cerca de 30 km do centro de Santo André, a vila foi construída pelos ingleses da década de 60 para transportar boa parte do volume de café, principal produto de exportação na época. A vila de Paranapiacaba é a única vila ferroviária do Brasil que é conservada desde sua fundação. A cidade foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico Cultural e é repleta de belezas naturais do bioma Mata Atlântica. O ambiente desta viagem é propício para estudos que englobam diversas questões ambientais, econômicas e sociais.


Atrativos para o Estudo • Parque Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba – localiza-se ao redor de duas UCs, a Reserva Biológica do Alto da Serra de Paranapiacaba e o Parque Estadual da Serra do Mar, contribuindo para formação de um extenso corredor ecológico voltado a preservação e sustentabilidade da MataAtlântica. É parte integrante da área tombada como Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo. Possui cinco trilhas abertas a visitação e dois Núcleos de InterpretaçãoAmbiental. • Museu do Funicular - exibição de máquinas, galpões, carros, vagões e objetos ferroviários dos dois sistemas funiculares que operaram as linhas férreas do trajeto de Piassaguera Cubatão até o alto da Serra. No Museu há também a exposição de diversos objetos e fichas funcionais de muitos ex-funcionários da ferrovia. • Museu do Castelo – localizado no alto de uma colina, com uma excelente vista para toda a vila ferroviária, o castelo foi construído por volta de 1897 para ser a residência do engenheiro-chefe, que gerenciava o tráfego de trens na subida e descida da Serra do Mar. Sua imponência simbolizava a liderança e a hierarquia que os ingleses impuseram a toda vila. • Mercado Municipal – o antigo mercado da cidade foi construído em 1899 para abrigar um empório de secos e molhados. Após muitos anos fechado, foi restaurado pela prefeitura de Santo André e tornou-se um centro multicultural.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Itu e Salto A cidade de Itu é uma das mais antigas do Estado de São Paulo. O povoamento na região começou na segunda metade do século XVI. No século XVII Itu foi o ponto mais profundo de povoamento do Brasil, chegou a ficar conhecida como “Boca do Sertão”. Entre 1610 e 1750 a cidade serviu de apoio às atividades de busca de ouro e pedras preciosas e de busca e aprisionamento de índios. Essas expedições foram definindo povoados ao longo de seus caminhos, depois veio à prosperidade do açúcar, do algodão e do café. A cidade de Itu guarda registros e memórias destes períodos, o que torna os passeios pela cidade uma viagem na história. E a viagem na história não para por ai. No Parque do Varvito e Parque de Lavras, faremos um passeio para conhecer a história do nosso planeta. Lugares que testemunham o período de 510 a 250 milhões de anos atrás. O ambiente desta viagem é propício para estudos que englobam diversas questões ambientais, geológicas, econômicas e sociais. São milhares de anos de história para se conhecer.


Atrativos para o Estudo • Praça Dom Pedro I – na fase áurea do bandeirismo, Itu era denominada “Boca do Sertão”, e na Praça Dom Pedro I, no antigo Largo de São Francisco, se situava o importante conjunto formado pelas edificações erguidas pelos Franciscanos no respectivo período. Deste local é possível visualizar a Casa Imperial e o Cruzeiro de São Francisco. • Casa Imperial (fachada) – encomendada por Francisco Souza, construída com muito requinte e fino acabamento, e que pertenceu posteriormente a Carlos Pereira, hospedou em 1884 a Princesa Isabel e seu consorte Conde D’Eu. Por essa razão o solar ficou conhecido como Casa Imperial. Restaurada e conservada por seu proprietário, senhor Sebastião Gomes Caselli, a Casa Imperial, situada à Praça Dom Pedro I, é um dos marcos significativos das antigas residências de Itu. • Cruzeiro de São Francisco – no antigo largo de São Francisco, atual Praça Dom Pedro I, um cruzeiro erguido em cantaria é a única memória que resta do imponente conjunto formado pelas edificações do Convento e da Capela de Ordem Terceira, erguido pelos Franciscanos entre os séculos XVII e XVIII. Dentre os registros iconográficos deste Convento, que vieram do século XIX, destaca-se uma excelente aquarela produzida Miguelzinho Dutra, pintor ituano. • Fábrica São Luiz – primeira fábrica de tecidos movida a vapor do Estado de São Paulo. Foi construída em 1869 com os recursos de um grupo de capitalistas locais. A fábrica foi ampliada no final do século, com o projeto do engenheiro Artur Sterry, da Companhia de Estradas de Ferro. • Igreja do Bom Jesus (fachada) – abriga desde o princípio deste século XX o Santuário Central do Apostolado da Oração no Brasil, devoção que havia sido instalada nessa igreja a partir de 1871 pelo Padre Bartholomeu Tadei. Situada na praça Padre Anchieta, a igreja do Bom Jesus teve como construtor o Padre Manoel da Costa Aranha. Foi erguida no local onde existiu a primitiva capela que datava do século XVII e que, durante muitos anos, serviu como Matriz de Itu. • Museu da Eletricidade – construído em 1847, apresenta a fachada ornada com azulejos portugueses e além de ser um marco na arquitetura urbana de Itu nele funcionou a Companhia Ituana da Força e Luz. Em 1998 foi incorporado à Fundação Patrimônio Histórico da Energia de São Paulo e no ano seguinte transformado em Museu. • Museu Republicano de Itu – foi construído em meados do século XIX e guarda em seu interior um rico acervo de documentos, fotos, obras de arte e objetos que são a memória do Partido Paulista Republicano. O Museu está situado onde foi houve primeira reunião do movimento republicano. • Praça Padre Miguel – o livro “A Província de São Paulo”, publicado em 1888, nos informa que Itu contava “com vários largos ajardinados, com ruas muito bem calçadas e os telhados das casas munidos obrigatoriamente de condutores d’água por numerosos marcos fontanários e iluminada por condutores de querosene”. É nessa praça que poderemos ver parte do conjunto arquitetônico descrito no livro. • Igreja Matriz Nossa Senhora da Candelária – construída em 1780, abriga em seu interior obras valiosas de talhas e de pintura, de José Patrício da Silva, do Padre Jesuíno do Monte Carmelo e de Almeida Júnior. As telas que forram o teto da sacristia são da artista italiana Lavínia Cereda. • Orelhão de Itu – é um dos principais pontos turísticos da Estância Turística de Itu, e um dos responsáveis pela fama da "cidade onde tudo é grande". O Orelhão foi cedido pelo ex-ministro das Comunicações, Higino Corsetti, e instalado pela Companhia Telefônica na Praça da Matriz. “No começo os habitantes da cidade duvidaram que a Telesp pudesse instalar um orelhão gigante na cidade, mas isso aconteceu”. Feito na mesma fábrica que produzia os orelhões comuns, nasceu o "Orelhão de Itu", instalado num poste do jardim da matriz, atraindo a curiosidade de turistas e visitantes. • Cooperativa de Materiais Recicláveis de Itu (COMAREI) – tem como objetivos a capacitação e a profissionalização dos catadores como agentes de limpeza para a proteção ambiental. Ao total são beneficiadas cerca de 45 mil famílias através da coleta, triagem e venda dos materiais recicláveis às indústrias recicladoras realizadas pelo trabalho dos 55 cooperados e dos voluntários de várias áreas, como saúde, segurança do trabalho e assistência social. A COMAREI possui um programa permanente de educação ambiental, o qual visa obter uma maior participação dos cidadãos com relação às questões dos resíduos sólidos tendo como referência o consumo sustentável e a prática da cidadania. • Parque de Lavras – com cerca de 140.000 m2 de área, compõe um dos núcleos externos do Museu da Cidade de Salto, devolvendo à cidade um memorável resgate histórico e paisagístico, além de proporcionar lazer, reflexão acerca da preservação do meio ambiente e o apelo à recuperação da vida do Rio Tietê. • Parque do Varvito – localizado nas instalações de uma antiga pedreira e com uma área de 44.346 m2 de uma antiga pedreira, o Parque é um Patrimônio tombado pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico) e o Varvito é o nome utilizado pelos geólogos para denominar um tipo de rocha sedimentar única presente no local.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Campo dos Sonhos Situado na divisa entre os estados de São Paulo e Minas Gerais, o Hotel Fazenda Parque Campos dos Sonhos está localizado a 15 km da cidade de Socorro – SP. Possui um cenário exuberante da natureza com cachoeiras, grutas, trilhas ecológicas animais silvestres e 14 atividades de aventura. O Campo dos Sonhos é uma Fazenda que conseguiu trazer a oportunidade de vivenciar a interdisciplinaridade em suas atividades, como: geração de energia elétrica, produção de café, de cana-deaçúcar, produção de húmus, adubação orgânica de horta e pomar, apiário, utilização racional da água, reflorestamento, criação de animais ornamentais e para consumo, e fábrica de plásticos a partir de sucata, são algumas das atividades mantidas pela Fazenda. Este roteiro trás a oportunidade de discutirmos sobre temáticas como a produção orgânica de alimentos, o consumo consciente, a utilização dos recursos naturais renováveis, da conservação de potencial de plantio do solo e da produção de energia “limpa” no Hotel Fazenda Campo dos Sonhos.


Atrativos para o Estudo • Horta – visita a horta para conhecer de perto como são cultivadas as principais verduras e legumes consumidos no nosso dia a dia e veremos a aplicação do adubo orgânico nas hortaliças. • Minhocário – a visita ao minhocário para conhecer de perto como ocorre a produção de adubo orgânico. • Pomar – teremos a oportunidade de conhecer as mais de cinqüenta espécies frutíferas cultivadas, além de colher e experimentar as frutas da época. • Apiário – conhecer mais a fundo sobre a vida das abelhas, sua importância na polinização das plantas e o uso dos diversos produtos das colméias, como a produção de mel, própolis, pólen e cera. • Agroindústrias (Alambique, Queijaria, Embutidos, Defumados, Doces Caseiros, Frutas e Legumes Secos) – oportunidade de conhecer o funcionamento de todas estas agroindústrias. • Animais e aves – visita às criações ornamentais e para consumo de vacas leiteiras, cabritos, carneiros, coelhos, jumentos, pôneis, cavalos, búfalos, lhamas, gansos, galinhas, perus, patos, marrecos, gansos, pavões e faisões. • Ordenha – visita a casa do leite, para tomar o leite puro tirado na hora com café ou chocolate e conhecer as diversas raças leiteiras. • Pisicultura – o Hotel possui 10 lagos para criação de peixes e mais quatro lagos para pescaria, nos quais é possível conhecer as principais espécies de peixes criadas no local, tais como: pacú, tilápia, tambaqui, curimbatá, tambacú, bagre africano, carpa, traíra e matrinchã. • Bosques – oportunidade de conhecer melhor algumas das espécies de árvores importantes para a cultura brasileira, tais como: pau-brasil, ipê, urucum, eucalipto, paineira, entro outras. Serão comentados os usos dessas espécies nas atividades econômicas. • Trilha Beira Rio – trilha que acompanha um riacho com cachoeiras, piscinas naturais e possui vegetação típica da mata ciliar. • Trilha Ecológica – está inserida em um ambiente de mata nativa, onde os alunos poderão conhecer espécies nativas da região e discutir sobre a importância de se preservar as florestas nativas. • Monjolo, roda d'água, moinho de vento (e placas solares) – importantes fontes de energia renováveis na propriedade rural. O monjolo, a roda d'água e o moinho de vento são usados para a moagem de cereais, produção de energia elétrica e para o bombeamento de água para a irrigação, para a piscina e de outros locais do Hotel. • Centro de reciclagem - neste local será possível observar como resolver a questão do lixo nas áreas rurais, com a separação e a reciclagem. • Plantio de Árvore – antes da partida teremos a oportunidade de plantar uma árvore “comemorativa” da visita. No local escolhido será colocada uma placa com o nome popular e científico da árvore, a data da visita e o nome da Escola. • Atividade das Jangadas – após as atividades educativas, para descontrair, o grupo poderá realizar uma atividade baseada na “cooperação”. Munidos de bambus gigantes (Dendrocalamus giganteus), juta e corda os alunos poderão construir uma jangada para realizar a travessia no lago. • Relaxamento – para fechar o dia de uma maneira agradável, em que os alunos possam relaxar e refletir sobre o que aprenderam. Uma pessoa especializada irá conduzir uma atividade de relaxamento no Espaço Zen.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Cidades Históricas - MG Marcadas pelo ciclo do ouro, escravidão e ideais revolucionários como a Inconfidência Mineira, as cidades históricas guardam relíquias como a arte barroca, conhecida no mundo inteiro pelas obras de artistas como Aleijadinho e Ataíde. As cidades históricas de Minas Gerais possuem um rico e incomparável acervo artístico e arquitetônico, encontrados nas suntuosas igrejas, museus, ruas e casas que preservam toda a tradição e cultura. O estado possui o maior acervo barroco do Brasil e algumas cidades como Ouro Preto recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade. A religiosidade de Minas está expressa nas belíssimas igrejas e festas populares que atraem turistas de todas as partes, que se encantam com a hospitalidade de um povo tão acolhedor. Uma viagem pelo túnel do tempo para conhecer parte da história do Brasil e vivenciar pessoalmente tudo aquilo que está nos livros e se aprende no colégio.


Atrativos para o Estudo EM TIRADENTES: • Matriz de Santo Antônio – construída em 1710 é a segunda igreja em ouro do Brasil, sendo a primeira em Salvador (BA), é uma das mais belas construções barrocas do país. No interior do templo há um órgão datado de 1788, considerado um dos quinze mais importantes do mundo. • Centro Histórico – Tiradentes tornou-se um dos centros históricos da arte barroca mais bem preservados do Brasil, por isso voltou a ter importância, inclusive no turismo. Foi tombada como patrimônio histórico nacional pelo seu casario, igrejas, monumentos e demais partes recuperadas. • Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos – capela construída em cantaria (pedra), em lugar da capela primitiva, tem três altares de talha de meados do século XVIII e os santos negros - São Benedito, Santo Antônio de Cartagerona e Santo Elesbão. • Museu Padre Toledo – é um museu da Fundação Rodrigo Mello Franco de Andrade, ligada à UFMG. O prédio é uma construção do final do século XVIII, com esquadrias em cantaria lavradas e sete forros pintados. Uma das esquadrias se destaca por representar os cinco sentidos, com figuras da mitologia grega. Nesta casa morreu Padre Toledo, um dos “cabeças” da Inconfidência Mineira. EM SÃO JOÃO DEL REI: • Igreja São Francisco de Assis – é um templo católico fundado pela Venerável Ordem Terceira de São Francisco de Assis. A igreja, começada em 1774, é um dos principais marcos da arquitetura colonial mineira. A igreja da ordem é um majestoso templo, um dos mais belos do Barroco Mineiro. Nesta obra trabalharam os mestres Francisco de Lima Cerqueira, Aniceto de Sousa Lopes e Antonio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, autor da portada principal. • Catedral Nossa Senhora do Pilar – a imponente construção é datada de 1721. Além das características tipicamente barrocas, tem como destaque a imagem de Nossa Senhora do Pilar. O teto, com pintura de autoria de Venâncio José Espírito Santo, é considerado a maior superfície pintada do barroco mineiro. • Igreja Nossa Senhora do Carmo – localiza-se no Largo do Carmo da cidade e é uma das principais igrejas coloniais desta cidade mineira. Erguida na fase áurea do rococó, a igreja traz inovações do estilo: a portada ricamente decorada por elementos escultóricos e as torres octogonais ligeiramente recuadas do plano da fachada. Embora inspirada nos estilos barroco e rococó, a igreja de 1733 apresenta poucos detalhes em ouro, apesar da profusão de entalhes. • Memorial Tancredo Neves – inaugurado em 1990, o memorial narra não só a trajetória pessoal e política do estadista sanjoanense, como traz para o conhecimento dos visitantes uma parte importante da história recente do Brasil. A vida do político mineiro é o fio condutor que nos leva a percorrer essa jornada. EM CONGONHAS: • Santuário do Senhor Bom Jesus de Matosinhos – conjunto arquitetônico e paisagístico formado por uma basílica com esculturas de Doze Profetas feitas com pedra sabão, por Aleijadinho, e seis capelas com cenas da Paixão de Cristo. O conjunto foi construído em várias etapas nos séculos XVIII e XIX, por vários mestres, artesãos e pintores, como Antônio Francisco Lisboa - o Aleijadinho, e Manuel da Costa Ataíde. Foi tombado em 1939 pelo IPHAN como patrimônio histórico nacional e considerado Patrimônio Mundial pela Unesco em 1985.


EM OURO PRETO E MARIANA: • Mineralogia – A coleção de mineralogia teve a sua origem no pequeno número de amostras trazidas pelo fundador da Escola de Minas, o cientista francês Claude Henri Gorceix, em 1875, procedentes do Laboratório de Mineralogia e Geologia, fundado por ele no Rio de Janeiro. Enriquecido por doações de ex-alunos, professores, colecionadores, alunos e amigos da Escola de Minas, o Museu cresceu consideravelmente e sua coleção é considerada hoje como uma das maiores do mundo. Podem ser vistas no Museu amostras mineralógicas de diamante, urânio, quartzito flexível (pedra mole), quartzo com inclusões aquosas, estalactites, belas coleções de topázio imperial, de quartzo, de ágatas, opalas e tantos outros minerais raros. • Museu da Inconfidência – é um museu histórico e artístico que ocupa a antiga Casa de Câmara e Cadeia de Vila Rica e mais quatro prédios auxiliares na cidade de Ouro Preto, no estado de Minas Gerais. O museu é dedicado à preservação da memória da Inconfidência Mineira (1789), movimento pela Independência do Brasil baseado na Independência Americana, e que não teve muito êxito. Possui também um rico painel da sociedade e cultura mineiras no período do ciclo do ouro e dos diamantes no século XVIII, incluindo obras de Manuel da Costa Ataíde e Aleijadinho. Localiza-se na praça Tiradentes, em frente ao monumento a Joaquim José da Silva Xavier, principal e mais famoso ativista da Inconfidência Mineira. • Mina da Passagem – mais que um passeio histórico, a visita à mina de ouro da Passagem é uma grande aventura. Uma das maiores do mundo abertas ao público e a visitação é feita através de um trole que percorre 315 metros de trilhos até chegar a 120 metros de profundidade. Ao longo da descida é possível se observar os grandes salões, túneis e lagos de águas cristalinas. O passeio é acompanhado por monitores que contam histórias e curiosidades da mina, aberta em 1719 e desativada em 1985. Nos mais de dois séculos de funcionamento, 35 toneladas de ouro foram retiradas do local. INHOTIM: • Instituto Cultural e Jardim Botânico Inhotim – O Instituto Inhotim fica na pequena cidade de Brumadinho – MG, a menos de 60 Km de Belo Horizonte. Foi criado pelo empresário do ramo de mineração Bernardo Paz, em sua fazenda, primeiro com a participação do paisagista Roberto Burle Marx (1909 – 1994) que na segunda metade dos anos 80 colaborou com a criação dos jardins numa área de 6 mil metros quadrados da propriedade de Paz. O espaço reúne obras de arte contemporânea e um rico acervo botânico de espécies de diferentes partes do Brasil. Trata-se de um complexo museológico com sede em um campus de 97 hectares, pontuado por uma série de pavilhões que abrigam obras de arte e por esculturas ao ar livre. O objetivo principal do Instituto é possibilitar ao visitante o acesso aos bens culturais em exposição, aproximando-o de um relevante conjunto de obras, produzidas por artistas de diferentes partes do mundo, refletindo de forma atual sobre as questões da contemporaneidade. Os jardins do Inhotim, onde estão instaladas obras de consagrados artistas da contemporaneidade, são reconhecidos pela sua beleza singular e pela disposição paisagística do seu acervo botânico, procurando manter e conservar recursos genéticos de espécies ameaçadas, dispondo-as paisagisticamente, como forma de divulgar e sensibilizar sobre a importância da biodiversidade vegetal para a sobrevivência humana.

* O roteiro para as Cidades Históricas pode ser combinado com um dia em Inhotim.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Brasília Brasília é a capital federal do Brasil e sede do governo do Distrito Federal. A cidade está localizada na região centro-oeste do país, na região geográfica conhecida como Planalto Central. É a quarta cidade mais populosa do Brasil, com cerca de 2.562.963 habitantes. Como capital nacional, Brasília é a sede dos três principais eixos do governo brasileiro e hospeda cerca de 124 embaixadas estrangeiras. A cidade começou a ser planejada e desenvolvida em 1956 por Lucio Costa e pelo arquiteto Oscar Niemeyer, a partir da Missão Cruls. Inaugurada em 1960, pelo então presidente Juscelino Kubischek, Brasília tornou-se formalmente a terceira capital do Brasil, depois de Salvador e Rio de Janeiro. A política de planejamento da cidade, que a divide em blocos numerados, além de setores para atividades pré-determinadas, como o Setor Hoteleiro, Bancário ou de Embaixadas provocou uma série de debates sobre o estilo de vida nas grandes cidades no século XX. Vista de cima, a principal área da cidade de Brasília se assemelha ao formato de um avião.


Atrativos para o Estudo • Palácio da Alvorada – é o palácio é designado como a residência oficial do Presidente da República federativa do Brasil. Foi o primeiro edifício a ser inaugurado na Capital Federal, em 1958. O Gabinete Presidencial está situado bem próximo, no Palácio do Planalto. • Congresso Nacional - é o órgão constitucional que exerce as funções do Poder Legislativo, como aprovar leis e fiscalizar o Estado Brasileiro. O Congresso Nacional é composto por duas Casas: o Senado Federal, integrado por 81 senadores, que representam as 27 Unidades Federativas (26 Estados e o Distrito Federal) e a Câmara dos Deputados, integrada por 513 deputados federais, que representam o povo. • Supremo Tribunal Federal - é a mais alta instância do Poder Judiciário do Brasil. Sua função institucional fundamental é de servir como guardião da Constituição Federal. Criado após a proclamação da República, o STF exerce uma longa série de competências, entre as quais a mais conhecida e relevante é o controle concentrado de constitucionalidade através de ações diretas. • Ministérios do Brasil – o poder executivo do Brasil é composto atualmente por 24 ministérios, nove secretarias da presidência com status de ministério e seis órgãos com status de ministério. Os prédios dos ministérios estão localizados no entorno do Palácio da Alvorada. • Praça dos Três Poderes – a praça é um amplo espaço aberto entre os três edifícios monumentais que representam os três poderes: o Palácio do Planalto (executivo), o Supremo Tribunal Federal (judiciário) e o Congresso Nacional (legislativo). Como quase todos os logradouros da cidade, a parte urbanística foi idealizada por Lucio Costa e as construções foram projetadas por Oscar Niemeyer. • Espaço Lúcio Costa – é um pequeno museu subterrâneo concebido por Oscar Niemeyer para homenagear o idealizador da capital, Lucio Costa. O Espaço abriga a maquete de Brasília, a maquete tátil do Plano Piloto, painéis com cópias do projeto do Plano e fotos históricas da época da construção e inauguração da cidade. Está localizado sob a Praça dos Três Poderes. • Catedral Metropolitana – A catedral Metropolitana de Nossa Senhora Aparecida, mais conhecida como catedral de Brasília. Projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer, foi o primeiro monumento a ser criado em Brasilia. • Cindacta – Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta) é cada uma das Unidades da Força Aérea Brasileira que executam as atividades de controle do tráfego aéreo comercial e militar, vigilância do espaço aéreo e comando das ações de defesa aérea no Brasil. • Memorial JK – é um museu projetado por Oscar Niemeyer e é dedicado ao ex-presidente do Brasil, Juscelino Kubischek, fundador da cidade de Brasília. No local, encontram-se o corpo de JK, diversos pertences, como sua biblioteca pessoal, e fotos tanto dele como de sua esposa Sarah. • Chapada Imperial – é um santuário ecológico localizada a 50 km do Plano Piloto do Distrito Federal. O local faz parte da Área de Proteção Ambiental (APA) do Cafuringa. É uma das grandes reservas ambientais particulares do Distrito Federal. O local possui mais de 20 pontos visitáveis, com trilhas de diversos graus de dificuldade, arvorismo, um criadouro conservacionista, museu histórico-rural, projetos pedagógicos e educação ambiental.

* O roteiro de Brasília pode ser combinado com alguns dias na Chapada dos Veadeiros.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Petar O Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (PETAR) é uma das maiores reservas de mata atlântica do estado, seus limites unem-se a outras Unidades de Conservação da região, formando o contínuo de floresta que chega até o litoral. O Parque possui escondidas em meio à sua exuberante floresta centenas de cavernas calcáreas. Parte delas está aberta á visitação. Esta região esteve isolada do restante do estado por muito tempo, não existiam estradas e o acesso era feito basicamente pelo mar. Com a abertura da BR 116 a região se tornou um pouco mais acessível, apesar da pobre malha viária. Este longo isolamento teve aspectos tanto negativos quanto positivos. A falta de comunicação fez com que as vilas e cidades ficassem a margem do desenvolvimento econômico observado no restante do estado, ainda hoje o Vale do rio Ribeira é uma das regiões mais pobres de São Paulo. Por outro lado a cultura caiçara, as comunidades quilombolas e outros costumes regionais ficaram prote-gidos podendo ser presenciados até hoje. Também foi favorecida a preservação da natureza. O difícil acesso desviou os interesses econômicos das terras do Lagamar e do Vale do Ribeira permitindo que grandes manchas dos ecossistemas presentes na região ficassem extremamente preservadas como nos Parque Estaduais de Jacupiranga, Carlos Botelho e o próprio PETAR. A expansão da indústria turística e a iminente duplicação da BR 116 nos fazem pensar sobre o futuro da região. O turismo é proclamado como uma atividade econômica de baixo impacto e recomendável para lugares com natureza preservada. A facilitação de acesso traz inevitável pressão imobiliária sobre a última região “selvagem” do estado. O que pode ser feito para reduzir o impacto das atividades humanas e garantir a preservação da região? Existem custos sociais? Qual é a opinião dos habitantes locais? Este estudo pode levar os alunos a especular sobre os problemas sociais e ambientais da região, apontando e tentando propor soluções.


Atrativos para o Estudo • Quilombo Ivaporunduva – em seu território se encontram o maior número de comunidades remanescentes de quilombos de todo o estado de São Paulo, comunidades caiçaras, índios Guarani, pescadores tradicionais e pequenos produtores rurais. • Caverna Morro Preto – localizada no Núcleo Santana, bem próximo às cavernas Santana e Couto. É uma caverna com características bem diferente onde se destaca a sua magnitude e grande dimensão. A caverna Morro Preto e a caverna Couto, embora sejam consideradas como duas cavernas independentes, na realidade formam um único conjunto do ponto de vista geológico. O rio que hoje passa na Couto, a milhares de anos atrás, já passou na caverna Morro Preto e as evidências dessa evolução geológica são facilmente observáveis. Possui na sua entrada várias estalactites gigantescas, todas ligeiramente inclinados para a saída da caverna e uma gigantesca coluna um pouco mais atrás. Sua entrada mede aproximadamente 20 metros de altura e é um lugar de beleza admirável. • Caverna do Couto – também se localiza no Núcleo Santana, bem próximo das cavernas Santana e Morro Preto. Seu grande destaque é que na Couto é possível atravessar a montanha pelo seu interior. A entrada normalmente é feita próxima a ressurgência do rio e a saída pelo sumidouro de uma galeria que hoje só passa água quando temos fortes chuvas. Quando estamos saindo do interior da caverna para o outro lado (sumidouro do rio), após ter passado um período na escuridão é impressionante. A descrição mais próxima da realidade da Couto seria "um túnel". Quando estamos nos aproximando do outro lado, vemos a entrada do sumidouro aumentando progressivamente. O aumento progressivo do verde e da luz externa vai tornando o ambiente muito agradável. Em seguida, o retorno para a sede do Núcleo Santana pode ser feita por uma trilha externa, onde a ressurgência do rio Couto nos fornece uma bela cachoeira muito convidativa para uma hidromassagem. • Cachoeira do Couto – pequena queda com cinco metros, mas muito bonita. Sua água é muito gelada, pois ela sai diretamente da caverna do Couto. Vale a pena conhecer e experimentá-la. Seu acesso é pelo Núcleo de Santana. • Iporanga – umas das primeiras cidades brasileiras, localizada as margens do rio Iporanga. Abriga ainda um casario do período colonial. • Reserva Betary – Com uma área de aproximadamente 60 hectares, a Reserva Betary é uma unidade de conservação particular situada no município de Iporanga. Abriga em sua área o primeiro Centro de Estudos da Biodiversidade - CEB, voltado ao estudo científico e divulgação da flora e da fauna da Mata Atlântica. A importância da Reserva Betary deve-se ao fato de estar situada numa região em que existem os maiores remanescentes preservados de Mata Atlântica e diversas unidades de conservação, motivando uma crescente visitação para ecoturismo e educação ambiental. A reserva possui uma infra-estrutura voltada à pesquisa em ambientes controlados, onde é possível a observação direta da fauna e da flora pelos visitantes e o acompanhamento das atividades científicas. Após a visita ao Centro os alunos fazem “Boia Cross” no Rio Betary.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Lagamar A região do Lagamar localiza-se no litoral sul do Estado de São Paulo, próximo à cidade de Cananéia, a cerca de 280 km de São Paulo. O complexo conhecido por LAGAMAR é composto pelo complexo estuarino lagunar que vai desde Iguape, onde desemboca o Rio Ribeira de Iguape até Paranaguá, passando pela Ilha Comprida, Cananéia e Ilha do Cardoso. É uma região muito rica em vida, seus canais de água salobra são margeados por vegetação típica de manguezal e mata atlântica. Os ecossistemas litorâneos, a sociedade local, as atividades econômicas tradicionais como a pesca, os aspectos importantes da história do Brasil colônia, e conceitos de ecologia são trabalhados de forma dinâmica e vibrante nesse Estudo do Meio.


Atrativos para o Estudo EM IGUAPE: • Morro do Espia – O Morro do Espia se localiza a 1,5 km do centro de Iguape e possui cerca de 50 metros de altitude. Do local é possível visualizar todo o complexo Estuarino Lagunar, a parte urbana de Iguape, Ilha Comprida, o Valo Grande, a Ilha de Cananéia e a Ilha do Cardoso. • Centro Histórico – Iguape possui o maior casario colonial preservado do Estado de São Paulo, com diversas casas, casarões e igrejas em vielas estreitas. Caminhar pelas ruas de paralelepípedos do Centro de Iguape é como voltar à época dos ciclos do ouro e do arroz, quando a cidade viveu o auge de seu desenvolvimento econômico. Em 2009, o Centro Histórico foi tombado pelo IPHAN. • Igreja Bom Jesus de Iguape – A Basílica do Bom Jesus de Iguape foi construída basicamente com pedra portuguesa, argamassa e óleo de baleia, entre 1787 e 1856. Na Igreja é possível visitar a Sala dos Milagres, que possui objetos deixados pelos devotos em agradecimento a graças recebidas. A igreja ainda abriga a imagem do Bom Jesus, encontrada em 1647 na praia do Una. • Casa do Patrimônio de Iguape – A Casa do Patrimônio de Iguape, bem como as demais, surgiu diante da necessidade de se estabelecer novas formas de relacionamento do IPHAN com a sociedade e outras instituições públicas. Têm como objetivo ser espaços de referência para a pesquisa, o diálogo e a reflexão sobre o Patrimônio Cultural, para qualificar e atender a população, profissionais, estudantes, professores e turistas, trabalhando na perspectiva da construção coletiva dessa nova postura institucional de intercâmbio. • Museu Histórico – Localizado no Centro Histórico de Iguape está instalado no local onde foi a 1º Casa de Fundição de Ouro do Brasil. Sua exposição Histórica conta com painéis gráficos e fotográficos, objetos e documentos sobre a escravatura e os Ciclos do Ouro e do Arroz. Na exposição Arqueológica, encontram-se sinais da ocupação PréColonial, como objetos líticos, ósseos e cerâmicos, confeccionados por grupos humanos da Pré-História Brasileira, inclusive os dos “Pescadores Coletores do Litoral” que deixaram os “Sambaquis”, cujos vestígios mais antigos datam de cinco mil anos. • Canal do Valo Grande – O canal que liga o rio Ribeira ao mar Pequeno foi construído por escravos por mais de duas décadas e começou a ser utilizado em 1852 para facilitar o transporte das sacas de arroz que vinham da zona rural até Porto do Ribeira. Inicialmente um canal estreito, com cerca de quatro metros de largura, onde, em alguns trechos, era possível ser atravessado com um pulo. Em pouco tempo o canal começou a alargar, não resistindo à imensa corrente de água do Rio Ribeira. O que era uma vala logo se transformou em um largo canal, engolindo tudo às suas margens. A certa altura, se acreditou que a cidade inteira seria destruída pelo que passou a se chamar "Valo Grande". Felizmente, por volta de 1985, com a contenção das margens com pedras e a construção de uma barragem onde antes era o Porto do Ribeira, controlou-se o fluxo de água no canal, salvando, assim, a cidade da destruição. EM CANANÉIA: • Morro de São João – No alto do Morro de São João é possível ter uma vista panorâmica da cidade de Cananéia, da Baia de Trapandé, da Ilha do Bom Abrigo, Ilha Comprida, Ilha do Cardoso, Itacuruça, Núcleo Pereque, Quarentenaria, Mar de Taquari, Porto de Cubatão e Serra de Paranapiacaba. • Centro Histórico – possui um acervo histórico representativo, composto por casas, monumentos e outras edificações históricas. O município de Cananéia é considerado o segundo mais antigo do Brasil, perdendo apenas para São Sebastião. Atualmente, o Centro Histórico de Cananéia ainda mantém preservado os estilos arquitetônicos adotados pelas primeiras casas, desde o período colonial até o final do século XIX.


• Igreja Matriz – construída em 1577, é uma das primeiras obras em Alvenaria de Berbigão do país. Na época contava com muros largos e fortes portões e não possuía janelas, propositalmente para servir como Forte. • Rua do Artesanato – espaço público de exposição de artesanato local. • Terminal Pesqueiro – é um dos cinco terminais pesqueiros do país. Intensa movimentação de barcos industriais. • Museu Histórico de Pesca – abriga em seu acervo o segundo maior tubarão do mundo, que foi encontrado em águas pertencentes ao litoral de Cananéia e hoje, encontra-se taxidermizado. • COOPEROSTRA – A Cooperativa Produtora de Ostras de Cananéia é formada por extratores tradicionais de ostras do Litoral Sul do Estado de São Paulo e sua criação se deu em 1997, com o apoio das Secretarias Estaduais do Meio Ambiente e Agricultura. A produção sustentável de ostras na região de Cananéia conta com a participação de 42 famílias que vivem do manejo sustentável e a comercialização das ostras. Hoje, a cooperativa vende em média oito mil dúzias de ostras por mês, durante o ano todo, abastecendo, inclusive, o mercado consumidor da cidade de São Paulo. • Apresentação Cultural de Fandangueiros – o fandango é um gênero musical e coreográfico fortemente associado ao modo de vida da população caiçara. Sua prática sempre esteve vinculada à organização de trabalhos coletivos – mutirões nos roçados, colheitas, puxadas de rede ou na construção de benfeitorias, onde o organizador oferecia, como pagamento aos ajudantes voluntários, “um fandango” - espécie de baile com comida farta. Antigamente, o fandango era a principal diversão e momento de socialização das comunidades caiçaras, estando presente em diversas festas religiosas, batizados, casamentos e, especialmente, no carnaval, quando os quatro dias de festa eram realizados ao som dos instrumentos do fandango. O fandango caiçara possui uma estrutura bastante complexa, envolvendo diversas formas de execução de instrumentos musicais, melodias, versos e coreografias. A formação instrumental básica do fandango normalmente é composta por dois tocadores de viola, que cantam as melodias em intervalos de terças, um tocador de rabeca e um tocador de adufo ou adufe. Cada forma musical, definida pelos mestres violeiros, é chamada de marca ou moda e, dependendo da região, possui toques e danças específicas. NA ILHA DO CARDOSO: • Ilha do Cardoso (restinga, mata atlântica, praia arenosa e manguezal) - a Ilha do Cardoso está localizada no distrito de Cananéia e foi transformada em Parque Estadual em 1962, devido à sua rica diversidade de animais e plantas do bioma Mata Atlântica e do bioma Marinho. É um dos poucos lugares em que a Mata Atlântica se mantém exepcionalmente bem preservada. Os bons observadores têm a possibilidade de ver os botos cinza que, sem cerimônia, nadam pela Baía do Trapandé (entre Cananéia e a Ilha do Cardoso). Através das quatro trilhas principais que cortam a ilha é possível conhecer a diversidade natural desse pedacinho do paraíso.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Santos Santos é um município portuário considerado Sede da Região Metropolitana da Baixada Santista, localizado no litoral do estado de São Paulo. Abriga o maior porto da América Latina o qual é o principal responsável pela dinâmica econômica da cidade ao lado do turismo, da pesca e do comércio. Santos possui uma economia crescente, sendo considerada atualmente a 17ª mais rica do país. É a maior cidade do litoral paulista e durante o ano todo o turismo vem crescendo em altos índices. O principal cartão postal do município são os 7 km de praia. Os jardins da orla de Santos estão registrados no Livro dos Recordes como o maior jardim frontal de praia do mundo, em extensão. Em Santos poderemos compreender as características naturais únicas que permitiram a instalação de um porto marítimo, o porto de Santos, de grande importância no cenário econômico do País. No centro histórico poderemos observar vários estilos arquitetônicos com vestígios desde meados do descobrimento e através das explicações adquirirem grandes conhecimentos. O ambiente desta viagem é propício para estudos que englobam diversas questões ambientais, geológicas, econômicas e sociais. São 450 anos de história percorridos durante o Estudo.


Atrativos para o Estudo • Monte Serrat – a denominação Monte Serrat aconteceu em 1604, após a construção da Capela de Nossa Senhora do Monte Serrat, padroeira da cidade. No princípio deste século foi erguido, no alto do morro, um grande edifício com terraços, mirante e cassino. Seu topo pode ser atingido pelo bondinho, que funciona sobre trilhos em sistema funicular, ou pela escadaria, com 415 degraus. Do alto pode-se avistar toda a cidade de Santos, desde a praia até o porto, e também os municípios de Guarujá, Cubatão, São Vicente e Praia Grande. • Bolsa do Café & Museu do Café – foi inaugurada em 1922, como parte das comemorações do centenário da independência. O Palácio da Bolsa Oficial do Café de Santos é um dos mais significativos monumentos arquitetônicos do Estado de São Paulo. Possui importância histórica fundamental, por sintetizar o percurso épico do café na construção do País, do estado e da cidade de Santos. O Museu do Café foi inaugurado em setembro de 1998 e a edificação foi reaberta, após um grande trabalho de restauro do Palácio. • Centro Histórico de Santos – é um importante acervo histórico do país, composto por edifícios e monumentos que representam os diferentes períodos de nossa história. No centro histórico poderemos observar vários estilos arquitetônicos com vestígios desde meados do descobrimento. • Fortaleza da Barra – é considerado o mais importante monumento histórico-militar do Estado de São Paulo enriquece a topografia da paisagem local. A Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande foi construída pelos espanhóis em 1584, época em que Portugal e Brasil estavam sob domínio da Espanha, e protegeu o estuário de Santos na época da Colônia, do Império e da República. • Museu do Mar – seu acervo contém 12.000 exemplares de conchas, além de corais e aquários. Exibe curiosidades do mundo subaquático, como uma concha com 148 quilos, animais taxidermizados e preservados em formol, equipamentos de mergulho e uma baleia taxidermizada, com aproximadamente 6 metros de comprimento e pesa uma tonelada. • Museu de Pesca – o Forte Augusto cedeu lugar para a instalação da Escola de Aprendizes de Marinheiro que, posteriormente, se tornou o Museu de Pesca (1942). O Instituto de Pesca "M. Nascimento Jr.", mais conhecido como Museu de Pesca, foi reaberto em 1998, após longo período de reformas. Exibe exemplares da fauna marinha, incluindo um esqueleto de baleia de 23 metros de comprimento. • Aquário de Santos – é uma das maiores atrações turísticas de Santos, ocupando uma área de 1.000m² na Orla da Praia. Em seus 35 tanques de água doce e salgada estão expostas mais de 800 espécies da fauna aquática, incluindo um lobo-marinho. * O roteiro de Santos pode ser combinado com alguns dias na cidade de São Paulo.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Ubatuba A cidade de Ubatuba está localizada no litoral norte de São Paulo, a 250 km da capital do estado. Limita-se ao norte com Parati (Rio de Janeiro), ao sul com a cidade de Caraguatatuba, a oeste com Cunha, São Luiz do Paraitinga e a leste com o Oceano Atlântico. A cidade é cortada pelo Trópico de Capricórnio, o qual passa pela cidade em frente à pista do aeroporto local. Ubatuba é um local privilegiado pela sua natureza local. Seu território municipal ocupa 710.783 km², sendo que 83% do seu território está inserido no Parque Estadual da Serra do Mar. Ubatuba é um dos quinze municípios paulistas considerados Estância Balneária, com mais de 80 praias e duas ilhas distribuídas pelo seu litoral. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do estado para a promoção do turismo regional. Seu nome tem origem tupi e há pelo menos duas interpretações para o nome. Em tupi, ubá significa canoa, enquanto u’ubá significa cana-do-rio, é uma gramínea que era utilizada pelos índios na confecção de flechas. Como tyba significa “ajuntamento”, o nome da cidade pode significar tanto “ajuntamento de canas-de-rios”, quanto “ajuntamento de canoas”.


Atrativos para o Estudo • Projeto TAMAR - O Projeto Tartarugas Marinhas foi criado em 1980, pelo antigo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal-IBDF, que mais tarde se transformou no IBAMA - Instituto Brasileiro de Meio Ambiente. A idéia do projeto TAMAR surgiu nos anos 70, a partir de um grupo de estudantes de oceanografia que viajavam pelas praias desertas do litoral brasileiro para realizar pesquisas. O Projeto realiza pesquisas, conservação e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção. O TAMAR protege cerca de 1.100km de praias, através de 23 bases mantidas em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso desses animais, no litoral e ilhas oceânicas, em nove Estados brasileiros. O Projeto é reconhecido internacionalmente como uma das mais bem sucedidas experiências de conservação marinha e serve de modelo para outros países, sobretudo pelo envolvimento direto com as comunidades costeiras, em seu trabalho sócio-ambiental. • Aquário de Ubatuba – O Aquário de Ubatuba é uma instituição privada, fundado em Janeiro de 1996 por um grupo de oceanólogos. Seu principal objetivo a preservação dos ambientes costeiros e marinhos através da educação ambiental e da pesquisa aplicada. O Aquário de Ubatuba oferece aos seus visitantes a oportunidade de conhecer de perto um pouco do complexo mundo marinho, tendo entre seus atrativos 12 tanques de água salgada (entre eles um dos maiores tanques marinhos do Brasil, com 80.000 litros), com representantes da fauna local e de outros oceanos. • P.E. Ilha Anchieta – o Parque Estadual da Ilha Anchieta é uma área de proteção ambiental, criado em 1977 e é uma das áreas protegidas no estado de maior importância dada sua riqueza histórica e natural. Com uma área de 8,26 km², a ilha abriga uma fauna paupérrima, sendo a maioria introduzida pelo Zoológico de são Paulo em 1983. Algumas das espécies devem ter sido extintas devido ao corte de madeiras, fogo, caça e recentemente pela predação de ninhos pelas espécies exóticas, como quatis e saguis. Nas águas cristalinas que cercam a ilha são encontrados cardumes de tainhas, robalos, carapaus, peixes voadores e tartarugas marinhas. No passado, a ilha era um presídio de segurança máxima que abrigava os piores bandidos do Estado de São Paulo. • Núcleo Picinguaba (P.E.S.M.) – é uma área de conservação, criado em 1970, que compõe um dos oito núcleos do Parque Estadual da Serra do Mar. Foi criado após a década de 1970, possui uma área de oito mil hectares. É o único núcleo do Parque Estadual da Serra do Mar que atinge a orla marinha. A sede do Núcleo está localizada à 40 quilômetros do centro da cidade de Ubatuba e protege uma boa parte de Mata Atlântica, manguezal, restinga e ambiente costeiro. Abrange cinco praias, três vilas caiçaras e algumas ilhas protegidas. • Instituto de Permacultura (IPEMA) – o IPEMA é uma OSCIP localizada no município de Ubatuba, na praia da Almada. O IPEMA vem atuando desde 1999 na conscientização e capacitação de pessoas para as áreas de permacultura, ecovilas e bioconstrução. A missão do IPEMA é fomentar e difundir a permacultura para a criação de assentamentos humanos sustentáveis. Para atingir seus objetivos, o IPEMA estabelece convênios com entidades civis que tenham por finalidade o apoio educacional e técnico nas áreas de desenvolvimento humano, complementando suas atividades produtivas, tendo em vista sempre a realização dos ideais focalizados na AGENDA 21 estabelecida. • ONG AICÁS – O Projeto Aicás é uma ONG formada por moradores da Praia da Almada, em Ubatuba. Desde 1997 desenvolve atividades de Educação Ambiental e valorização da Cultura Caiçara. A Aicás busca promover projetos e ações que visem conscientizar a opinião pública sobre a importância da conservação dos ambientes naturais, do patrimônio histórico e cultural da nossa região, através da educação ambiental, do ecoturismo e demais instrumentos. * O roteiro de Ubatuba pode ser combinado com alguns dias em Paraty.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Paraty Paraty é um município situado no litoral oeste do estado do Rio de Janeiro e se localiza a 245 Km da capital do Estado e a 298 km da cidade de São Paulo. Em 1667, teve sua emancipação política decretada após várias revoltas populares contra o centralismo que Angra dos Reis exercia sobre a cidade, em especial após a revolta liderada por Domingos Gonçalves de Abreu, tornando-se assim independente. A cidade foi durante o período colonial brasileiro (1530-1815), a sede do mais importante porto exportador de ouro do Brasil. Junto ao oceano, entre dois rios, Paraty está a uma altitude média de apenas cinco metros. Hoje, é o centro de um município com 930,7 km² com uma população de 33 062 habitantes. Por estar localizada quase ao nível do mar, a cidade foi projetada levando em conta o fluxo das marés. Como resultado, muitas de suas ruas são periodicamente inundadas pela maré. No município de Paraty está localizado parte do Parque Nacional da Bocaina (a uma altitude de até 1.605 m).


Atrativos para o Estudo • Centro Histórico – é considerado pela UNESCO como “o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso” e está tombado pelo IPHAN como Patrimônio Histórico Nacional. As ruas do Centro Histórico são protegidas por correntes que impedem a passagem dos carros, para preservar ainda mais o encanto colonial, aliado a um variado comércio e a expressões culturais e artísticas muito intensas. É onde se localizam os principais pontos de referência históricos de Paraty, com os principais aspectos arquitetônicos presentes nas igrejas e casarões de época. • Alambique – visita ao alambique para conhecer a produção de rapadura e cachaça. • Caminho do Ouro – estrada construída pelos escravos entre os séculos XVII e XIX, a partir de trilhas dos índios Guaianazes, a Estrada Real. Passou a ser a via de acesso entre o litoral e o interior de Minas Gerais e por onde foi transportado o ouro encontrado por lá até o porto de Paraty. Além de abordar os aspectos históricos do caminho do ouro, durante a trilha podem ser observadas características da vegetação da Mata Atlântica. • Quilombo Campinho da Independência – está localizado entre os povoados de Pedra Azul e Patrimônio e suas terras são banhadas pelo Rio Carapitanga. A origem do Quilombo Campinho da Independência é muito particular. Todos os moradores são descendentes de três escravas: Antonica, Marcelina e Luiza. Segundo as histórias contadas pelos mais velhos, as três não eram escravas comuns, pois possuíam cultura, posses e habitavam a casa-grande. Conta-se também que existiam muitas fazendas no local, inclusive a maior delas: a Fazenda Independência. Os quilombolas do local cultivam arroz, feijão e milho, e também plantam aipim e cana-de-açúcar para serem usados na produção de diversos produtos. • Saco do Mamanguá – O Mamanguá é um braço de mar que entra em linha reta terra adentro, com oito quilômetros de extensão. Possui montanhas altas em ambos os lados e, ao fundo, em formato de bota, encontra-se o maior e mais conservado manguezal da baía da Ilha Grande. É o criadouro marinho mais do município de Paraty e do sudeste fluminense, e reduto de uma comunidade tradicional caiçara, onde vivem cerca de 120 famílias que vivem da pesca, agricultura, produção de artesanato e do turismo. Um programa indispensável a se fazer é o passeio de caiaque ou canoas de fibra pelo rio Cairuçu, localizado no fundo do Saco do Mamanguá. Na medida em que navega pelo rio, a paisagem gradativamente muda de Manguezal para Floresta Atlântica. • Passeio de Escuna e Mergulho na Baía de Paraty – saída de Escuna para passeio e prática de mergulho livre pelas ilhas da Baía de Paraty, onde poderão ser observadas algumas espécies de invertebrados marinhos (estrelas do mar, pepinos do mar, ouriços) e varias espécies de peixes. • Apresentação Cultural de fandangueiros – o fandango é um gênero musical e coreográfico fortemente associado ao modo de vida da população caiçara. Sua prática sempre esteve vinculada à organização de trabalhos coletivos – mutirões nos roçados, colheitas, puxadas de rede ou na construção de benfeitorias, onde o organizador oferecia, como pagamento aos ajudantes voluntários, “um fandango” - espécie de baile com comida farta. Antigamente, o fandango era a principal diversão e momento de socialização das comunidades caiçaras, estando presente em diversas festas religiosas, batizados, casamentos e, especialmente, no carnaval, quando os quatro dias de festa eram realizados ao som dos instrumentos do fandango. O fandango caiçara possui uma estrutura bastante complexa, envolvendo diversas formas de execução de instrumentos musicais, melodias, versos e coreografias. A formação instrumental básica do fandango normalmente é composta por dois tocadores de viola, que cantam as melodias em intervalos de terças, um tocador de rabeca e um tocador de adufo ou adufe. Cada forma musical, definida pelos mestres violeiros, é chamada de marca ou moda e, dependendo da região, possui toques e danças específicas. * O roteiro de Paraty pode ser combinado com alguns dias em Ubatuba.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Rio de Janeiro Situada na região sudeste, a cidade do Rio de Janeiro é a segunda maior metrópole do Brasil e um dos principais centros econômicos e financeiros do país. É a cidade brasileira mais conhecida no exterior e é a maior rota do turismo internacional dentro do país. A capital fluminense é considerada como um “espelho” ou “retrato” nacional seja positiva ou negativamente. Também conhecida como a Cidade Maravilhosa, em 2012, a paisagem urbana e os atrativos naturais da cidade foram consideradas como Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO.


Atrativos para o Estudo • Museu Nacional do Rio de Janeiro – é um dos mais importantes museus brasileiros, sendo a primeira instituição científica do país e o maior museu de história natural e antropológica da América Latina. O palácio foi residência da família real portuguesa e abrigou a primeira Assembléia Constituinte Republicana. Localizado no interior do Parque da Quinta da Boa Vista, atualmente o Museu Nacional oferece cursos de pós-graduação vinculados à UFRJ nas áreas de Antropologia, Arqueologia, Botânica, Geologia, Paleontologia e Zoologia. • Teatro Municipal Brasileiro – o Teatro Municipal do Rio de Janeiro está localizado na Cinelândia (Pr. Marechal Floriano) e foi inaugurado em 1909, como parte do conjunto arquitetônico das Obras de Reurbanização da Cidade. Desde sua inauguração, exerce importante papel para a cultura carioca e nacional, recebendo em seu palco importantes artistas, orquestras e companhias de Ballet. • Palácio do Catete – localizado no bairro do Catete, o Palácio foi a sede do poder executivo brasileiro de 1897 a 1960. Deste ano em diante, a sede do poder executivo foi transferida para a recém-inaugurada cidade de Brasília. A partir da década de 1970, o palácio passou a abrigar o Museu da República, função que continua exercendo até hoje. • Morro e Bondinho do Pão de Açucar – o morro do Pão de Açúcar é uma formação rochosa situada do bairro da Urca e possui cerca de 395m de altura. O Bondinho do Pão de Açúcar é um teleférico que liga a praia Vermelha ao morro da Urca e ao morro do Pão de Açúcar. É considerado um dos principais pontos turísticos da cidade e do Brasil. • Floresta da Tijuca – a Floresta da Tijuca está localizada na cidade do Rio de Janeiro e é parte integrante do Parque Nacional da Tijuca. É considerada a terceira maior área verde urbana do Brasil. • Mirante Dona Marta - O Mirante Dona Marta fica na parte alta da favela Santa Marta a cerca de 360m de altura. Este mirante tem sido um dos locais mais visitados do Rio de Janeiro, uma vez que oferece vista panorâmica privilegiada de toda a cidade, principalmente de diversos cartões-postais como o Corcovado, o Cristo Redentor, o Pão de Açúcar, a Lagoa Rodrigo de Freitas e a Baía de Guanabara.

* O roteiro para o Rio de Janeiro pode ser combinado com alguns dias em Paraty.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Sul da Bahia A região sul da Bahia é um local de grande biodiversidade e abriga um dos principais remanescentes de Mata atlântica, onde boa parte da sua fauna e flora está protegida em Parques Nacionais. Foi o berço da colonização do país, tendo como marco nacional o Monte Pascoal. Sua população é composta pelas três matrizes do povo brasileiro, fruto da miscigenação da colonização portuguesa, do escravo africano e dos índios Pataxós. A região é composta por diversos “arrecifes” e a vida marinha local é muito rica, tendo como visitantes as baleias Jubarte do Sul, entre os meses de julho e outubro. É uma região ocupada extensivamente por eucalipto, árvore de origem australiana, destinado para a produção de papel e celulose. A região é o segundo maior destino turístico do estado da Bahia.


Atrativos para o Estudo EM CARAVELAS: • Parque Nacional de Abrolhos – o Parque nacional de Abrolhos possui uma área de 91.300 hectares e dentro dos seus limites estão cinco ilhas. A visitação só pode ser feita em uma delas, a Siriba. As maiores atrações, portanto, ficam na água. No período entre julho e novembro a observação de baleias jubarte é uma atração inesquecível. Além disso, toda a fauna marinha e as formações coralíneas típicas da região são deslumbrantes. • CEPENE – o CEPENE é um dos Centros Especializados do IBAMA voltados para o estudo, a pesquisa e a gestão dos recursos pesqueiros. Dentre os projetos desenvolvidos pelo órgão, o Projeto Manguezal visa manejar, monitorar e integrar o uso sustentável do ecossistema pela população ribeirinha de Caravelas. • Centro de Visitantes (IBAMA) – o centro de visitantes do IBAMA em Caravelas é um local de apoio e divulgação de vários programas ambientais desenvolvidos na região. O espaço tem o objetivo de aproximar o contato dos visitantes com a natureza e a importância das áreas protegidas na preservação do meio ambiente. • ARTE MANHA – é uma organização não-governamental localizada no município de Caravelas, de grande importância no resgate e fortalecimento da cultura Afro-Indígena. Possui dentre suas atividades, oficinas permanentes e itinerantes em oito núcleos de produção cultural, voltadas para artes plásticas, artes cênicas, música, capoeira, serigrafia, costura, comunicação e manifestações tradicionais. Nesse projeto os alunos poderão participar de todas as atividades ambientais e culturais realizadas pela ONG. EM PORTO SEGURO: • Índios Pataxós – visita à comunidade indígena da Jaqueira, onde seremos recepcionados pelos índios Pataxós e teremos a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre sua cultura, através de palestras, caminhada interpretativa, demonstrações de armadilhas, da culinária, etc. Ao final, participaremos do Awê, ritual de confraternização e agradecimento a mãe natureza, com canto na língua dos antepassados. • Projeto Coral Vivo – O Projeto Coral Vivo trabalha para a conservação e uso sustentável de ambientes recifais brasileiros. Tem como objetivo realizar ações de pesquisa sobre reprodução, recrutamento e distribuição de corais brasileiros e educação ambiental para a conservação e uso sustentável dos recifes. • Centro Histórico e Marco Zero – região onde a cidade foi fundada, em 1554, pelos padres jesuítas. É formada pelos distritos da Sé e República. Nele, se encontra a maior parte dos edifícios que retratam a história da cidade, como o Pátio do Colégio, local de sua fundação. A região da Praça da Sé também abriga o monumento "Marco Zero" que indica o ponto mais central da cidade e de onde partem oficialmente as distancias medidas dentro do Estado de São Paulo. • Estação Veracel – é a maior Reserva Particular do Patrimônio Mundial Natural (RPPN) dentro do bioma Mata Atlântica do Brasil, com 6.069 hectares, que se estendem pelos municípios de Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália. Na Estação Veracel ainda são desenvolvidos diversos estudos e projetos de pesquisa. * O roteiro para o sul da Bahia pode ser combinado com alguns dias na Chapada Diamantina.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Serra da Capivara O Parque Nacional Serra da Capivara é uma unidade de conservação brasileira de proteção integral criada em 1979 a fim de proteger o mais importante sítio arqueológico do Brasil e um dos mais importantes do mundo. Trata-se do maior conjunto de pinturas rupestres do planeta. Está localizado no semi-árido brasileiro, entre os municípios Canto do Buriti, Coronel José Dias, São João do Piauí e São Raimundo Nonato, no Piauí. Com uma riqueza arqueológica inigualável, a Serra da Capivara abriga vestígios que se conservaram durante milênios, devido à existência de um equilíbrio ecológico, hoje extremamente alterado. O patrimônio cultural e os ecossistemas locais estão intimamente ligados e a conservação de ambos se fez primordial. O equilíbrio entre os recursos naturais é o condicionante na conservação dos recursos culturais e foi o que orientou o zoneamento, a gestão e o uso do Parque pelo poder público. É um local com vários atrativos monumentais a céu aberto, com belíssimas formações rochosas, onde se encontram sítios arqueológicos e paleontológicos espetaculares, que testemunham a presença de homens e animais pré-históricos. O Parque é considerado o melhor em estrutura do Brasil, contando com um moderno Museu, trilhas bem sinalizadas, centro de apoio ao visitante, lanchonetes, sanitários e excelente corpo de monitores.

38


Atrativos para o Estudo • Fundação Museu do Homem Americano: é uma OSCIP de cunho científico, sem fins lucrativos, criada em 1986 por pesquisadores de uma cooperação binacional (Brasil-França). A instituição está localizada no município de São Raimundo Nonato – Piauí e abriga boa parte dos resultados das pesquisas, como as coleções de material arqueológico, paleontológico, zoológico e botânico da região. • Instituto Sergio Motta: é um centro cultural de projetos e debates voltados ao uso criativo da tecnologia e da inovação. São realizadas ações efetivas, que unem as tecnologias de telecomunicação com o setor cultural e social, fazendo com que essas inovações ajudem no desenvolvimento da sociedade, em consonância com as exigências do nosso tempo. O Instituto Sergio Motta é uma entidade independente do Estado e de partidos políticos e desde 2000 desenvolve diversos projetos culturais com focos nas mídias eletrônicas e digitais. • Desfiladeiro da Capivara: localizado a 43 km do centro da Serra da Capivara, o desfiladeiro abriga diversos sítios arqueológicos com pinturas rupestres ao longo de um cânion de 4 km. As pinturas do local, caracterizadas pela narratividade, fazem parte de uma classe conhecida como Tradição Nordeste e algumas delas estão entre as mais antigas da região. O local onde é feita a caminha foi utilizado como “passagem” desde os tempos pré-históricos pelas populações locais. • Baixão da Pedra Furada: é uma das atrações mais visitadas do parque, composta por vários sítios arqueológicos com pinturas rupestres gravadas em um paredão com mais de 100m de altura. Do alto da Pedra, a vista é deslumbrante. É no vale do Baixão da Pedra Furada que se encontra o arco do triunfo da Pedra Furada, monumento geológico símbolo do Parque da S. da Capivara. • Paredão da Pedra Furada: de formato curioso, o paredão da Pedra Furada é um bloco rochoso avermelhado com 60 m de altura e uma perfuração escavada pelo vento ao longo de milhares de anos. O entorno é conhecido como sítio arqueológico Toca do Boqueirão da Pedra Furada, onde foram descobertos os mais antigos vestígios da presença humana nas Américas, além de um impressionante conjunto que reúne 1 150 pinturas rupestres. • Trilha do Hombu: localizada a 27 km do centro da Serra da Capivara, a trilha interpretativa do Hombu nos leva através de uma viagem no tempo e no espaço, fornecendo uma série de informações e curiosidades sobre o ambiente e a cultura local. Através da trilha podemos observar diversas paisagens: o alto da Serra - que é plano com vales entalhados de diferentes larguras, os lajedos de arenito, e toda a exuberância da caatinga, um bioma exclusivo do Brasil, com suas ricas variações.

3 9


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Amazônia A região Amazônica abriga a maior floresta tropical do planeta, que se estende por cerca de 60% do território nacional. Abriga a maior biodiversidade de fauna e flora do mundo e possui a maior rede hidrográfica do planeta, com mais de 25 mil quilômetros de vias navegáveis. Em seus rios vive o dobro de espécies de peixes que podem ser encontrados no oceano Atlântico. A região é habitada há milênios por populações indígenas de variadas línguas e culturas. Por permanecer isolada por muito tempo a população tradicional da região ainda mantém estreita relação com o ambiente natural. É uma região rica em recursos naturais importantes como a borracha, a castanha, o cacau, entre outros. Atualmente, é uma região-alvo de cobiça por empresas em busca de seus vastos recursos minerais, madeira, terras para agricultura e construção de grandes usinas hidrelétricas. A população ribeirinha e cabocla da região, fruto da miscigenação do colonizador europeu, do escravo africano e dos indígenas, guarda muito do conhecimento indígena e do manejo da floresta. Nessa viagem poderemos conhecer um pouco da vida das comunidades tradicionais e os encantos da floresta amazônica!

40


Atrativos para o Estudo • Centro Histórico de Manaus – a cidade de Manaus possui um patrimônio histórico de ampla riqueza. A capital foi a maior produtora mundial de borracha entre 1880 e 1910 e com isso tornou-se uma das cidades mais ricas e modernas do Brasil na época. Tal riqueza se refletiu principalmente nas construções imponentes dos casarões e monumentos, que se tornaram ícones arquitetônicos. • Porto de Manaus – é um porto fluvial brasileiro localizado na costa oeste do Rio Negro, no centro de Manaus. É o maior porto da Amazônia e o terceiro maior porto exportador do país. O porto foi construído em um cais flutuante e projetado por ingleses, sendo inaugurado em 1907, quando a cidade vivia o auge da época da borracha. • Teatro Amazonas – teatro brasileiro localizado no largo de São Sebastião, no centro de Manaus. O Teatro Amazonas é a expressão mais significativa da riqueza da região durante o Ciclo da Borracha. A orquestra Amazonas Filarmônica regularmente ensaia e se apresenta em seu interior. • Mercado Municipal – construído às margens do rio Negro o Mercado Municipal Adolpho Lisboa de Manaus foi inaugurado no auge do Ciclo da Borracha. Em estilo Art Nouveau, remete ao Mercado de Les Halles, de Paris, com pavilhões em alvenaria e ferro fundido, repletos de vitrais. O espaço foi tombado pelo IPHAN é um dos mais movimentados centros de comercialização de produtos regionais da capital. • Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá – localizada no médio rio Solimões, a região é composta por extensas várzeas e igapós. Tais ambientes são riquíssimos em vida selvagem e essa área é um importante centro pesqueiro da região amazônica. O manejo econômico e a fiscalização dos recursos naturais são feitos pelos próprios moradores, organizados em mais de 100 comunidades tradicionais. O Instituto Mamirauá desenvolve importantes pesquisas científicas nos ambientes naturais da região amazônica. • Navegação pelo rio Negro - navegação pelo rio Negro, passando pelo Museu da Seringa para uma imersão no ciclo da borracha que marcou a economia regional. • Fundação Almerinda Malaquias - A Fundação Almerinda Malaquias (FAM) é uma organização não-governamental brasileira, sem fins lucrativos, com o objetivo de valorizar a identidade cultural e artística da região, e promover a formação profissional de jovens e moradores da região. • Associação de Artesãos de Novo Airão (AANA) – associação de moradores tradicionais que cunham artesanatos como e produzem peças como tapetes, cestos, peneiras e luminárias em fibras vegetais como a arumã, cipó ambé, tucumã, piaçava e cipó titica. É uma das principais fontes de renda dos moradores locais. • Floresta Nacional do Tapajós – a Floresta Nacional do Tapajós é uma Unidade de Conservação Brasileira com aproximadamente 600 mil hectares. Com boa parte de sua área bem preservada, a Floresta Nacional do Tapajós é muito conhecida por suas belezas naturais. De canoa é possível andar no meio da floresta, fazer caminhadas, banhos de rio e igarapés, visitar projetos comunitários, projetos de pesquisa, e a cultura local. • INPA - o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA) vem realizando a mais de 50 anos estudos científicos do meio físico e das condições de vida da região amazônica para promover o bem-estar humano e o desenvolvimento sócio-econômico regional. Atualmente, o INPA é referência mundial em Biologia Tropical.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Bonito A Cidade de Bonito, no estado do Mato Grosso do Sul, está inserida na região da Serra da Bodoquena, uma das grandes fronteiras geológicas da planície do Pantanal. As outras fronteiras do Pantanal são delimitadas por mais serras e planaltos como as Serras de Maracaju, de Aquidauana e das Araras. Esta é uma informação importante, são os rios que correm por estes terrenos mais elevados que carregam a água responsável pela dinâmica de cheias e vazantes do Pantanal. A Serra da Bodoquena é especial e de beleza única. Formada por rochas calcárias trabalhadas pelos lençóis freáticos esconde cavernas como a do Lago Azul, além de rios de incrível transparência, repletos de vida. É neste ambiente que nosso programa se desenvolve possibilitando a observação da rica fauna e flora, além da exploração de cavernas, descida de cachoeiras em botes de borracha e mergulho nas incríveis águas cristalinas dos rios e nascentes da região. Serão dias de muita aventura!

42


Atrativos para o Estudo • Gruta do Lago Azul – possui em seu interior um lago azul com dimensões que a tornam uma das maiores cavidades inundadas do planeta. Em 1992 uma expedição Franco-Brasileira de espeleomergulhadores, encontrou uma série de fósseis de mamíferos - como o tigre de dente de sabre e preguiça gigante - que viveram durante o período geológico do Pleistoceno - 6.000 a 10.000 anos atrás. Após uma descida de 100 m, iremos nos deparar com um lago de águas intensamente azuladas, cuja profundidade estima-se ser de 90 m. Ninguém sabe ao certo de onde vêm suas águas, acredita-se na existência de um rio subterrâneo, que alimenta o lago. • Passeio de Bote no Rio Formoso – realizado em botes infláveis por um dos principais rios da região, num percurso de 6 km, passando por três cachoeiras e duas corredeiras com uma parada para banho de aprox. 20 min. Durante o percurso tem-se a oportunidade de contemplar a fauna e flora às margens do rio até o desembarque na Ilha do Padre, onde o turista pode usufruir da infra-estrutura do local que possui vários decks e cachoeiras para banho. • Estância Mimosa – Caminhada por passarelas de madeira, cuidadosamente construídas chegamos às várias piscinas naturais e cachoeiras onde vamos tomar banho. O almoço será feito na própria Estância Mimosa. O grupo irá fazer um plantio de mudas nativas na Estância Mimosa, este plantio será coordenado pelo IASB (Instituto de Água da Serra da Bodoquena). • Recanto Ecológico Rio da Prata – o recanto Ecológico Rio da Prata localiza-se na cabeceira do Rio da Prata, no município de Jardim, vizinho ao município de Bonito. A região se destaca como um dos principais pólos ecoturísticos brasileiros, devido à rara beleza natural de rios cristalinos, cachoeiras, grutas, matas, fauna e flora. Além disso, o sistema de organização das atividades turísticas é considerado um modelo no país. A nascente do rio Olho d`Água revela um imenso aquário de águas cristalinas, onde se pode flutuar em meio a uma grande diversidade de vida animal. • Boca da Onça – o passeio na Boca da Onça é composto por uma caminhada por trilha pela mata preservada, passando por diversas cachoeiras cristalinas, inclusive a Cachoeira Boca da Onça - a mais alta do Estado com 156m de altura, pelo Rio Salobra, com pontos para banho em duas piscinas de água corrente, onde é possível observar diversas espécies típicas da região, que nadam junto com os visitantes.

* O roteiro de Bonito pode ser combinado com alguns dias no Pantanal Sul Matogrossense.


ROTEIROS PARA ESTUDO DO MEIO

Foz do Iguaçu Foz do Iguaçu é um dos sete municípios brasileiros mais populosos e o segundo roteiro turístico brasileiro mais visitado pelos estrangeiros. O Parque Nacional do Iguaçu recebe anualmente milhares de visitantes de todas as partes do mundo, em busca de seu grande espetáculo: as Cataratas do Iguaçu. Foi eleita uma das Sete Novas Maravilhas da Natureza. São mais de 275 quedas com mais de 80 metros de altura na divisa entre o Brasil e Argentina forma uma paisagem deslumbrante, especialmente em dias de sol, quando um arco-íris desempenha um espetáculo entre a cabeceira do salto e o rio.

44


Atrativos para o Estudo • Hidrelétrica de Itaipu - é uma usina hidrelétrica binacional localizada no rio Paraná, na fronteira entre o Brasil e o Paraguai. Construída por ambos os países no período de 1975 a 1982, Itaipu é, hoje, a maior usina geradora de energia do mundo. Em 1995 foi listada como uma das sete maravilhas do mundo moderno. • Parque Nacional do Iguaçu – é uma Unidade de Conservação Brasileira localizada no extremo oeste paranaense e possui uma área total de 185.262,20 hectares. Nele se encontra um dos mais espetaculares conjuntos de cataratas do planeta, as Cataratas do Iguaçu. O Parque conserva um dos maiores trechos da vegetação original da floresta Atlântica do Alto Paraná, hoje reduzida a menos 5 % de sua cobertura original. • Parque das Aves – dentro de 16 hectares de floresta Atlântica nativa, o Parque das Aves abriga cerca de 150 espécies de aves, sendo que um terço delas está entre as espécies ameaçadas de extinção. É um dos maiores parques de aves da América Latina, que além da exibição dos exemplares, também desenvolve projetos de conservação e procriação de algumas espécies. • Macuco Safári – é um dos passeios mais procurados pelos turistas que viajam até o Parque Nacional do Iguaçu. O passeio leva os visitantes a uma aventura sob as quedas das Cataratas do Iguaçu. • Cataratas Argentinas – a maior parte das cataratas do Iguaçu está em território argentino. As quedas se oferecem de ângulos diferentes, e num dos trechos é possível ficar praticamente embaixo delas.


Impor tante OS PACOTES INCLUEM: • Passagens aéreas com taxas de embarque inclusas. • Ônibus fretado para o grupo a partir de São Paulo. • Ingressos e taxas para todos os passeios citados no programa. • Transferes para os passeios citados no programa. • Seguro viagem. • Café da manhã ou kit lanche. • Refeições com uma bebida e uma sobremesa inclusas. • Guias da Ambiental Turismo, especialistas em trabalho com jovens e com grande conhecimento da região que irão acompanhar o grupo a partir de São Paulo. • Guias regionais em número variável de acordo com a necessidade das atividades. NÃO INCLUEM: • Despesas pessoais. • Bebidas fora das refeições. • Telefonemas. • Outros que não estejam citados no item “inclui”. ATENÇÃO: • Esses roteiros estão sujeitos a alterações conforme o interesse da escola e os objetivos do Estudo e quando, por questões de segurança, a equipe de guias/monitores julgar necessário ou devido a fatores imprevisíveis que fogem ao nosso controle, como forças da natureza, greves, etc. • Nossos monitores têm treinamento em primeiros socorros.


AMBIENTAL VIAGENS E TURISMO Av. Ipiranga, 318, Bloco B - 8º andar, CJ 801 • Centro • São Paulo/SP • CEP: 01046-010 11 3818-4600 e-mail: ambiental@ambiental.tur.br www.ambiental.tur.br

Ambiental - Pedagógico  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you