Page 1

#223

MAIO 2009 |


| MAIO 2009


MAIO 2009 |


06 Cub, com orgulho. Filhote de urso. 08 Docinho Responde. Who is Docinho? 09 AmBear Responde. Participe da AmBear. 10 Saudade do Chicão. Homenagem ao Franscisco.

14 Hot Bears. .

Alexandre, Pato de Minas MG

16 Jack Radcliffe. Simbolo ursino dos EUA. 20 Nosso Ego. AmBear na Folha de Londrina.

22 Código Ursino. .

Antigo código dos ursos.

26 Fase puta. Quem nuca passou por isso? 30 Big Bear Brasil Duducho do Rio de Janeiro 32 Urcine Club Lançamento da seção Meu Urcine Club com Hursu.

| MAIO 2009


MAIO 2009 |


editorial � Cris Casado

Cub, com orgulho!

D

esde pequenos, os gordinhos são os sujeitos quase sempre engraçados, fofinhos, que chamam atenção dos professores, amigos, familiares. Nem sempre sua vida é levada com sorrisos e brincadeiras, algumas vezes são alvos de chacota, por fugirem de um padrão assimilado, desde muito cedo, pelas outras crianças e, para os mais velhos, fica a imagem de um garotinho que não tem uma vida, digamos, muito saudável. Para tanto, muitos entram na tortura da dieta - muito chata! – e a série de atividades físicas para se agregarem à idéia comum. No entanto, outros continuam crescendo com a mesma estrutura: isto agrada a tantos olhos quando aqueles gordinhos crescem, viram homens e, para a comunidade GLBT, tornam-se cubs. Aos amantes do universo ursino, ainda cabem certas dúvidas quanto à nomenclatura que categoriza cada biótipo que compõe esta fantasia. Este espaço, neste mês, está dedicado aos gordinhos lisos, que não perdem o charme por falta de pelos. Os chamados cubs são homens com sobrepeso e sem muitos pelos ou totalmente lisos. Esta categoria ursina tem seu charme diretamente associado à fofura. Aqui, em nossas páginas, certamente, têm espaço reservado ao cub e a seus admiradores. Por isso, mantenha os olhos bem atentos para este tipo de beleza e nada de agredir, com palavras desnecessárias, aquele sobrinho (ou primo) gordinho, engraçado da família. Ele será o cub de amanhã, para o prazer de muita gente.

Woof!

| MAIO 2009


MAIO 2009 |


WHO IS DOCINHO?

Docinho vou viajar para encontrar pela primeira vez meu namorado virtual. O que devo fazer no primeiro encontro? DC: Se der tempo, passe no banheirão do fundo do ônbius e lava o suvaco para tirar a Catinga de Mulata e compre chiclete trident para quando você descer do ônibus na rodoviária e o boy for te pegar não sentir a o bafão forte. Isso é fundamental. Bicha com bococô é foda. Quando eu vou ao mercadinho do bairro sinto que o açougueiro olha pra mim de um jeito estranho. Devo corresponder? DC: Que olhar estranho é esse? Olhar de te querendo ou olhar de te zoando porque é feia? No mercado perto da minha casa, no açougue, tem um atendente cafuzu com a neca violenta. É uma peça inteira de contra-filé. Moro com meus pais e eles não sabem da minha condição sexual.

| MAIO 2009

Mas eles me cobram namorada. Será que devo contar pra eles sobre mim? DC: Não conta nada. A pior coisa para os pais é escutar da boca do filho que ele é mulher. Deixa que eles vão se acostumando com o tempo. Uma hora vão catar que você é feminina e parar de perguntar essas coisas. Docinho sou baladeiro de plantão. Estou em todas as festas de ursos. Mas só querem “ficar” comigo, namorar não. Por que será? DC: É que você tem uma entidade encostada... O nome dela é Maria Rampeira de Irajá. Tem que procurar um terreiro de confiança no Rio de Janeiro para desaquendar essa treva. Docinho eu quero morar sozinho, mas a vida aqui em SP está difícil. O que faço para ganhar mais dinheiro? DC: Não precisa ser bonita. Bastar ter neca gloriosa e fazer a linha

ativa que você faz a vida como travesti. Travesti ativa e de neca grande não passa fome em lugar nenhum. Fico louco pra ir em uma sauna, dizem que lá tem muito urso. Mas tenho vergonha o que eu faço?

DC: Adooooooooooro. Cheque é o que há de mais fino. É aquela inimidade suprema entre um casal. Se você passou aquele cheque violento. Fez um chocomac no boy e ele ainda olhar na tua cara, casa com ele.

DC: Vou dar a dica certinha para você fazer sucesso e não pagar mico na sauna. Você deve ir de roupão e pantufa. É a última moda nas saunas. Ninguém vai rir de você e todos terão muito tesão. Vai com fé.

Está difícil de achar um urso ativo. Muitos dizem que são, mas chega na hora nada feito. Querem outra coisa. Quero um urso ativão pra mim. Será que estou procurando em lugares errados?

Estou solteiro, e não consigo me prender a ninguém. Mas tenho vontade de ter um namorado. Me dê alguma sugestão?

DC: Urso ativo é a coisa mais difícil de se encontrar. Os ursos ativos são disputados a tapa no meio ursino. Quem conseguiu o seu não larga por nada. Compra um dildo e espera sentada (no dildo) o seu urso porque vai demorar.

DC: Pergunta idiota eu não respondo. Se você não consegue se prender a ninguém é porque não quer ter namorado. Vai procurar um psiquiatra. Docinho, me socorra!!! Passei um cheque no primeiro encontro. Agora estou com vergonha de encontrar meu ursinho de novo! O que faço!?!?!

A seção Docinho Responde é uma paródia e não deve ser levada a sério, caso queira participar da brincadeira, envie um e-mail para nicknausea@ambear.com.br


URSOS DO BRASIL Acabei de ler a revista e fiquei impressionado com o aumento da qualidade de cada edição. Parabéns ao pessoal da revista. Gostaria, tambem, de parabenizar os organizadores da URSOund pelo sucesso de 4 anos. Apesar de nunca ter participado, fico orgulhoso de ver o cenario ursino tão bem representado numa festa. Posso até mesmo imaginar que em breve poderemos desfrutar no Brasil de Encontros/Festivais para ursos mais prolongados como temos aqui na

Europa (Bear Prides), os quais reunem ursos dos mais diferentes lugares para muita diversão. Enfim, tenho certeza que nossos grupos ficam cada vez mais fortes. Sid Bear sidney.lima@xxxx.com Olá Sid, muito obrigado por sempre participar. Você está convidado para escrever na AmBear sobre a tendência ursina ai na Europa, aceita? Beijos. Ham, Fundador da AmBear. TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Olá, gostaria de parabenizar a revista, está show de bola. Posso sugerir reportagens na area de tecnologia, pois ultimamente estamos

voltados a tecnologia. Caso seja possivel eu fico a disposição, pois sou de TI. Abraços Richard rick_bm@xxxx.com.br Oi Richard, sua participação será bemvinda, mas lembre-se que só falamos sobre ursos, OK? Falando nisso você conhece Steve Wozniak? beijos Ham, Fundador da AmBear. NOVATOBEAR Olá.... Quando é que um cara pode ser considerado urso? Urso precisa ser peludo ou não? Quais as classificações dadas aos ursos? Sou novato e queria tirar estas dúvidas, Abraços. Gordinho Safadinho (Orkut).

Oi Gordinho, vamos te responder: 1- Você é considerado um ursinho CUB, (filhote). 2- Pelo menos se for gordinho, não precisa ser peludo. 3- na edição anterior da AmBear fizemos uma tabelinha. Seja muito bem-vindo no mundo bear, um abraço Gordinho Safadinho. Ham, Fundador da AmBear. QUERO SER CAPA Quero ser capa da AmBear o que eu preciso fazer? Muscle Bearx ursomuscle_br@xxxx.com Mande umas fotos para nosso e-mail. Ham, Fundador da AmBear. Nosso E-mail contato@ambear.com.br

www.berthebear.blogspot.com | © 2009 R.Lopes

MAIO 2009 |


| MAIO 2009


Saudades Chic達o Fique com Deus.

MAIO 2009 |


A AmBear é uma publicação destinada ao público gay, denominados ursos, fundado no primeiro dia de Agosto de 2003 por Ham. Todos os membros da AmBear são voluntários, com o intuito na divulgação do meio ursino no Brasil.

Ham - Fundador e Diretor Geral | Nick Nausea - Coordenador | Hursu - Coordenador Master de TI | Cristiano Casado - Editorial | Pablo Biglia - Colunista Chefe | Paulo Luiz Pincub - Colunista | Pierre Cortes -

ATENDIMENTO AO URSO Se você tem dúvidas sobre as reportagens publicadas, críticas, sugestões, perturbações, cantadas ou gostaria apenas de participar da seção AmBear Responde entre em contato. E-mail: contato@ambear.com.br DOWNLOAD www.ambear.com.br www.ursosdoparana.com.br www.universomix.info ASSINATURAS A AmBear não tem uma publicação impressa, apenas virtual, que pode ser baixada gratuitamente nos sites parceiros.

Colunista | Rodrigo Parra - Colunista | Rodger Puff - Colunista | Docinho Super Poderoso - Colunista | Ursinho Feio - Estatística | R. Lopes Ilustração (Ber, The Bear) | BearChaserCwb - Website (Ursos do Paraná) AGRADECIMENTOS: Nesta edição queremos agradecer a volta do Pierre, que escreveu a matéria sobre os códigos ursino, o fotografo Rodrigo Amado, que fez um trabalho espetáculo, o Alexandre (capa), o pessoal da Ursound que sempre dá uma força, o Fábio (Ursos do Paraná) que mesmo nos horarios mais dificeis ajudou a AmBear, o Flavio e Victor do Ursos.com.br que aceitou a nossa parceria, o Pablo Biglia do blog Universo Mix,e a todos que sempre contribue para a revista melhor a cada dia. Ah! sem esquecer de dar as boas vindas ao Pincub como colunista.

NOSSOS PARCEIROS:

EDIÇÕES ANTERIORES Solicite gratuitamente em sites parceiros, caso não encontre envie-nos um e-mail. PARA ANUNCIAR Atualmente a AmBear trabalha com permutas, e somente grupos ursinos poderão desfrutar desta vantagem, para maiores informações envie um e-mail para contato@ambear.com.br

| MAIO 2009

Leia a AmBear ouvindo a nossa rádio:

http://ambearradiocast.podomatic.com © MMIX GRUPO AMIGOS DA AMBEAR - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. PROÍBIDO A REPRODUÇÃO PARCIAL OU TOTAL DESTA EDIÇÃO SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO.


Djs Henrique HCA & Pompeo

MAIO 2009 |


Foto: Rodrigo Amado

Alexandre

Pato de Minas MG

| MAIO 2009

Foto: Rodrigo Amado


MAIO 2009 |


R

| MAIO 2009


Radcliffe � Paulo Luiz -

PinCub

Ainda me recordo daquele dia. Eu tinha 16 anos, várias dúvidas, poucas respostas e um desejo incompreensível e incontrolável por usos.

M

esmo sem entender “esse gosto”, que fugia completamente dos padrões de beleza impostos pela sociedade (que como todos sabem sempre cultuou corpos malhados), resolvi fazer uma pesquisa no Google buscando maiores informações sobre o que supostamente me atraía... homens gordos e peludos. Naquela época internet não se assemelhava em nada com o que temos hoje, e o mesmo ocorria com a comunidade ursina. Os resultados de pesquisa sempre retornavam informações esparsas e comumente apontavam para endereços

fora do país. Resolvi arriscar e abri imediatamente uma destas páginas. Eis que sua foto aparece no topo da página. Aquele rosto másculo com barba cerrada, um sorriso tentador e o resto de seu corpo em posição de repouso sobre uma cama com lençol branco. Naturalmente, ou instintivamente, após apreciar por alguns momentos aquela imagem, busquei a identificação de seu conteúdo. O título era simples: Jack Radcliffe. Neste momento, além de idealizar o tipo de homem com quem viveria o resto de minha vida, típico de um jovem homossexual de 16 anos,

MAIO 2009 |


procurei me informar sobre quem seria Jack Radcliffe (ou Frank Martini, seu nome verdadeiro). Para a minha surpresa, descobri que este homem era considerado um dos mais belos ursos norte-americanos, e esta continua sendo em minha opinião até hoje. Este homem, que me despertou emoções que até momento eu não considerava normais, foi minha diversão por vários dias em frente ao computador. Desde fotos em poses eróticas até as

Fotos/photos by: Acervo Internet, Lynn S. Ludwin, Shutterbear, CougPDX e Bear Magazine.

| MAIO 2009

mais ousadas envolvendo sexo explícito fizeram parte de minha introdução ao meio ursino. Várias destas

Para a minha surpresa, descobri que este homem era considerado um dos mais belos ursos fotos faziam parte do acervo da revista Bear Magazine. Quando me cansei destas fotos, resolvi pesquisar

por vídeos, geralmente curtíssimos naquela época. Confesso que fiquei muito feliz com os resultados. Um destes vídeos foi uma parte do filme Uncut Footage, a primeira aparição de Jack como ator pornô. Além deste filme, participou (como ator principal) em diversos outros, como por Bear Palm Springs Vacation, Leather Bears at Play, Big Bear Trucking Company e Bear Sex Party. Neste momento, Jack já era considerado como um ícone mundial,


sendo que o mesmo foi o modelo com a maior quantidade de aparições na capa da Bear Magazine, revista que promoveu seu lançamento. O que mais impressiona é saber que diferente de hoje, onde pessoas relativamente bonitas (que seguem o estereótipo ursino) se julgam estrelas, Jack sempre teve problemas em assumir sua posição. Em uma de suas declarações apenas diz que as pessoas personificam em sua imagem o que um

urso deveria ser, mas não se considera um ícone. Seguindo os dizeres de um clichê popular que diz que tudo o que é bom dura pouco, Jack aparentemente encerrou suas atividades em filmes pornográficos, mas deixou um grande legado. Todos os seus filmes podem ser encontrados para download ou para venda em sites específicos, e suas fotos espalhadas por admiradores do mundo inteiro continuam predominando na web

quando o assunto é a comunidade bear. Mas caso queira ter um encontro pessoal com este semi-deus, basta ir até a Califórnia e procurar uma casa para comprar, pois poderá ser “atendido”

ele não considera ser um ícone ursino. por Jack, uma vez que atualmente desempenha a função de corretor de imóveis neste estado pela Herth Real Estate. �

MAIO 2009 |


Destaque da Revista AmBear no Jornal Folha de Londrina.

| MAIO 2009

www.bonde.com.br


MAIO 2009 |


Pierre C. Cortes

Quando falamos de ursos, automaticamente a imagem que temos em mente é a de homens peludos e, acima de tudo, barbudos.

E

u mesmo já cheguei a ouvir que os ursos parecem ser feitos em moldes e produzidos em série. O que muitas vezes nos esquecemos é que o universo ursino pode ir muito mais além do que o simples estereótipo que acabamos de mencionar. É fato que este é o modelo mais tradicional e representativo do homem ursino, porém a variedade destas belas criaturas pode ser muito mais ampla do que imaginamos. Em 1989, Bob Donahue e Jeff Stoner resolveram criar um código de classificação para os ursos. Tal código tem como objetivo qualificar e evidenciar as diversas características e aspectos físicos dos homens que pertencem a este universo. O código parece ser extremamente funcional e é, no mínimo, bastante interessante. Diversos fatores são objetos de classificação: barba, altura, pelos do corpo, peso, músculo, contato físico. Pois bem, vamos entender e, acima de tudo, desvendar o código.

| MAIO 2009


Vamos começar pelo tipo de barba, que é aqui designado como fator B. Aqui serão analisados os seguintes aspectos: comprimento, densidade e grau de cuidados. A classificação deste item é a seguinte: B0 (pouca ou nenhuma barba), B1 (barba muito leve), B2 (barba leve), B3 (barba

curta), B4 (razoavelmente cheia), B5 (barba cheia), B6 (barba muito cheia), B7 (barba longa ou desgrenhada), B8 (barba muito longa), B9 (barba extremamente longa, indo geralmente até a cintura). O próximo fator é o f, que irá avaliar os pelos do corpo, e pode ser classificado da

seguinte forma: f++ (bem acima da média), f+ (acima da média), f (peludo), f(abaixo da média) e f-- (bem abaixo da média). A altura é também um dos pontos de classificação do código, e é designado como fator t, apresentando a seguinte variação: t++ (gigante), t+ (mais alto que a

MAIO 2009 |


média), t (alto, porém não muito), t- (abaixo da média), t-- (muito baixinho). O fator w irá medir o peso do urso. A classificação é a seguinte: w++ (muito gordo, obeso), w+ (gordinho), w (apresenta uma barriguinha), w- (magro), w-(esquelético). O código admite o fator c (que vem de cub – filhote) e apresenta as seguintes características: c++ (garotão do papai), c+ (filhote), c (tendência a ser filhote), c(parece um filhote, mas não é). E assim como temos o c, o código nos traz o fator d (que vem de daddy – paizão): d++ (paizão ao extremo), d+ (paizão), d (tendência a ser paizão), d- (parece paizão, mas não é). O código pode também utilizar a forma híbrida, ou seja, realizar uma mistura entre os fatores. Neste caso em específico, podemos dizer que o urso que é paizão e que apresenta características de um filhote se enquadra no fator dc. O fator g mede o toque, ou seja, o quanto o urso aprecia o contato físico. Desta forma, temos o seguinte: g++ (adora abraçar, tocar), g+ (gosta muito de ser tocado), g (gosta de afeto, porém é mais reservado), g- (não gosta de ser tocado), g-- (tem certa aversão ao toque). O fator k irá representar a criatividade ou perversão sexual: k++ (aprecia tudo), k+ (gosta de experimentar novas idéias), k (tem a mente aberta e pode aceitar sugestões), k- (algumas coisas não podem ser feitas), k-- (totalmente família). Além das nomenclaturas já utilizadas, o código comporta uma infinidade de outros aspectos: fator s (mede os relacionamentos, podendo ser monogâmicos ou poligâmicos);

| MAIO 2009


fator m (músculos); fator e (o quanto o urso é ou não dotado); fator r (mede o quanto o urso é ou não um indivíduo caseiro); fator q (mede o grau de afeminação). O código também traz algumas informações que podem ser variáveis e adicionadas a outros fatores de classificação: v (não apresenta rigidez, ou seja, indica variação junto ao fator em que estiver adicionado. Por exemplo: cdv – um filhote que pode também ser um paizão); ? (quando se presume uma característica. Por exemplo: s? - um urso que parece ser monogâmico, mas que pode não ser tão tradicional assim); : (características observadas, mas que não podemos ter certeza. Por exemplo: f+: - concluímos que o urso em questão deva ser muito peludo ao nos basearmos pelos seus braços, mas não conseguimos ver seus peitos por estar usando camisa); ! (reforço de uma determinada característica. Por exemplo: m++! - indica um urso excessivamente musculoso, aproximandose do protótipo); ( ) (indica faixa de variação entre um e outro fator. Por exemplo: um urso que varie de g a g++, poderia ser representado por g(++)). Em primeiro momento o uso do código parece ser complicado, porém ao lidarmos com tais dados podemos rapidamente identificar fácil aplicabilidade. É interessante observar que a interpretação do código já nos dá uma boa idéia do tipo ursino com o qual iremos nos deparar. E agora que o caro leitor já tem em mãos as ferramentas que fazem parte do código, que tal uma tentativa de aplicação? Abaixo, segue a minha:

B6 f t++ w+ dc g+ s- e+ r.

MONTE SEU CÓDIGO BÁSICO

BARBA

B0 B1 B2 B3 B4 B5 B6 B7 B8 B9

PELOS DO CORPO

F++

Bem acima da média

F+

Acima da média

F

Peludo

(Beard)

Pouca ou nenhuma barba Muito leve Leve Curta Razoavelmente cheia Cheia Muito cheia Longa ou desgrenhada Muito longa Extremamente longa

Meu código

(Fur)

F-

Abaixo da média

F--

Muito Pouco/Liso

ALTURA

T++

Gigante

T+

Mais alto que a média

T

Alto, porém não muito

(Tallness)

PESO

(Weight)

COMPORTAMENTO (Cub/dad)

CONTATO FÍSICO

T-

Abaixo da média

T--

Muito Baixinho

Meu código

W++

Gigante

W+

Mais alto que a média

W

Alto, porém não muito

W-

Abaixo da média

W--

Muito Baixinho

C++

Garotão do papai

C+

Filhote

C

Tendência a ser filhote

Meu código

C-

Parece, mas não é filhote

D++

Paizão ao extremo

D+

Paizão

D

Tendência a ser paizão

D-

Parece, mas não é paizão

DC

Híbrido (Paizão e Filhote)

G++

Adora abraçar, tocar

G+

Gosta de ser tocado

G

Gosta, mas é reservado

G-

Não gosta de ser tocado

G--

Tem aversão ao toque

CRIATIVIDADE

K++

Aprecia tudo

K+

Experimenta novas idéias

K

Aceitar sugestões

(Kinky)

Algumas coisas não

K--

Totalmente família

Meu código

Meu código

(Grope)

K-

Meu código

Meu código

Baixe o manual do completo no site www.ursosdobrasil.net

MAIO 2009 |


| MAIO 2009


Pablo Biglia

A

tire a primeira pedra quem nunca passou por essa experiência. Geralmente, essa fase chega em duas situações: a primeira, e a mais comum, é quando terminamos um relacionamento. Nesse ponto das nossas vidas, quando estamos machucados (ninguém sai de um relacionamento do mesmo jeito que entrou, fato), as duas partes, quando se separam, passam de simples ex-namorados (ou maridos, ou o que seja) para competidores. Começa quando o mais machucado resolve mostrar para o ex que está bem, que não precisa dele e que é bem capaz de encontrar outra pessoa - melhor. E, para que isso aconteça, é preciso atirar

para todos os lados, deixar plantada a semente onde for possível, desde sites de relacionamentos, até chegar em cada carinha na balada. Beija um, beija dois, beija vinte e nove. Transa com um, transa com dois, transa com dezoito. Ele consegue,

“Beija um, beija dois, beija vinte e nove. Transa com um, transa com dois, transa com dezoito” então, encontrar não uma, mas várias pessoas, exceto que, tais pessoas, só querem ferver, causar, gozar e acabou. Mas o machucado não quer isso, ele quer logo um namorado, para mostrar para o ex que

MAIO 2009 |


já tem outro e que estão felizes. A fase puta é divertida, ao mesmo tempo que pode marcá-lo para sempre. E não falo apenas dos riscos de contrair uma DST ou conhecer um maníaco. Falo também da reputação. Vou citar um exemplo

“E não falo apenas dos riscos de contrair uma DST, Falo também da reputação” muito próximo de mim: conheço um ser que casou, viveu com seu companheiro, mas sempre estava “caçando”, muitas vezes embaixo do nariz do marido. Durante o casamento houveram sete traições, cada uma delas com uma pessoa diferente. Quando o casamento acabou (pudera!), o ser resolveu cair no mundo e, em uma única balada, beijou DOZE pessoas diferentes. Chegou um ponto em que o cara era totalmente conhecido, já não existia uma única boca que ele não havia beijado. Conclusão: e se uma

| MAIO 2009

dessas bocas pertencesse ao grande amor da sua vida, mas na euforia de sair beijado (e transando) com meio mundo, ele não percebeu e deixou a chance passar? É algo a ser refletido. A segunda situação se dá quando o indivíduo, já calejado de tentar encontrar alguém “especial”, resolve cair na folia e não se preocupar com um relacionamento sério. Na maioria das vezes, essa pessoa não faz questão de saber o nome de quem está beijando/transando, não se dá ao trabalho de pagar uma bebida antes, simplesmente pega na mão do cara e entra no banheiro mais próximo. Essa fase demora para passar, isso quando ela, de fato, passa. Com o desenvolver dos “encontros”, o indivíduo fica cada vez mais cético, tentando provar para si mesmo que não existe ninguém lá fora que realmente venha a valer à pena. Todos não prestam e todos não querem nada com nada. Só ele que não percebe que quem não quer nada com nada, é ele mesmo. A fase puta machucada é a mais comum. Todo mundo passa por isso, especialmente se o ex 2 já tem outra pessoa. Geralmente o ex 2, que também está na fase puta machucada, faz isso somente para mostrar para o ex 1 que também já encontrou alguém melhor. A competição começa! “Quem vai conseguir um novo namorado primeiro?” “Quem vai superar primeiro?” E a pontuação se inicia. Geralmente para mostrar


as conquistas, na era da web 2.0, o melhor a fazer a colocar fotos no orkut, mudar detalhes do perfil e atualizar o Fotolog diariamente com uma situação (e pessoa) diferente. Mas no fundo, quem deveria ganhar, é aquele que consegue ficar na sua, curar a ferida, deixar o passado de lado e seguir em frente, sem pensar em machucar a outra parte. O coração demora para ficar pronto para um novo relacionamento, pois tudo o que aconteceu por ali foi forte, intenso. E como não se desama dando um mero tchau, o mais certo, para não sofrer e ter recaídas lá na frente, é esperar. O tempo é o Senhor de qualquer fossa. E, quando alguém se encontra na segunda situação, o melhor a fazer é acordar, perceber que não existe ninguém perfeito, que encontrar um relacionamento não é como escolher uma roupa ou um filme para assistir. Um relacionamento requer mais dedicação,

requer confiança, honestidade, lealdade, companheirismo, fidelidade e, acima de tudo, comprometimento total. Se encontrar alguém disposto a encarar tudo isso, parabéns, agora você só precisa mantê-lo. �

MAIO 2009 |


O GRANDE VENCEDOR

DUDUCHO Foram 24 participantes, você em algum momento pensou que seria um vencedor? R: De forma alguma. Já entrei no início do segundo tempo. Com a desistência de um dos participantes, fui escolhido para entrar no seu lugar. Então já entrei com as “ turmas” formadas, paredões decididos. ....... Qual foi o momento que mais marcou a sua participação? R: Acho que foi mesmo a minha entrada na competição. Até quem era amigo ficou meio receoso. ....... Recebeu muitas mensagens? R: Sim, recebi muitas mensagens criticando o fato de eu ter entrado depois do BBBear ter começado. ....... Você fez muitos amigos dentro do BBBear? R: Nossa! Fiz muitos amigos sim (dentro e fora do BBBear), mas também tive algumas decepções. ....... Você acredita que o BBBear é uma diversão, mesmo tendo criticas? R:Creio que a brincadeira ficou mais séria quando os egos inflaram e as alfinetadas começaram... Quanto às críticas, todas são muito bem vindas! Todos os que resolveram se expor no BBBear já estavam cientes que isso poderia acontecer... Não dá para agradar a todos o tempo todo. ....... Antes de Orkut e Fotolog, existiam outros meios ursinos para fazer amizades, como o mIrc, você era desta época? R: Entrei uma vez no mIrc, mas na época eu não tinha computador e acessava na casa de uma tia. Depois, com o advento do icq, msn e afins, o mIrc foi perdendo usuários. ....... Sites de relacionamento ursino, como Bearwww e Allbears, marcou uma época junto com o Orkut, hoje você acredita que muitos do Orkut estão migrando para o

| MAIO 2009

ursos.com.br ? R: Acredito que sim. O Orkut é um marco, mas conheço muita gente que está deixando de lado pela falta de privacidade... Nos ursos. com.br, pelo menos sabemos o que esperar. ....... Para você qual foi o participante mais polêmico? R: Ah, sem dúvida o cg10 e o safadinhobear. A “briga” que os dois tiveram fez ocorrer uma divisão entre os que apoiavam o cg10 e os que apoiavam o Safadinhobear. ....... Em qual panela você ficou? R: Apoiei o Safadinhobear, porque além de conhecido é carioca! Creio que por isso tenham chamado de panelinha. Gente! Não houve de forma alguma panelinha, nem favorecimento pelos organizadores do site. Tanto que quase todos os paredões tiveram representantes cariocas. ....... Você ficou com algum participante do BBBear? R: Ih!!! Fiquei sim, mas não posso falar o nome não, porque o cara é casado. Bom, na época eu também era, e acabamos tendo um prérelacionamento a 3 que acabou culminando com o fim do meu casamento. ....... Você é praticante de suingue? casamento aberto?... R: Na realidade tinha um casamento aberto sim. Por questões que não gostaria de expor, preferi optar por um relacionamento aberto, mas não deu certo não. Esqueci que o ser humano é falho e que paixões podem acontecer. Sempre tive muito medo de ser trocado por outro. E talvez por tanto temer tenha ocorrido.. ....... Você aceitaria sair na AmBear só de sunga? R: Não vejo nada que proíba isso, então aceitaria sim! ....... Muito obrigado Duducho. Está convidado para ser capa da AmBear.


MAIO 2009 |


Rodrigo Parra

Fotos: Divulgação, © 2009 Fox and It’s Related Entities. © 2009 Marvel Rights LLC.

A

proveitando a entressafra cinematográfica costumeira no mês de abril, abro um novo espaço nessa coluna dedicado aos ursos críticos de cinema que queiram fazer comentários sobre filmes que marcaram as suas vidas. É seção Meu Urcine Clube, que em sua estréia traz uma seleção de filmes com temática gay pra lá de sensível, especialmente eleita pelo nosso colega de AmBear HURSU.

| MAIO 2009


Hugh Jackman Após as suas primeiras sequências em “X-Men, O filme” (Bryan Singer, 2000), já dava para sacar que o papel do selvagem Wolverine já tinha um dono definitivo, pelo menos em Hollywood: o até então desconhecido ator australiano Hugh Jackman. Para delírio dos fãs, Jackman não só demonstrou semelhança física com o personagem, como também deu vida e veracidade a um dos mutantes mais idolatrados e psicologicamente complexos do universo Marvel. Seu desempenho foi tão destacado que, já naquele

ano, se começou a especular uma possível aventura solo do selvagem com garras de Adamantium (não, não se tratava de premunição... era apenas o faro apuradíssimo dos executivos da indústria cinemato gráfica sentindo cheiro de muito dinheiro no ar). Vieram os primeiros convites dos grandes estúdios norte-americanos e o galã australiano foi escalado para a comédia romântica tipo Sessão da Tarde “Kate & Leopold” (James Mangold, 2001), na qual contracenou com Meg Ryan. Após essa bobagem,

MAIO 2009 |


Jackman voltou ao universo dos HQs em três produções que deixaram gostos diferentes nas bocas dos adeptos de comics: “X-Men 2” (Bryan Singer, 2003), que o confirmou como único Logan/Wolverine vivo,“Van Helsing, O caçador de Monstros” (Stephen Sommers, 2004), que, apesar de visualmente exuberante, desapontou muitos seguidores do caçador de vampiros mais conhecido da Terra, e, finalmente, “X-Men 3, O confronto final” (Brett Ratner, 2006), que, sem sombra de dúvidas, é uma das melhores adaptações cinematográficas de histórias em quadrinhos já realizadas... sem contar que muita gente adorou ver Jean Grey/Fênix Negra entregar-se à Logan, sem o chato do Ciclope por perto! Tanto sucesso chamou a atenção de alguns dos maiores diretores de cinema da atualidade. O primeiro foi Wood Allen, que convidou Jackman para o papel principal do mediano “Scoop – O grande furo” (2006). Depois foi a vez de Darren Aranofsky com interessante “A fonte da vida” (2006) e Cristopher Nolan, no excelente “O grande truque” (2006).

Por fim, Jackman trabalhou com o diretor australiano Baz Lurhmann, fazendo par romântico com a atriz americana de pais australianos Nicole Kidman, em um melodrama épico australiano, chamado... “Austrália” (2008) (Oh! Que surpresa!!!). Até o próprio Jackman ironizou tanto patriotismo e pouco reconhecimento em seu discurso de abertura dos Academy Awards® desse ano, dizendo: “Kate Winslet... em ‘O leitor’ Kate, uma inglesa, interpreta uma alemã... indicada. Robert Downey Jr.... em ‘Trovão tropical’ ele é um americano, interpretando um australiano que interpreta um afroamericano... indicado. Onde estou eu? Eu sou um australiano, que interpreta um australiano em um filme chamado ‘Austrália’... apresentador...”. Aliás sua participação no show permitiu que Jackman demonstrasse facetas pouco conhecida do grande público: o de humorista e de cantor. Ele é realmente um artista fantástico e muito versátil (quem me dera ele fosse versátil em outros aspectos também... hehehe!). Para que não viu, é só procurar no Youtube por “Hugh Jackman Academy Awards 2009”. E por falar em Internet, já está disponível o trailer do filme “X-Men origens: Wolverine” (Gavin Hood, 2008). Os enquadramentos são maravilhosos e pelo pouco que foi exibido, não há dúvidas que seremos presenteados com mais uma adaptação de primeira qualidade. Mês que vem falo como foi a recepção do público e da crítica sobre o filme. Enquanto isso, corra para o computador e faça seu coração bater mais forte (de emoção ou desejo, isso é com você) com o barbudo mais irônico e amado das histórias em quadrinhos. ★

Eu sou um australiano, que interpreta um australiano

| MAIO 2009


Que um filme pode marcar nossas vidas, isso não é novidade. Para nós homossexuais, então, é quase como uma regra, principalmente porque podemos nos identificar de corpo e alma com algumas narrativas que dizem respeito a nossa verdade. Infelizmente nem sempre é fácil encontrar um filme temática gay em locadoras e como não temos acesso a mídias alternativas focadas no público LGBTT, como os canais a cabo americanos HERE! (www.heretv.com) e LOGO TV (www. logoonline.com), com programação voltada para os público homossexual, resta-nos garimpar informações a respeito dos lançamentos nos cinemas ou catálogos disponíveis em DVD. Dentre os diversos filmes de temática gay que pude assistir, três deles me marcaram fortemente por trazerem às telas um momento particular de minha vida: a descoberta da homossexualidade durante a adolescência/juventude. O primeiro deles é “Delicada Atração” (Hatt MacDonald, 1996), no qual um garoto dos subúrbios londrinos apaixona-se pelo vizinho, o qual vive em constante briga com a mãe e os irmãos mais velhos. Foi e é reconfortante saber que um amor considerado proibido pode nascer nos ambientes mais impróprios e hostis e que dá para ser feliz mesmo com muita gente jogando contra. O segundo é “Saindo do armário” (Simon Shore,1998), baseado na peça “What’s wrong with Anger?” e que mostra a relação entre dois jovens no período escolar: um assumidamente homossexual e, o outro, um astro do time de futebol e o mais popular entre as garotas do colégio. Aqui o que chama a atenção é perceber que em muitas vezes negamos nossa homossexualidade em nome da família ou do status social ou ainda por medo da discriminação que sofreremos caso venhamos a “sair do armário”. É o nosso instinto de preservação falando mais alto. O último é o alemão “Tempestade de Verão” (Marco Kreuzpaintner, 2004), que aborda o preconceito contra homossexuais tendo como pano de fundo um campeonato juvenil de remo no verão europeu. Esse, com certeza, o mais pesados de todos, por não esconder a força do preconceito e as tristezas que um amor homossexual e platônico pode trazer. E quem nunca amou e não foi correspondido? Certamente muitos de nós! São todos eles filmes muito sensíveis e, cada um ao seu estilo, apaixonantes. Trazem consigo momentos de reflexão, de tristeza e até alívio, para nós que nem sempre temos o apoio, carinho e compreensão a respeito de nossos sentimentos. Para quem vive ou viveu a homossexualidade na adolescência/juventude, é um programa imperdível!

Delicada Atração

Saindo do armário

Tempestade de Verão

MAIO 2009 |


| MAIO 2009

AmBear #223 Alexandre  

revista AmBear #223 Alexandre