Issuu on Google+

#224

1 | JUNHO 2009 |


| JUNHO 2009 | 2


3 | JUNHO 2009 |


JUNHO2009 Seja muito bem-vindo. Este mês tem novidades aqui na AmBear, um novo layout mais clean e bonito. Agora aproveite e leia todas as matérias. Ham

capa de junho

06 | Dias de orgulho 08 | Correio 08 | Destaque 09 | Trend 10 | Docinho Responde 11 | Novidades 14 | CAPA: DANILO 20 | Os ursos na parada 22 | Hipocrisia 26 | Sexualidade Virtual 30 | Urcine 34 | Ursos personalizados | JUNHO 2009 | 4

Este mês o HotBear é o massoterapeuta Danilo, de Passos, Minas Gerais. Foto: Arquivo Pessoal Tratamento: Ham


5 | JUNHO 2009 |


� Cris Casado

Você já se perguntou: o que vou fazer na ‘Parada’ de São Paulo, este ano? Pergunte-se, então: qual é o tema deste ano? A partir daí tire sua conclusão, e se precisar de opinião e informação a respeito do Evento, continue lendo as linhas a seguir. Junho é o 13º Ano do Orgulho LGBT de São Paulo; um conjunto de ações sociais, políticas e culturais realizado pela Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo - APOGLBT SP – nessa cidade. Com um histórico de resultados quantitativos e qualitativos, essa entidade civil de direito privado busca visibilidade das questões que envolvem

| JUNHO 2009 | 6

a comunidade de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros face às suas demandas dentro da sociedade em geral. Sua trajetória coincide com a das Paradas do Orgulho LGBT em São Paulo, pois, foi fundada em 1999 por um grupo de militantes que, desde 1997, vem atuando e promovendo a cidadania e a auto-estima de seu público-alvo, através da realização e incentivo a atividades. No próximo dia 14 de junho será realizada a apoteótica celebração do evento, a edição chamada 13ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo: manifestação que faz o trajeto pela Avenida Paulista

e a Rua da Consolação, com muitas cores, trios elétricos, corpos seminus e publicidade da iniciativa privada e pública, na maior cidade do país. A programação do evento, que inclui a realização deste dia D, é conectar a sociedade à ideia de luta e reconhecimento pelos direitos humanos de uma fatia da população ainda muito setorizada às margens da democracia. No entanto, grande parte dos participantes dessa marcha, tristemente, vê, diante de todas as ações da APOGLBT SP, apenas a possibilidade de comungar com imenso carnaval fora de época que será, a olhos


vistos, o décimo quarto dia deste mês. Assim, São Paulo é tomada por gente de todos os lugares do País (e até do mundo) a fim de socializar-se com a grande festa - cada vez maior-, alcançando recordes e aquecendo consideravelmente a economia da cidade em apenas um final de semana. Por conseqüência, recursos públicos e privados são injetados no bolo celebrante, como pretexto de apoiar o segmento, tentando encobrir a escassez de políticas públicas mais audaciosas durante os demais meses. O frenesi de um dia ainda não garantiu celeridade nas propostas de direitos tão batalhados pelo setor,

como, por exemplo, a união civil entre pessoas do mesmo sexo. Talvez, se metade dos participantes da Parada voltassem ao lugar de origem, levando consigo a temática do movimento, houvesse uma verticalização de ideias, de fato, vindo a fortalecer a peleja por mais direitos aos LGBT. Se o intuito, ao menos, fosse o de celebrar o orgulho da sexualidade, muito se ganharia, ainda assim, ao agregar valores e vozes ao movimento. Entretanto, caravanas saem das demais regiões do País para diversão tão-somente, que resulta em comportamento que pouco remete ao engajamento pela causa

para que, então, alcance-se o esperado significado do Mês do Orgulho. A sorte do evento é contar ainda com dimensão que se consegue, mesmo que a quantidade se sobreponha à qualidade ideológica de seus participantes, porém é lamentável ver a

agregar valores e vozes ao movimento. transmissão de notícias limitando os trabalhos à pequenez de um carnaval com todas as cores do arco-íris. Ah, a propósito, o tema deste ano é “Sem Homofobia, Mais Cidadania – Pela Isonomia dos Direitos!”. É tão bom pensar!

7 | JUNHO 2009 |


Jack Jack!

Gostaria de fazer uma observação sobre o verdadeiro contato de Frank Martini (Jack Radcliffe). Ele não trabalha para a Herth Real Estate como foi mencionado na edição N° 223. Através da AmBear eu fui ao site da Herth Real Estate e nada encontrei sobre Frank, e numa busca rápida no Google me certifiquei que Frank tem

inclusive uma página pessoal para negócios com imóveis pela empresa Zephyr Real State. O endereço é: www. frankmartini.net/index.html Para o deleite ou a mais pura curiosidade de seus admiradores que quiserem um dia visitar e/ou adquirir um imóvel em São Francisco, contactando-o por seu email. Um forte abraço e recebam os meus parabéns pela edição em pdf. Fabiano Albuquerque Caro Fabiano, Foi com grande satisfação que recebi seu e-mail sobre um possível equívoco cometido em meu artigo, sobre Jack Radcliff. É através de críticas como esta que podemos mensurar a qualidade de nosso material para continuarmos oferecendo entretenimento, informação e cultura através

da AmBear. Você alega em seu e-mail que após uma busca rápida no Google não encontrou o contato de Jack na empresa Herth Real Estate, mas sim na empresa Zephyr Real State. Vale ressaltar que a palavra “Real Estate” significa Imobiliária e que um corretor imobiliário (realtor) dificilmente possui vínculo apenas com uma empresa. Mas diferente de você, eu encontrei além no telefone e e-mail do Jack, seu cartão pessoal da empresa Herth e encaminhei para seu e-email, assim como os endereços para as páginas de consultas dos Agentes licenciados pelo Estado da Califórnia, onde Frank também é relacionado à Herth Real Estate. Concluo então que não cometi um erro, faltou apenas a informação de que Frank Martini trabalha para a Herth

� www.youtube.com/watch?v=yzyKK7TMlwE&feature=related | JUNHO 2009 | 8


assim como para a Zephyr. Obrigado novamente por seu e-mail e espero ter esclarecido o ocorrido. Paulo Luiz - Colunista

Filhote

Uma obesrvação que acho necessária fazer diz respeito ao significado da classificação “CUB” descrita nesta edição. Faltou ressaltar quanto à idade, pois “Cub” (do inglês: Filhote) está diretamente relacionado à idade de um urso jovem e seu corpo ainda mal formado. Abçs Pedro Lourenço

Brasília

Ola. Estava olhando as capas das revistas mas não me lembro de ter visto nenhum urso de Brasília, eles não se comunicam com vocês? Eu sou o primeiro? hehehhe.

Dá um sugestão que tal arranjar um urso candango pra uma dessas capas, pode ser eu hehehe brincadeira. mas aqui tem uns ursos escondidos que so deus na causa. Abração pra vocês. Maycon Medeiros. Caro Maycon Muito obrigado por entrar em contato com a AmBear. Seu e-mail foi analisado, e certificamos que em nossas capas não há candangos nos últimos anos, então para sua felicidade, estamos convidando você para ser capa, basta enviar um e-mail com algumas fotos para os responsáveis entrar em contato com você. Novamente muito obrigado por participar da AmBear, e estamos aguardando as suas fotos. Ham - Marketing

Um site de 100% ursino. Para os órfãos do site allbears podem dar graças a Flávio e Victor, a dupla ursina apresenta para os brasileiros o novo site de relacionamento ursino.

www.ursos.com.br Nota: ★★★★★

URSOUND NA BAND by Carol Thomé. No dia 17 de Maio, a reporter Carol Thomé, do programa A noite é uma criança, da Band, postou no Youtube a reportagem sobre os Ursos, dentro da Ursound.

Destaque para o chaser Filé Mignon.

9 | JUNHO 2009 |


A GAY NUNCA FICA SEM RESPOSTA COM O DOCINHO.

A seção Docinho Responde é uma paródia e não deve ser levada a sério, caso queira participar da brincadeira, envie um e-mail para: nicknausea@ambear.com.br

| JUNHO 2009 | 10

Docinho, tenho uma queda pelo professor da faculdade ele é um ursão lindo, 1,90m, peludinho e muito fofo. Mas não sei se ele é gay. O que eu faço? CubQueridinho, de Curitiba. Docinho- Gay é o de menos. Precisa saber se ele vai gostar de uma bola peluda. ||||| Sou novinho, um CUB, ainda virgem procurando meu príncipe encantado! Docinho ele existe? BabeCub, de Rondonia. Docinho- Existe principe encantado sim, mas nas histórias da carocha. Te manca demonia. Vai atrás de neca que você ganha mais. ||||| Docinho, será que existe chaser sério. Ou eles só querem capturar e abater suas caças? ChubbyCarinhoso, de BSB. Docinho- Mas capturar e abater caças é o “serviço” do chaser. Isso é um serviço sério. Então todos os chasers são sérios. ||||| Tenho tesão pelo meu melhor amigo q é lindo e tem 150kg mas é hétero,o que devo fazer? Chaserkergordo-Caxias RS Docinho- Se joga com força, pois com 150kg, mesmo sendo hetero, talvez você seja a única opção dele. ||||| Oi, nunca fui à Parada de SP. O que faço pra me dar bem na parada lgbt? NovatoBear, de Araras/SP. Docinho- O que é se dar bem na parada? Sair viva dela é se dar bem? Dê sua pinta com muita humildade e ao ver uma travesti mais velha faça uma reverência.


SEJA UM URSO DIFERENTE A iBear volta a ativa. Um blog mais limpo, bonito e não tem disputas para ser capas. www.ibear.com.br

www.berthebear.blogspot.com | © 2009 R.Lopes

11 | JUNHO 2009 |


A AmBear é uma publicação destinada ao público gay, denominados ursos, fundado no primeiro dia de Agosto de 2003 por Ham. Todos os membros da AmBear são voluntários, com o intuito na divulgação do meio ursino no Brasil. ATENDIMENTO AO URSO Se você tem dúvidas sobre as reportagens publicadas, críticas,

Ham - Fundador e Diretor Geral | Nick Nausea Coordenador | Hursu - Coordenador Master de

sugestões, perturbações, cantadas ou

TI | Cristiano Casado - Editorial | Pablo Biglia -

gostaria apenas de participar da seção

Colunista Chefe | Paulo Luiz Pincub - Colunista

AmBear Responde entre em contato.

| Pierre Cortes - Colunista | Rodrigo Parra Colunista | Rodger Puff - Colunista | Docinho

E-mail: contato@ambear.com.br DOWNLOAD www.ambear.com.br www.ursosdoparana.com.br www.universomix.info

Super Poderoso - Colunista | Pedro Lourenço Colunista | Ursinho Feio - Estatística | R. Lopes - Ilustração - Bear The Bear | BearChaserCwb - Web Site Ursos do Paraná

NOSSOS PARCEIROS:

ASSINATURAS A AmBear não tem uma publicação impressa, apenas virtual, que pode ser baixada nos sites da AmBear, Ursos do Paraná e Universo Mix. EDIÇÕES ANTERIORES Solicite gratuitamente em sites parceiros, caso não encontre envie-nos um e-mail. PARA ANUNCIAR Atualmente a AmBear trabalha com permutas, e somente grupos ursinos poderão desfrutar desta vantagem, para maiores informações envie um e-mail para contato@ambear.com.br

| JUNHO 2009 | 12

© MMIX GRUPO AMIGOS DA AMBEAR - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. PROÍBIDO A REPRODUÇÃO PARCIAL OU TOTAL DESTA EDIÇÃO SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO.


13 | JUNHO 2009 |


Danilo de passos-mg HOt bear de junho | JUNHO 2009 | 14


15 | JUNHO 2009 |


Você é massoterapeuta certo? Porque escolheu essa profissão? Danilo – Eu gosto de poder ajudar alguém e a massoterapia me proporciona isso. E também por que pretendo fazer faculdade de fisioterapia. ||||| Você já levou alguma cantada de um de seus clientes? Danilo – Bom...isso acontece, mas sou muito profissional. ||||| Mas suponhamos que eu seja um desses clientes. Você está fazendo uma massagem em minhas pernas, eu olho pra você e falo: -“Eita mãozinha boa.” O que você faz exatamente? Danilo – Vou dar uma risadinha disfarçada, tentar mudar de assunto e continuo meu trabalho. Mas sempre tem uns que, só de encostar, você já vê o volume aumentando logo de cara. ||||| Dizem que todo massoterapeuta tem a mão “boa”. A sua é só boa ou tem algum diferencial? Danilo – Sim... eu sei como tocar (risos). ||||| E essa mãozinha de massoterapeuta tem dono? Danilo – Sim. Namoro o Fabiano a mais de 4 anos. ||||| O Fabiano foi seu primeiro namorado ? Danilo – Não. Tinha 15 anos quando namorei pela primeira vez. ||||| E quantos anos o Fabiano tem? Ele é urso? Danilo – É sim! Ele tem 36 anos. Prefiro pessoas com esta faixa etária. ||||| Você já teve algum ursão como cliente? Danilo – Eu tenho um. Acabo com um pote de creme com ele. Tem que passar bastante pra deslizar melhor (risos). ||||| Aproveitando o embalo, é verdade que mineiro come quietinho? Danilo – Eu adoro esse ditado, mas não tem nada a ver comigo! (risos).

| JUNHO 2009 | 16


17 | JUNHO 2009 |


Então me diz uma música que esse mineirinho gosta pra fazer um bom escândalo então (na hora H). Danilo – Na verdade eu não gosto muito de música durante o sexo. Preocupo-me mais com o lugar, tipo becos, em cima do carro, estradas, cachoeiras... Adoro (risos). ||||| E qual foi sua melhor transa em um destes lugares? Danilo – Foi quando terminamos por uma semana. Ele passou em casa para conversarmos, saímos de carro, e durante o percurso ele disse que me amava. Havia uma estradinha ali perto. Ele parou o carro e começamos a transar. Foi bom demais! ||||| Mas qual tipo de música você escuta nos outros momentos em que não está ocupado em uma cachoeira? Danilo – Sou apaixonado por MPB e Axé. Adoro Ana Carolina, Ivete Sangalo, Maria Betânia, Elis Regina, Reação em Cadeia e Lifehouse. ||||| Ursos? Maravilhosos! Sexo? Apetitoso (risos). Amor? Eternidade, pra sempre... AmBear? Quebrando preconceitos. Fabiano? Uma pessoa que mudou completamente minha vida, meu jeito de viver e me fez ver como a vida é maravilhosa. Amor para toda a eternidade.

| JUNHO 2009 | 18


19 | JUNHO 2009 |


Pedro Lourenço Chegou a hora de destacar uma data especial no calendário bear onde nossos mais adorados ursos, ursinhos e ursões se encontrarão para proclamar sua independência dos padrões estéticos impostos pela sociedade em que vivemos. No próximo dia 14 de junho os gordinhos paulistas já marcaram seu encontro com a Parada do Orgulho GLBT de São Paulo. O desfile tem o poder de convergir um imenso número de pessoas dispostas a mostrar o quanto são felizes com seu estilo de vida. Visitantes de vários cantos do Brasil, e de vários países, vêm prestigiar e participar do evento na Av. Paulista que é um dos maiores do mundo. Maior ainda é esse orgulho que carregam nossos ursos que transcende a barreira da aceitação gay e chega aos limites da aceitação social dentro do próprio mundo GLBT. Além do conflito interno de aprender a aceitar a si mesmo, de encarar uma sociedade, de mostrar que é parte integrante e tão eficiente e digno quanto qualquer pessoa, eles mostram que para ser aceito não é necessário se esforçar para ser mais magro, musculoso, alto ou artificial que ninguém. A beleza do urso está justamente na sua naturalidade, sem competições estéticas nem brigas contra balança. Eles estão aí para expor que não precisam abster-se dos prazeres e confortos para agradar quem não quer ser

| JUNHO 2009 | 20


agradado. É por essas e outras que aos ursos está minha maior admiração. Quem pode julgar a beleza de um loiro, moreno, careca, negro, branco, gordo ou magro? Os diferentes tipos de beleza existem para serem apreciados por diferentes tipos de pessoas, com diferentes costumes, gostos, comportamentos e escolhas. Viva a diferença! Abaixo qualquer comportamento opressor! Não a homofobia! Não a estética inventada pela mídia que a massa segue cegamente sem se perguntar o que realmente importa! Vida longa aos ursos! Sem esquecer, é claro, de seus encantados admiradores, classe na qual me incluo. É chegada a hora de revelar o que realmente apreciamos, buscamos e fazemos. Não queremos gostar

do mesmo que todo mundo para fazer parte de nenhum círculo hipócrita, chega de falsa devoção a corpos magrelos e frágeis. Para se cativar com um olhar, se enlevar com um sorriso, se apaixonar por um jeito encantador de ser, não é necessário padrão algum. A parada gay é uma manifestação sobre comportamento e nossas atitudes são o que mostra quem realmente somos. Estaremos todos presentes nesta grande festa levantando a bandeira do arcoíres em tons de marrom com a pegada do urso carimbada, a marca concisa de uma opção forte e determinante. Será um encontro divertido e excitante da comunidade ursina. Portanto, saia do armário, meu querido, pois ser urso agora está na moda. �

21 | JUNHO 2009 |


Atire a primeira pedra quem nunca passou por uma situação hipócrita ou mesquinha. �

Pablo Biglia Isso acontece - e muito - com todo mundo, independente da classe social, cor, religião, etc. Tendo isso em mente, fica fácil avaliar novas situações nas nossas vidas, sejam elas no âmbito profissional, pessoal ou até mesmo dentro de uma luta psicológica consigo mesmo. Além disso, nesse mundo atual em que vivemos, onde a internet impera e muitos (sim, muitos) procuram relacionamentos através da rede virtual, fica cada vez mais difícil acreditar em alguma coisa. Já é de conhecimento geral que a internet é uma grande mentira. Não, não adianta negar, dissimular e acreditar que existe salvação. NÃO EXISTE! Cada dia

| JUNHO 2009 | 22


que passa, afundamos cada vez mais em perspectivas mentirosas, em afirmações inexistentes, em pessoas de má fé. Numa situação que eu me meti, pude tirar um exemplo muito claro disso tudo. Conheci um cara muito interessado, muito diferente de todos que já haviam passado pelo meu messenger. Tive fé, por mais que desacredite no mundo virtual, às vezes tenho meus momentos de vulnerabilidade e me deixo envolver além do que pretendia. Com isso, acabei conhecendo alguém que ultrapassava

certos conceitos que eu já havia pré-determinado dentro da minha cabeça. Fui levando, me envolvendo e, até certo ponto, criando expectativas. Depois de um tempo de conversa, tinha algo dentro de mim que acreditava que, finalmente, eu conhecera alguém que valia a pena investir e, de repente, não quebrar a cara. Ledo engano... Chegou o momento da verdade, do primeiro encontro cara a cara e, até 44 minutos do segundo tempo, o cara estava disposto a me conhecer. Porém, o destino resolveu seguir um caminho alheio ao traçado e o encontro não aconteceu. Nessa trajetória traçada pelo destino de forma aleatória, o rapaz conheceu outra pessoa. Normal, estamos sujeitos a conhecer novas pessoas, viver situações que nos proporcionem isso. Mas como você conta isso para aquele que você estava envolvido e, até pouquíssimo tempo atrás, estava a segundos de conhecer? É difícil, não tiro a razão de quem pensa assim. Mas, independente disso, temos que tomar ciência das nossas atitudes e perceber que temos responsabilidades, mesmo que com uma pessoa virtual. Aí, eu proponho uma questão: qual a maneira mais honesta para tirar essa pessoa do caminho

23 | JUNHO 2009 |


e seguir confiante de si e acreditar que você optou pela melhor escolha - e pela melhor pessoa? Não existe resposta certa para essa pergunta, pois em momentos como esse ninguém opta pela honestidade, pela realidade, por mais difícil (ou até mesmo fácil) que seja. Então o que acontece? Lideramos o caminho

“simplesmente percebi que a máscara caiu” para que a outra pessoa tome uma atitude e faça isso pela gente. É confuso, mas eu vou explicar: se não temos coragem suficiente para enfrentar as consequências, como vamos fazer para sair dessa situação chata de ter que dar um pé na bunda e, ainda assim, não ser taxado de bad guy? Pior ainda se queremos manter a pessoa ali, esperando para que, talvez, eventualmente, você fique disponível e venha a querê-la. Mas a escapatória é muito mais simples do que se imagina. Nesse caso, a coragem não se faz presente, pois é nesse momento que vamos passar a responsabilidade para a outra pessoa. Mas como fazemos isso? Mais simples ainda: esnobamos, inventamos desculpas do tipo “ah, não estou legal, acho que estou doente” e, pior, agimos como se não houvesse nada, absolutamente NADA, entre as partes e, por momentos, ainda fazemos a outra pessoa

| JUNHO 2009 | 24

acreditar que ainda existe o desejo de conhecê-la. Aí o que acontece é o que finalmente esperamos - a outra parte se enche. No meu caso, eu não me enchi, eu simplesmente percebi que a máscara caiu. Não valia a pena continuar investindo em um homem assim. Bom, não sei se homem seria a palavra mais adequada aqui, já que ele não foi homem o suficiente para arcar com as consequências dos seus próprios atos humanos. Eu tenho noção do meu valor e do tipo de pessoa que serve para mim. Não, não estou sendo arrogante ou me achando o gás da coca-cola, simplesmente sei quem sou e para quem sou, é algo que já faz parte de mim. E, é fato concretizado que não sou para alguém assim, que prefere fugir daquilo que lhe diz respeito e, como uma forma de tirar o corpo fora, deixar a responsabilidade, a desistência para a outra parte. Então, fica a dica: não tem coragem de contar a verdade, não consegue dizer que foi em uma festa cheia de ursos e conheceu aquele por quem você faria “qualquer coisa”? Então faça isso, passe a bola para a outra pessoa, faça com que ela se encha de você e desista, facilitando as coisas para que você possa ficar com aquele ursão bem gordo e peludo que você conheceu e acredita que vale mais a pena. Faça isso antes do Dia dos Namorados, para não piorar as coisas! A vida é feita de escolhas. Faça a sua escolha! Mas tenha certeza de que não somos obrigados a plantar, mas se plantamos, somos forçados a colher. Beijos! �


25 | JUNHO 2009 |


SEXUALIDADE VIRTUAL �

Pierre C. Cortes O avanço tecnológico é algo que chega a impressionar nos dias de hoje. Inúmeras facilidades são criadas e idéias inovadoras transformam-se em realidade a todo momento. O aparecimento da Internet não é diferente. Enquadra-se perfeitamente nesta situação. Hoje não é preciso mais sair de casa para se fazer uma compra. A satisfação é

| JUNHO 2009 | 26

total. E será que esta mesma satisfação tem sido atendida quando adentramos o terreno sentimental? Uma imensidão de salas de bate papo toma lugar na rede, assim como o intenso surgimento de diversos sites que promovem encontros, festas e relacionamentos. E tudo isso parece ter um único objetivo: promover relações afetivas.


27 | JUNHO 2009 |


É também curioso observarmos a diversidade de ofertas aos navegantes: salas de namoro, pornografia, encontros e sexo. E tudo envolve um universo amplo: heterossexuais, homossexuais, travestis, bissexuais, solteiros e casados. Há um pouco de tudo para todos os gostos. E obviamente as expectativas dos usuários estão bastante relacionadas ao estilo de sala que estão freqüentando. Mas será que estes usuários nutrem alguma

“salas de namoro, pornografia, encontros e sexo” esperança de conseguir, em salas ou sites, um relacionamento mais sério e duradouro? Ao realizar uma pesquisa sobre o assunto tive surpresas. Deparei-me com depoimentos que vão da felicidade ao se encontrar o companheiro ideal até a possibilidade de união estável. Nas salas de bate papo, em geral, os usuários se apresentam com pseudônimos e, conforme o assunto vai fluindo, a intimidade ou cumplicidade vão surgindo. Daí vem o interesse e depois o encontro. Dependendo deste primeiro encontro, um relacionamento mais estreito ou até mesmo estável pode nascer. Isso não é uma regra. Já soube de situações em que a conversa acontece rapidamente e sem profundidade. Horas após o encontro se concretiza. Às vezes é apenas um sexo rápido, outras vezes nem isso acontece. Um amigo me relatou que ao chegar ao encontro, em determinada ocasião, teve grande

| JUNHO 2009 | 28

decepção com a aparência física do companheiro, mas mesmo assim houve contato sexual. Segundo ele, já houve situações em que nem mesmo isso ocorrera, tamanho o desencanto com a outra pessoa. É fato que as salas de bate papo propiciam certa ousadia e até mesmo coragem ao usuário, afinal de contas não estamos vendo as pessoas que estão do outro lado da tela e a conversação pode ser interrompida a qualquer momento. Mas o universo de situações é muito mais amplo do que o relatado, podendo chegar até a conversas sérias. E o que dizer dos nossos companheiros que ainda não conseguiram, de fato, assumir sua homossexualidade? Pois bem, nestes casos as salas de bate papo podem funcionar como verdadeira válvula de escape, propiciando segurança, privacidade e o contato com o universo gay. É até mesmo comum encontrarmos nos sites de relacionamento as situações em que, de fato, o namoro é concretizado e as barreiras da distância são superadas. Há casos de pessoas que residem em cidades

“assumir sua homossexualidade?”

opostas e até mesmo em países diferentes. De uma maneira geral, as salas de bate papo podem ser um agente facilitador para o ser humano que pretende se livrar da solidão, mesmo que de forma momentânea ou superficial, mas ainda assim é necessário cuidado, pois nunca sabemos quem se encontra do outro lado da tela. �


29 | JUNHO 2009 |


PALAVRA DE URSO �

Rodrigo Parra

Adapta não ad Eis a questão para anjos, demônios e mutantes. Uma questão sempre atormenta a vida de um roteirista quando ele decide (ou é escolhido para) adaptar uma obra literária de grande apelo popular: ser ou não ser fiel ao texto original? Em se tratando de obras que envolvam legiões de fãs, como no caso de “X-Men” (HQ de Stan Lee, Jack Kirby e Steve Ditko) ou do bestseller “Anjos e demônios” (segundo livro de Dan Brown), “Ser absolutamente fiel!” parece ser a resposta óbvia. Algumas particularidades da linguagem cinematográfica, no entanto, tornam essa tarefa praticamente impossível e são essas dificuldades que pretendo explorar nas adaptações capitaneadas pelo mutante Wolverine e pelo simbologista Robert Langdon. Comecemos por “X-Men origens: Wolverine” (Gavin Hood, 2009).

| JUNHO 2009 | 30


ar ou daptar? Nos primeiros minutos do filme somos apresentados à infância de Logan e após conhecermos um pouco (bem pouco, na verdade) desse período da vida de nosso herói, somos atirados para sua vida adulta. Essa elipse de tempo é a mostra do que vem a ser o principal problema da adaptação da “origem” de nosso herói. Para um mutante como Wolverine, de natureza selvagem, personalidade conflitante e com uma série de idas e vindas ao longo de sua existência, não seria possível uma representação com toda a sua complexidade em apenas um único longa-metragem. Assim, coube aos roteiristas a inglória tarefa de suprimir passagens menos relevantes da biografia do herói, sem que se perdesse a relação de causa e efeito que levaram o mutante

com garras de adamantium ser o que é. Para que informações importantes fossem simplesmente descartadas, algumas alteração (a exemplo da caracterização de Kayla Silverfox) foram feitas na estória de Wolverine, para que, depois de duas horas, a tal “origem” se mantivesse fiel ao personagem e ainda pudesse ser compreendida por aqueles que jamais tiveram contato com a saga mutante. Não quero dizer que não houve escolhas erradas no roteiro... elas estão lá, como a representação absolutamente sem sentido de Deadpool, mas certamente os acertos foram maiores que os erros. Como obra cinematográfica, “X-Men origens: Wolverine” cumpre o que seus produtores esperavam: ser um entretenimento de qualidade.

31 | JUNHO 2009 |


Se para alguns (leia-se fãs ardorosos) o filme pode ter sido decepcionante, penso que a opção por um diretor pouco familiar com o universo de HQ tem tanto responsabilidade nessa decepção, quanto o roteiro entregue por David Benioff e Skip Woods. Certamente Sam Raimi teria feito melhor com o mesmo roteiro adaptado. Com relação a “Anjos e demônios” (Ron Howard, 2009), o papo é outro. Não há como tirar das costas de Akiva Godsman, autor dos roteirosbomba “O código da Vinci” (Ron Howard, 2006), “Batman & Robin” (Joel Schumacher, 1997) e “Batman eternamente” (Joel Schumacher , 1995) a responsabilidade pelos pontos fracos do filme. Está certo, essa segunda adaptação da obra de Dan Brown é infinitamente melhor que a anterior e basta olhar para os créditos do filme para descobrirmos a razão para | JUNHO 2009 | 32

isso: David Koepp, que adaptou Homem-Aranha, é co-roteirista do filme. Nessa nova aventura de Robert Langdon, Goldsman parece ter “amarelado” diante das críticas sofridas em “O código da Vinci” (de um lado os fãs da obra absolutamente frustrados pela total falta de emoção da narrativa e do outro a igreja católica pronunciando-se contra o filme) e por isso optou por um caminho de conciliação, tentando manterse fiel possível ao texto original e, de quebra, fazendo uma média com o Vaticano. Por se tratar de uma espécie de “caça do tesouro macabra”, não havia espaço para grandes simplificações da trama, sem prejuízos ao sentido da estória original. Como o filme tem “apenas” 138 minutos, Goldsman foi obrigado a valorizar o clima de perseguição e preencher de forma eficiente as lacunas deixadas pelos trechos descartados, o que não é bem a


praia dele. Conclusão: o que parecia fácil levou aos pontos mais sofríveis do filme (o que é aquela caracterização de Vittoria Vetra?). As passagens nebulosas do roteiro são quase que camufladas pela excelente direção de arte, que direcionada nosso

Travestis promovem filmes em Cannes.

olhar para um Vaticano perfeitamente reconstituído em set, e uma trilha sonora vibrante, que mantém o batimento cardíaco em alta. Se desconsiderarmos todas as escolhas erradas da adaptação e entrarmos no ritmo acelerado Langdon,

Essa é para o Docinho Superpoderoso! As travestis portuguesas Cindy Scrash e Jenny Larue, protagonistas do filme “Morrer como um homem”, do cineasta luso João Pedro Rodrigues, estiveram em Cannes para divulgar o longa, exibido na mostra Un Certain Regard desse ano. Usando roupas super sensuais, com decotes enormes e fendas ainda maiores nos vestidos, as travestis roubaram a cena durante a

há uma grande chance sairmos do cinema com a sensação de que o dinheiro gasto com o ingresso valeu pela diversão. Agora, que o roteiro mostra fragilidades absurdas, ah! isso mostra! E pensar que esse cara já ganhou um Oscar...

sessão de fotos. Focado na vida do transformista Tonia, interpretada por Fernando Santos, o filme mostra a difícil vida dos travestis lisboetas, principalmente para aqueles que se encontram na meiaidade. Sempre ligado a temáticas complexas, João Pedro, diretor dos polêmicos “Odete“ (2005) e “O fantasma” (2000), optou dessa vez por um casting todos de não atores para trazer mais realismo à seus travestis. Babado forme, Docinho! 33 | JUNHO 2009 |


| JUNHO 2009 | 34


Ursos personalizadamente bem vestidos

Grife bear amadurece e promete vender ideologia ao guarda-roupa dos gordinhos � Cris Casado Tudo começou com uma brincadeira em 2003. O designer gráfico Roney Camelo transformava nomes e logotipos reconhecidos pelo público em geral em paródias que giram torno do universo ursino. Essas ideias foram estampadas em camisetas, de forma bem humorada, a fim de criar uma nova identidade e personalizar o guarda-roupa dos ursos. Este ano a ideia amadureceu e se tornou empresa. A BW T-Shirts [http://www.bwtshirts. com.br], loja virtual que está na rede desde o dia 22 de maio, lança sua coleção de camisetas nos dias 12 e 13 de junho na festa URSOund, em São Paulo. Na oportunidade, uma banca de camisetas venderá sua primeira coleção de 2009, no valor de 50 reais cada peça. Após os dois dias do evento, as vendas serão exclusivamente pela página na internet. As estampas das camisetas vão além da adaptação de logomarcas, passando pelo imaginário da cultura ursina: “o enfoque é o

mundo bear, e este mundo é feito de pessoas de várias referências, gostos e atitudes; o enfoque é ter uma marca para ursos, com tamanhos, cores, assuntos diferentes.”, argumenta Camelo. A princípio, a BW T-Shirts lança sua coleção com as referidas camisetas, mas a expectativa é expandir aos demais acessórios do vestuário. A demanda do público dirá, com o tempo, se a grife acrescenta novas peças aos negócios, como moletons, bonés e camisas. “Tudo vai depender da resposta do mercado bear”, anseia o designer. Para a divulgação de suas ideias, o empresário tem sentido o apoio de outras organizações deste segmento, como os organizadores de festa para ursos e admiradores, como também de veículos de comunicação especializados no setor. Segundo ele, muita coisa mudou nesta cena, desde o lançamento da BW há seis anos, ao passo que agradece a cooperação de todos que acreditam no seu projeto. �

35 | JUNHO 2009 |


Pรกgina para eventos ursino. Curitiba-PR, Sรฃo Paulo-SP, Rio de Janeiro-RJ

| JUNHO 2009 | 36


37 | JUNHO 2009 |


| JUNHO 2009 | 38


AmBear #224 Danilo