Page 1


A Coleção Clássicos da Twitteratura Brasileira eterniza as maiores pérolas nos 140 caracteres do Twitter, onde diferentes autores manifestaram despretensiosamente seus pensamentos, opiniões e senso de humor. Em 15 volumes e edição limitada, esta Coleção é um registro da democrática liberdade de expressão possibilitada pela internet, e também mostra que todo texto parece literatura quando é impresso em papel Pólen®.

@amatos30 Adriano Matos é redator publicitário na Moma Propaganda e, nas horas vagas, é redator de tweets.


Cuidado para não ser convencido mais pela convicção de quem diz do que pela verdade do que é dito.


A censura é uma doença que vive à base de tarjas pretas.


O silêncio é tão tímido que some sempre que recebe aplausos.


Saudade 茅 como ap锚ndice, s贸 existe quando d贸i.


Solid達o, a liberdade em sua pior vers達o. Liberdade, a solid達o em sua melhor vers達o.


Num restaurante self-service não se come o que se quer. Se come o que alguém não quis.


Quando duas empresas estão fundidas, geralmente o primeiro a sair é o “n”.


Irã é um país a um “til” de distância de sua própria definição.


Para ganhar dinheiro, trabalhe naquilo que você faria até de graça.


Um mundo onde a mĂĄgoa nĂŁo rasga fotografias. Deleta.


Se tem uma coisa que qualquer idiota faz e ainda recebe parabéns por ter feito é aniversário.


N達o ande na montanha-russa depois de uma salada idem.


Chatos exercem mais o direito de vir do que o de ir.


Gozar fĂŠrias. As duas melhores coisas da vida.


O preço da blindagem de automóveis é um assalto.


Quando seu chefe ĂŠ chato, o ano tem 60 dias de fĂŠrias: as suas e as dele.


Jogar uma moeda em uma fonte e fazer um pedido ĂŠ tentar subornar o destino.


Sabedoria não é saber. Sabedoria é saber pra que serve saber.


Um dos grandes defeitos do relógio é impedir o prazer de não sabermos que horas são.


Nรฃo sou dono da verdade. Sou sรณcio. Majoritรกrio.


Classicos Twitteratura @amatos30  
Classicos Twitteratura @amatos30  

amatos30, classicos, twitteratura

Advertisement