Page 1

K. WEBSTER


Disponibilização: Eva Tradução e Revisão Inicial: Rezinha Revisão Final: Crazy Candies Formatação: Eva

Setembro/2018

K. WEBSTER


K. WEBSTER


Max Rowe sempre segue as regras. Um juiz de sucesso. Pai solteiro. Um líder na comunidade. Fazer a coisa certa significa tudo. Mas quando ele se encontra resgatando uma mulher incrivelmente jovem, tudo o que ele trabalhou duro para obter é rapidamente esquecido. A única coisa que importa é mantê-la segura. Ela é linda, inteligente e uma tentação total. Fazer a coisa errada, de repente parece certo. Sua química é intensa. É um romance que ninguém vai aprovar, mas, mesmo assim eles não conseguem ignorar. Quente, rápido e explosivo. Alguém vai ficar queimado.

K. WEBSTER


Hubs, Obrigada por ser sempre meu protetor. Amor, K

K. WEBSTER


“Talvez eu esteja atrasado para ser o seu primeiro. Mas agora estou me preparando para ser o seu último.” -Autor Desconhecido

K. WEBSTER


“Que tal aquelas pernas ali?” Meu melhor amigo Dane pergunta, antes de beber do seu copo de Bourbon. Eu puxo minha gravata, que parece muito apertada em volta do meu pescoço neste bar abafado, e levanto meu olhar para uma ruiva com um corpo escultural. Linda como o inferno, mas completamente fora do meu alcance. Eu sou um viúvo de cinquenta e dois anos com duas filhas adolescentes. Não há nenhuma maneira no inferno que alguém como ela estaria interessada em alguém como eu. "Não é meu tipo", resmungo. Não é uma mentira completa. Eu não sou daqueles idiotas que passam por uma crise de meiaidade e acabam com alguém da idade de suas filhas. Se eu voltar a namorar, quero algo sério. Sou muito velho para perder meu tempo com uma vadia que quer um papaizinho. "Ela seria uma idiota em não querer você", ele responde, com um leve tom amargo. Eu ignoro o comentário dele - não vou lá hoje - e suspiro. “Evie era morena. Eu prefiro morenas.” Já faz quase

K. WEBSTER


onze anos desde que minha esposa Evie morreu muito cedo de câncer, deixando-me sozinho para cuidar de nossas duas filhas. Ela foi o amor da minha vida. Eu nunca tentei voltar a namorar até recentemente. Até agora tem sido um fiasco após o outro. “Que tal isso?”, ele sugere. "Pare de tentar substituir alguém que nunca mais vai voltar. Amplie seus horizontes um pouco. Vá para algo diferente, cara.” Mais uma vez, com suas sutilezas. Eu solto minha gravata mais um pouco. Este bar não é minha praia. É um maldito clube de sexo, pelo amor de Deus. Se eu não conhecesse o dono tão bem, não estaria aqui. Prometi a Miles e Dane que tentaria. E aqui estou eu, tentando, porra. "Essa é da sua idade", Dane bufa e aponta para uma mulher com idade suficiente para ser minha mãe enquanto ela flerta com um casal jovem. "Vai se foder." "Posso pegar outra rodada para vocês, meninos?" Uma voz doce e suave pergunta atrás de mim. Dane acena e balança o copo, mas me viro para olhar a garçonete porque não sou um selvagem como meu melhor amigo. "Faça um duplo", digo quando eu me deparo com um par de olhos azuis gelados. A familiaridade surge dentro de mim enquanto tento me lembrar da jovem. "Eu conheço você?" Ela morde o lábio e abaixa o olhar. "Não, você não conhece. Eu volto já." Eu a observo enquanto ela corre de volta para trás do bar para fazer nossas bebidas. Seu longo cabelo loiro foi puxado em um rabo de cavalo alto e elegante, mostrando seu esbelto pescoço pálido. O corpete de couro preto que ela está usando preso na cintura acentua seus seios empinados. Eu encontro meus

K. WEBSTER


olhos vagando por seu minúsculo corpo e aterrissando em sua bunda que mal está coberta um short de couro vermelho. Pequena. Redonda. Perfeita. Eu nem gosto de loiras. "Você nem gosta de loiras", Dane reflete meus pensamentos, com diversão em seu tom. "Eu não estou paquerando. Acho que a conheço de algum lugar." Meus olhos percorrem o corpo dela até a parte de trás da cabeça. Ela se vira para o lado para pegar algo e eu não posso perder a longa cicatriz em sua bochecha sob o olho esquerdo. “O júri considera que Carson Jennings não é culpado de extorsão e lavagem de dinheiro.” O filho da puta é culpado - está escrito por todo o seu rosto bonito e presunçoso. Mas sou apenas o lançador de más notícias, não o criador. Meus olhos se movem para uma loira bonita na parte de trás do tribunal. Suas feições se encolhem e uma lágrima desce pela sua face machucada e se aloja onde ela está com alguns pontos. Então, ela se levanta e escapa da sala do tribunal como se fosse a única que deveria estar fugindo da lei, não o bastardo diante de mim. "Apreciem", a loira murmura enquanto entrega nossos copos. Gentilmente aperto seu pulso, impedindo-a de sair. "Eu conheço você. Você estava lá, há alguns meses na audiência de Jennings. Eu vi você chorando." Seus olhos azuis se arregalam enquanto ela me observa. O entendimento parece surgir nela e a raiva distorce suas feições. "Claro. Eu me lembro de você. Você deixou um monstro sair livre.” Ela começa a se afastar, mas eu não largo seu pulso.

K. WEBSTER


"Qual o seu nome?" Ela levanta seu queixo. "Não é da sua conta. Agora me deixe ir.” Estreitando meus olhos para ela, solto-a do meu aperto. Ela se afasta rapidamente de mim e some em um cômodo dos fundos. Vou ter que perguntar a Miles quem ela é. "Essa não vale o seu esforço, cara", diz Dane. “Mulheres como ela têm garras. Você já teve uma vida inteira com seu coração machucado. Divirta-se com segurança. A ruiva ali tem peitos que parecem muito seguros pra mim.” A segurança que se foda. Estou em segurança e dormente há mais de uma década. Talvez algumas garras sejam exatamente o que preciso para sentir algo de novo. "Já volto." Eu me levanto e esvazio meu copo antes de me afastar do meu melhor amigo. "Max!" Ele grita atrás de mim. "Vejo você amanhã.” Quando me viro, ele está sorrindo para mim com um olhar acusador no rosto. Ele acha que estou decidido a dormir com a loira. Honestamente, ele não poderia estar mais longe da verdade. Eu só quero falar com ela sobre aquele dia. Houve muitas vezes em que eu senti que o júri tomou a decisão errada, mas não era minha decisão fazer algo sobre isso. Os fatos foram apresentados e eles tomaram a decisão. E eu tive que aceitar. Naquele dia, porém, não foi fácil aceitar, assim como a loira triste. Estou indo em direção ao cômodo dos fundos, aonde ela desapareceu, quando um babaca familiar em um terno se lança atrás dela. Meus cabelos se arrepiam porque não gosto do jeito que ele parece perseguir ela. Acelero o meu ritmo e

K. WEBSTER


sigo atrás deles. Assim que entro, reconheço sua voz. Carson Jennings. "Eu tenho procurado tanto por você, Cachinhos Dourados. Quem diria que você estava bem debaixo do meu nariz o tempo todo?” Sua voz é ameaçadora. Sua atenção está unicamente sobre ele enquanto ela se afasta, com terror brilhando em seus olhos. "Por favor. Apenas me deixe em paz." Ele ri. "Você sabe que eu não posso fazer isso, Dorian. Você fugiu e nós estávamos apenas começando a parte boa.” Quando ele se lança sobre ela, com sua mão agarrando sua garganta, eu não penso, reajo. Eu chego por trás dele e movo-o para longe dela. Meu punho acerta sua mandíbula com tanta força que até eu fico chocado com tanta potência. Ele bate contra uma prateleira cheia de copos limpos e cai no chão. "V-você... eu... eu..." Ela balbucia e suas mãos começam a tremer. Carson geme do chão e começa a vasculhar seus bolsos como se estivesse procurando por algo. "Eu preciso sair", ela sussurra, mas seus pés estão firmemente plantados no chão. Ele puxa o celular do bolso. Assim que começa a discar, eu agarro seu minúsculo pulso novamente. "Venha comigo", eu ordeno. Ela ainda está atordoada, mas me deixa guiá-la para longe do idiota que ainda está esparramado no chão. Acabamos de chegar até a porta quando o ouço falando com alguém. "Ela está aqui. Não a deixe sair."

K. WEBSTER


Eu deslizo meu braço ao redor de sua cintura estreita e a guio para fora do cômodo. "Onde é a saída mais próxima?" Eu questiono, com minha cabeça baixa sussurrando para ela. "Uh", diz ela, "nessa direção." O torpor dela parece clarear e ela acelera o passo. Não é até o ar quente de final do verão nos atingir, que ela começa a realmente entrar em pânico. "Espera! Minha bolsa está no meu armário no andar de cima!" Ela para e começa a se virar, mas um grito a deixa congelada. "DORIAN!" Ela completamente se desliga. Seus ombros se encurvam e sua cabeça abaixa. Como se estivesse resignada com o fato de que esse filho da puta vai pegá-la. Sobre o meu cadáver. Levanto seu corpo minúsculo sobre o meu ombro e levo seu traseiro para o meu Lexus preto. Carson está gritando atrás de nós, mas eu não paro. Continuo minha jornada para o meu veículo. Uma vez que a coloco no banco de trás, pulo na frente e saio do estacionamento o mais rápido que o carro possa. Eu tinha bebido, mas não o suficiente para que não tenha meus sentidos sobre mim. "Você está bem aí atrás?" Eu pergunto, com meus olhos correndo para o espelho retrovisor. Seus assustados olhos azuis encontram os meus quando ela balança a cabeça. "Eu-eu consegui fugir." Foda-se sim.

K. WEBSTER


“Você tem algum lugar que eu possa te levar? Algum lugar seguro?” Desta vez, quando nossos olhos se encontram, os dela estão cheios de lágrimas. A última coisa que preciso fazer é trazer esse problema para minha casa, onde ainda tenho uma filha que mora lá. No entanto, ela não parece estar ansiosa para ir para onde quer que seja que ela chame de casa. "Eu vou levá-la para um hotel. Nós vamos descobrir alguma coisa", eu garanto a ela. Por que diabos estou ajudando esta loira está acima da minha compreensão. Não me envolvo nos assuntos de outras pessoas. Eu sou um juiz e um pai. Não me foco em mais nada. Certamente, não salvando loiras bonitas de idiotas em clubes de sexo. Não faz absolutamente meu gênero. Eu faço bifes na grelha a cada semana para as minhas filhas e sou um membro do conselho no clube de campo local. Sou a síntese do tipo mais velho aborrecido. Definitivamente não sou do tipo de conhecer uma garota em um clube de sexo e, em seguida, salvá-la. No entanto, aqui estou. O maldito herói. Eu quase reviro meus olhos. Se minha filha Olivia soubesse que estou fazendo essa merda, ela iria rir. Ela é minha filha aventureira. E esta é certamente uma aventura que ela adoraria ouvir. Nós dirigimos em silêncio, passando por alguns motéis pequenos. Estou indo em direção ao Embassy Suites quando um pensamento me ocorre. Se esta garota está fugindo do influente Carson Jennings, ele a acharia num piscar de olhos em um hotel. Ele é rico e tem meios. Arrancando o meu telefone, eu chamo Dane.

K. WEBSTER


“Eu vou usar a sua cabana no lago esta noite. A chave ainda está debaixo do gnomo feio na varanda da frente?" Eu pergunto em saudação quando ele responde. Ele bufa. “Então você gosta de loiras. É isso aí, cara. Fique com a cabana o tempo que precisar. Eu tinha planejado ir lá este fim de semana com uma amiga, para mantê-la limpa e abastecida. Mas isso parece uma emergência sexual, e eu acho que você está em abstinência há muito tempo. Meu pau pode esperar, mas o seu está ficando mais velho a cada minuto. Nunca diga que eu não me sacrifico pela equipe.” Sorrindo, eu balanço a cabeça. "Devo uma para você." “Nem mesmo certamente merece.”

vai

discutir.

Divirta-se,

amigo.

Você

Desligamos e eu relaxo no meu lugar. Assim que tenho certeza que Carson não está atrás de nós, dirijo para a cabana. Está escuro do lado de fora de sua propriedade. O lago não é um dos lugares populares na cidade. Este lago está infestado de jacarés e fortemente cercado por bosques. Mas é privado e bom para caça e pesca. Eu sempre considerei comprar alguma de suas terras para construir um pequeno refúgio só meu. Enquanto descemos a estrada de cascalho coberta de árvores, posso sentir a tensão do banco de trás. Tudo o que pode ser visto à frente são os faróis do meu carro. Além disso, tudo é um breu. Tenho certeza de que parece uma cena de um filme de suspense do ponto de vista dela. "Estou levando você para um lugar seguro", asseguro-lhe. Isso é o que o cara mal sempre diz antes de levá-la a um lugar isolado para aprisioná-la. Eu assisto Criminal Minds. Eu sei das coisas "OK."

K. WEBSTER


Ela já está planejando sua fuga. Ela deve assistir Criminal Minds também. Nós finalmente chegamos à cabana que fica a apenas algumas centenas de metros do lago. Dane não é tão rústico assim, pelo menos a cabana tem amenidades. Ela poderá relaxar - quando perceber que não vou amarrá-la em algum porão mofado. Eu poderei fazer perguntas e possivelmente ajudá-la. Carson pode ter meios, mas eu sou o juiz dessa cidade. Também tenho meios. Eu desligo o carro e saio. Ela já está fora do carro, na defensiva. Um movimento errado e a garota provavelmente sairá correndo pela floresta. "Ursos", aviso, como se pudesse ler seus pensamentos. Ela solta um suspiro aterrorizado e se aproxima de mim. "Vou levá-la para dentro, mas não fique andando aqui fora. Não é seguro." Eu localizo a chave escondida e abro a porta da frente. O interior cheira ligeiramente a Febreze1 da mais recente visita de Dane. Eu a levo para dentro e tranco a porta atrás dela. Fica escuro por um momento até eu localizar uma lâmpada. A cabana é pequena. Um sofá que se desdobra em uma cama. Há um banheiro peculiar com um chuveiro no canto. Uma mesa para dois e uma pequena copa cozinha no outro. Embora haja eletricidade e encanamento, não há muito mais. Dane usa a cabana para caçar e aparentemente para transas ocasionais, agora que ele está divorciado. Ela caminha até o sofá e se senta. Sua cabeça está abaixada enquanto olha para suas unhas. Com movimentos rápidos e bruscos, ela as esfrega nervosamente. 1

K. WEBSTER

Febreze – Aromatizante de ambiente.


Com um suspiro, me sento ao seu lado e dou um tapinha nas suas costas. "Fale comigo. Sei que sou apenas um estranho, mas penso muito em você desde aquele dia. O olhar em seu rosto me assombrou. Eu sei que ele era culpado de muita coisa. Que ele fugiu com..." "Tudo", diz ela, terminando minha declaração. "Ele fugiu com tudo." Eu pego a mão dela para que pare de destruir as unhas. "Olhe para mim." Seus olhos se levantam para encontrar os meus, a esperança cintilando neles. "Dorian?" Ela balança a cabeça e eu aperto a mão dela. "Dorian, eu vou me certificar que ele pague pelo que fez com você." Eu uso minha mão livre para roçar ao longo do seu rosto cicatrizado. "Ele fez isso com você?" Ela engole e acena com a cabeça. “Ele continua me encontrando. Eu deveria fugir para algum lugar longe, mas...” Lágrimas surgem em seus olhos. "O túmulo do meu pai está aqui e eu simplesmente não posso deixá-lo." Usando meu polegar, retiro a lágrima desgarrada. "Eu não vou deixar ele te encontrar novamente. Ele nunca mais vai te machucar desde que eu possa evitar.” A proteção feroz em meu tom me surpreende, e ela também está chocada porque seus olhos se arregalam. "Por que você está me ajudando?" "Eu não sei."

K. WEBSTER


Ele solta minha mão e atravessa a pequena cabana até a área da cozinha. Enquanto ele enche um pote pequeno com água e prepara para fervê-lo, não consigo evitar de olhar para ele. Lembro-me do juiz Rowe do julgamento. Ele usava a mesma expressão cética o tempo todo. Sua mandíbula esculpida se enrijecia e afrouxava, mas seus lábios permaneciam pressionados juntos. A aversão que ele demonstrava pelo meu ex me aqueceu. Todo mundo ama Carson. Até meu pai o amava. E por isso, ele pagou caro. O fato de que esse juiz não gostava dele me fez sentir, pela primeira vez na vida, que alguém poderia ver o monstro que estava por trás do sorriso branco brilhante e ternos perfeitos de Carson. O juiz Rowe ergue o olhar do fogão e seus intensos olhos verdes encontram os meus. Ele me dá um pequeno sorriso antes de voltar sua atenção para sua tarefa. Seus ombros são largos sob o terno e eu admiro seu físico. Já faz muito tempo desde que me senti remotamente interessada em um homem. Carson arruinou isso para mim. Ou então eu pensava assim. Mas quando a consciência atravessa-me, não posso deixar de admitir a minha atração pela mandíbula esculpida em pedra e

K. WEBSTER


características afiadas do homem que me salvou. Seu cabelo preto é estiloso para a idade dele e a única indicação de que ele é muito mais velho que eu são os poucos fios cinza em suas têmporas e os minúsculos pés de galinha no canto dos olhos. Ele é incrivelmente bonito. Mas o melhor de tudo, ele parece seguro. A tensão que sempre me tem em suas garras libera seu aperto. Eu olho para o meu uniforme ridículo e franzo a testa. Eu faria qualquer coisa para ter agora minhas calças de pijama de lã e uma camiseta grandona. O trabalho de garçonete no clube OrjE era apenas mais um trabalho em uma lista interminável de coisas que eu não queria, mas precisava para sobreviver. "Não é minha especialidade, mas terá que servir", diz o juiz Rowe, enquanto coloca uma tigela fumegante de macarrão na minha frente na mesinha de café. Um sorriso surge nos meus lábios e Deus, como me sinto estranha. Eu, com certeza, não sorrio muito nestes dias. "Obrigada. Como você sabia que o sabor de carne era o meu favorito?" Ele sorri antes de ir em direção ao armário. "É o favorito de todos." Eu vejo quando ele tira o paletó e pendura em um cabide. Seus músculos das costas fazem o tecido de sua camisa branca se esticar. Eu encontro meu olhar flutuando em sua bunda com sua calça cor de carvão. Porra, o juiz Rowe está muito bem. "Aqui", diz ele enquanto pega algumas roupas dobradas e se vira para mim. "Você pode se sentir mais confortável com isso." Seu olhar cai para os meus seios por um momento, antes de desviar os olhos. Minha pele esquenta porque não posso dizer que não gostei da atenção dele no meu decote.

K. WEBSTER


Eu me levanto e pego as roupas dele. Nossos dedos roçam um contra o outro e arrepios percorrem direto para o meu núcleo, que estava adormecido há meses. "Obrigada." Rapidamente, eu me troco no banheiro e liberto meu cabelo do rabo de cavalo. A grande camiseta branca e a calça de moletom estão perto o suficiente do meu confortável pijama de casa. Quando saio do banheiro, fico surpresa ao ver que ele puxou a camisa de dentro da calça, tirou os sapatos e dispensou a gravata. Ele parece confortável e isso me faz sentir assim também. Sento-me ao lado dele no sofá e começo a comer o macarrão. Depois de um longo turno em pé, estou tão perto do céu quanto possível. "Então me fale sobre Carson", ele diz, sua voz baixa. E... estou de volta ao inferno. "O que você quer saber?" Eu engulo o macarrão e franzo a testa para ele. "Como você o conheceu?" Dou mais algumas garfadas antes de colocar a tigela de volta na mesinha. “Ele trabalhou para o meu pai. Carson era o Diretor Financeiro da Dresser Holdings.” Vejo quando ele compreende. "Sinto muito pelo seu pai, senhorita Dresser." Lágrimas amargas surgem em meus olhos, mas eu rapidamente os afasto. "Obrigada, juiz." Ele chega para frente e dá um tapinha no meu joelho. Eu o conheço há uma hora e ele já me tocou mais do que permiti a qualquer um nos últimos meses. Eu não estou nem um pouco incomodada pela sua natureza carinhosa, o que me surpreende. Não gosto de pessoas. Especialmente homens. E aqui estou eu aconchegada em uma cabana com o juiz que presidiu o caso do meu ex-namorado como se fossemos melhores amigos.

K. WEBSTER


"Max." "O que?" “Max Rowe. Você não precisa me chamar de juiz.“ Seus lábios se erguem de um lado. Sexy. Cativante. Galanteador. Faz tanto tempo desde que alguém flertou comigo de uma maneira inofensiva. De uma forma que não sinto que só estão querendo me pegar ou entrar nas minhas calças. "Você parece um Max", eu digo, um pequeno sorriso escapando. Meu sorriso parece contagiá-lo porque ele sorri para mim. Max Rowe é lindo quando sorri. Calor transborda através de mim e de repente gostaria de ter algo gelado para beber. "Ele machucou você." Suas palavras saem como uma declaração e nós dois ficamos sérios. Quando seu polegar roça minha maçã do rosto cicatrizada, fecho meus olhos e aprecio seu toque macio. "Tantas vezes." Quando seu polegar roça meu lábio inferior, eu abro meus olhos surpresa e me vejo envolvida em seu olhar intenso. "Como alguém poderia querer machucar você?" Suas sobrancelhas franzem juntas como se ele estivesse genuinamente confuso com essa ideia. Fico emocionada e um soluço me escapa. Sua bondade e carinho me atraem. Eu anseio por isso. Depois de ter sido negligenciada por tanto tempo, eu quero me apegar a isso. Como se sentisse minha necessidade, ele envolve seus braços em torno de mim para me puxar para um abraço. Eu o encontro no meio do caminho e depois me movo para o seu colo, minhas pernas agarram sua cintura para que eu possa me aproximar mais. Ele acaricia meu cabelo de um jeito doce enquanto eu choro

K. WEBSTER


contra seu pescoço. Nossos corações estão batendo em nossos peitos que estão pressionados juntos. "Shhh", ele diz. "Você está segura agora." E sinto isso na minha alma. Não estou acostumada com esse sentimento. Sempre correndo, me escondendo e fugindo de Carson enquanto de alguma forma tentava me segurar em fragmentos da minha antiga vida que ainda estavam ao nosso alcance. Com meus lábios pairando sobre sua carne, eu deixo escapar minha triste história. Uma que fala de uma jovem que se apaixonou perdidamente pelo empregado de seu pai. Uma mulher que permitiu que este homem controlasse cada palavra e ação dela. Que caiu em sua armadilha e nunca conseguiu achar a saída. Ele destruiu tudo em seu mundo, incluindo seu pai. Rasgou o legado de seu pai de dentro para fora enquanto roubava dinheiro da empresa e o deixava de joelhos. Eu conto a Max a história de uma garota que teve que encontrar seu pai azul e inchado por uma overdose, porque não conseguia suportar o fato de que sua empresa tinha sido empurrada para o abismo. E o criminoso escapou impune porque era bem-amado na comunidade e realmente bom em esconder seu rastro de destruição. Atrás de portas fechadas, ele era um monstro. Um estuprador. Um homem que batia em sua mulher porque podia. Não foi até o julgamento, em que ele foi considerado inocente, que ela encontrou a coragem para fugir dele. Ela está correndo desde então. Ele me aperta mais forte. Eu não contei a ninguém sobre Carson. Eles não acreditariam em mim de qualquer maneira. Mas esse homem acredita em mim. Eu sinto isso até os dedos dos pés enquanto ele acaricia meu cabelo e promete justiça.

K. WEBSTER


Eventualmente, eu paro de chorar e suas mãos descansam na minha bunda. Está longe de ser sexual, mas meu corpo se torna consciente de nossa proximidade. A atração que eu senti mais cedo volta à vida e meu corpo parece superaquecer. Meus nervos pulsam de excitação. Eu quero que ele mova as palmas das mãos por baixo da minha camisa e toque minha carne. Você nunca percebe o quanto você precisa ser tocada até você não ter sido. Agora é tudo em que posso pensar. “Obrigada por acreditar em mim. Por me salvar dele esta noite...” Eu paro e estremeço. Se Max não tivesse intervindo, Carson teria me machucado novamente. Como sempre. Cada vez que isso acontece, temo que seja a última. Um dia ele não conseguirá se segurar e acabará comigo. Eu apenas sei disso. As poderosas mãos de Max penetram no meu cabelo e ele me puxa para longe dele para que possa olhar para mim. Seus olhos verdes brilham com possessividade. Mas não é dominador como foi com Carson. Com Max, seus olhos parecem gritar que ele fará o que for preciso para me proteger. Eu não entendo essa conexão entre nós - estranha e forte - mas gosto disso. "Acreditei em você naquele dia no tribunal e eu nem conhecia a sua história", diz ele, seus olhos caindo para a minha boca. Me beije. Meu pensamento vem tão de repente, fico envergonhada por isso. Eu lambo meus lábios, esperando que isso o seduza. Fico decepcionada quando ele desloca as mãos para os meus quadris. Mas pela primeira vez sou corajosa. Não estou com medo. Inclinando-me para frente, eu encosto meus lábios contra os seus macios.

K. WEBSTER


"Dorian..." ele murmura contra a minha boca, seu aperto no meu quadril se tornando mais forte. "Você teve uma noite longa." Eu tentadoramente seguro seu rosto em minhas mãos e aprofundo nosso beijo. Quando nossas línguas se tocam, ele solta um gemido de satisfação. Isso me dá coragem para beijá-lo com mais força. Meu desespero transparece em nosso beijo. Sinto sua própria carência quando seus polegares traçam círculos sobre a minha camisa logo abaixo dos meus quadris e perto o suficiente do meu sexo para me fazer gemer. Ele está duro debaixo de mim e posso dizer que ele é bem grande. Para ter certeza, ajusto meu corpo para poder me esfregar contra ele. Isso nos faz gemer de prazer. O aperto dele se torna quase brutal enquanto ele guia meus quadris de modo que eu esteja contra ele. Nosso beijo não dura muito, porque assim que começa, ele me afasta. "Sinto muito", ele diz, franzindo as sobrancelhas. Eu não consigo parar de olhar para sua boca forte e masculina. Imaginando como seria a sombra de sua barba entre minhas coxas. O calor sobe pelo meu pescoço, afastando meus pensamentos sujos. "Sente muito pelo quê?" Em vez de responder, ele é gentil quando me segura e me coloca ao lado dele. "Quer me ajudar a abrir o sofá?" Estou decepcionada, mas dou-lhe um aceno de cabeça. Eu me levanto e juntos movemos a mesa e puxamos o sofá para formar a cama. Colocamos a roupa de cama e eu estou quase rastejando nela quando o noto fazendo uma cama no chão. "Não seja ridículo, Max", digo a ele, apontando para a cama ao meu lado. "Somos adultos. Você não precisa dormir no chão para proteger minha virtude."

K. WEBSTER


Seus ombros relaxam e ele me dá outro sorriso bonito. "Estou velho demais para ficar no chão." "Velho?" Eu suspiro enquanto deslizo sob as cobertas. "Dificilmente." Ele desabotoa a camisa e a joga na cadeira. A camiseta sem manga que ele está usando está grudada em seu corpo. Seu cinto escorrega dos aros com um zumbido que me faz tremer enquanto mais pensamentos sujos ondulam através mim. Ele fica com sua calça, para meu espanto. "Sério. Quantos anos você tem, afinal?" O embaraço faz com que seu rosto fique ligeiramente vermelho. "Cinquenta e dois." Sua mão esfrega na parte de trás do seu pescoço, me dando uma visão deliciosa de seu braço musculoso e bronzeado. Quando ele olha para mim sob seus cílios escuros, com um sorriso tímido e juvenil em seu rosto bonito, meu ritmo cardíaco acelera. "Viu só? Velho." Mesma idade que meu pai. Estou chocada. Ele é muito mais bem definido do que Carson, que é quinze anos mais jovem do que ele. Max é como Hugh Jackman2 – que só melhora com a idade. "Você parece bem." Ele sacode a cabeça na minha direção e sorri. "Obrigado." Sua boca se contorce como se ele quisesse dizer mais, mas se abstém e apaga todas as luzes. No momento em que a cama se afunda e seu cheiro viril me envolve, eu anseio tocá-lo. Por que eu sou tão idiota com esse homem?

2 Hugh Michael Jackman é um ator, cantor e produtor de cinema australiano. Ele ganhou reconhecimento internacional por seus filmes, particularmente em personagens de ação ou românticos.

K. WEBSTER


Mas há uma atração mútua. Não estou imaginando isso. Eu certamente não imaginei a língua dele na minha boca e o quão duro ele estava quando nos beijamos. Penso em perguntar a ele se posso chegar mais perto, mas então aproveito da mesma bravura em que eu me envolvi mais cedo. Em vez de perguntar, me aconchego contra ele. Minha mão desliza para cima de seu peito e eu descanso minha coxa em cima dele. Ele não se afasta, mas me posiciona de modo que minha cabeça repouse sobre seu ombro e o braço dele fique em volta de mim. Segura. A palavra aparece dentro de mim novamente, de repente e sem aviso. Max Rowe não é um monstro como Carson. "Amanhã vou fazer algumas ligações", ele diz, sua voz baixa e aveludada na escuridão. Meu coração bate. "Sim?" “Me irrita que esse idiota tenha machucado você e continue a machucá-la. Vou ter certeza de que vamos pegá-lo por alguma coisa. O xerife McMahon é um bom amigo meu. Vou ligar para ele primeiro.“ Esperança floresce dentro de mim. "Obrigada." "Eu vou ajudá-la a recuperar sua vida, Dorian.”

K. WEBSTER


Quando você mora na mesma cidade por tanto tempo quanto eu, você conhece as pessoas. Faz alianças e amigos em todos os lugares. Assim que comecei a investigar, descobri que Carson Jennings não era exatamente tão amado quanto externamente retratado. Ele arruinou a Dresser Holdings. Sozinho. Mas, aparentemente, ele também fez alguma coisa obscura na companhia do seu pai. O velho Jennings demitiu seu próprio filho. Foi mantido em segredo, mas algumas investigações produziram todos os tipos de informações frutíferas. Porque eu conheço pessoas. Xerife e policiais. Advogados. Empresários Todos meus amigos. Todos homens leais e íntegros.

K. WEBSTER


Todos homens que se esforçam para ajudar o juiz Rowe. Sinto-me satisfeito enquanto tomo o café que consegui no armário de Dane. Esta manhã, quando o sol apareceu, comecei a trabalhar. Dorian, a pobre mulher estava exausta, dormiu morta para o mundo. Ela parecia que poderia dormir por dias. Dormir na mesma cama com ela provou ser difícil. Não tenho uma mulher na minha cama desde que Evie morreu. Depois de mais de uma década estando sozinho, foi bom ter a respiração quente de uma mulher contra o meu pescoço enquanto ela dormia tranquilamente. Levanto meu olhar de minha caneca para encarar sua figura adormecida. Dorian está deslumbrante apagada com uma postura discreta. Seu cabelo loiro é sedoso e, esta manhã, eu egoisticamente corri meus dedos por ele antes de sair da cama. Ela é pequena, mas debaixo de sua natureza arisca, posso dizer que ela é feroz. Aquele filho da puta tirou muito dela. Eu só quero ajudá-la a ter tudo de volta. Ela geme em seu sono e rola de costas. A camiseta de grandes dimensões sobe por seu corpo de modo que o contorno dos seus seios fica à mostra. São tão macios e perfeitos, encontrome fascinado por eles. Fico enfeitiçado só de olhar para uma pequena parte de seus seios nus. Meu pau endurece em minha calça. É fodidamente torturante ficar enfurnado nesta cabana com ela. Ontem à noite, quando nos beijamos, senti como se meu peito fosse explodir. Ela me iluminou por dentro. Eu não me sentia assim há tanto tempo que me pegou completamente de surpresa. Mas embora eu deseje essa jovem mulher sexy, ela não está com a cabeça no lugar e eu não estou em posição para começar algo com ela. Eu posso ajudá-la, com certeza. Mas certamente não preciso foder com ela. Não sou o tipo de cara que estraga tudo apenas para obter o pau molhado. Eu cairia profundamente

K. WEBSTER


e me machucaria muito quando ela tivesse o bom senso em encontrar um homem mais perto de sua própria idade. “Não é uma pessoa matinal?”, Ela pergunta, sua voz rouca de sono. Ela não fez nenhum movimento para cobrir os seios. Arrasto o meu olhar para seus olhos semicerrados. “Só estava pensando que eu seria uma pessoa muito matinal se esta fosse a minha visão todo dia”, eu digo, um sorriso surgindo num canto dos meus lábios. Ok, talvez um pouco de flerte seja bom. Ela sorri para mim. “Minha visão também não é ruim. Tem mais desse café?” Enquanto eu faço mais um pouco, ela passa alguns minutos no banheiro. Quando sai, seu cabelo está penteado e seu rosto lavado e limpo. Sem a maquiagem, parece mais nova. Talvez até da idade da Olivia. “Quantos anos você tem?“ Eu questiono. "Acabei de fazer vinte e dois no mês passado." Entrego-lhe o café. Ela inala o aroma antes de beber. "Por que ele parece tão gostoso esta manhã?" Ela pergunta, seus olhos fechados de prazer. "Eu sou meio maníaco por café," admito, um sorriso tímido em meus lábios. Seus olhos voam para os meus. "Eu também. Queria um emprego na Starbucks, mas, aparentemente, sou superqualificada." Ela suspira como se tivesse dificuldade em acreditar nisso. "O que você está qualificada para fazer?" Estou genuinamente curioso para saber a resposta.

K. WEBSTER


Suas sobrancelhas se enrugam quando ela descansa a caneca no joelho. "Administração. Gestão. Finança. Meu diploma é de administração porque queria ajudar meu pai na sua empresa. Mas...” Ela morde o lábio inferior e posso dizer que é para não chorar. "Mas não funcionou. É difícil manter um bom e sólido trabalho quando tudo o que você está fazendo é fugir do passado." Um suspiro frustrado escapa. "Dorian..." Esfrego meu rosto. Há tantas coisas que eu quero fazer para ajudá-la. Nunca quis ajudar ninguém tanto quanto agora. Talvez isso me faça parecer desesperado ou uma aberração. E normalmente ficaria de boca fechada porque tenho uma imagem a zelar. Mas com essa garota revelando todos os seus segredos sombrios para mim, sinto-me compelido a dizer a ela exatamente o que está em minha mente. “Acho que você deveria ficar comigo até resolvermos isso. Eu tenho os meios para proteger você e..." Seus olhos azuis se iluminam com uma expressão tão esperançosa que me faz soltar as próximas palavras sem hesitação. "Seria bom ter uma estagiária.” Ela pisca surpresa, sua boca abre e fecha por um momento, antes de falar novamente. "O que exatamente uma estagiária faz para um juiz?" Eu esfrego a parte de trás do meu pescoço. "Honestamente?" Ela acena com a cabeça, com um sorriso fofo em seus lábios. "Eu não tenho a menor ideia." Nós dois rimos, mas a esperança diminuiu em seus olhos brilhantes. Ela acha que estou a sacaneando, eu acho. "Eu não sei," explico, "mas vamos descobrir. Já me perguntaram algumas vezes se eu queria um estagiário e

K. WEBSTER


nunca me interessei. Usualmente, passo as ofertas para outros funcionários e juízes no tribunal. Normalmente, não tenho tempo nem paciência.” Suas costas se esticam enquanto ela ouve. “Mas há algumas coisas com as quais preciso de ajuda. Você teria que passar por um teste de drogas e uma verificação de antecedentes. Assinar um contrato de não divulgação. E, claro, o RH vai querer confirmar sua educação e seu diploma.” "É claro", diz ela, excitação em sua voz. "Eu posso fazer isso." Então suas feições caem. “Ainda vou precisar do meu trabalho noturno. Os estágios geralmente não são remunerados”. Eu sacudo minha cabeça. “Você vai ser paga. Vou fazer com que seja. Você pode dizer a Miles que acabou. Não parece que você goste muito desse trabalho de qualquer maneira.” Seu lábio se contrai. "Eu odeio. Como você conhece Miles?” Isso é algo que eu não quero falar. Ele é da família agora, mas isso não significa que tenha que gostar dele. “Eu o vejo por aí. O que você acha?” Pergunto, mudando de assunto. "Começa amanhã?" Ela sorri para mim e é positivamente linda. Não sei por que estou tão arrebatado por essa mulher. No entanto, preciso me controlar. Especialmente se ela vai trabalhar comigo. O beijo foi divertido, mas não pode acontecer novamente. Nem posso dormir com ela. “Você realmente quer que eu fique com você? Não acha que ele vai me encontrar lá?” Ela já está se transformando na mulher espancada e assustada. É lindo de assistir. A maneira como seus ombros não estão mais curvados. Como seus olhos brilham com antecipação.

K. WEBSTER


“Eu tenho vários quartos vagos. Minha filha Sophia é uma espécie de urso, mas não acho que vai ser um problema,” asseguro a ela. Sophia está passando por muitos problemas ultimamente e eu não sei como ajudá-la. Ela afirma que está bem, mas desde o acidente de softball, que deixou seu quadril todo machucado, ela não tem sido a mesma. "Talvez devêssemos passar na sua casa e pegar algumas coisas." Ela coloca o café na mesinha e sai da cama, antes de se aproximar de mim. Eu sou pego de surpresa quando ela se inclina para frente e beija minha testa. "Obrigada." Enquanto ela recolhe seu uniforme e arrumamos a cabana, não posso deixar de querer dizer o mesmo a ela. Obrigado, Dorian. O fogo queima meu peito e o propósito me toma. Faz anos que não me sinto tão vivo.

“Você sempre morou aqui?" Meus ombros estão tensos enquanto caminhamos pelo complexo de apartamentos. É do lado ruim da cidade e as pessoas que estão vadiando são questionáveis, mesmo a esta hora da manhã. O lugar é degradado e as ervas daninhas superam as rachaduras nas calçadas. Ela ficará muito mais segura na minha casa. “Nos últimos dois meses. Eles me deixaram pagar meu aluguel em dinheiro para me manter fora do sistema. Aparentemente, isso não é incomum para eles. Além das ocasionais ofertas para me dar um bom tempo e do casal acima de mim que faz um sexo barulhento e estranho, tem sido tudo bem.” Ela caminha até uma porta e hesita. Eu desvio minha atenção do apartamento ao lado que tem uma fralda usada suja no tapete de boas-vindas.

K. WEBSTER


No momento em que percebo que a porta dela está entreaberta, passo na sua frente. "Fique para trás", ordeno, um rosnado baixo sai da minha garganta. Ela acena rapidamente para mim, a mulher aterrorizada de antes está de volta no lugar. Empurro a porta e meu coração afunda. O lugar foi destruído. Buracos perfuram as paredes. Seu sofá está cortado em pedaços. Pratos quebrados por todo o chão da cozinha. "Porra," eu amaldiçoo sob a minha respiração. "O que-" Um gemido me deixa saber que ela viu a destruição. "Fique aqui. Deixe-me ter certeza de que não tem ninguém.” Ando pelo local abrindo as portas do closet e olhando debaixo da cama, mas ninguém está aqui. Em seu quarto, todas as suas roupas foram arrancadas do seu armário e gavetas. Tudo está bagunçado. Quem fez isso foi um babaca. Minha aposta é em seu ex-perseguidor abusivo. "Está seguro", eu digo. Momentos depois, ela está na porta de seu quarto com lágrimas nos olhos. "Como ele pode?" Corro para ela e a puxo contra o meu peito. Eu também precisaria de um abraço se alguém destruísse minha casa. “Da mesma forma que ele machuca você. Ele é um bastardo e não vai se safar tão facilmente. Arrume uma sacola com o que é aproveitável, se é que tem alguma coisa, e vou providenciar o que você mais precisar depois." Puxando meu telefone enquanto ela pega as roupas no chão, eu ligo para meu amigo Rick. "Xerife McMahon", ele explode na linha.

K. WEBSTER


Esfrego meu rosto, meus olhos deslizando pelas molduras quebradas no chão e balanço minha cabeça. "E aí, cara." "Surgiu mais alguma coisa?" Acabamos de falar esta manhã e eu já estou ligando novamente. “Na verdade, o lugar dela foi destruído. Foi ele, Rick. Eu sei que foi ele,” grito, fúria borbulhando no meu peito. Não sou um homem violento, mas que Deus me ajude, quero esmagar o crânio de Carson. Um único soco certeiro em seu rosto bonito não foi o suficiente. “Envie-me o endereço e estou a caminho. Apresentar um relatório é o primeiro passo para construir um caso sólido contra esse cara”, explica ele, com uma voz rouca. "Vejo você em breve." Eu envio o endereço para ele e depois a ajudo a encontrar qualquer coisa que não tenha sido destruída. Não restou muito. Ela desaparece no quarto e quando ouço seu grito, corro para o outro cômodo. "Eles estavam na secadora!", exclama, segurando um pijama de flanela no peito. “Eles são meus favoritos. Ele não os arruinou." É então que decido que vou procurar a marca e comprar um de cada cor. Qualquer coisa para ver aquele doce sorriso no rosto dela novamente. Ela continua a tirar as outras roupas da secadora enquanto eu entro em contato com a gerência do complexo de apartamentos. Levo minha conversa para o outro cômodo, digo a eles que limpem e consertem o lugar. Que vou pagar pelos danos e que ela está indo embora. Como ela estava pagando mês a mês em dinheiro, eles nem questionaram. Ela já tem um saco cheio de coisas que não foram destruídas quando o xerife finalmente aparece. Ele tira os óculos escuros de aviador enquanto entra no apartamento, uma carranca em seu rosto. Rick e eu

K. WEBSTER


temos uma história. Ele foi para a escola com meu irmão mais novo Mathias e estava sempre lá em casa enquanto crescia. Meu irmão mudou-se para o oeste para cursar a faculdade e acabou se estabelecendo em San Francisco. Rick e eu nos aproximamos quando meu irmão não estava mais por perto. "Eu sou o xerife McMahon", ele cumprimenta quando vê Dorian. Ela aperta a mão dele e franze a testa. "Desculpe por tudo isso." “Nada para se desculpar, querida. Não há nada que eu odeie mais do que um homem abusivo obsecado em destruir a vida de uma mulher. Você vai me contar tudo que puder sobre Carson Jennings.” Ele me lança um olhar sombrio. "E então nós vamos destruir o bastardo do mal.”

“Sophia!” Eu grito da entrada da minha casa enquanto fecho a porta atrás de nós. Depois que o xerife documentou a cena em seu apartamento e ajudou-a a protocolar uma ordem de restrição contra Carson, fomos para o shopping. No começo ela resistiu em me deixar pagar pelas roupas, mas quando concordei que fosse um empréstimo, finalmente cedeu. O coxear de Sophia pode ser ouvido e logo ela contorna o corredor se apoiando demais na bengala. Faço uma anotação mental para me sentar com Drew, o dono da clínica de fisioterapia que ela frequenta três vezes por semana, e obter algumas respostas reais sobre sua deterioração. Sua expressão está entediada enquanto ela examina as muitas sacolas dispostas aos meus pés. Mas quando seus

K. WEBSTER


olhos verdes se levantam para encontrar a bonita loira em pé atrás de mim, ela endurece. Todo o tédio foi embora quando suas sobrancelhas se franzem. "Querida", eu digo em um tom que se usaria em um cachorro que está prestes a sair mordendo. "Essa é uma amiga minha. Dorian Dresser. Ela vai ficar conosco por um tempo.” A sobrancelha escura de Sophia se levanta com a menção de "amiga" e o sorriso no rosto dela me diz que não acredita nas palavras que saem da minha boca. Não cabe a mim contar a história de Dorian, então isso terá que servir por enquanto. "Ela vai estagiar no tribunal comigo", continuo. "Por que você não tira alguns bifes e nós vamos grelhar mais tarde?" Sophia cumprimenta Dorian com um sorriso gelado antes de se arrastar para a cozinha. Uma vez que ela não pode mais nos ouvir, me desculpo por ela. "Eu sinto muito. Ela está bastante infeliz desde que sofreu uma lesão no softball na última primavera.“ Dorian acena. "Tudo bem." "Deixe-me mostrar-lhe o seu quarto." Eu pego as sacolas e a guio através da minha enorme casa dando-lhe uma breve turnê ao longo do caminho. Porque sou um homem solitário e egoísta, eu a instalo no quarto de hóspedes que fica ao lado do principal. Uma vez lá dentro, coloco as sacolas na cama queen-size que está decorada com uma colcha de retalhos herdada da família da minha falecida esposa. Muitas vezes, encontro Sophia aqui enrolada com a colcha em volta dela. “Sirva-se de qualquer coisa aqui de casa. Há um banheiro anexo. Eu vou acender a grelha por volta das cinco...” Me calo quando ela cai de costas na cama e seus seios saltam sob o tecido da camiseta emprestada de Dane. Eu posso ver seus

K. WEBSTER


mamilos, eretos e apenas implorando por atenção. Foda-me, talvez trazê-la aqui tenha sido uma má ideia. Eu limpo minha garganta. “Se você precisar de mim, estarei aí ao lado. Estou precisando desesperadamente de um banho.” Um banho frio.

K. WEBSTER


Eu acordo da minha soneca confusa e desorientada. O pânico me deixa imóvel até eu perceber que não estou na casa chique de Carson. Estou segura. Com um juiz entre todas as pessoas. O chuveiro do banheiro de hóspedes é dez vezes mais luxuoso do que o que eu tinha no meu apartamento, que tinha pouca água quente. Este pulveriza água quente pelo que parece uma eternidade. Após a mais longa ducha de todas, eu me envolvo em uma toalha e coloco minhas novas roupas no armário. Uma batida na porta me assusta. Correndo para a porta, eu a abro, ansiosa para ver Max novamente. Ele pode ou não ter protagonizado uma pequena fantasia no chuveiro, onde me levei ao orgasmo pela primeira vez em meses. "Vim lhe avisar que..." Suas palavras cessam quando ele fica boquiaberto comigo em nada além da minha toalha. Eu abri a porta sem pensar. O calor sobe pela minha garganta enquanto ele tenta e não consegue tirar o olhar do meu corpo que mal está coberto por uma toalha amarrada apenas nos meus seios. "Eu, humm, eu..."

K. WEBSTER


Enquanto ele está lutando para formar palavras, eu rapidamente examino seu corpo de banho tomado. Ele não está mais vestindo em um terno, mas em vez disso está casual - e quente como o inferno, se eu for franca - em uma camiseta preta justa com decote em V e jeans sexy na moda com alguns buracos e desgastado. Seu cabelo castanho escuro está penteado de uma maneira que eu colocaria como “apenas fodida”, bagunçado de uma forma deliberada. Ele esfrega a mão no rosto, antes de arrastar o olhar para o teto, como se estivesse rezando para o homem lá de acima. “Você está bonito,” murmuro, minha voz quase um sussurro. Seus afiados olhos verdes se fixam nos meus e não me escapa o brilho de fome neles. Isso envia um arrepio pela minha espinha, que não tem nada a ver com o fato de meu cabelo ainda estar molhado e o ar condicionado estar com a temperatura muito baixa. "Você também." Sua voz é rouca e toda masculina. Ele fala com as minhas partes femininas que estão desesperadas para se conectarem com um homem, tanto fisicamente quanto emocionalmente. "Ah", eu digo com uma risada brincalhona. "Essa coisa velha?" Seus lábios se curvam de um lado. Estou gostando muito de seus sorrisos tortos. "Especialmente essa coisa velha." Ele chega para frente e puxa uma mecha molhada do meu cabelo. Sua proximidade está acordando partes de mim que estão adormecidas por muito tempo. Eu quase solto um gemido de necessidade quando seu polegar passa pelo meu queixo antes dele retirar a mão. "Você deve se vestir e vir nos ajudar a cozinhar."

K. WEBSTER


Ele anda pelo corredor se afastando de mim, mas noto quando ele lança outro olhar por cima do ombro. Sua expressão está perturbada, como se estivesse em guerra consigo mesmo. Isso me faz querer ficar ao lado do homem sedutor dentro dele e convencer ao juiz responsável de que está tudo bem ser um pouco imprudente. Estou cansada de correr e me esconder. Eu só quero ser livre. E ele pode ser a pessoa a me ajudar a fazer isso.

Trinta minutos depois e estou toda embonecada. Para ele. Desde que reconheci minha atração por Max e decidi que queria fazer algo a respeito, fiquei um pouco mais determinada. E, por determinação, refiro-me ao meu antigo eu. O fogo que costumava queimar dentro de mim e me levar a ser a melhor em tudo que me metia, mais uma vez se acendeu. Sinto no meu interior a queimação lenta que tem o potencial de se transformar em um inferno furioso novamente. Carson apagou aquelas chamas com seu coração frio, congelante. Mas cansei de ser contida. Antes de sair do quarto, olho para o meu novo vestido de verão. É um top azul brilhante que expõe meu decote provocante. Puxei meu cabelo em um rabo de cavalo chique para que a parte traseira aberta do vestido seja revelada. As sandálias brancas que calcei não são exatamente sexys, mas o resto parece muito bom. Minha maquiagem está moderada, mas prestei atenção extra aos meus lábios. Eles parecem mais cheios e beijáveis. Eu vou beijá-lo novamente hoje.

K. WEBSTER


Eu ando pela casa em direção à cozinha. Sua filha Sophia está sentada à mesa cortando legumes para uma salada. Max está na ilha da cozinha fazendo furos nos bifes. Cada vez que ele mergulha a lâmina na carne, o músculo do seu braço se flexiona. Eu ainda tenho dificuldade em acreditar que ele é tão velho quanto diz. Quando olho para Max Rowe, não vejo um homem envelhecido. Viril. Forte. Sexy. Viciante. Não acho que ele perceba o quão delicioso realmente é. Sempre que flertamos, ele parece quase tímido. E embora ele normalmente pareça ser um homem confiante, algo sobre o seu jeito de lidar com as mulheres - ou pelo menos comigo - parece doce e inocente. Depois do que eu passei com Carson, Max é exatamente o que eu preciso. "Você sabe como fazer limonada?" Sophia pergunta em saudação, com seu tom cheio de veneno. A atenção de Max é atraída para mim e seus traços se obscurecem ao me ver. Algo carnal pisca em seus brilhantes olhos verdes, acendendo um fósforo dentro de mim. Ok, então talvez ele não seja tão inocente depois de tudo. Mas em vez de temê-lo, isso só me faz querer mais dele. "Eu sei", respondo a ela sorrindo. Ela revira os olhos e volta a cortar. Quando minha cabeça se volta para Max, o vejo rondando meu caminho, a fome em seu olhar poderoso.

K. WEBSTER


"Você está linda", ele diz, seus olhos desavergonhadamente vagando pelo meu corpo, mas demorando nos meus seios. "De tirar o fôlego." Sophia bufa, mas a ignoro. Eu também estou presa no olhar feroz desse homem. É como se ele estivesse me despindo com os olhos. Quero ficar nua para ele. Quero ver esse mesmo olhar quando ele espalhar minhas coxas e se afundar dentro de mim. "Limonada," eu digo, com minha voz trêmula. Ele limpa a garganta, o feitiço foi quebrado. “Gabinete superior ali. Há um pacotinho lá, mas sempre cortamos alguns limões frescos para adicionar ao jarro. O jarro está naquele armário perto da geladeira." Eu lhe dou um sorriso e começo a fazer a limonada. Sophia não fala muito, mas Max e eu facilmente entramos em uma conversa sobre meus estudos na faculdade. Apesar de Carson me aterrorizar, consegui terminar meu curso na primavera passada. Conversar com o Max é fácil. Ele me faz sentir confortável. "Quer vir me ajudar com a grelha?", ele pergunta. "Vou te mostrar a piscina." Eu aceno com um sorriso brilhante no meu rosto. Tenho certeza que não quero ficar sozinha com a rainha do gelo que parece que come loiras como eu para o jantar, em vez do bife que planejamos. Uma vez fora, ele verifica a grelha, mas não coloca os bifes de imediato. Ele coloca a travessa na borda próxima à grade e me oferece sua mão. Sem hesitação, eu aceito. Correntes elétricas parecem pulsar de onde sua mão quente aquece a minha mão fria. Juntos, caminhamos pelo grande quintal onde ele me mostra a piscina, a banheira de hidromassagem e, finalmente, um gazebo em um canto do pátio, com vista para um laguinho.

K. WEBSTER


“Oh!" Exclamo ao ver o grande peixe amarelo. "Eles são tão bonitos." Descanso meu peito contra o gazebo enquanto olho para o lago. "Tão linda", ele concorda, sua voz rouca. Eu quase gemo no momento em que suas mãos pousam na minha cintura. Ele se aproxima de mim para espiar o peixe por cima da minha cabeça. Seu calor quase me sufoca, mas de um jeito bom. Eu quero que ele envolva todos os meus sentidos. Com ele tão perto de mim, não posso deixar de me inclinar contra ele, buscando seu toque reconfortante. Ele cheira delicioso e tudo sobre ele me atrai. Neste momento em vez de resistir, seus braços me envolvem abaixo dos meus seios e ele me abraça. Sua ereção está dura e imponentemente pressionada contra minhas costas. "Você me faz esquecer o que é certo e errado", ele admite, vergonha pontuando suas palavras. Eu viro minha cabeça para poder olhar para ele. Seus olhos verdes brilham com necessidade. Isso me faz tremer em seus braços. "Às vezes é bom esquecer tudo por um tempo." Sua boca está a centímetros da minha. Eu quero que ele me beije novamente. Quando lambo meus lábios como um convite, um suspiro ressoa em seu peito. Isso vibra na minha buceta. "Dorian..." Viro-me em seus braços para que meus seios fiquem esmagados entre nós. Levantando meu queixo, encontro seu olhar ardente assim como o meu. "Eu quero esquecer agora." Esse é todo o convite que o bom juiz precisa. Sua mão desliza para o meu pescoço, onde ele me agarra de forma possessiva. Ele abaixa a boca na minha e captura meus

K. WEBSTER


lábios com os seus. Max não me beija docemente. Este beijo é um monte de promessas em um momento. Eu vou beijar você até perder a respiração. Eu possuirei cada parte do seu corpo com a minha boca. Eu vou empurrar meu pau dentro de você e torná-la minha. Um gemido me escapa, o que parece desencorajá-lo. Suas mãos deslizam para baixo na minha bunda onde ele me levanta. Agarro em seu pescoço, com medo de que ele me deixe cair. Mas ele me levanta como se eu não pesasse nada. Quando ele empurra minhas costas contra o lado do gazebo e seu pau esmaga contra a minha buceta através de nossas roupas, eu grito de prazer. Ele me beija de uma maneira que consome tudo enquanto ele empurra seus quadris contra mim. Cada vez que seu pau esfrega contra o meu clitóris, eu estremeço. "Você vai me fazer gozar assim", sussurro contra seus lábios, com surpresa no meu tom. Ele rosna novamente, o que coloca minhas entranhas em fogo. "Eu vou fazer você gozar assim e depois vou fazer você gozar de um monte de outras maneiras também." As imagens que passam pela minha mente são imundas. Juntamente com a maneira como ele habilmente se esfrega contra mim, eu me perco em um orgasmo vulcânico em questão de segundos. Começo a gritar de prazer, mas ele me silencia com um beijo devorador. Quando volto a mim, ele finaliza o nosso beijo e olha para mim como se estivesse maravilhado. Eu quero congelar esse momento. Esquecer tudo de ruim na minha vida e deixar que esse juiz poderoso e sexy possua minha boca e meu corpo.

K. WEBSTER


"Isso é provavelmente completamente errado", ele murmura. Mas seu tom não é de lamento. O jeito que ele me observa é como de um lobo. Demoníaco. Isso não me assusta porque Max é um cara legal. Suas intenções obscuras e rebeldes me excitam. "Então por que parece tão certo?" O desafio, com um sorriso brincando nos meus lábios. Lentamente, ele me coloca de pé e endireita meu vestido. "Vamos começar com os bifes. Mas mais tarde, hoje à noite...”, ele se afasta e sua mandíbula enrijece. Seus olhos percorrem meu corpo novamente. “Mais tarde eu vou te conhecer um pouco melhor.” Ele se afasta de mim, suas longas pernas o levam pelo quintal. Eu gasto um momento para me recompor e me pergunto se devo ir trocar minha calcinha antes do jantar. Calor flui para o sul quando me lembro de sua promessa. "Mais tarde, vou te conhecer um pouco melhor." Se essa é a sua promessa, provavelmente não vou precisar de calcinha de qualquer jeito.

“Vou dormir na Alicia esta noite", Sophia diz enquanto se afasta da mesa da sala de jantar, onde acabamos de comer o melhor jantar que eu tive em anos. Max é um mestre na grelha, além de tudo mais em que ele aparentemente é bom. "Soph", ele chama, a autoridade em sua voz fazendo-a parar. "Você está bem, querida?"

K. WEBSTER


Ela se vira e mostra para ele um sorriso brilhante, mas completamente falso. “Claro, papai. Eu vou te mandar uma mensagem amanhã.” Quando ela se vai, ele se levanta e começa a limpar a cozinha. Sem dizer nada, eu o sigo. Juntos, trabalhamos na cozinha, esbarrando um no outro enquanto limpamos e guardamos toda a comida. Muito depois da porta da frente se fechar com a partida de Sophia, ele pega minha mão e me guia pela casa. "Quero te mostrar uma coisa", ele diz enquanto entra em uma sala que eu ainda não vi. Fico momentaneamente atordoada enquanto admiro o espaço masculino. Livros de todos os tipos revestem as prateleiras de cada uma das paredes. Uma espreguiçadeira fica no meio da sala e uma mesa fica de um lado. "Este é o seu escritório?" Ele acena e me leva para a mesa. Com um gesto de mão ele indica para eu sentar no tampo. Uma vez que estou acomodada, ele se senta na cadeira e começa a remexer em uma gaveta. Ele finalmente pega uma garrafa de uísque. Depois que abre a tampa, ele toma um longo gole antes de entregá-la para mim. Com uma sobrancelha arqueada de forma interrogativa, eu tomo um gole. Queima todo o caminho até o meu estômago. "Você queria me mostrar como matar meu fígado de uma só vez?" Ele ri e golpeia de brincadeira o interior da minha coxa. Palpitações sacodem diretamente no meu sexo. "Na verdade, espertinha, eu queria te mostrar isso." Ele mexe na gaveta e puxa um recorte de jornal.

K. WEBSTER


Franzindo a testa, pego o recorte dele e leio o artigo. Uma mulher, Arlene Rowe, foi baleada e morta durante um assalto que deu errado. Sua foto está granulada porque é um recorte antigo, mas os olhos são os mesmos. "Sua mãe?" Eu pergunto, minha voz rouca de emoção. Ele arranca a garrafa de uísque da minha mão e toma outro longo gole. Quando seus olhos brilham para os meus, eles estão cheios de dor. Isso faz meu coração doer por ele. Eu sei exatamente como ele se sente. “Ela tinha apenas 28 anos quando morreu. Eu fiquei com o coração partido. Chorei toda noite implorando ao meu pai para trazê-la de volta.” Ele engole sua emoção e desvia seu olhar para trás de mim. "Mas ele não pode trazê-la de volta. Eu estava com raiva. Ataquei. Supliquei por justiça. Eu era um menino, mas acompanhei o caso dela. Eu assediava o advogado do meu pai, Phil. Phil meio que me colocou sob sua asa quando ele não precisava. Esclareceu-me de cada passo do julgamento. Sentei-me na primeira fila daquele tribunal quando o júri considerou o bastardo culpado pelo assassinato.” O juiz, com os olhos apertados e uma expressão zangada, continuou. “Sem direito a liberdade condicional. Foi o dia mais feliz da minha vida depois de um dos mais tristes. Naquela época, eu soube que queria ser juiz. Eu queria fazer justiça a esses bandidos.” Uma lágrima desce pela minha bochecha e escorre pelo meu queixo. "Eu sinto muito." Sua mão encontra minha coxa e seu polegar esfrega um círculo no interior dela, debaixo do meu vestido. "Não sinta. De algo trágico, encontrei meu propósito. Foi então que descobri o meu fogo. Às vezes, depois das coisas mais terríveis, descobrimos quem realmente somos. Fortalece nosso caráter.”

K. WEBSTER


Nossos olhos se encontram e ele sorri tristemente para mim. “Dorian, Carson pode ter ferrado com você e arruinado seu pai, mas isso não acabou. Ele não vai conseguir vencer. Encontre seu fogo, linda.” Pego a garrafa de uísque oferecida e engulo mais da gasolina que parece me acender por dentro. Ele tem razão. Eu não posso continuar correndo e sendo despedaçada. Estou pronta para lutar pelo que é meu. Seus olhos verdes estão confusos quando ele desliza a outra mão pela minha coxa. Um arrepio percorre minha espinha quando ele empurra meu vestido lentamente pelas minhas pernas. "Eu continuo dizendo a mim mesmo para ficar longe", ele murmura, sua voz baixa e perigosa. "Mas não consigo parar de pensar em você." Nossos olhos travam enquanto seus polegares se esfregam perigosamente perto do meu sexo sob o meu vestido. "Não consigo parar. Eu não quero parar. Pela primeira vez desde que a mãe das garotas morreu, sinto como se o homem dentro de mim estivesse acordando.” Sua mandíbula aperta e suas narinas se abrem. Claro, eu sei que ele é seguro, mas agora parece positivamente perigoso. "Diga-me que não, Dorian." Mordo meu lábio e tento reunir a bravura que eu estava sentindo mais cedo. Minhas palavras são apenas um sussurro. "E se eu não quiser dizer não?" Suas sobrancelhas se juntam e ele pressiona um beijo suave no interior da minha coxa. Ele está tão perto do meu sexo que eu praticamente posso sentir sua respiração lá. "Você pode fazer o que quiser", ele me garante, seus lábios deslizando pela minha carne sensível. Quando ele chupa minha pele, solto um gemido embaraçoso. Ele se afasta e levanta uma sobrancelha.

K. WEBSTER


"Faça mais do que isso", eu instruo, minha voz trêmula de necessidade. Ele empurra a mão no meu estômago, pedindo-me para deitar. "Então vou fazer mais do que isso. Muito mais do que isso.” Fico olhando para o teto quando ele começa a beijar seu caminho até a minha coxa. Quando sua respiração quente me faz cócegas, eu choramingo. O beijo que ele aplica no meu clitóris sobre minha calcinha é absolutamente escandaloso e ainda assim eu quero que ele faça isso de novo. Meus dedos se enroscam em seu cabelo perfeitamente bagunçado e o encorajo a repetir seu beijo sujo. Desta vez, porém, ele não beija. Me envolve com toda a sua boca. Lábios. Língua. Oh, Deus... com os dentes. Tento me levantar, mas a palma da sua mão me empurra para baixo enquanto ele assalta meu sexo com sua boca perfeita. Nunca odiei uma calcinha tanto quanto agora. Ela está no caminho e eu quero que ela desapareça. "Abra suas pernas", ele ordena, com um grunhido baixo em sua garganta. Eu obedeço e imediatamente as abro. Suas mãos são curiosas enquanto vagam pelas minhas coxas, mas não me tocam onde eu preciso ser mais tocada. Grito quando ele me lambe com força através do tecido da minha calcinha. Estou encharcada tanto por sua boca como pela minha própria excitação. Ele parece sentir isso e sua língua flutua para os lados como se pudesse procurar a entrada desse jeito. Estou prestes a pedir-lhe para tirar minha calcinha quando seu dedo grande se posiciona na sua borda. Ele puxa o tecido de lado para que eu esteja nua para ele.

K. WEBSTER


Antes que eu possa processar o que está acontecendo, sua boca está de volta em mim, mas é carne contra carne. "Oh, Deus!" Eu grito, meu corpo mais uma vez levantando da mesa. Ele mergulha a língua profundamente dentro de mim enquanto simultaneamente me empurra de volta para a mesa. Estou perdendo todo o sentido da realidade. Eu nunca fui fodida por uma língua antes. É forte, escorregadia e invasiva. Eu não quero que ele pare. Quando o polegar dele esfrega contra o meu clitóris, eu grito seu nome. Isso parece motivá-lo porque tudo o que ele faz para mim parece se intensificar. Tudo o que preciso são alguns golpes mais firmes contra o meu clitóris para eu explodir. Meu corpo inteiro treme com meu orgasmo. Eu mal retorno a realidade quando ele se afasta, ficando de pé. “Diga-me que não, Dorian", ele praticamente resmunga para mim. Ele é tão lindo agora que perdeu o controle e o brilho feroz está em seus olhos novamente. "Diga-me que não, porque se você não fizer isso, vou puxar meu pau e te foder aqui mesmo nesta mesa." Sua mandíbula aperta. "Diga. Que. Não." "Foda-me, juiz", ordeno, nem um pouco intimidada por seu aviso feroz. Ele suspira quando empurra meu vestido para fora do caminho. Minha calcinha é arrastada pelas minhas coxas e depois arrancada. Seu olhar está preso no meu quando ele abre o jeans e empurra-o para baixo em suas coxas. "Camisa", eu gemo. "Fora." Em um desses movimentos sensuais masculinos, ele agarra a gola atrás do pescoço e puxa-a sobre a cabeça, revelando seu peito musculoso e tatuado para mim. Egoisticamente, eu olho entre nós e inspeciono seus músculos por cima de músculos.

K. WEBSTER


Ele tem um V. Nenhum dos ex-namorados com quem já estive parecia remotamente tão bom. Eu morri e fui para um inferno escaldante. E tenho certeza que nunca vou querer sair. Com o lábio preso entre os dentes de um lado, ele empurra sua cueca boxer preta para baixo e agarra seu pau impressionante e grosso em sua forte mão cheia de veias. "Você está prestes a ser fodida, garotinha.”

K. WEBSTER


Eu morri e fui para o céu. Essa é a única maneira de explicar o anjo de olhos azuis e cabelos loiros que está esparramado na minha mesa. Seu peito está arfando, seus olhos estão selvagens, e sua buceta ainda está encharcada do orgasmo que lhe proporcionei com apenas meu polegar e língua. Porra, ela tem um gosto bom. Doce como pecado. E quando sua buceta apertou minha língua quando ela gozou, eu nunca tinha experimentado nada como isso. Ela é apertada e vai se sentir muito bem no meu pau. Agarro seus quadris e a puxo para mais perto de mim até que sua bunda esteja pendurada na borda da mesa. Um gemido de antecipação lhe escapa. Seus dedos vão para a parte de trás do pescoço enquanto ela desamarra a parte de cima do vestido. Meu pau desliza entre os lábios do seu sexo quente, mas não entro nela ainda. Estou muito ocupado aproveitando o pequeno espetáculo de strip que ela está fazendo. No momento em que ela abaixa o vestido até a barriga e revela seus seios nus, eu gemo.

K. WEBSTER


Mamilos pequenos como pêssegos. Peitos brancos minúsculos que eu quero que fiquem roxos. Porra, ela é perfeita. "Toque-os", eu grito, minha voz rouca de necessidade. Ela obedece - boa menina - e provoca seus mamilos com os polegares. Meus quadris balançam contra ela, que estremece quando meu pau desliza em seu clitóris ainda sensível. "Preciso ir lá em cima e buscar um preservativo", eu digo, mas não paro de me esfregar contra ela. Seu gemido desesperado quase me faz penetrá-la. “Estou limpa. E você... você está limpo, certo?” Eu concordo. "Bebês?" "Puxe para fora", ela respira, com os olhos encobertos e urgentes. Com meu pau em uma mão e minha outra em seu quadril, me introduzo profundamente em seu corpo apertado com um poderoso impulso. Ela grita e eu quase desmaio de prazer. Faz tanto tempo que me esqueci o que é estar com uma mulher. É incrível. Assim que eu começo a entrar nela, ela me lança um olhar desesperado. "Me beije." Eu não tenho que ouvir duas vezes, deslizo um braço embaixo dela e a puxo para os meus braços. Seu corpo pousa no meu pau e seus braços envolvem meu pescoço. Com as pernas enroladas em volta de mim, estamos em uma posição perfeita para beijar. Nossos lábios e línguas lutam para chegar um ao outro. Eu me livro dos meus sapatos e do resto das minhas roupas enquanto caminho até a parede mais próxima, que por acaso

K. WEBSTER


é a minha estante de livros. Ela grita quando a empurro contra os livros e nunca perco meu ritmo de fodê-la. "Deus", eu gemo contra sua boca. "Você é perfeita pra caralho." Ela puxa meu cabelo quando começa a se perder em outro orgasmo. Este eu posso sentir reivindicando-a de dentro. Seu corpo se agarra em torno do meu pau e ordenha meu próprio clímax com tanta força que quase a deixo cair. Eu começo a puxar para fora para que meu esperma fique entre nós, mas ela está me trancando, sua boca desesperadamente reivindicando a minha. Estou tão envolvido nela que nem dou a mínima. Deixo escapar um profundo gemido quando meu orgasmo dispara dentro dela. Nós dois permanecemos parados depois de algum tempo, nossos beijos se tornam mais lentos. Estamos presos juntos como um quebra-cabeça complicado de duas peças. Quando meu esperma escorre para fora dela e desliza pela minha coxa, eu a deslizo para fora do meu pau, agora flácido, e a coloco de pé. "Você está bem?" Minha voz está rouca. Ela olha para mim com um brilho que eu ainda não tinha visto em seus olhos. "Eu não acho que já estive melhor.”

“Por que parece que estou em uma fantasia aqui com você?” Ela murmura no escuro, seu corpo nu enrolado contra o meu. Eu acaricio seu cabelo ainda molhado. É a primeira vez que eu tomo banho com outra mulher desde a minha esposa. Esqueci o quão íntimo pode ser e depois dela ensaboar meu peito, estava pronto para transar com ela novamente. Fiz exatamente isso contra a parede do chuveiro enquanto ela gritava meu nome.

K. WEBSTER


"Porque é bom demais para ser verdade", eu respondo honestamente. Ela fica quieta por um momento. "Você não se transforma em um monstro à meia-noite, não é?" "Não, linda. Ainda vou ser seu príncipe encantado,” eu provoco, com minha voz brincalhona, em uma tentativa de afastála dos pensamentos sombrios de seu ex. Seu corpo se vira para o meu. “É assim que a gente deve se sentir, certo? Não me sentia assim com Carson. Ele foi meu... ele foi meu único...” Apenas a menção desse idiota abusivo faz meu sangue ferver. “Eu tive a sorte de encontrar alguém compatível e maravilhoso no começo da minha vida. Eu a perdi, mas sim, nós compartilhamos momentos exatamente assim. Um homem deve adorar sua mulher, não machucá-la. Um homem, se ele é homem, deve querer que ela levante voo. Carson gostava de você sob a sola do sapato caro dele. Você não merecia estar lá, linda.” Eu não posso vê-la, mas preciso beijá-la. Meus lábios buscam os dela na escuridão. Nosso beijo é lento enquanto tomo meu tempo provando-a. Essa coisa com Dorian está se movendo rapidamente e fora de controle, mas não quero que isso pare. Ela é a primeira coisa real que eu senti há uma eternidade. Minha vida tem sido sobre minhas garotas. Mas agora que elas estão todas crescidas, eu estava perdendo meu propósito. Dorian me dá um propósito. Eu posso proteger e cuidar dela. Mantê-la segura daquele filho da puta. "Eu gosto de estar em seus braços", ela admite, com sua voz doce e sensual.

K. WEBSTER


Eu a beijo profundamente. Meu pau está grosso e excitado, pressionado contra sua coxa. "Você se encaixa perfeitamente neles." Mordisco seu lábio inferior fazendo-a gemer. "Eu gosto que você não seja suave comigo apesar de... apesar de tudo..." Sua voz vacila. "É como se você perdesse o controle em torno de mim." Eu gemo porque ela está certa. Não posso manter minhas mãos longe dela agora que a tive. "Não consigo ser suave com você", eu provoco antes de chupar seu lábio. "Tudo é muito, muito intenso." Me empurro contra sua coxa fazendo-a rir. "Bom. Não quero que você seja suave comigo. Eu gosto disso”, ela sussurra. Seu corpo se mexe contra mim. "Os tipos de hematomas que você pode me dar são muito diferentes dos que eu tinha antes. Você vai me machucar?” Suas palavras são destinadas a me excitar e me provocar. Porra, eles sempre funcionam. "Pode apostar que vou", rosno quando eu a viro de costas para mim. Beijo seu ombro nu antes de afastar suas coxas com meu joelho. "Você quer ser dominada e fodida?" "Humm", ela choraminga. "Eu quero." Eu a prendo na cama por seus braços e começo a arrastar a ponta do meu pau inchado contra seu centro molhado. Meu pau desliza entre os lábios de sua vagina e esfrega contra seu clitóris fazendo-a estremecer. “Não me provoque.” Sua voz é abafada contra os lençóis. "Assim?" "Oh, merda", ela amaldiçoa. Eu a provoco porque sei que ela gosta. Seus gemidos enquanto se contorce me dizem isso. Quando ela não

K. WEBSTER


aguenta mais e solta um grito de prazer, escolho esse momento para dirigir meu pau o resto do caminho dentro dela. Suas paredes vaginais ainda estão apertadas em êxtase e a sensação é incrível. Empurro duro e furiosamente nela, meu corpo suado batendo contra o dela até que encontro a minha própria libertação. Um jato quente de gozo jorra dentro dela, mas consigo tirar e derramar o resto em sua bunda perfeita. "Oh, Deus", ela sussurra. "É assim... que deve se sentir..." Eu sorrio enquanto sujo minha mão na evidência da minha liberação em sua bunda antes de bater em sua carne. "Gozar em toda a sua bunda é quase tão bom quanto entrar dentro de você." Agarro seus quadris e a coloco de costas. Rastejando até o corpo dela, eu beijo sua pele macia ao longo do caminho, prestando atenção especial em seus mamilos. "Eu poderia me acostumar com isso. Você. Nós,” admito, minha voz rouca e crua. "Você acordou o maldito animal dentro de mim e não tenho certeza se ele vai descansar novamente." Ela agarra meu cabelo e me guia para mais perto dela até nossas bocas se encontrarem novamente. Sua respiração é quente contra meus lábios. “Quem precisa de descanso?”

Bocejo enquanto olho para um arquivo aberto de um processo. Talvez ficar acordado até as primeiras horas da manhã fazendo amor com Dorian tenha sido uma má ideia. Meu olhar se dirige para a mesa redonda no meu escritório, onde ela está digitando furiosamente no meu laptop. Ignorando meu arquivo, eu a observo. Suas costas estão retas e há um brilho determinado em seus olhos. Por meio segundo, eu me

K. WEBSTER


preocupei que talvez ela não fosse profissional enquanto trabalhasse comigo. Tudo isso se dissipou no momento em que ela se sentou e começou a trabalhar no que pedi com facilidade e poucas perguntas. O RH ficou entusiasmado com o fato de eu ter contratado uma estagiária e estava feliz de me empurrar mais papelada. "Humm", ela sussurra, as sobrancelhas franzidas. Ela não fala sobre o assunto, mas eu tenho certeza que ela está tendo uma diferença de opinião sobre algo que está lendo. “Há muitos 'humms' neste trabalho. Também há muitos sorrisos quando a justiça é feita,” eu digo, minha voz atraindo seu olhar para o meu. "Como você faz isso?" Seu nariz se contorce como se ela estivesse tentando imaginar estar no meu lugar. "Como você não fica bravo quando veredictos errados são dados?" Ajusto minha gravata e me inclino para trás na minha cadeira de couro. “Eu confio no sistema. Na maioria das vezes, ele funciona. E se não conseguirmos a resposta que queremos, muitas vezes revejo esses casos em novos julgamentos. É dever do advogado reunir as provas que convencerão um júri. O trabalho deles é muito mais importante que o meu.” Ela acena com a cabeça. "Eu posso ver isso. O mundo precisa de mais bons advogados, né? "Isso ele faz." Meus olhos se deslocam para o relógio. "É quase meio-dia e eu não tenho que estar no tribunal até as duas. Você quer almoçar?” Seus lábios se curvam em um sorriso de tirar o fôlego. "Claro." Ela fecha o laptop e fica em pé. Um dos seus novos terninhos abraça seu corpo como uma luva. O material cinza claro se agarra a sua bunda para que não fique dúvida sobre

K. WEBSTER


quão perfeitas suas curvas realmente são. Meu pau se contorce lembrando que eu estava dentro dela de novo esta manhã, antes do nosso banho. Nós fomos descuidados sobre sexo, mas nenhum de nós parece muito incomodado com isso. Eu não dormiria com ela a menos que sentisse que algo real existe entre nós. Dorian também não é do tipo promíscuo. Ela quer que floresça o que há entre nós, assim como eu. “Seus sorrisos de lobo não deviam me excitar tanto quanto fazem,” ela diz, com seus lábios levantando de um lado. Eu me levanto da minha cadeira e pego meu paletó no armário. “Eu nunca tive sorrisos de lobo até você. Eu te disse que você acordou a fera.” Circundando-a, fico feliz quando ela não se encolhe, mas ergue o queixo como se estivesse pronta para receber um beijo. Eu seria um idiota se negasse isso a ela. Eu deslizo meus dedos em seus loiros cachos bagunçados e esmago meus lábios contra os dela. Um pequeno suspiro escapa dela enquanto a beijo profundamente e cheio de má intenção. Suas mãos apertam as lapelas do meu paletó enquanto nos beijamos. Quando nos separamos, minha testa descansa contra a dela. "Fico feliz por ter encontrado você no clube na outra noite. Não tinha percebido o quão sozinho eu estava até ter você em meus braços. Estou feliz por ter encontrado você. Ninguém mais poderia preencher esse vazio, tenho certeza disso.” Ela suspira e se inclina para beijar meus lábios novamente. “Eu jurei ficar longe dos homens e então conheci você. Todo poderoso, imponente e quente. Não havia como te ignorar, Max. E, francamente, eu não quis. É bom o que está se formando entre nós. Parece certo.” Seu estômago ronca e nós dois rimos.

K. WEBSTER


"Vamos tirar você daqui para que eu possa te alimentar. Por mais que você ame meu pau, ele terá que servir de sobremesa depois.” Ela suspira e eu nunca me senti tão vivo.

“Food trucks 3 me fazem lembrar do meu pai,” ela diz suavemente enquanto amassa o papel do seu taco. Eu estendo minha mão para aceitar o lixo e coloco no saco no meu colo. Estava ventando muito para sentar do lado de fora, mas gosto de tê-la toda para mim mesmo que seja no meu carro. "Sério?" Ela aponta para um prédio. “Isso era dele. Antes de Carson arruinar tudo. Papai e eu nos encontrávamos muito aqui para almoçar. Era engraçado vê-lo comer selvagemente tacos gordurosos de food trucks enquanto usava um terno Armani caro. Ele parecia fora do lugar, mas esse era o meu pai. Ele fazia o que queria. Eu admirava isso nele. Destemido. Então...” A voz dela falha e ela olha para o colo. “Então foi como se ele tivesse perdido o fogo interior e estivesse com medo. Com medo de perder tudo e ter que começar de novo. Eu ainda não consigo acreditar que ele me deixou.” Inclinando-me sobre o console, aperto seu queixo e a viro para mim. Lágrimas frescas e quentes rolam por suas bochechas rosadas. “Até as pessoas mais fortes têm momentos de fraqueza. Ele amava você com tudo o que tinha. Eu sei que ele ficaria 3 Food truck (traduzido do inglês, "caminhão de comida") ou carro de comida é um espaço móvel que transporta e vende comida. Alguns, como caminhões de sorvete, vendem congelados ou pré-embalados; outros se assemelham a restaurantes sobre rodas. Alguns servem refeições específicas, como, por exemplo, tacos, hambúrguer e comida chinesa.

K. WEBSTER


orgulhoso de como você se levantou das cinzas e está trilhando um novo caminho.” Suas narinas se abrem e seu lábio inferior treme. "Por sua causa. Se você não tivesse aparecido, eu estaria hoje procurando um novo emprego ostentando um olho roxo ou pior.” "Tudo o que fiz foi te lembrar de quem você é", murmuro, meus lábios roçando os dela. "Você fez o resto." Nós nos beijamos e ela tem gosto de limão de seus tacos. Eu poderia devorá-la o dia todo, mas preciso voltar ao tribunal em breve para me preparar para o próximo caso. Nosso beijo dura até alguém bater na janela dela. Carson está do outro lado do vidro. Raiva explode de dentro de mim e eu não penso duas vezes antes de sair do carro e me aproximar dele. "Tenho tudo isso gravado", diz ele em um tom de presunção. “Juiz reverenciado fodendo minha namorada. O que o valioso público vai pensar?” Ele ainda segura o telefone na mão e eu quero arrancá-lo dele. Mas me mantenho calmo. Não posso sair por aí agindo como um violento impetuoso como ele. Minha reputação está em jogo. Além disso, ele está se enterrando mais fundo. "Sr. Jennings,” eu digo com uma voz fria. “Senhorita Dresser entrou com uma ordem de restrição contra você. Você não está a menos de quinhentos metros dela. Sugiro que se afaste daqui antes que eu chame o xerife McMahon.”

K. WEBSTER


Seus olhos se estreitam para mim. Ele desliga o telefone e enfia no bolso. "Bem. Eu estou saindo, mas ela ainda é minha maldita mulher. Vou pegá-la de volta, juiz. Eu sempre a pego no final. A pequena e bonita Dorian pode correr,” ele rosna, seu rosto ficando vermelho brilhante. "Mas ela não pode se esconder." Ele se afasta. Eu não percebo que ainda estou olhando para ele com meus punhos cerrados até que dois braços finos me abraçam por trás. "Obrigada", ela sussurra. "Eu estava tão assustada." Meu coração afunda. Odeio o fato de que ele acha que vai pegá-la eventualmente. Sobre o meu maldito cadáver. "Você não precisa se assustar comigo do seu lado, linda. Eu não vou deixar esse filho da puta te machucar novamente.” O juramento paira no ar. É uma promessa que eu nunca vou quebrar.

K. WEBSTER


Eu sou uma estagiária Para o juiz mais quente que este país já viu. E eu estou aprendendo. Nas últimas duas semanas, passei a ajudar Max em tarefas e casos. Eu o vi casar casais e sentenciar criminosos. Max, enquanto é um garanhão selvagem na cama, é extremamente profissional no trabalho. Ele não brinca ou abusa de sua posição, além de um beijo roubado aqui e ali. O poderoso e belo homem me ensina coisas. Coisas reais sobre a lei e o que ele faz. É fascinante e estou completamente encantada. “Precisa de ajuda?” Falando do diabo. Sua voz profunda me empurra para longe do monitor do computador. Calor queima nas minhas bochechas e de repente fico envergonhada. "Estava apenas procurando por coisas na internet", eu admito, esticando as pernas para fora do edredom em sua cama. Sua sobrancelha escura franze antes dele entrar no closet para trocar de camisa. Quando ele volta, seus olhos se

K. WEBSTER


estreitam em curiosidade. “Soph está cortando legumes para a salada. Ela não está com sua carranca costumeira. Acho que devemos comemorar assim que você terminar de procurar por essas ‘coisas misteriosas’.” Eu rio e viro a tela para mostrá-lo. “É bobagem. Eu só pensei... quero dizer, tem sido tão divertido..." Eu travo, minha autoconfiança evapora. Isso é realmente estúpido. Eu tenho um diploma universitário em administração. Procurar por novas aulas é provavelmente uma perda de tempo. "Faculdade de direito?" Seu tom é surpreso, mas não deixo escapar o orgulho em seus olhos. "O que te levou a isso?" Mordo meu lábio inferior e dou de ombros. "Eu não tinha certeza sobre o estágio, mas estou gostando muito. Quando esses advogados vão ao tribunal, fico hipnotizada. É bobagem,” eu repito e suspiro. Ele caminha até a cama onde estou sentada e passa a palma da mão sobre minha coxa nua. Um arrepio percorre minha espinha. Estou absolutamente fascinada por este homem. Viciada em seu toque. Quando ele não está fodendo meu cérebro como um homem na casa dos trinta, está me banhando de atenção e carinho. O maior obstáculo em nosso relacionamento iniciante é a filha dele, mas até ela parece estar descongelando na minha presença. “Eu acho que você pode ser o que quiser. Não se preocupe com o que os outros pensam, Dorian.” Ele beija o topo da minha cabeça. "Preocupe-se com o que você quer." Eu quero um monte de coisas, mas Carson forçou essa minha parte egoísta a se esconder. Agora que sou livre de novo, estou acumulando desejos mais rápido do que posso alcançálos.

K. WEBSTER


Quero uma carreira onde serei admirada e respeitada. Quero justiça para os outros, já que a justiça não foi feita para mim. E eu quero um parceiro. Um melhor amigo. Um amante que não entende apenas o meu corpo, mas me entende. Os olhos verdes de Max estão brilhando de adoração. Eu amo ser a única que causa esse olhar em seus olhos. Seu queixo está rígido enquanto ele pega o laptop do meu colo e o coloca na mesa de cabeceira. A camisa que ele acabou de colocar é arrancada do corpo dele. Seus músculos abdominais se flexionam com os movimentos e eu fico hipnotizada por sua pele perfeita. "Tire o seu vestido", ele ordena, seu tom rouco. “Nós podemos nos esgueirar mais alguns minutos antes de Soph começar a gritar por socorro.” Eu aceno e puxo meu vestido do meu corpo. Quando descarto o sutiã e descubro meus seios nus para ele, ele resmunga. Tão selvagem. Tão animalesco. Tão atraente. "Deite-se", ele rosna enquanto envia seus jeans e boxers para o chão. Eu o obedeço e solto um grito quando ele selvagemente arranca minha calcinha pelas minhas coxas e fora de mim. Ele pula em mim e eu gemo no momento em que nossa carne se toca. Sou atraída pela sua presença magnética. Eu não consigo o suficiente dele. Seus lábios se põem a devorar os meus de um jeito que me faz perder a cabeça. Nosso beijo é ardente e eu quero mais. Amo como ele fala comigo como se eu fosse alguém merecedora de tudo que possa desejar. Que ele será o tipo de homem para me encorajar, não me derrubar. Nós rolamos enquanto nos beijamos. Eu o monto e beijoo ansiosamente, meu sexo molhado esfregando contra seu abdômen ridiculamente tonificado. Sua dura ereção desliza ao longo da minha buceta e da minha bunda fazendo-me

K. WEBSTER


tremer. Inclino-me para frente, esfregando meus seios contra seus peitorais e ofereço meu sexo para ele. Como um míssil teleguiado, seu pau mergulha em mim com força suficiente para me dividir em duas. Eu choramingo contra seus lábios. Seus quadris poderosos enquanto me golpeia. Eu deveria estar montando-o e ainda assim ele está mais uma vez me fodendo como se não houvesse amanhã. É insano o quanto gosto do jeito que ele me domina, mesmo por baixo. Pensei que já tinha acabado com os alfas no meu mundo. Achava que eles abusavam de mulheres. Esse não. Abusar de mim com seu pau e boca perfeita não conta, porque quero tanto que não aguento mais. É bom deixar que ele cuide de mim quando nem eu quero cuidar de mim mesmo. Antes de saber o que está acontecendo, estou de costas e ele entra em mim com força suficiente para fazer a cabeceira bater contra a parede. Minhas unhas cravam em seus ombros enquanto aguento o passeio. Sua mão encontra meu queixo e ele o agarra para me segurar no lugar enquanto nos beijamos. O modo brutal com que ele faz amor me faz cair tão fundo por esse homem que eu sei que em breve serei um caso perdido. Eu me rendo com um grito que mais uma vez o faz perder o controle. Seu gozo é quente quando explode dentro de mim, mas logo ele está tirando para esparramar o resto na minha barriga. Nós dois estamos respirando pesado e eu sinto como se meu mundo estivesse girando fora de seu eixo. "Eu não sei como chegamos da noite em que nos encontramos até aqui", ele diz ofegante, seu pau ainda pingando e latejando entre nós. "Mas eu estou tremendamente feliz que acabamos aqui.”

K. WEBSTER


“Está tudo bem?”, Pergunto a Sophia. Seus olhos verdes estão distantes, até mesmo atordoados. Ela pisca e me olha com um lábio torcido. "Tudo bem, mamãe." Eu fico boquiaberta e tento desesperadamente não deixá-la me afetar. Algo está acontecendo com ela e eu pretendo descobrir. "Não seja tola. Nós somos amigas." Ela revira os olhos. Max está do lado de fora, cuidando da churrasqueira com o celular colado ao ouvido. Hoje ele está lindo em uma camiseta branca que abraça suas costas musculosas de todas as maneiras certas. Arrastando meus olhos do meu homem, me sento na cadeira ao lado dela e pego sua mão. "Você pode falar comigo." Suas feições endurecidas suavizam-se ligeiramente. Um lampejo de tristeza cintila em seus olhos. "Eu tenho dezessete anos, Dorian. Eu ando com uma bengala.” Lágrimas brotam dos seus olhos antes dela rapidamente as limpar. “Minha carreira de softball acabou. Eu odeio minha vida." “A fisioterapia não ajuda em nada? Você não pode ir ver um especialista?” Ela encolhe os ombros. “Os terapeutas me tratam como se eu estivesse atrapalhando o meu progresso. Eu não posso fazer meus quadris trabalharem. Estou com dor o tempo todo. Minhas notas estão afundando. Pior de tudo, eu não me importo mais.” Suas lágrimas caem agora livremente. “Eu sinto muito," sussurro. "Sinto muito que você tenha que passar por isso." Suas feições se tornam duras novamente enquanto ela limpa o resto de suas lágrimas. “O que está acontecendo

K. WEBSTER


entre você e o papai, afinal? O que você está querendo?” Ela funga e me lança um olhar severo. "Eu pensei que ele só precisava transar, mas você ainda está por aqui." A culpa me invade. Ao deixar Max cuidar de mim, atrapalhei a vida dessa pobre garota. “Ele e eu nos demos muito bem. Seu pai me salvou do meu ex.” Sua boca se abre. "O que?" "Meu ex era..." Agora é minha hora de engasgar com lágrimas. “Ele era abusivo. Um estuprador. O idiota foi responsável pela morte do meu pai. Eu estava fugindo quando ele me alcançou novamente. Seu pai entrou em cena e me resgatou.” Orgulho brilha em seus olhos. Apesar de sua dor, ela adora seu pai. Quem não faria? Max é um homem incrível. "Eu tenho sido uma cadela para você", diz ela com um suspiro. "Você teve suas razões", digo a ela com um sorriso. "Eu só quero que você saiba que não sou uma interesseira. Claro, Max está me ajudando a ficar de pé, mas tenho sentimentos reais por ele. Eu nunca fui tratada como se eu fosse...” Eu paro e olho pela janela novamente. "Tudo. É bom. Na verdade, é mais do que bom. É tudo que eu sempre quis.” Ela sorri para mim, a raiva desapareceu há tempos. "Fico feliz que ele tenha encontrado você. Você é diferente da maioria das mulheres que tentaram desesperadamente e não conseguiram sair com ele. O fato dele ter dado uma chance a você depois de todos esses anos, diz muito. Meu pai toma boas e sólidas decisões.” Seus olhos brilham e isso me lembra tanto de Max que eu não consigo evitar sorrir de volta para ela. “Eu confio na sua decisão de ficar com você.” Então seus traços escurecem. "Mas se você machucá-lo, eu vou te bater até a morte."

K. WEBSTER


Nós duas estamos rindo quando Max caminha de volta para dentro. Seus olhos arregalados de surpresa. Já estou ao redor de Sophia e ele por algumas semanas e ela mal tinha dado um sorriso. "Você é incrível", ele diz para mim por trás dela, uma forte emoção brilhando em seus olhos de esmeralda. Eu pisco para ele. "Você também."

Ele está me seguindo. De novo. Mas pelo menos ele não pode chegar perto de mim. Entro no banheiro do tribunal e respiro fundo. Carson acha que está sendo esperto, se escondendo nas sombras e atrás das pessoas. No entanto, eu o vejo. Mais do que tudo, eu o sinto. Todos os dias ele vem ao tribunal. Já estou com o Max por dois meses maravilhosos, mas esse pesadelo, que não consigo me livrar, me segue. Eu não conto para o Max porque Carson não está fazendo nada além de tentar me intimidar. Eu não tenho mais medo. Estar com Max me fortaleceu. Ele é paz, mas também é fogo. Isso alimenta meu próprio fogo interior e sinto como se pudesse lidar com qualquer coisa com ele ao meu lado. E por incrível que pareça, encontrei uma boa amiga em sua filha. Nós começamos mal, mas depois do nosso papo de coração para coração, Sophia se abriu comigo. Meu coração sofre pela dor que ela está passando. Max já esgotou todas as opções. Médicos. Especialistas. Os exercícios. Mas ele continua tentando, Deus o ama.

K. WEBSTER


Deus não é o único que o ama. Eu olho para o meu reflexo no espelho do banheiro. Um sorriso brinca nos meus lábios e meus olhos azuis brilham. Confiança e autoestima pertencem a mim novamente. Eu devo isso a ele. Cada pedacinho. Depois de terminar minhas necessidades, saio do banheiro e volto para o escritório, onde tenho uma montanha de trabalho esperando por mim. Estou quase lá quando alguém brutalmente agarra meu braço, fazendo-me gritar. "Estou cansado de esperar", rosna Carson, apertando-me com força. "Hora de voltar para casa." Eu sacudo minha cabeça por cima do meu ombro e olho para ele. "Tire sua mão de mim ou vou gritar." Ele tem o bom senso de parecer preocupado e olha em volta. As pessoas estão assistindo. Inclinando-se para frente, ele rosna no meu ouvido. “Eu tenho um vídeo do bom juiz com a língua na garganta de sua estagiária. Aposto que isso arruinaria mais do que sua carreira. Estou guardando para um dia chuvoso.” "Tire. Suas. Mãos. De. Mim.” Minha voz é alta e letal. Sua mão cai e ele se afasta de mim, sacudindo seu telefone. Merda. Merda. Merda. Isto é ruim. Ignorando o escritório de Max, corro para o departamento de RH. Assim que chego lá, com lágrimas escorrendo pelo meu rosto, eu entrego meu pedido de demissão imediatamente. Carson pode tentar me derrubar o quanto ele quiser, mas eu serei amaldiçoada se deixá-lo derrubar Max também.

K. WEBSTER


“Gostaria que você tivesse falado comigo primeiro,” Max diz, com suas sobrancelhas franzidas. Eu sei que ele está desapontado. Estou devastada. Trabalhar com ele foi muito divertido e aprendi muito. "Ele estava determinado a arruinar você", sussurro e me aconchego contra ele no sofá. "Eu não podia deixar isso acontecer." Ele agarra meus quadris e me puxa para o seu colo. A preocupação está gravada em seus belos traços. Eu tremo ao seu toque. Esse homem nunca deixa de enlouquecer meu corpo de desejo. "Eu suponho que isso vai permitir que você gaste mais tempo com suas aulas de direito." Seus lábios se erguem em um meio sorriso. "Eu vou sentir falta de vê-la o dia todo." O calor sobe pelo meu pescoço. Ele me surpreendeu quando pagou minhas mensalidades para este semestre de outono. Eu fiquei envergonhada, mas uma emoção feroz brilhou em seus olhos me indicando que não deveria discutir. A verdade é que Max é bom demais para mim. Eu não o mereço. "Eu vou ver você por aí", prometo. “Ainda podemos almoçar. Além disso, agora que vou acompanhar Dane algumas vezes por semana, ainda vou te ver no tribunal. Apenas não será um conflito de interesses que possa custar-lhe o seu trabalho.” Ele suaviza com a menção de seu melhor amigo. No momento em que eu disse a ele sobre o que aconteceu hoje cedo e minha demissão, ele ligou para o amigo. Dane é um advogado de divórcio, mas disse que ficaria mais do que feliz em me aceitar como estagiária.

K. WEBSTER


Eu me inclino para frente e beijo os lábios macios de Max. Sophia está com amigos, então somos só nós dois. Suas grandes mãos percorrem minha bunda através do meu vestido. Quando ele se inclina e morde meu peito por cima das minhas roupas, solto um gemido. "Ai", eu grito e dou um tapa na cabeça dele. Ele ri e começa a beijar minha garganta. "Dorian..." Estou ofegante e me esfregando contra sua ereção. "Sim, querido?" "Eu te amo." Eu congelo em seus braços. Seus lábios fazem o caminho até o meu ouvido. "Porra. Eu sinto muito. Eu não consigo mais manter esse sentimento...” "Eu também te amo", deixo escapar. Deus, como amo. Seus dedos enroscam no meu cabelo e ele empurra a minha cabeça para trás para que possa olhar para mim. Fogo pisca em seus olhos de esmeralda. Fogo por nós. Fogo por mim. Passamos os próximos segundos atacando as roupas um do outro. Ele consegue abrir suas calças o suficiente para puxar seu pau para fora. Eu nem mesmo tiro minha calcinha - ela é apenas empurrada para o lado. Então ele está dentro de mim. Duro e implacável. Aqueles dentes perversos estão mais uma vez beliscando meus seios doloridos. "Max", eu gemo, meus dedos agarrando seu cabelo. "Minha doce Dorian", ele sussurra contra o meu peito. Nós fodemos como dois adolescentes loucos em seu sofá até que nossos sentimentos sejam descaradamente declarados de nossos lábios mais uma vez.

K. WEBSTER


Santo inferno, estamos apaixonados.

K. WEBSTER


“Você não acha que está se movendo um pouco rápido demais?” Dane pergunta, com seu quadril encostado contra o vidro da joalheria. Eu desvio meu olhar do diamante chamativo e franzo a testa. "Parece certo." Meu melhor amigo pressiona seus lábios e me olha com uma carranca. Sei que ele gosta de ter Dorian estagiando com ele. Ela está lá há quase um mês. Eu não sei qual é o problema dele. "Fala logo", resmungo, trazendo o anel mais perto para que eu possa inspecionar melhor o diamante. "Você não está concordando comigo casar com ela. Diga-me o porquê." Ele esfrega o queixo. “Você não namorou em mais de uma década. A primeira garota que você coloca seu pau, já está pronto para se casar. Parece impulsivo e nada parecido com você, Max.” Eu franzo a testa e pego o anel para inspecionar. “Sempre tomei boas decisões, cara. Ela é a melhor decisão que já tomei. Eu a amo. Ela me ama. Quem se importa se é muito rápido? Está acontecendo."

K. WEBSTER


Ele inspeciona o anel e me dá um aceno antes de devolvê-lo. "Eu só me preocupo se ela vai ferrar você ou alguma merda.” Eu levanto uma sobrancelha. “Dorian realmente parece do tipo que vai ferrar com alguém? Inferno, ela é a única pessoa que consegue fazer Sophia sorrir. Ela é perfeita, Dane.” "E quanto a seu ex, Carson?" Suas feições escurecem. "Ele ainda a persegue." Eu cerro os dentes com a menção desse filho da puta. Ele está louco para colocar as mãos sobre ela novamente, e parece aparecer onde quer que ela vá. Já chamei o xerife McMahon várias vezes porque ele está violando sua ordem de restrição. As infrações continuam se acumulando no cara. É só uma questão de tempo antes de pegarmos sua bunda e ele a deixar em paz para sempre. "Vou mantê-la segura", eu juro, com a minha voz letal. Ele suspira. "Bem, desde que você obviamente pensou em tudo isso completamente, acho que sua decisão está tomada. Nós teremos um grande casamento? O que está programado?” Eu tinha enviado Soph em uma missão de sondagem para determinar se Dorian queria um casamento de contos de fadas. Ela disse que um dia, quando se casar, quer algo simples, já que seu pai não está mais aqui para acompanhá-la pelo corredor. Ela disse a minha filha que isso não importa quando se trata do casamento, desde que o amor esteja lá. E o amor está malditamente lá. "Simples. Só nós. Minhas filhas. Alguns amigos.” Ele então sorri para mim. “O que acontece se ela disser não?” "Ela não vai dizer não." "Tão confiante."

K. WEBSTER


Dou-lhe um sorriso maroto. "Tudo o que ela diz é sim ao meu redor." Ele ri alto e ganha um olhar irritado da vendedora. Estou prestes a gastar quinze mil em um anel. Ela pode pelo menos parecer feliz com isso. "Eu quero este," digo, balançando o anel para ela. "Embrulhe-o."

“Onde está Soph?” Dorian pergunta, franzindo a testa. Eu a abraço e beijo o topo de sua cabeça. Estamos sentados no pátio dos fundos, ao lado da fogueira, depois de um ótimo jantar de peixe grelhado. Ela bebe um copo de água com limão e eu bebo uma cerveja. Juntos, estamos sentamos no sofá ao ar livre com ela entre as minhas pernas esticadas e encostada em mim com o cobertor nos cobrindo. "Ficará com a irmã e seu marido hoje à noite." Estou feliz que as duas parecem estar se conectando novamente. "Só nós. Sozinhos. Eu me pergunto em que tipo de problema vamos entrar,” ela brinca. Coloco a mão no meu bolso. “Eu imagino que seja o bom tipo de problema. Deixe-me ver sua mão.” Ela abaixa o copo e distraidamente estica a mão para mim. Deslizo o anel pelo seu dedo antes de soltar sua mão. Um pequeno suspiro escapa dela. Eu rio enquanto ela se esforça para sentar e depois me monta. O ar frio a arrepia, então pego o cobertor para puxar sobre seus ombros. "Max..."

K. WEBSTER


Pego a mão dela que está usando o anel e a levo aos meus lábios. Com um beijo na sua mão, eu sorrio. “Por favor, seja minha esposa. Eu te amo muito. Nós éramos duas pessoas que precisavam desesperadamente uma da outra. O acaso nos colocou no lugar certo exatamente no momento certo. Eu não posso deixar você ir, Dorian. Não quero deixar você ir. Você me faz tão feliz. E quero continuar te fazendo feliz até o dia que eu morrer.” Lágrimas surgem nos olhos dela. Quando ela se inclina para me beijar, elas rolam e respingam no meu rosto. Nossas bocas se encontram para um beijo ardente e ela balança a cabeça o tempo todo. "Vou tomar isso como um sim", eu digo com uma risada antes que ela ataque minha boca novamente. "Sim." Suas mãos cobrem minhas bochechas. “Muitos sins. Todos os sins.” Nós começamos a arrancar a roupa um do outro. Minha camisa é jogada fora e seu vestido é coisa do passado. Está frio lá fora, mas estamos fazendo fogo. Ela grita quando eu selvagemente rasgo o tecido de sua calcinha e atiro-a na fogueira. "Eu não posso acreditar que você colocou minha calcinha em chamas!" Ela grita, rindo. "Eu já ouvi isso uma vez ou duas de você", provoco em resposta. Ela ri, mas no momento em que a levanto pelos quadris e, em seguida, a empurro para baixo em meu pau duro e latejante, sua risada desaparece. Seus dedos me arranham enquanto ela me beija descontroladamente. Eu a fodo com força e sem desculpas. Nossos corpos se batendo, sem dúvida darão aos vizinhos algo para falar. Seus gritos vão deixá-los com inveja.

K. WEBSTER


Enquanto me monta, ela se livra do sutiã, jogando-o fora. "Chupe-os." Obedecendo minha doce menina, me inclino para frente e chupo o mamilo com força suficiente para fazê-la gritar. Sua buceta aperta em torno de mim, o que me diz que ela ama fodidamente isso. Nosso amor é bruto e apressado, enquanto cada um luta para devorar o outro. Quando ela goza com meu nome saindo de seus lábios, solto meu próprio orgasmo com um gemido. Meu gozo quente derramando dentro dela. Nós não temos tomado cuidado. Eu nem me importo. Eu quero ela. Tudo dela. Tudo o que pudermos fazer juntos. "Tenho certeza que acabamos de fazer um bebê agora", digo com uma risada. Ela endurece em meus braços. É então que percebo que talvez ela não queira filhos. Eu tenho duas, mas sempre quis ter mais. Nós nunca realmente discutimos em ter uma família. Eu apenas pensei que era uma certeza. "Max..." Sua voz vacila. "Há algo que eu preciso te dizer." Olhando para ela, acaricio sua bochecha. “Tudo bem, linda. Fale comigo." "Nós não fizemos um bebê agora. Eu queria lhe dizer mais cedo.” Um soluço rasga sua garganta. Ela não pode ter filhos. Essa é a única explicação para o comportamento dela. "Tudo bem. Você não ser capaz de engravidar não é um problema para mim, querida. Eu te amo

K. WEBSTER


independentemente de qualquer coisa. Eu tenho as garotas. E se você quiser adotar um dia, eu apoio isso.” Lágrimas rolam por seus olhos e ela pressiona um beijo na minha testa. "Como de alguma forma eu peguei o homem perfeito?" Beijo sua garganta. “Eu peguei você, querida. Sou o sortudo aqui.” Ela coloca as mãos nos meus ombros e se afasta. Suas bochechas rosadas estão manchadas de lágrimas e seus lábios estão inchados de nossos beijos. Com as sombras da fogueira dançando ao nosso redor, seus seios parecem mais cheios e implorando por mais atenção. Eu me inclino para frente para chupar o mamilo novamente, mas ela me empurra para longe. "Estou grávida, Max." Eu congelo e levanto minha cabeça para cima. "O-o que?" Seu lábio treme novamente. As palavras saem como um sussurro. “Eu descobri, mas temia que isso arruinasse o que tínhamos. Eu não te contei. Tenho mantido esse segredo por um tempo.” Meu polegar roça seu estômago e agora percebo que parece mais inchado que o normal. Achei que eu apenas a estava alimentando melhor do que estava acostumada. "Quanto tempo?" “Um pouco mais de dois meses. Eu sinto muito." Aperto seu queixo e a puxo para minha boca. O beijo que lhe dou é possessivo. “Este é o melhor presente de todos, Dorian. Você me fez mais feliz do que eu poderia ter sonhado.” "Você não está zangado?" Eu ri. "Estou fodidamente na lua com entusiasmo. Você está feliz?"

K. WEBSTER


Ela morde o lábio de baixo e balança a cabeça. "Muito feliz." "Nós fizemos um bebê", eu digo maravilhado. “Nós, com certeza, fizemos.”

Nós ainda não contamos às minhas garotas, mas estamos morrendo de vontade. Dorian consegue esconder sua gravidez com camisas fluidas para mascarar seu inchaço, apesar de já estar em seu quinto mês. Mas quando ficamos sozinhos, eu gosto quando ela mostra seu corpo para mim. Fico tão excitado vendo sua barriga arredondada. "Seu filho quer pudim de chocolate", ela me diz enquanto olha por cima de seu laptop. “Papai também está com fome de algo doce.” Ela ri. "Você é impossível." “Como estão suas aulas neste semestre? Precisa de ajuda?” Um bocejo lhe escapa e ela se alonga. Seu braço levanta e revela sua barriga bonita para mim. Ela está vestindo apenas uma camisa e calcinha cor de rosa que estão enchendo a minha boca de água. “Difícil, mas ainda divertido. Dane gosta de me questionar no trabalho. Às vezes ele me deixa louca”, ela faz beicinho. Eu rio. “Ele está revivendo o passado através de você. Esse cara foi um grande empreendedor na faculdade. Parece que ele está tentando ensinar sua pequena aprendiz a ser a melhor também.”

K. WEBSTER


Ela coloca o computador no chão e se deita na espreguiçadeira. Amo como ela fica relaxada na minha presença. Como um gato preguiçoso só esperando para ser acariciado. Eu voluntariamente me ofereço para esse trabalho todos os dias. Retiro minha camisa, orgulho me percorre quando percebo sua atenção, e me aproximo dela. Seus olhos correm pelo meu peito duro e para outra coisa que também está dura. Ainda estou suado por treinar na academia aqui de casa, mas Dorian sempre parece ficar mais excitada depois de eu ter ido à academia. Eu acho que ela gosta de olhar para mim todo suado, veias ainda inchadas do esforço. "Vê algo que você gosta?" Provoco, esfregando a palma da mão em meu abdômen sarado. “Eu vejo algo que amo. Vejo algo delicioso.” Seus olhos azuis estão cobertos de desejo. “Melhor que pudim de chocolate?” "Perto disso." Nós dois rimos. "Toque-se sobre sua calcinha", ordeno, com minha voz rouca. Ela separa as coxas e alcança entre as pernas. O rosa está mais escuro no sexo dela, porque ela está molhada lá. Quero rasgar sua calcinha e lamber os sucos dela. "Como se sente?" Um gemido escapa dela. "Não tão bem quanto quando você me toca." Eu me ajoelho no final da espreguiçadeira e ignoro o meu tesão furioso que está estendendo os meus shorts.

K. WEBSTER


Agarrando-a pelos quadris, eu a puxo para a ponta. Ela grita quando afasto a mão dela e a substituo pela minha boca. Belisco seu clitóris por cima do tecido. Minha língua provoca ao longo dos lados de sua calcinha, fazendo cócegas em suas coxas. E para deixá-la mais louca, eu exploro suas áreas sensíveis com meus dedos. Deslizo um dedo pelo lado da calcinha encharcada e procuro sua entrada. Outro gemido escapa dela quando o empurro dentro de seu corpo apertado. Eu a fodo com meu dedo de um ângulo estranho enquanto continuo a morder seu clitóris e os lábios de sua buceta. Ela se contorce e se debate e logo grita meu nome. Seu corpo inteiro estremece com seu orgasmo. Não perco tempo, empurrando sua calcinha pelas coxas e minha cueca para baixo entro nela com um impulso forte. Suas unhas me arranham para que possa me aproximar mais dela. Nossos dentes colidem uns contra os outros enquanto eu a beijo duramente. Meu pau está no maldito céu tendo ela envolvida tão apertada em volta de mim. "Max!" Ela grita enquanto empurro nela com força. Juntos, nós fodemos como animais selvagens até que ela estremeça novamente. Esta é minha vida agora. Dorian e eu - um par perfeito. Nada pode mudar isso. Nada, porra.

K. WEBSTER


"Nós vamos nos embebedar,” Sophia desafia, com um brilho maligno em seus olhos. “Já que o papai está jogando golfe com Miles e Dane, vai ser divertido. Nosso segredinho." Eu conscientemente puxo minha camisa enorme. "Eu realmente não estou com vontade. Além disso, você é muito jovem”, sentencio. Ela revira os olhos. “Essa é realmente a razão? Ou é porque você está grávida?” Minha boca se abre. Max prometeu que contaria às garotas neste fim de semana durante o jantar. Nós só não chegamos lá ainda. "Eu, oh, oh meu Deus." Um sorriso maroto cruza seu rosto. "Eu sabia, porra!" "Olha a boca, Soph!" Eu grito e minha mão vai automaticamente para a minha barriga quando nosso filho salta da minha explosão. Antes que eu possa disfarçar, noto seu olhar em mim.

K. WEBSTER


"Apenas me diga", ela lamenta. "Sou uma menina crescida. Posso aguentar.” Mordo meu lábio por um segundo antes de deixar escapar um suspiro. “Nós íamos lhes contar este fim de semana. Estou grávida. Um menino.” Seu grito me faz rir. "Isso é tão emocionante!" Nós rimos e nos abraçamos na cozinha. Sophia pode ser muito mais nova do que eu, mas nos tornamos muito próximas. Com o tempo, lhe contei todos os detalhes sujos do que Carson fez comigo. Coisas que eu nem consegui dizer ao pai dela. Ela também sabe que ele ainda me persegue de vez em quando. Juntas, nós choramos e ela jurou machucá-lo um dia. Eu a amo como se fosse uma irmã. Posso ter perdido minha família quando papai morreu, mas ganhei uma nova. Eu nunca estive mais feliz. Ding-dong! “Fique aqui e tome conta do molho. Continue cortando os cogumelos. Eu vou atender a porta”, digo a ela, com a minha voz ofegante de tanto rir. Sou toda sorrisos enquanto ando pela casa. Minha casa. Algumas semanas atrás, Max teve um de seus amigos juiz nos casando no tribunal. Foi pequeno e perfeito. Eu sou oficialmente a Sra. Rowe agora. Meu sorriso fica incrivelmente mais amplo. No momento em que abro a porta da frente, ele se derrete como manteiga em uma frigideira. "Bem, se não é a pequena princesa se movendo de um príncipe encantado para o outro", Carson rosna, cambaleando um pouco na minha direção.

K. WEBSTER


Tento fechar a porta, mas ele a empurra. Sua mão me agarra pela garganta e eu bato contra a parede mais próxima. Ele se inclina para mim e percebo um cheiro repugnante de bebida alcoólica. São apenas cinco da tarde e ele está bêbado. "E você engravidou também", ele rosna, sua mão apertando minha garganta. "Aposto que está tão malditamente feliz!" Eu recuo enquanto ele grita comigo. Minhas unhas o arranham para que ele me liberte, mas estrelas estão começando a brilhar na minha visão. Quando vejo Sophia atrás dele, implorolhe com meus olhos que corra e consiga ajuda. Ele começa a me sacudir e minha cabeça bate contra a parede. A escuridão se espalha ao meu redor. Apenas quando acho que minha vida perfeita vai acabar tão rápido quanto começou, eu sou liberada. Seu uivo é alto, mas fico de joelhos para tentar recuperar o fôlego. Vidros quebram e eu ouço gritos. Quando volto a meus sentidos, vejo Carson sobre Soph tentando estrangulá-la. Uma faca de cozinha está enfiada em suas costas. Oh Deus. Entro no escritório de Max e procuro na gaveta que ele me mostrou. Pego minha arma, eu corro de volta para lá. Desde que ele está sentado em cima dela, posso facilmente atirar nele, tendo certeza que não vou acertá-la. O estrondo é alto e assusta o bebê na minha barriga porque ele empurra forte na minha barriga. Carson uiva novamente e solta Sophia. Ele cai de lado, xingando. Posso dizer que não é uma ferida fatal, mas pelo menos ele a largou. Ela se levanta e anda até mim. Eu deveria ser a única aqui consolando a adolescente, mas eu estou chorando tanto e minhas mãos estão tremendo muito. Ela sussurra palavras calmantes para mim enquanto pega a arma.

K. WEBSTER


"Sente-se, Dorian", ela exige, com voz autoritária como a de seu pai. Ela desaparece e depois volta com o celular no ouvido. Posso ouvi-la conversando calmamente com alguém. Xerife McMahon. Então ela liga para seu pai. Seu berro pode ser ouvido por todo o caminho até aqui. Carson soluça no chão, mas nenhuma de nós se move para ajudá-lo. Ou ele vai morrer ou vai para a prisão. De qualquer forma, ficarei feliz. Meu pesadelo finalmente terminará.

K. WEBSTER


Vários meses depois...

"Com todas as evidências contra ele e uma tentativa de homicídio, aquele idiota pegará pelo menos sessenta anos. O júri vai acabar com ele. Por atacar uma mulher grávida e uma adolescente em sua própria casa, ele está ferrado.” Max sorri para mim antes de beijar a cabeça morena do nosso filho. “Justiça será feita. mostrando um sorriso.

Não

tenho

dúvidas,”

concordo,

Ethan, em homenagem a meu pai, balança as pernas e para de mamar para olhar sonhadoramente para mim. Seus olhos são de um tom de azul como o meu, mas ele se parece tanto com o Max que chega a doer. Esse garoto é lindo e ele é meu. “Olivia e sua família estão vindo mais tarde para o jantar. Se você não estiver se sentindo bem, posso reagendar,” ele diz, enquanto faz caretas para o nosso bebê. Ethan e o pai dele.

K. WEBSTER


Esses dois são adoráveis. "Eu me sinto bem. Eu quero vê-los", asseguro a ele. Ele se inclina e beija minha boca enquanto Ethan avidamente encontra meu seio novamente. "Você me faz sentir jovem novamente, Dorian Dresser Rowe." Meu coração acelera ao ouvir meu novo sobrenome. Nunca falha. "Você me faz sentir amada de novo, Maximillian Edward Rowe." Nós dois sorrimos antes que ele ataque minha boca mais uma vez. Chamas de amor e desejo surgem através de mim. Carson passou tanto tempo tentando apagar minha chama. E eu pensei que ele tinha conseguido. Mas então um juiz formidável e extremamente bonito entrou em minha vida. Ele me ajudou quando pensei que nunca iria me levantar novamente. Enfeitiçou e olhou diretamente nos meus olhos. Max me fez sentir digna e valorizada, como se eu fosse alguém especial. Ele reacendeu esse fogo e alimenta-o continuamente até hoje. Com cada palavra gentil, toque sensual e beijo doce, eu caio mais fundo nas chamas furiosas do amor que fazemos. O estágio. A faculdade de Direito. Minha carreira. Todos são empolgantes e estou muito feliz por estar nessa jornada. Mas minha aventura favorita é aquela que eu faço todos os dias com o Max. Juntos, experimentamos coisas novas. Juntos, compartilhamos nosso amor e aproveitamos a vida. Juntos somos nós… Simplesmente juntos

K. WEBSTER


E isso é melhor do que qualquer coisa que eu possa ter imaginado.

K. WEBSTER

Profile for OliverThay98

MALFEASANCE - K. WEBSTER  

Max Rowe sempre segue as regras. Um juiz de sucesso. Pai solteiro. Um líder na comunidade. Fazer a coisa certa significa tudo. Mas quando e...

MALFEASANCE - K. WEBSTER  

Max Rowe sempre segue as regras. Um juiz de sucesso. Pai solteiro. Um líder na comunidade. Fazer a coisa certa significa tudo. Mas quando e...

Advertisement