Issuu on Google+

TIMIDEZ

Daniel começou a suar frio.Deu uma ajeitada no cabelo com a mão.Estava visivelmente nervoso.Ana se aproximava com umas amigas rindo e rebolando.Queria finalmente falar com ela.Seu sorriso era farto. Podia engoli-lo se quisesse.Ao passar por ele não encostou em seu ombro por dois milimetros. Um pouco mais a frente deixou cair uma pasta.Ele correu imediatamente para pegar. -Obrigada Daniel-Agradeceu a ele novamente com um sorriso aterrador. -de..de..

de nada-Ele gaguejou um pouco.

-Você vai hoje à noite?-Perguntou ela. -Aonde? -Vai ter uma festa na casa do Murilo.Você não tava sabendo? -Não,não tava. -Olha aqui! Ela segurou em suas mãos e ele flutuou.Quase não acreditava que aquilo estava acontecendo.Colocou entre seus dedos um pequeno cartão. -Toma aqui está o convite.Eu tinha um sobrando e não sabia pra quem dar. -É pra mim? -Claro seu bobo!Pra quem mais seria? -Obrigado. -Te espero lá ás sete! Thau! Enquanto ela se afastava Daniel foi recobrando o ar.Ao concluir tal tarefa deu um salto de alegria.Havia sido convidado para uma festa.E pela Marcinha!Era bom demais pra ser verdade. Era a primeira festa para a qual tinha sido convidado na faculdade.Estava no terceiro período e achava


que isso nunca ia acontecer. Pois acontecera!E da melhor forma! Chegou em casa,bateu um pratão de arroz com feijão e foi para o quarto.Estava bem feliz. Começou a pensar: Vou para uma festa legal,com gente divertida,com a marcinha e....Meu Deus! Aos poucos a felicidade foi se transformando em medo. Como iria chegar na festa? Como iria dar de cara com um bando de gente que não conhecia?Como iria falar com a Marcinha?Era tímido demais pra tudo isso.E agora? sentiu uma puxada no estômago só de pensar.E agora? Foi estudar para se forçar a pensar em outra coisa.No final da tarde levantou-se para tomar banho mas não conseguiu entrar no banheiro.Aquela questão o fazia preocupar-se muito.Tomava-lhe o sossego.Resultado:Ficou andando de um lado para o outro no corredor.Seu pai passou por lá e ao ver a cena estranhou um bocado: -Que isso menino!Tá maluco? -Não pai,é que eu vou tomar banho. -Então vai logo,ué! O banho lhe fez relaxar um pouco.Botou uma roupa boa,enxarcou-se de perfume e saiu. Ao chegar na porta da casa onde a festa acontecia congelou. Queria parar por ali. Arriscou uma meia volta mas conteve-se e seguiu adiante.Entrou na casa e foi olhando para todos.O lugar estava cheio.Todos pareciam se divertir.Ele não sabia por onde começar.Um pingo de suor caiu na camisa.Será que alguém tinha visto?O que eu estou fazendo aqui? Sentiu-se um e.t. chegando num planeta desconhecido.Mas tal planeta precisava ser explorado. Andou mais um pouquinho para ver se tinha um lugar para sentar.Sentado talvez chamasse menos atenção. De repente sentiu uma mão tocando-lhe o ombro por trás. Logo no primeiro segundo percebeu que não era Marcinha.Havia guardadado o toque dela em sua memória e sabia que aquele não era o mesmo. Uma voz amiga o saudou:


-Fala grande Dani! Olhou para trás e...Que alívio!Seu primo dito estava lá.Na mesma festa que ele. Que feliz encontro numa hora oportuna. -Cara,que bom te ver!-Disse Daniel abraçando-o. -O que você tá fazendo aqui? -Eu é que te pergunto. -Eu conheço um pouco a irmã do aniversariante.Ela me chamou. e Você? -Uma garota me convidou. -Cara,que bom te encontrar aqui.Há um tempão que a gente não se via. Adilson Antônio júnior herdara o mesmo nome do pai.Seus amigos no entanto remediaram a situação apelidando-o de Dito.Ele era primo de Daniel e o queria muito bem.Os dois sentaram e ficaram conversando durante um tempo.Até que de repente os olhos de Daniel voltaram-se para a entrada.Ficou encantado.Não sabia o que fazer com tanta empolgação.Marcinha acabara de chegar. Estava linda.Dito percebeu a reação do rapaz. -Foi essa a garota que te convidou? -Foi. -E você gosta dela? -Como? -Perguntei se gosta dela. -Por que tá me perguntando isso? -Ora,por favor!Eu vi a cara que você fez agora.Tá escrito nela! Você tá a fim... -Pois é-Disse o jovem interrompendo o primo-Eu estou mesmo afim. -Então cai dentro!


Dito parecia bem objetivo. -Eu não consigo-Balbuciou Daniel. -Como assim não consegue? Ele desabafou com o primo.Contou o que acontecia.Este o ouviu com atenção. Em seguida deu sua opinião: -Eu acho que você deve arriscar!Vai fundo nessa! -Não sei não! -O que você tem a perder? Dani já começava a suar frio de novo.A possibilidade de chegar em Marcinha era algo que despertava muito a sua vontade,mas também seu medo.A timidez era fogo! Dito o incentivava: -Vai lá cara! Eu te dou apoio!Manda ver! Depois do quinto refrigerante nosso herói finalmente levantou. Foi tentar falar com ela. Ao se aproximar sentiu o estômago embrulhar.Resolveu recuar.Quando estava virando de costas ouviu o chamado de Marcinha: -Daniel,vem cá! Ele virou-se de imediato. -Eu? -Deixa eu te apresentar dois amigos. amigos apresentados,o rapaz tomou coragem e disse: -Posso conversar com você um minutinho? A sós. -Claro,Vamos ali pra varanda. O rapaz chegou lá tremendo.Estava com medo que ela percebesse. -Você está pálido!-disse ela. -Impressão sua. tá tudo bem.


-e então? - E então o que? Ela deu um pequeno sorriso -O que você queria falar comigo? Ele fez um monte de rodeio até que não aguentou mais.Respirou fundo,fechou os olhos e perguntou a ela: -Você quer ficar comigo? No princípio ela não respondeu.Aquele silêncio pareceu uma eternidade.Ele continuou de olhos fechados até receber um leve beijo em sua face.Ela olhou bem pra ele e disse: -Olha Daniel,Você é um cara bem bacana,gente boa só que... -só que! -Só que eu comecei a namorar ontem. Quase ninguém já sabe. Ela falou mais uma meia dúzia de palavras até que as amigas foram chama-la pra dançar. ele ficou olhando a vista debruçado no muro da varanda. Ficou assim por uns cinco minutos até notar a presença de alguém. -Oi,tudo bem?-Perguntou ele. -Tudo bem-Respondeu a garota do outro lado. -qual o seu nome? -érica -O meu é daniel. -Eu sei. -Sabe? -Eu te conheço de vista da faculdade. Os dois conversaram durante um bom tempo.O papo foi muito bom.Que menina divertida,pra cima!Uma determinada hora ela mudou o rumo do assunto:


-Desculpa te interromper Daniel,mas eu tenho uma coisa pra falar. -Sou todo ouvidos. Eu te vi um dia na faculdade e gostei de você.Te achei tão bonito!Aí fiquei esse tempo todo querendo arranjar uma desculpa pra vir falar com você.Só que eu não consegui achar nenhuma!Eu acho você um cara super legal. -Nossa érica,eu não sei o que dizer! -não diz nada! Ela o puxou e o beijou. Foi um momento de relaxamento e maravilha. Pararam um instante,se olharam,riram e voltaram para o que estavam fazendo. Assim foi o primeiro beijo de Daniel!


Texto Marcelo