Issuu on Google+

Edição N°009/2016

Política & Saúde | Alta Complexidade em Pauta

Brasília, 18 de abril de 2016

EDITORIAL

N

a última semana foi anunciado na Inglaterra um novo acordo com o Instituto Nacional de Saúde e Assistência Excellence e o Serviço Nacional de Saúde para o fornecimento de um remédio, o atalureno, que permite o retardo na progressão da Distrofia Muscular de Duchenne (DMD), uma degeneração muscular progressiva que afeta cerca de 18.600 pessoas na Europa. A recente decisão inglesa abre um novo caminho para que os pacientes tenham acesso ao fármaco por meio do serviço público de saúde. De acordo com o levantamento do Alta Complexidade Política & Saúde, de maio de 2015 a março de 2016, o Ministério da Saúde destinou mais de R$ 56 milhões para a compra do Ataluren, comercializado como Translarna, de 125 mg, 250 mg e 1 g, para o cumprimento de decisões judiciais. Na Justiça Federal, até o momento são mais de 25 processos para solicitação dessa opção terapêutica de crianças com Duchenne. Outro assunto em pauta é a epidemia de zika, o crescente aumento no número de casos de bebês com microcefalia no Brasil e os resultados de estudos brasileiros publicados no periódico The Lancet. O tema desperta rotineiramente a discussão com a sociedade para alertar sobre o diagnóstico e as unidades de referência que oferecem atendimento multiprofissional e estimulação precoce. A preocupação atual no consenso de especialistas é o recebimento de turistas durante os jogos olímpicos no estado do Rio de Janeiro, que permitirá uma porta de entrada para novos vírus e o Brasil enfrenta um problema sanitário e implica uma melhor distribuição dos recursos públicos para o enfrentamento de arboviroses. No Fique Por Dentro, há oportunidades para capacitação em pesquisa clínica; cuidados paliativos e controle social. É fundamental o cidadão compreender os instrumentos de avaliação e monitoramento, bem como, participar da gestão de forma a prevenir e combater a corrupção e o desperdício dos recursos públicos.

Foto: © Alta Complexidade Política & Saúde 2016

PESQUISA

Edital de apoio a pesquisas para o SUS no valor de R$ 3,1 milhões Foto: Divulgação/ Internet

Com o objetivo de apoiar a execução de projetos de pesquisa que promovam a formação e a melhoria da qualidade de atenção à saúde na saúde pública do DF, a Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAPDF) lançou, no dia 14 de abril, a Chamada Pública FAPDF/MS-DECIT/CNPQ/ SESDF Nº 001/2016- Programa Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde. 50 linhas de pesquisa estão contempladas no edital, divididas em 6 eixos temáticos: Tecnologias e Inovação em Saúde; Direito Sanitário e Democracia em Saúde; Política, Gestão, Planejamento e Avaliação em Saúde; Atenção Primária à Saúde; Gestão da Educação e do Trabalho em Saúde; e Vigilância em Saúde. O valor global do financiamento é de três milhões e cento e vinte mil reais. As propostas deverão ser submetidas online no Sistema de Informação de Ciência e Tecnologia em Saúde (SISC&T – http://portal2.saude.gov.br/sisct/ ) até o dia 06 de junho de 2016. Mais informações: publicappsus2016@fap.df.gov.br ou ppsus@saude.gov.br .


ALTA COMPLEXIDADE EM PAUTA

Governo da Inglaterra fornecerá medicamento Translarna para pacientes com Duchenne

O

Instituto Nacional de Saúde e Assistência Excellence (NICE) anunciou no dia 15 de abril a recomendação do medicamento Ataluren, comercializado como Translarna, para o tratamento de crianças afetadas pela Distrofia Muscular de Duchenne (DMD), uma degeneração muscular progressiva que afeta cerca de 18.600 pessoas na Europa. O atalureno é utilizado via oral e foi aprovado como remédio pela Agência Europeia de Medicamentos EMA, em agosto de 2014, para o tratamento de pacientes com Duchenne em 23 países, por meio de programas de acesso expandido ou vendas comerciais. Segundo informações da reguladora europeia, a droga não é útil para todos os pacientes com DMD, é apenas para um subgrupo com um defeito específico no gene produtor da distrofina mutação nonsense, em doentes com capacidade de marcha com idade igual ou superior a 5 anos. O mecanismo de ação do remédio, uma espécie de terapia genética, permite o atraso no progresso da DMD, mas só as crianças que ainda são capazes de andar seria considerada para o tratamento. Essa recomendação do NICE possibilitou um acordo de acesso gerenciado com Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra, e na prática, significa que o governo fornecerá o medicamento ao paciente, porém, estará sujeita à finalização do projeto do Instituto, com previsão para o mês de maio deste ano.

Foto: Helen Puttick/Herald Scotland

Michael Young, 9 anos, levou sua luta para o tratamento de Duchenne para o Parlamento escocês em janeiro deste ano

O fabricante do atalureno e o Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra também estão em processo de finalização de um acordo descrevendo detalhes financeiros e clínicos que envolvem o uso de Translarna, incluindo um acordo financeiro confidencial. Esse acordo firmado permitirá ao fabricante recolher mais dados sobre a eficácia do remédio para o tratamento de Duchenne durante um período de cinco anos com o NICE orien-

tação de ser revisto ao final do período. Essa ação do governo é resultado da mobilização de grupos de pais e de associações representativas na Europa para garantir o acesso à saúde aos pacientes com DMD, isso porque, as famílias levaram em média 18 meses para receber notícias sobre uma opção terapêutica que permite o retardo da progressão da doença, mas pelo fato de ser uma droga de alto custo, as famílias não conseguiam esse acesso.

Distrofia Muscular de Duchenne (DMD)

É uma doença neuromuscular caracterizada por fraqueza e perda de massa muscular rapidamente progressiva, devido a degeneração dos músculos esquelético, liso e cardíaco. É uma doença genética causada por um defeito na distrofina, uma proteína essencial para o funcionamento normal dos músculos. Devido ao defeito essas crianças muitas vezes têm problemas de mobilidade dos seis aos oito anos, e na maioria das vezes passam a precisar de cadeiras rodas antes mesmo de se tornarem adolescentes. Ao final da adolescência, os pacientes são geralmente incapazes de respirar por conta própria como seus pulmões deteriorar-se e a maioria dos doentes morrem de complicações respiratórias ou insuficiência cardíaca em seus vinte ou trinta anos.


ALTA COMPLEXIDADE EM PAUTA

Judicialização: a via de acesso ao fármaco no Brasil

Foto: Reprodução/ Diário Oficial da União

A recente decisão na Inglaterra abre um novo caminho para que os pacientes tenham acesso ao fármaco por meio do serviço público de saúde. No Brasil, embora o Translarna não tenha sido aprovado pela Anvisa e não esteja incorporado no Sistema Único de Saúde, a justiça federal deferiu várias ações em favor dos pacientes. Desde 2015, o Ministério da Saúde cumpre algumas decisões judiciais, é o que mostra um levantamento realizado pelo Alta Complexidade Política & Saúde, a partir de informações publicadas pela pasta no Diário Oficial da União. Entre maio e dezembro de 2015, o Ministério da Saúde pagou mais de R$ 25 milhões para a compra de sachês de Translarna 125 mg, 250mg e 1 g. Já em 2016, até o mês de março o montante ultrapassou R$ 31 milhões. Quanto aos processos judiciais que correm nos Tribunais Federais da 1ª, 2ª e 3ª Região, de julho a dezembro de 2015 foram 10 processos, e de janeiro a abril desse ano, 15.

Demonstrativo - EXTRATO DISPENSA DE LICITAÇÃO

Diagnóstico vapt-vupt de Parkison no Piauí Foto: Cláudia Alves

No dia 16/04, o Ambulatório Integrado do Hospital Getúlio Vargas, no Piauí, realizou 96 atendimentos para o mutirão da doença de Parkinson, que inclui consulta na clínica médica e avaliação de equipe de enfermagem, educação física e fisioterapia. Em menos de 20 minutos, os pacientes realizaram os procedimentos, receberam o diagnóstico e a prescrição médica para o uso de medicamentos, e indicações para tratamento cirúrgico. O ambulatório tinha uma demanda reprimida de 160 pacientes. Fonte: Com informações do Governo do Piauí

Consulta pública para tratamento de Psicose relacionada à doença de Parkinson Até o dia 4 maio está aberta a consulta pública da Conitec do antipsicótico clozapina, indicada para Psicose associada à doença de Parkinson. Hoje o fármaco está disponível no SUS para o tratamento de esquizofrenia e transtorno esquizoafetivo. Se aprovado, o remédio terá um impacto orçamentário ao longo de 3 anos de incorporação, entre os valores de R$ 4, 9 a 12 milhões.


ALTA COMPLEXIDADE EM PAUTA

Zikavirose A epidemia está apenas no início

A

epidemia de zika e o crescente aumento no número de casos de bebês com microcefalia no Brasil desperta rotineiramente a discussão com a sociedade para alertar desde o diagnóstico ao atendimento multiprofissional, e direitos sociais desses pacientes. Um problema de saúde pública que causa ressonância na rede particular, e com esse propósito de compartilhar experiências e estudos clínicos, a Sociedade de Radiologia e Diagnóstico realizou no dia 16 de abril, o Simpósio Zika Vírus, que teve como palestrantes médicos e pesquisadores de Campina Grande, Rio de Janeiro e Brasília. Dra. Adriana Melo, médica ginecologista especialista em medicina fetal, que atua na maternidade do Instituto Elpídio de Almeida (ISEA), apresentou a forma como conseguiu fazer o inédito trabalho de investigação dos casos microcefalia relacionados ao zika vírus, que aconteceu após a realização do exame do líquido amniótico de duas pacientes grávidas. A médica demonstra a necessidade de continuar acompanhando os bebês com microcefalia devido aos casos que estão além do perímetro cerebral. Há problemas de audição, visão e ainda artrogripose, por isso a importância de identificar a microcefalia como uma Síndrome Congênita. Questionada sobre o atendimento atual dos bebês, Dra. Adriana afirmou que houve compartilhamento de responsabilidade por parte do Executivo. “Nossa secretaria tem incentivo local, as-

Foto: © Alta Complexidade Política & Saúde 2016

sistência e pesquisa. Montamos o serviço que vai desde o atendimento da grávida até a criança, com equipe de Fonoaudiologia, Neurologia, Pediatria, Obstetrícia, Fisioterapia, Terapia Ocupacional e Psicologia – com terapia em grupo e individual, mesmo com poucos recursos, a ordem do prefeito foi abrir as portas e receber pacientes, inclusive de outros estados”. A Paraíba teve 800 casos suspeitos e acompanhados, sendo 95 confirmados com microcefalia. A especialista comentou sobre a necessidade de criar um polo de atendimento descentralizado e um centro de referência, para que as mães não precisassem andar mais de 50 quilôme-

tros, para receber atendimento multiprofissional. “A nutrição está começando agora, pois os bebês não mamam bem, a maioria está ficando obeso, precisa tentar fazer a estimulação do leite, mas em bebês com microcefalia não é fácil, eles têm convulsões refratárias, eles aspiram, não deglutem bem, e aí vão para alimentação artificial”, a exposição dessas informações [ Campina Grande - Paraíba ]

Cidade com população média de 403 mil habitantes, que conta com 19 hospitais, 93 unidades básicas de saúde, três centros de referência em saúde, além do Serviço Municipal de Saúde.


ALTA COMPLEXIDADE EM PAUTA demonstra o quanto desafiador será para os profissionais de saúde criar protocolos de cuidados para atender os bebês e as mães. A confirmação no último dia 13 de abril, pelo Centro de Controle de Doenças e Prevenção(CDC) da relação entre zika vírus e a microcefalia, reforçou a necessidade do fortalecimento e ampliação das políticas públicas de saúde. Em entrevista ao Alta Complexidade Política & Saúde, a divulgação do resultado positivo da revisão das pesquisas pelo CDC não foi surpresa para a Dra. Adriana, que relata ainda a importância dos dados do seu trabalho na Paraíba coletados pela equipe do CDC. A pesquisadora informa que não teve contato com o CDC durante a revisão dos trabalhos e que ficou sabendo do resultado pelas redes sociais. A pesquisadora considera importante a distribuição dos investimentos. “A vacina é importante, mas tem coisa mais importante que a vacina, estou preocupada com o que os gringos vão trazer no período de Olimpíadas, acho que tem investir em condições sanitária. Antes da vacina tem uma série de coisas”. Dr. Amilcar Tanuri, biofísico, virologista e chefe do Laboratório de Virologia Molecular da Universidade Federal do Rio de Janeiro, um dos mais respeitados virologistas do Brasil, que teve destaque recente no cenário internacional. Durante toda a sua apresentação teceu elogios ao excelente trabalho da Dra. Adriana Melo, reiterando sua importância para a realização do inédito estudo intitulado “Detecção e sequenciamento do vírus Zika de líquido amniótico de fetos com microcefalia no Brasil: um estudo de caso“ divulgado no dia 17 de fevereiro de 2016, no periódico The Lancet.

Quanto à indicação do tempo adequado para que a paciente possa engravidar após apresentar quadro de zika vírus, ainda é a maior dúvida de todos os médicos e profissionais de saúde, para o Dr. Amilcar ao médico cabe oferecer todas as informações sobre os possíveis riscos, a paciente precisa fazer o acompanhamento da carga viral, sendo que a decisão é mulher, ciente de todas as possibilidades. O pesquisador questionou a qualidade das tecnologias para testes para zika vírus, que será necessária uma avaliação desses kits após essa enorme demanda pelo teste. A contribuição maior que a divulgação dessa pesquisa ofereceu para a sociedade foi direcionar a forma de atuação das políticas públicas de saúde em âmbito fe-deral, estadual e municipal. “Recomendamos que a infecção pelo zika vírus deve ser considerada como um possível agente causador em casos de microcefa-

Foto: © Alta Complexidade Política & Saúde 2016

lia, especialmente durante surtos de Zika em regiões endêmicas. O diagnóstico precoce da infecção zika vírus, cuidados de suporte, tratamento sintomático, e encaminhamento de crianças com microcefalia para atendimento especializado são todas as medidas necessárias para melhorar o desenvolvimento neurológico das crianças afetadas”.

Atendimento para crianças com microcefalia no DF Dr. Rodrigo Rodrigues Miranda, especialista e mestre em Saúde Pública, apresentou a Portaria n° 28/2016, que criou, após o Ministério da Saúde declarar Emergência em Saúde Pública de importância Nacional (ESPIN), a Rede de Atendimento às Doenças Infecciosas Congênitas com objetivo oferecer suporte durante a investigação epidemiológica, bem como no acompanhamento dessas crianças e seus familiares. A Portaria n° 28/2016 criou o Comitê Técnico Operacional para o enfrentamento das microcefalias relacionadas ao Vírus Zika no âmbito da SES, com validade de 6 meses, podendo ser renovada de acordo com a necessidade.

[ SERVIÇO ] Unidades de Referência para Neuropediatria: HMIB, HRSam, HRSM, HRT, HRS e HRC.

Unidades de Referência para exames de imagem (ultrassonografia e tomografia computadorizada): HMIB, HRSam, HRSM, HRT, HRS e HRC. Unidades de Referência para estimulação precoce: Centro Especializado de Reabilitação CER II (Policlínica Taguatinga), Hospital de Apoio de Brasília, Hospital da Criança, Hospital Sarah Kubitscheck e CER II Taguatinga. Informações: 0800 645 7089


POR DENTRO DO CONGRESSO NACIONAL

Senado aprova Envio de amostras de material genético proposta que multa para exames no exterior pode ser estabelecimento facilitado comercial que não O envio de amostras de material genético para exames no exterior quancumprir atendimento do se tratar de emergência de saúde pública poderá ser facilitado. É o que estabelece um projeto (PLS nº 26/2016) aprovado nesta quinta-feiprioritário ra (14) na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE). A O Plenário do Senado aprovou nesta quinta-feira (14) uma proposta (PLC 44/2014) que prevê multa para grandes estabelecimentos comerciais que não cumprirem o atendimento prioritário. A penalidade para os comerciantes que não derem prioridade para pessoas com deficiência, crianças de colo, idosos, gestantes e lactantes equivale a dez salários mínimos. A matéria ainda precisará passar por nova votação da Câmara dos Deputados, antes de se tornar lei. Fonte: Rádio Senado

iniciativa irá ajudar no combate as doenças como dengue, zika e chikungunya. O projeto também prevê que os eventuais benefícios pelo estudo genético terão que ser compartilhados com centros de pesquisa no Brasil. Fonte: Rádio Senado

Agilidade para registro de medicamentos A Comissão de Assuntos Sociais do Senado aprovou nesta quarta-feira (13), o PLS 727/2015, senador José Serra (PSDB-SP), que altera a Lei 6.360/1976, que dispõe sobre as normas da Anvisa. O texto mantém os atuais 90 dias de prazo apenas para o registro de remédios “urgentes”, mas os medicamentos classificados como “prioritários” terão 180 dias e os demais, os chamados medicamentos gerais, 360 dias.

SP: Projeto de lei quer instituir a semana estadual de informação e Divulgação da Pesquisa Clínica O deputado estadual Wellington Moura (PRB-SP) apresentou o Projeto de Lei n°272/2016, na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, que cria a Semana Estadual de informação e Divulgação da Pesquisa Clínica, a ser comemorada, anualmente, em março. O objetivo é promover ações de esclarecimento para a sociedade; celebrar parcerias e convênios com universidades e entidades da sociedade civil e governo. O projeto será analisado pelas comissões de Constituição Justiça e Redação; de Saúde; Finanças Orçamento e Planejamento.

©Alta Complexidade Política & Saúde

Acessibilidade #Barreiras

A falta de fiscalização reforça a certeza da impunidade quanto ao desrespeito às vagas de deficientes físicos e idosos! O estacionamento público localizado no SHLS-Setor Hospitalar Local Sul tem mais de 300 vagas, mas isso não signfica que as pessoas com deficiência física podem estacionar com direito à acessibilidade. O desrespeito está em vários pontos do estacionamento. Conseguiram construir um quiosque no lugar de uma vaga, mas a única vaga de deficiente físico devidamente sinalizada está esse veículo estacionado. A placa que indica a vaga não sinaliza a quantidade de vagas nem de deficientes nem de idosos.

Foto: Reprodução/Internet

O que diz a legislação?

Onde? Estacionamento público localizado no Setor Hospitalar Local Sul, Asa Sul, Brasília, DF

Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Art. 47º Em todas as áreas de estacionamento aberto ao público, de uso público ou privado de uso coletivo e em vias públicas, devem ser reservadas vagas próximas aos acessos de circulação de pedestres, devidamente sinalizadas, para veículos que transportem pessoa com deficiência com comprometimento de mobilidade, desde que devidamente identificados.


FIQUE POR DENTRO

Curso de Capacitação em Pesquisa Clínica (EAD) Início do curso: 24 de maio de 2016 Pauta: Bioética, Panorama Mundial da Pesquisa, Metodologia Científica; Particularidades da Pesquisa Clínica e Elaboração de Projetos de Pesquisa; Fases de Estudo, Medicina Baseada em Evidência, Bases de Dados; CEP, CONEP e Termo de Consentimento Livre e Esclarecido; Farmacovigilância, Farmacoeconomia, Papel dos Profissionais em Pesquisa Clínica; Atuação na Pesquisa Clínica e Noções de Gestão. Inscrições até 27 de abril: http://migre.me/tw8Z6 Realização: Hospital Alemão Oswaldo Cruz e Instituto de Educação e Ciências em Saúde

Oficina de Elaboração de Parecer TécnicoCientífico para as Regiões Norte e Nordeste Data: 13 a 17 de junho de 2016 Pauta: Avaliação de tecnologias como instrumento de gestão do SUS; seleção das evidências; avaliação crítica de ensaios clínicos randomizados e outros Inscrições até 30 de abril: http://bit.ly/1r7G14J Vagas: 30 Local: Universidade Regional do Cariri - URCA, Crato, Ceará Realização: Hospital do Coração, DECIT e Ministério da Saúde

A cadeia de saúde suplementar: avaliação de falhas de mercado e propostas de políticas

Data: 6 de maio de 2016 Horário:8h30 às 14h Local: Auditório Steffi e Max Perlman, Rua Quatá, 300 Vila Olímpia – São Paulo Informações: http://bit.ly/1SfrkCZ Realização: Insper e Instituto de Estudos de Saúde Suplementar

VI Encontro de Direito Médico de Rondônia

Data: 6 de maio de 2016 Pauta: Organização Social na área de Saúde; os direitos do médico sob a ótica do Código de Ética; a atuação do Tribunal de Contas e a governança da Saúde e a judicialização da medicina. Local: Auditório do Tribunal de Justiça de Rondônia, Porto Velho, Rondônia Inscrições gratuitas: www.direitomedicorondonia.com

Curso Cuidados Paliativos e Óbito no Domicílio Temas: Orientações ao cuidador; sedação paliativa no domicílio; ansiedade; depressão; espiritualidade; cuidados com feridas; hipodermóclise; paracentese e qualidade de vida. Público-alvo: Médicos e enfermeiros. Outros profissionais podem acessar os conteúdos do curso por meio do acesso a visitante, nesse caso, sem obtenção de certificado. Matrículas até 10 de junho, pelo link: https://dms.ufpel.edu.br/ maad-paliativo Realização: Universidade Federal de Pelotas/ Rede UNA-SUS

Curso de Controle Social

Data: 3 a 23 de maio Temas: Conceito, componentes e objetivos, os papéis e responsabilidades da administração e da auditoria interna e os instrumentos de avaliação e monitoramento Inscrições até 28 de abril: http://bit.ly/1SMhGqE Realização: Controladoria-Geral da União e ENAP

Curso de Formação de Cuidador de Idosos Objetivo: Qualificar e capacitar pessoas para o cuidado adequado e relacionamento humanizado com o idoso, respeitando seus aspectos físicos, mentais, sociais e legais. Inscrições até 28 de abril: http://bit.ly/1r7IRXx Realização: Núcleo de Telessaúde do Hospital das Clínicas da UFPE, Fraternidade Espírita Francisco Peixoto Lins, a Interne Educação e o Núcleo de Telessaúde da UNIVASF.


AGENDA : 19 A 23 DE ABRIL DE 2016 [ Terça-feira: 19/04 ]

Exposição ‘Beleza Inclusiva’ Objetivo: Trabalho A mostra que acontece de 19 a 30 de abril, levará o público por um passeio em imagens cheias de lições de superação. O trabalho realizado pelos fotógrafos Chico e Gal Brandão e pela arquiteta Laís Marinho, retrata a importância da inclusão em diferentes âmbitos sociais, bem como, a importância de a sociedade estar adaptada à realidade das pessoas com deficiência para que o acesso irrestrito aconteça em todas as suas dimensões. Horário: 10h às 22h - Entrada gratuita Local: Maceió Shopping 2º piso (em frente ao Kinoplex), Av. Comendador Gustavo Paiva, 2990 – Mangabeiras, Maceió, Alagoas Seminário Ética: A sustentabilidade da saúde no Brasil Informações: (11) 3178-7444 Local: Hotel Sheraton, Rua Olavo Barreto Viana, 18 – Moinhos de Vento – Porto Alegre, RS

Terça Tecnológica Pauta: Tecnologia assistiva para mobilidade e comunicação Palestrantes: Júlio Cezar Augusto e Saul Mizrahi, coordenadores do Núcleo de Tecnologia Assistiva do Instituto Nacional de Tecnologia Horário: 14h30 às 16h30 Informações: (21) 2123-1295 Local: Auditório Fonseca Costa - INT - Av. Venezuela, 82 - 4 andar - Praça Mauá, Rio de Janeiro Seminário de Judicialização da Saúde: Causas e Consequências Data: 19 e 20 de abril Horário: 19h às 22h Local: Auditório do CRM-MT - Rua E, S/Nº Centro Político Administrativo, Cuiabá Informações: (65) 3612-5400

[ Quarta-feira: 20 de abril ]

Comissão de Assuntos Sociais Pauta: Reunião deliberativa para análise de 8 itens. Entre eles, o PLS 744/2015, que cria programa de crédito para santas casas e hospitais filantrópicos. Horário: 9h Local: Ala Senador Alexandre Costa, Plenário nº 9, Senado Federal

Comissão de Educação Pauta: Audiência pública interativa para debater o Currículo Pediátrico Global. Entre os convidados estão representantes da Sociedade Brasileira de Pediatria e do Ministério da Educação. Horário: 11h Local: Ala Senador Alexandre Costa, Plenário nº 15, Senado Federal Simpósio Brasileiro de Motricidade Humana Data: 20 a 23 de abril Temas: Avaliação do desenvolvimento neuropsicomotor do lactente, geriatria e motricidade humana, deficiência intelectual, psicomotrocidade relacional e outros. Local: Museu da UDESC, Rua Saldanha Marinho, 196 - Centro, Florianópolis, Santa Catarina Inscrições: http://www.eventick.com.br/1simposiobrasileiromotricidade

ERRAMOS

Na Edição N°008/2016, foi divulgada as inscrições para a Oficina de Atuação no Parlamento, promovido pelo CEFOR/Câmara dos Deputados. Devido à reforma do alojamento da CNTC nesse primeiro semestre, o CEFOR não oferecerá hospedagens na primeira edição.

EXPEDIENTE

Política & Saúde é um periódico elaborado pelo Instituto Alta Complexidade Política & Saúde. Conteúdo informativo e educativo sobre Alta Complexidade em saúde, políticas públicas e universo da pessoa com deficiência. Presidente: Sandra Mota Jornalista Responsável: Hulda Rode (DRT DF N°8610/2010) E-mail: contato.altacomplexidade@gmail.com Site: www.altacomplexidade.org Permitida a reprodução do conteúdo, desde que citada a fonte: © Alta Complexidade Política & Saúde 2016


Política & Saúde Edição N°009/2016