Page 1

Manual

Processos Grรกficos

Jaislan Gregate


Tipos de Papel Acetinado: melhor impressão de tipos e ilustração. Apergaminhado: qualidade superior, imita o pergaminho. Bouffant: leve, fofo e áspero, utilizado para impressões de livros. Bristol: cartão de boa qualidade, utilizado para cartões de visita, convites, etc. Bíblia: ou também Papel-da-Índia, opaco, extremamente fino e resistente, utilizado em bíblias e obras muito grandes para diminuir o volume Jornal: Papel de baixa qualidade, deve ser usado em apenas rotativas de jornal. Imprensa: É um papel jornal melhorado, apresenta alguns problemas na impressão em policromia, mais utilizado em folhetos de baixíssimo custo. H.D. (Heavy Duty): Possui certo grau de resistência à tração. Utilizado para embrulhos, confetes, serpentinas, etc. Seda: Papel macio utilizado em guardanapos e revestimento de produtos durante o empacotamento. Papel-da-China: Fabricado com a casca do bambu, aspecto sujo, mas macio e brilhante, usado em tiragem de gravuras. Papel Japonês: ou papel-de-arroz, branco ou pouco amarelado, sedoso, espesso, transparente, frágil, utilizado em gravuras. Pergaminho: Faz lembrar o pergaminho, frequentemente utilizado para capas de volumes. “Papel Moeda”: É uma amálgama de papéis diferentes. Ou seja, são papéis diferentes que são combinados para fazer um só (neste caso, para fazer o papel usado no dinheiro). E, esse tipo de papel não é encontrado em lugar nenhum para comprar. Os motivos são óbvios. Offset: Papel com bastante cola, superfície uniforme livre de felpas e penugem e preparado para resistir o melhor possível a ação da umidade, o que é de extrema importância em todos os papéis para a impressão pelo sistema offset e litográfico em geral. Sua aplicação é na impressão para miolo, livros infantis, infanto-juvenis, médicos, revistas em geral, folhetos e todo serviço de policromia. Offset Telado: Suas características são textura e gofrado (papel texturizado ou gravado em relevo). Sua aplicação é em calendários, displays, convites, cartões de festas e peças publicitárias.


Pólen Ristic: Papel com um toque rústico e artesanal. Pólen Bold: Papel com opacidade e espessura elevada. Offset Policromia: É usado em livros quando necessário papeis mais espessos, sem aumento do peso do livro. Pólen Soft: Papel com tonalidade natural, ideal para uma leitura mais prol ongada e agradável. Suas aplicações são em livros instrumentais, ensaios e obras gerais. Alta Print: Papel offset “top” de categoria, com alta lisura, brancura e opacidade. Produzindo através do processo “soft calender on-machine”, oferece a melhor qualidade de impressão e definiçõesde imagens. Couché: Papel com uma ou ambas as faces recobertas por uma fina camada de substâncias minerais, que lhe dá aspecto encorpado e brilhante, e muito próprio para a impressão de imagens a meio-tom, e em especial de retículas finas. Para a impressão de textos. O papel gessado é muito lúdico e por isto incômodo à vista. Defeito que se tem procurado contornar com a criação das tonalidades mate. O termo vem do francês “Couché” (camada). É necessário distinguir couché de duas faces de alguns papéis simplesmente bem acetinados, que com eles se confundem; molhando-se e friccionandose uma extremidade do papel, se for couché, a camada de branco desfaz-se. Couché L1: Papel com revestimento Couché brilhante em um lado. Policromia Suas aplicações são sobre capas, folhetos e encartes. Couché L2: Papel com revestimento Couché Brilhante nos doislados. Policromia Suas aplicações são em livros, revistas, catálogos e encartes. Couché Monolúcido: Papel com revestimento couché brilhante em um lado. Mas liso no verso para evitar impermeabilidade no contato com a água ou umidade. Suas aplicações são em embalagens, papel fantasia, rótulos, outdoors, base para laminação e impressos em geral. Couché Matte: Papel com revestimento couché fosco nos dois lados. Suas aplicações são em impressão de livros em geral, catálogos e livros de arte. Couché Textura: Papel com revestimento couché brilhante nos dois lados, gofrado (texturizado ou gravado em relevo), panamá e skin (casca de ovo). Suas aplicações são em livros, revistas, catálogos, encartes, sobrecapas e folhetos. Couché Textura Skin: Papel com revestimento couché texturizado nas duas faces imitando casca de ovo. Couché Textura Panamá: Papel com revestimento gessado, texturado nas duas faces imitando trama de uma tela de linho. Couchés Especiais: Couché Cote: Papel branco revestido com camada gessada de alto brilho “Cast Coated”, sendo o verso branco fosco.


Duplex Cote: Cartolina branca revestida com camada gessada de alto brilho “Cast Coated”, sendo verso branco fosco. Color Cote: Papel revestido com camada gessada de alto brilho “Cast Coated” em cores pastéis e intensas: azul, verde, rosa, amarelo, vermelho, preto, prata e ouro, verso branco fosco. Pearl Cote: Cartolina perolada. Doblecote: Papel branco, revestido com camada gessada de alto brilho “Cast Coated” em ambas as faces. Gofracote: Papel branco revestido com camada gessada de alto brilho “Cast Coat” gofrado (texturizado ou gravado em relevo) nos moldes: linho fino e casca de ovo, sendo o verso branco fosco. Lamicote: Cartão laminado com poliéster metalizado nas cores: prata, ouro e outras, sendo o verso branco fosco. Metalcote: Papel “Cast Cote” metalizado a vácuo nas cores: prata e ouro, sendo o verso branco fosco. • Aplicações da linha Cote Aplicações técnicas de acabamento em móveis, artigo de festas, auto adesivos, brinquedos, calendários, capas (de balanços, discos, livros, relatórios, revistas e talões de cheque), cardápios, cartazes, cartões em geral, catálogos, convites em geral, displays em geral, divisórias de agendas e relatórios, embalagens em geral, etiqueta (tanques), folhetos, folhinhas, literaturas médicas, papel de presente, pastas, posters, provas de imp ressos, reproduções de telas de pintura e revestimento para forração de embalagens de micro ondulados. Film Coating: Papel revestido e calandrado na máquina de papel, com excelente reprodução de cores e brilho, alta definição de imagens e superior qualidade de impressão. Esse papel é intermediário entre o papel offset e o couché. Top Print: Suas características são alvura, sedosidade, lisura, opacidade superior, fidelidade na reprodução de cromos, fotos e ilustrações, maior produtividade na impressão, menor carga de tinta utilizada para obter-se a mesma densidade de cor. Sua aplicação é em tablóides, malas diretas, jornais de imprensas, house organs, impressos promocionais, livros didáticos, revistas técnicas, folhetos e manuais. Opaline: Apresenta excelente rigidez (carteado), alvura, lisura, espessura uniforme. Sua aplicação é em cartões de visita, convites e diplomas. Vergé: Suas características são marca d’água, aparência artesanal, formação de folhas homogêneas, resistência das cores à luz, controle colorimétrico e é adequado para impressão: offset, tipografia, relevo, entre outros. Suas aplicações são para papel de carta, envelopes, catálogos, capas, trabalhos publicitários, cartões de visita, formulários contínuos, mala-direta, para miolo e guarda de livros. Color Plus: Apresenta colorido na massa, boa lisura para impressão, sem dupla


face, resistência das cores à luz, estabilidade dimensional, controle colorimétrico e continuidade das cores. Suas aplicações são em trabalhos publicitários, papel para carta, envelopes, convites, catálogos, blocos, capas, folhetos, cartões de visita, maladireta, formulários contínuos, entre outros. Super Bond: Originalmente, era um papel feito todo com pasta, usado pelos norteamericanos na impressão de títulos da dívida pública (bonds); a denominação se estendeu depois aos papéis de carta com bastante cola, relativamente leves e constituídos de pasta de trapos, pasta química de melhor qualidade, ou mistura de ambos. Suas aplicações são em formulários contínuos, cadernos, blocos, envelopes, talonários e serviços gerais de escritório. Flor Post: Tem um de seus lados brilhante, que dá uma opção a mais para obterse uma melhor qualidade de impressão. Suas aplicações são em vias de notas fiscais, pedidos, cópias de carta e documentos. Cartolina: É intermediária entre papel e o papelão. É fabricado diretamente na máquina, ou obtida pela colagem e prensagem de várias outras folhas. Conforme a grossura, diz-se cartolina ou papelão. Na prática diz-se cartão, se a folha pesar 180gr ou mais por metro quadrado; menos que isso, é papel. A distinção entre cartolina e papelão costuma-se fazer pela grossura; é papelão quando supera o meio milímetro. Cartão Grafix: Cartão de massa único, ideal para policromia. É indicado para capas e permite plastificação. Capa texto: Papel com aparência artesanal. É indicado para miolo e guarda de livros. Cartão duplex: Cartão que apresenta diferentes cores, acabamentos ou composições nos dois lados; de um pasta mecânica e do outro cobertura gessada. Suas aplicações são em capa de livros em geral, embalagens para produtos alimentícios, cosméticos, impressos publicitários, produtos que exijam envasamentos automáticos e pastas. Cartão triplex: Cartão com três camadas, duas com celulose pré-branqueada e a terceira de celulose branca com cobertura gessada. Suas aplicações são em capa de livros em geral, cartuchos em geral (para produtos farmacêuticos, alimentícios, higiênicos), embalagens de disco, embalagens para eletroeletrônicos, embalagens para brinquedos, vestuários, displays e laminações em micro ondulado. Papel Kraft: Papel muito resistente, em geral de cor pardo-escuro, e feito com pastas de madeira tratada pelo sulfato de sódio (Kraft = força). É usado para embrulho, sacos e sacolas. Micro Ondulado: Cartão especial que, em lugar de constituir folha plana, forma pequenos canais salientes e reentrantes. É usado na embalagem de mercadorias quebradiças, ou trabalhos diferenciados. Papeis Reciclados/Importados: Esses papéis são reciclados, constituindo-se de 50% de papéis aparas (sobra de papel), sem impressão. O restante varia de 20-50% de papéis impressos reciclados pós-consumidos variando de acordo com o efeito que se


deseja obter. Além de alguns mais específicos que são reciclados em 100%, outros se utilizam de anilinas em processo exclusivo de fabricação. Todos os papéis oferecem uma variedade muito grande de cores e textura, proporcionando ao usuário tum resultado diferenciado dos papéis freqüentemente utilizado. É ideal para impressões finas em livros de arte, hot stamping, relevo seco, obras de arte, efeitos de porcelana, impressão em jato de tinta e impressão à laser. Papel Canson: Papel colorido utilizado em colagens, recorte e decorações. Papelão: Os papelões são compostos de diversos tipos de pastas, segundo a sua finalidade e utilização. São de pasta mecânica, pasta de palha, pasta mecânica com química, para obter mais resistência; para o papelão gris a pasta é usada com papéis e restos de trapos, manilha e outros. Suas aplicações são em pastas, fichas, cartões e é de uso escolar.


Processos de Impress達o


Flexografia É um processo de impressão direta, que utiliza fôrma flexível relevográfica e tintas líquidas (à base de água ou solvente) de secagem rápida. Suas características básicas são: Forma relevográfica flexível; Secagem da tinta por evaporação do solvente ou polimerização através de radiação UV (Ultravioleta); Impressão direta; Impressão de todas as cores em uma única passagem; Durabilidade da fôrma em função do material utilizado em sua confecção e do suporte a ser impresso. O sistema de impressão flexográfica é muito versátil, permitindo a impressão sobre os mais variados substratos, tais como: papel, plásticos, ráfia, papelão ondulado, cerâmica, em uma vasta gama de aplicações: Editorial (jornais, tablóides, listas telefônicas); Embalagens - o maior crescimento da flexografia encontra-se no ramo de embalagens flexíveis (celofane, polietileno, polipropileno, nylon, poliéster, alumínio, papel, papelão ondulado); Papéis para presente; Cortinas para box de banheiro; Toalhas de papel; Faixas promocionais; Copos descartáveis; Papel pautado; Cerâmica; Tecidos


Impressão Digital

Em produção gráfica, a impressão digital é um método de impressão no qual a imagem é gerada partir da entrada de dados digitais direto do computador para a impressora. Hoje, equipamentos de impressão digital de grandes formatos contam com resoluções de até 2400dpi´s e imprimem gráficos e textos com nitidez. Aplicação : • impressão sob demanda • dados variáveis • impressos de pequena tiragem

Xilogravura

É um processo de impressão relevográfico, em que uma superfície é entalhada. Sobre essa surpefície é passada então uma camada de tinta, e, por fim é posicionado o substrato a ser impresso, e precionado contra a superfície, gerando então, a xilogravura


Impressão UV

É uma impressão a base de solventes.

Uma das suas particularidades é que consegue resultados em alta qualidade, alé de conseguir imprimir até 8 cores em 1000 dpi, a 100m²/h.

Offset

Offset é um processo de impressão planográfico no qual as áreas de imagem e de não imagem estão no mesmo plano na chapa de impressão . Baseia-se na repelência entre água e gordura (tinta) e as áreas a imprimir recebem a tinta enquanto as restantes , úmidas , a repelem. Baixo custo e alta qualidade são seus atrativos.


Tipografia É um método de impressão direto em alto relevo, de baixo custo, que utiliza como matriz tanto tipos (peças fundidas : letras , números , caracteres especiais), como clichês para desenhos ou fotos. Aplicação : • cartões de visita , convites , cartões comemorativos , notas fiscais , talões de pedidos , etc.. • impressos de pequena tiragem

Rotogravura

Processo de impressão direto que emprega uma matriz cilíndrica em baixo relevo. O cilindro é imerso em tinta, o excesso raspado por uma lâmina e a imagem transferida para o substrato. Aplicação : • embalagens de alta tiragem • revistas de alta tiragem • imprime sobre qualquer tipo de substrato desde que seja flexível (papel, alumínio, PE, PP, PET, celofane, filmes plásticos perolizados, metalizados, brancos, transparentes, opacos, translúcidos, dourados, âmbar etc...)


Serigrafia

Processo de impressão direta através de uma tela de nylon vazada nas áreas de impressão e vedada nas áreas de não impressão. Aplicação • diversos tipos de materiais : papel , tecido, plástico, cerâmica, vidro, metal , couro, etc. • indústria elétrica, eletroeletrônica, brinquedos, brindes em geral, embalagens, calçados e outros.

Tampografia

• pequena e média tiragem

Processo de impressão por transferência indireta de tinta através de um tampão de silicone, a partir de um clichê gravado em baixo relevo. Aplicação • indústria elétrica, eletroeletrônica, brinquedos, brindes em geral, embalagens,instrumentos de medição, ótica, calçados, indústria automobilística, relógios e outros. • peças compostas de termoplásticos, termofixos, metais,vidros, madeiras, couro etc., • impressões em superfícies planas , irregulares, côncavas, convexas e em degraus • média e alta tiragem


Offset Seco

Processo offset que não utiliza um sistema umedecedor. A repulsão da tinta é feita por uma chapa de silicone. Exige tintas especiais porém reduz o número de resíduos poluentes. Pode causar relevo.

Offset Digital

Processo offset que possui uma qualidade superior de impressão em relação as outras da mesma categoria. Para essa empressão não há necessidade de fotolito

Plotter Eletrostática

Gera imagens a partir de um padrão de pontos empapel com revestimento especial. Podem ser até 50 vezes mais rápidas que as plotadoras de penas, porém com custo maior. Suas vantagens em relação a plotter de jato de tinta é a melhor definição dos impressos e a maior velocidade dos equipamentos.


Intaglio

Processo em que a imagem é entalhada em uma superfície que é coberta de tinta. Então se remove a tinta da superfície,deixando-a limpa, e a tinta fica então depositada somente na incisão. O suporte a ser impresso é posicionado em sua superfície e um rolo aplica uma forte pressão no papel contra a placa, transferindo a tinta para o papel. Ao ser usado cria um baixo-relevo na superficie do papel, o que da um aspecto artistico e único. Também usado para prevenir falsificações.

Router

O processo mais comum de router é o de corte, contudo pode imprimir pelo processo de transferência térmica. É um método muito utilizado na produção de sinalização


Litografia

Consiste em repulsão entre água e gordura. ë feito numa matriz pedra poroso. Sua principal atuação é em uso artístico

Termografia

É utilizada para dar acabamento à impressão .

Um pó é adicionado à tinta, que após ser aquecida seca conferindo um efeito de relevo ao material


Acabamentos


Refile • Em impressos paginados, para “abrir” os cadernos após eles serem formados pela dobradura da folha de entrada. • Definir o formato definitivo do impresso, já na etapa final do acabamento. No caso de impressos paginados, é aplicado o refile trilateral: as páginas são refiladas simultaneamente nos seus três lados, igualando toda a tiragem. Para isso, é utilizada uma guilhotina própria, denominada guilhotina trilateral.

Dobradura Na determinação do número de dobras, é preciso levar em conta a gramatura do papel utilizado e o equipamento usado pela gráfica (dobras complexas). As dobras mais comuns são as paralelas (viradas para o mesmo lado), as sanfonadas (viradas para lados diferentes, alternadamente) e as cruzadas (uma dobra sobrepõe a outra, ortogonalmente).

Vincagem O vinco é um sulco aplicado ao papel para facilitar seu manuseio ou a realização de dobras. No primeiro caso, ele é utilizado em capas de brochuras com lombada quadrada, localizado próximo à lombada, permitindo a abertura da capa sem forçar o papel. No segundo caso, é usado em papéis de maior gramatura, principalmente quando a localização da dobra é transversal à direção das fibras. O vinco é produzido num equipamento próprio, com uso de uma lâmina arredondada de aço que pressiona o papel.


Cortes (com uso de faca) Embora o refile seja um corte, este termo é utilizado para aqueles que necessitam de lâminas específicas (não podem ser produzidos nas guilhotinas comuns). Muito adotado na confecção de embalagens para a geração de abas. Recurso expressivo para a valorização de projetos gráficos, inclusive com a inclusão de formas vazadas no papel. Trata-se de um acabamento caro devido a fabricação de uma lâmina de aço com o formato desejado, que é fixada sobre um suporte de madeira: a faca de corte. A lâmina atua por pressão sobre o conjunto de impressos, realizando o corte desejado simultaneamente sobre várias unidades.

Encadernação Em geral é a última etapa do acabamento de impressos paginados. Pode ser classificada em cinco tipos: • Canoa (ou dobra-e-grampo, ou encadernação a cavalo): é a forma mais simples, rápida e barata para a confecção de brochuras. Os cadernos são encaixados uns dentro dos outros, sendo reunidos por grampos na dobra dos formatos abertos. • Lombada quadrada (ou brochura sem costura): Utilizando adesivo térmico (hot melt), dá uma aparência um pouco mais sofisticada, por criar uma lombada. O processo é em geral aplicado em equipamento com uma fresa que faz pequenas incisões no dorso da publicação, nas quais penetra a cola derretida. • Com costura e cola: As folhas de cada caderno são unidas por costuras na dobra do formato aberto e só então os cadernos são reunidos, lado a lado, com o uso da cola. Mais resistente (manuseio) e de custo maior, adequada para impressos com mais de 200 páginas (múltiplos de quatro), que exijam apresentação mais nobre. • Com tela: de maior custo e o mais resistente de todos, esse tipo de encadernação inclui, além da costura, a aplicação de uma tela para reunir todos os cadernos, juntamente com a cola. Usado em edições de luxo e em volumes grandes destinados a intenso manuseio (dicionários, bíblias etc.). Número de páginas múltiplo de quatro. • Mecânica: Relativamente barata, consiste na reunião das páginas pelo encaixe


dessas em acessórios plásticos ou metálicos por meio de furos. É o caso dos espirais, wire-o, grampo pasta-arquivo, pasta arquivo etc. No layout é preciso prever uma margem interna maior, para que as áreas impressas não sejam perfuradas.

Impressões Adicionais Certos recursos utilizados como elementos adicionais de acabamento são, em realidade, processos de impressão. Custo alto e efeito marcante no layout, em determinados elementos, valorizando o conjunto. Alguns desses processos convertidos em elementos de acabamento são: • Gravação a quente (hot stamping): Processo relevográfico que consegue obter efeito semelhante ao de uma impressão em metal (ouro, prata e outras tonalidades), tanto em relação à coloração quanto ao brilho e à textura. Tem como matriz (apenas traço) um clichê que é pressionado contra o suporte em altas temperaturas. A tinta utilizada – em forma de fitas ou folhas de celofane – se liquefaz com o calor, aderindo por pressão ao papel ou outro suporte, como o couro. Não é recomendável o uso de elementos visuais muito detalhados ou letras serifadas em corpos inferiores a nove pontos, devido à baixa definição obtida. • Relevo Americano (termografia, relevo tipográfico): Impressão tipográfica cujo resultado produz uma textura espessa, com efeito tátil. Esse resultado é obtido imediatamente após a impressão comum, pela adição de pó resinado à tinta úmida. Em seguida, o impresso é submetido a efeito térmico, em estufa, resultando na dilatação da resina misturada à tinta. Seu custo não é baixo.

Revestimentos • Plastificação: Seu principal objetivo é o aumento de durabilidade do impresso (daí o uso em capas). É aplicado, por calor e pressão, um filme, em geral de polietileno. Não recomenda-se a aplicação em papéis abaixo de 120g/m2 (enrugamento), impressão de tintas metálicas e papéis ásperos com grandes áreas chapadas. • Laminação fosca: Recurso com o objetivo e efeito semelhante ao da plastificação, porém com maior aderência. A laminação fosca tem sido largamente utilizada por


propiciar um acabamento discreto, resistente, elegante e de baixo custo (BOPP). Tende a diminuir a vivacidade das cores e a prejudicar a definição de elementos pequenos e detalhados (como letras abaixo de corpo 8).

Vernizes A aplicação de verniz pode ter como objetivo efeitos gráficos (criação ou destaque de elementos do layout), valorização do impresso (proporcionada pelo brilho, a lisura e avivamento das cores), à abrasão (rasura) etc. • Verniz de máquina (verniz offset): É o mais barato e consiste numa impressão adicional realizada com matriz semelhante à usada na impressão das tintas. Barato, simples e rápido, tende ao amarelamento e baixa resistência à abrasão. • Verniz U.V.: Necessita de equipamento apropriado, com matriz específica em nylonprint (de alto custo) e estufa de luz ultravioleta. É um recurso muito utilizado sobreposto apenas a alguns elementos gráficos impresso sobre papel fosco, dando-lhes destaque, ou mesmo como uma forma de impressão sobe fundo homogêneo, “criando” a imagem apenas pelo brilho e textura do verniz e pela cor da tinta.

Efeitos sobre o papel • Impressão em relevo: Obtido pela pressão de uma matriz e um contramolde que moldam o papel, é utilizado para dar destaque a elementos impressos do layout. • Relevo seco: Recurso idêntico à impressão em relevo, porém sem o uso de impressões. A imagem é formada apenas pelo relevo obtido por pressão da matriz e contramolde. • Gofragem: Forma de dotar o papel liso de fábrica com texturas específicas, por meio de sua prensagem por duas calandras, sendo uma delas com a textura desejada. • Serrilhado: Pequenos cortes na folha de papel ajustados e utilizados para a produção de itens destacáveis (canhotos, cartões-resposta etc.) e também como etapa preliminar para dobraduras em papéis de alta gramatura. Produzidos em equipamentos próprios.


• Picotes: Também utilizados para itens destacáveis. O picote consiste numa perfuração do papel de maneira que os pequeninos furos, lado a lado, formem uma linha. Seu destacamento costuma ser mais eficaz do que o serrilhado. Produzidos em equipamentos próprios.


Checklist


01 - Não utilize cores RGB, use sempre CMYK ou cores especiais. 02 - Salve sempre suas imagens/fotos em TIF. 03 - Salve gráficos e vetores em EPS. 04 - Confira a resolução. Para impressão offset o ideal é 300 dpi. 05 - Envie o arquivo final para gráfica em TIF, EPS ou PDF. Procure não enviar em arquivo aberto. 06 - Cuide para não escrever muito perto das bordas. Faça uma área de proteção (5 mm). 07 - Lembre-se de sangrar seus arquivos (5 mm). 08 - Indique com linhas (de 3 mm) as marcas de corte. 09 - Indique com linhas tracejadas (de 3 mm) o local das dobras. 10 - Antes de iniciar o trabalho pense no tipo de papel que irá usar e consulte o fornecedor gráfico para saber se as características do mesmo são compatíveis com o seu trabalho. 11 - Antes de iniciar o trabalho confira a tabela de aproveitamento de papel (de acordo com a gráfica que irá imprimir) e tente adequar seu trabalho a este formato. 12 - Peça para o cliente fazer uma correção detalhada do material final a ser impresso. Isso diminui a porcentagem de erros e diminui sua parcela de culpa no caso de algum erro. 13 - Envie sempre prova do seu trabalho com as últimas modificações e de preferência no tamanho 1:1. 14 - Envie todas as fontes usadas com suas devidas famílias (ex. bold, itálica, etc.). 15 - Envie somente os arquivos que devem ser impressos. Não mande arquivos com páginas em branco ou com páginas que não devem ser impressas. 16 - Elimine todos os objetos que estiverem fora da página ou que não devam ser impressos.


17 - Deixe e-mail ou telefone de contato com a gráfica. 18 - Anote qualquer observação que for necessária no seu trabalho, tais como: camada para silk, número de cores, cores especiais, corte especial, etc. 19 - Simplifique seus arquivos, evite usar blends, lentes, transparências, patterns, máscaras, etc. Caso utilize alguns destes efeitos, converta-os em vetor. 20 - Evite rotacionar ou mudar o tamanho das imagens nos programas de ilustração ou de paginação, faça isso nos próprios programas de edição de imagem (ex. Photoshop). 21- Não amplie suas imagens, escaneie de novo caso você precise em um formato maior, quando você amplia elas na verdade está perdendo resolução e com isso qualidade. 22 - Marcando as opções bold e/ou itálico para fontes pode funcionar para a tela ou impressão em baixa resolução mais quando a impressão for em alta resolução pode não funcionar, você deve ter certeza de que tem a fonte que quer usar e sua respectiva família. (ex. usar Helvetica e Helvetica Bold funciona pois existe esta fonte correspondente, agora usar Futura Black e depois selecionar a opção Bold não irá funcionar pois não existe a fonte Futura Black Bold, neste caso você deve usar a fonte Futura Extra Black). Isso também resolve-se transformando as fontes em curvas. 23 - Caso o trabalho requeira alguma faca especial, procure não colocar nada muito perto da margem de corte. 24 - Indique o formato das facas especiais com uma cor pura (magenta, ciano ou amarelo). Evite o preto neste caso. 25 - Lembre-se que a faca de corte é feita com uma lâmina torcida no formato solicitado. Portanto, enquanto mais simples menor o custo e as chances de erro. 26 - Indique os locais de verniz localizado com 100% de uma cor pura em uma página separada. Especifique bem que aquela página é referente a aplicação de verniz e deixe claro a que página ela deve ser aplicada. 27 - Depois do trabalho impresso você (e seu cliente) tem o direito de ter de volta o fotolito e a faca de corte. Você pagou por eles e pode querer utilizar no futuro. 28 - Nem todas as gráficas trabalham da mesma maneira com todos os materiais. Por isso, a cada novo trabalho procure fazer orçamentos em outras gráficas. As vezes


uma gráfica que trabalha bem e barato com corte especial não consegue reproduzir com precisão as cores. Pesquise sempre. 29 - Ao realizar um trabalho impresso pense no processo inteiro, desde a sua criação, envio de arquivo, impressão, distribuição, local de distribuição, manuseio e descarte. A preocupação com o processo é a principal característica de uma arte-final bem realizada.

Exemplo

Nome do projeto: Revista Alokosmo Nome do arquivo: alokosmo_booklet.pdf Formato: 380x225mm (aberto)/190X225mm (fechado)/20 lâminas Base/Material/Papel: offset 140g/m2 Cor: 4x4cores Quantidade: 2000/3000 unidades Acabamento: refilado, dobrado (1 dobra), grampeado (2 grampos).


Glossário

Bobina: Rolo continuo de papel usado nas impressoras continuas. Clcogravura: Qualquer processo de gravura a entalhe sobre matriz de metal. Clichê: Placa gravada cuja superficie apresenta, em relevo e em sentido inverso à imagem original. Colofon: Indica todos os envolvidos na criação, assim como os materiais e processos utilizados. Conta-fio: Instrumento de aumento para checar a qualidade de impressão. Cor especial: Qualquer tinta com cor ou matriz diferentes da cores de seleção para policromia.

Cor primária: Pura, não resulta da mistura outras cores. Impressão CMYK / Projeção RGB Marca de corte: Indica onde o impresso receberá dobras ou cortes. Marca de registro: Desenho em cruz para controle da sobreposição das cores de impresão. Matriz: Elemento no qual é gravada ou moldada a imagem a ser reproduzida. Pantone: Tabela universal de cores que associa cada tonalidade de cor a um código Prova: Página impressa fora da escaa industrial, para identificação de erros e eventual correção antes da impessão final. Sangrar: Impressão se estende além da margem a ser refilada


Manual de Processos Gráfico  

Manual sobre processos de impressão, tipos de papel e acabamentos

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you