Page 3

EM DESTAQUE LÍDIA JORGE Uma das grandes vozes da literatura portuguesa

Escritora portuguesa, Lídia Jorge nasceu em Boliqueime, Algarve, em 1946. Esta romancista e cronista portuguesa fez o curso liceal em Faro, vindo, posteriormente, a licenciar-se em Filologia Românica pela Universidade de Lisboa. Foi professora do ensino secundário e foi nesta qualidade que passou alguns anos em Angola e Moçambique, durante o último período da guerra colonial. Mais tarde, fixa residência em Lisboa, onde continua a sua atividade docente. Ao mesmo tempo dedica-se também à publicação regular de artigos na imprensa. Foi membro da Alta Autoridade para a Comunicação Social. A publicação do seu primeiro romance O Dia dos Prodígios constituiu-se uma revelação/um acontecimento num período em que se inaugurava uma nova fase da literatura portuguesa. Este romance permite a evocação de um mundo rural perdido, aldeia de Vilamaninhos, onde as coordenadas de estagnação, pureza e ingenuidade se conjugam com um fantástico quotidiano, conseguido através da linguagem oral, do recurso frequente ao discurso indireto livre e à grande liberdade de pontuação. Seguiram-se os romances O Cais das Merendas (1982) e Notícia da Cidade Silvestre (1984), ambos distinguidos com o Prémio Literário da cidade de Lisboa. Lídia Jorge viria, no entanto a confirmar

Projeto da educação préescolar candidato a prémio nacional da fundação Ilídio Pinho O projeto ”Para preservar vamos reflorestar” pretende sensibilizar para as questões do ambiente e incentiva à conservação do património natural e à diversificação de espécies nesta região, promovendo a cidadania ambiental. Faz parte de uma candidatura à 13ª edição do concurso promovido pela Fundação IIídio Pinho - “Ciência na escola - a ciência e a tecnologia ao serviço de um mundo melhor”. O projeto é da autoria da Educadorade-infância, Anabela Nunes, docente do Agrupamento de Escolas de Seia, tendo ganho o prémio de mérito na primeira fase. Segue-se a segunda fase, a de desenvolvimento do projeto e candidatura ao prémio nacional, no 1º

o seu papel de destaque no panorama da literatura portuguesa com a publicação do seu livro A Costa dos Murmúrios (1988), adaptado ao cinema por Margarida Cardoso, livro que reflete a sua experiência colonial passada em África. É também neste romance que a autora aborda o tema da mulher e da sua solidão preocupação central da sua obra e já anteriormente tratado em Notícia da Cidade Silvestre (1984). Esta mesma temática vai ainda ser trabalhada em O Vento Assobiando nas Gruas (2002), onde aborda a relação entre uma mulher branca com um homem africano e o seu comportamento perante uma sociedade de contrastes. Com este romance venceu o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores (2003), o prémio Correntes d'Escritas (2004), o Prémio de Literatura Albatros da Fundação Günter Grass (2005), na Alemanha, e o Prémio do Público (2005), no Salão de Literatura Europeia, em Cognac, na França. Apontam-se às suas obras uma forte expressividade v o c a b u l a r, g r a n d e poder de observação e narração coletiva, mas, acima de tudo, a preservação dos valores nucleares da existência cultural portuguesa, não deixando que transformações políticas, económicas o u m o d e l o s importados de toda a e s p é c i e , a s desfigurem. Em Portugal, o Presidente da República, Jorge Sampaio, a 9 de março de 2005, condecorou-a com a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique. O Presidente da República Francesa, Jacques Chirac, a 13 de abril de 2005, condecorou-a como Dama da Ordem das Artes e das Letras de França, sendo, posteriormente, escalão. Está a ser desenvolvido este ano letivo em todos os jardins-de-infância do Agrupamento de Escolas de Seia, envolvendo, aproximadamente, 70 crianças. Foram realizadas um conjunto de atividades, no âmbito das ciências experimentais, quer nas salas dos jardins-de-infância, quer nos laboratórios das escolas básicas Dr. A b r a n c h e s F e r r ã o e Tourais/Paranhos. Foram feitas duas saídas de campo para plantações de espécies autóctones, onde estiveram presentes o Presidente do Município, a Vereadora dos pelouros da Cultura, Educação e Turismo e a Diretora do Agrupamento. Também a tecnologia fez parte deste projeto com a construção de materiais sobre as temáticas da floresta, da germinação e das características das sementes, que foram explorados pelas crianças nos PCs em cada jardim-deinfância e nos quadros interativos nas

elevada ao grau de Oficial. Cumulando o êxito junto da crítica especializada e do grande público, os romances de Lídia Jorge encontram-se traduzidos em diversas línguas. A agência literária que a representa tem sede em Frankfurt, Literarische Agentur Dr. Ray-Güde Mertin, Inh. Nicole Witt. As suas obras, além de edições no Brasil, estão traduzidas em mais de vinte línguas, designadamente nas línguas inglesa, francesa, alemã, holandesa, espanhola, sueca, hebraica, italiana e grega, e constituem objeto de estudo nos meios universitários portugueses e estrangeiros, tendo-lhes sido dedicadas várias obras de carácter ensaístico. Na área da literatura infantil, Lídia Jorge publicou ainda, em 2007, O Grande Voo do Pardal, e, em 2010, Romance do Grande Gatão, livros ilustrados, respetivamente por Inês de Oliveira e Danuta Wojciechowska. A assinalar o 30.º aniversário da publicação de O dia dos prodígios, a Câmara Municipal de Loulé promoveu a exposição bio-bibliográfica «Trinta escolas básicas. Foram estabelecidas parcerias com a Autarquia, que disponibilizou o transporte das crianças para a realização das atividades. Com o CISE (Centro de Interpretação da Serra da Estrela) foi retomada a parceria com a dinamização de atividades de formação para crianças sobre a importância da floresta autóctone, atividades de plantação e a construção do “Meu primeiro herbário” que as crianças tiveram oportunidade de realizar nas instalações do CISE. Também com a ESTH-IPG (Escola Superior de turismo e Hotelaria – Instituto Politécnico da Guarda) foi celebrada uma parceria. Pela primeira vez em Seia, dois pólos de ensino uniram-se, o ensino pré-escolar e o ensino superior, para implementarem atividades diversificadas e motivadoras de aprendizagem. O Chef Rui Cerveira dinamizou de forma entusiasmante a atividade de confeção de uma receita com um

-3-

anos de escrita publicada», entre novembro de 2010 e março de 2011, no Convento de Santo António dos Olivais. A 26 de novembro de 1914, foi-lhe atribuído o Prémio Luso-Espanhol da Arte e Cultura concedido pelo Ministério de Educatión, Cultura e Deporte de Espanha e pela Secretaria de Estado da Cultura de Portugal. Em Espanha, os seus livros têm sido publicados pelas editoras ALfaguara e Seix-Barral. Em Portugal, à exceção da obra de ensaios Contrato sentimental, todos os seus livros têm a chancela das Publicações Dom Quixote, grupo Leya. Bibliografia consultada: JORGE, Lídia - https://pt.wikipedia.org/wiki (visita à pág. em 17-05-2016) J O R G E ,

L í d i a

-

www.portaldaliteratura.com/autores (visita à pág. em 17-05-2016) JORGE, Lídia - www.infopedia.pt (visita à pág. em 17-05-2016) JORGE, Lídia, Enciclopédia Verbo – Luso Brasileira de Cultura. Edição séc. XXI. 16.º volume, págs. 984e 985) Rosa Isabel Martins

fruto/semente da floresta. Premiou-nos com duas: uma sopa “Aveludado de castanha” e uma sobremesa “Salame de chocolate com castanhas”, tendo as crianças participado na confeção. Houve um saboroso momento de degustação que contou com a presença da diretora e do vicepresidente do Agrupamento de Escolas de Seia. Uma escola de qualidade deve promover um ensino em rede, com parceiros que contribuam para a implementação de estratégias de ensino diferenciado e estimulante para o processo de aprendizagem dos alunos. A Educação pré-escolar do concelho de Seia representa, assim, o distrito da Guarda, num concurso de prestígio para o ensino e para a educação em Portugal. A Coordenadora do projeto Anabela Nunes

Jornal junho 2016  
Jornal junho 2016  
Advertisement