Issuu on Google+


PixelArt apresenta

Editora responsável Daniela Carrara Conteúdo Daniela Carrara e Alessandro Carvalho Projeto gráfico, arte e diagramação Daniela Carrara (dandanhiphop@hotmail.com) Colaboradores de Fotografia: Marcos - Portal Tattoo, Ricardo Kafka “Alemão”, Carlos Kella, Anna Mendonça, André Peixe, Alden Miranda venda de anúncios: tattoodigital@gmail.com

Foto: Szymon Piotrowski Modelo: Jessica, Natalia, Sharky e Dorothy


s a c n a Nas B do de to il! as r B o


www.tattooyou.com.br


Camila Rocha Nascida em Contagem (MG), Camila já viajou mundo afora mostrando sua arte. Experiência é o que não falta em sua bagagem: depois de sair do Brasil para morar e trabalhar em Los Angeles, sua visão artística tomou outro rumo, buscando agora o reconhecimento como artista plástica.

Tempo de profissão: 11 anos O que a cultura oriental tem de especial pra você? O que me aproximou da cultura oriental foi a delicadeza de ver as coisas sob um ponto de vista romântico e, filosoficamente, com um valor muito profundo. Além de tatuar, quais são suas outras ocupações? Hoje em dia eu estudo em uma academia de artes, no curso de Fine Arts, e tenho me envolvido em projetos de pintura a óleo e escultura de argila. O meu objetivo é de nos próximos anos ser reconhecida como artista plástica; espero aprimorar os meus conhecimentos para me tornar professora, podendo passar adiante os ensinamentos que adquiri nos Estados Unidos. Em quais estúdios já tatuou? Tattoo Network - Bito Sacred Hands – Camila Rocha Divina Arte - Zumba Tattoo You – Sérgio Pisani Evil From the Needle – Jeff Ortega New Wave Tattoo – Lal Hardy High Voltage Tattoo – Kat Von D State of Grace - Horitaka Como é o mercado da tatuagem nos Estados Unidos? O mercado nos EUA é semelhante, em alguns aspectos, com o brasileiro, porém, a demanda parece ser muito maior nos Estados Unidos. As pessoas aqui têm a cabeça mais aberta para fazer peças maiores. Os americanos, por terem uma


cultura de tatuagem mais antiga, conhecem os diferentes estilos. Porém, os brasileiros são mais abertos a aprender e a aceitar novas ideias. Quais são as pessoas nas quais você se inspira hoje em dia? Aqui nos EUA tive a oportunidade de conhecer vários artistas contemporâneos, dentre eles, os que eu mais gosto são: Carlos Antônio Garcia, Golucho, meu professor Rick Morris, Sean Cheetham, Shawn Barber, Michael Hussar, David Simon, Kevin Llewellyn, Adrian Gottlieb, Eric Petersen, Alex Douziech,


Jacob Collins, Nelson Shanks, Kate Sammons. Os old masters, como Rembrandt, Sargent, Alma-tadema, Cecilia Beaux, Gérôme, William Bouguereau, Anthony van Dyck, entre outros. O que você acha do tatuador experimentar outros meios? Acho que é fundamental o tatuador, assim como qualquer outro tipo de artista ou ser humano a busca do aperfeiçoamento, pois faz com que amplie a percepção em relação às diferentes possibilidades que podem ser utilizadas na sua profissão. Com esse conhecimento adquirido, pintando em tela, papel seda, com acrílico ou a óleo, esculpindo, aprendendo mais sobre a teoria da cor, desenho acadêmico, desenho gestual, ou qualquer experiência de vida que o tire

da zona de conforto. Quando se pensa em aperfeiçoamento das habilidades, o artista começa a entrar em um processo pela busca do perfeito e esse caminho faz com que aprenda a enxergar arte, esse olhar é algo que deve ser desenvolvido para que nos destaquemos das pessoas que não são artistas e, por consequência, façamos com que a nossa arte valorize. Outra relação a ser citada é quanto às diversas alternativas de se empregar diferentes formas de arte — o cérebro passa a ter outras alternativas, seja em relação à forma de ver tons, ângulos e composição na forma de desenhar, paleta de cores a ser escolhida e composição para atingir uma certa originalidade. Para conhecer mais sobre a artista acesse: www.camilarocha.com


24 anos de idade 03 anos de profissão Arnsberg-Neheim – Alemanha


Judit Kasa-Czakó INÍCIO DA PROFISSÃO Primeiro comecei a desenhar. Foi minha primeira paixão. Venho da Hungria e conheci a tatuagem lá. Estava em uma escola de desenho quando fiz minha primeira tatuagem, e desde então percebi que a arte na pele era muito importante para mim, mas naquele momento não sabia como dar início. Então, comecei a fazer algumas tatuagens na minha própria pele, até que conheci uma tatuadora. Ela me ensinou como trabalhar com as agulhas e me deu algumas informações básicas de como tatuar. Depois disso não consegui mais ajuda e continuei sozinha em casa com alguns amigos e meu marido, que me cedeu sua pele para eu fazer minha primeira tatuagem. Foi uma maneira longa e difícil de começar, mas eu tinha que aprender de alguma forma. NOVA GERAÇÃO DE TATUADORES Acredito que eu também seja dessa nova geração, pois esses novos tatuadores, antes de começarem a tatuar iniciaram em alguma escola de arte. Essa forma de iniciação ajudou a criar meu estilo de tatuagem, e esse aprendizado me auxiliou no processo para desenvolver os primeiros passos (como misturar cores por exemplo, ou como fazer uma boa composição). Por outro lado, não iniciei diretamente trabalhando em uma tattooshop, acredito que é importante você ter esse sentimento de aprendizado e busca do conhecimento fazendo suas tatuagens na cozinha da sua casa, com seus amigos. TATUAGEM NA ALEMANHA Acho que o mercado da tatuagem na Alemanha é muito bom. Vivo com meu marido há dois anos por aqui e tenho a impressão que o interesse na tatuagem

nunca vai acabar, pelo contrário. A organização por aqui é muito boa, com convenções de tatuagem qualificadas e com muitos clientes. Outra coisa importante é que o pessoal que nos procura vêm cada vez mais informado a respeito do que eles buscam para tatuar. Eles têm os olhos mais voltados para a tatuagem, reconhecendo-a como arte. Já na Hungria a situação é bem diferente. É necessário mais tempo para explicar para as pessoas o que fazemos e o que a tatuagem significa. TATUADORES BRASILEIROS Conheço alguns tatuadores brasileiros, mais pela internet, por exemplo Diogo Quadro, gosto muito do seu realismo. Também conheço alguns brasileiros que estiveram na Alemanha e vieram da América do Sul, mas não me recordo o nome. TÉCNICAS Produzo mais tatuagens coloridas e no estilo realista, mas gosto de fazer todo tipo de trabalho. Uso as mesmas máquinas para todos os meus trabalhos. Crio minhas cores como se fosse pintar um quadro, como se a pele fosse uma tela. Acredito que na tatuagem, assim como nas pinturas, o trabalho tem que ficar vivo, encontrando o melhor caminho entre o esboço e a perfeição. Procuro manter essa ótica presente em meus trabalhos. ATIVIDADES PARALELAS Gosto de desenhar, pintar e também de artes digitais. Sempre que faço um projeto, vou “desenhar” no photoshop. Meu novo amor é a fotografia, acho que deve ser coisa do DNA porque meu pai curte muito fotos, além do meu marido, que trabalha na área.


INFLUÊNCIAS E REFERÊNCIAS Meus favoritos são Jeff Gogue e Maximo Lutz, o trabalho deles é limpo e simplesmente lindo. Também gosto muito do trabalho do Tofi que tem uma ótica diferente com alguns efeitos fotográficos. Outro que influencia muito meu trabalho é Alphonse Mucha, que não é da cena da tatuagem, mas gosto muito de sua arte. MENSAGEM

Estou muito grata que eu possa mostrar minha arte tão longe do meu país. Eu nunca imaginei fazer um plano de negócios onde meu trabalho fosse tão longe. Tudo que faço jogo ao vento para poder voar. Nunca imaginei meu trabalho publicado em revistas e estou muito feliz com isso, pois posso mostrar a todos que com muito trabalho, você pode ser o que quiser, desde que você trabalhe colocando paixão naquilo que você está fazendo. Trabalhar com tatuagem é fazer parte de uma familia. boenen_ink@hotmail.de


28 anos de idade 04 anos de profiss達o Budapeste, Hungria


Zsofia Simon INÍCIO DA PROFISSÃO No primeiro ano ocupava meu tempo com experimentos amadores, então comecei a pegar o jeito de tatuar. Comecei a tatuar minha pele e amigos mais entusiastas. Mal comecei na profissão e tive o auxilio de tatuadores mais experientes e também através da internet. Acho que teria sido mais fácil se eu fosse mais corajosa no início e também tivesse um mentor que guiasse meus passos, mas não me arrependo, não sinto que perdi meu tempo, porque ao mesmo tempo terminei meus estudos no campo da arte, me formando na Universidade Húngara de Belas Artes como designer gráfica, que tem sido muito útil no meu trabalho como tatuadora. NOVA GERAÇÃO DE ARTISTAS Eu realmente amo as novas tendências, vindas através de novos estilos. Eu gosto do mínimo, das coisas abstratas aos temas incomuns. Acho que quanto mais experiências os artistas novas adquirirem é melhor. O estilo que você vai seguir não é relevante desde que resultado final seja de qualidade. A cena pode se tornar mais emocionante e mais colorida desta forma. TATUAGEM NA HUNGRIA Apesar da Hungria ser um país pequeno, temos muitos grandes artistas e jovens talentos. Talvez o mais famoso seja o Boris (cujo nome detém direitos autorais para um esquema de cores), Csaba Müllner ou Zsolt Sarkozi, todos tem experiência de décadas na tatuagem, mas tenho certeza que os tatuadores húngaros dessa geração terão uma boa reputação também. Temos boa experiência com o público, porque há uma demanda crescente de

tatuagens, ela parece ser aceita cada vez mais, no entanto, nossa sociedade ainda precisa de desenvolvimento nessa área. T´ÉCNICAS Acho que todo mundo tem seu estilo próprio e específico de trabalhar, quanto a mim, o estilo da nova escola é o mais próximo ao meu coração. Eu estou constantemente trabalhando para moldar meu próprio mundo fabuloso com figuras estranhas, claras e formas simples, o que eu usaria normalmente no desenho ou pintura também. Eu me esforço para criar obras que são atrativas, bonitas, mas incomuns. ATIVIDADES PARALELAS Como eu mencionei anteriormente, sou uma ilustradora gráfica, antes ganhava a vida com isso. O que eu mais gostava era os jogos de fantasia e ilustração de livros de medicina, mas infelizmente, com a tatuagem, não consigo encontrar mais tempo, gostaria de aproveitar para pintar novamente, ou tentar criar quadrinhos de desenho, ou até mesmo voltar para o mundo do RPG (Role-playing Game), mas não estou encontrando tempo para isso agora. TATUADORES PREFERIDOS Eu não tenho tatua dor favorito, mas há alguns que me inspiram. Um desses artistas é Jeff Gogue, ou Daviee que trabalha no estilo New School. Há outras pessoas também que representam estilos diferentes, mas eu não gostaria de fazer uma lista, uma vez que esta é uma lista em constante expansão. Foi muito bom ver alguns deles realmente durante o trabalho, graças ao fato de que, finalmente, uma Convenção Internacional de Tatuagem aconteceu na Hungria.


MENSAGEM

Gostaria de agradecer a oportunidade de apresentar meu trabalho na revista. É uma honra para mim ter sido contactada por vocês. Desejo tatuagens bonitas para todos. Espero que um dia eu possa visitar o seu belo país, embora seja muito longe de nós. massofwinter@gmail.com


www.artcamargo.com.br


Fone: (11) 3222-6550 01 - Drawing Ink Pelikan 1000ml 02 - Nanquim talens 990ml 03 - Portaminas em kit 7 cores 04 - Boneco articulado para desenho 30cm 05 - Mesa de luz ligth tracer 1 06 - Expositor lรกpis colorido 07 - Kit de penas para canhotos com cabo 08 - Lรกpis graduado Bruynzeel kit 09 - Lรกpis especiais Bruynzeel 10 - Aquarela Van Gogh 12 cores 11 - Borracha Pelikan AL 20 12 - Portaminas em sketch zebrano 13 - Apontador ST azul 14 - Tinta caligrรกfica Winson Newton b black 15 - Solvente para pena speedball 16 - Papel para esboรงo Canson 17 - Papel para desenho Canson 200gr creme


rafael cassaro Santo André - Brasil

rafael cassar Santo André - Br


ro rasil


pontus jonsonn SuĂŠcia


pontus jonsonn SuĂŠcia


katerina volkova RĂşssia


amanda ruby Estados Unidos


kelly tattoo Goi창nia - Brasil


kelly tattoo Goi창nia - Brasil


tim orth Estados Unidos


Mais uma vez inovando no mercado, a Led´s Tattoo traz uma novidade para você: uma alternativa para o clareamento ou remoção de suas tatuagens. O laser SOFTLIGHT. Essa é uma nova etapa para quem antes achava que tatuagens sem qualidade era um caminho sem volta. Atualmente, a remoção de tatuagens com o uso do laser consegue resultados extremamente satisfatórios, com apenas algumas sessões. É um processo não agressivo, não invasivo e não requer anestesia. O laser SOFTLIGHT trabalha com um nível de energia seguro e eficaz, obtendo assim resultados extraordinários e duradouros. Com mais de 400.000 tratamentos realizados, e aprovados pelo FDA americano desde 1995, é a mais avançada e segura tecnologia a laser para remoção de tatuagens, remoção de pêlos, peeling e tratamento de acne.

Venha nos fazer uma visita! Orçamento grátis!


Fotos: Szymon Piotrowski


Beaver Tattoo foi criado em 2008 por Natalia Liaszkiewicz e seu marido Grzegorz Kogut que é um grande entusiasta da tattoo, músico e cartunista. Segundo Natalia, ela e seu marido sempre imaginavam, quando estavam sentados em algum bar, que um dia iriam ter um estudio próprio, e quando o fizessem ele iria se chamar Beaver Tattoo. A palavra Beaver (castor) é também uma gíria usada para indicar partes íntimas da mulher, uma vez que a ideia era ter um estúdio só com mulheres, o nome era mais do que apropriado. No início era apenas uma brincadeira, mas quando realmente houve a oportunidade, levamos o negócio bem a sério. Para Natália, a tatuagem é um mundo dominado principalmente por homens e justamente por isso, ela decidiu fazer um estudio somente com tatuadoras. Além de ser seu primei-

ro estudio foi também o primeiro da região a ter somente mulheres atuando com piercings e tatuagem. O único homem é o Greg responsável por gerenciar o negócio, enquanto as mulheres ficam encarregadas dos desenhos personalizados. A julgar pela experiência em um lugar onde a maioria são homens, onde paira a testosterona no ar, o experimento mesmo que arriscado foi positivo, tendo uma boa aceitação do público. O aprendizado foi muito rápido e as meninas do Beaver estão preparadas para o que der e vier. Com uma equipe diversificada e com especialidades distintas elas estão prontas para atender os clientes da região. Natalia trabalha com as tatuagens monocromáticas, Sharky é responsável pelos trabalhos tradicionais e letras, enquanto Dorothy é a rainha das cores e Jessica é “horror girl”, todas focadas em melhorar a cada dia seu trabalho.


Há quanto tempo você trabalha como tatuadora? Cinco anos. Como você começou? Somente me tatuava até que um dos artistas que estava me tatuando viu meus desenhos e sugeriu que eu aprendesse. O resto é história. O que você acha da nova geração de artistas da tatuagem? Acredito que a nova geração está puxando a tatuagem para novos limites de arte. Há muito coisa para se fazer na pele ainda. Como é a tatuagem nos Estados Unidos? Tenho o melhor emprego do país. Você conhece ou já ouviu falar sobre algum tatuador brasileiro? Uma vez tive a honra de conhecer o Polaco.


Quais as técnicas que você usa em suas tatuagens? Cores vibrantes e misturadas Além de ser uma artista do tatuagem, você tem alguma outra atividade profissional? Pintura. Quais são os seus tatuadores preferidos? Gosto muito dos trabalhos de caras como Filip Leu e Terczinski Kamil. www.dorothytattoo.com


Há quanto tempo você trabalha como tatuadora? Cerca de 3 a 4 anos, mas é difícil dizer precisamente, pois mudei muito de trabalho, e tive vários empregos ao logo dos anos. Como você começou? Fui em um estúdio para fazer uma tatuagem com uma senhora chamada Cindy, ela gostou do meu projeto e perguntou se eu já tinha considerado a possibilidade de trabalhar com tatuagem. Respondi que sim, e ela me convidou para trabalhar. Negócio Fechado. O que você acha da nova geração de artistas da tatuagem? Como qualquer outra coisa, existem pontos positivos e negativos. O bom é que em sua maior parte, não há mais "estilo" envolvido,


todos os estilos imagináveis ​​estão sendo representados, e isso mostra o crescimento do segmento, o que significa a aceitação para as massas. O ponto negativo é que existem muitos oportunistas que, ao invés de criar um trabalho, criam cicatrizes pois não sabem desenhar uma figura. Quais as técnicas que você usa em suas tatuagens? Esta é uma daquelas coisas que você não pode realmente explicar, mas tento ser a mais “clean”, precisa, criativa, atenciosa e focada em meus trabalhos. Além de ser um artista da tatuagem, você tem alguma outra atividade profissional? Sou cantora de uma banda cover de rock. Música e arte caminham lado a lado. Quais são os seus tatuadores preferidos? A mulher que me ensinou foi, e sempre será minha preferida. Natalia, claro, é incrível também.


Há quanto tempo você trabalha como tatuadora? Aproximadamente 03 anos Como você começou? Eu me considero muito sortuda, pois a tatuagem caiu praticamente no meu colo. Passei muito tempo em estúdios de tatuagem, pois comecei a me tatuar aos 18 anos e continuei sempre me tatuando. Aos 25 anos de idade com o convívio em estúdios, acabei me influenciando pela atmosfera da tatuagem, e por estar sempre por ali me ofereceram um emprego como balconista de uma loja em Nova Iorque (Tattoo Shop in Queen). Em um mês, sabia o que queria fazer até o resto da minha vida, perguntei aos tatuadores de lá uma série de coisas, sempre observando muito, mesmo eles se irritando em


algumas situações, mas era a única maneira de aprender. Como fazia as compra da loja, sabia onde conseguir um bom kit para iniciar, com máquina decente e tintas apropriadas e comprei para mim. O resto é história. O dono do primeiro lugar que comecei a tatuar sabia que eu não tinha experiência e que meu trabalho estava no início, então me orientou mostrando que se eu trabalhasse arduamente as portas da loja estariam sempre abertaa para mim, e tudo isso fez com que eu me transformasse na artista que sou hoje. O que você acha da nova geração de artistas da tatuagem? Acredito que esta geração tem um monte de novas promessas que podem empurrar a indústria em um patamar que nunca imaginaria ser possível, mas também é a mesma geração responsável pela “comercialização” da tatuagem e exposição da indústria, que não aprovo. Há também uma grande falta de entendimento com a história da tatuagem. Acho que se perdeu um pouco dela. Respeito os artistas que vieram antes e que colocaram no caminho dos novos, a tatuagem através da possibilidade de se trabalhar em bons estúdios fazendo de nossa arte um ofício, e tudo isso está sendo perdido. Quais as técnicas que você usa em suas tatuagens? Faço tatuagem tradicional americana que utiliza linhas arrojadas, além de usar muito preto, de preferência com tons fortes. Quais são os seus tatuadores preferidos? Norman Collins, Nick Baxter, Simon Erl, Uncle Allan, Jason June, Rachel McCarthy, Dan Santoro, Timmy B., Paul Rogers, Cap Coleman, Max Kuhn, Ryan Mason, Stewart Cripwell, Myke Chambers, Steve Boltz, Grime, Will Rise, todos os artistas me influenciam de igual forma. Deixe uma mensagem para nossos leitores Venha a Nova York e se por acaso parar na Beaver Tattoo para dizer um “oi” vai levar para casa uma lembrança permanente! www.theinkandpowederroom.com


Há quanto tempo você trabalha como tatuadora? Fazem mais de seis anos desde a primeira vez que peguei uma máquina de tatuagem pela primeira vez. Mas acredito que o tempo não faz muita diferença, pois conheço pessoas que tatuam há décadas e tem trabalhos horríveis, e também conheço tatuadores com menos de três anos de profissão com um trabalho preciso e criativo. Acredito que tudo se resume ao amor que você tem com aquilo que você faz. Como foi o início da sua profissão? Comecei como quase a maioria das pessoas. Comprei um kit de tatuagem na internet e iniciei tatuando amigos no meu apartamento. No início parei de tatuar por um breve período, até que mostrei uma

tatuagem em mim mesma para um tatuador, dono de um estúdio. Ele gostou do trabalho que tinha feito, ainda que no início, dizendo que eu tinha potencial e me ofereceu aprendizado. Foi quando aprendi não só como tatuar, mas também sobre esterilização e outros procedimentos. Sou eternamente grata pela oportunidade. O que você acha da nova geração de artistas da tatuagem? Não acho que eu estou qualificada para expressar minha opinião sobre a nova geração porque faço parte dela. Não sou velha ou experiente o suficiente para saber como a tatuagem era nos velhos tempos. Como é a tatuagem em seu país? Pelo que ouço é praticamente a mesma


coisa que em outras partes do mundo. Você conhece ou já ouviu falar sobre algum tatuador brasileiro? Conheço o trabalho do Polaco Tattoo. Devo ter gravado o trabalho dele também porque cresci na Polônia, e o nome da loja tenha ficado de alguma maneira na minha cabeça. Quais as técnicas que você usa em suas tatuagens? Desde que me especializei em preto & cinza, vejo a minha técnica de sombreamento como pontilhismo extremo, com milhões de minúsculos pontinhos feitos na pele que acabará por resultar em uma tatuagem. Além de ser uma artista da tatuagem, você tem alguma outra atividade profissional? Profissionalmente, nada. Eu faço todos os tipos de artes e ofícios, ultimamente eu tenho feito queima em madeira. As pessoas adoraram minhas criações em madeira na última convenção. Quais são os seus tatuadores preferidos? Victor Portugal para mim é o melhor tatuador no preto & cinza de todos os tempos. Minha freqüência cardíaca sobe, quando vejo seus trabalhos ou menciono seu nome. Mas tenho que admitir que meu trabalho é influenciado principalmente por Bulldozer (Island Tattoo) e Caesar do Caesar Tattoo. Dozer, por ser um artista da velha escola da tatuagem e por ter me ensinado a importância dos contornos, para que a tatuagem tenha uma vida útil mais longa. Caesar por outro lado, me mostrou que com uma fonte de luz e composição adequada pode se obter resultados incríveis. Uma vez que os dois artistas são opostos totais, levou algum tempo para combinar os conselhos e chegar num denominador comum. Funcionou. www.beavertattoo.com/


Melissa Khouri


Melissa, que atualmente tatua no Tattoo You, em São Paulo,  veio trabalhar em Los Angeles, no High Voltage Tattoo, através de um convite meu; tivemos grandes momentos juntas no estúdio e em LA. Nós a entrevistamos para dividir essa experiência e contar um pouco da vida de um tatuador brasileiro fora do país. Como foi trabalhar fora do Brasil e em um dos maiores estúdios de tatuagem do mundo? Foi realmente um momento muito especial que com certeza ficará marcado na minha vida, definitivamente. Trabalhei com profissionais muito conceituados, como Jack Mosher, Kat Von D, Dan Smith, Khoi Boto, Nate Fierro, Dennis Hartbrider, Camila Rocha, Adrian Galegos, Kevin Lewis, Jon e Jeff Ward, e com certeza trago um aprendizado muito importante para minha vida, tanto profissional como pessoal!! Foi tudo muito intenso…, e estou muito feliz e ansiosa para pôr em prática. E esperando novas experiências! Somente caiu a ficha quando coloquei as minhas máquinas na bancada e comecei a fazer a primeira tattoo, aí você relaxa e começa a trabalhar, começa a perceber como é diferente desde o contato com o cliente até a finalização da tattoo. Como você encarou o público estrangeiro, quais foram os maiores desafios e como foi a sua rotina? Aqui no Brasil, as pessoas ainda são um pouco mais inseguras em relação ao tamanho, à dor, ao lugar para tatuar. Já nos EUA, a maioria já sabe o que quer, aonde quer, aí senta na maca e não abre a boca e nem se mexe até terminar, a maioria foi assim…, nem me perguntaram se ia doer muito!!! Achei estranho não precisar con-

versar um pouco antes, para relaxar o cliente!!! E achei isso muito bom, pois na real é assim que deve ser! Porém, tento fazer o melhor possível para que o cliente tenha uma experiência agradável, para que quando ele olhar a tattoo ele tenha boas lembranças disso! O maior desafio, é você ter de criar algo em minutos e que satisfaça o cliente! Não tem tempo para pensar muito, pegar a referência, desenhar e tatuar. No começo, fiquei um pouco assustada, pois normalmente eu tenho tempo para preparar um desenho, marcar um dia para definir e finalizar e outro para tatuar. Aqui, o negócio é tudo na hora, pois os clientes, na sua maioria, são de outras cidades e países, e eles querem


entrar no estúdio e sair com meia manga, totalmente fechada, nem que leve o dia todo pra finalizar!!! Impressionante!! Lógico que tentamos dar o nosso sangue para fazer o melhor possível e eu tive essa experiência. A rotina é bem corrida, no momento que você coloca os pés dentro do estúdio começa a trabalhar e só para quando as portas se fecham. Por isso, nós trabalhamos em dias alternados para não estressar o corpo e a mente! Entre as diferenças de trabalhar no Brasil e nos Estados Unidos, quais são os pontos fortes de cada lugar? Bom, como eu sempre fiz trabalhos manuais, o que percebi é que qualquer trabalho manual é muito mais valorizado pelos estrangeiros. No Brasil, as pessoas valorizam tudo que é perfeitinho, feito por máquinas mesmo, porém, nos EUA o que eles acham bonito é realmente a arte de ser feita manual!! Tanto que ninguém volta para retocar nada!! A gente faz o melhor trabalho possível e eles ficam com a arte daquele nosso momento. No Brasil, qualquer cantinho, um milímetro que deu uma falhadinha de nada, o cliente quer retocar. Isso deveria mudar! Outra coisa que percebi é que o cliente aceita muito mais as sugestões dos tatuadores; afinal de contas, trabalhamos com isso e devemos entender. E isso é bom porque se o próprio


cliente te dá liberdade de criação, ele vai ficar com uma tattoo muito mais bonita e exclusiva para o resto da vida! Nos EUA uma tattoo considerada pequena é no mínimo 30% maior que as que fazemos aqui. Acho que aqui as pessoas querem um pequeno adorno para enfeitar a pele e lá elas querem uma tattoo, por isso, existe a diferença de tamanhos. O que você considera ter levado na sua bagagem artística de volta ao Brasil? Com certeza estou levando muito aprendizado profissional e muita energia para não deixar a rotina estagnar e sempre estar em contato com as artes buscando novas referências, tentando inovar cada vez mais! O negócio é não parar, e sim estar sempre buscando alguma referência, seja em livros, em outros artistas, na vida, para poder continuar crescendo e fazendo algo que te deixe extremamente feliz! Como foi visitar Los Angeles, quais foram as histórias mais marcantes da sua viagem? Essa foi a minha primeira vinda aos Estados Unidos e com certeza não vai ser a última! Desde o começo tudo foi novidade, seja em qualquer ponto de vista. É inevitável a comparação com as coisas no Brasil, mas o que realmente me


impressionou é a segurança de ir e vir que infelizmente não temos no Brasil. Uma coisa engraçada também é que nos EUA as pessoas dormem cedo e aproveitam mais o dia, pois tudo acaba às 2 da manhã!! Se você está num bar o garçom tira literalmente a bebida da sua mão e manda você vazar na mesma hora! Eu não sou uma pessoa de vida noturna agitada, mas achei bem estranho. Talvez isso ajude a manter as coisas mais em ordem e por isso deve ajudar também a ser um lugar mais seguro!  Com certeza, tatuar ao lado da Kat Von D foi interessante, mais pelo fato de ela ser uma celebrity e eu estar ao lado, tatuando ao mesmo tempo. Foi igual você estar no restaurante comendo na mesma mesa que a Angelina Jolie! E com certeza é a coisa mais normal do mundo! (risos). Teve um dia também que tatuei uma amiga de infância do Rupert Grint, o Ron Weasley, ator da saga do Harry Potter! A gente fala que não tá nem aí, mas é muito legal conhecer de perto essas pessoas que você nunca imaginaria conhecer, mesmo que seja por uma hora.

Alguma dica para servir de inspiração para quem gosta de se aventurar e tentar o mercado no exterior? Eu acho que é uma experiência muito interessante, seja para trabalho ou para turismo! Só de você sair da sua rotina e ver coisas diferentes, a sua cabeça já assimila novas referências e te dá um up para continuar buscando aprimorar a sua arte. Todos nós temos, às vezes, de encarar os medos de sair do nosso ponto de segurança e se arriscar em novos horizontes. E do mesmo jeito que cheguei no estúdio, sem conhecer ninguém, porque houve dias que eu não trabalhava junto com a Camila, é também muito interessante para eles um sangue novo! Tudo é válido! E na pior das hipóteses, você pega um avião e volta…, o que provavelmente não vai acontecer…(risos). E hoje temos todos os meios de comunicação para poder mostrar o nosso trabalho e também conhecer pessoas do mundo inteiro e fazer conexões. No fim, dá tudo certo e você fica muito satisfeito e feliz com a experiência, como eu fiquei!

Eu quero mais!!!!!


Virginia Rigozino

Goi창nia - Brasil

www.jandertattoo.com


Virginia R


Rigozino


Maria Fernanda Brum

S達o Paulo - Brasil

www.analogiclove.wordpress.com


Maria Fer


rnanda Brum


Miss Arianna Rimini - Itรกlia

www.missarianna.com

Henrik Grysbjerg Franรงa


Miss Arian


nna

rafael cassaro Brasil


jander rodrigues Goi창nia - Brasil


jander rodrigues Goi창nia - Brasil


jander rodrigues Goi창nia - Brasil


jander rodrigues Goi창nia - Brasil


atila soares S達o Paulo - Brasil


atila soares S達o Paulo - Brasil


léo neguin São Paulo - Brasil


dan smith Los Angeles - Estados Unidos


dan smith Los Angeles - Estados Unidos


paul booth Nova Iorque - Estados Unidos


paul booth Nova Iorque - Estados Unidos


mike rubendall Estados Unidos


robson santos Santa Maria - RS


Led´ s São Paulo - SP


javier obregon Argentina


camila rocha Los Angeles - Estados Unidos


gabriel callico MontevidĂŠu - Uruguai



ADT33