Page 1

OURO A PRETO E BRANCO MEMÓRIAS DO VOLFRÂMIO EM AROUCA

ÓSCAR VALÉRIO DE FIGUEIREDO


8


Grandes amores. 9


32


O “fim� de um grande amor. 33


46


Amor com dinheiro. 47


trabalho abunda, vĂŞm mineiros de muito lado.


Velhos amores. 51


60


Ai que vou-me a ele. 61


O bom mineiro. 72


73


O que vai ser da gente? 80


81


Na taberna, desespero dos fiados. 88


89


A vida não volta atrás, esta mina não tem saída. 94


O bom filho a casa torna. 95


ÓSCAR VALÉRIO DE FIGUEIREDO Autodidacta, nasceu em Canelas e vive em Arouca. Iniciou o curso de Arte do Fogo, na Escola de Artes Decorativas Soares dos Reis, e fez um curso de Desenho Técnico no CICCOPN, do qual faz profissão. Participou em vários cursos e workshops de fotografia e é membro e sócio fundador do Movimento Fotográfico de Arouca. Publica regularmente obra fotográfica em sites da especialidade, jornais e revistas, e participa em exposições individuais e coletivas. Autor representado no Guinness Largest Photo Book. Alguns projetos em desenvolvimento: – Moldes “por esta ribeira a cima” – Arda “quedas dum rio” – Do vale do Paiva ao Paivô “montanhas mágicas” – Diálogos abstracionistas da água

MEDIA HOUSE

Ouro a Preto e Branco - Óscar Valério de Figueiredo  

Uma obra a preto e branco sobre as memórias do volfrâmio em Arouca. 2ª Edição.

Ouro a Preto e Branco - Óscar Valério de Figueiredo  

Uma obra a preto e branco sobre as memórias do volfrâmio em Arouca. 2ª Edição.

Advertisement