Catfish - Primeiro Capítulo

Scroll for more

Page 1


Copyright © 2018. Catfish. Lynda Throsby. Copyright da tradução © 2019. AllBook Editora. Diretora Editorial: Beatriz Soares Tradução: Cristiane Saavedra Preparação: Cristiane Saavedra Revisão: Carolina Caires Coelho

Modelo de capa: Stuart Reardon Fotografo de capa: Emma Hayes e Stuart Reardon Designer original de capa: Sybil Wilson | Pop Kitty Designs Projeto de capa: Flavio Francisco Projeto gráfico de miolo: Cristiane Saavedra

Todos os direitos reservados pela AllBook Editora para publicação no Brasil. A reprodução, transmissão ou distribuição não autorizada de qualquer parte deste trabalho protegido por direitos autorais é ilegal. Nenhuma parte desta obra pode ser apropriada e estocada em sistema de banco de dados ou processo similar, em qualquer forma ou meio, seja eletrônico, de fotocópia, gravação, sem a permissão dos detentores dos copyrights. Os direitos morais do autor foram declarados. Esta obra literária é ficção. Qualquer nome, lugares, personagens e incidentes são produto da imaginação do autor. Qualquer semelhança com pessoas reais, vivas ou mortas, eventos ou estabelecimentos é mera coincidência. Esta obra segue as regras do Novo Acordo Ortográfico.

Produzido no Brasil. contato@allbookeditora.com


Esse livro não teria sido possível sem o apoio do meu marido, Peter, que sempre me incentivou. E administrou sozinho a nossa empresa para eu ter tempo de escrever. Ele é o meu campeão e herói. Meu segundo melhor amigo, Stuart, sempre dizia “vai lá e faz, não seja medrosa”, até quando eu queria desistir de fazer fotos impressionantes para a minha capa.


Fecho os olhos para o passado Está na hora de começar algo novo Abrir meu coração para novos começos E confiar na mágica de tudo o que é novo.


STASHING: é quando só você apresenta seu parceiro para

família e amigos íntimos, e ele “te esconde” da dele. Provavelmente porque tem outro relacionamento. GHOSTING: você conhece uma pessoa via internet, vocês conversam pelo chat, combinam de sair, se encontram algumas vezes, podem ou não ter trocado alguma intimidade, e tudo vai bem, até que a pessoa desaparece, para de responder suas mensagens, suas ligações e não marca mais encontros. ZOMBIEING: é quando a pessoa que fez ghosting em sua vida e do nada volta, como um morto-vivo. A presença desta pessoa é bem superficial, pode ser apenas com um oi em mensagem de texto ou ainda alguns comentários, curtidas e compartilhamentos em suas redes sociais. BENCHING: é quando a pessoa não tem mais nenhum interesse em continuar saindo com você, mas mantém uma interação digital. Vocês ainda se falam por mensagens e por telefone, mas nunca se veem. De uma certa maneira, a pessoa está te deixando no banco de espera, pensando se um dia você pode entrar no jogo ou não. CATCH AND RELEASE: é quando uma pessoa faz de tudo para te conquistar e ao conseguir, ela simplesmente


perde o interesse, o que para a vítima é extremamente confuso. BREADCRUMBING: É quando a pessoa se mostra superinteressada via chat e telefone, tendo várias ideias para encontros e para planos futuros, mas no fundo não tem nenhuma intenção de marcar nenhum deles. CUSHIONING: é quando alguém está num relacionamento e está se preparando para o final, então a pessoa passa a conversar com outras pessoas on-line para já ter outras opções e o término não ser tão dolorido. KITTENFISHING: é quando uma pessoa se apresenta de uma forma mais positiva, editando alguns fatos de sua vida, tanto em forma de textos como em fotos. Ela mente sobre a real idade, trabalho, altura, peso e também sobre seus hobbies. CATFISHING: é quando uma pessoa engana outra e começa um relacionamento virtual. Neste caso, a pessoa vai criar uma identidade totalmente falsa para enganar e conseguir o que deseja, o que pode ser desde atenção até algo mais sério. É a situação mais séria num relacionamento virtual.


CAPÍTULO 1 George Demorei um bom tempo para fazê-la concordar – finalmente – em sair comigo, para um encontro. Faz um bom tempo que não pego ninguém, pouco mais de um ano. E essa vai sofrer por eu ter esperado tanto, pois perdi outras tantas enquanto estava atrás dela, fazendo minha necessidade aumentar. Cada dia que passa fica mais difícil – figurativa e literalmente. Estou ansioso pelo que vou fazer com essa cadela... Cara, ela vai se arrepender por ter me dado tanto trabalho. Sou um homem muito impaciente. No instante em que bati os olhos na foto do perfil dela, enquanto procurava, entre milhares de prostitutas, a minha próxima vítima, eu soube que tinha que tê-la. O cabelo longo era castanho, assim como os olhos. Embora houvesse outras parecidas, aquela era a cara da puta da minha mãe. Minha testa está molhada de suor e estou tremendo, sabendo que amanhã, finalmente a terei. Só de olhar para a foto já estou duro. Que Deus me ajude quando eu colocar as mãos nela. Ela vai se arrepender de ter respondido às minhas mensagens e de ter brincado comigo, me enrolando. Não tenho a menor ideia do porquê fico excitado por


causa dessas putas que se parecem com a minha mĂŁe. Eu deveria sentir repulsa, mas ĂŠ mais forte que eu, e isso me faz me odiar ainda mais. Sinto-me nauseado. Agora preciso cuidar do meu pau. A vadia da Katherine me deixou excitado de novo.


CAPÍTULO 2 KATHERINE O que eu fiz? Disse que não queria saber de namoro tão cedo, então por que concordei em conhecer esse tal de Lewis? Por que fiz isso? Por que me coloquei nessa situação? Não estou precisando de ninguém. Tenho a minha empresa que ocupa a maior parte do meu tempo. Mas ainda assim... é solitário, sem dizer que as fotos dele são um deslumbre. Bem, aquele abdome, bíceps e as tatuagens... Minha nossa, elas me fazem babar. Mas foram os hipnotizantes e belos olhos castanhos claros com longos cílios e cabelo curto encaracolado que me encantaram. Ele é tão bonito e másculo, que ainda acho que é bom demais para ser verdade. Por que alguém lindo como ele está em um site de relacionamento? Com certeza ele pode conseguir a mulher que quiser. Tive experiências muito ruins com os homens ao longo da vida, começando na minha família. Nunca tive um pai de verdade. Não cheguei a conhecê-lo. Ele abandonou minha mãe, meu irmão e a mim quando eu tinha dois anos. Brad é três anos mais velho, e embora tenha cuidado de mim na escola e sido bastante protetor como a maioria dos irmãos mais velhos, é um idiota. Agora ele está casado com a Cindy, e é malvado com ela como costumava ser comigo. Mas nada de violência física, apenas sérios


problemas de raiva, o que tenho certeza de que têm a ver com o abandono do nosso pai. Brad costumava ficar muito bravo e me bater. E se eu ousasse entrar em seu quarto, o mundo desabava. Chegou até quebrar meu braço uma vez, quando eu tinha onze anos. Estava com uma garota no quarto; a mãe estava no trabalho. Ele estava em cima dela, grunhindo, e tudo o que eu vi foi sua bunda, mas quando me viu, pulou da cama mais que depressa, me agarrou e me jogou com força no chão, fazendome cair em cima do braço. Ele se arrependeu, claro, e me convenceu a contar para a minha mãe que eu tinha caído. Aquela foi apenas uma das vezes, na minha infância, que acabei no hospital, sendo dito que eu era desajeitada. Mamãe tinha dois empregos. Era ela quem sustentava a casa. Trabalhava das 6h30 às 15h como faxineira em um hotel, em Londres, e depois das 17h à meia-noite em um posto de gasolina local. Entre um trabalho e outro, ela vinha para casa. Essa era a única hora do dia em que eu a via, pois chegava da escola meia hora antes de ela sair para o segundo emprego. Ela confiava em Brad – por ser mais velho – para cuidar de mim, mas eu sempre mantinha distância dele ou acabava com hematomas. Nunca contei a mamãe que ele fazia isso comigo. Ela já tinha preocupação demais. Então, sim, homens! Papai nos abandonou – idiota. Brad me batia – outro idiota.

*** Meu primeiro namorado foi aos 14 anos. Luke Jones. No começo ele era legal e me fazia sentir especial, mas logo ficou claro que era só para conseguir de mim o que queria. Namoramos firme por três meses, nada além de beijos, embora o primeiro tenha sido traumático – eu era inexperiente, e quando ele enfiou a língua e tentou empurrá-


la até a garganta, quase vomitei em sua boca, deixando-o horrorizado. Eu não queria passar da fase dos beijos, embora ele tenha tentado colocar a mão por baixo da minha saia e blusa algumas vezes. Ele até tentou colocar a minha mão em sua ereção, por cima da calça, mas eu era ingênua e medrosa, então um dia ele se cansou e me chamou de provocadora porque eu não queria transar com ele ou deixá-lo tocar meus peitos. Ele disse a todos os garotos da escola para não perderem tempo comigo, pois não conseguiriam nada de mim, e espalhou para quem quisesse ouvir que eu era uma vaca frígida. As garotas da escola começaram a implicar comigo. Cheguei a pensar que era por eu ser quieta e na minha, mas Brad e Luke me disseram que elas sentiam inveja de mim por eu ser bonita e madura para a minha idade; elas se sentiam ameaçadas. Quando Luke me largou, a situação piorou. Elas se tornaram malvadas. Tinham mais munição contra mim só porque eu não era puta como elas.

*** Estou pensando seriamente se devo cancelar o encontro com o Lewis. Mas ele é tão gentil em nossas conversas... Vive dizendo que sou linda. Até perguntou se já pensei em ser modelo. Ele quer me encontrar para conversar e me conhecer. Nada além disso. E deixou claro que não tem expectativas e que me respeita. Quem fala isso hoje em dia? Geralmente é “vamos dar uma rapidinha?”. Eu simplesmente não consigo entender como alguém como ele quer conhecer alguém como eu. Não me acho feia. Tenho curvas em todos os lugares certos – e em alguns lugares nem tão certos. Estou satisfeita com minhas roupas de tamanho 44/46. Sou proprietária de uma empresa bem-sucedida, a qual toma a maior parte do meu tempo, me fazendo trabalhar


pesado para fazê-la chegar onde está. A Porter Properties é uma das principais investidoras/corretoras imobiliárias da cidade, e me orgulho disso. É muito difícil ser mulher de sucesso em um segmento masculino, mas tenho sagacidade para perceber um bom negócio quando vejo um. Sou proprietária de vários edifícios comerciais e residenciais. Tenho uma cobertura em Knightsbridge, perto do meu escritório, onde fico durante a semana, e nos finais de semana vou para a minha casa – comprei um imóvel grande, de cinco quartos, pois tinha esperança de que minha mãe viesse morar comigo e largasse o emprego, mas não era pra ser... – em uma linda área de Chelmsford. Onde eu moro é muito tranquilo. Amo ter paz e sossego, e sei que a mamãe também teria amado.


Continue lendo na Amazon Brasil. Disponível também no Kindle Unlimited.

Disponível no formato impresso na loja online da AllBook (allbookeditora.com.br), na Amazon, Submarino, Shoptime e Lojas Americanas.

Siga a AllBook nas redes sociais: http://facebook.com.br/allbookeditora https://www.instagram.com/allbookeditora