Issuu on Google+

Designpunk - relação do Design e ficção


Atenção Por ser uma palestra expositiva, iremos falar de obras via trechos editados e com conteúdos que podem afetar a sua perspectiva ou conhecer o final Assista como um designer estudante Analise os detalhes E sinta-se livre para levantar a mão e perguntar


Meu nome é Allan Mendes Nascido em Curitiba Aprendiz de design gráfico pela Universidade de Brasília Curioso por interfaces, fotografia, jogos toda e qualquer mídia com conteúdo


“In my eyes, your modern artists are already as old as the ancients. They've existed for 2,000 or 3,000 years, and I mix them up in my mind.The masters are ageless." “aos meus olhos, seus artistas modernos já são tão velhos como os mais antigos. eles existiram por 2.000 ou 3,000 anos, e eu misturo eles em minha mente. mestres são atemporais"


“In my eyes, your modern artists are already as old as the ancients. They've existed for 2,000 or 3,000 years, and I mix them up in my mind.The masters are ageless." “aos meus olhos, seus artistas modernos já são tão velhos como os mais antigos. eles existiram por 2.000 ou 3,000 anos, e eu misturo eles em minha mente. mestres são atemporais"

“Vingt mille lieues sous les mers” - Júlio Verne - 1869


mythos; fábula

explicações para causas naturais narrativas de ritos de passagem contos sobre o extraordinário

Hermes, mensageiro dos deuses

Arvore da Vida em parede maia

Casa de Hórus, templo egipcio


Pensamento e psique ocidental Expansão científica e declíneo do metafísico Ritos de passagem e arquétipos ainda presentes Capacidade de abstração

“You can take away a man’s gods, but only to give him others in return.” The Undiscovered Self (1958) - Carl Jung


Explicar Motivar Inventar Criar Prever

Com o avanço dos conhecimentos e principalmente dos meios de comunicação, tornou-se possivel criar ficções baseadas em fatos reais Ou seja, com uma capacidade de idealizar e calcular as reações às atitudes atuais do ser humano


O indivíduo em todas as épocas sofre de desbalanços entre o seu mundo ideal e o seu mundo real. Problemas,dúvidas existenciais, necessidades e obrigações


Com tantas pressões e condicionamentos, a necessidade de explicações ou de simulação de se transpor em outra realidade fora da sua se torna necessário. Livros, mídias, religião, diálogos, novela...


No Egito antigo...


No Egito antigo... ok, chega. Vamos ao que interessa


No Egito antigo... ok, chega. Vamos ao que interessa


Porém, existem constantes. Conceitos-chave que sempre serão revisitados. Sendo o que irá pontuar se a obra é válida não é apenas originalidade, e sim o quão bem executada ela será.


Criar uma ficção científica exige conhecimento de metodologias de pesquisa Design engloba metodologias Sistemas de pesquisa e ação Moldar, ajustar uma história imaginária com características e informações do mundo real necessita de tempo e conhecimentos específicos de diversas áreas do conhecimento humano. Criar uma ficção científica é design.


Pós-apocalipse Cenário após o ser humano passa por uma extinção em massa e algum (ou nenhum) sobrevive Decadência humana Ambiente de difícil sobrevivência Perigos naturais como animais e cataclismas Dualidade entre as ações humanas e suas consequências


Anacronismo Dispor de características de tempos diferentes da era em que a obra é apresentada Mecanismos avançados no século 19h Vestuários vitorianos no futuro Combustíveis avançados em tecnologias arcaicas Teorias científicas e desenvolvimento social além de seu tempo Base fundamental para o steampunk


Prototipagem de tecnologias em diferentes contextos Possibilidades para estĂŠticas e mecanismos novos Impactos sociais e culturas opostas Ă s atuais


Distopia Opressão abusiva do poder regulador social vigente Estatal, econômico, tecnológico ou religioso. Ou todos. Tecnologias extremamente avançadas ao desenvolvimento social, resultando problemas graves Atemporal: Ideia que pode ser utilizada em enredos no passado, presente ou futuro Manipulação da cultura, mídia e falta de liberdade de expressão Previsibilidade: Terroristas, revolucionários e hackers são pré-calculados pelos repressores e evitados a todo custo


Capacidade extrema de conhecimentos e tecnologias Possibilidades de interações socio-politicas-econômicas Poder de criação e estratégias em cenários limitados aka: fator Macgayver


Herói Queira construir uma ficção científica Queira construir designs inovadores “Aquele que caminha” terá que estar dois passos a frente da caixa que você criou Imagine além do que você já imaginou


Invenções são orgânicas e suscetiveis ao meio O objetivo quase sempre será mostrar um conceito inovador, destruidor, diferente em um cenário já preenchido por inovações


Metropolis Filme - 1927 Lang & Thea Von Harbou Ficção Científica, Distopia Batalha de classes Cidade exclusiva para trabalhadores, e outra para a classe dominante


1984 Grande marco para o gênero de distopia Guerra e manipulação de mídia para existir o controle social Divisão de castas e vigilância ininterrupta

Mesmo cenário e enredo similar ao de 1984, apresentando equipamentos de estéticas steampunks

Livro - 1949 Gerge Orwell

Brazil Filme - 1985 Terry Gilliam


Brave New World Livro - 1932 Aldous Huxley Distopia Tecnologias de reprodução Utilização de drogas reguladoras de humor Biotecnologias regulando a definição de castas Hipnoses, condicionamento pavloviano “O que amamos é o que nos controla”


Logan’s Run Filme - 1976 Michael Anderson Distopia, pós-apocalitico Cidade isolada ao restante do mundo Estilo de vida hedonista Morte obrigatória aos 30 anos “Lifecrystal”, cristal na palma da mão que indica o tempo de vida restante “Sandman”, policiais que matam os “Runners”, os que tentam fugir do “Carrousel”, a morte obrigatória


Equilibrium Filme - 2002 Kurt Wimmer Emoções e obras de arte proibidas Uso de drogas reguladoras de humor “Warrior-priests”, “Gun Fu” Metodologias comportamentais para o controle social


V for Vendetta

“Nowpunk” Estado totalitarista Homoafetividade, religião e expressões culturais proibidas Armas biológicas e “controle social por medo”

Filme - 2006 James McTeigue Joel Silver Wachowski brothers G.Novel - 1984 Alan Moore


Dark City Filme - 1998 Alex Proyas Distopia, biopunk Seres cometendo experiências em humanos, a cada noite trocando suas memórias Procura pela identidade essencial dos seres humanos Filmado em mesmos cenários de Matrix Compartilha de coincidências estéticas com Inception


Cyberpunk Cunhado por Bruce Bethke, no conto “Cyberpunk” em 1983 Posteriormente, gerou outras terminologias para catalogar mídias em subgêneros específicos Maior subcultura quanto a produção de mídias e capacidade de se entrelaçar em enredos e tecnologias Biopunk, Steampunk, Spacepunk, Cypherpunk


Isaac Asimov Criador dos principais conceitos de robótica União de matemática, física, psicologia para poder criar futuros possiveis em longas previsões

Loyd Blankenship Um dos primeitos grandes hackers do mundo, criador do livro de RPG GURPS Cyberpunk O livro chegou a ser apreendido pelo FBI por suspeitas de “conhecimentos perigosos”


Philip K. Dick Escritor americano Abordava metafísica, as fronteiras do que é ser humano. Religião, megacorporações, poderio estatal, drogas e uma das raizes principais da distopia cyberpunk

Willian Gibson Criador da trilogia “Sprawl” do termo “Cyberspace” e principal conceitualista do Cyberpunk e sua contracultura Apesar de toda tecnologia que descrevia, ele vivia longe de computadores Inspirador do steampunk


Neil Stephenson Inventor da palavra-conceito “avatar” e escritor do livro “Snow Crash” e “Diamond Age” Um dos principais criadores de designs inovadores em cenários futuristas com auxílio de várias áreas do conhecimento humano

Mamoru Oshii Diretor de “Ghost in the Shell”, “Patlabor 2” e “Avalon” Um dos principais responsáveis pela criação de obras cyberpunks via animes e contextos orientais Base inspiradora para os irmãos Wachowski e James Cameron


Johnny Mnemonic Filme - 1995 Willian Gibson Robert Longo Utilização do cérebro humano para trafegar informações sigilosas demais para redes de comunicação Baseado no conto de Willian Gibson Interfaces manipuladas por gestos, óculos de virtualidade-aumentada Base inspiracional para o jogo Uplink


Armitage III Poly-Matrix Armitage III Dual-matrix Anime - 1995 Colonização de Marte com androides “III-Type”, uma classe de androides mulheres que podiam gerar vida Similaridades com Bubblegum Crisis e Blade Runner


Blade Runner Conto - Do Androids Dream of Electric Sheep? 1968 - Phillip K. Dick Filme - 1982 - Ridley Scott

Robôs orgânicos utilizados em explorações de planetas extraterrestres “Blade Runners”, caçadores de replicantes que conseguem chegar à Terra Vasta abrangência de cenários de grande quantidade de informações e base de conceitos tenológicos e imagéticos para vários jogos e filmes posteriores, como a amaugama de culturas orientais no ocidente


Neuromancer Livro - 1984 Willian Gibson Trilogia Sprawl

Capa brasileira

Livro-mãe da subcultura cyberpunk História de Henry Case, um hacker que é pego roubando seu empregador que e logo foi punido com uma toxina o impedindo de acessar o dataspace de realidade virtual, a Matrix Realidade virtual, Inteligência artificial, a Matrix, realidade aumentada, drogas futuristicas, mercado negro de orgãos, blablabla. Aka: “A Bíblia do submundo cibernético”


Snow Crash Livro - 1992 Neil Stephenson

Capa brasileira

Post-cyberpunk Hacker afronipônico, samurai e entregador de pizzas “Brainstem”, sistema operacional da mente humana Arqueologia suméria, mainpulação neurolinguistica “Suburbiclaves”, multinacionais, mafiosos e grupos comandando seus próprios territórios Poder estatal extremamente reduzido Criador do termo “avatar” para designar persona na internet, base fundamental para a realidade virtual atual.


Aeon Flux Filme/Animação 2005 - Karyn Kusama

Post-cyberpunk, distopia Apenas uma cidade existente no mundo após poderoso vírus matar quase toda espécie humana, agora infértil Clonagem e controle químico utilizado, apreensão dos que vão contra a ordem ou suspeitos Vários artefatos tecnológicos e augmentation biológica


Serial Experiments Lain Anime -1998 Ryutaro Nakamura & Yoshitoshi ABe (desenhista)

Temáticas que vão de realidade aumentada, Deus, neoreligiões, sociedades secretas e muita coisa esquisita acontecendo ao mesmo tempo Nowpunk & cyberpunk, deve ser tratado mais como um estudo sobre comunicação humana em sua essência


Ergo Proxy

Denno Coil


SĂŠrie Ghost in the Shell

Akira


Matrix

Animatrix


E muito mais...


E muito mais... Para que n達o ficasse muito cansativo (apesar de ter sido) Achei melhor parar por aqui.


Agora m達os a obra.


Designpunk 1.0 - O que é design no mundo da ficção