Page 105

10% de seu uso potencial. O Departamento de Energia dos EUA estima que se atualmente a tecnologia de biorreatores fosse aplicada a 50% dos resíduos depositados em aterros, poderia proporcionar mais de 270 bilhões de pés cúbicos de metano por ano, o que equivaleria a um por cento das necessidades elétricas dos Estados Unidos.

6.7.3. Fatores a serem considerados nos aterros biorreatores A Agencia Americana de Proteção Ambiental (USEPA) está coletando informação sobre as vantagens e inconvenientes dos aterros biorreatores através de estudos de casos de aterros existentes e dados adicionais, a fim de poder identificar normas especificas para os biorreatores ou recomendar os parâmetros de funcionamento. A EPA, antes de identificar as normas ou recomendar os parâmetros, deve considerar uma serie de fatores. Os aterros biorreatores geralmente são sistemas de engenharia com altos custos iniciais de investimento e requerem um acompanhamento e controle adicionais durante sua vida útil, ainda que possam representar um menor controle durante o período pós-fechamento do que o necessário para os aterros convencionais. As questões que devem ser abordadas durante o desenho e operação de um aterro sanitário biorreator são: O aumento das emissões de gases; O aumento dos odores; A instabilidade física da massa de resíduos devido ao aumento da umidade e a densidade; A instabilidade dos sistemas de revestimento; As possíveis filtrações superficiais e os incêndios de aterros sanitários.

6.7.4. Pesquisas da EPA sobre o aterro sanitário biorreator. Caso prático: aterro do Condado de Yolo A EPA está estudando e realizando pesquisas e demonstrações em aterros biorreatores a fim de avaliar distintos aspectos como o desenho, a monitorização, o comportamento, a viabilidade econômica, etc. Um dos principais estudos é o realizado no aterro sanitário do Condado de Yolo. Em primeiro lugar, desenvolveu-se um biorreator a escala piloto e, dados os bons resultados obtidos, posteriormente foram feitas duas escalas mais de demonstração (3,5 e 6 acres), como parte do Projeto XL da USEPA (United States Environmental Protection Agency). O objetivo geral do projeto é gerir o resíduo para uma rápida degradação dos resíduos sólidos e a máxima geração e controle de emissões. A degradação anaeróbica dos resíduos é acelerada melhorando as condições do processos biológico, o que implica inserir quantidades controladas de liquido (lixiviados, águas subterrâneas, águas cinzas, etc.). Ensaio piloto O projeto piloto de demonstração de Yolo consistiu na construção e operação de duas células piloto, que continham cerca de 9.000 toneladas de RSU cada uma. Uma célula recebeu a recirculação dos líquidos, “célula melhorada”, enquanto a outra era operada como controle, isso é, como um aterro tradicional (Yazdani et al., 2002). As características mais importantes foram:

 Um sistema de coleta de lixiviados sob os resíduos de alta permeabilidade.  Vários sensores de umidade e temperatura distribuídos pelas células (mais de 50) para controlar o processo.

O Biogás

99

Biogasconteudo extensivo pt  

Programa de Capacitação em Energias Renováveis Fonte: ONUDI

Biogasconteudo extensivo pt  

Programa de Capacitação em Energias Renováveis Fonte: ONUDI

Advertisement