Page 1

16

Escola promove ações solidárias

A evolução dos transportes no Tatuapé foram extintos em 1961. Vinte

Por Aline Oliveira Por Aline Mariane A Escola Estadual Professor Ascendino Reis, localizada na rua Tuiuti, 2.865, no Bairro do Tatuapé, tem como uma de suas prioridades conscientizar seus alunos sobre a importância da ajuda ao próximo. Com mais de 7 premiações ao longo de sua história, nesse ano a escola de ensino médio obteve mais um destaque no Prêmio Construindo a Nação. Dentre as 23 escolas homenageadas, a Ascendino Reis

atenção com seu projeto denominado: “Expressões de Cidadania, Expressões de Solidariedade. Construindo Laços de Convivência”, construído por seus alunos e apoiado pelo corpo docente e direção da escola, no ano passado, e conquistando essa homenagem esse ano. A premiação e a homenagem às escolas ocorreu dia 14, no mês de março, na Sala São Paulo.

nessa escola: “Os pontos positivos de uma escola são aqueles que favorecem o aluno, a verdade é que o A.R (Ascendino Reis) é uma ótima escola, que possui excelentes professores. É claro que existem alguns alunos que vão lá para a bagunça, ao invés de aprender, mas o A.R faz muita falta e eu estudei lá na época que isso era o sonho de todos os meus conhecidos.”

A ex-aluna, Juliana Gomes dos Santos, 19 anos, conta quais os principais pontos positivos que ela pôde observar estudando

Ajudando no crescimento do bairro Tatuapé, a escola mantém projetos relacionados à cultura e a solidariedade, beneficiando todos aqueles que têm a oportunidade de interagir com ela. Dona Tereza de Oliveira, 49 anos, mãe de uma aluna e antiga moradora do bairro, expressa seu sentimento sobre a escola em que sua filha estuda: “Tem um bom nome, né? Acho que é uma das melhores escolas aqui da região, minha filha sempre tem muitos trabalhos pra fazer e gosta muito de ir à escola.”

Todos os dias, muitas pessoas passam pelas estações Carrão e Tatuapé, algumas delas provavelmente nunca pararam para pensar como era o transporte antes da construção da linha férrea. No início, eram utilizadas as barcaças, pequenos barcos que navegavam no Rio Tietê. Com o passar do tempo, por volta de 1930, São Paulo crescia vertiginosamente, as carroças, juntamente com as barcaças utilizadas, caíram em desuso, pois aumentavam a população e a decorrente poluição do rio. Surgiam então, as primeiras linhas de ônibus que circulavam paralelamente aos bondes elétricos. Como eram comuns os acidentes, os bondes

sua primeira estação, que leva o nome do bairro. Cinco anos mais tarde, a segunda: a estação Carrão. Mesmo com essa divisão de opiniões, é importante perceber que foram as estações ferroviárias que deram assistência ao crescimento da população e que sem elas, muita coisa seria diferente. Outro ponto relevante é que na época, era extremamente inovadora a existência do metrô e que sem essa modalidade de transporte, o trânsito seria incalculavelmente maior. Hoje, o Tatuapé é um dos mais importantes bairros de São Paulo, conta com duas estações de metrô, várias linhas de ônibus e com outras tantas vias de acesso, como a Radial Leste, que

Aline Oliveira da Silva/Furos

Aline Mariane Fernandes/Furos

Apoiando os alunos e atendendo as expectativas de seus pais e colaboradores, a Ascendino vem crescendo e se desenvolvendo ao longo desses 59 anos de existência.

anos depois, o Tatuapé ganharia a

movimentam inúmeras pessoas e que tiveram papel determinante no desenvolvimento socioeconômico da região.

Curso popular para vestibular garante qualidade e preço Por Gabriela Freire Em homenagem a um dos mais importantes cartunistas do Brasil, o instituto comunitário Henfil, com uma de suas sedes localizadas no Tatuapé, tem como objetivo possibilitar o acesso de jovens de baixa renda a um cursinho pré-vestibular de excelência. O projeto não tem fins lucrativos e cobra apenas um valor simbólico para a manutenção de sua estrutura e apoio aos materiais extras distribuídos para os alunos. O cursinho, que inicialmente contava apenas com profissionais voluntários, hoje é formados por professores experientes e bem avaliados no mercado. "Os professores não ficam atrás dos cursinhos de alto custo. Nossos educadores são

qualificados, assim como nosso material didático. E hoje o quadro de horário do cursinho também é muito maior", conta o Presidente de Honra do Instituto Henfil, Mateus Prado. Com mensalidades a partir R$ 80 mensais, o projeto procura oferecer a mesma qualidade das instituições privadas, com a diferença de um preço mais em conta. Além disso, o pré-vestibular oferece aulas nos fins de semana para facilitar a vida daqueles que não podem parar de trabalhar para estudar. “Essa foi a minha chance. Não tinha tempo durante a semana e sempre tive vontade de prestar o vestibular e por isso o Henfil se tornou a minha opção”, declara o vendedor Fabio Santana de Andrade, morador do bairro Tatuapé.

Outro ponto importante para o cursinho são os alunos que tem uma base escolar mais fraca comparada aos que sempre estudaram em escolas particulares. Por isso, o projeto procura explorar os conteúdos em número maior de aulas para que todos os estudantes possam acompanhar no mesmo tempo. “Com a preocupação de suprir os alunos que vem das escolas públicas, nós aumentamos a carga horária e diminuímos o ritmo das aulas, assim ninguém vai sofrer com a quantidade de matéria apresentada”, esclarece Júnior, responsável pela unidade Tatuapé. Mesmo com o cursinho tradicional para o vestibular, o 'Henfil' resolveu inovar e por isso organizou um projeto especializado para o Enem

(Exame Nacional do Ensino Médio) que procura aprimorar estratégias dos conteúdos cobrados na prova para facilitar os estudos de quem se dedica ao exame. “O instituto procurou aprimorar as habilidades exigidas pelo exame, com oficinas de redação e interpretação de textos, aulas extras de inglês, além de simulados e plantões de dúvidas, e isso faz com que os alunos tenham mais confiança em nossa equipe e em si mesmos”, completa Júnior. As vagas para o projeto são disputadas e, de acordo com a assessoria de imprensa, é preciso que as inscrições sejam feitas no início do ano e no mês de maio o mais rápido possível, para que o aluno tenha a possibilidade de escolha dos horários e turmas desejados.

A unidade do Cursinho Henfil na rua Padre Estêvão Pernet, número 389.Tatuapé/ Gabriela F. - FUROS


Lazer e cultura

2

16 DE JUNHO de 2011 - TATUAPÉ - SÃO PAULO - SP 10

Parque do Piqueri a opção de lazer mais querida do Tatuapé Por Wesley M. dos Santos

Wesley Mesquita dos Santos/Furos

O Parque do Piqueri completou 33 anos de existência, com sua história ligada ao Rio Ti e t ê . O C o n d e F r a n c i s c o Matarazzo (1854-1937), conhecido como um dos pioneiros da implantação dos grandes complexos industriais de São Paulo comprou a chácara do Piqueri em 1927, com a intenção de apenas ser utilizada como área de lazer. Nos anos 50, parte da Chácara foi vendida, e na década de 70, a parte que sobrou foi declarada como utilidade pública, por resultado de uma grande mobilização dos moradores do entorno do Parque. O nome do local, Piqueri, faz alusão ao nome da tribo indígena que habitava a área, e a antiga Chácara situava-se junto à foz do ribeirão do Tatuapé, que deu nome ao bairro, que significa “caminho do tatu”, pois os viajantes sempre se deparavam com várias espécies de tatus nessas terras. Mas foi em 16 de abril de 1978 que o espaço foi incorporado definitivamente ao patrimônio do Município, e é uma das melhores opções de lazer aos moradores do bairro. “Aqui é o coração doTatuapé”, afirma o morador Deusdete Bento Calisto, de 60 anos, que viu o “Parque crescer”. O local possui 97.272 metros quadrados dividido em uma pista de cooper de 1000 metros, 2 campos

de bocha oficial, campo de futebol de areia, 3 playgrounds com tanques de areia, 4 aparelhos de ginásticas, entre tantas outras opções, todas acompanhadas pela beleza da natureza e o canto dos pássaros, como conta o designer Fernando Fagone, de 26 anos, morador do bairro e freqüentador do parque desde os 15 anos: “Venho no mínimo duas vezes na semana para praticar meus exercícios, incluindo a corrida.”. Assim como outros visitantes, Fernando gosta do parque por causa da vegetação, o clima calmo, principalmente durante a semana, que é quando o parque é mais tranqüilo. Dona Maria da Paz, de 69 anos não troca o Parque do Piqueri por nenhum outro lugar: “Amo a natureza, e sempre trago minha filha. Aqui é limpo, seguro, e muito preservado”, declara, que começou a caminhar no Parque por indicação do médico, promete não parar tão cedo. Mas para aqueles que não curtem exercícios físicos, tem uma opção especial, em parceria com a Secretaria da Cultura, o “Ponto de Leitura” que fica no centro do Parque, aonde todo primeiro domingo de cada mês tem a presença dos contadores de histórias, e reunião de poetas moradores do Tatuapé no último domingo do mês. Confira ao lado fotos do parque mais querido do bairro.

A tradição de 98 anos da padaria mais antiga do bairro Por Ludmila Tradição é este o segredo da Padaria Lisboa, que há 98 anos vem oferecendo os melhores pães e quitutes, tornando-se um ponto de referência em uma das ruas mais conhecidas do Tatuapé. Localizada à Rua Tuiuti, em frente à Praça Silvio Romero, a Padaria Lisboa é tradição, tendo sido homenageada pela Associação Comercial como uma das empresas mais antigas de São Paulo. Fundada em 1913 por empreendedores portugueses, na mesma rua, porém no número 90, a padaria foi se desenvolvendo juntamente com o bairro. Em entrevista, o senhor José de Jesus Coelho, funcionário do estabelecimento há 66 anos e morador do Tatuapé há 70, conta que no início tudo era muito rústico no bairro, “aqui era só terra e lama”, diz ele ao relembrar os primeiros passos da padaria. Havia apenas um carro para entrega, um furgão Chevrolet 1967, e foi nas entregas que ele começou, inclusive à noite, aos 12 anos de idade.

A padaria foi passando de geração para geração. O último dono, Alfredo Martins, recebeu a proposta de sociedade do seu tio logo após a Segunda Guerra Mundial e em 1950 ele e seu irmão compraram o terreno em frente, ainda na Praça Silvio Romero, e construíram um sobrado de 900m²onde embaixo funcionava um forno à lenha e em cima era a morada da família.Alfredo Martins foi presidente do Sindicato dos Panificadores de São Paulo e vereador da mesma cidade. Ponto de encontro dos moradores e de estudantes, a padaria é

movimentada até mesmo na hora do almoço. Logo pela manhã, desde às 6 horas, as pessoas se reúnem para um café-da-manhã antes do trabalho ou antes de ir à escola. São jovens, adultos, senhores e senhoras que se encontram e como se fossem de uma só família, funcionários e clientes conversam demoradamente.

Quanto ao bairro ele diz que hoje as pessoas vivem melhor, tem mais recursos e a movimentação é bem maior, “hoje dá até medo de andar de carro de tanto carro que tem! (risos)”, diz ele.

Recordando o bairro, o senhor José relata que naquela rua havia pouquíssimas famílias, a padaria era a única e o único telefone que havia era perto dela. As cartas dos moradores eram enviadas para a padaria e depois cada um pegava a sua, assim as pessoas

Já que Alfredo Martins era político, usava o balcão da padaria como comitê; eram mais de 2000 clientes por dia. O senhor José conta que muitos dos governadores da cidade de São Paulo estiveram lá, além de jogadores de futebol e a Ana Maria

f o r a m c o n h e c e n d o o l u g a r, frequentando e hoje é referência

Braga que em outubro de 2010 fez uma matéria no local em homenagem aos 11 anos do seu programa Mais Você. Apesar de ser portuguesa, a padaria produz o melhor pão italiano da região, é um clássico! A empada também é muito pedida, é receita de família. Quando perguntado sobre o segredo para a Padaria Lisboa ter se tornado o que é hoje, José Coelho é categórico: “a qualidade dos produtos e o bom atendimento. Pra gente, os clientes aqui não são clientes, são amigos”. São 98 anos dedicação e perseverança

Ludimila Honorato/Furos - Foto de Divulgação


Lazer e cultura

3

10 DE JUNHO de 2011 - TATUAPÉ - SÃO PAULO - SP

A história do bairro nas Tattoapé: A arte corporal de cada um páginas da mídia local Por Talita Tristão A mídia impressa do Tatuapé é rica e abrangente. Existem diversos veículos de comunicação em circulação no bairro, dentre revistas e jornais. Um dos jornais mais antigos da região é a Gazeta do Tatuapé, fundado em 1974. A linha editorial do jornal é regional, priorizando a cobertura de fatos interessantes da zona leste de São Paulo. Há seções de esporte, turismo, culinária, veículos etc. Algumas revistas da região também vêm crescendo e sendo bastante lidas como a Revista do Tatuapé, distribuída gratuitamente nos bairros da zona leste, com colunistas exclusivos. A Revista Em Dia é outra opção, sempre com muitas informações acerca da região leste, com diversos assuntos em foco e conta com entrevistas feitas com personalidades públicas. Uma revista que há 23 anos ininterruptos está no mercado e consolidou-se como um grande veículo de comunicação local é a Revista IN. Gisele Romanholi conversou com a equipe do Furos,

Guilherme Correa

ela é jornalista e gerente de comunicação da IN e também responsável pelo portal da revista, que na entrevista conta a história e os motivos para o sucesso e aceitação da IN. A Revista IN nasceu em 1988. Seus idealizadores deram esse nome porque não havia mais nada “por dentro” que o Tatuapé, que iniciava seu desenvolvimento comercial, imobiliário e de lazer. Até 1995, 85% das suas páginas eram preto e branco. Depois os títulos das reportagens, algumas fotos e imagens também ganharam cor. Só em 1999 passou a ter todas as páginas coloridas. Hoje a revista é distribuída em 14 bairros, com tiragem de 50 mil exemplares mensais, de forma gratuita. “A principal proposta da revista é levar, aos seus mais de 170 mil leitores, informações atuais e diversificadas, além de divulgar as melhores empresas da região”, afirma Gisele. Ela preocupa-se em manter uma relação próxima do público leitor, reconhecendo que só com essa aproximação é possível ver um veículo de comunicação crescer e conquistar novos leitores.

Guilherme de Moraes Corrêa/Furos

Talita Alessandra Tristão/Furos

Os pontos turísticos do Tatuapé Por Ana Paula Ferreira Inaugurado no dia 27 de outubro de 1997, o Shopping Metrô Tatuapé é um circulo comercial da cidade de São Paulo. Com acesso direto à estação Tatuapé de metrô e a estação CPTM Tatuapé, possui uma ampla estrutura mais de 300 lojas e uma praça de alimentação com capacidade para 1.200 pessoas com disponibilidade de 30 restaurantes. Com localização estratégica: ligado ao metrô por uma passarela com acesso a Radial Leste, Av. Salin Farah Maluf, Celso Garcia e Marginal Tietê.

A partir dos anos 70 começa a chegar o progresso os prédios, as pequenas lojinhas e as primeiras ruas asfaltadas. Com

isso a praça foi deixando de ser sinônimo de confraternização de amigos para ser uma referencial de comércio, e porque não o ponto chave do Tatuapé. Devido à grande concentração do comercio na região, em parceria com a subprefeitura da Mooca, a praça

esta sendo reformada, com direito ate troca de calçamento que esta sendo substituído por concreto em três tonalidades diferente, paisagismo e bancos novos.

Para finalizar, temos a Praça Sílvio Romero localizada no centro do distrito do Tatuapé, basicamente arborizada foi projetada em formato quadriculado, para poder grande parte do comércio central e financeiro do Tatuapé, conta com varias lojas, bancos bares e prédios comerciais. Com fácil acesso ao metrô disponibiliza a transição de milhares de pessoas que precisam se deslocar do bairro para a grande São Paulo. Segundo seu José de Jesus Coelho, morador do bairro há 70 anos o “Tatuapé parecia uma cidadezinha do interior, em meados dos anos 50, a praça era ponto de encontros aos sábados e aos domingos depois da missa celebrada na capela que se localizava no meio da praça entre os rapazes que aproveitavam a tranqüilidade do ambiente para

Ana Paula Ferreira Carvalho/Furos

Em contra partida Shopping Boulevard Tatuapé é um comercial do Tatuapé ligado ao metrô e ao Shopping Tatuapé inaugurado no dia 8 de maio de 2007, possui mais de 150 lojas e uma praça de alimentação com varias opções de restaurante. Em seu planejamento original o projeto obtinha o nome de Shopping Metrô Tatuapé dois, mas devido à simplicidade do nome foram realizadas pesquisas que

que recomendaram a mudança do nome para algo mais sofisticado, já que o ambiente transmitia novidades requinte e sofisticação.

cortejar as belas mocinhas que ali passavam” relembra com muita alegria.

Quando olhamos para um ambiente de tatuadores ou tatuados, montamos uma imagem, criamos um rótulo para esse grupo social, pensamos em “rebeldia”, “marginalidade”, “constrangimento do perfil”, daqueles indivíduos. Os tatuadores e tatuados hoje tem uma outra história para contar para a sociedade, como a tatuagem ganhou um novo simbolismo, dentro do conceito de “história de vida” e da “filosofia”, só que o preconceito continua o mesmo, porque para as outras pessoas ainda é o velho símbolo, deveríamos pensar que as pessoas podem julgar a aparência dela, porque antes de ser mais não se sabe os motivos da vida daquela pessoa, por ela ser daquela maneira. Como disse Guilherme Príncipo Baronto, que a sua tatuagem que estava sendo feita pelo tatuador, Kleber Buriolia do Santos, do estúdio Wild Style Tattoo que fica localizada na Praça Silvio Romero, n° 275 no Tatuapé, que a tatuagem hoje ganhou um novo conceito, principalmente a dele, que demorou anos de vida, para realizar o sonho da vida dele, podemos perceber que a tatuagem é algo bem pensado antes de fazer, só feita por pessoas que já atingiram a maioridade: consciente e adulta. Começou a trabalhar na “Wild Style Tatto”, não era muito movimentado e não tinha nenhuma influência sociedade em 2002, quando tinha 22 anos. Hoje, ele tem 31 anos. Esse ano, o lugar ganhou importância na sociedade, pelo aumento de informações das tatuagens, o negócio virou moda de pessoas comuns, o que é bem interessante, para todos nós que enxergamos a tatuagem negativamente.


Variedades

10 DE JUNHO de 2011 - TATUAPÉ - SÃO PAULO - SP

Boom imobiliário faz Tatuapé crescer

História e Curiosidades do Tatuapé Por Maday Florencio

Por Luciano Trindade A localização privilegiada, o fácil acesso a vias importantes, grande oferta de comércio, lazer e cultura, são apenas alguns dos atrativos do Tatuapé. Um dos bairros que mais cresce na cidade de São Paulo e o preferido por quem procura um imóvel novo na região da Zona Leste.

famoso Parque São Jorge, atual estádio

de

futebol,

que

Até meados da década de

antigamente, antes dessa

30, a economia predominante no

modalidade esportiva chegar ao

Tatuapé era concentrada em

país, era um espaço onde se

produtos agrícolas, já que era um

faziam reuniões dos operarios, o

bairro completamente rural. Época

que posteriormente originou o time

chamada de Primeira Fase

de futebol mais famoso do Brasil, o

Industrial, onde havia a ausência

Corinthians, formado pelos

de bens essenciais, como a falta de

próprios operários da região do

redes elétricas, sistemas de

Tatuapé. “Os primeiros jogos de

esgotos, ruas cobertas com asfalto

futebol ocorreram ali e esse gosto

etc.

que o brasileiro adquiriu pelo Em seguida, por volta dos anos

esporte também”, diz Moacir.

Industrial, o que trouxe para esse

atualmente se transformou em um

período na região serviços de

dos maiores centros urbanos

economia terciária e os comércios

comerciais e com alto custo de

sofisticados para o bairro. Segundo

vida. Um bairro que inicialmente,

entrevista realizada com o

foi cidade-dormitório para muitos

Professor

da

trabalhadores rurais, hoje possui a

Universidade São Judas Tadeu,

fama de ser um lugar com muito

Moacir Assunção, o bairro Tatuapé

agradável de se viver, gerando

inicialmente era uma “grande

uma grande satisfação por quem

sesmaria que pertencia ao Brás

ali habita.Um lugar que é marcado

Cubas”, que foi a personalidade

por muitas histórias de uma região

que fundou o bairro no inicio do

que começava a trilhar seu

século 20. O bairro do Tatuapé é o

pequeno “caminho do tatu” pela

maior da Zona Leste, afirma

cidade de São Paulo.

Todo o desenvolvimento do Tatuapé chamou a atenção das grandes construtores, que são responsáveis pelo processo de verticalização residencial, a qual o bairro esta passando. A cada dia surge um novo empreendimento imobiliário, a maioria imóveis de alto padrão. "Os imóveis valorizaram muito, o preço deles podem variar de R$ 250 mil a até R$ 5 milhões, hoje você já encontra pessoas das classes A e B morando no Tatuapé" afirmou Daniel Moreira. O Tatuapé tornou-se ao longo dos anos uma referência na Zona Leste, impulsiona o crescimento de bairros vizinhos e oferece ao morador uma qualidade de vida elevada. "hoje o morador do Tatuapé não precisa sair do bairro para buscar, trabalho, educação e lazer, ele pode encontrar tudo por aqui" confirma o gerente Daniel Moreira.

Luciano Trindade/Furos - Divulgação

Esse “Gigante” da zona leste,

O morador do Tatuapé ainda conta com uma infra-estrutura de transportes servida por duas estações de Metrô, Carrão e Tatuapé, uma estação de trem da CPTM, e dezenas de linhas da SPTRANS que cortam o bairro, além daquelas que trafegam pela Radial Leste, vindas de outros pontos da cidade como por exemplo da região central. A localização do bairro têm saídas, inclusive, para importantes

vias como as marginais, a Salin Farah Maluf e via Dutra que da acesso a baixada santista.

Maday Florencio Silva/Furos

70, iniciou-se uma Segunda Fase

Sociologia

O crescimento do bairro ocorreu paralelo aos grandes investimentos da iniciativa privada. A inauguração de vários centros de comércio alavancaram o crescimento da economia local .Segundo Daniel Moreira Alves gerente interino da Lello Imóveis . " O Tatuapé passou por várias mudanças na última década, a instalação de Shoppings e a transformação de ruas residenciais em pontos de comércios, foram determinantes para o desenvolvimento do bairro." Em 1997, por exemplo, foi inaugurado o Shopping Metrô Tatuapé, o primeiro bairro, ligado inclusive a estação Tatuapé do Metrô. Além dele o

bairro ainda conta com outros dois Shoppings, Boullevard e o Silva Romero. Além dos Shoppings algumas ruas do Tatuapé ganharam prestígio no bairro por oferecem diversos serviços, como academias, supermercados, escolas. faculdades, hospitais, e uma gama de lojas que oferecem os mais diversos produtos e serviços. Daniel cita ainda, que muitos moradores estão transformando suas próprias casas e um empreendimento comerciais . Ele afirma haver dezenas de residências onde as pessoas aproveitam um sobrado, por exemplo, para montar um comércio na parte inferior e morar no segundo andar.

Moacir. O Tatuapé preserva o

A escola que desfila as glórias do Tatuapé Por Nurielly Farias O Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos do Tatuapé foi fundado por uma família, liderados por Osvaldo Vilaça, mais conhecido como 'Mala', fundador e primeiro presidente da escola, no ano de 1952 com o nome de Unidos de Vila Santa Isabel. No

começo a quadra e o barracão da escola localizavam-se na própria Vila Santa Isabel. Funcionando com esse nome por dez anos a escola foi rebatizada devido à mudança de bairro que a família de 'Mala' fez para o Tatuapé, mas exatamente na Rua Antônio de

Barros, ficando conhecida pelo atual nome. “Exatamente na mesma entrada do estacionamento do Shopping Chic, tinha um lugar que antigamente chamávamos de beco... E nesse terreno que era a quadra da escola e ela funcionou lá por muitos anos. Esse passado da escola, foi seu melhor momento”, disse Eduardo dos Santos, atual vice-presidente da escola. Com o falecimento do 'Mala', por volta de 1984, a escola passou por diversos problemas ficando até sem desfilar por quatro anos (1985/1988). Em 1989, o atual presidente Roberto Munhoz reativou a escola. “Quando

uma escola deixa de desfilar, como aconteceu com a Tatuapé, ela encerra suas atividades e precisa começar de novo. O Roberto pegou a escola em 89, na vaga 10, o último grupo que existe para uma escola de samba”, comentou o vice-presidente. O intérprete, o mestre de bateria e os casais de mestre-sala e porta-bandeira são figuras indispensáveis na avenida: “O casal mais famoso de mestre-sala e portabandeira, daquela época antiga, não sei se foi o primeiro, foi a Dona China, que hoje é da Velha Guarda da Vai-Vai e Ivo Brando, já falecido. Esse era um casal

antigo e muito famoso, não só na Tatuapé, mas no samba de São Paulo”, relembra o vice-presidente da escola. Em 2010, a escola desfilou pelo Grupo de Acesso e levou para avenida o enredo “O domingo é especial”, ficando em 6ª colocação. Podemos descrever esta escola de samba com um pequeno trecho deste samba enredo “O som que arrasta multidões, na pista vai te enlouquecer”.

Nurielly Farias/Furos

Editor: Wesley M. Santos Diagramação: Luciano Trindade

FUROS Ano 1 - 1° Edição 2011

Reportagem:

Contatos: WWW.FUROS.COM.BR REDACAO@FUROS.COM (11) 3362 - 2000

Aline Oliveira da Silva Aline Mariane Fernandes Ana Paula Ferreira Carvalho Gabriela Freire Guilherme de Moraes Corrêa Luciano Trindade

Ludimila Honorato Maday Florencio Silva Nurielly Farias Talita Alessandra Tristão Wesley Mesquita dos Santos

Endereço: Rua Taquari n° 155 Mooca - São Paulo - SP

Jornal Furos  

Trabalho realizado para a disciplina de Introdução ao Jornalismo - 1º Ano Projeto Jornal Mural - Universidade São Judas Tadeu

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you