Page 1

Sistemas Integrados de Gest茫o

Anker D. L贸ss


Relembrando... 2. Histórico e evolução dos SAD; 3. Conceitos e características dos SAD. 1.


Quais pontos foram vistos nas aulas anteriores? • • • •

Dado, informação, conhecimento; ERP; E-Business; E-Commerce.


Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=jkdDryKZl_A


Definição • Sistemas de Apoio a Decisão (ou Sistemas de Suporte a Decisão - SSD) são é uma classe de Sistemas de Informação ou Sistemas baseados em Conhecimento. • Refere-se a um modelo genérico de tomada de decisão que analisa um grande número de variáveis para que seja possível o posicionamento a uma determinada questão. • Decisão: escolha entre as alternativas existentes através de estimativas dos pesos destas alternativas. Dessa forma, a função de um SAD é auxiliar nesta escolha gerando estas estimativas, a evolução ou comparação e escolha.


Definição • Não existe um consenso entre os diversos autores sobre a definição exata de um SAD: • Finlay (1994) e outros autores definem o SAD de um modo geral como “um sistema computacional que auxilia o processo de tomada de decisão”; • Turban (1995) define mais especificamente como “um interativo, flexível e adaptável sistema de informação, especialmente desenvolvido para apoiar a solução de um problema gerencial não estruturado para aperfeiçoar a tomada de decisão. Utiliza dados, provê uma interface amigável e permite ao tomador de decisão ter sua própria percepção”; • Para Keen e Scott Morton (1978), um SAD concilia os recursos intelectuais individuais com a capacidade do computador em melhorar a qualidade da decisão (“SAD são sistemas computacionais que apóiam os gerentes tomadores de decisão que são direcionados com problemas semiestruturados”); • Para Sprague e Carlson (1982), SAD são “sistemas computacionais interativos que auxiliam os tomadores de decisão utilizarem dados e modelos solucionados de problemas não-estruturados”.


Definição • Problemas semi-estruturados: envolvem uma combinação de situações onde procedimentos padrões, que não mudam o julgamento individual baseado na experiência, podem ser utilizados para solucioná-los. Como exemplo pode-se mencionar o orçamento para o marketing dos produtos e capital para novos investimentos. • Problemas não-estruturados: evocam processos vagos, pois compõem o quadro de situações complexas, onde a intuição humana é freqüentemente utilizada para tomar tais decisões. A criação de novos serviços, pesquisas e desenvolvimento de projetos para o próximo ano são exemplos desse tipo de decisão.


Histórico • De acordo com Keen e Scott Morton (1978), os conceitos de apoio à tomada de decisão envolvem duas grandes áreas de pesquisa: o estudo teórico da tomada de decisões nas organizações, realizado no Instituto de Tecnologia de Carnegie no fim dos anos 1950 e início dos anos 1960, e os trabalhos técnicos em sistemas computacionais interativos, realizados pelo MIT nos anos 1960; • No início dos anos 1970, SAD tornou-se finalmente uma área de pesquisa, sendo estudado intensamente antes do início dos anos 1980. Em meados e final dos anos 1980, iniciou-se o estudo dos sistemas de informação executiva (EIS), sistemas de apoio à decisão em grupo (GDSS) e sistemas de apoio à decisão organizacionais (ODSS) envolvendo um único usuário;


Histórico • No início dos anos 1990, começaram a surgir a partir do SAD os conceitos de data warehouse e processamento analítico online (OLAP); •Com a virada do milênio aproximando, novas aplicações analíticas baseadas na web foram introduzidas; • Observa-se que o conceito de SAD pertence a um ambiente com fundamentos multidisciplinares, incluindo (mas não se restringindo) pesquisas de banco de dados, inteligência artificial, interação homem-máquina, métodos de simulação, engenharia de software e telecomunicações.


Classificação • Da mesma forma como ocorre com as definições, não há uma classificação de SAD que todos os autores aceitem:


Classificação de acordo com relacionamento com usuário (Hättenschwiller - 1999) • SAD passivo - sistema que auxilia o processo de tomada de decisão, mas não traz explicitamente sugestões ou soluções; • SAD ativo - pode trazer sugestões ou soluções para o problema apresentado; • SAD cooperativo - apresenta para o tomador de decisão (que atua como um conselheiro) as opções de modificar, completar, ou refinar as sugestões apresentadas por outros colaboradores, para que estas sugestões sejam validadas. O sistema realizará a validação das sugestões até que uma solução consolidada seja gerada.


Classificação de acordo com modo de assistência (Power - 2002) • SAD model-driven - enfatiza o acesso e manipulação estatístico, financeiro, otimizado, ou modelo de simulação. Utiliza-se dados e parâmetros providos pelos usuários para assistir a tomada de decisão analisando uma situação; não há necessidade um grande volume de dados; • SAD communication-driven - auxilia mais de uma pessoa trabalhando em tarefas compartilhadas; •SAD data-driven - gerencia, recupera e manipula informações não-estruturadas em uma variedade de formatos de armazenamento; • SAD knowledge-driven - provê especialização na solução do problema através de conhecimentos armazenados como fatos, regras, procedimentos ou estruturas similares;


Classificação de acordo com modo de assistência (Power - 2002) - Continuação • SAD tradeoff-driven - sistema de apoio à decisão (possivelmente colaborativo) que provê a tomada de decisão envolvendo trade-offs entre diferentes vantagens e desvantagens, usando o conhecimento armazenado.


Classificação de acordo com escopo (Power - 1997) • SAD Empresarial - ligado a um grande data warehouse e servidores de muitos gerentes em uma companhia; • SAD Desktop - sistema pequeno que roda para um gerente em um PC.


Arquiteturas • Novamente, não há uma classificação de SAD que todos os autores aceitem:


Arquiteturas - Sprage e Carlson (1982) e Haag at al. (2000) • Identificam 3 componentes principais: • Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) armazena a informação que pode ser: um repositório organizacional tradicional; remoto, com a utilização da internet para acesso; ou personalizado para cada usuário; • Sistema Gerenciador de Modelagem Básica (MBMS) - faz a representação de eventos, fatos ou situações, usando vários tipos de modelos. Dois exemplos são: modelos de otimização e modelos goal-seeking; • Sistema de Geração de Diálogo e Gerenciamento (DGMS) melhora a interatividade do usuário com o sistema.


Arquiteturas – Power (2002) • Identifica 4 componentes principais: • Interface com o usuário; • Banco de Dados; • Modelagem e ferramentas analíticas; • Arquitetura e rede de trabalho de SAD.


Arquiteturas – Hättenschwiler (1999) • Identifica 5 componentes principais: • Usuários com diferentes regras de negócio e funções no processo de tomada de decisão; • Um específico e definido contexto de decisão; • Um sistema objetivo descrevendo as preferências principais; • Uma base de conhecimento que é composta de informações, base de conhecimento, programas administrativos e sistemas geradores de relatórios; • Um trabalho de preparação do ambiente, análise e documentação das alternativas de decisão.


Arquiteturas – Holsapple e Whinston (1996) • Classificam os SAD’s dentro de 6 frameworks: • SAD orientado ao contexto; • SAD orientado ao banco de dados; • SAD orientado à Spreadsheet; • SAD orientado à solução; • SAD orientado às regras de negócio; • SAD complexos • Para eles, um SAD complexo é a classificação mais comum para um SAD, pois é um sistema híbrido e pode incluir duas ou mais das cinco estruturas básicas descritas.


Aplicações • Como exemplos de aplicações de SAD’s, podemos citar: • Sistema de Apoio a Decisão para Diagnósticos Médicos; • Financeira, que verifica o crédito de um solicitador de crédito; • Desenvolvimento agrícola: durante os anos 1980 e 1990, a USAID (Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional) financiou o desenvolvimento de um SAD que tem aumentado a qualidade em sistemas de produção agrícola em todo o mundo, facilitando a tomada de decisão em fazendas; • Sistema Nacional de Ferrovias do Canadá - com testes nos equipamentos utilizando o SAD. Um problema encontrado em qualquer ferrovia está no desencaixe ou defeitos nos trilhos, que podem causar centenas de descarrilamentos por ano. Com um SAD, a CN verificou a redução dos incidentes de descarrilamentos no mesmo período em que outras companhias tiveram um expressivo aumento.


Aplicações - Continuação • Como exemplos de aplicações de SAD’s, podemos citar: • Sistema de Apoio a Decisão para Riscos Cirúrgicos - avalia tanto o risco cardiológico e risco pulmonar como outros, facilitando a elaboração do laudo pré-operatório para o clínico ou cardiologista. O Risco Cirúrgico MED é um software que permite a padronização deste procedimento médico. Utilizando as tabelas de EMAPO, ACP (American College Physicians), Goldman, ASA, Detsky, Larsen e Lee, possibilita uma rápida emissão do laudo de risco cirúrgico sendo este completamente customizado.


Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=tuKfGnoPA2I


Quais pontos foram vistos nesta aula? • •

Histórico e evolução dos SAD; Conceitos e características dos SAD.


Sistemas Integrados de Gest茫o

Anker D. L贸ss


Aula 18 sistema de apoio a decisão  
Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you