Page 1

Edição nº13 | 2017

ELEIÇÕES APM 2017 Regional Taubaté elege novos membros para gestão 2017 - 2020

HEMONÚCLEO

EDUCAÇÃO

50 ANOS FMT

Órgão retoma atividades em Taubaté

Governo anuncia 11 cursos de Medicina no país

Faculdade comemora cinquentenário com festa


ÍNDICE

Fachada da sede Regional Taubaté Foto: Interativa Mix

4

EDITORIAL

6

OPINIÃO

7

REGIONAL CAMPOS DO JORDÃO

Dr. Camillo Soubhia Junior Dr. Paulo Pereira Dr. Nelson Guimarães Proença

9 SERVIÇOS 10 CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL 12 POLÍTICA 14 EMPREENDIMENTO 16 CAPA 18 CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA Dra. Silvana Morandini

19

Rua Engenheiro Fernando de Mattos, 134 Centro - Taubaté /SP (12) 3632.3818 E-mail: taubate@apm.org.br Site: apmtaubate.com.br Facebook: APM-Taubaté_Oficial Instagram: @apmtaubate

COLUNA DO LEITOR

DIRETORIA Presidente: Dr. Camillo Soubhia Junior Vice-presidente: Dr. Auro Fábio Bornia Ortega 1º Secretário: Dr. Oscar Cesar Pires 2º Secretário: Dra. Luciana da Cruz Noia 1º Tesoureiro: Dr. Marcos Roberto Martins 2º Tesoureiro: Dr. Ronaldo Abraham Diretor Científico e Cultural: Dr. Flavio Luiz Lima Salgado Diretor Social: Dr. José Paulo Pereira Delegado: Dr. Izac Alessandro B. de Souza

CONSELHO FISCAL Titular: Dr. Maria Teresa Torres Frota Titular: Dr. Pedro José Chiavegatto da Silva Titular: Dr. Jorge Miguel Kather Neto Suplente: Dr. Milton Gauch Suplente: Dr. Antônio Javier Salan Marcos Suplente: Dr. Ailton Augustinho Marchi

Dr. Renan Gerbelli Canever

20 REGIONAL SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Dr. Sérgio dos Passos Ramos

22 DIRETÓRIO ACADÊMICO BENEDICTO MONTENEGRO

EXPEDIENTE Secretária APM: Denizi Morais Jornalista responsável: Ana Cláudia Bohler/ MTB: 57.484 Designer: Aline Gonzaga de Campos

24 EDUCAÇÃO 27 EVENTO 28 COLUNA SOCIAL 31 TELEVISÃO

Esclarece-se que as colunas assinadas nesta publicação não condizem, necessariamente, com a opinião da diretoria da APM. Desta forma, fica registrado que as opiniões emitidas nos referidos textos são de exclusiva responsabilidade dos autores.

32 LITERATURA 32 HUMOR 33 DIVULGAÇÃO CLUBE DE BENEFÍCIOS

Periodicidade: Bimestral Tiragem: 600 exemplares Circulação: Vale do Paraíba, Serra da Mantiqueira e Litoral Norte | SP Impressão: Resolução Gráfica - Taubaté | SP

3


EDITORIAL

Foto: Box Criativo

Sobre as Eleições APM 2017

Por: Dr. Camillo Soubhia Junior Presidente APM Regional Taubaté

F

inalmente encerradas as Eleições para as novas diretorias da APM-SP e Regionais. Em São Paulo, foi vencedora a “Chapa 1”, situação, liderada pelo Dr. José Luis Gomes do Amaral, colega reconhecido pela capacidade de liderança e experiência administrativa. O presidente eleito contou com o nosso apoio, e juntos continuaremos em busca de melhores condições de trabalho para a nossa classe. Depois da divulgação maciça pelo e-mail, site e pelas redes sociais, todos os associados da APM tomaram conhecimento do desentendimento havido entre a APM-SP e AMB. O fato é que, pelo Estatuto da AMB, somente as Federadas estão incumbidas de realizar as Eleições e encaminhar o resultado para a AMB. Porém, a AMB, sem prévio consentimento ou fato legal que a permitisse, decidiu realizar as Eleições para renovação da diretoria. Deu no que deu! Houve confusão para muitos associados, os quais acabaram

4

votando através da senha eletrônica da AMB, mesmo com os seguidos avisos da APM para votarem somente através dos canais da Associação Paulista de Medicina. Mas, e o resultado final? Nas apurações realizadas pelas Federadas – entenda-se APM-SP em nosso Estado –, o Dr. Jurandir Ribas saiu vencedor legítimo com maior número de votos. Na apuração realizada pela AMB, em sua sede, quem ganhou foi o Dr. Lincoln Lopes Ferreira. Diante desta inconsistência, a APM-SP impetrou uma liminar deixando a cargo da Justiça a decisão de quem seria empossado. Em São Paulo, saiu o resultado da Justiça. A limitar impetrada pela APM-SP deu parecer favorável à Associação Paulista de Medicina, julgando ser procedente a alegação de que somente as Federadas poderiam realizar as Eleições. Diante disso, o grande vencedor do pleito foi o Dr. Jurandir Ribas, candidato apoiado pela maioria dos sócios deste Estado e dos demais Federados.

Agora que já sabemos o resultado, cabe à nova diretoria apaziguar os ânimos e tentar uma reconciliação entre as entidades médicas. Afinal, em nossa classe pode haver distintas ideias e tendências, porém, não existem inimigos. Temos que focar na luta contra aqueles que querem subjugar a categoria médica em proveito próprio. Em Taubaté, a chapa única inscrita, “Defesa da classe”, foi eleita. Aqui, continuaremos os nossos esforços pela valorização do trabalho médico e pela promoção de melhores benefícios aos nossos associados. Por fim, guardem o dia 20 de outubro! Nesta data, realizaremos o tradicional Baile em comemoração ao Dia do Médico. Venham reencontrar os amigos e se divertir num ambiente alegre, festivo e requintado. O nosso convite é extensivo a todos os médicos de Taubaté e região. Saúde!


5


OPINIÃO

Foto: Raquel Marques

Especialistas Por: Dr. Paulo Pereira Diretor Social APM Regional Taubaté

T

empos atrás, era muito difícil se formar médico.

Poucas faculdades desestimulavam muita gente que, por ventura, tivesse alguma vocação para a profissão. Venciam os mais arrojados e os mais abnegados, sem contar, também, aqueles que desfrutavam de condição socioeconômica mais segura, capaz de sustentar um filho morando em capitais, onde houvesse escolas médicas. Cidades menores, populações pequenas, com condições de desfrutar de poucos profissionais, sem maiores ambições de possuir grandes estruturas. Por isso, ter um médico já era uma grande fortuna, satisfazendo os desejos dos cidadãos e dos gestores de saúde. Assim era, e o Doutor era único ou um dos poucos, sendo obrigado a atender a todas as demandas, nas circunstâncias mais variadas. O Doutor sabia Medicina e a população precisava do médico. Pronto! Não havia especialidades. Um colega exercendo suas tarefas numa cidade pequena fazia partos, pequenas cirurgias, atendia crianças, engessava braços quebrados, curava infecções e dava

6

calmantes para os mais agitados. E tudo era muito bem feito, satisfazendo quem recebia o atendimento e dando prazer a quem atendia, havendo reconhecimento pelo trabalho executado. As exigências eram menores e uma possível falha era entendida como natural, dificilmente havendo uma reclamação alegando “erro médico”. Exemplificando com coisas que presenciei, me lembro de uma placa na casa onde morava o Dr. Gil Ferreira da Motta, na Rua Visconde do Rio Branco, em Taubaté. Sim, na casa, onde geralmente também funcionava o consultório. Uma placa arredondada mostrava o nome do colega, e abaixo dizia: “Clínica Geral. Adultos e crianças. Partos.”. Dr. Gil era requisitado por tudo o que anunciava e se saía muito bem em todas as modalidades. Acabou a carreira como Anestesista. Dr. Cembranelli era Oftalmologista de formação, mas seu consultório era cheio de crianças e gestantes. Ademais, era considerado o maior Cirurgião Geral de seu tempo. Foi ele quem deu nome à nossa Medicina, transformando Taubaté em referência para a região. Há a história de uma cirurgia em que fez rafia num coração que fora ferido por uma arma. Isso em 1948, com o paciente vivendo normalmente por toda a sua vida e

falecendo por velhice, muitos anos depois. Os parentes estão aí para confirmar esta informação. Dr. Patto era Tisiologista e Radiologista. Dr. Urbano Figueira era um Clínico que, por sua iniciativa, foi à França e trouxe para a região a prática do Pneumotórax, usada para tratamento da Tuberculose pulmonar. Acreditem, não havia antibióticos e o tratamento era realizado em regiões de serra, com clima frio e, nos casos mais graves, pneumotórax. Depois foram chegando os Ortopedistas, os Otorrinos, os Oftalmos suprindo as maiores dificuldades, nas coisas mais específicas. Hoje, está tudo muitíssimo diferente! Um Ortopedista do joelho, outro da coluna, outro do cotovelo, havendo quem brinque que há alguns que só tratam do dedo mindinho do pé esquerdo. Os tempos são outros e o que passou virou história que, quando contada num grupo de estudantes ou recém-formados, parecem inacreditáveis. Quanto a julgar em qual tempo era melhor ou pior, fica a critério de cada um.


Crise? Vamos às raízes! Por: Dr. Nelson Guimarães Proença

Foto: Reprodução

REGIONAL CAMPOS DO JORDÃO

Diretor Científico Associação Médica Jordanense Membro da Academia de Medicina de São Paulo Ex-Presidente da APM e da AMB

— Cuidado, ele é muito radical”.

Quando um País está bem estruturado. Quando Instituições estão funcionando bem e contemplam, por igual, todo o povo que compõe a Nação. Quando a Constituição que rege as relações entre os seres humanos que aí vivem não faz distinção entre eles, a todos assegura mesmos direitos e deveres. Quando tudo isto é verdadeiro, a advertência procede: “— Cuidado com os radicais, podem destruir o que temos”. Mas quando se pretendia criar uma Nação Democrática e os alicerces estão mal estruturados, então é preciso ir mais ao fundo, às origens dos problemas. Este é o desafio que atualmente enfrentamos em nosso Brasil. Há urgente necessidade de irmos às raízes para resolver os problemas que estão diante de nós e que atualmente tanto nos preocupam. Descer em busca das raízes dos problemas, ainda que isso custe sermos considerados radicais. Vamos lá então, vamos ser todos radicais, vamos encontrar as origens dos problemas atuais e lançar novas raízes para melhor alicerçar as nossas Instituições. Encontrar as raízes que melhor assegurem e garantam a criação de uma Nação Democrática Igualitária.

Por onde começar? São tantas as distorções a serem eliminadas, tantas as desigualdades e os vícios que tornaram a Nação desigual para todos, que não é tarefa fácil identificar por onde iniciar. Todos precisam e devem dar sua contribuição. Contribuo agora - modestamente - para a discussão, destacando duas questões que me parecem fundamentais, preliminares, que precisam ser postas em debate. A primeira. Temos de reconhecer que em 1988 não foi promulgada a Constituição que queríamos, aquela que iria fundamentar a República Democrática Brasileira. O que se aprovou foi uma Constituição que consagrou a República Corporativa do Brasil. Em seu texto foram incluídos numerosos dispositivos que privilegiaram determinados setores profissionais, não por acaso os que souberam melhor se organizar e atuar junto à Assembleia Nacional Constituinte. Sim, foram premiados os que estavam mais bem organizados e atuantes. Seus privilégios terão de ser eternamente mantidos pelo trabalho da enorme maioria do povo. Procurando não ser tão exclusivista, a Assembleia Nacional Constituinte deixou abertas as portas para que outros Setores Corporativos pudessem obter PEC (Proposta de Emenda Constitucional) ou mesmo leis comuns, que os incluíssem dentre os privilegiados. Tudo, então, ficou mais fácil. Todos

deveriam aceitar os privilégios já incluídos na Constituição porque estava prevista a possibilidade de cada setor melhor organizado sabendo pressionar - ser também privilegiado, obtendo vantagens somente para si. Como ficou a imensa maioria do povo, formada pelos mais fracos, os socialmente desprotegidos? Com o correr dos anos foram sendo criados programas assistenciais de distribuição mensal de pequenas quantias, que atendessem necessidades básicas, assegurando a sua sobrevivência. Hoje chegamos à encruzilhada: vamos continuar mantendo privilégios, vamos continuar silenciando os não privilegiados, distribuindo Bolsas? Ou vamos rever tudo? Para mim é óbvio qual o caminho. Privilégios precisam acabar. E para isso, é hora, sim, de sermos radicais. Temos de ser radicais. É preciso exigir que o nosso País faça a substituição da República Corporativa do Brasil pela República Democrática Brasileira. Convocar uma nova Constituinte? Que seja convocada! O quando e o como é uma questão em aberto, precisa ser melhor discutida. Outra questão, importantíssima, igualmente essencial, que até precede a convocação da Constituinte.

7


Trata-se da Reforma Política. No Brasil de hoje há uma profunda distorção do que seja a representação popular. Desde a antiga Grécia, o “Polis” - o povo - propunha a escolha direta de seus representantes, daqueles que em seu nome iriam tomar decisões. Daí a “Política”. Seriam alguns realmente representando o Polis, falando em nome de todos. O que temos hoje no Brasil?

As pesquisas de opinião pública acabam de revelar que 95% da população considera os políticos corruptos, não se sentindo por eles representada. Por que? Porque no Brasil, o que temos hoje é o predomínio da figura do “político profissional”, daquele que retira da Política tudo o que é necessário para construir o seu patrimônio pessoal. O “político profissional” está sempre agindo, negociando, intercedendo, desviando recursos, tendo em vista isso

mesmo, o seu patrimônio pessoal. Não é preciso dar exemplos e detalhar esta afirmação, a “Operação Lava Jato” e a Imprensa disso se incumbem, diariamente. Também aqui temos de ser radicais. É preciso acabar com este falso profissionalismo. Qual a reforma política a fazer? Como mudar? Bem, isso já é tema para outra discussão, tentarei também sobre ele expressar minha opinião. De modo radical.

Projeto ATUALIZE

EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA

O Projeto ATUALIZE continua cumprindo a sua proposta, desta vez realizando os trabalhos correspondentes ao ano de 2017. A Associação Médica Jordanense / Regional APM, em parceria com a Faculdade de Medicina da Universidade de Taubaté, a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, a Associação Paulista de Medicina, e a Sociedade Beneficente São Camilo, organizou o Projeto ATUALIZE com o programa abaixo. Convidamos os colegas a virem participar conosco.

TAXAS:

Associação AMJ e contratados PSF/Campos do Jordão são isentos de pagamento Programa anual: R$200,00 Programa semestral: R$120,00 Inscrições por jornada: R$40,00

8

16/09 - METABOLISMO E ENDOCRINOLOGIA

Nutrição Enteral e Parenteral Vitamina D: Mitos e Verdades Prof. Sergio Alberto Rupp de Paiva

2017

18 /11 - CIRURGIA

Colecistite: Diagnóstico, Conduta e Complicações Pancreatite: Diagnóstico, Conduta e Complicações Prof. Deonir Lencione

21/10 - PSIQUIATRIA

Depressão, Ansiedade e Somatização na Clínica Geral Profª. Sandra Lúcia Correia Lima Fortes Dor Crônica e outras Condições Neurofuncionais Prof. Manoel Jacobsen Teixeira

Local das Jornadas: Auditório do Hospital São Camilo Informações: (12) 3664-3705


SERVIÇOS

Após quatro meses de recesso, o Núcleo de Hemoterapia de Taubaté, também conhecido como Hemonúcleo, retomou as atividades de coleta de sangue no início de agosto. Desde 2011, o Hemonúcleo de Taubaté era gerido pela UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas). Em março de 2017, por questões administrativas, a instituição repassou a responsabilidade do Hemonúcleo à Secretaria Estadual de Saúde, a qual firmou um novo contrato com o Hemocentro de Ribeirão Preto, vinculado à USP (Universidade de São Paulo). Até que a nova gestão assumisse a unidade, uma Central de Distribuição foi implantada a fim de fornecer hemocomponentes para os hospitais de Taubaté e região. Esta Central era abastecida por quatro Hemocentros do Estado de São Paulo: Hemocentro de Ribeirão Preto, Hemocentro de Campinas, Fundação Pró-Sangue e Colsan. Já sob a tutela do Hemocentro de Ribeirão Preto, a unidade de

Taubaté foi realocada para uma nova sede, onde estabeleceu uma estrutura capaz de cumprir os ciclos de captação e triagem de doadores, coleta de bolsas de sangue, processamento de sangue, imuno-hematologia de doadores, armazenamento e distribuição de hemocomponentes, imuno-hematologia especializada, além de atendimento aos pacientes hematológicos específicos. A unidade também atende pacientes com hemoglobinopatias e pessoas que necessitam de transfusão ambulatorial. O local recebeu um investimento de R$ 1,6 milhão, oriundos do Governo Estadual, e se localiza na Avenida Inglaterra, nº 190, no bairro Jardim das Nações. Anteriormente, o Hemonúcleo funcionava na Rua Joaquim Távora, atrás do Hospital Universitário. Segundo o órgão, 31 funcionários atuam no lugar, os quais foram contratados através de um processo seletivo. Novas admissões serão realizadas caso haja necessidade do aumento de recursos humanos. Atualmente, 25 hospitais do Vale do

O local recebeu um investimento de R$ 1,6 milhão, oriundo do Governo Estadual, e conta com o apoio de 31 funcionários

Fotos: Ana Cláudia Bohler

Hemonúcleo retoma atividades em Taubaté

O órgão precisa do auxílio da população, através da doação de sangue, para manter a estocagem que atende 25 hospitais da região

Paraíba e do Litoral Norte recebem hemocomponentes enviados pelo Hemonúcleo de Taubaté. De acordo com a funcionária responsável pela Captação de Doadores, Viviane Rezende, o estoque atual está preparado para atender as demandas da região, porém, a estocagem somente consegue ser mantida se o fluxo de doadores for permanente. O Hemonúcleo reforça o pedido de apoio à população para cadastramento de novos doadores, além do comparecimento à unidade para doação de sangue. “Todos os tipos sanguíneos são necessários, mas a nossa maior dificuldade é na captação dos tipos Rh negativos”, esclarece Viviane. As coletas acontecem de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h. Aos sábados, das 9h às 12h.

A nova sede do Hemonúcleo se encontra na Av. Inglaterra, no bairro Jardim das Nações

Para informações, o telefone de contato é: 3624-4769.

9


CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL

Novos médicos tomam posse de carteira profissional Em cerimônia solene realizada na noite do dia 21 de agosto, uma nova geração de médicos foi contemplada com o recebimento da carteira profissional.

reu sobre a importância da filiação a um órgão representativo da classe, além da necessidade do cumprimento da ética médica no exercício da profissão.

Sediado no auditório da APM Taubaté, o evento foi presidido pelo Dr. Alvaro de Faria Pereira, delegado superintendente do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp). O orador discursou sobre a relação médico-paciente e alertou os jovens acadêmicos sobre a importância da integridade na elaboração do Atestado Médico e do Prontuário Médico.

Em companhia dos familiares, os 35 recém-formados que estavam presentes na ocasião assistiram a encenação do Hino Nacional e a exibição de um vídeo institucional do Cremesp. Ao final, declamaram o Juramento de Hipócrates e receberam os documentos de carteira profissional e Código de Ética Médica.

Também compareceu à solenidade o presidente regional da APM, Dr. Camillo Soubhia Junior. O médico discor-

Ao lado, conheça quatro médicos que acabaram de adquirir o registro profissional. Saiba os anseios despertados em cada um deles através do sonho da carreira médica:

“Sempre quis a Medicina. Desde a infância dizia que queria ser médica e hoje eu adoro a minha profissão. Atualmente, trabalho como Clínica Geral em Campos do Jordão, mas pretendo ingressar na residência para Oftalmologia”. Maria Vitória Cozzi Cartagena 25 anos Graduada pelo Centro Universitário de Volta Redonda (UNIFOA) “A princípio, formei-me em Matemática, trabalhei na área por um tempo, mas sempre tive interesse pela Medicina. Com o apoio da minha mãe, consegui ingressar na faculdade. Na faculdade conquistei o diploma, mas é através desta cerimônia que estou adquirindo o documento que dará início à minha carreira profissional”. Diego Dias Machado Guimarães 32 anos Graduado pela Universidade Federal do Ceará “Faço residência em Clínica Médica e trabalho em São José dos Campos. Para mim, é um privilégio estar aqui na companhia dos meus pais, que fizeram parte desta história. Este registro profissional certifica o meu sonho de atuar na Medicina”.

Dr. Alvaro de Faria Pereira, Delegado Superintendente do Cremesp, discursou sobre cautela e integridade no exercício da Medicina

Fotos: Ana Cláudia Bohler

“Estar nesta cerimônia é ter a sensação de dever cumprido. Depois de tanto tempo estudando, agora estou aqui adquirindo este documen- to oficial. Meu próximo passo é ingressar na residência para Cirurgia Geral”.

Auditório lotado! 35 médicos recebem carteira profissional acompanhados de familiares

10

Rebeca Nogueira 26 anos Graduada pela Faculdade de Medicina de Taubaté (UNITAU)

Tiago Giaj Levra Vandaleti 25 anos Graduado pela Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS)


Quality Cancer Care: Recognizing Excellence GIA

O DE ITUT

INST

OLO ONC

DO

VALE

INSTITUTO DE ONCOLOGIA DO VALE


POLÍTICA

Em visita à APM, Prefeito Ortiz Junior presta esclarecimentos sobre municipalização do Hospital Universitário

Em 2013, devido a problemas financeiros, a Universidade de Taubaté (UNITAU) transferiu o comando do Hospital Universitário para o Governo do Estado de São Paulo. Por meio de um Termo de Convênio, a FUST (Fundação Universitária de Saúde de Taubaté) deixou de administrar a unidade e a repassou para Sociedade Beneficente São Camilo, entidade que já geria o Hospital Regional do Vale do Paraíba, também localizado em Taubaté. Esta gestão unificada permitiu a concretização de um projeto do Governo Estadual para implantação do Complexo Hospitalar do Vale do Paraíba. Em setembro de 2017, chegará ao fim o convênio firmado entre a UNITAU e o Governo do Estado. Entretanto, o acordo poderá ser prorrogado por mais seis meses.

12

Fotos: Ana Cláudia Bohler

Um polêmico assunto tem percorrido os corredores dos hospitais e afligido os profissionais de Saúde de Taubaté: o futuro administrativo do Hospital Universitário (HU). Especulações surgem a respeito da proposta de municipalização da unidade, da manutenção do seu corpo de funcionários, assim como da continuidade das atividades letivas da Faculdade de Medicina em suas instalações. Com o intuito de esclarecer o assunto e responder as dúvidas dos médicos da cidade, o Excelentíssimo Prefeito Municipal, Ortiz Junior (PSDB), participou de uma reunião na sede da APM Taubaté na noite do dia 31 de agosto. APM Taubaté recebe representantes do Poder Executivo Municipal para discutir proposta de municipalização do Hospital Universitário

Em meio a esta situação, a Prefeitura de Taubaté estabeleceu diversos diálogos com o Governo Estadual, manifestando interesse pela retomada da gestão do HU. Durante o encontro realizado na APM Taubaté, Ortiz Junior informou que a Prefeitura tem condições de investir na área da Saúde e assumir a administração do Hospital Universitário, promovendo, então, a municipalização da unidade. “A única forma que encontramos para dar este passo foi elaborar uma legislação no município que autorizasse a contratação de uma OS (*Organização de Saúde). O projeto foi aprovado com unanimidade pela Câmara. A etapa seguinte foi equilibrar as contas da Prefeitura para fazer esta transição e, em seguida, pro-

gramar a assunção”, esclareceu. Ainda na ocasião, o Prefeito fez um panorama sobre a saúde pública em Taubaté, ressaltando as dificuldades enfrentadas pelo Pronto Socorro Municipal (PS) diante da falta de leitos hospitalares na cidade. O Chefe do Executivo deixou clara a intenção de “desafogar” os atendimentos no PS através do remanejamento das vagas no HU. “Se existe um prédio que pertence à população de Taubaté por meio da Universidade, que é uma autarquia municipal, porém os taubateanos não conseguem encontrar leitos de Clinica Médica e nem cirurgias de baixa e média complexidade porque o Estado tem que atender a toda uma região, me desculpem,


Dr. João Ebram Neto (à esq.) Dr. Camillo Soubhia Junior (ao centro) Sr. Ortiz Junior (à dir.)

mas o meu papel como gestor municipal é resolver este problema”, desabafou. Em apoio ao pronunciamento do Prefeito, o Secretário Municipal de Saúde, Dr. João Ebram Neto, complementou: “A estrutura do Hospital Universitário permaneceria a mesma com a regulação do Sistema CROSS (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde) e DRS (Departamento Regional de Saúde) Estado”. Em continuidade, Ortiz Junior mencionou as obras que estão sendo realizadas nas antigas instalações do Hemonúcleo, situado atrás do Hospital Universitário. Segundo ele, R$ 2 milhões estão sendo investidos na implantação de 30 novos leitos de Clínica Médica e 10 novos leitos de UTI, os quais deverão ser inaugurados até o final do ano e trarão retaguarda para a demanda do Pronto Socorro. Outro tema bastante debatido na reunião foi o futuro dos recursos humanos do Hospital Universitário, caso a municipalização fosse oficializada. Ortiz Junior garantiu que todos os profissionais, dos mais diversos segmentos, permaneceriam atuando na unidade.

Na ocasião, profissionais de Medicina puderam fazer questionamentos diversos ao Prefeito e ao Secretário de Saúde

Porém, em obediência à Legislação, uma licitação pública teria que ser instaurada para a escolha de uma Organização de Saúde que administrasse o HU. “Neste chamamento publico, que deverá ocorrer no fim do ano, haverá a possibilidade de todas as Organizações de Saúde participarem, desde que tenham o atestado. Se ganhar a licitação a mesma empresa (*São Camilo), todos os funcionários continuarão com o vínculo empregatício. Se for outra a vencedora, rescindirão o vínculo e se recontratarão os mesmos profissionais”, elucidou.

de Taubaté, comentou o assunto. “Nós já tínhamos discutido o conceito de municipalidade com o senhor Prefeito, em outra ocasião. Enquanto Diretor do Departamento de Medicina da UNITAU, digo que a manutenção da questão pedagógica é o nosso escopo. Do ponto de vista assistencial, vejo que por estarmos em Taubaté, a nossa comunidade tem que ser privilegiada. Nós, médicos, somos abertos a atender a todos, mas diante de uma situação de crise de leitos é preciso escolher prioridades”, relatou.

Com relação aos professores que trabalham no local, o Prefeito alegou que continuariam lecionando aulas todos aqueles que possuíssem duplo vínculo com a Universidade, prestadora de serviço ou gestora.

No decorrer da noite, os médicos presentes ainda puderam indagar o Chefe do Executivo sobre assuntos diversos pertinentes ao HU.

O Prefeito também garantiu que o corpo discente da UNITAU não seria prejudicado com a municipalização do HU. “Apesar de municipalizado, o HU continuará sendo um hospital universitário com salas de aula para o curso de Medicina e estrutura dedicada à Residência Médica”, afirmou. Presente na reunião, Dr. Xenofonte Mazzini, Diretor do Departamento de Medicina da Universidade

A Associação Paulista de Medicina – Regional Taubaté agradece ao Exmo. Prefeito Municipal e ao Secretário de Saúde pelo comparecimento à sede da entidade, respondendo questionamentos e elucidando a classe médica sobre a proposta de municipalização do Hospital Universitário, berço de formação e atuação de muitos profissionais de Medicina de Taubaté e região. Também agradecemos a todos os colegas que se dispuseram a prestigiar este importante evento.

13


EMPREENDIMENTO

Vale e Litoral Norte abrigarão dois novos Hospitais Regionais até o final de 2018 Em 2018, dois novos empreendimentos da área da Saúde contemplarão os habitantes da nossa região.

Projeção do futuro Hospital Regional de São José dos Campos, localizado no Parque Industrial da cidade

Uma intensa discussão foi estabelecida a respeito da regulação das vagas. Sobre isso, o Governador Geraldo Alckmin (PSDB) foi enfático ao dizer que os leitos serão, basicamente, destinados aos joseenses: “Os atendimentos serão majoritariamente para São José porque é a cidade maior, mas as vagas serão

Foto: Divulgação Secretaria de Saúde do Estado

A unidade, que receberá a certificação de Qualidade Nacional e Internacional, abrigará 178 leitos médicos, sendo 44 de UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), além de nove salas cirúrgicas, serviço de apoio diagnóstico por imagem, endoscopia e terapia. Com um investimento de R$217,1 milhões, a obra é executada por meio de uma PPP (Parceria Público-Provada) com a empreiteira Construcap. O complexo deverá ser inaugurado em março do próximo ano, no bairro Parque Industrial, Zona Sul da cidade.

Foto: Divulgação

O primeiro deles, o Hospital Regional de São José dos Campos, será referência para os municípios da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e do Alto Tietê. A unidade atenderá casos de média e alta complexidade em áreas como cardiologia, neurocirurgia, ortopedia, traumatologia e especialidades relacionadas.

Já o segundo empreendimento, o Hospital Regional de Caraguatatuba, é esperado para novembro de 2018. O novo hospital terá 186 leitos, sendo 40 de UTI, e fornecerá atendimento de alta complexidade aos moradores do Litoral Norte. A unidade também servirá de respaldo para a temporada de verão, período em que a demanda de turistas aumenta. Da verba investida, 70% é proveniente de um empréstimo do BID (Banco Internacional de Desenvolvimento) e os outros 30% são oriundos do Tesouro do Estado.

Fachada proposta para o Hospital Regional de Caraguatatuba, que deverá atender a demanda do Litoral Norte

14

também para as cidades do entorno”, explicou.

Ambas iniciativas ampliarão a capacidade de assistência médica no Vale e no Litoral Norte, e complementarão os atendimentos que vêm sendo realizados pelo Hospital Regional de Taubaté e unidades auxiliares.


15


CAPA

ELEIÇÕES APM 2017 Regional Taubaté elege novos membros para gestão 2017 - 2020 O presidente reeleito, Dr. Camillo Soubhia Junior, declarou que o empenho da equipe será redobrado no fortalecimento da Associação Paulista de Medicina e na luta pelos direitos da categoria médica. “Os nossos esforços continuarão sendo dedicados à valorização da atividade médica nos âmbitos público e privado, e à representação dos interesses médicos”, manifestou.

No dia 31 de agosto, em horário comercial, a sede da Regional Taubaté esteve de portas abertas para receber os afiliados que se dispuseram a participar do processo eleitoral.

Ainda segundo o médico, alguns dos principais propósitos fomentados para a gestão dos próximos três anos são a instituição de uma entidade mais moderna, dinâmica e representativa, além da ampliação dos serviços e benefícios oferecidos aos associados.

A única chapa inscrita, intitulada “Defesa da classe”, foi eleita. A apuração aconteceu às 18h30 do dia 31, na sede da entidade.

A APM Taubaté registra agradecimento a todos os associados que participaram da votação, e reitera o compromisso de defender a classe

médica e agregar melhorias aos serviços prestados aos profissionais de Taubaté e região.

Fotos: Ana Cláudia Bohler

Há cerca de dois meses, os canais de comunicação da APM Taubaté realizaram uma intensa campanha de divulgação das “Eleições 2017” da entidade. Cartazes impressos, e-mails marketing, publicações no site e postagens nas redes sociais Facebook e Instagram tiveram o objetivo de informar a comunidade médica sobre o pleito e mobilizar os membros associados para a votação.

Dr. Camillo Soubhia Junior, reeleito presidente da APM Taubaté

Saiba quais são os membros que compõem a nova gestão: DIRETORIA Presidente: Dr. Camillo Soubhia Junior Vice-presidente: Dr. Auro Fábio Bornia Ortega 1º Secretário: Dr. Oscar Cesar Pires 2º Secretário: Dra. Luciana da Cruz Noia 1º Tesoureiro: Dr. Marcos Roberto Martins 2º Tesoureiro: Dr. Ronaldo Abraham Diretor Científico e Cultural: Dr. Flavio Luiz Lima Salgado Diretor Social: Dr. José Paulo Pereira Delegado: Dr. Izac Alessandro Batista de Souza CONSELHO FISCAL Titular: Dra. Maria Teresa Torres Frota Titular: Dr. Pedro José Chiavegatto da Silva Titular: Dr. Jorge Miguel Kather Neto Suplente: Dr. Milton Gauch Suplente: Dr. Antônio Javier Salan Marcos Suplente: Dr. Ailton Augustinho Marchi

16

Parte da equipe que compõe a gestão 2017 - 2020 da APM Taubaté


ELEIÇÕES APM / AMB

O processo eleitoral ocorreu eletronicamente, pelo sistema Eleiçãonet da empresa Incorp Technology, das 9h de 21 de agosto às 18h30 de 31 de agosto; e por correspondência, sendo válidos os votos recepcionados na Caixa Postal oficial do processo até às 17 horas do dia 31 de agosto. A apuração foi concluída às 9h45 do dia 1º de setembro, com a presença de integrantes da Comissão Eleitoral, da Secretaria Geral da APM, dos candidatos à presidência e fiscais das duas chapas e da assessoria jurídica da APM, além do apoio operacional da Associação, e acompanhada pela KPMG.

Fotos: Reprodução

A Chapa 1 – “APM para os Médicos”, liderada pelo ex-presidente da Associação Paulista de Medicina, José Luiz Gomes do Amaral, venceu o processo eleitoral para definição da próxima diretoria, conselho fiscal e delegados da capital para a gestão 2017 - 2020 da entidade, com 65,28% (4.694) dos votos válidos, contra 2.496 votos dos válidos da Chapa 2 – “Aliança para renovar”.

Dr. José Luiz Gomes do Amaral, vencedor das Eleições APM São Paulo

Para o pleito da Associação Médica Brasileira, os médicos consagraram Jurandir Marcondes Ribas Filho como presidente para o triênio 2017 – 2020. Jurandir Ribas, da Chapa 2 – “AMB para os Médicos”, de oposição, obteve um total de 5.862 votos. Venceu com vantagem em São Paulo (APM) e Brasília (AMBr), dois estados em que o pleito foi realizado rigorosamente de acordo com Estatuto Social e Regimento Eleitoral da Associação Médica Brasileira, que prevê a condução do processo eleitoral pelas próprias Federadas. Em Federadas cujas eleições foram controladas pela AMB, como ES, PR e SC, os médicos que votaram também indicaram preferência por Jurandir Ribas. Dr. Jurandir Marcondes Ribas Filho, consagrado presidente da AMB

Fonte: APM São Paulo

17


Foto: Reprodução

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREMESP

Prontuário médico Por: Dra. Silvana Morandini

Conselheira do CREMESP Diretora Segunda Secretária Coordenadora da Câmara Técnica de Reprodução assistida

H

oje vamos falar sobre uma frequente infração ética e que, na maioria das vezes no julgamento, o médico é penalizado: deixar de elaborar prontuário médico para cada paciente ou fazê-lo de forma ilegível. O prontuário médico é um instrumento valioso para o paciente, para o médico e demais profissionais de saúde, além da instituição que o atende, bem como para o ensino, pesquisa, elaboração de censos, propostas de assistência à saúde pública e para a avaliação da qualidade da assistência médica prestada. O prontuário médico, na verdade é o prontuário do paciente, é formado pelo conjunto de documentos padronizados, destinados ao registro de todas as informações referentes aos cuidados médicos e paramédicos prestados ao paciente. As anotações no prontuário, ou ficha clínica, devem ser feitas de forma legível, permitindo, inclusive, identificar os profissionais de saúde envolvidos no cuidado ao paciente. Além disso, o médico está obrigado a assinar e carimbar ou, então, assinar, escrever seu nome legível e sua respectiva inscrição no CRM. Os documentos gerados no pronto-socorro e no ambulatório deverão ser arquivados junto com o prontuário em caso de internação hospitalar, posto que os atendimentos feitos neste setor devem ser regis-

18

trados com anamnese, diagnóstico e resultados de exames laboratoriais, se porventura efetuados, terapêutica prescrita e executada, bem como a evolução e alta. O prontuário não deverá ser escrito a lápis, não deverá ser rasurado, e muito menos corrigido com liquido corretor “branquinho”, nem deixar folhas em branco. Nas folhas onde existam anotações multidisciplinares, aconselha-se sempre que os profissionais leiam as informações que ali foram colocadas, pois muitas vezes há discordância entre o relato dos profissionais. O prontuário médico é um documento de manutenção permanente pelos médicos e estabelecimentos de saúde. Ele pode ser, posteriormente, utilizado pelos interessados como meio de prova até que transcorra o prazo prescricional de 20 (vinte) anos para efeitos de ações que possam ser impetradas na Justiça. Todos os documentos originais que compõem o prontuário devem ser guardados pelo prazo mínimo de 10 (dez) anos, a fluir da data do último registro de atendimento da paciente. Ao final desse tempo, o prontuário pode ser substituído por métodos de registro capazes de assegurar a restauração plena das informações nele contidas (microfilmagem, por exemplo) e os originais poderão ser destruídos. Compete ao médico, em seu consultório, e aos diretores clínicos e/ou diretores técnicos, nos estabelecimentos de saúde, a responsabilidade pela guarda dos documentos.

Se o prontuário for eletrônico com nível de segurança três, não há necessidade de guarda de papéis, se for possível imprimi-lo no caso de solicitação pela paciente ou pelo conselho Regional ou federal de medicina. É importante salientar que o prontuário pertence à paciente e que, por delegação desta, o médico pode ter acesso ao mesmo. Portanto, é um direito da paciente ter acesso, a qualquer momento, ao seu prontuário, recebendo por escrito o diagnóstico e o tratamento indicado, com a identificação do nome do profissional e o número de registro no órgão de regulamentação e controle da profissão (CRM, Coren etc.), podendo, inclusive, solicitar cópias do documento. O segredo médico é instituto milenar, cuja origem já constava no juramento de Hipócrates: “O que, no exercício ou fora do exercício e no comércio da vida, eu vir ou ouvir, que não seja necessário revelar, conservarei como segredo”. “Quando da solicitação do responsável legal pela paciente – sendo esta menor ou incapaz – o acesso ao prontuário deve ser-lhe permitido e, se solicitado, fornecer as cópias solicitadas ou elaborar um laudo que contenha o resumo das informações lá contidas. Caso o pedido seja feito pelos familiares do paciente, será necessária a autorização expressa do mesmo. Na hipótese de que ele não tenha condições para isso ou tenha ido a óbito, as informações devem ser dadas sob a forma


de laudo ou até mesmo cópias. No caso de óbito, o laudo deverá revelar o diagnóstico, o procedimento do médico e a ‘causa mortis’. O prontuário original, na sua totalidade ou em partes, não deve ser fornecido ao solicitante, pois precisa ser arquivado pela entidade que o elaborou. Quando for solicitação por outras entidades, como exemplo, os convênios médicos e as companhias de seguro, é vedado ao médico fornecer tais informações. Salvo com autorização expressa da paciente”. Sem o consentimento do paciente, o médico não poderá revelar o conteúdo de prontuário ou ficha médica, salvo por justa causa, isto é, quando diante de um estado extremo de necessidade. Haverá justa causa quan-

do a revelação for o único meio de conjurar perigo atual ou iminente e injusto para si e para outro. Dever legal, ou seja, aquele que deriva não vontade de quem o confia a outrem, mas de condição profissional, em virtude da qual ele é confiado e na natureza dos deveres que, no interesse geral, são impostos aos profissionais. O acesso ao prontuário pela figura do médico auditor enquadra-se no princípio do dever legal, já que tem ele atribuições de peritagem sobre a cobrança dos serviços prestados pela entidade, cabendo ao mesmo opinar pela regularidade dos procedimentos efetuados e cobrados, tendo, inclusive, o direito de examinar a paciente, para confrontar o descrito no prontuário. Todavia,

esse acesso sempre deverá ocorrer dentro das dependências da instituição de assistência à saúde responsável por sua posse e guarda, não podendo a instituição ser obrigada, a qualquer título, a enviar os prontuários aos seus contratantes públicos ou privado. É de se ressaltar, que o segredo médico também não deve ser revelado para autoridade judiciária ou policial. A solução para que as autoridades obtenham informações necessárias é que o juiz nomeie um perito médico, a fim de que o mesmo manuseie os documentos e elabore laudo conclusivo sobre o assunto. Ou então, solicitar ao paciente a autorização para fornecer o laudo médico referente a seu estado.

Foto: Arquivo Dr. Renan Gerbelli Canever

COLUNA DO LEITOR

Faculdade de Medicina de Taubaté: Meio século de história e tradição Por: Dr. Renan Gerbelli Canever

Presidente Associação de Ex-alunos Medicina Taubaté

E

m época de tantos programas incentivando a abertura sem controle de cursos de Medicina, vale a admiração por um que está completando meio século de história e tradição, como o da Faculdade de Medicina de Taubaté. Sua trajetória justifica o reconhecimento possuído. Por ser único, sempre lutou a favor da saúde regional, tendo como exemplo os ideais da fundadora Irmandade de Misericórdia. Tem consigo a perseverança já de seu início, quando se

reergueu após um grave incêndio. Em toda a sua história, desenvolveu-se por esforço de seus próprios alunos. Foi a Brasília reivindicar por melhorias em seu hospital, fundou o primeiro congresso médico universitário brasileiro, alcançou recordes na maior competição universitária da América Latina, e, mais recentemente, lutou pelo investimento do Estado em seu Hospital Universitário - já sucateado -, obtendo integração com o Hospital Regional do Vale do Paraíba.

Toda esta energia e inspiração se originam do espírito de união que o permeia. Por isso, segue evoluindo exaltando a ética em tempos de processos, valorizando os princípios morais, e desenvolvendo o relacionamento interpessoal. Que seja sempre assim! Que o trabalho em pesquisa prevaleça sobre o individual, e que a humildade seja soberana. Parabéns, Medicina Taubaté!

19


Foto: Reprodução

REGIONAL SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

O custo dos medicamentos (desnecessários) Por: Dr. Sérgio dos Passos Ramos Delegado Regional - APM SJC

N

a profunda crise que atinge o nosso País, um dos setores que mais crescem é o de Farmácias. É fácil verificar que em cada esquina da cidade, ao invés das placas de “Aluga-se” e “Vende-se” que há tempos fazem parte da paisagem urbana de nossa cidade, existe mais uma farmácia. Somente no entorno do meu consultório existem quase 10 farmácias. As principais redes estão presentes, uma delas com três unidades num espaço de apenas uma quadra.

Essa proliferação de estabelecimentos de saúde, pois farmácias de fato o são, depende em grande parte de nós, médicos. E é esta reflexão que eu gostaria de trazer hoje. Tenho observado na minha clínica que as pacientes comparecem com receitas que incluem mais de uma dezena de medicamentos. E a pergunta que faço, e que no mundo inteiro se faz, é: será que isso é mesmo necessário para o tratamento de doenças e preservação da saúde? A primeira razoabilidade é analisar a necessidade, ou não, de grande parte dos medicamentos receitados. A ausência do Clínico Geral na nossa sociedade faz com que nossos pacientes procurem cada vez mais especialistas e estes receitem cada vez mais medicamentos, de sua especialidade, é claro. Nem sempre perguntamos quais são todos os medicamentos que nossos pacientes estão tomando. E quando perguntamos, esbarramos na imprecisão dos mesmos de que não se lem-

20

bram, ou não trazem à consulta a relação dos nomes, ou têm a mania brasileira de achar que os médicos têm dons sobrenaturais de adivinhação. Resultado, damos mais medicamentos. Quando se somam, chegam às dezenas. Há pacientes que tomam três ou mais tipos de analgésicos diariamente e sabemos que todos eles são extremamente danosos à saúde. Quando analisamos isoladamente as receitas dos colegas, vemos que há uma racionalidade nos mesmos. Mas a soma de vários é desastrosa. Se não para a saúde, seguramente para o bolso. Outra coisa que observamos é a continuidade de medicamentos ao longo do tempo sem nenhuma justificativa. Um exemplo são os anti-reabsortivos ósseos, que segundo clara advertência do Ministério da Saúde não devem exceder cinco anos de uso. Já vi pacientes que tomam dois betabloqueadores receitados por médicos diferentes, que teoricamente não sabem da prescrição do outro. Um capítulo à parte são as receitas de manipulação, algumas delas com mais de dez princípios ativos. E este paciente vai a outros médicos - grátis pela maioria dos planos de saúde - e recebe mais e mais medicamentos. Outro é a prescrição de medicamentos “imprescindíveis” para a saúde, tais como vitaminas, óligo elementos, Ômega 3 etc. Não há meta-análises suficientes que justifiquem o uso de vitaminas ou outros complementos na manutenção da saúde e prevenção de doenças. Mas, receitamos. E quando não receitamos, as nutricionistas e os ortomoleculares, médicos ou não, receitam.

Alguém sabe o custo de um suplemento destes? Mais de 100 reais por mês! Em manipulação, beira a 800 reais. A grande verdade é que esta é uma ferida aberta no exercício de nossa profissão e temos de pensar em maneiras de corrigir isso. No mundo inteiro está se fazendo um esforço enorme pela desmedicalização, pelo menos as desnecessárias. A minha primeira sugestão é que redobremos o pedido para nossos pacientes comparecerem ao consultório com a lista de todos os medicamentos que utilizam. Vocês vão se surpreender! A seguinte é que pesquisemos o preço deles e dos que receitamos. Com os computadores que os planos de saúde nos impingiram, podemos fazer isso rapidamente. Novamente ficarão surpresos. Vamos ver os medicamentos que existem na Farmácia Popular do Governo Federal - antes que a fechem para evitar gastos de nosso paciente. Podemos evitar receitar medicamentos duplos ou triplos que atendem aos interesses das multinacionais de medicamentos, mas nem sempre aos de nossos pacientes. Vejam o preço unitário e vejam o preço do conjunto. E, finalmente, vamos nos lembrar de que atitudes positivas de vida, exercício e alimentação, de fato, fazem muito mais bem para a saúde do que a maioria dos medicamentos. Afinal, somos médicos e não vendedores de medicamentos.


21


O

Diretório Acadêmico Benedicto Montenegro está há 50 anos defendendo o direito dos alunos de Medicina, buscando melhorias para o curso e para o ensino médico. No ano comemorativo de meio século da nossa faculdade, tivemos o resgate de vários valores, o que nos motivou a ter outra postura frente aos nossos problemas. Embora tentemos manter relações harmoniosas com a reitoria da UNITAU (Universidade de Taubaté), nem sempre isso é possível. Os últimos acontecimentos entre a Faculdade de Medicina de Taubaté e a reitoria não foram tão pacíficos. Poderíamos listar diversos problemas, porém os principais são o aumento abusivo de quase 30% da mensalidade para os estudantes ingressantes a partir de 2017, e o erro identificado na última edição do vestibular. Tentamos inúmeras vezes nos encontrar com a reitoria para busENTENDA O CASO: A Câmara de Taubaté aprovou requerimentos que cobram transparência sobre os dados da gestão financeiro-orçamentária das quatro fundações relacionadas à UNITAU: Fapeti (Fundação de Apoio à Pesquisa, Tecnologia e Inovação), Funac (Fundação das Artes, Cultura, Educação, Turismo e Comunicação), Funcabes (Fundação Caixa Beneficente dos Servidores) e Fust (Fundação Universitária de Taubaté). Segundo a vereadora Loreny Caetano (PPS), que presidiu a audiência pública do último dia 21, dados referentes à execução orçamentária e ao relatório de gestão fiscal das Fundações deveriam ser divulgados no Portal da Transparência da UNITAU. Esta medida facilitaria o papel de fiscalização dos vereadores.

22

Membros da gestão 2017

Por: Ana Beatriz Miguel Comunicação DABM

car respostas plausíveis para tais ocorridos, entretanto, não fomos bem sucedidos.

diversos problemas, mas também propor possíveis soluções para os mesmos.

Diante de uma infraestrutura precária e de forma nenhuma condizente com a mensalidade atualmente cobrada de R$6.200 (seis mil e duzentos reais), da falta de espaço para os alunos nos hospitais, e da falta de professores, o DABM decidiu mudar a sua atitude. Com o auxílio da vereadora Loreny Caetano Roberto (PPS), o Diretório manifestou interesse por uma audiência pública que pudesse cobrar prestação de contas da UNITAU, a qual alega não ter fundos para reformas e melhorias.

O único pesar foi a ausência do reitor, Prof. José Rui Camargo, ou de qualquer outro membro da Universidade que pudesse representá-la. Tal fato serviu para indignar ainda mais os 465 cidadãos que ali estavam presentes, número recorde de público na Câmara. Serviu também para unir ainda mais os representantes de diversos cursos contra o descaso dos administradores.

Usando o lema “Universidade de Taubaté: para onde iremos?”, a audiência ocorreu na noite de 23 de agosto, no plenário da Câmara Municipal. Na ocasião, não estavam presentes apenas alunos de Medicina, mas também de outros cursos que demonstraram descontentamento com a atual situação da UNITAU. Os estudantes puderam apresentar NOTA OFICIAL: A APM entrou em contato com a assessoria de imprensa da UNITAU, a qual divulgou a seguinte nota: “A Universidade de Taubaté tem profundo respeito às instituições e à sua comunidade universitária formada por professores, estudantes e funcionários. Enfrentamos a pior crise econômica do País mantendo os salários em dia e as estruturas acadêmicas funcionando normalmente. A audiência pública promovida ontem (*dia 23 de agosto) na Câmara Municipal de Taubaté faz parte do importante processo democrático vigente no Brasil. Respeitamos as opiniões divergentes sobre a gestão na UNITAU, e trabalhamos incansavelmente para solucionar os problemas que enfrentamos. Repudiamos, no entanto, todo tipo de

Embora ainda não tenhamos as respostas que queremos, foi um passo inicial importante na busca dos nossos objetivos. A Faculdade de Medicina de Taubaté tem 50 anos de história e é uma das faculdades mais tradicionais do estado de São Paulo. Não descansaremos até termos as condições básicas necessárias para que o nosso ensino seja melhor. comentário que denigra o nome da Instituição, porque entendemos que a UNITAU é um patrimônio do povo de Taubaté e do Vale do Paraíba. Por fim, no Portal da Transparência é possível acompanhar o dia a dia da Instituição e sempre estivemos abertos ao recebimento de sugestões.”

Alunos universitários lotam plenário da Câmara de Taubaté em audiência pública para debater a Regulamentação de Funcionamento da UNITAU

Foto: Rogério Marques / O VALE

Alunos lotam plenário da Câmara em audiência pública sobre finanças da UNITAU

Foto : DABM

DIRETÓRIO ACADÊMICO BENEDICTO MONTENEGRO DABM


FOTOGRAFIA EM CIRURGIA PODE SER

DADO - Autorizado por Adão, D., 2016

CRIME!

Profissional, sempre solicite o consentimento do seu paciente para registro de imagem e nunca divulgue fotos ou vídeos nas mídias sociais! É vedado ao médico fazer referência a casos clínicos identificáveis, exibir pacientes ou seus retratos. (Artigo 75, Código de Ética Médica, 2013)

23


EDUCAÇÃO

Governo Federal autoriza abertura de 11 novos cursos de Medicina

Foto: Reprodução / NBR

Em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, no dia 1º de agosto, o Governo Federal autorizou a abertura de onze novos cursos de Medicina nas regiões Sul e Sudeste do país. Conjuntamente, estes cursos disponibilizarão 710 novas vagas. Entretanto, um edital do Governo (nº 6/2014) pretende oferecer mais 1.595 vagas em diversos estados brasileiros, configurando o total de 36 autorizações para abertura de novos cursos.

Em São Paulo, estão autorizadas graduações do curso em Araras (Faculdade São Leopoldo Mandic), Guarulhos (Universidade Nove de Julho/Uninove), Mauá (Uninove), Osasco (Uninove), Rio Claro (Faculdade Claretiano) e São Bernardo do Campo (Uninove). De acordo com o Ministro da Educação, Mendonça Filho, os cursos locados em municípios das regiões Sul e Sudeste devem iniciar as atividades ainda em 2017. Instituições do Norte e do Nordeste serão contempladas em uma nova leva de concessões.

24

Cerimônia realizada no Palácio do Planalto para concessão de novos cursos de Medicina

O presidente Michel Temer (PMDB), que esteve presente no evento em Brasília, disse que o Governo tem criado condições para que mais médicos cheguem ao interior do Brasil e as desigualdades

sociais sejam reduzidas. Confira a lista completa de cursos que serão implantados no Brasil nos próximos meses:

Fonte: Reprodução / NBR

A fim de identificar os municípios que estavam aptos a receber os novos cursos de Medicina, o Ministério da Educação fez uma consulta ao Ministério da Saúde. Entre os critérios, baseados na Lei nº 12.781/2013, estão a necessidade da região, a relação de número médico/habitante, e a infraestrutura da instituição de ensino. Além disso, o município precisa ter um hospital com mais de 80 leitos no Sistema Único de Saúde (SUS), e o potencial para a instalação de um hospital de ensino.


25


Auditório

Fotos: Interativa Mix

Sala de reuniões

rmet

o gou Espaç

Espaço gourmet

Auditóri

o

26

Sala de reuniões


EVENTOS

Faculdade de Medicina de Taubaté comemora cinquentenário em 2017

Ao chegarem ao local, os visitantes se deparavam com um simbólico “túnel do tempo”, uma estrutura composta de barracas de lona, interiormente decoradas com fotos, recortes de jornais antigos, troféus e medalhas que representavam a história e o progresso da Faculdade. Ao final do “túnel”, adentravam no Centro Acadêmico, onde podiam conferir mais fotografias antigas, conversar com alunos do curso e conhecer os projetos desenvolvidos pelo Diretório Acadêmico e pelo Departamento Científico Benedicto Montenegro, além de visitar a “lojinha” e comprar produtos como camisetas e agasalhos, especialmente desenvolvidos pela FMT. Em seguida, os presentes tinham a oportunidade de passear pelo

Campus e relembrar da época em que transitavam pelos corredores e frequentavam aquelas salas de aula. Durante o trajeto, muitas histórias e muitas memórias puderam ser reavivadas. Na hora do almoço, distintas opções de lanches e quitutes podiam ser saboreadas ao som de uma agradável trilha sonora.

No Centro Acadêmico, o clima saudoso embalava a união dos colegas

A maioria dos visitantes estava acompanhada de parentes, característica que tornou o ambiente familiar e bastante acolhedor. O sentimento ao longo do dia era de comoção e alegria. Médicos e alunos de distintas turmas e décadas compartilhavam do mesmo amor, respeito e orgulho pela Faculdade de Medicina de Taubaté. Um célebre participante do evento foi o Dr. Roberto Tabajara, acadêmico da primeira turma do curso. O cirurgião vascular periférico, residente em São José dos Campos, descreveu o momento como único e emocionante. “É indescritível a sensação de retornar à Faculdade e recordar o que já passamos por aqui, tanto as dificuldades quanto, principalmente, as alegrias”, contou. Ao final do sábado, um baile foi realizado nas dependências da casa de eventos Marinelli, em Pindamonhangaba, para encerrar as comemorações do cinquentenário.

Momento histórico e muito especial! Reencontro dos membros da 1ª turma, estreiantes da FMT. Ao centro, Dr. Roberto Tabajara

O cinquentenário da Facudade foi celebrado em um ambiente bastante alegre e familiar

Fotos: Ana Cláudia Bohler

No primeiro sábado de agosto, dia 05, o clima era de emoção para muitos médicos de Taubaté e região. No Departamento do Bom Conselho da Universidade de Taubaté, foi realizado um grande evento em comemoração aos 50 anos da FMT (Faculdade de Medicina de Taubaté).

É com grande honra que a APM Taubaté registrou presença nas festividades, apoiando-as e prestigiando-as. Logo na chegada, os participantes ativavam as lembranças através de um “túnel do tempo”

As fotos dos “50 anos da FMT” estão disponíveis em nosso site: www.apmtaubate.com.br

Médicos graduados em diversas turmas puderam relembrar boas histórias

27


COLUNA SOCIAL

Foto: Arquivo - Liga de Saúde | FMT Em junho, uma caprichosa festa junina foi organizada pelas integrantes da Liga Acadêmica da Saúde da Família e Comunidade, do curso de Medicina da UNITAU

Alunos da Universidade de Taubaté participaram da palestra “População em Situação de Rua e Saúde”, organizado pela Liga Acadêmica da Saúde da Família e Comunidade. O evento ocorreu no dia 09 de agosto, no auditório do Bom Conselho

No dia 13 de julho, a Dra Lais Helena celebrou mais um ano de vida ao lado do esposo, Dr. Camillo Soubhia Junior, e amigos. A comemoração aconteceu no restaurante Vivá, em Taubaté

A aniversariante Lais (à esq.) festejou a data na presença do casal Dra. Sabrina Cabral e Alexandre

AGUARDAMOS A SUA PARTICIPAÇÃO!

Foto: Leonardo Oliveira – ACOM | UNITAU

Fotos: Arquivo pessoal - Dr. Camillo Soubhia Junior

Foto: Arquivo - Liga de Saúde | FMT

Confira os eventos que agitaram a sociedade médica da região

Publique a sua foto na próxima edição da revista Médicos do Vale. Teremos grande satisfação em divulgá-la.

Em 31 de agosto, Dr. Camillo Soubhia Junior (à esq.) assumiu cargo no CONSUNI (Conselho Universitário da UNITAU), ao lado do reitor da instituição, Prof. José Rui Camargo

28

Envie para: taubate@apm.org.br


ESPECIAL: BAILE 50 ANOS FMT Em comemoração ao cinquentenário da Faculdade de Medicina de Taubaté, médicos de diversas gerações se reuniram na noite do dia 05 de agosto na casa de festas Marinelli, em Pindamonhangaba.

Fotos: Arquivo - Associação Ex-alunos FMT

Acompanhe imagens deste Baile que marcou história para os ex-alunos da FMT.

29


30


TELEVISÃO

TV Globo lança minissérie sobre rotina médica em hospital público “Sob Pressão” é a minisérie estreada no final de julho pela TV Globo em coparceria com a Conspiração Filmes. A obra retrata os desafios e dramas enfrentados por uma equipe médica em um hospital público do subúrbio do Rio de Janeiro. As cenas se passam nos corredores, nas salas de emergência, onde é possível mostrar o dia a dia tenso e tumultuado experienciado pelos plantonistas, assim como as situações de dor e sofrimento vivenciadas pelos pacientes. Muitos casos urgentes chegam ao hospital, e a todos são devotados carinho e atenção por parte da equipe, a qual supera limites para salvar vidas em um lugar onde tudo falta.

-, cirurgião-chefe da equipe. Do outro, a religiosa Dra. Carolina - interpretada pela atriz Marjorie Estiano -, cirurgiã vascular que busca na fé o antídoto contra toda a miséria que enfrenta na rotina cotidiana. Ambos precisam encontrar o equilíbrio entre os conflitos íntimos e as dificuldades

do ofício para enfrentar a rotina caótica do ambiente de trabalho. Em meio a casos complexos e dilemas éticos, Evandro e Carolina se aproximam. Os episódios podem ser assistidos no site Globoplay: https://globoplay.globo.com/

A minissérie retrata os esforços de uma equipe médica diante da precariedade da saúde pública brasileira

A cada episódio, o público se emociona com um cenário de ação e tensão, pois se depara com a realidade em que os médicos trabalham, literalmente “sob pressão”. Na trama, ainda se passa o envolvimento de dois colegas de profissão. De um lado, o cético Dr. Evandro - interpretado pelo ator Julio Andrade

Dra. Carolina e Dr. Evandro, personagens principais de Sob Pressão

O cenário da trama é um hospital público no Rio de Janeiro, tomado pela falta de recursos e de equipamentos

ERRATA Na ediç ão pass ada, veiculamos uma matér ia acerc a do pr imeiro cur so de Medicina implant ado na cidade de S ão José dos C ampos , ger ido pela Faculdade Humanit as . As imagens publicadas na página não foram devidamente creditadas. Diante disso, retratamo-nos neste espaço, fornecendo as devidas informações.

Foto: G1 Vale do Paraíba e Região

Foto: Reprodução

31


Foto autor/ assinatura eletrônica: Google Creative Commons

LITERATURA

Por: Manuel Bandeira Poeta Brasileiro, crítico de literatura e arte Febre, hemoptise, dispneia e suores noturnos. A vida inteira que podia ter sido e que não foi. Tosse, tosse, tosse. Mandou chamar o médico: - Diga trinta e três. - Trinta e três… trinta e três… trinta e três… - Respire.

Foto: Google Creative Commons

- O senhor tem uma escavação no pulmão esquerdo e o pulmão direito infiltrado. - Então, doutor, não é possível tentar o pneumotórax? - Não. A única coisa a fazer é tocar um tango argentino.

HUMOR

Charges

32

Créditos: Duke


CLUBE DE BENEFÍCIOS

Não basta ser associado, Tem que se beneficiar!

Os grandes beneficiados destas parcerias são os afiliados da APM, os quais podem desfrutar de vantagens exclusivas e descontos diferenciados em situações de compra. Abaixo, listamos alguns dos nossos parceiros. Para conhecer e usufruir de muitas outras ofertas, visite o nosso site.

DOCES E CAFÉS HAVANNA Ao visitar a loja online, realize as suas compras e garanta 15% de desconto. Localização: Nacional (Compras online) NESPRESSO Ao escolher a sua nova máquina de café, receba 20% de desconto no ato da compra. Localização: Nacional (Compras online)

ACESSÓRIOS E JÓIAS

TRÊS CORAÇÕES Médicos associados possuem 20% de desconto na compra de máquinas de café e de multibebidas. Localização: Nacional (Compras online)

SEIKO JÓIAS Em condição exclusiva para associados da APM, 20% de desconto são concedidos em jóias e 10% em relógios e óculos de sol ou grau. Localização: Nacional (Compras online)

VINOS & VINOS Apreciadores de vinho têm a vantagem de obter 30% de desconto nas compras realizadas pelo site. DESCONTÃO! Localização: Nacional (Compras online)

USO PESSOAL

CASA E DECORAÇÃO IMAGINARIUM Afiliados APM possuem 20% de desconto em toda a linha de artigos para presentes, utilidades, decoração e itens de uso pessoal. Localização: Nacional (Compras online)

NETSHOES Visite o site e faça as suas compras com 10% de desconto. *Exceto nas compras de lançamentos, categoria bike, suplementos da marca Optimum, Games e Eletrônicos, e produtos com selos Especiais. Localização: Nacional (Compras online)

LOCAÇÃO DE VEÍCULOS

O BOTICÁRIO A rede de perfumaria e cosméticos garante 12% de desconto aos associados da APM nas compras efetuadas no site da empresa. Localização: Nacional (Compras online)

ALUGUE BRASIL Na locação de veículos populares adquira 55% de desconto e nas demais categorias, 25% de desconto. DESCONTÃO! Localização: Nacional

Fotos: Divulgação

A Associação Paulista de Medicina firmou contrato com diversas empresas nacionais, dos mais variados segmentos.

SAÚDE E BEM-ESTAR DROGARIA SÃO PAULO Em parceria com a APM, a rede farmacêutica oferece aos associados descontos (não cumulativos) nas compras à vista: 30% para Medicamentos Genéricos; 20% para Demais Medicamentos / OTC; 5% para Perfumaria e Higiene Pessoal. * Para validação do desconto, identifique-se como associado da APM e informe seu CPF diretamente no caixa. DESCONTÃO! Localização: Todas as unidades no Brasil

Entre em contato e conheça as outras promoções

www.apm.org.br/clubedebeneficios clubedebeneficios@apm.org.br (11) 3188.4329/4370/4579 Clube de Benefícios Vantagens sem limites!

33


Aniversariantes A APM Taubaté saúda a todos os amigos e associados pelas comemorações de aniversário ANIVERSARIANTES DE SETEMBRO 01 RAFAEL LUIZ DA SILVA 02 ANDREY JORGE DE ANDRADE 03 CESAR AUGUSTO CARDOSO PEDRO NOGAROTTO CEMBRANELI SYLVIA REGINA TEMER CURSINO 04 FERNANDO HENRIQUE G V SANTOS 05 MARIANA RUBEZ JEHA 06 JOAO BATISTA MONTEIRO NETTO 07 BEATRIZ CORREA SAMPAIO LEGER MARCELLA MOREIRA BOAVENTURA 08 CRISTIANO DUARTE ROSA WILSON HIROYUKI WATANABE 10 ANDRE LUIZ PINTO PAULO AFONSO MEDEIROS KANDA 12 CAIO LUCIO SOUBHIA NUNES ITALO VALENTONI NETO PAULO ARANTES DE MOURA RAFAEL MARTUSCELLI BEGER 13 FAUSTO SOARES FERREIRA HENRIQUE MERCALDO NETTO 14 CLARISSA HESSEL ESCUDEIRO MARCELA DE SOUZA PINTO VARELLA MARCIA RENATA VALENTE MOREIRA DE ASSIS MILENA CRISTINA DA SILVA ALMEIDA ORLANDINO DE FREITAS FILHO PEDRO HENRIQUE DE LARA LEITE WALDNEY JOSE DE BARROS 17 GIOVANA LARISSA PRADO LEITE AGOSTINHO HENRIQUE VILELA DE OLIVEIRA 18 FERNANDO LUIZ TEIXEIRA GUSTAVO HENRIQUE DA MATTA FARIA TERUMI UEMURA 20 ANTONIO MAURY LANCIA ENDRIGO RODRIGUES PISSININ 22 MARIA JUDITH P M DE BARROS 23 MILTON GAUCH RINALDO RONCONI NETO 24 DANILO DE MATTOS SPINELLI FATIMA DOS REIS ALBUQUERQUE MACIEL 25 ANA CELIA SMITH NEVES FABIOLA VASCONCELOS ALVES 26 GREGORIO DA CRUZ RIEMMA 27 FABIO NUNES DE OLIVEIRA PEDRO MACHADO PEREIRA E SILVA 28 ANA PAULA DE CARVALHO PEREIRA LAIS DE ARAUJO GIAJ LEVRA 30 ANA CLAUDIA GONCALVES CONTREIRA ANTONIO IRAPUAM RIBEIRO TUPINAMBA

34

ANIVERSARIANTES DE OUTUBRO 01 ANA CAROLINA BUCELES RAMOS 02 MARCOS ROBERTO MARTINS 03 CLELIA MARIN FONTES 04 FABIANA CATHERINO HENRIQUE RIBEIRO SOUBHIA JOSE PAULO PEREIRA PAULO TAUIL JUNIOR 05 MARIANA PILAN CAPELLA 07 GABRIELA ALVES ROSA GABRIELA ULIAM HOMEM 09 ALEXANDRE MORENO MACRI ALEXANDRE SERAFIM RAFAEL DE PAIVA LUCIANO 12 GUILHERME RICARDO NUNES SILVA MARCIA SAYURI MURAO FERNANDES 13 CARLOS ANDRE DA COSTA 16 GUSTAVO SALGADO MURAGAKI IVAN DE JESUS PAEZ VEJA MARCO ANTONIO DE MATTOS MERCADANTE STELA DALVA MENDES DE ALMEIDA PRADO DE FARIA 17 CLAYTON APARECIDO DE PAULA ELIZIANE GIMENES DO COUTO GIL SOUZA MELO JULIANA BITTAR NOVAES VIEIRA BRAGA FERRAZ 18 JORGE FERREIRA DA MOTTA VANDA PEREIRA LEITÃO 19 MARCELO TONUS WEI SIN LANG 20 JOAO BOSCO GOMES PEREIRA OSVALDO AFONSO DA SILVA 21 ARTHUR QUERIDO MARCONDES OTAVIO SCHMIDT DE AZEVEDO 22 THIAGO PASQUALIN 23 FERNANDO BARROS DE OLIVEIRA 24 MARIELZA ANDRADE NUNES 26 MARIA JULIETA ZACCARO FERRO 27 DANIEL CAUDURO SALGADO EDINEIDE VIEIRA CEDENO IGOR TADEU DA COSTA JOAO LUIZ CABRAL SILVA 28 ALEXANDRA CARMELA SPERANZA 29 ELISA MARIA D RIBEIRO DE SOUZA GILZELIA FERNANDES BATISTA MARCOS PAULO BOSSETO NANCI 30 CHRISTIANO COUTO DE SOUSA CARVALHO FERNANDA DE CARVALHO LOPES 31 LUIZ FERNANDO ALBANO DE PAULA OSMAR ANTONIO VILLELA SANTOS JUNIOR


35


Edição 13 - Revista Médicos do Vale  

Edição 13 - Revista Médicos do Vale - APM TAUBATÉ