Page 25

SAÍDA PARA SP CAPITAL SAÍDA PARA O PARANÁ

s CENTRO

ae or

Av. Mário Covas

SAÍDA PARA NOVA CAMPINA

a lin

de

M

e

ad

d au Pie .P o i Av c cá .A Av

SAÍDA PARA RIBEIRÃO BRANCO

Mapa: malha urbana do município

O município de Itapeva localiza-se na região sudoeste do Estado de São Paulo e cons tui-se como um pólo microrregional. É o segundo maior município do estado em extensão territorial com aproximadamente 1.826,258 km², ficando a 300 Km do centro da cidade de São Paulo e a 55 Km da divisa do estado do Paraná. Em 2010, contava com uma população es mada de 87.753 habitantes, sendo que a população urbana era em torno de 73.956 habitantes e a rural de 13.797, com densidade demográfica de 48,05 hab/km² (IBGE, 2017). Itapeva surgiu com o nome de Vila de Itapeva da Faxina, no início do século XVIII e sua fundação oficial se deu em 1769, há 247 anos. Lugar de passagem das expedições da colonização do extremo sul do país desde o começo do século XVII, o povoado teve início com a instalação dos pousos dos tropeiros, os quais contribuíram na formação e desenvolvimento da região sudoeste paulista. Nos primórdios, a economia da vila era baseada na agricultura de subsistência (VEIGA, 2014). Ainda, segundo Veiga (2014), no decorrer da história, Itapeva passou a exercer funções que os demais municípios da região não exerciam, ganhando uma exclusividade. Desde o século XIX, cons tui-se como cidade pólo regional, devido a sua capacidade de ofertar bens e serviços aos demais municípios circunvizinhos, como qualificação profissional, serviços bancários, lazer, cultura, atrações turís cas, entre outros. Atualmente, sua economia baseia-se na prestação de serviços, comércio, agricultura, indústria ligada a mineração, reflorestamento nacional e tri cultura, apoiados pela excelente ligação rodo-ferroviária.

Em relação a microrregião de Itapeva, é importante expor que é a mais pobre do estado, e um dos mo vos desta realidade é seu processo de urbanização, o qual foi acompanhado pela degradação ambiental, concentração de renda, infraestrutura deficitária e Índice de Desenvolvimento Humano abaixo da média estadual. Com exceção de Itapeva, os demais municípios da região encontram-se estagnados e com desenvolvimento econômico enfraquecido, baseado nas a vidades de subsistência. Assim, a região demonstra uma acentuada fragilidade e grandes contradições socioeconômicas, marcada pelas desigualdades de renda e elevados níveis de pobreza. E essa população, que não se mostra flutuante, enfrenta sérias dificuldades de geração de emprego e renda, pois metade dos chefes de família vive em média com um salário mínimo mensal (em relação a 2010), como demonstra na tabela abaixo (VEIGA, 2014). Renda e intensidade de pobreza em alguns municípios da microrregião de Itapeva (IBGE, Censo de 2010) Município Barão de Antonina

Renda % de extremamente pobres per capita

% de pobres

536,63

2,53

11,05

Bom Sucesso 344,32 de Itararé

6,02

21,85

Buri

435,15

4,69

18,74

Coronel Macedo

465,29

4,13

13,91

Itaberá

462,03

7,14

19,98

Itapeva

630,48

2,50

12,00

Itaporanga

552,76

3,42

14,74

Itararé

510,20

4,57

16,15

Nova Campina

330,03

7,39

28,12

Riversul

412,42

8,74

25,07

Taquarivaí

373,06

1,77

17,91

Renda e intensidade de pobreza no estado de São Paulo (IBGE, Censo de 2010) Estado de SP 1.084,46

1,16

4,66

24 | 66

TFG I - Parque das Artes - UFFS  

Trabalho Final de Graduação I, desenvolvido no curso de Arquitetura e Urbanismo da UFFS - Universidade Federal da Fronteira Sul.

TFG I - Parque das Artes - UFFS  

Trabalho Final de Graduação I, desenvolvido no curso de Arquitetura e Urbanismo da UFFS - Universidade Federal da Fronteira Sul.

Advertisement