Page 1

Jornal do Ferradura

Jornal Comunitário do Bairro Ferradura Mirim

Bauru

Ano III

Centro Comunitário é inaugurado Depois de 12 anos, obras são finalizadas

CPFL reforma

Dez/Jan de 2011

Pág. 4, 5 e 6

Mural especial

instalações elétricas

Casas recebem instalações elétricas e geladeiras novas

Edição nº11

arte infantil natalina

Pág. 6

O mural desta edição traz desenhos e recados de crianças do bairro

Pág. 7

Veja também : Fala Morador discute as atividades que se esperam do Centro Comunitário


2

Jornal do Ferradura

Dez/Jan 2011

Edição especial

Equipe Jornal do Ferradura

Ônibus

Horários apenas para DOMINGOS e FERIADOS Horários de saída José Regino via Rodrigues Alves 05:30 08:10 10:50 13:30 16:10 18:50 22:40

06:10 08:50 11:30 14:10 16:50 19:30

06:50 09:30 12:10 14:50 17:30 20:00

07:30 10:10 12:50 15:30 18:10 21:20

06:50 09:30 12:10 14:50 17:30 20:40

07:30 10:10 12:50 15:30 18:10 22:00

08:10 10:50 13:30 16:10 18:50 23:20

Horários de saída Jardim Ferraz 06:32 08:12 09:52 11:33 13:15 14:57 16:39 18:21 20:02 21:40 23:1

Horários de saída Tangarás 05:30 07:10 08:50 10:30 12:10 13:50 15:30 17:10 18:50 20:30 22:10

“O que você quer ver no Centro Comunitário?”

Edição Bruna Antunes Fotografia Aline Camargo Karen Oliveira Laura Luz Edição de Arte e Diagramação Paula Machado Edição Geral Angelo Sottovia Aranha Coordenação do projeto Bruna Antunes Paula Machado FAAC - Unesp Bauru Departamento de Comunicação Social Endereço: Av. Engenheiro Luiz Edmundo Carrijo Coube, 14-01 Vargem Limpa - Bauru/SP CEP: 17033-360 Telefone: 3103-6063 E-mail para contato: jornal.ferradura@gmail.com Tiragem: 2000 exemplares Impresão: Fullgraphics Distribuição Gratuita

Karen Oliveira

“Umatendimentomelhor paraapopulaçãoquevai ter um lugar agora para fazerrefeição,aoinvésde ficaremservindosopãono meio da rua. Cursos profissionalizantes,porqueeu achoimportanteparatirarosjovensdaviolência e até do tráfico. Palestras educativasparaapopulação,porquemelhorandoa cultura,melhoraolugar.” Flavio Soares, web designer

O Jornal do Ferradura foi às ruas pra saber o que os moradores querem ver no Centro Comunitário “Que o centro seja para todos. O meu medo é que fiquembrigandopelachave. Ele pode ser bem utilizado em campanhas de vacinaporqueestácentralizado aqui no bairro.” Ezequiel da Costa, pedreiro

“Para mim, tudo o que precisa o centro já tem, ele vai ajudar as pessoas mais carentes e estava faltando isso para o bairro.”

“Eu espero que o pessoal que mora aqui cuide do centro, que eles coloquem um centro médico para os idosos porque fica muito longe para eles irem até o Redentor. Que tenha também um dentista para as crianças. Hoje em dia a gente pode dizer que não mora mais em uma favela, a gente mora num bairro, o bairro Ferradura Mirim.” Aparecida de Fátima Ferreira, vendedora

Gesivaldo Raquel, pedreiro

“Eu,quesoudaassociaçãodemoradores, esperoquedêtudocerto,queopovocolaboreenãoestragueocentrocomunitário. Porquelevoudezanosparagenteconseguir arrumaraquilo!Achoquevaisertudode bom para nós.” Benedita Gonçalina Moreira, do lar

Karen Oliveira/Jornal do Ferradura

06:10 08:50 11:30 14:10 16:50 19:30

05:40 07:20 09:00 10:41 12:23 14:05 15:47 17:29 19:11 20:50 22:28

Reportagem Aline Camargo Ana Paula Navarrete Karen Oliveira Laura Luz Thiago Swada

Morador

Laura Luz/Jornal do Ferradura

Horários de saída Duque/Cerejeiras via Rodrigues Alves

Horários de saída Pq. Júlio Nóbrega

Expedição Jornalista responsável Ângelo Sottovia Aranha MTB-12870

Fala

Karen Oliveira/Jornal do Ferradura

Jornal comunitário bimestral do bairro Ferradura Mirim, em Bauru-SP

Karen Oliveira/Jornal do Ferradura

Nossa intenção é continuar a oferecer serviço e informação de qualidade sempre com a participação dos moradores; manter nossos ouvidos e bocas atentos; e desenvolver e melhorar o projeto para poder atender cada vez mais às necessidades do bairro. 2010 foi um ano de várias mudanças para o Ferradura Mirim e esperamos sinceramente que este jornal tenha contribuído para que acontecessem. E que 2011, com um novo governo para o Brasil, possa trazer ainda mais novidades, realizações, felicidades e esperança à todos.

Jornal do Ferradura

Dez/Jan de 2011

Karen Oliveira/Jornal do Ferradura

Cada novo ano que se inicia é momento de mudanças. Mudanças essas que esperamos e torcemos para que sejam em benefício do bem-estar e felicidade de todos. Mudanças que provém de sonhos, conquistas e realizações e não acontecem sem que haja luta e esforço. Poder acompanhar e participar do desenvolvimento do bairro (como a construção do Centro Comunitário e o início do asfaltamento de algumas ruas) junto com toda a comunidade foi uma grande experiência para nós, não só profissionalmente, mas humanamente.

Jornal do Ferradura

“Eu espero que as pessoasquecoordenaremo Centro não façam diferenciaçãodaquelesque precisarem usar aqui. Queelesejamesmopara ajudaropovodobairro.” Perpétua Alves Ferreira, ministra da Eucaristia da Casa Amorosa

3


4

Jornal do Ferradura

Dez/Jan 2011

Jornal do Ferradura

Dez/Jan de 2011

5

Centro Comunitário é inaugurado no Bairro Ferradura Mirim Depois de 12 anos, parceria entre prefeitura, setor privado e comunidade realiza sonho em comum

Aline Camargo

Fotos: Aline Camargo/Jornal do Ferradura

Seu Vicente foi um dos idealizadores do projeto, há mais de 10 anos

O Centro Comunitário do Ferradura Mirim foi inaugurado no dia 28, depois de mais de 12 anos de espera. A festa reuniu moradores e autoridades em meio a muito picolé para refrescar o forte calor. As autoridades presentes subiram no palco para agradecer e parabenizar a comunidade pela conquista. Dirigindo-se aos moradores, o prefeito Rodrigo Agostinho comentou a importância da sede: “nosso compromisso

Casal de moradores assiste à inauguração da obra

com o bairro é justamen- investimentos do Estado, te a sua regularização, a sua porque ainda não está reguurbanização, e para isso é larizado. “Como não havia fundamental que as pessoas orçamento suficiente na pretenham locais feitura, foonde possam mos atrás de “Nosso compromisso se reunir, disempresas pricutir suas reicom o bairro é justamente vadas e tivevindicações e mos o apoio seus projetos”. da CART sua regularização” O prefeito (Concessioexplicou que nária Auto não foi fácil terminar a obra, Raposo Tavares), que patrojá que a prefeitura não con- cinou a construção do centro tava com recursos suficientes comunitário aqui no bairro”, e o bairro não pode receber comentou o prefeito.

Ricardo Oliveira, secretário de Administrações Regionais da cidade, acredita que a obra só deu certo porque a Prefeitura se uniu com a iniciativa privada e com a comunidade. Para ele, o Centro vai oferecer aos moradores “cursos de geração de renda, momentos de lazer, comemorações de datas festivas e novas oportunidades”. Vicente Lucas, um dos idealizadores do projeto, disse que a construção e entrega do Centro Comunitário

Rodrigo Agostinho planta árvore para marcar nova etapa

concretiza um sonho, e espera que seja utilizado para o bem de toda a população. “Que tenha muita criatividade e lazer pra todo mundo, todos têm muito o que aprender aqui! As crianças e os adultos também”, discursa Seu Vicente. Ricardo Schittini, presidente da CART, acredita que o importante é “contribuir para o desenvolvimento das pessoas, do bairro e da cidade”. E recomenda: “eu acho que nós, como empresários,

‘’A comunidade é um lugar de aprenzidado”, afirma Gisele Moretti

temos a obrigação de apoiar dura, eu era um ser humano essas boas iniciativas sempre alienado, agora eu sou outra que possível, dentro dos nos- pessoa. A favela, a comunidade carente, é uma escola de sos limites”. crescimenGisele Moretto. Muito ti, presidente “Muito obrigada por não obrigada por da Associação não terem dos Moradores terem deixado eu desistir deixado eu do Ferradura desistir deste Mirim, tamdeste sonho!” sonho!” bém esteve Depois dos no palco e, emocionada, agradeceu seus discursos, autoridades e coparceiros e deixou um reca- munidade se juntaram para do aos moradores do bairro: inaugurar a obra e o prefeito “Antes de morar no Ferra- Rodrigo Agostinho plantou

uma árvore para representar o que todos esperam que seja uma nova etapa para o bairro: uma fase de conquistas! Mesmo com tanta festa, os moradores não deixaram de cobrar a regularização do bairro, que, apesar de estar inscrito no projeto Cidade Legal, do governo estadual, ainda não foi contemplado com as ações do programa, que pretende regularizar bairros para que estes possam ser beneficiados com verbas dos governos estadual e fede-


6

Jornal do Ferradura

Dez/Jan 2011

Jornal do Ferradura

Dez/Jan de 2011

Mural

Mais fotos da

inauguração do Centro Comunitário

Ana Paula Navarrete

Fotos: Aline Camargo/Jornal do Ferradura

“Feliz Natal ! Que Deus abençoemeupai,minhamãe,minhas tias, meus tios e meus primos.“ “O Natal é para se comemorar Nathalia Catarina de Souza, 8 anos

Dezembro chegou e mais um ano se passou. Nesse clima de festas, a equipe do Jornal do Ferradura traz os desejos natalinos oferecidos pelas crianças da comunidade e espera que todos levem essas mensagens consigo para o resto do ano. Moradores conhecem o Centro Comunitário

Gisele abraça Secretário de Administrações Regionais

Brendon Ruiz de Moraes, 12 anos

CPFL reforma instalações elétricas em casas do Ferradura ções elétricas nas residências do nio Campos, gerente de contas bairro. A atividade faz parte do da CPFL Paulista. Os técnicos programa Rede Comunidade da empresa contratada para – destinado a famílias de baixo fazer as reformas avaliaram as poder aquisitivo, que se propõe condições dos circuitos elétricos internos das a incentivar a “Conexões elétricas residências e os economia de agentes da comuenergia elémal feitas geram grande nidade cadastratrica, além de garantir a se- consumo de energia” ram as famílias a serem atendidas gurança dos moradores. A previsão é que o com esse benefício. programa atenda em torno de Geladeiras econômicas 600 famílias em Bauru. Em média, são investidos qua“Uma das primeiras ações da Rede Comunidade foi o levan- se mil reais por residência para tamento nos bairros, feito por a execução das reformas, que dois agentes contratados na incluem a troca total dos cirprópria comunidade, das ne- cuitos elétricos e a instalação de cessidades dos moradores que tomadas e interruptores. Além poderiam ser atendidos pelo de substituir as instalações eléprograma”, explica Luiz Antô- tricas, a iniciativa também con-

Thiago Sawada

templa outros benefícios para as famílias cadastradas, como a substituição da geladeira velha por uma nova e econômica. Um dos problemas causados pelas conexões elétricas mal feitas e pelos aparelhos domésticos antigos é o grande consumo de energia. “Como as contas de energia vinham muito altas, muitos moradores não conseguiam pagá-las”, explica Naty, uma das agentes do Rede Comunidade. Devido à falta de pagamento, muitas residências tiveram a energia cortada e, por conta disso, alguns moradores acabavam por fazer ligações clandestinas na rede elétrica, popularmente conhecidas como “gatos”.

“Adoro esse dia , pois o Natal é uma data muito especial cheia de festa e emoção”

Je

0 anos

,1

liveira

n de O

Nata ferson

Vitória aparecida Gomes de Oliveira, 13 anos

“Que os desejos sejam realizados e que a vontade de Deus faça todos felizes“ Jeferson Natan de Oliveira, 10 anos Luana Cristina Ramos Neves, 15 anos

Anúncios Anúncio

A instalação elétrica da casa de dona Alice Ferreira da Silva é bastante precária. Vários fios elétricos estão mal conectados, o que provoca vazamentos de energia, e não há “relógio” para medir o consumo de eletricidade. Dona Alice é catadora de materiais recicláveis e não tem condições financeiras para trocar toda a fiação danificada. Ela comenta que, quando chove forte, sua residência chega a ficar por volta de dois dias sem energia elétrica. Problemas elétricos semelhantes aos de dona Alice podem ser encontrados em muitas outras casas do Ferradura Mirim. Contudo, desde novembro de 2010, a CPFL vem executando a regularização das instala-

Lucas Leonardo Pereira da Silva,

“Natal é uma celebração muito boa. A família se reúne e comem juntos. É um dia especial, feliz Natal!”

Jornalistas e moradores estavam presentes na inauguração

Programa garante a segurança dos moradores e a economia de energia

e esquecer as diferenças. Feliz Natal à todos!“ 13 anos

Crianças se divertem e posam para fotos

7

Bozó - conserto e montagem de computadores antigos Rua 13, 4-25 Tel: 3203-6259

Brendon Ru

iz de Moraes

, 12 anos

Vanclei - vidraceiro e mecânico

Carreto da Fátima ou da Ju

Rua Natal Fornazari, 2-47 Tel: 9766-0263

Rua Santa Beatriz, 3-6 (14) 30182002


8

Jornal do Ferradura

Dez/Jan 2011

Perfil

Agenor Antônio dos Santos

Laura Luz/Jornal do Ferradura

Laura Luz

Passeando pelo Ferradura, muitos sons podem ser ouvidos, e o som do acordeom de seu Agenor Antônio dos Santos é daqueles que chamam a atenção da gente mais que pio de passarinho. Além da cerquinha que protege sua casa, a vida no bairro continua e, dentro de seus limites, o operador de máquinas de 75 anos vive seu mundo de música à sombra da mangueira. “A gente toca sempre com os amigos, às vezes nós fazemos nosso barulho e se pegar baile a gente toca também”, comenta com entusiasmo.

Seu Agenor veio da Bahia com apenas 13 anos, sozinho e sem família, montado em um pau de arara e decidido a conhecer o mundo. Foi

“Regularizar essas casas para a gente, isso é o principal. A gente mora e não tem nada!” para São Paulo, para o estado do Paraná, Lençóis Paulista e, desde quando chegou a Bauru, nunca mais saiu. Só no Ferradura já está há mais de 17 anos, tempo em que pode acompanhar o crescimento e desenvolvimento do bairro. Porém, ainda sente falta de muita coisa e desabafa: “Re-

gularizar essas casas para a gente, isso é o principal. A gente mora e não tem nada!”. Quando questionado sobre o que é bom na comunidade, ele conta: “Ah, o povo! Eu gosto de todo mundo. Graças a Deus tenho amigo para todo lado. Todo mundo me conhece, até a molecada”. O músico trabalha até hoje e com uma disposição invejável, mesmo em uma profissão à qual se dedica há 25 anos. Sobre a família, diz ter 5 filhos criados e uma ex-esposa, todos mantidos com pouco contato. Quando alguém fala em namoradas, fica sem jeito e solta uma risadinha de homem galante, de quem já viveu muitas aventuras e “casos passageiros”.

Ana Paula Navarrete

“Se eu perder a minha carteira, quais são as providências necessárias que eu devo tomar para conseguir meus documentos de volta?” José Carlos Pereira A primeira coisa necessária é ir à Delegacia de Polícia mais próxima e fazer um Boletim de Ocorrência. Isso é necessário para você provar que não está com seus documentos, caso alguém os utilize indevidamente. Em seguida, você deve ir à uma unidade do Poupatempo, levando o boletim, sua certidão de nascimento e fotos 3X4, para poder tirar a segunda via de todos os seus documentos. Caso tenha perdido os cartões de banco, é necessário ligar ou ir até a sua agência bancária, pedir o cancelamento dos cartões (para garantir que ninguém use sem o seu consentimento) e solicitar novas vias. Fonte: Poupatempo e Polícia Militar

DELEGACIA SECCIONAL DE BAURU Pça. Dom Pedro II, 3-20 - Centro (14) 3227-8607 POUPATEMPO Av. Nações Unidas, 4-44 – Centro 0800-772-3633 Horário de atendimento: Segunda a sexta, das 08:00hs as 17:00hs

Jornal do Ferradura  

Edição de dezembro/2010 e janeiro/2011 do Jornal do Ferradura- jornal comunitário realizado pelos alunos de jornalismo da Unesp Bauru

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you