Page 56

Alimentos Compostos para Animais

Portugal

Trocas Comerciais Invertendo a tendência do ano anterior, as importações de alimentos para animais registaram, em 2015, uma diminuição de 14% em volume, num total de 221 milhões de euros, o que ficou a dever-se à redução dos alimentos para outros animais, uma vez que os petfood praticamente estabilizaram, em grande parte devido à crescente oferta da produção nacional. Provenientes maioritariamente de Espanha (69% do total), a IACA, em 2015 e tal como nos anos anteriores, continuou a alertar as autoridades oficiais (DGAV e ASAE) para os problemas de concorrência desleal, apelando ao reforço das acções de fiscalização, designadamente ao nível dos operadores/receptores, com particular atenção nas questões de rotulagem. Dirigimo-nos igualmente aos membros do Governo, chamando a atenção para a evasão fiscal e fuga ao IVA e a necessidade, imperiosa, de revisão do IVA neste segmento de mercado, nos alimentos para animais de companhia. Algumas empresas do setor, com o apoio da sociedade civil e da IACA, apresentaram uma petição que chegou a ser discutida na Assembleia da República, no sentido de reduzir o IVA para a taxa intermédia de 13%, não tendo conseguido a ne-

cessária maioria para ser aprovada. Esperamos que tal ainda venha a ser possível nesta legislatura. A par da questão do IVA, que potencia a concorrência desleal e o comércio ilegal, sobretudo nas zonas fronteiriças, estes têm sido temas sucessivamente denunciados pela IACA, sendo os principais constrangimentos à evolução do setor de uma forma sustentada, face à crescente aceitação da produção nacional. Para a IACA, não está em causa o comércio livre de alimentos compostos, mas o cumprimento das mais elementares regras de sã e leal concorrência. As exportações, por sua vez, estiveram em baixa, com um volume de 58 635 tons, longe do recorde de 78 400 tons de 2013, diminuindo, quer em volume (-2,1%), quer em valor (-16,7%), relativamente a 2014. Representando um total de 32,8 milhões de €, Espanha continua a assumir-se como o nosso principal cliente, sendo responsável por 76% das exportações nacionais, o que significa o regresso a uma relativa concentração de mercados de destino. A estratégia passa, pois, por uma diversificação.

Importação de alimentos para cães e gatos 2005

2006

2007

2008

Ton

2009

2010

2011

2012

2013

2014

2015

TOTAL

182 549

195 978

217 914

215 999

221 502

199 909

219 722

279 999

292 002

353 925

304 327

Cães / Gatos

116 513

135 548

131 277

126 153

126 159

116 401

123 912

159 657

167 515

167 127

167 659

66 037

60 430

86 637

90 833

95 323

83 508

95 809

85 817

124 487

186 798

136 668

Outros Fonte: INE/ IACA

Exportação de alimentos para cães e gatos

TOTAL Fonte: INE/ IACA

54

Anuário 2016

Ton

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

2014

2015

9 967

14 051

33 735

27 206

22 828

43 560

44 413

64 640

78 401

59 914

58 635

Profile for IACA

Iaca2016  

Iaca2016  

Advertisement