Issuu on Google+

Ano 2 • nº 3

Fidelização, não!

O negócio agora é Lealdade Cartões de crédito e débito: como começar

Del Valle Laranja Caseira Light tem nova fórmula


Nossas palavras

Lealdade à nossa parceria! Sempre com o objetivo de trazer matérias e temas que ajudem você na administração do seu negócio, chegamos a mais uma edição da Revista Aliados VIPs. Hoje, seja qual for a atividade, o grande desafio do comerciante é conquistar os seus clientes. Com a falta de tempo e a concorrência cada vez maior, precisamos investir e cuidar da nossa clientela. Por este motivo, temos uma reportagem especial sobre o tema, com dicas para cativar o cliente. Como aceitar pagamentos em cartão de crédito ou oferecer serviços de entrega são mais alguns assuntos que trazemos nesta edição. Em todos os casos, o objetivo é oferecer mais serviços e atendimento diferenciado para conquistar o cliente. Confira ainda as novidades sobre a Campanha Aliados VIPs, os novos lançamentos e comemore conosco o aniversário de 125 anos da Coca-Cola no mundo!

Destaques desta edição Fidelização, não! O negócio agora é Lealdade Compreender o comportamento do consumidor e oferecer um conjunto eficaz de bens e serviços fazem a diferença no PDV

12

Revista Aliados VIPs agora na Internet

4

Resgate prêmios nas categorias Filhos e Lazer

5

Coca-Cola completa 125 anos Del Valle lança nova fórmula do Laranja Caseira Light

Os segredos do serviço de entregas Comunicação para conquistar o cliente

6 8 10 17

Visite sempre o nosso site www.aliadosvips.com.br e acompanhe de perto as novidades.

Cartões: segurança e facilidade

Boa leitura!

Coca-Cola Brasil realiza Semana Otimismo que Transforma

20

Coca-Cola abre as portas da fábrica de Jundiaí

22

São Paulo: uma cidade que nunca para

24

Equipe Aliados VIPs

Pausa para o lanche

18

26

Revista Aliados VIPs é uma publicação da Coca-Cola Brasil, exclusiva para os inscritos no Programa Aliados VIPs, sob a coordenação de Moisés Fernandes, Adriana Cavalcanti e Diego Barrios • Editada e produzida pela DIA Comunicação • Diretora de atendimento: Marcia Tabajara • Gerência de atendimento: Juliana Barreto • Atendimento: Larisse Lucena • Produção gráfica: Fabio Fernandez – Robson Lima • Jornalista responsável: Fernanda Pancheri (MTb 31.302/SP) • Design e editoração: Lucia Fontes.


Campanha

Revista Aliados VIPs agora na Internet!

Para acessar a revista, basta entrar no site www.aliadosvips.com.br

Acessar as informações da Revista Aliados VIPs ficou ainda mais fácil. Além de receber um exemplar impresso, os participantes da campanha já podem ler e consultar todo o conteúdo, a qualquer momento, de qualquer computador com acesso à Internet.

1

O objetivo é proporcionar ainda mais facilidade e manter as matérias disponíveis para que toda a equipe da loja possa ler, consultar e confirmar informações sempre que for necessário. Veja abaixo um passo a passo para o acesso:

1 Entre no site www.aliadosvips.com.br e coloque seu login e senha de acesso;

2 Ao entrar na página principal, o menu já traz a opção Revista (o quarto link da esquerda para a direita). Basta clicar e já aparecerá a imagem da capa da última edição da Revista Aliados VIPs;

2

3 Para folhear a Revista, é preciso clicar na imagem da capa. A Revista abrirá em uma página ainda maior, ocupando toda a tela;

4 Para mudar de página, é preciso clicar nas setas localizadas no lado direito ou esquerdo da imagem;

3

5 Se quiser ler uma matéria específica, na parte inferior, há todas as páginas da Revista em miniatura. É só escolher a página desejada;

6 Para fechar a Revista e voltar ao menu principal, basta acionar o botão Esc do seu teclado.

4

Sempre que for necessário, consulte a Revista Aliados VIPs na Internet. Se tiver esquecido a sua senha, entre em contato com a central de atendimento

5


Resgate prêmios

nas categorias

A campanha Aliados VIPs traz uma série de opções de prêmios para diversão e lazer. Depois de conferir a quantidade de pontos acumulados com a campanha Aliados VIPs, é hora de consultar no próprio site os produtos disponíveis. Para saber quantos pontos acumulou, basta consultar a opção Extrato. Já sabendo o saldo de pontos, é hora de entrar no link Prêmios e escolher o que quer ganhar. Nesta página, aparecem as diferentes categorias de prêmios: Casa, Filhos, Lazer, Loja e Você.

Para agradar as crianças, confira as alternativas disponíveis na opção Filhos. Os prêmios vão desde jogos até videogames. Veja abaixo produtos que você pode resgatar:

• bola de basquete • bola de vôlei • raquete de frescobol • bola de futebol • bicicleta aro 26

Imagens: arquivo Coca-Cola

• bicicleta infantil feminina • bicicleta infantil masculina • piscina com 2.000 L • minimoto elétrica feminina • minimoto elétrica masculina • playstation 2 • nintendo wii

Já na categoria Lazer, você pode encontrar bolas e bicicletas para aproveitar momentos de diversão com a família. Abaixo, seguem-se os prêmios disponíveis:

Escolhido o prêmio, ligue para a Central de Atendimento (0800 283 2121) e solicite o resgate dos pontos. 5

Aproveite esta época do ano e troque os seus pontos por produtos voltados à diversão e ao lazer da sua família


Memória

completa 125 anos No dia 8 de maio, a Coca-Cola completou 125 anos! Em mais de um século de existência, a história da companhia, que se tornou um verdadeiro símbolo mundial, tem sido marcada pela forte relação com as comunidades e pela inovação. Conheça alguns dos principais momentos históricos que fazem da Coca-Cola a marca mais amada do mundo:

Imagens: arquivo Coca-Cola

O surgimento de uma empresa global

O início A Coca-Cola foi criada no dia 8 de maio de 1886, em Atlanta, nos Estados Unidos, pelo farmacêutico John S. Pemberton. Naquele ano, Pemberton começou a vender a bebida na farmácia Jacob’s Pharmacy. O registro da fórmula – que permanece em segredo até hoje – foi feito no ano seguinte. Em 1888, o vendedor Asa Candler adquiriu o controle da marca e da fórmula da bebida. Em 1895, a Coca-Cola já era consumida em todo o território norte-americano. Revista Aliados VIPs

Em 1906, começou o engarrafamento da Coca-Cola no Canadá, Cuba e Panamá, os três primeiros países fora dos EUA a receberem a bebida. Em 1912, foi a vez das Filipinas, marcando a expansão para a Ásia. As primeiras fábricas fora dos EUA foram abertas em 1919, na Europa. Hoje, a Coca-Cola possui mais de 400 marcas e está presente em mais de 200 países. Apesar de ser uma referência global, a Coca-Cola sempre buscou adaptar-se às necessidades e à cultura regional dos mercados onde atua. Trata-se de uma empresa global extremamente ligada às raízes locais.

O Papai Noel A Coca-Cola começou a produzir propagandas de Natal na década de 1920. Uma série de imagens foi criada, mas nenhuma foi tão popular como a desenvolvida pelo artista Haddon Sundblom, em 1931. Ele criou a primeira ilustração de um Papai Noel muito realista, com roupas vermelhas e barbas brancas, segurando uma Coca-Cola. Pelas próximas três décadas, Sundblom criou uma série de imagens do Papai Noel, que se tornou uma referência mundial. 6


compartilhando felicidade Você também é parte desta história. A Coca-Coca Brasil agradece por ajudar na construção de quase 70 anos no País. E, com grandes eventos esportivos que certamente estão por vir, a participação de todos será muito importante para fazermos os próximos anos inesquecíveis

Propagandas de TV A Coca-Cola começou a veicular propagandas de TV, no feriado de Ação de Graças de 1950. Entre todas as propagandas, uma merece destaque: a veiculada em 1971, no auge da Guerra Fria. No vídeo, um grupo de jovens, de todas as partes do mundo, reúne-se em Roma, na Itália, para cantar a música Eu Gostaria de Comprar uma Coca-Cola para o Mundo, criada pelo grupo australiano The New Seekers.

E o Brasil em destaque!

Os grandes eventos esportivos A relação entre a Coca-Cola e os grandes eventos esportivos começou em 1928, nos Jogos Olímpicos, em Amsterdã. Para apresentar a Coca-Cola ao mundo, o presidente da empresa, Robert Woodruff, criou quiosques para vender a bebida do lado de fora dos eventos. O uso de publicidade começou nos jogos Olímpicos de 1932, em Los Angeles. Desde 1950, a empresa também participa da Copa do Mundo de Futebol.

Considerando que a próxima Copa do Mundo e as Olimpíadas acontecerão no Brasil, em 2014 e 2016, respectivamente, o nosso País deve ganhar ainda mais destaque nos próximos capítulos desta história de sucesso. Em 2012, a Coca-Cola também completa 70 anos no Brasil. Hoje, a atuação no País inclui a Coca-Cola Brasil e 16 grupos fabricantes brasileiros, além do Sistema de Alimentos e Bebidas do Brasil (SABB). Sempre respeitando as características regionais, a Coca-Cola chega a mais de um milhão de pontos de vendas em todo o território brasileiro.

Revista Aliados VIPs


Lançamento

Del Valle inova mais uma vez e lança nova fórmula do Del Valle Laranja Caseira Light Trata-se do primeiro néctar de caixinha do Brasil adoçado naturalmente com Truvía

S

empre pioneira, a Coca-Cola Brasil começa o segundo semestre com novidades. Del Valle, a maior marca da categoria de sucos e néctares prontos para beber do Brasil, acaba de lançar o novo Del Valle Laranja Caseira Light, o primeiro néctar de caixinha do Brasil adoçado naturalmente com Truvía. A novidade vai agradar ainda mais os consumidores que buscam bebidas de baixa caloria sem abrir mão de um sabor agradável. O Truvía é o adoçante natural extraído das partes mais doces da folha da estévia, uma planta original da América do Sul. O resultado é um produto light, sem adição de conservantes e muito gostoso. Com a nova fórmula naturalmente adoçada, Del Valle Laranja Caseira Light pretende atender à crescente demanda dos consumidores por produtos com multibenefícios. “O baixo teor de calorias deixou de ser o único requisito na busca dos consumidores por produtos mais saudáveis. Cada vez mais as pessoas querem opções naturais”, explica John Pinto, diretor de marketing de novas bebidas da Coca-Cola Brasil. O novo Del Valle Laranja Caseira Light, com Truvía, substituirá o atual gradativamente a partir de julho, já com a nova identidade visual da marca estampada nas embalagens.

Saiba mais sobre o adoçante Truvía • Truvía é o nome atribuído à chamada rebiana, um extrato com alto grau de pureza das folhas de estévia, uma planta da família do crisântemo, original do Paraguai e de alguns países da América do Sul; • Possui zero caloria; • É um ingrediente aprovado por entidades

como a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO);

• Hoje, a Coca-Cola utiliza a Truvía em mais

de 20 produtos, em combinação com outros ingredientes, disponíveis em países como Argentina, Canadá, França, Japão e Estados Unidos;

• A Truvía utilizada em Del Valle Laranja

Caseira Light é produzida pela Cargill e foi desenvolvida em parceria com a Coca-Cola.

Apresente mais esta novidade para o seu cliente. Além de trazer mais opções para quem busca produtos naturais e saudáveis, é uma grande oportunidade para aumentar as vendas e faturamento Revista Aliados VIPs

8


Ocasião de consumo Entre as inúmeras ocasiões de consumo, o Del Valle Laranja Caseira é um produto direcionado principalmente ao consumo durante o café da manhã. Apresente ao seu cliente o novo lançamento da Del Valle para tornar o início do dia ainda mais leve e saudável.

Revista Aliados VIPs


Imagens: © John Kounadeas | Dreamstime.com

Informações no ponto

Os segredos do

serviço de entregas

E

nzo Donna*, consultor especializado em alimentos e bebidas, diz que o serviço de entregas – também conhecido como delivery – tem crescido muito nos últimos anos. Para ele, esse tipo de serviço permite ampliar o faturamento de um estabelecimento, sem grandes investimentos em sua estrutura, como instalações físicas e equipamentos. Muitas vezes, e por diversas razões, as pessoas não querem sair de casa, estão cansadas, sem tempo ou paciência para preparar uma refeição ou ir comprar na rua uma bebida. “Só para se ter uma ideia – diz o consultor –, 50%

Revista Aliados VIPs

das pizzarias no Brasil são exclusivamente delivery e 47% têm salão e também delivery. Estamos falando de mais de 30 mil pizzarias num País que consome 547 milhões de pizzas por ano. Esses são números que impressionam”, afirma. Para ele, é claro que a necessidade existe. Há procura, mas o serviço de entregas deve ser muito benfeito, porque, do contrário, pode prejudicar, em vez de melhorar a imagem e até mesmo o faturamento do seu negócio. Se você pretende montar um serviço de entregas, fique atento às recomendações feitas por Enzo Donna na página ao lado. 10


1

Descubra quem é o seu público. Identifique os consumidores, o tipo de renda que eles têm. Veja se o bairro é residencial ou comercial. Verifique também se o público é jovem ou da terceira idade. Conhecer o seu público é importante para saber qual o tipo de produto você deve oferecer.

3

Estude os produtos mais adequados para fazer parte do seu serviço de entregas, ou seja, produtos que não vão se desmanchar na viagem, que perdem valor etc.

4

Organize um atendimento telefônico ágil, que seja feito por pessoas bem treinadas, preparadas com informações confiáveis para o cliente. Em outras palavras: não prometa o que não pode cumprir.

6 7

2

5

Ao saber o público que pretende atingir, elabore a estratégia de como chegar até ele, como vai dizer que seu produto é interessante e como fazer a sua divulgação (carro de som, folhetos, propaganda, site etc.).

A entrega e os entregadores são a “peça-chave” do negócio e, sem dúvida, aqui está o maior problema. O entregador representa a sua empresa. Se ele não fizer bem o seu trabalho, a imagem do seu estabelecimento com certeza ficará prejudicada. É importante ele estar bem arrumado (barba feita, roupa limpa, bem calçado) e treinado para ser educado e eficiente.

Deve-se ter organização nas entregas e torná-las rápidas. Por exemplo: enviar entregas em locais próximos, de uma só vez, reduz custos.

O pós-venda é muito importante! Sempre que for possível, ligue para o cliente e verifique se o pedido foi recebido em ordem. Pergunte também se ele gostou. Se houver uma reclamação, vá fundo, resolva e ligue novamente para o cliente, perguntando se o problema foi realmente resolvido. Com certeza, assim você conquistará a lealdade dele.

*Enzo Donna é administrador de empresas, diretor da ECD Consultoria Especializada no setor de alimentos e bebidas e sócio da operadora logística Fast Food. Coordenador do grupo de Distribuidores Especializados em Food Service e membro do grupo de trabalho do Brasil Food Trends 2020 (Fiesp/Ital) – área de alimentos e bebidas.

11

Lembre-se! O seu trabalho envolve pessoas e atitudes que são necessárias para o seu sucesso. Os produtos que você está entregando, por exemplo, podem ser muito bons, mas, se prometeu em um determinado tempo e não cumpriu, se a embalagem não for adequada, se faltou a Coca-Cola solicitada, se o entregador foi grosseiro, com certeza, não haverá uma nova chamada daquele cliente.

Boas entregas!!! Revista Aliados VIPs


Foto: Salvi Cruz/fotoperfil • Minimercado Boa Sorte - São Paulo (SP)

Matéria de capa

Fidelização, não!

O negócio agora é Lealdade Compreender o comportamento do consumidor e oferecer um conjunto eficaz de bens e serviços fazem a diferença no PDV

C

ada vez mais, a praticidade é uma necessidade dos consumidores. O comportamento de compra mudou ao longo dos anos e os pontos de venda também precisam acompanhar esta evolução. Antes, na época dos altos índices de inflação, as compras eram de abastecimento. As pessoas iam mais aos super e hipermercados para comprar grandes quantidades de produtos, fazer estoques em casa e evitar a alta dos preços. Depois do Plano Real, o comportamento começou a mudar. Agora, o foco é o que se chama de “reposição”, ou seja, compras pontuais para

repor o que falta em casa. O consumidor vai mais vezes ao ponto de venda para fazer compras menores. A última pesquisa realizada pelo POPAI Brasil* confirma esta tendência. No dia do levantamento, 60% das pessoas estavam realizando compras de reposição. Outros 24% estavam fazendo compras de emergência; 7% estavam fazendo compras de abastecimento; 5% estavam comprando para aproveitar uma promoção ou oferta; 2% para uma ocasião especial; e os 2% restantes realizavam outros tipos de compra (não especificados na pesquisa).

CONQUISTE O SEU CLIENTE Para conquistar o cliente, é preciso muito mais do que abastecer a loja. É preciso dedicação. Revista Aliados VIPs

Atendimento personalizado e diferenciado É preciso treinar os funcionários para sempre atenderem ao cliente com atenção e bom humor.

Relacionamento Relacionar-se é estar atento às suas necessidades e descobri-las por meio de conversas informais ou mesmo questionando se a pessoa encontrou tudo o que precisava na loja. 12


Hábitos de compra O comerciante precisa saber o que mais vende e o que menos vende em seu estabelecimento. Se tiver um cadastro dos consumidores mais leais, melhor ainda! 13

Variedade Os produtos escolhidos precisam estar relacionados ao perfil dos clientes. Não adianta ter uma grande quantidade de produtos que não atenda às necessidades dele.

Foto: Salvi Cruz/fotoperfil • Minimercado Boa Sorte - São Paulo (SP)

O consumidor também possui hoje mais opções de varejo do que no passado. Além dos grandes mercados, ele pode comprar em lojas de conveniência, minimercados, mercearias, padarias, lanchonetes, além das vendas pela Internet. Para o pequeno varejista, a mudança pode ser muito positiva. Os pontos de venda que ficam próximos a casa, ao trabalho ou no caminho entre um e outro podem ganhar a preferência do consumidor. Mas, conquistar este cliente é uma tarefa difícil, que precisa de tempo e muita dedicação. José Augusto Proença Domingues**, professor do núcleo de Ciências do Consumo da ESPM-SP, afirma que manter o cliente no ponto de venda e fazer com que ele retorne em outras ocasiões está cada vez mais difícil. Especialistas em varejo nem utilizam mais a palavra fidelização para se referir à pessoa que vai a um ponto de venda várias vezes. Agora, ele se chama consumidor leal. “Vivemos uma fase em que o consumidor é multicanal, o que significa que, para a mesma necessidade, ele consegue ter diversas formas de solução. (Por exemplo: o consumidor pode comprar um refrigerante na padaria, no mercado, na mercearia, na loja de conveniência ou até na farmácia). Então, tornar o processo de venda mais próximo, mais humano, é de extrema importância. Entender esse consumidor como pessoa será a grande diferença e criará o vínculo de lealdade”, explica. Mas, como entender o consumidor e conquistá-lo? De acordo com o especialista, tudo começa sabendo quem são os atuais clientes leais do ponto de venda e quais os motivos que o tornam leal. Algo que pode

Concorrência Saber quais são os pontos de venda que mais concorrem com o seu e o que eles oferecem ajuda a definir o portfólio de produtos e diferenciais. Revista Aliados VIPs


Matéria de capa contribuir para essa compreensão é ter algum tipo de controle de vendas e complementar com conversas informais junto aos consumidores. Para o professor, esse controle não precisa ser algo sofisticado. Pode ser de pura observação, onde o varejista tem de estar atento se o ponto de venda é mais frequentado por homens, por mulheres, o que eles compram e em quais ocasiões. Segundo ele, essas informações podem ser colocadas em um caderno, onde o empreendedor deve anotar questões como: a pessoa consome o produto na loja, leva para casa ou compra para uma festa de fim de tarde? Além disso, perguntar ao cliente se faltou algo é de extrema importância e essa informação também deve ser anotada nesse caderno. Ao fazer isso, o varejista conseguirá entender se é o preço ou se há algo a mais que atrai o cliente. Domingues completa dizendo que é necessário compreender o conjunto de produtos e serviços que atende aos consumidores que sempre vão ao ponto de venda. “Se quer vender tudo e para todo mundo, acaba virando uma loja de R$ 1,99 e não é essa a ideia”, alerta o professor da ESPM. Também é interessante saber quem são os verdadeiros concorrentes, aqueles que oferecem so-

luções parecidas com a dele. “É bom andar pelo bairro, saber o que as pessoas têm feito, entrar nas lojas, conversar com os consumidores dos concorrentes. É preciso conhecer tudo e colocar na agenda estas atividades como prioridades”, conclui o professor Domingues. Quando a dúvida é sobre ampliar o horário de atendimento, é preciso avaliar a real necessidade. Para Claudio Felisoni***, presidente do Provar (Programa de Administração de Varejo), da Universidade de São Paulo (USP), vale a pena ampliar o horário, pois, atualmente, as pessoas valorizam muito a conveniência (poder comprar a qualquer hora). No entanto, ele alerta que não basta simplesmente ampliar esse período de atendimento. O comerciante precisa avaliar muito bem os custos. “A primeira coisa que deve ser feita antes de decidir ampliar o horário de atendimento é ter uma planilha de custos. Depois disso, é preciso avaliar a frequência dos clientes, a localização, por quantas horas a mais seria interessante permanecer aberto e quanto, de fato, gastará para cada hora. Tudo vai depender do nível de informação que esse empreendedor tem do negócio. Sem isso, fica realmente difícil tomar qualquer decisão”, alerta.

*POPAI Brasil é entidade dedicada à comunicação no varejo e ao entendimento do comportamento do comprador.

Foto: Salvi Cruz/fotoperfil • Minimercado Boa Sorte - São Paulo (SP)

**José Augusto Proença Domingues é sócio vicepresidente da Sense - Envirosell, professor do MBA da ESPM e diretor do capítulo Brasil do RDI - Retail Design Institute, de Nova York.

Serviços Oferecer serviços que agreguem valor ao ponto de venda e que, muitas vezes, não aumentem tanto o gasto do varejista como, por exemplo, empacotador e entrega em domicílio.

***Claudio Felisoni é professor titular da USP e preside o Conselho do Provar. Possui graduação, mestrado e doutorado em Economia pela USP.

Horário Antes de decidir ampliar, é preciso identificar os horários de mais movimento e fazer as contas: quantas horas a mais seriam interessantes e quanto, de fato, gastará para cada hora. 14


Dicas de merchandising

Comunicação no PDV:

uma ferramenta para conquistar o cliente

Foto: Salvi Cruz/fotoperfil • Minimercado Boa Sorte - São Paulo (SP)

Foto: Salvi Cruz/fotoperfil • Minimercado Boa Sorte - São Paulo (SP)

• É preciso trabalhar a exposição, organizando os produtos de forma temática ou por ocasião. • A forma temática é recomendada para datas comemorativas, como Páscoa, Festas Juninas e Natal. Nestas épocas, é importante manter produtos que são relacionados em um mesmo local.

Sinalização

• A organização por ocasião pode ser utilizada em qualquer época do ano. Trata-se de expor, de forma próxima, produtos que, geralmente, são consumidos juntos. Por exemplo: queijo ralado e molho de tomate próximos ao macarrão; caldas e coberturas próximas à geladeira dos sorvetes. • Considerando a falta de tempo dos consumidores, a sinalização clara é o primeiro quesito que o comerciante deve observar. O consumidor precisa olhar para o estabelecimento e conseguir identificar para que lado quer ir. • O uso de cores diferenciadas também é indicado. • As placas sinalizadoras são importantes para destacar as categorias de produtos, os preços, as ofertas e promoções. O cliente apenas irá aproveitar as ofertas e comprar os produtos se conseguir localizá-los.

*George Homer é professor do FIT - Fashion Institute of Technology - NY, conduz seminários, workshops e palestras para empresas, associações e entidades de ensino, e é presidente do Retail Design Institute, capítulo Brasil.

17

• É importante não encher as prateleiras com infinitas variações de produtos. Ter variedade excessiva não é necessariamente uma coisa boa. • É preciso manter os produtos separados por segmento, como higiene e limpeza, bebidas, produtos enlatados etc. Também é possível agrupar achocolatados, cereais matinais, leite e outros produtos relacionados em prateleiras próximas para facilitar a compra.

Organização e exposição

O especialista George Homer*, presidente-fundador da GH & Associados, consultoria de varejo, dá algumas dicas de merchandising que podem melhorar a comunicação de mercearias, minimercados e padarias e fazer com que o cliente passe a enxergar a loja de forma diferenciada

• Trabalhe melhor o setor de caixas, pois, no pequeno varejo, essa região tem visitação maior e possibilita a experimentação de novos produtos. É possível estimular desde a venda de chocolates e goma de mascar, até pilhas, baralho, miniaturas etc. • Sempre mudar a posição dos produtos. Isso pode impulsionar a venda de artigos que, eventualmente, estejam com baixa saída.

Revista Aliados VIPs


Tecnologia

Cartões de crédito e débito: segurança para o varejista; facilidade para o cliente

©Vladimir Voronin |Dreamstime.com

Cresce o número de pessoas com cartões no Brasil e, para não ficar para trás, o pequeno varejista também precisa investir

S

© Igor Zakharevich | Dreamstime.com

e o principal objetivo é conquistar o cliente, facilitar as formas de pagamento também precisa estar na mira do comerciante. O uso de cartões de crédito e débito é uma realidade em todas as regiões do País, inclusive para os pequenos varejistas. Seja por uma questão de segurança ou facilidade, cada vez mais, as pessoas substituem o dinheiro e o cheque pelos cartões. Para se ter uma ideia, em 2010, havia mais de 628 milhões de cartões circulando em todo o País, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviço (Abecs)*. Já nos primeiros meses de 2011, a estimativa da entidade indicava um total de 684 milhões de cartões em circulação. Até o final do ano, o total de cartões deve chegar a 700 milhões. Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Datafolha**, no final do ano passado, identificou que cerca de 71% das pessoas acima de 18 anos possuem algum cartão, seja de crédito, débito, de lojas ou de alimentação. Entre as pessoas das classes A e B, 63% preferem pagar as contas com cartão. Na classe C, este percentual é de 44% e, nas classes D e E, de 28%.

A pesquisa também indicou as vantagens para os comerciantes. Os principais benefícios apontados foram: pagamento garantido; praticidade; segurança; agilidade no pagamento; e aumento no número de clientes. Uma das principais dúvidas para começar a aceitar os cartões diz respeito ao custo. Desde o segundo semestre de 2010, uma decisão do governo contribuiu para aumentar a concorrência e baratear o custo de utilização das máquinas de cartão. Agora, todas as máquinas aceitam mais de uma bandeira de cartão de crédito e/ou débito, ou seja, a mesma máquina pode aceitar cartões Visa e MasterCard, por exemplo. Antes, para cada bandeira, era necessária uma máquina diferente. Com isso, os comerciantes podem manter apenas um aparelho, barateando o serviço e podendo negociar descontos com as operadoras de cartões e com as empresas que disponibilizam as máquinas. Os custos envolvidos incluem aluguel mensal da máquina, taxa de administração e taxa de desconto. O valor do aluguel do aparelho varia de acordo com a empresa escolhida, o tipo e tamanho do

Preferem pagar com cartão Classes A e B Classe C Classes D e E

63% 44% 28%

Fonte: Instituto de Pesquisa Datafolha/2010.

Revista Aliados VIPs

18


Veja como

é fácil começar

Comece a receber os pagamentos em cartões, conquiste o seu cliente e ganhe mais segurança para o seu fluxo de caixa

Verifique se o estabelecimento tem todas as j condições para oferecer o serviço de pagamento com cartões. É preciso linha telefônica e pontos de energia; Consulte as opções disponíveis. Procure na j Internet ou pergunte para o gerente do banco;

estabelecimento. A taxa de administração é cobrada pelo banco que faz a negociação com as empresas do cartão de crédito. Já a taxa de desconto refere-se ao percentual que é cobrado em cada operação para pagamento à empresa de cartão de crédito. Depois de escolher a empresa que irá providenciar a máquina, o comerciante pode optar pelos terminais fixos ou móveis (sem fio). O modelo fixo é ideal para ficar no caixa ou em local que não necessita ser transportado. Neste caso, é preciso ter disponível uma linha telefônica e um ponto de energia elétrica. Já o terminal móvel, que pode ser levado até o cliente, utiliza-se das redes de celular e radiofrequência. Todo o credenciamento é feito via banco, pois o dinheiro das vendas é creditado na conta corrente do estabelecimento. No caso das compras em cartão de crédito, o valor pode demorar até 33 dias para ser creditado. Já no caso das compras pagas em cartão de débito, o prazo é de até dois dias úteis.

Depois de conhecer quais são, é hora j de entrar em contato com as centrais de atendimento dessas empresas e verificar com quais bancos elas trabalham; Entre em contato com o gerente do banco j para fazer o credenciamento; Preencha o formulário para se filiar e j apresente os documentos solicitados (como CNPJ e contrato social); Após a filiação, um representante da empresa j escolhida entrará em contato para a liberação dos equipamentos.

Atenção!

© Natalia Merzlyakova | Dreamstime.com

*Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços: www.abecs.org.br. **Instituto de Pesquisa Datafolha: www.datafolha.com.br.

Na hora de escolher, é preciso considerar o valor da taxa de aluguel da máquina, que é cobrada todos os meses. Como a concorrência aumentou e não há mais exclusividade, a dica é negociar para conseguir a melhor taxa. Há algumas empresas que já não estão cobrando a taxa de aluguel, que pode chegar a cerca de R$ 120,00. O valor da taxa de desconto cobrada em cada pagamento com o cartão é estipulado de acordo com o ramo de atividade do estabelecimento e será informado pelo gerente do banco no momento da solicitação do serviço. Em média, a taxa varia de 2% a 5% do valor da compra. A taxa de administração também varia de banco para banco. É preciso pesquisar nas agências as melhores opções. Revista Aliados VIPs


Fazendo a nossa parte

Semana Otimismo que Transforma: vendas a favor de ações sociais

Objetivo é arrecadar recursos para os programas socioambientais do Instituto Coca-Cola Brasil

A

Coca-Cola Brasil realiza todos os anos uma campanha de arrecadação de recursos para beneficiar os projetos socioambientais do Instituto Coca-Cola Brasil, entidade criada com o objetivo de ajudar a tornar o mundo um lugar um pouco melhor. A iniciativa nasceu em 2007. Durante uma semana, parte da receita dos produtos Coca-Cola vendidos é revertida para todos os programas realizados pela instituição.

Nos últimos anos, a arrecadação tem apresentado forte crescimento. Em 2007, primeiro ano da campanha, o valor arrecadado chegou a R$ 4 milhões. Em 2010, este valor já somava R$ 5,8 milhões. Este ano, a Semana Otimismo que Transforma aconteceu entre os dias 22 e 29 de maio. Neste intervalo, as pessoas que consumiram alguma bebida da Coca-Cola contribuíram para a transformação de milhares de vidas.

Com reciclagem, nada se perde. Tudo se transforma Entre as iniciativas socioambientais do Instituto, está o Programa Reciclou, Ganhou. Criado em 1996, o principal objetivo é estimular a reciclagem de embalagens e apoiar as cooperativas de catadores. Hoje, milhares de pessoas possuem nesta atividade a única fonte de renda. O programa inclui apoio administrativo e financeiro, preservando a autonomia na negociação com recicladoras, além de capacitação técnica. Há também a parte de monitoramento, com levantamento de resultados das coletas, consolidação das informações em um banco de dados e acompanhamento e gestão de metas. Com relação à infraestrutura, o Instituto realiza a cessão de equipamentos em regime de comodato (empréstimo de um bem sem a cobrança de aluguel). Os resultados do projeto crescem a cada ano. De 2007 até 2010, o número de cooperativas apoiadas passou de 34 para 130 espalhadas pelo Brasil. A renda gerada por cooperado subiu de R$ 401 para R$ 477 e o número de beneficiados cresceu de 1.219 para 4.062 pessoas. Para os próximos anos, o objetivo do Reciclou, Ganhou é ampliar ainda mais estes números. Revista Aliados VIPs

20


Cooperativas melhoram gestão e resultados Conheça as mudanças e as grandes conquistas de três cooperativas que participam do Programa: Cooperativa Mãos Dadas • Antes de fazer parte do Programa Reciclou, Ganhou, a Cooperativa não possuía um nome, trabalhava com catadores sem identificação e desmotivados, além de não ter controle de vendas ou monitoramento da produção. A partir de 2009, com o apoio do Programa, o cenário começou a mudar. A cooperativa, localizada em Ribeirão Preto (SP), criou uma identidade e, hoje, os cooperados são mais unidos. Há a realização de dinâmicas de grupo, terapias comunitárias e oficinas de orientação de saúde. Quanto à produção, há controle de informações e a Cooperativa também orienta a população quando à coleta seletiva. Conserta • A Cooperativa de Recicladores de Sertãozinho começou a fazer parte do Programa Reciclou, Ganhou em 2008. Inicialmente, a Cooperativa possuía 24 colaboradores e o salário era de R$ 0,70 ao dia, sendo necessário trabalhar seis ou até sete dias por semana. A produção era de 278,64 toneladas ao ano. Em 2010, o total de cooperados caiu para 20, porém a produção aumentou para 342,60 toneladas por ano. A renda média diária subiu para R$ 37,00 por cooperado e a jornada de trabalho recuou para cinco dias e meio.

Imagens: divulgação

Acamar • A Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis de Lavras foi fundada em 1993 e, desde 2007, participa do Programa Reciclou, Ganhou. Em três anos, a Cooperativa quase dobrou o número de cooperados (de 16 para 31) e a produção aumentou em 75%, passando de 460 toneladas para 806 toneladas ao ano. Já a renda cresceu 48%, subindo de R$ 761,00 para R$ 1.129,00 por cooperado. Com o excelente resultado, a Cooperativa ganhou uma série de prêmios, como o Itaú Eco-Mudança, Assis Chateaubriand do VII Fórum Regional de Responsabilidade Social e o Prêmio Cempre.

Nos pontos de venda, incentivar a venda de bebidas da Coca-Cola durante a Semana Otimismo que Transforma é uma maneira de participar e contribuir para a evolução e as grandes conquistas dos projetos do Instituto Coca-Cola Brasil. No próximo ano, incentive também as vendas neste período e participe! 21


Eventos

Coca-Cola abre as portas

da fábrica de Jundiaí

Fotos Jundiaí: Marina Piedade

Conhecer a fábrica da Coca-Cola Femsa é, de fato, somente para VIPs! E um grupo de Aliados VIPs pode visitar a unidade, localizada em Jundiaí, no dia 6 de abril. Trata-se da fábrica com maior capacidade de produção do mundo.

Revista Aliados VIPs

22


Durante a visita, os convidados conheceram como é feita a produção e aprenderam mais sobre a história da Coca-Cola. Os Aliados VIPs foram recebidos pela colaboradora Bruna Abifadel, tomaram café da manhã e assistiram às principais propagandas da Coca-Cola.

Engenhão Convidados da Coca-Cola curtem os jogos de seus times no camarote do Engenhão (Estádio Olímpico João Havelange), no Rio de Janeiro (RJ).

Revista Aliados VIPs


Minha cidade, meu destino

São Paulo:

uma cidade que nunca para

gu ndes De Fa

m ndes | Drea

stime.com

nário RMV Cente o n e n a li e V

e Fagu © Alexandr

A

cidade mais populosa do País (11.253.503 habitantes) e a quarta maior do mundo, São Paulo é conhecida principalmente pelas oportunidades de negócios e pelo fato de ser a cidade que nunca para. Na “terra da garoa”, há uma grande variedade de pessoas, de empresas e de culturas. As opções de ponto de venda também são muitas. Assim, para conquistar o cliente, é preciso sempre pensar no atendimento diferenciado. A Aliada VIP Veliane Jânia Celória da Silva, proprietária do minimercado RMV Centenário, localizado na Zona Sul da capital paulista, por exemplo, procura entender o cliente e trazer opções que ajudem a facilitar o seu dia a dia. Como o mercado está situado em uma região residencial, Veliane tem sempre frutas, verduras, além de pratos rápidos, como hambúrguer, batata frita etc. “Penso sempre no cliente”, afirma. Serviços como recarga de celular e bilhetes únicos ajudam a complementar o atendimento diferenciado do minimercado RMV Centenário. Na época de férias e eventos, como o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, Veliane ressalta que é preciso investir em produtos para os turistas que estão de passagem. “Como estamos próximos do Autódromo de Interlagos, percebemos um aumento de movimento em épocas de evento. Nestas ocasiões, a procura maior é por bebidas. Assim, até para outras regiões próximas a pontos turísticos, a dica é sempre deixar principalmente bebidas e lanches rápidos na entrada da loja, com boa visibilidade”, diz a Aliada VIP Veliane.

toperfil Foto: Salvi Cruz/fo

Além de muitas oportunidades de negócios, há opções de diversão e lazer para todos os gostos

dência

en da Indep e u q r a P

24


© Alexandre Fagundes De

Fagundes | Dreamstime.c om

Ponte estaia da

© Vismar | Dre

amstime.com

Saiba mais sobre os pontos turísticos

Ibirapuera

Parque do Ibirapuera Inaugurado em 21 de agosto de 1954, conta com ciclovia, quadras esportivas, pistas de cooper, passeios e descanso, além de áreas culturais. Parque Villa-Lobos Localizado às margens do Rio Pinheiros, possui ciclovia, playground, quadras, ilha musical para shows e bosque de Mata Atlântica. Parque da Independência Mais conhecido como Parque do Ipiranga, é parte do patrimônio histórico nacional e onde está localizado o Monumento à Independência. Autódromo de Interlagos Foi inaugurado em 12 de maio de 1940. É onde acontece o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1. Viaduto Santa Efigênia Com uma estrutura metálica, é usado apenas para travessia de pedestres. Foi inaugurado em 1913. Ponte Estaiada Inaugurada em maio de 2008, é a única ponte estaiada do mundo com duas pistas em curva ligadas a um mesmo mastro. Avenida Paulista É um dos principais endereços de São Paulo. Nela, está localizado o Museu de Artes de São Paulo (MASP) e o Parque Tenente Siqueira Campos, mais conhecido como Parque Trianon.

Não deixe de conhecer

Museu do Futebol stra a Pacaembu, o museu mo Localizado no Estádio do País. paralelo com a história do evolução do futebol em Shopping Ibirapuera as, da cidade, possui 435 loj Um dos mais tradicionais 80.000 amento e recebe cerca de 3.110 vagas de estacion pessoas por dia.


Receita

Foto: Marcelo Carnaval

Pausa para o lanche!

Com as férias escolares, é preciso sempre ter os ingredientes para um bom lanche a qualquer hora. Para a garotada, a dica é o Bolo de Fanta Laranja! Ingredientes

Massa: 5 ovos (gemas e claras separadas) 2 xícaras (chá) de açúcar 1 copo de Fanta Laranja 2 xícaras (chá) de farinha de trigo 1 colher (sopa) de fermento em pó Cobertura: 1 lata de leite condensado 1 vidro pequeno de leite de coco Coco ralado a gosto para polvilhar Revista Aliados VIPs

Modo de preparo Massa: Aqueça o forno a 180 graus. Bata no liquidificador as gemas, o açúcar e a Fanta Laranja. Despeje a mistura em uma tigela. Junte a farinha peneirada e misture bem. Reserve. Bata as claras em neve e adicione o fermento peneirado. Misture delicadamente e incorpore à massa reservada. Mexa e despeje em uma forma redonda untada e enfarinhada. Leve ao forno e asse até que, ao enfiar um palito, este saia seco. Retire do forno e reserve sem desenformar. Cobertura: Misture o leite condensado com o leite de coco. Fure a superfície do bolo com um palito e espalhe a mistura. Polvilhe com o coco ralado e leve o bolo ao forno por cinco minutos. Sirva no dia seguinte. 26



Revista Aliados VIPs Julho 2011