Issuu on Google+

ANDALUCÍA ......P.22

5º Aniversário - EDIÇÃO ESPECIAL Há 5 anos foi assim:

Em algarvepress.net

Foram muitas as personalidades e dirigentes que Mácario Correia, pela marcaram presença na cerimónia de apresentação AMAL, olha com atenção ao novo órgão de comunicação algarvio

um zapping pelo Algarve

DESTAQUES: Cluster do Mar Pág..... 02

Francisco Leal espreita as últimas da altura

Fonte da Benémola Pág..... 04 Ilhas Barreira Pág..... 07, 10 e 11

Os Mercados de Olhão encheram para ver o novo Algarve Press

Cidades do Iluminismo Pág..... 12 Cavaco Silva em Loulé Pág..... 15 Torneio do Guadiana Pág..... 21

Manuel Luís, o diretor e mentor do projeto que agora faz 5 anos

Horácio Carvalho representou o Governo Civil


www.algarvepress.net

REGIONAL

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

REGIONAL

www.algarvepress.net

À Babuja

Só Cinco Anos Mas Já Com Muito Peso!!!

Cluster do Mar avança no Algarve 2

A

na Margarida Magalhães, vice-presidente da CCDR, falou da importância desta associação, que resulta dos esforços feitos pela CCDR e por vários parceiros, com o intuito de estruturarem uma colaboração mais activa na temática do Mar. Já João Guerreiro, reitor da Universidade do Algarve, destacou o empenho desta instituição académica no tema, a sua capacidade instalada em domínios científicos relacionados e assegurou o compromisso e envolvimento activo da Universidade nesta associação. A sessão de abertura do Seminário focou ainda a apresentação dos resultados do projecto KIMERAA, co-financiado pelo Programa Espaço Atlântico, com destaque para o estudo comparativo do Cluster do Mar em seis regiões atlânticas “Maritime Clusters – Institutions and Innovation Actors in the Atlantic Area”. Foi também apresentado o Directório do

No II Seminário Transnacional do projecto europeu KIMERAA, realizado na passada semana, no Campus de Gambelas, a Universidade do Algarve (UAlg) e a Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR Alg) sublinharam a importância de estruturar e formalizar o Cluster do Mar na região algarvia com a criação de associação.

Mar, uma ferramenta online, que permite a identificação dos actores do Espaço Atlântico nas actividades marítimas. O seminário transnacional do KIMERAA contou com a presença de mais de setenta participantes, investigadores, estudantes e empresas, de vários países. Constituído por 4 sessões parale-

las sobre Conhecimentos e Tecnologias para a Gestão de Recursos Marinhos e Costeiros, Consolidação do Cluster Marítimo, Tecnologias Marítimo-Ambientais e Turismo Costeiro e Cultura, o seminário apresentou um conjunto de temas actuais e cruciais para o desenvolvimento da Economia do Mar. Em

paralelo,

realizou-se

uma mesa redonda onde se debateram os “Contributos para uma Visão Estratégica” do Mar no Algarve, que reuniu diversos stakeholders regionais. Regina Salvador, docente da Universidade Nova de Lisboa, sublinhou o potencial e os benefícios que uma aposta estratégica nesta área pode ter para o País. A Oceano XXI, associação nacional para o Cluster do Mar, encerrou o seminário apresentado as suas actividades recentes e apelando à participação activa do Algarve na dinâmica nacional do Cluster do Mar.

UALG ► Mais em:

www.kimeraa.eu

Em plena comemoração dos cinco anos de Algarve Press, recordo as imagens com mais de 20 anos do derrube do Muro de Berlim, na Alemanha, também conhecido como Muro da Vergonha, e recuo aos dias da euforia, mais atrás ainda, aos dias de todas as promessas de Abril de 74, num turbilhão de sentimentos de alegria misturados com muita desilusão pelas promessas incumpridas. Afinal, a queda do Muro de Berlim, em 89, simbolizou o mesmo que a queda do regime ditatorial português. As mesmas ambições de Liberdade e Progresso Social foram gritadas, lá como cá. E, vejam bem…, também os alemães , sobretudo os de Leste, continuam a sentir-se desiludidos com o processo de libertação, no seu caso porque alegadamente se sentem descriminados socialmente entre os seus compatriotas ocidentais. Lá como cá, portugueses e alemães, continuamos a sentir que as respectivas “perestroikas”, passados tantos anos, não foram para todos, continuam a haver uns mais iguais que outros, isto é, uma minoria de instalados... continua a “comer papas” na “cabeça” da maioria, constituída pelos enganados! Tal como os Cravos de cá,

as Picaretas que lá deitaram o Muro abaixo não conseguiram sanar muitas das diferenças e injustiças da opressão e, pelo contrário, em muitos casos até foram agravadas. Não por culpa dos Cravos e Picaretas, muito menos de quem os empunhou, claro está. Como diria o grande (gordo) Jô Soares - “sempre prós mesmos”!!! Mas, como a esperança é sempre a última coisa que se deve perder, apesar de perseguido por alguns que não me perdoam três décadas de verticalidade e verdade na notícia, até porque, como diria Maria José Nogueira Pinto..., eles sabem que eu sei que eles sabem que eu sei..., continuo a ser dos tais a quem os “muros” da vida, venham eles de onde vierem, não metem medo, pelo contrário, continuo a gritar bem alto e com todo o sentimento o poema do grande António Aleixo, tanto para antigos como para os novos senhores, alguns que até já se esqueceram das suas humildes raízes por mor do poder que agora têm, qual chave do palheiro para o pobre soberbo: “Vós que lá do vosso império prometeis um mundo novo, cuidado porque pode o Povo querer um mundo novo a sério”. Ciente do peso que o nosso jornal já adquiriu na so-

Capa da 1ª Edição do Algarve Press com design e paginação de Vico Ughetto da SWITCH

ciedade algarvia, apesar de ser um bebé com cinco anos e não estar ligado a “grupos”, porque tenho sido acarinhado por uns (maioria) e nem tanto por outros (como os percebo!), recordo, a quem não sabe ou faz de conta, que este algarvio, ilhéu da Ilha de Stª. Maria (Culatra-Hangares e Farol), criou um semanário (agora quinzenário) bilingue (português-espanhol) (www. algarvepress.com), com sede na Andaluzia, que, na internet, também com o diário (www.algarvepress. net), no último ano ultrapassou os dez milhões de clics nas páginas net. Alegra muitos, incomoda vários, mas, graças a uma equipa de colaboradores da mesma raça e à ligação à equipa profissional e competente da SWITCH,

continuaremos a fazer o jornalismo de proximidade e isenção que há cerca de 30 anos nestas lides caracteriza este vosso amigo e, por consequência tem caracterizado e continuará a caracterizar ALGARVE PRESS. Assim, também em homenagem a Tóssan, algarvio de Vila Real de Stº. António, um ilustre farense do Liceu de Faro que nunca se calou, a desenhar ou a caricaturar e a escrever, termino com as suas palavras, como um “barrete” que enfia a quem couber: “Há pessoas que não podem comigo. Não pelo peso que comigo peso, mas pelo peso que peso nas pessoas”. Manuel Luís Diretor do Algarve Press

3


www.algarvepress.net

TURISMO

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

ro, permitir que os visitantes possam fazer uma visita guiada ao espaço, apoiados por uma gravação, utilizando o seu telemóvel ou PDA. Com a criação destas Paisagens Protegidas Locais, os principais objectivos passam por proteger e conservar os valores biofísicos, estéti-

Novo Regime Júridico Dinamiza Fonte Da Benémola 4

Mais de meia centena de

pessoas marcou presença na Assembleia de Freguesia de Querença, que decorreu no passado sábado, dia 9 de Julho, no idílico cenário da Fonte da Benémola. A nova designação jurídica deste ex-líbris ambiental – Paisagem Protegida Local – foi o mote desta sessão extraordinária onde foi explicada à população as novas potencialidades da Benémola. “Este momento assinala a mudança de paradigma da gestão da Fonte da Benémola. No passado foram cometidos erros em relação a esta área protegida, que foi deixada ao abandono por quem aqui tinha responsabilidades. Houve sempre uma desconfiança em relação ao papel que as autarquias – Câmara Municipal e Juntas de Freguesia – poderiam ter na sua dinamização, mas o novo enquadramento legal vem agora reforçar a confiança nestas entidades”,

Assembleia de Freguesia apresentou projectos à população. Parceria com Quinta da Ombria permitirá requalificação da Área Protegida Local sublinhou o presidente da Assembleia de Freguesia, Bruno Inácio que sublinhou ainda “a importância de sair de dentro das paredes dos organismos públicos e trazer as instituições para o terreno, onde as coisas acontecem. Este dia marca um virar de página nesta Freguesia, e o simbolismo de realizarmos esta assembleia neste local vincará ainda mais tal marco”. Igualmente satisfeito estava o presidente da Junta de Freguesia de Querença, Manuel Viegas dos Santos, que mostrou o empenhou da autarquia local para dinamizar a Benémola e do seu Vale. “Finalmente a nossa Fonte vai ter um novo ciclo que será de grande importância para o próprio desenvolvimento da nossa freguesia”, disse. Já o vereador do Ambien-

te da Câmara Municipal de Loulé, Aníbal Moreno, enquanto presidente da Comissão Directiva que está a gerir as Paisagens Protegidas Locais da Rocha da Pena e da Fonte Benémola, foi bastante crítico em relação ao Estado Central por ter deixado ao abandono estas áreas. “Durante anos não se importaram minimamente com a gestão, a manutenção e a segurança da Fonte e de toda a sua envolvente”, sublinhou.

Anibal Moreno explicou aos participantes nesta Assembleia todo o processo que levou à passagem da Benémola de Sítio Classificado para Paisagem Protegida Local, até à aprovação do respectivo Regulamento, que já está em vigor. E falou ainda das diversas actividades que já estão programadas neste novo ciclo de vida das Paisagens Protegidas Locais, em particular das acções de limpeza e requalificação, colocação de sinalética informativa, projectos com escolas para a educação ambiental e dinamização do espaço e ainda de um projecto que tem em mente, pioneiro nesta área, que irá, no futu-

que vão potenciar o retomar da agricultura no vale da Benémola, colaborando ainda na conservação do espaço e na divulgação das actividades que aqui decorrerão. Aníbal Moreno sublinhou a importância destas parcerias com entidades privadas, na medida em que é funda-

Assembleia Freguesia Querença na Benemola com a presença de Hélder Martins e Aníbal Moreno ao centro.

cos, paisagísticos e biológicos do Barrocal; fomentar de forma equilibrada e sustentada, o desenvolvimento económico, social e cultural da região, incentivando e apoiando as actividades tradicionais, a recuperação de povoados e construções antigas de arquitectura tradicional, potenciando os recursos naturais e humanos; promover o ordenamento do território para que o seu uso seja feito sem prejuízo dos fins referidos; promover a divulgação dos seus valores naturais, arquitectónicos/arqueológicos e estéticos, bem como criar condições para a divulgação destes valores, como pólos de atracção turística ou de lazer.

Quinta da Ombria parceira Nesta ocasião foi ainda celebrado um protocolo entre a Comissão Directiva da Fonte da Benémola e a Quinta da Ombria, através do qual a empresa participará na recuperação das levadas, inactivas há dezenas de anos, e

mental “haver o envolvimento dos agentes locais para a valorização do nosso património ambiental”, afirmou. O vereador deixou ainda um apelo a toda a população para que tenham um papel interventivo na vigilância da área, para que seja possível preservar esta obra única (as levadas), construída há muitas dezenas de anos. Já Hélder Martins, director geral da Quinta da Ombria, realçou as potencialidades turísticas deste valor natural para esta zona do interior do Concelho de Loulé. “A empresa predispõe-se a investir neste espaço porque para nós a componente ambiental deste projecto é a sua principal valência, sendo a maior valia que podemos apresentar a quem nos visita”, disse este responsável. Refira-se que as duas bancadas da Assembleia de Freguesia – PSD e PS – mostraram-se favoráveis a todas as propostas apresentadas nesta sessão.

TURISMO

www.algarvepress.net

Opinião O poder dos media na actual conjuntura Numa conjuntura de crise como a que vivemos, a sobrevivência de um jornal como o Algarve Press é por si só digno de registo, quanto mais pelo sucesso que este título alcançou ao longo da sua existência. Os media, pelo impacto da sua actividade, têm alcançado um enorme poder junto da opinião pública, poder esse que vai muito para além de informar; cai mesmo na tentação de moldar opiniões em detrimento de outras e em que nos casos mais perversos está na génese de classes dirigentes regionais/ nacionais que trocaram a qualidade do seu raciocínio e da sua intervenção pelo mediatismo fácil e gratuito. E neste aspecto, partilho mesmo das ideias do Prof. Medina Carreira acerca da responsabilidade dos media no estado a que o País chegou. De facto, esta crise tem para os media um efeito nocivo, uma vez que foram os políticos fabricados por estes, que lançaram esta crise sobre nós, atirando para a falência um conjunto de empresas editoriais. Tornam-se cada vez mais importantes os projectos editoriais independentes, que se pugnem pela qualidade editorial. Mais, são necessários apoios a estes projectos, apoios de várias naturezas, até pelo facto de haver uma geração de pessoas mais ou menos jovens, dispostos a dar a

cara pela qualidade de governação e o seu contributo no melhoramento deste estado de coisas. Pessoas estas, que utilizam os media nas suas várias formas para apresentarem ao público as suas ideias, para as defender e contribuir para a sua execução. Em 2013, o País vai a votos, de novo! Para as autarquias. No Algarve acontecerá algo de interessante. A grande maioria dos autarcas que hoje governam a nossa região, não se podem apresentar a votos, significando uma janela de oportunidade para o aparecimento de novas ideias e inovadoras formas de execução das mesma. Talvez fosse útil, cerca de ano e meio antes, que começasse a haver um verdadeiro debate de ideias, em que os media sejam o veículo preferencial, em vez das máquinas partidárias. Feliciano Barreiras Duarte, hoje Secretário de Estado, dizia-me há uns meses que a política está conotada com um pântano, sujo e depressivo e que os media, seriam no futuro a sua ferramenta de limpeza. Eu digo, que são projectos como o Algarve Press, pela sua independência que podem realmente fazer a diferença nesta questão. Parabéns a toda equipa editorial!. Ricardo Gomes

5


www.algarvepress.net

REGIONAL

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

Opinião Jovens de Portimão vão ter voz activa Parabéns AlgarvePress

6

Está de facto de Parabéns toda a equipa chefiada pelo Manuel Luís, pelos 5 anos de publicação do “AlgarvePress”.

-se hoje uma referência diária para quem quer estar informado sobre as regiões que se propôs, desde sempre, ajudar.

Como colaborador, sei bem todas as dificuldades que estão por detrás de manter uma estrutura deste calibre, onde é cada vez mais difícil sobreviver e daí ter de sublinhar todo o meu apreço por mais um ano cumprido.

Tudo isto feito com a frontalidade e a sua especial maneira de “Chamar as coisas pelos seus nomes” que é regra da casa. Não é pelo facto de ser incómoda que uma notícia deixa de o ser, não é pelo facto de ser boa que torna de nós bajuladores ou subserviente.

A sua estrutura pioneira, ser um jornal bilingue com intenção de aproximar terras tão cerca como o Algarve e a Andaluzia, elevou-o a um patamar onde o rigor de informação é imprescindível e a actualidade tem de ser uma constante. Toda a caminhada (dura) foi feita nesse sentido, com a modernização do Jornal com o facto de poder ter à disposição dos leitores uma versão “online” de carácter diário. De semanário de começo tormentoso, tornou-

Uma notícia terá que ser sempre alvo disso mesmo, “ser notícia”, seja ela popular ou impopular e isso é um valor ético e moral da qual, enquanto colaborador, tenho a certeza de que a linha editorial se manterá. Espero sinceramente ter a oportunidade de vos poder felicitar por muitos e muitos anos. Bem Hajam !!! Zé Gonzo

A acção, como nos anos anteriores, terá uma forte componente pedagógica,

onde se pretende que os jovens tenham contacto com as freguesias do interior do Concelho de Loulé (Alte, Ameixial, Benafim, Querença, Salir e Tôr), como forma de valorização, respeito e protecção do nosso património comum, a floresta. Realizam também a vigilância, prevenção dos incêndios florestais; sensibilização e informação às populações (com entrega de folhetos) e interacção com a população mais idosa e isolada.

REGIONAL

“Ilha de Faro: expulsão dos pescadores é desumana e ilegal”

Desenvolver estruturas que promovam a participação dos jovens na sociedade é o grande objectivo do Projecto DYPALL - Developing Youth Participation at Local Level, programa internacional que reúne 10 parceiros de 5 países (Portugal, Roménia, Estónia, Polónia e Itália) e que foi apresentado em Portimão, em conferência de imprensa. Esta apresentação foi um dos pontos do programa da reunião de parceiros. Durante dois dias os intervenientes trocaram ideias, experiências, apresentaram os seus problemas e possíveis soluções, e definiram em conjunto a melhor forma de transpor para a realidade, e tornar

eficaz e apelativa esta nova estrutura impulsionadora da participação dos jovens na vida política da cidade. A aposta na juventude e na definição de uma política mais activa para este sector é uma preocupação do Município de Portimão. O Março Jovem, a Loja Ponto JÀ, os projectos de acção educativa ou as Férias Desportivas são alguns exemplos do que autarquia tem vindo a fazer nesta área, pelo que integrar este projecto de criação de espaços na Europa onde os jovens possam dar o seu contributo e onde sintam que a sua voz é ouvida, enquadra-se na política que tem vindo a ser desenvolvida em Portimão.

www.algarvepress.net

O Presidente negou isso, tal como negou a intenção de proibir a entrada de carros na Ilha. Mas os fatos mostram que mentiu. Os CFC falaram verdade. A expressão da Câmara “pescadores vão ter casa nova”, merece dos CFC um forte repúdio. Apresentar as casas como se fosse uma benesse é o cúmulo do cinismo e uma provocação, pois os pescadores nada pediram e têm recusado sair da Ilha. Por outro lado, como nos Acordos assinados pela Câmara com o Governo apenas essas pessoas da Ilha podem utilizar a centena de casas que está previsto construir, perante as recusas muitas delas podem acabar por ficar vazias.

Da esquerda para a direita: Representante da Estónia, Coordenador do Projecto, Bruno António; Isabel Guerreiro, Vereadora da Câmara Municipal de Portimão e representante da Itália. - Arquivo CMP / Filipe da Palma

Jovens Voluntários Iniciam Vigilância Florestal A Câmara Municipal de Loulé, através do Serviço Municipal de Protecção Civil, iniciou, no passado dia 4 de Julho, a IV Edição do Programa de Voluntariado Jovem – “Vigilância Florestal – 2011”. Trata-se de uma actividade dirigida a jovens com idades entre os 13 e os 18 anos que conta com o apoio das Juntas de Freguesia do interior do Concelho.

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

“Na autarquia, a “nova coli- Através de nota de imprensa, que transcrevegação Macário/ PS” de “bra- mos na íntegra, os CFC – Movimento Autárquico ço dado”, pressiona pesca- Independente, liderado pelo ex-edil José Vitodores. Após a Assembleia rino, afirmam que “a expulsão dos pescadores Municipal, a Câmara divul- é desumana/ilegal e estes recusam sair. Vão gou na semana passada uma esbanjar-se milhões. CFC é contra”. notícia largamente difundida pela imprensa, referindo haver “casas novas para os pescadores no Montenegro”. Porque a autarquia escondeu as questões essenciais, os CFC – Movimento Autárquico Independente, por direito e dever, tornam pública a gravidade da situação: - Está em causa uma pressão desumana da “nova coligação Macário/PS” para expulsar da Ilha a classe piscatória, que aí se fixou há mais de um século(1890); - Está em causa uma intenção de expulsão que é ilegal face ao POOC, pois este determina o realojamento na própria Ilha e obriga à aprovação prévia de planos, o que não se verifica. Os pescadores seriam expul-

sos das suas casas e teriam de pagar rendas nas novas. - Está em causa um esbanjamento superior a 20 milhões € para demolições no Concelho, num país às portas da bancarrota. Só para as casas que a Câmara agora anunciou são 6 milhões e o Município vai pedir 2 milhões, apesar dos pescadores recusarem sair. Há 24 anos, sendo o Eng. Macário Correia Sec. Estado do Ambiente, foram demolidas 180 casas. Agora, com o voto favorável do PS quer acabar o “trabalho”. A “nova coligação” (nesta e noutras matérias) é tão forte, que o Presidente da Câmara e os Vereadores PS têm andado de “braço dado” pressionan-

do os pescadores para sair. Durante a campanha eleitoral, os CFC já haviam alertado que as posições de ambos eram iguais. Por outro lado, desde Outubro do ano passado que os CFC têm denunciado que estavam em curso manobras para expulsar os pescadores.

Na Assembleia Municipal, os CFC expressaram-se frontalmente “contra todas as matérias relacionadas com decisões cujo objetivo é renaturalizar as zonas poente e nascente e fazer sair as pessoas da Ilha”. Mais afirmámos “não imaginar, quem e como vão forçar as famílias a abandonar as suas casas”. Para os CFC, por direito natural, legitimidade e humanismo, ninguém poderá expulsar os pescadores, “cortando” as ancestrais raízes que os ligam à Ilha”, conclui o documento CFC.

7


www.algarvepress.net

REGIONAL

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

Escoteiros de Portugal Comemoram Centenário No centenário da criação do primeiro Grupo de Escoteiros em território português, os Escoteiros de Portugal organizam o Aca m p a m ento Nacional do Centenário – AcNac onde vão juntar mais de 1 600 escoteiros de vários países. De 1 a 7 de Agosto, na localidade de Arca, jovens de Portugal, Espanha, Alemanha, Rússia, Islândia, An-

gola, Guiné-Bissau e Cabo Verde, juntam-se no acampamento que será montado no sopé da Serra do Caramulo para viver uma ex p er iên cia i n es qu e cível e celebrar o Centenário do Es cot ismo Por t ug u ês. “Escotismo para todos” é o lema geral que orienta os Escoteiros de Portugal e que será transversal a todo o encontro.

postos de socorro nas praias algarvias

8

No âmbito do acordo celebrado entre a Administração Regional de Saúde e a Cruz Vermelha, as praias do Algarve serão as únicas do país que terão instalados postos de saúde este ano. A Delegação de Tavira da Cruz Vermelha Portuguesa, tem a seu cargo 5 Postos de Socorro nas seguintes praias: • Ilha de Tavira • Praia do Barril • Praia de Cabanas • Praia da Retur • Praia de Altura

Este ponto de atendimento destina-se a todos os utentes que frequentem as praias referidas, e necessitem dos primeiros cuidados. Para tal, encontra-se diariamente um enfermeiro, onde cabe à nossa delegação toda a organização, apoio logístico e supervisão Horário de funcionamento: Todos os dias das 10:00 às 20:00

REGIONAL

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

Álvaro Paço homenageado na Casa do Povo

Macário Correia e Vitorino Inácio juntos ao homenageado

Rastreio Dermatológico Em Castro Marim Consciente da importância da profilaxia no tratamento de doenças de pele, a Câmara Municipal de Castro Marim promove, de 18 a 22 de Julho, um rastreio dermatológico gratuito, destinado à população. O rastreio dermatológico no concelho de Castro Marim será conduzido pela médica dermatologista Dr.ª. Manuela Aguiar, que se disponibilizou a colaborar com a Autarquia nesta acção de saúde, e visa, em primeira análise, uma atitude pedagógica junto dos castromarinenses para a necessidade de prevenir eventuais doenças de pele.

A Câmara Municipal entende que este rastreio dermatológico é de grande utilidade, tanto mais, que estamos no Verão e há uma tendência natural das pessoas para longas exposições ao Sol, ignorando a acção nociva dos raios ultravioleta para a saúde, os quais são responsáveis pelo crescimento exponencial das doenças cutâneas. A iniciativa é extensível a todas as freguesias e terá início em Castro Marim, dia 18 de Julho, terminando em Altura, dia 22 de Julho, das 09.30 às 12.30 e das 14.00 às 17.30 horas.

Reutilização de Manuais Escolares Com o objectivo de tornar mais acessível o conhecimento e a cultura aos cidadãos e, paralelamente, reduzir custos e optimizar os rendimentos das famílias com a educação dos filhos, a Unidade Orgânica de Educação e Acção Social da Autarquia, através da Biblioteca Municipal, está a levar

a cabo uma campanha de reutilização de manuais escolares.  A acção decorre nos meses de Julho, Agosto e Setembro e destina-se a facilitar o acesso de todos os manuais escolares que já não são necessários e que podem ser reaproveitados e reutilizados.

Em cerimónia realizada no dia 25 de Abril, no salão de festas da Casa do Povo da Conceição de Faro (CPCF) , o empresário farense Álvaro dos Santos Calçada Passos foi homenageado em reconhecimento pelo grande apoio que o Álvaro Paço, desde longa data, tem dado a esta Casa do Povo, nomeadamente ás suas actividades culturais e desportivas. Para perpetuar no nome do benemérito, foi atribuído o nome de Alvaro Paço ao salão principal da Casa do Povo. A placa foi descerrada na presença de antigos e recentes corpos gerentes da CPCF, cerimónia onde não faltou o presidente da autarquia farense, Macário Correia, acompanhado da veração. O homenageado, visivelmente emocionado, rodeado de familiares e amigos, agradeceu o reconhecimento da Casa do Povo da Conceição de Faro e da Câmara Municipal da capital algarvia. Na festa participou ainda o Rancho Folclorico da Casa do Povo. A justificação para esta merecida homenagem está no facto de o Álvaro Paço, desde há muitos anos, ser um amigo generoso da Casa do

Povo. Comparticipou por várias vezes, nas obras de conservação e restauração do edifício sede, a última das quais foi já no inicio do mandato desta direcção; Foi durante vários anos, o principal patrocinador da equipa de ciclismo, da Casa do Povo; Tem sido o principal patrocinador da Charola que sem a sua preciosa ajuda não teria conseguido manter os mais de 30 anos de actividade consecutiva; A sua incansável disponibilidade para ajudar mereceu da parte dos que com ele privam nestas actividades uma carinhosa forma de tratamento, chamando-o por “mano Álvaro”.   Nota da direcção: Nunca é tarde para noticiarmos iniciatívas como estas. Propositadamente deixámos para a edição do 5º. Aniversário de Algarve Press esta justa homenagem ao empresário e benemérito Álvaro Paço. Há muito que chegam ao meu conhecimento as muitas ajudas que este homem dá a colectividades e individualidades ligadas à cultura, desporto e outras áreas do associativismo. Bem haja Álvaro Paço. ML

www.algarvepress.net

Opinião

Uma mão cheia de bom jornalismo À passagem do 5º. aniversário do jornal Algarve Press é com imensa satisfação que me associo a esta efeméride observando que  este semanário regional continua em crescendo na sua evolução informativa, de forma isenta, rigorosa, imparcial e objectiva. Um bom jornal nunca está completo, a busca constante da noticia, com credibilidade, rigor e isenção, tem de ser marca registada de qualquer órgão de comunicação social. Há sempre duas formas de fazer jornalismo, uma delas é fazer bem. E o Algarve Press fá-lo bem. É frequente ouvir-se, aqui e ali, a expressão: “Não acredites em tudo o que os jornais escrevem”. Pois é! Infelizmente também existe mau jornalismo. E é a partir daí que nasce alguma descrença nos leitores mais atentos e exigentes. O Algarve Press nasceu da crença de um homem, da sua humilde vontade de bem servir o Algarve noticioso. O seu Director, Manuel Luís, é esse homem. Da sua crença nasceu um jornal diferente, com muito para evoluir, é certo, mas que tem dado os passos certos no caminho do su-

cesso entre os seus pares. Como dizia o poeta, o caminho faz-se entre o alvo e a seta. O Algarve Press tem sido uma seta apontada a um alvo de sucesso jornalístico, ainda incompleto, é certo, mas com provas dadas que a sua evolução é constante na procura de um jornalismo de qualidade, em prole da causa noticiosa, de forma bilingue, única e de qualidade. A isenção e o rigor não têm de ser necessariamente inimigos da qualidade, nem o jornalismo tem de estar ao serviço de interesses pessoais, políticos ou outros. E, numa análise despretensiosa aos cinco anos de actividade e sobrevivência do jornal Algarve Press, sente-se nas suas páginas que a informação que nos é dada a consumir é credível e profissional. O Algarve ficou a ganhar com a criação deste jornal, os leitores também, o jornalismo idem. Assim sendo, PARABÉNS pelo vosso aniversário, e continuem no vosso trilho. Um abraço. António Cartaxo Dirigente Nacional do SPP/PSP (Sindicato dos Profissionais de Policia)

9


www.algarvepress.net

REGIONAL

Opinião

Cinco anos passaram… Os mesmos cinco anos que se fosse uma criança, seria motivo de grande festa. Os papás convidavam os amiguinhos mais próximos a que juntavam familiares. Cantavam, antes de apagar as velas, os parabéns. Batiam palmas e os beijinhos da praxe. Tudo, nesse dia seriam sorrisos. Votos de futuro próspero, blá, blá. e cada um ia para sua casa ainda a saborear o bolo. O futuro, com esta idade, é incerto e só muito mais tarde se saberá.

10

Mas estamos a falar de um órgão de Comunicação Social. O número de dias dos cinco anos é o mesmo. A trajectória é que é diferente. Se um casal projecta o herdeiro, os mentores do órgão também o projectaram e quando este dá o primeiro passo – saída do primeiro número – recebem abraços

e comentários a incentivar à continuidade. Palavras recebidas com alegria. “Consegui (mos)! Mas a verdade é bem outra. Começam as primeiras dificuldades. A concorrência. É preciso fazer melhor. A equipa é pequena, precisamos de aumentá-la. Mas como se o dinheiro é pouco? Joga-se a mão a amigos que gostam de escrever e o fazem graciosamente. Mas a”máquina” já não pode parar e vêm as primeiras negas de obtenção de publicidade. A nega de um, cria alento para contactar outro. Sai o segundo número, terceiro, quarto. O mercado está ganho! Muitas horas de insónias. No caso, clica-se e sabe-se onde o jornal é lido. Provavelmente

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

emigrantes da zona. Fica a dúvida. A “máquina” continua em ritmo crescente. Vêm as exigências e, como no caso do AP, criou uma edição semanal em papel. As pessoas gostam de sentir o papel. Semanário que levou algum tempo em aperfeiçoamento, surgindo agora como quinzenário., que segundo o seu director, sofreu profunda alteração, passando a quinzenário. Não vai ser tarefa fácil, embora os custos sejam talvez – não é preciso pagar porte dos CTT – mais baixos. Mas estamos em época de recessão económica. As portas fecham-se na palavra chamada “crise”. Crise efectiva para uns, fantasiada por outros. Temos de aceitar e dar a volta por cima. Essa será a tarefa do director Manuel Luís. Tarefa nada fácil. O fácil está feito! É preciso coragem para continuar e a força deste defensor da sua terra e do Algarve é bem conhecida.

O desafio está lançado a este homem de fibra quando surgem as injustiças. Que acorre, ou algum outro da sua equipa a defender de punhos serrados aqueles que sofrem e não têm onde se manifestar. E nessa luta constante, dentro das elementares regras do direito de informar sem dependência de quer que seja que a partir de agora, no dia a dia serão compilados os principais assuntos do nosso Algarve. É nesse sentido que, sem temer aqueles que pela frente nos dão beijos e por trás espetam a espada – porque a lâmina da faca é curta – que vou juntar as minhas palavras às da restante equipa, não na defesa de interesses pessoais, mesquinhos, mas da comunidade em que me encontro inserido. Que o desânimo não te deixe fracassar – fracasso que seria nosso também. PARABÉNS!!! Que venham mais cinco! Geraldo de Jesus

Barcos para a Ilha a funcionar Tiveram início esta quinta-feira as carreiras de barco com partida do cais das Portas do Mar para a ilha de Faro. Até final de Agosto estão à disposição dos utentes seis saídas diárias para uma viagem com a duração aproximada de 30 minutos.

anos (ida e volta). Os bilhetes só de ida estão fixados em 1,80€ e 0,90€ respectivamente. O preçário não sofreu alterações em relação ao ano anterior.

É de referir que as carreiras fluviais com saída de Faro (Cais das Portas do Mar) Em Setembro serão feitos para as ilhas do Farol e Culaajustes nos horários que tra, já estão a operar desde serão oportunamente comeados de Junho e vão manmunicados pela empresa.  ter-se com a actual frequênO preço dos bilhetes variam cia até final de Agosto. Em entre os 3,00€ para adulto Setembro serão concertados (ida e volta) e 1,80€ para as os horários que serão oporcrianças entre os 4 e os 11 tunamente comunicados.

A empresa garante vários horários diários entre estas ilhas (Faro > Farol > Culatra) e tem como preços para adultos (ida e volta) 5,00€, bilhete de adulto só de ida a 2,80€, sendo que as crianças entre os 4 e os 11 anos

só pagam metade do valor mencionado. Esta oferta no concelho vem não só aliviar o acesso à ilha de Faro no período do Verão, como permitir o acesso às restantes ilhas do concelho.

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

REGIONAL

www.algarvepress.net

Culatra em Festa Assinala-se a 19 de Julho o XXIV aniversário Dia da Ilha da Culatra. Nesta data inesquecível para todos os Culatrenses e farenses recorda-se o ano de 1987 quando, numa atitude até então inédita, os populares se uniram e vetaram as eleições legislativas, como forma de protesto e de reivindicação por melhores condições de vida. A comunidade amadureceu e não mais deixou de lutar e tem sido deste forma que tem alcançado progressos. A Câmara Municipal associa-se a estas comemorações e é parceira da Associação de Moradores da Ilha da

Culatra (AMIC) na preparação dos festejos. Das várias actividades previstas destacamos a inauguração da Biblioteca Escolar pelas 19h00 a e às 19h20 a homenagem às figuras de referência da ilha com atribuições toponímicas. Esta é a oportunidade para, junto dos familiares daqueles que tanto fizeram pela Ilha e pelos culatrenses, manifestar o reconhecimento público pela sua coragem e dedicação. Esta homenagem irá perpetuar-se para as gerações futuras que irão percorrer as ruas desta ilha. A Culatra passará a ter a “Avenida 19 de Julho” que

recorda o ano de 1987; a “Rua Padre Henrique” pároco que serviu a Ilha; a “Rua Ana Laura Quintino” fundadora da AMIC e da Associação Nossa Senhora dos Navegantes; “Rua Antónia da Costa Ferreira” que exerceu a actividade de parteira e dedicou a sua vida a ajudar o próximo; “Rua Isabel Argel Lisboa” enfermeira/parteira natural da ilha; “Travessa José Júlio de Sousa” dirigente associativo e “Rua João

Opinião

O significado da neurose Nada mais justo do que fazer uma simples homenagem de reconhecimento ao Director do Jornal Algarve Press, Manuel Luís, quando comemora o seu quinto aniversário. Tem sido com muito trabalho, dedicação e, sobretudo, muita isenção que este projecto tem evoluído, merecendo de todos nós (colaboradores) os votos de muito sucesso no futuro. É com elevada motivação que dou início ao novo ciclo de crónicas sobre Saúde Mental, consciente de que as temáticas a abordar, quinzenalmente, serão do interesse de todos os leitores. Desde já, saliento a importância do intercâmbio de comunicação, porque considero importante essa acção recíproca, disponibilizando para o efeito o seguinte endereço de correio electrónico: saude@omne-

clinic.net – A acção participativa é fundamental, pois valoriza o conteúdo das temáticas que se vão abordando ao longo do tempo. É sabido que os distúrbios psíquicos afectam cada vez mais pessoas, e o crescente aumento do consumo das drogas psicotrópicas não nos deixam quaisquer dúvidas quanto a esta constatação. Mas isto não significa que as pessoas estejam a ficar loucas. O que sucede é que existem algumas reacções exageradas de natureza neurótica que correspondem à maneira de ser de cada indivíduo e de como ele reage às contrariedades da própria vida. Uma pessoa pode apresentar sinais neuróticos e não ser efectivamente neurótica. As manifestações neuróticas significam que a

Henrique Rocha” membro fundador do Clube União Culatrense e organizador da Festa em Honra da Nossa Senhora dos Navegantes. Outro momento que irá marcar o dia será a aprovação do contrato para os estudos de localização dos recifes artificiais da Culatra, pelas 21h45 à qual se segue a cerimónia de reconhecimento público a culatrenses organizada pela Associação de Moradores.

pessoa reage às várias circunstâncias da vida através de reacções vivenciais não normais; seja no sentido dessas mesmas reacções serem desproporcionais, seja pelo facto de elas serem muito duradouras, seja pelo facto dessas reacções existirem mesmo que não exista uma causa vivencial aparente. A maneira exagerada de reagir leva a pessoa neurótica a adoptar uma série de comportamentos desajustados, tais como: evitando lugares, assumindo atitudes invulgares para aliviar o seu estado de ansiedade, etc. O neurótico, tem geralmente consciência do seu problema e, muitas vezes, sente-se impotente para modificá-lo. Dou alguns exemplos: diante de um compromisso social a pessoa neurótica reage com muita ansiedade, mais que a maioria das pessoas submetidas à mesma situação

(desproporcional). A tendência do neurótico é ficar muito ansioso uma semana antes (muito duradouras) de ocorrer o tal compromisso social (sem causa aparente). Num determinado ambiente, como, por exemplo, numa viagem de autocarro, avião, dentro do elevador, no meio da multidão, etc., a pessoa neurótica começa a ficar mal, julgando que lhe vai acontecer alguma coisa, ou começa a passar mal só de pensar que vai ter de enfrentar essas situações.! Octávio Escolástico saude@omneclinic.net

Psicologia/ Hipnopsicoterapia Clínica Dr. Octávio Escolástico/Tel. 967 986 671 Consultas em: FARO - LOULÉ - LISBOA Clínica do Carmo FARO - 289 889 560 LOULÉ - 289 463 508 LISBOA - 213 191 640

11


www.algarvepress.net

REGIONAL

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

VIII Congresso Internacional de Cidades e Entidades do Iluminismo

Tendo como ponto de par-

12

tida o património urbanístico do Iluminismo, o Congresso de Vila Real de Santo António propõe-se discutir os problemas e condicionalismos que actualmente se colocam aos processos de requalificação urbana dos centros históricos, mas simultaneamente as novas oportunidades que se abrem a estes processos de reabilitação, enquanto pilares de desenvolvimento económico, social e cultural.

“O evento realiza-

se em Vila Real de Santo António, nos dias 6, 7 e 8 de Outubro próximo. Havana, Madrid e S. Luís do Maranhão são apenas exemplos de cidades que confirmaram já a sua presença no Congresso, através da apresentação de comunicações sobre as experiências de actuação neste domínio, num espaço privilegiado de reflexão sobre os obstáculos e a as novas oportunidades

Fernando; • a Universidad de Cádiz; • o Ayuntamiento del Real Sítio de San Ildefonso; • a Fundación Ferrol Metrópoli (Ferrol); • o Ayuntamiento de Almacelles; • o Instituto Feijoo del Siglo XVIII de La Universidad de Oviedo; • o Ayuntamiento de Es Castell (Menorca); • e a cidade de Nueva Guatemala de La Asunción (Guatemala) Um movimento que tende a alargar-se a outras cidades e entidades do Iluminismo.

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, aceitou presidir à Comissão de Honra do VIII Encontro Internacional de Cidades e Entidades do Iluminismo, que terá lugar em Vila Real de Santo António, no mês de Outubro do corrente ano. económicas, sociais e habitacionais que hoje se colocam num equilíbrio que se procura entre as práticas de manutenção e rentabilização na recuperação do património edificado dos centros históricos, e a inserção destes espaços na economia de cada cidade ou país. Além das cidades referidas, o núcleo central de conferências do Congresso contará ainda com a participação e a partilha de experiências desenvolvidas em Lisboa, no Porto, em Madrid e em Vila Real de Santo António. O VIII Congresso Internacional de Cidades e Entidades do Iluminismo insere-se na actividade da AiCEi (Associação Internacional de Cidades e Entidades do Fórum do Iluminismo), da qual faz parte integrante um conjunto alargado de cidades e entidades tais como : • o Município de Vila Real de Santo António;

• o Ayuntamiento de Madrid,; • Institut Municipal Del Paisatge Urbá I La Qualitat de Vida (Barcelona); • o MUVIM (Museu Valencià De La Il.Ilustació I La Modernitat – Valência); • o Ayuntamiento de Cartagena; • o Centro de Investigacón para El Desarrollo (Cartagena); • o Ayuntamiento de San

Vila Real de Santo António, que assume actualmente a presidência desta Associação, está apostada em promover um diversificado debate sobre os novos desafios que se colocam à regeneração urbana, no quadro de um desenvolvimento sustentável e de coesão territorial. O VIII Encontro propõe-se assim ser um espaço de reflexão sobre as novas oportunidades económicas, culturais, sociais e habitacionais que hoje se colocam num equilíbrio que se procura entre as práticas de manutenção e rentabilização na recuperação dos centros históricos, e a inserção destes espaços na economia de cada cidade ou país.

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

REGIONAL

www.algarvepress.net

Opinião

Uma pérola algarvia

Centros Históricos, a sua manutenção e vivências, ou a desertificação humana e económica que noutros casos apresentam, colocam novos problemas e não poucas interrogações sobre que percursos seguir quanto à sua administração. Continuidades ou rupturas, obstáculos e novas oportunidades, eis os lemas de partida para uma reflexão ampla, procurando o envolvimento e as experiências práticas de cidades e entidades que constituem exemplos de intervenção diversi-

ficada e incontornável em qualquer processo alargado de discussão sobre o tema em causa. Os parcos recursos disponíveis actualmente por parte das administrações públicas para enfrentar os elevados custos da manutenção e recuperação do património de que dispõem, a que acrescem as dificuldades na articulação de soluções entre património público e privado, serão, necessariamente, outros dos aspectos em debate.

Brasil e Angola em Faro

Algarvepress (www.algarvepress.net) é um dos primeiros meios de comunicação que, em Portugal, se fez revestindo a forma denominada de «interactiva». Neste órgão de informação contínuo, lançado no mundo da comunicação global (internet), pode ler-se texto, ver fotografias, acompanhar um canal de televisão, obter as mais diversas informações de utilidade para o cidadão em geral, apreciar as críticas dos outros sobre a vida de relação em geral… Mas é, sobretudo, um meio de comunicação social dedicado ao Algarve. E não é um meio de comunicação social do regime! Melhor que tecer loas a fim de dizer que é bom ou mau, há que reconhecer que é um ponto de encontro onde, além da informação geral, cada um de nós tem toda a informação sobre o reino a sul de Portugal, em assistência consular ao dispor de ambas as comunidades.

De facto, a recuperação dos Dentro em breve, os Consulados Gerais do Brasil e de Angola no Algarve irão abrir a sua sede em Faro. Face ao crescente número da comunidade imigrante de nacionalidade brasileira e

angolana presente na região do Algarve, vislumbrou-se necessário a abertura destes dois consulados, com o objectivo de descentralizar competências e alargar o leque de oferta de serviços e

O Consulado Geral do Brasil irá prestar apoio a cerca de 13.000 cidadãos brasileiros residentes na região, ao passo que a comunidade angolana contará com o auxílio a mais de um milhar de cidadãos.

méis que uma língua. Algarvepress (www.algarvepress.net) assenta maioritàriamente, no esforço do MANUEL LUÍS e na sua dedicação. O MANUEL LUÍS é um cão que ferra e não larga a presa. Abana a cabeçorra até rasgar! Muitos são os dirigentes e restantes políticos algarvios, do Algarve e no Algarve que lhe têm sentido as mandíbulas, porque o MANUEL LUÍS tem, como farol, a composição da justiça e da verdade nas margens dos seus caminhos atribulados. Agora, a 15 de Julho de 2011, passa 0 5.º aniversário desta pérola algarvia, entre o cheiro dos laranjais e o doce das alfarrobas. Parabéns Algarvepress (www.algarvepress.net). Parabéns Manel! Rogério Barroso

Ficha Técnica Algarve Press Diretor: Manuel Luís Redação principal: Manuel Luís Manuel Andrade Fotógrafos principais: OSORES e Vico Ughetto Design e Paginação: Vico Ughetto (www.switch. com.pt)

13


www.algarvepress.net

ECONOMIA

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

Câmara de Comércio, Indústria, Serviços e Turismo PortugalCuba deu o primeiro passo

No Acordo de Intenções,

14

primeiro passo formal e público do processo de criação da CCIST Portugal-Cuba, foram assumidos quatro objectivos imediatos: 1- realizar uma Assembleia Geral constituinte; 2- eleger os órgãos sociais; 3- promover as acções necessárias junto das entidades públicas dos dois países para dar início a esta actividade; 4- divulgar as potencialidades de cada um dos países e promover a Câmara de Comércio. O objectivo principal da CCIST é fomentar as relações económicas e culturais entre Portugal e Cuba, na base do interesse reciproco, sendo ainda sua competência em ambos os países representar os interesses dos intervenientes nas relações bilaterais junto dos governos e das entidades, cooperar com os organismos públicos e privados, divulgar oportunidades de negócio e de investimento, promover missões empresariais, organizar conferências, palestras e workshops sobre as potencialidades existentes,

No Salão Nobre da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António foi assinado, pelo Presidente do Município, pelo Embaixador de Cuba acreditado em Lisboa e por dois Empresários, um Acordo de Intenções para a criação da Câmara de Comércio, Indústria e Turismo (CCIST) Portugal-Cuba nos próximos três meses. editar publicações, prestar aos associados assistência jurídica e técnica, dinamizar eventos culturais, estimular intercâmbios inovadores e, em termos gerais, desenvolver as suas actividades em estreita colaboração com a Câmara de Comércio da República de Cuba, assim como com as autoridades portuguesas e cubanas. Os trabalhos para a constituição da Câmara de Comércio Portugal-Cuba têm como principais responsáveis o empresário Carlos JN Martins, antigo Secretário de Estado nas áreas da Saúde e do Turismo, e o empresário Américo Ferreira de Castro, Advogado. Carlos JN Martins explicou que a ideia de constituir uma CCIST Portugal-Cuba surgiu quando constatou que “as relações comerciais, cultu-

rais e de intercâmbio estavam – e estão – aquém das potencialidades, necessidades e vontades de ambos os países” e afirmou que “esta entidade será uma inequívoca alavanca para a promoção das relações bilaterais

“objectivo

principal da CCIST é fomentar as relações económicas e culturais entre Portugal e Cuba, na base do interesse reciproco entre os 2 países, entre os seus agentes económicos e entre as suas instituições”. Disse ainda que “este pro-

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

ECONOMIA

www.algarvepress.net

jecto foi desde a primeira hora apoiado e acarinhado pelo Embaixador Eduardo Lerner e pelo Presidente Luis Gomes”, tendo decorrido ao longo dos últimos meses o trabalho necessário para a sua constituição e por isso é que “já temos um projecto de estatutos e uma logomarca, assim como foram feitos vários contactos formais em Havana e designadamente com a sua Câmara de Comércio da República de Cuba”. “Em Cuba, depois do Congresso do Partido Comunista Cubano, é o tempo de renovadas políticas económicas, de uma crescente abertura a investimento e a empresas estrangeiras e de novos desafios; em Portugal é também tempo de mudança e um dos grandes desafios do programa do novo Governo”. O Embaixador de Cuba acreditado em Lisboa, Eduardo Lerner, considerou que o acordo para a constituição de uma Câmara de Comércio Portugal-Cuba surge “num momento importante para os dois países, porque Cuba precisa de investimento e Portugal precisa de investir”. “É uma oportunidade para os dois Países ganharem” acrescentou o Embaixador, frisando que Cuba tem necessidade de desenvolver as áreas energias renováveis e que Portugal tem uma excelente experiência nesse campo. Eduardo Lerner disse ainda que Cuba pode servir de plataforma para os empresários portugueses investirem também em outros Países das Caraíbas, América Central e América Latina, os quais, apesar da crise internacional têm um simpático crescimento económico. “Cuba pode ser uma porta de entrada da economia, das empresas e dos produtos portugueses.

Cavaco Silva Inaugura Hospital de Loulé “N

enhum cidadão pode ser excluído do acesso aos serviços de saúde por causa dos seus rendimentos”, referiu o Presidente da República, Cavaco Silva, durante a inauguração do Hospital de Loulé, que decorreu na passada sexta-feira, 8 de Julho. Foi com “uma satisfação muito especial” que o Chefe de Estado regressou à sua terra natal para presidir a uma cerimónia particularmente importante para a comunidade louletana pois, após vários anos de empenho por parte da Autarquia e Santa Casa da Misericórdia, a cidade vê finalmente esta unidade hospitalar voltar a estar ao serviço da população. “Hoje renasce como hospital moderno, após uma profunda reabilitação e ampliação que reflecte um bom exemplo de parceria estabelecida entre a Santa Casa, Câmara Municipal e o Estado”, disse Cavaco Silva que enalteceu o papel das misericórdias e sublinhou a necessidade

Chefe de Estado falou da importância das Misericórdias na área da Saúde

15 destas serem vistas como “parceiras do Estado na aplicação mais racional e justa dos instrumentos de protecção na doença”. “Se o Estado não tem capacidade de assegurar a qualidade e eficácia dos serviços de saúde, então deve delegar e partilhar com outras organizações”, disse ainda o Presidente da República. Nesse sentido, Cavaco Silva sublinhou a diferença entre provisão e produção de bens públicos. “A provisão de bens públicos diz respeito ao usufruto gratuito de serviços por parte dos cidadãos, serviços que cabe ao Estado prestar. Mas isso não implica que a produção dos serviços seja feita no próprio Estado. O conceito de serviço público centra-se na provisão pública, isto é, na satisfação de necessidades dos cidadãos, satisfação com qualidade e eficácia, e não na visão ideológica e obsoleta da exclu-

sividade da produção por parte do Estado”, disse.

Concretização de um sonho

Neste momento, Cavaco falou da encruzilhada que Portugal se encontra em termos da Saúde, mas que esta não é imune ao princípio da justiça social. “Os cidadãos com diferentes rendimentos podem, eventualmente, dar diferentes contribuições para a distribuição dos encargos com a saúde”, sublinhou

Seruca Emídio, presidente da Câmara Municipal de Loulé, foi uma das pessoas que mais se empenhou nesta revitalização do antigo hospital e, como tal, esta cerimónia constituiu para o líder do executivo “a concretização de um sonho”.

Quanto ao Hospital de Loulé, o líder da nação enalteceu o esforço conjunto da Autarquia e Santa Casa da Misericórdia de Loulé, nesta reabilitação que permite agora oferecer uma boa cobertura de cuidados de saúde numa zona tão importante para o Algarve e país. “Hoje temos aqui um hospital modelar, em resultado de um esforço heróico que foi feito para a sua recuperação ao serviço dos portugueses”, concluiu.

O autarca falou do difícil e moroso processo de reabilitação deste Hospital, “uma autêntica prova de resistência ao longo de 9 anos”, destacando a sensibilização para o projecto feita aos sucessivos governos, a necessária engenharia financeira, as parcerias, o financiamento municipal e a decisão do Município em não ter um envolvimento na gestão futura do Hospital. “Demos apoio a um modelo que garantisse, em particular, a missão e a vertente social e solidária da Santa Casa”, sublinhou o edil.


www.algarvepress.net

REGIONAL

Opinião

Mudar as Maneiras de ver a Deficiência

Nos últimos quarenta anos, ocorreu uma grande mudança na maneira como as pessoas com deficiência são encaradas pela sociedade. A deficiência é outra caracteristica à semelhança de género e de raça , até ai nada de anormal ou de estranho em pessoas portadoras deficiência, todos são diferente de algum maneira.

16

O mundo é como uma manta de retalhos cada pedaço é diferente, mas faz sempre parte do todo, sendo assim não faz sentido e que seja só a pessoa “diferente” a encarar a sua deficiencia como um problema só dela, mas também da socidade. As abordagens que partem da ideia que a deficiência é um problema pessoa podem ser divididas em trés modelos o biomedico e o funcional, querendo isto

dizer que o primeiro é uma questão médico/diagnostico, tecnicos/tratamentos = cura , o segundo é uma questão Deficiência / pessoa deficiênte / tecnicos = eliminar as barreiras sistémicas, outra é as questões ambientais e os direitos humanos. Os media tem vindo a fazer alguma abordagem sobre os cidadãos com deficiência mas ainda há muito a fazer sobre este assunto, pois a sociedade ainda tem reservas em mudar a sua atitude perante o diferente. Mas vamos no bom caminho para mudar uma sociedade ainda retorgada.

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

PALMADAS

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

PALMAS

Para Sociedade Polis

Para José Amaro

Porque será que a Sociedade polis não chega a acordo com a Marinha e a Câmara para se fazerem na ponte dos Hangares as mesmas obras de recuperação e melhoramentos que foram feitas na Culatra e Farol?

Muito mais que presidente do Moto Clube de Faro, é um amigo que não esquece as raízes e místicas, próprias e da fundação e fundadores (alguns esquecidos) do Moto Clube no antigo Café París.

A Marinha, numa demonstração de boa vontade democrática para com a população dos Hangares já autorizou o regresso das carreiras fluviais áquela ponte, mas parece que faltam outras boas vontades para o resto. “Ái quem será...ái quem será...”

A fama e protagonismo da Concentração não lhe subiu à cabeça. Um exemplo a seguir por alguns dos seus pares!

Para quem não valoriza as comunidades

A cidade de Quarteira recebe no dia 23 de Julho, a partir das 22h00, a IX FestÁfrica – Festival de Música A vida é boa para ser vivida e Cultura Africana do Algarve, que decorre na Praça de forma intensa, para se do Mar.

disistir com as contrariedades....

Esta organização da APALGAR – Associação de Amizade dos Palop no Algarve, com o apoio da CâCarla Franco mara Municipal de Loulé e Junta de Freguesia de Quarteira, é uma proposta dirigida simultaneamente à comunidade africana local, a toda a população da região e ao conjunto de turistas nacionais e estrangeiros que afluem habitualmente ao Algarve. Destacamos esta iniciatíva para dar umas “palmadas” a quem tem por hábito denegrir as comunidades que vivem e trabalham no Algarve, esquecendo-se que durante séculos eles nos receberam, tantas vezes obrigados e mal-tratados em sua própria terra.

Para o autarca Macário Correia Pela primeira vez um presidente da Câmara da capital algarvia assume as ilhas como território farense e dotou todos os núcleos (Culatra, Hangares, Farol e Faro) de transportes públicos desde Faro (carreiras fluviais), sem políticas de filhos ou enteados... Em terra de cegos quem tem olho é rei, diz e bem o ditado popular. Macário sabe que muita da resposta ao futuro, financeiro e social, de Faro está nas suas ilhas, bem aproveitadas serão autênticas galinhas dos ovos de ouro para Faro.

Claro que há invejosos (companheiros e camaradas) que não querem e utilizam artimanhas “fundamentalisto-ambientais” para retardarem o inevitável.

REGIONAL

www.algarvepress.net

Opinião

Reencontro de amigos 1973 - 2011 No ano de 1973 era eu um rapazinho a iniciar a adolescência mas que no entanto já dominava razoavelmente alguns instrumentos musicais como o piano e a guitarra. Por ocasião da tradicional Festa de Natal da antiga JAE de Faro fui convidado a participar com uma pequena actuação, tocando guitarra e cantando temas curiosamente originais que escrevera há pouco tempo atrás. Nessa festa actuou um grupo musical com guitarrista, baixista e baterista, tendo eu assumido o lugar do guitarrista para realizar a minha performance, acompanhado pela banda. Após o período dos ensaios chegou o grande dia e perante uma plateia muito bem composta apresentei os meus temas que para minha satisfação agradaram bastante tendo recebido uma bela ovação. Durante a fase dos ensaios até à festa fui conhecendo os elementos do conjunto musical, principalmente o guitarrista que afinou a guitarra para o meu tom de voz.

A minha actuação ficaria registada em foto que ainda hoje guardo com orgulho e satisfação. Passados muitos anos, e com o aparecimento da Internet publiquei esta foto que gerou a curiosidade de muitas pessoas, principalmente pela minha idade na altura e pelos elementos do grupo musical que eram muito conhecidos em Faro. Há pouco tempo recebi a confirmação de que o guitarrista do grupo era o sr Mário da Encarnação, personagem muito prestigiada em Faro. Como recentemente tinha sido convidado para actuar num espaço aqui em Faro, um grupo de amigos promoveu este reencontro, passadas quase quatro décadas, que muito me satisfez pois a música tem a virtude de aproximar as pessoas e neste caso revivemos aqueles momentos de 1973 e ao cantar nesta performance em 2011 tive um prazer imenso de ter na assistência tão ilustre individualidade farense. Um grande abraço para o sr. Mário da Encarnação. Luís Nadkarni

17


www.algarvepress.net

CULTURA

Estupidez humana em cena A partir do ensaio LE LEGGI FONDAMENTALI DELAA STUPIDITÀ UMANA de Carlo Maria Cipolla, o AL-MaSRAH Teatro apresenta a sua 17ª produção “As Leis Fundamentais da Estupidez Humana”.

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

Escritores e Músicos invadem Cacela Velha Em Julho Cacela Velha volta a celebrar a poesia. Tendo como ponto de partida a herança poética de Ibn Darraj al-Qastalli, natural de

critas ou ditas em voz alta, mas também de animação, de festa e de partilhas. Durante os dias 15 e 16, as ruas vão literalmente encher-

A estreia é nos dias 16 e 17 de julho às 22H, no Quartel da Atalaia, em Tavira, integrado no festival Cenas na Rua 2011. O espetáculo é interpretado por Bruno Martins e Pedro Ramos. Através da alternância entre gags e exposição textual (em formato de conferência), pretende-se explorar o tema da “estupidez humana”.

18

Diz-se que, em períodos de crise, há uma maior necessidade de riso. Não discordamos. Mas vamos um pouco mais longe: a comédia é um veículo privilegiado de te-

mas e matérias passíveis de reflexão, pois o riso une-nos a todos, mesmo quando rimos de nós próprios. E se, num período de crise, é preciso refletir, façamo-lo com sentido de humor.

Concurso de Fotografia para divulgar Centro Histórico O Município de Olhão tem abertas, desde o dia 1 de Julho e até 31 de Agosto, as inscrições para o I Concurso de Fotografia da Cidade de Olhão 2011. Sob o tema “Cidade de Olhão – Centro Histórico”, a iniciativa conta com a concepção e produção da Associação Livre de Fotógrafos do Algarve (ALFA) e da Associação Cultural Música XXI. Registar e perpetuar diferentes perspectivas e olhares do

Cacela onde nasceu em 958, bem como de outros poetas que escreveram sobre Cacela Velha ou aqui viveram (Abû al-‘Abdarî, Sophia de Mello Breyner Andresen, Eugénio de Andrade, Teresa Rita Lopes, Adolfo C. Gago), “Poesia na rua” constituir-se-á essencialmente como um grande momento cultural em redor das palavras es-

-se de poesia: poemas nas paredes de casa, estendais com poesia, conversas com poetas, apresentação de livros, poetas do al-Andalus, percursos poéticos, actividades infantis, oficina de ilustração de poemas, gritos poéticos, poesia a descer dos telhados, mercado de rua com livros e artes ligadas à escrita e à literatura.

Centro Histórico de Olhão, uma zona emblemática da cidade cubista, é o principal objectivo deste concurso, de inscrição gratuita, promovido pela Autarquia Olhanense e aberto a todos os fotógrafos, amadores e profissionais. No total, o valor dos prémios ascendem a cerca de cinco mil euros. Os trabalhos a concurso devem ser entregues até 31 de Agosto de 2011, revelando a organização que os 16 traba-

lhos premiados serão depois expostos no mês de Setem-

bro no Real Marina Hotel & Spa.

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

DESPORTO

www.algarvepress.net

Algarve Classic Cars 2011 > um êxito! Realizou-se no passado fim de semana a quarta edição do Algarve Classic Cars, que teve o epicentro do evento no Tivoli Marina de Vilamoura. A prova que contou com mais de 160 participantes, de várias nacionalidades (em particular para além dos portugueses a presença de “nuestros hermanos”), teve várias etapas que se desenrolaram em Vilamoura (Casino), S. Brás de Alportel, Loulé, Rampa da Picota, Albufeira, Portimão, Armação de Pêra, Almancil, etc. nos três dias do original evento automobilístico. Os automóveis da “velha guarda” deixaram cor e alegria pelas imensas localidades onde passaram ou fizeram neutralizações, sempre

Realizou-se no passado fim de semana a quarta edição do Algarve Classic Cars, que teve o epicentro do evento no Tivoli Marina de Vilamoura. com a habitual boa disposição dos concorrentes e gáudio para o imenso público presente na perspectiva de ver in-loco as máquinas de outros tempos. Deixamos uma pequena mostra desse relevante acontecimento sócio-cultural e desportivo, que para além de mais foi um excelente factor de promoção turística no Algarve. Fanáticos do Rally / Algarve Press, agradece à Organização de Algarve Classic Cars, e em particular a Luis Filipe de Brito (Director de Prova), as facilidades para com n/ reportagem. Manuel Andrade

19


www.algarvepress.net

DESPORTO

Verão Desportivo Com o fim das aulas e o início das férias grandes deu-se início ao Campo de Férias da Casa do Povo de Messines – VERÃO DESPORTIVO 2011, que surge, este ano, a proporcionar um programa

repleto de actividades e de diversão com actividades de carácter lúdico e também formativo.

A parte lúdica é composta por praia, equitação, surf/ bodyboard, bowling, canoagem, mini-golf e outras actividades desportivas colectivas, ao passo que a vertente pedagógica consiste em acções de sensibilização, especialmente no âmbito da Protecção Civil, e com destaque para a parceria com os Bombeiros Voluntários de S.B. Messines.

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

Atletas de Olhão campeões nacionais O Olhanense Paulo Pinto, atleta da Casa do Benfica de Faro, destacou-se, em Guimarães, na Pista Gemeos

de Julho, na Pista de Atletismo Gémeos Castro, em Guimarães, o Campeonato Nacional de Sub-23 com

Tendo em conta a experiência dos últimos anos, este será mais um ano de sucesso para as crianças e, acima de tudo, de divertimento e alegria. Paulo Pinto (centro da foto),da Casa do benfica de Faro, campeão nacional 400 mts

Castro, ao sagrar-se Campeão Nacional Sub 23, na prova de 400m. 

20

Na mesma Pista, a Atleta também de Olhão e competindo pelo SCP, Joceline Monteiro, sagrou se Campeã na mesma categoria, mas na prova de 800m.  Está assim de parabéns a cidade de Olhão, pelos seus dois Campeões Nacionas.

a presença de 4 Clubes do Algarve - a Casa do Benfica de Faro, Clube Recreativo Desportivo e Cultural Luzense, Núcleo Sportinguista de Faro e Olímpico Clube de Lagos - num total de 6 atletas. Destaque especial para o titulo de Campeão Nacional da categoria por parte do atleta Paulo Pinto (CBF) com a marca de 49,01.

Realizou-se, nos dias 2 e 3

12 segundos afastam Portinado da Taça No fim-de-semana 9 e 10 de Julho nas piscinas de Santa Maria de Lamas foi realizada a Final de 4 da Taça de Portugal. No primeiro dia a Portinado enfrentou a equipa do Fluvial. Num jogo difícil, condicionado com o cansaço da viagem, lesões de vários jogadores e com a expulsão definitiva de Evghenii Trubetcoi (por acumulação de 3 faltas) já no segundo período, a formação portimonense conseguiu uma passagem

suada para a final da competição com resultado de 6-8. De salientar que dos 6 golos marcados pelo Fluvial 5 foram marcados de grande penalidade. Na outra meia-final a equipa do Salgueiros venceu o CDUP por 14-7. No domingo os finalistas do campeonato nacional voltaram a encontrar-se para decidirem a atribuição da Taça de Portugal. Neste jogo a equipa da Por-

tinado conseguiu uma boa entrada e ganhou a vantagem no marcador. A meio do 4º período os jogadores do Salgueiros reduziram a desvantagem para 1 golo e a um minuto do fim do encontro, um erro táctico dum

jogador algarvio permitiu ao adversário marcar em situação de superioridade numérica e empatar a partida. Logo a seguir mais uma falha no ataque da Portinado e o contra-ataque finalizado a 12 segundos do fim do jogo deixou a equipa portimonense sem a Taça. Apesar da derrota na final os jogadores da Portinado mostraram o carácter de lutadores e estiveram perto de ganhar o Troféu.

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

DESPORTO

www.algarvepress.net

BENFICA, PSG E ANDERLECHT em competição Nos dias 15, 16 e 17, o Torneio Internacional do Guadiana, que assinala a sua 11ª edição, está de regresso ao Estádio Algarve para mais uma prova que se prevê possa atrair um elevado número de espectadores, sobretudo pela participação da equipa do Benfica.

P

ara além das questões de segurança, a organização do evento – a empresa João Peres Sport, Ldª – decidiu transferir a prova de Vila Real de Santo António para o Estádio Algarve pelo potencial crescimento do torneio. “Esta troca já vinha a ser pensada há algum tempo porque, se o evento quer crescer, tem de vir para um melhor palco, não pode estar limitado ao Estádio de Vila Real Santo António. Evidentemente, esta mudança prende-se também com questões de segurança”, sublinhou João Peres, que referiu que, apesar de ter um historial ligado à cidade fronteiriça, o Torneio do Guadiana já esteve no Estádio Algarve, tal como em Ayamonte e Portimão. Quanto aos participantes, o organizador explicou a dificuldade em escolher as equipas devido ao período de realização do troféu. “O Benfica, que tem contrato por mais dois anos com a prova, vai jogar uma pré-eliminatória da Champions League, no dia 26, e esta foi uma data concertada com o clube, e também com o PSG”, disse. Assim, a ausência do Sporting é justificada com o curto espaço de tempo do regresso dos leões ao trabalho até à realização do torneio. “O treinador do Sporting achou que não era um bom começo”, disse o organizador. Foi também por esta razão que não há equipas espanholas a pisarem o Estádio Algarve nestes três dias, já que estas começaram a preparação mais tarde. Em relação às formações in-

glesas, João Peres considerou a sua importância como atractivo dos muitos ingleses que se encontram na região, mas também a sua ausência deve-se à antecipação da data do evento. Apesar de contactos com a equipa do Everton, por exemplo, este clube optou por participar numa prova dos Estados Unidos. Esta data irá coincidir, de resto, com a Concentração Motard de Faro, pelo que a organização está na expectativa que possa ser bom para as duas partes. “Espero que seja uma mais-valia, que as pessoas que estejam na Concentração sejam principalmente benfiquistas que venham ao Estádio ver o troféu, e que quem aqui vier possa também ver alguns espectáculos que vão acontecer na concentração”, sublinhou João Peres. Esta edição do Torneio Internacional do Guadiana significa um investimento que ascende a 1 milhão de euros. Mas para os dois municípios será mais um importante ve-

ículo de promoção do Estádio e da região. No caso de Loulé, será também um contributo para a dinâmica hoteleira, já que será aqui que ficarão alojadas as equipas. A Autarquia louletana vai abrir as portas do Estádio Municipal de Quarteira para os treinos do PSG. “Este nosso estádio, não tendo uma equipa residente, tem todavia um poder de atracção de grandes acontecimentos”, afirmou o edil de Faro que anunciou a realização de diversos eventos nos próximos meses, como a partida entre a Selecção A e o Luxemburgo, e partidas de diversas selecções nacionais, essencialmente da Escandinávia. Já Seruca Emídio, autarca de Loulé e presidente da Associação de Municípios Loulé/ Faro, disse que este estádio, “o melhor na região sul do país, está mais uma vez, posto à disposição para interesse da região”. “Os algarvios devem ficar orgulhosos por terem um estádio desta dimensão e com esta bele-

za, que hoje é conhecido no mundo inteiro. É um estádio com uma imagem muito própria e importante para a promoção de eventos e da imagem turística da nossa região”. O responsável da Câmara de Loulé falou ainda dos “aliciantes de ordem desportiva” do Torneio do Guadiana. “Acreditamos que o clube que mais adeptos tem no nosso pais, que é o Benfica, poderá atrair muito espectadores. Provavelmente, é nesta prova que será feita a selecção daqueles jogadores que irão constituir o plantel do Benfica na próxima temporada e isso é um aliciante para quem gosta de futebol”, disse.

Programa  15 Julho, 20h45 Benfica-PSG 16 Julho, 20h45 PSG – Anderlecht 17 Julho, 20h45 Benfica-Anderlecht Bilhete único: Superior – 20 euros; Central – 25 euros

21


www.algarvepress.net

ANDALUCÍA

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

Obras Públicas levanta suspensión La solución jurídica adoptada es fruto de la colaboración entre Junta y Ayuntamiento y garantiza la preservación de este suelo como bien de dominio público

22

La Consejería de Obras Públicas y Vivienda ha levantado la suspensión que existía en el Plan General de Ordenación Urbana (PGOU) de Marbella sobre el artículo de las Normas Urbanísticas destinado a la regularización de la zona comercial Plaza del Mar, edificada bajo el espacio libre conocido como Playa de la Fontanilla. Esta decisión se adopta una vez que el Ayuntamiento ha subsanado la anomalía detectada, garantizando así la consideración de estos suelos del borde litoral como bien de dominio público. Tanto Junta de Andalucía como Ayuntamiento de Marbella han trabajado conjuntamente para hallar la solución jurídica que mejor se ajustara a esta situación. Tal y como estaba redactado el apartado 7 del artículo 6.5.16 en el documento del PGOU no se garantizaba correctamente la preservación del espacio libre de Playa de la Fontanilla, además se remitía a un estudio detalle para especificar la rasante y la edificabilidad del ámbito, criterios para los que este instrumento urbanístico no tenía capacidad legal.

procedimiento establecido en la legislación local.

En el nuevo texto esas determinaciones quedan fijadas por el propio Plan General, que es la figura competente para ello. Se establece que la plaza de Playa de la Fontanilla deberá desarrollarse en una única plataforma horizontal, tomando como referencia la cota de la calle Camilo José Cela. A su vez, se determina para dicho sector una superficie mínima de 8.500 metros cuadrados y obliga a destinar el resto del suelo hasta alcanzar los 9.040 metros cuadrados de que dispone esta plaza para la comunicación con el paseo marítimo, ubicado a una cota inferior. También se detalla la necesidad de disponer de un acceso peatonal público, a través de comuni-

cación interior directa con el paseo marítimo, con una superficie mínima de 1.200 metros cuadrados. Dicho artículo establece que en la regularización del centro comercial y aparcamiento ubicado bajo este ámbito se deberá garantizar el cumplimiento de las condiciones señaladas anteriormente y requiere al Ayuntamiento para que considere y registre la actuación como un complejo inmobiliario, permitiendo con ello distinguir las superficies públicas de las privadas, de acuerdo a la legislación estatal de suelo. De esta forma, el aprovechamiento generado bajo rasante se considerará un bien patrimonial del Ayuntamiento, que podrá enajenarlo por el

Previamente, la Consejería de Obras Públicas y Vivienda ya había dejado sin efecto a finales del pasado año la suspensión que pesaba sobre cinco ámbitos, que han quedado incorporados en el PGOU de Marbella. En noviembre de 2010, se normalizaron los sectores San Francisco Norte, Chorraero y Arroyo Segundo, tras la inclusión por parte del Ayuntamiento en el Plan General del estudio hidráulico-hidrológico de los cauces detectados en estos ámbitos. El nuevo informe permitía delimitar la zona de dominio público y de servidumbre así como las áreas inundables. Estos tres sectores quedaban incorporados al nuevo PGOU como suelos urbanizables sectorizados. Por otro lado, en octubre del mismo año se levantaba la suspensión de otros dos ámbitos, Los Magnolios y Alvarito Playa, al estimar que en ambos casos se cumplía con el objetivo recogido en el documento de preservar los espacios libres del borde litoral.

Crédito para garantizar la rehabilitación La inversión de 96,7 millones de euros, se encuadran en las ayudas autonómicas a propietarios El Consejo de Gobierno ha autorizado a la Empresa Pública de Suelo de Andalucía (EPSA) la firma de dos operaciones de crédito, por un importe total de 85 millones de euros, para el desarrollo de obras de rehabilitación en 13.338 viviendas de las ocho provincias andaluzas.

Esta autorización supone la garantía de la Junta de Andalucía a un préstamo de 50 millones con la entidad Unicaja y a una póliza de crédito con BBVA por valor de 35 millones. Ambos contratos facilitarán la conclusión de obras actualmente en marcha dentro

de los programas de ayudas que la Administración autonómica concede a propietarios para la renovación singular de instalaciones en edificios (ascensores, fachadas, cubiertas y redes de suministro) y para la rehabilitación de viviendas en centros históricos y barriadas.

edição especial 5º Aniversário - 1ª quinzena de Julho

ANDALUCÍA

www.algarvepress.net

29 millones para las aulas matinales

Junta sanciona Telefónica con 440.000 euros

El servicio se ofrecerá en 1.480 centros de Infantil y Primaria, con más de 65.000 alumnos beneficiados.

Investigado por la Dirección General de Consumo tras una denuncia de FACUA, afectó a más de 400.000 usuarios andaluces.

El Consejo de Gobierno ha autorizado un gasto de 29,05 millones de euros para financiar, durante los próximos dos cursos, el servicio de aula matinal en los 1.351 colegios públicos andaluces donde han finalizado los correspondientes contratos. La decisión permitirá ofertar esta prestación en 1.4 80 centros educativos a partir de septiembre, con más de 65.000 alumnos de Infantil y Primaria beneficiados. La contratación aprobada, a cargo del Ente Público Andaluz de Infraestructuras Educativas, incluirá a los 3.275 monitores que atenderán las aulas matinales. Esta dotación se fija en función del número de alumnos. Hasta 60 usuarios, el servicio está atendido por dos profesionales como mínimo: un técnico superior en Educación Infantil, Animación Sociocultural, Integración Social o titulación equivalente, y un técnico en Aten-

ción Sociosanitaria o equivalente. Junto con el comedor y las actividades extraescolares, el aula matinal es uno de los tres servicios complementarios que la Consejería de Educación ofrece en la red de colegios públicos para facilitar la conciliación entre la vida laboral y familiar. Funciona de lunes a viernes entre las 7.30 y las 9.00 horas, antes del comienzo de la jornada lectiva. La prestación se financia con un precio público de referencia de 15,04 euros al mes, sobre el que se aplican bonificaciones que pueden llegar hasta la gratuidad total en el caso de las familias con rentas más bajas.

Durante el acto de toma de posesión de Eduardo González Mazo como rector de esta institución, Griñán ha señalado que en la actualidad, “el sentido de la uni-

La Dirección General de Consumo inició la investigación de los hechos en agosto de 2008, tras una denuncia

presentada por FACUA-Consumidores en Acción. La compañía comenzó a cobrar el servicio de identificación de llamadas, que anteriormente ofrecía gratuitamente y cuya activación era automática con la línea contratada. Este servicio no solo no había sido contratado libremente por los usuarios sino que Telefónica no cumplió con los deberes de información previa del precio, incluidos todos los impuestos, según establece la Ley de Defensa  y Protección de los Consumidores y Usuarios. De este modo, la empresa cobró indebidamente esta prestación a más de 400.000 abonados andaluces.

El pasado curso 2010-11, el 34% del alumnado tuvo descuentos de hasta la mitad del precio, mientras que el 31,2% accedió al servicio de forma gratuita.

Griñán destaca el “compromiso” de la Universidad de Cádiz El presidente de la Junta, José Antonio Griñán, ha defendido en San Telmo que la Universidad de Cádiz (UCA) es una institución “ligada y comprometida con el desarrollo social, económico y cultural” de la capital gaditana y de su provincia.

El Consejo de Gobierno ha aprobado la imposición de dos sanciones a la empresa Telefónica España, SAU, por cobrar por un servicio no contratado y no informar previamente del precio. Estas infracciones, multadas con 220.000 euros cada una, están tipificadas como muy graves en la Ley 13/2003 de Defensa y Protección de los Consumidores y Usuarios de Andalucía, al afectar a un gran número de usuarios y haberse cometido de forma voluntaria y continuada como práctica habitual.

versidad es mirar hacia su entorno y hacerse cómplice de la realidad, mejorándola mediante la educación, la investigación y la necesaria transferencia de conocimiento”. Griñán ha mantenido, asimismo, que la sinergia ciencia-empresa “es imprescindible para generar competitividad”, esencial, a su vez, para el desarrollo económico y social de un territorio. En ese sentido, ha

Griñán, junto al Rector de la UCA Eduardo González

destacado que la UCA es la única universidad andaluza involucrada en dos parques científico-tecnológicos: el Agroindustrial de Jerez y el Parque Tecnobahía. En la misma línea, el presidente de la Junta ha subrayado los diversos proyectos de Campus de excelencia en los que participa la universidad gaditana, entre los que ha mencionado el proyecto Campus de Excelencia Internacional del Mar (CEI-MAR),

del que es coordinadora. A lo que hay que sumar que, para el próximo curso, incorporará nuevas titulaciones como Biotecnología, Ingeniería de Energías Renovables o Ingeniería Aeronáutica, que se unen a “la investigación y la innovación tecnológica en campos productivos de alta competitividad, donde Andalucía se ha situado en posiciones de primera línea”, ha proclamado.

23


XXX CONCENTRAÇÃO INTERNACIONAL DE MOTOS FARO 2011 Clube comemora 30ª Edição com Concerto do Iron Maiden “à abrir” o evento. A Concentração de Faro, incluída no Calendário oficial da Federação Internacional de Motociclismo desde 1991, atrai participantes vindos dos quatro cantos da Europa, este ano e em particular por ocasião dos 30 anos do evento, é esperado um elevado números de participantes. À semelhança dos anos anteriores, os participantes terão ao seu dispor, no recinto, o Bike Show, na sua 20ª edição consecutiva, contando este, uma vez mais, para o Campeonato do Mundo de

Construtores de Motos Custom – AMD, o Custom Farm, na sua 10ª edição consecutiva, expõe uma enorme gama de artigos do meio, o Oásis Bar, onde os participantes poderão tomar um magnifico cocktail e dar um mergulho no lago artificial, entre outras actividades. A nível de espectáculos, a edição deste ano conta com a banda britânica Iron Maiden como cabeça de cartaz e ainda com a presença dos portugueses Xutos & Pontapés, Iris e Mindlock, dos espanhóis Mago de Oz e Los

Inhumanos, bem como dos britânicos Hells-Bells com o seu tributo aos AC-DC e a Orquestra do Algarve. De salientar também a ex-

posição patente no Museu Municipal de Faro, alusiva aos 30 anos do Moto Clube de Faro.

O Vereador Paulo Santos com Macário Correia junto a José Amaro e outros membros do MCF na apresentação à Imprensa.

Acesso Condicionado à Ilha No âmbito da XXX Concentração Internacional de Motos, a autarquia farense, em articulação com a GNR e a J.F. Montenegro, estabeleceu que entre os dias 13 e 16 de Julho, entre as 21h00 e as 07h00, a circulação automóvel na ilha de Faro estará condicionada.  Está interdito o trânsito automóvel (excepto a residentes e fornecedores) a partir

do Centro Náutico para o lado nascente da ilha.  O comércio e restauração funcionarão em pleno e estão previstos locais de estacionamento reservado só para motos.  A Câmara de Faro apela à utilização de transportes públicos no acesso à ilha de Faro para facilitar a fluência de trânsito automóvel habitual durante este evento.

Fotos: Manuel Andrade (OSORES)


Algarve Press Julho 2011