Page 1

Pedro Santos

CONTOS DE REI


CONTOS DE REI


CONTOS DE REI

02


O sonho

Uma alça em cada ombro e dois cintos: um no peito, outro na cintura. Queria tanto voar que construiu as próprias asas. Subiu ao edifício mais alto que encontrou e atirou-se convicto que tinha chegado a hora de cumprir o seu sonho, de voar, de ser feliz. Mas naquele instante choveu. Choveu como se tivessem virado o mundo ao contrário e despejassem o mar com a força da gravidade. Tinha asas de papelão. 03


CONTOS DE REI

04


A dor

Dói. Dá para perceber que dói. Mas não se vê nada, um arranhão, um corte, uma nódoa negra, nada. Encosta a faca ao peito e enterra-a com força. Está morto. A dor não passa. 05


CONTOS DE REI

06


O amor

Duas mulheres muito gordas estรฃo deitadas na mesma cama. Uma contra a outra, de costas voltadas. Um lenรงol dourado tapa mal os seus corpos nus. Uma chora. A outra estรก grรกvida. 07


CONTOS DE REI

08


A dúvida

Olha para o telemóvel. Nada. Olha outra vez. Nada. Será que está a funcionar bem? Desliga para ligar novamente. e se diz alguma coisa entretanto? Nada. Está sozinho. Olha para o telemóvel. Nada. Olha outra vez, a medo, para confirmar. Nada. Será melhor desligar? E se diz alguma coisa entretanto? É melhor não arriscar. Está acompanhada. Tem um amante. 09


CONTOS DE REI

10


A ilha

É uma ilha, dá para ver daqui que é uma ilha, pequena, perfeita e rodeada de mar. Tem as cores do arco-íris e a beleza inocente de quem nunca envelhece. Se ao menos soubesse nadar... 11


CONTOS DE REI

12


O leitor

Um homem de perna cruzada e óculos muito grossos lê um livro de capa dura e folhas amarelas, gastas. Não consegue concentrar-se. Está apaixonado. 13


CONTOS DE REI

14


A viagem

No pequeno retrovisor está enrolado um terço prateado. Na janela, uma Nossa Senhora de Fátima. Ao todo é possível contar oito espelhos e o condutor fala sozinho, em tom irónico, por cada manobra que alguém executa e que ele acha perigosa ou errada. No rádio ouve-se Sweet child o’mine. 15


CONTOS DE REI

16


A baliza

Num campo de futebol de uma escola, uma turma inteira fazia o aquecimento para a aula de educação física. Duas meninas estavam sentadas nos degraus da bancada. Doía-lhes a barriga. Parada a correia em torno do campo, um miúdo pendura-se numa das balizas para fazer elevações, numa espécie de ritual de acasalamento. a baliza solta-se e ameaça bater com a trave no peito. Um amigo apercebe-se e segura-a gritando: moço! Obrigado, pensa ele, mudo de medo. 17


CONTOS DE REI

18


A artista

São três horas da manhã e por todo o lado há copos de cerveja e homens a mijar contra as paredes. Sentada numa soleira, acompanhada de dois fãs bêbados que elogiam constantemente cada traça que faz, uma mulher desenha o casario que rodeia uma árvore. é noite de Santo António. 19


CONTOS DE REI

20


Os olhos

Os olhos são pequenos, cavados no rosto, raiados de ira e angústia, lavados em lágrimas amargas como quem se despede. São olhos sinceros mas desiludidos. Dá dois passos atrás. Diz adeus. Podem fechar o caixão. 21


CONTOS DE REI

22


A busca

Uma mulher está de gatas, de joelhos na terra escura, procura algo. Há mais gente em seu redor, olham para o chão também. Um dos filhos, talvez, olha para o céu e sorri. O seu rosto denuncia um atraso mental, não sabe o que faz. A mulher continua à procura, desesperada, talvez chore. É algo importante. Perdeu a alegria de viver. 23


CONTOS DE REI

24


A vida

Uma cara, só uma cara. Tem um sorriso inocente, quase infantil, e os olhos virados, de terror. Os ossos seguram mal a pele flácida, pálida. Está no chão um caderno com folhas arrancadas, perdido entre papéis amarrotados. Na mão direita, a mão justa, um revólver. Os miolos estão na parede. 25


CONTOS DE REI  

Pequenos contos, como se de uma fotografia ou um pequeno filme se tratasse.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you