Issuu on Google+

1383-85 - Um Tempo de Revolução A crise económica 

Na segunda metade do século XIV, Portugal viveu tempos difíceis: más condições climatéricas, guerras com Castela, fomes e doenças, especialmente a Peste Negra.

A invasão castelhana 

Perante o clima de revolta que se vive, D. Leonor foge para Santarém e pede ajuda ao rei de Castela.

Receando a invasão castelhana, o povo de Lisboa escolhe o Mestre de Avis como Regedor e Defensor do Reino. A burguesia também o apoia, sobretudo com dinheiro para preparar o exército.

O rei de Castela invade então Portugal. A chefiar o exército português está D. Nuno Álvares Pereira, o Condestável. Os portugueses vencem a Batalha de Atoleiros, no Alentejo, O rei de Castela cerca Lisboa e quase vence, mas tem de levantar o cerco devido a uma epidemia de peste.

Entretanto, e dada a gravidade da situação, reúnem-se Cortes em Coimbra, onde o jurista João das Regras prova que, de todos os candidatos, o Mestre de Avis é quem tem direito a ser rei de Portugal.

O rei de Castela, sabendo da aclamação de D. João como rei, invade de novo Portugal, travando-se então a Batalha de Aljubarrota (14 de Agosto de 1385).Nesta batalha foi utilizada táctica do quadrado, que deu origem à vitória dos Portugueses apesar de serem em menor número.

Para comemorar esta vitória, D. João I mandou construir o mosteiro da Batalha.

Finalmente, o rei de Castela desiste de invadir Portugal e assina-se um tratado de amizade (Tratado de Windsor) com a Inglaterra onde os dois países prometem ajudar-se mutuamente.

Esta amizade foi reforçada com o casamento de D. João I com D. Filipa de Lencastre. Já ouviste falar da "Ínclita Geração"? São todos os famosos filhos do casal: D. Duarte, D. Pedro, o Infante D. Henrique, D. Isabel, D. João, D. Fernando.

São estes filhos de D. João I, que vão dar início aos Descobrimentos.

Estes e outros acontecimentos foram narrados por Fernão Lopes nas suas crónicas.

A Peste Negra foi uma grande epidemia que alastrou por toda a Europa; em Portugal matou cerca de um terço da população. Contudo, a situação do país agrava-se com a morte de D. Fernando, em 1383.

A crise política Quando D. Fernando morre, sua filha D. Beatriz estava casada com o rei de Castela. O acordo de casamento (acordo de Salvaterra de Magos), para garantir a independência de Portugal, calculava que, até o filho de D. Beatriz ter catorze anos, seria regente D. Leonor Teles. D. Leonor manda aclamar D. Beatriz como rainha e tem como conselheiro um fidalgo galego: o Conde Andeiro. Esta situação, aliada às dificuldades económicas, vai dividir a sociedade portuguesa: 

A população divide-se:

Apoiantes de D. Beatriz: Clero e Nobreza  Porque pensavam que iam conseguir benefícios com a união dos dois reinos.

Apoiantes de D. João, Mestre de Avis: Povo, Burguesia e alguns nobres  Receavam perder a independência

A burguesia, chefiada por Álvaro Pais, e tendo do seu lado o povo de Lisboa, prepara então uma conspiração para matar o Conde Andeiro e escolhe D. João, Mestre de Avis, para executar essa tarefa.

O Mestre de Avis tinha fácil acesso ao Paço da Rainha uma vez que era filho (ilegítimo) do rei D. Pedro.



Resumo