Issuu on Google+


06

ÍNDICE 8.CARTA DO

EDITOR 10.HUMOR 11.MÚSICA, TV, FILMES E GAMES

MIX

14.VIAGEM

PUNTA CANA 17.JOGO RÁPIDO

O QUE É A ZPE? 20.CAPA

14

20

35

FERNANDA CORDEIRO 35.BREVE HISTÓRIA

BATAGUASSU 45.EDITORIAL DE MODA

CORES DO VERÃO 57.GUIA BATAMIX 60.FLASH

45 17

EXPEDIENTE (www.batamix.com.br) Rua Brasilândia, 158 Sala B - Centro. Bataguassu - MS. CEP: 79780-000. - Fone: (67) 3541-3232 - CNPJ: 14.064.789/0001-59 - E-mail: contato@batamix.com.br - Direção Geral: Alex Taz (twitter.com/AlexTaz) - Jornalista Responsável: Osmar da Silva Mello DRT/MS 091 - Edição/Design/Diagramação: Alex Taz - Departamento Finânceiro: Juliana Pierre - Fotos: Gisele Ferreira/Alex Taz - Publicidade: Alex Taz/Juliana Pierre/Gisele Ferreira/Tatiane Priscila. O Batamix é uma publicação quinzenal da Midia Propaganda. Não nos responsabilizamos por conceitos emitidos em artigos assinados ou por qualquer conteúdo publicitário e comercial, sendo esse último de inteira responsabilidade dos anunciantes.


CARTA DO EDITOR

08

OBRIGADO! É assim que quero começar a carta editorial da nossa primeira edição. Agradecendo. Obrigado sobretudo a Deus, que nos capacitou para este projeto. Obrigado a todos que acreditaram nele, sejam anunciantes, colaboradores, motivadores e toda a nossa equipe. Obrigado a você, que nos prestigia agora. Esta é a primeira edição de uma revista que começou a tomar forma possivelmente à quase 15 anos atrás. Época em que esse era um projeto inviável para nossa região, e o sonho de criar um entretenimento voltado para o nosso público teve que esperar. Porém, mantivemos o foco e aguardamos o que definimos como o momento certo. Momento em que os olhos do mundo se voltam para a existência de Bataguassu, graças à recém-criada Zona de Processamento de Exportação, a tão falada ZPE. E para falar sobre isso convidamos o principal responsável por essa conquista, o atual prefeito João Carlos Lemes. Para nossa primeira capa, convidamos a bela Fernanda Cordeiro, que saiu de Bataguassu para ganhar o mundo da moda. Também trazemos um editorial de moda, mostrando o que algumas das principais lojas da cidade prepararam para o verão, além de um pequeno apanhado da história de Bataguassu, contada pelo nosso colaborador e amigo Marcio Romanini. Nossa revista traz no seu DNA muitas doses de humor e entretenimento, e segue a mesma linha do nosso jornal impresso e do nosso site. Queremos levar a você uma edição sempre agradável, e acima de tudo com conteúdo. Mesmo que esse conteúdo muitas vezes, seja o oposto dos demais veículos de comunicação. Não queremos reinventar a roda, queremos apenas sermos dignos da sua apreciação.

Senhoras e senhores, bem vindos à primeira edição da revista Batamix.

Alex Taz


10

HUMOR

x Para ler ouvindo {Afrojack - selecta}

SÁBADO PELA MANHÃ, um baita sol, o sujeito põe a família no carro e decidem ir para a praia. Na estrada, porém, ele é parado por um guarda. - O senhor está multado - diz o guarda. - Está acima da velocidade permitida! - Pô, seu guarda! Não faz isso comigo! O senhor vai estragar o meu fim de semana! - Não seja por isso! Eu vou fazer a multa com data de segundafeira!

EM UMA CIDADE, todas as mulheres que traiam os maridos iam a igreja e diziam que cairam no buraco. O padre local, muito velho, faleceu. E um novo padre foi chamado. O novo padre, que não sabia nada dessa historia, foi reclamar com o prefeito. Padre: -Senhor prefeito, o senhor devia cuidar melhor de sua cidade, que está cheia de buracos. As mulheres não param de cair nesses buracos! O prefeito, que ja sabia da historia, comessa a gargalhar. O Padre interrompe: -E o senhor ri? só nesta semana, sua esposa caiu cinco vezes!!! UM CASAL decide passar férias numa praia do Caribe, no mesmo hotel onde passaram a lua de mel a 20 anos atrás. Por problemas de trabalho, a mulher não pode viajar com seu marido, deixando para ir uns dias depois. Quando o homem chegou e foi para seu quarto do hotel, viu que havia um computador com acesso a internet, então decidiu enviar um e-mail a sua mulher, mas errou uma letra sem se dar conta e o enviou a outro endereço... O e-mail foi recebido por uma viúva que acabara de chegar do enterro do seu marido e que ao conferir seus emails desmaiou instantaneamente. O filho ao entrar na casa, encontrou sua mãe desmaiada, perto do computador, que na tela podia se ler: -Querida esposa: Cheguei bem. Provavelmente se surpreenda em receber noticias minhas por e-mail, mas agora tem computador aqui e pode enviar mensagens à pessoas queridas. Acabo de chegar e já me certifiquei que já está tudo preparado para você chegar na sexta que vem. Tenho muita vontade de te ver e espero que sua viagem seja tão tranquila como está sendo a minha. OBS: Não traga muita roupa, porque aqui faz um calor infernal!!!!


11

MIX

MÚSICA, TV, FILMES E GAMES

#DVD/LÁ VEM A NOIVA...

FOI O ANO DELAS Gostando de música ou não você certamente ouviu algum hit destas cantoras neste ano de 2011. Katy Perry e Paula Fernandes simplesmente dominaram as rádios, TV’s e até a internet. A americana simplesmente quebrou duas marcas históricas da Billboard, que é o termômetro mundial da música. Primeiro igualou o feito de Michael Jackson, ao colocar cinco músicas do mesmo disco no topo das paradas. Em novembro emplacou o sexto hit do álbum “Teenage Dream” com a faixa “The One That Got Away”, igualandose a George Michael e Janet Jackson. Já pelos lados do nosso sertão basta dizer que a cantora Paula Fernandes saiu direto de um álbum de estreia para um CD e DVD ao vivo multiplatinado, após ser convidada pessoalmente pelo Rei Roberto Carlos a cantar no seu especial de Natal em 2010. No que diz respeito a shows esteve em todas as grandes arenas do Brasil e já tem agenda lotada até julho de 2012.

2012 vai começar bombando nas locadoras, porque logo no primeiro mês do ano chaga em DVD a primeira parte do final da saga Crepúsculo, Amanhecer Parte 01. O filme enfoca o casamento de Edward Cullen e Bella Swan. Após algumas frustrações os dois decidem finalmente se casar partindo para uma sonhada lua de mel na Ilha de Esme que fica no Rio de Janeiro. Durante a lua de mel a jovem e mortal Bella descobre que está grávida e pretende ter a criança a todo custo. Após um parto frustrante que quase a leva à morte o vampiro finalmente a transforma em imortal e assim podemos conhecer a doce Renesme filha do casal. Ela é a nova preferida de Jacob Black com quem a mesma está destinada a ficar para sempre.

AS 10 + TOCADAS NO MUNDO EM DEZEMBRO #1 #2 #3 #4 #5 #6 #7 #8 #9 #10

Rihanna feat Calvin Harris - We found Love LMFAO - Sexy and I know it David Guetta feat Usher - Whithout you Florida - good feeling Alexandra Stan - Get Back Adele - Someone Like You Foster The People - Pumped up Kicks Maroon 5 feat Christina Aguilera - Moves like Jagger Gym Class Heroes - Stereo Hearts Cobra Starship - You Make me feel good

+

Confira a lista completa das mais tocadas no nosso site www.batamix.com.br


14

PUNTA CANA

Pense em uma praia como as do Nordeste, extensa, recortada, emoldurada por um coqueiral sem fim e protegida por barreiras de corais , mas com a areia branca e o mar azul-turquesa do Caribe. Bem-vindo a Punta Cana.

x Para ler ouvindo {Lulu Santos - sereia}

Um lugar para desfrutar de praias paradisíacas, olhar para um infinito mar azul e fazer pouquíssimo esforço. A 205 km ao leste da capital Santo Domingo, Punta Cana é o destino de praia número um no Caribe. Ao todo, são 50 quilômetros de praias ininterruptas que atraem casais em lua-de-mel e muitas famílias em todas as épocas do ano. O turista que visita a região não encontrará uma cidade. A região é composta por hotéis e cada um deles é um complexo autosuficiente, que oferece atividades para uma semana de estadia.

Um lugar para se fazer, TUDO E NADA.

Num paraiso como Punta Cana a melhor coisa a se fazer é nada; e, ao mesmo tempo tudo o que o hotel oferece! Pode parecer meio redundante, mas o local é propício para curtir a praia, a piscina, andar sem rumo, fazer as inúmeras aulas de danças e atividades que o hotel oferece, incluindo andar de caiaque, velejar, jogar futebol ou ping-pong. Ao contrário de outras praias caribenhas, Punta Cana não dispõe da estrutura de um centro urbano. Em vez disso, é uma aglomeração de resorts, enfileirados ao longo da costa, que cercam os turistas de atividades, como esportes aquáticos, golfe, cassinos e spas, e procuram suprir todas as suas necessidades. Essa característica dá ao lugar uma personalidade diferente. Não é difícil esquecer o resto do mundo quando se está diante de uma das maravilhas naturais do planeta, servido de sucos, coquetéis ou rum, um dos produtos tradicionais da região, assim como o tabaco. Os hotéis ocupam e mimam seus hóspedes 24 horas por dia, nas praias, piscinas, discotecas, bares e restaurants, um deles, o

luxuoso Bávaro Palace, possui 14 restaurantes! Quase todos estes resorts funcionam no sistema tudo incluído, em que se come e se bebe sem limites. Para sorte dos hóspedes há muitas atividades e esportes para compensar o ganho de calorias: aulas de tênis, de merengue, mergulho, windsurf, caiaque e balada na discoteca. A noite é reservada a jantares e idas aos cassinos ou boates, dentre as quais a mais famosa é a Mangú, dentro do Hotel Occidental. É lá que os turistas se encontram com habitantes locais, para dançar música eletrônica e merengue, o ritmo típico. Punta Cana tem 50 hotéis com 35 mil quartos no total. A escolha de onde ficar é crucial, já que raramente se deixa o resort durante a estada. Procure o seu agente de viagens e garanta sua visita a este paraíso. Em Bataguassu a Bora Bora Turismo oferece ótimos pacotes com saídas durante todo o ano. Escolha a data que se encaixa nos seus planos e aproveite.


15

ENCONTRE O SUPER-HOTEL QUE COMBINA COM VOCÊ EM PUNTA CANA: MAIS BARATOS Caribe Club e Tropical Princess (www.princess-hotels.com) Os dois hotéis dividem até mesmo a recepção e a área de lazer. A diferença está nos quartos, mais novos e confortáveis no Caribe Club. Dentro do complexo há uma área de mata nativa preservada e é comum ver aves circulando nas áreas sociais. As crianças adoram Meliá Caribe Tropical (www.meliacaribetropical.com) Tem uma boa área para os pequenos. A inspiração é nos Flintstones, e o kid’s club tem programação diária até as 20 horas. Enorme, tem mais de 1 300 quartos. Para alimentar tanta gente, conta com 13 restaurantes - sendo dez à la carte e três bufês, além de 14 bares. E, se você se cansar de uma piscina, há mais nove para aproveitar Ocean Blue & Sand (www.oceanhotels.net) Fica na Praia de Arena Gorda, bem próximo a uma pequena área com lojinhas de artesanato (aproveitando: negocie, pechinche. O preço cai muito). Trata-se um hotel para um público mais jovem - é a parte da areia mais movimentada na região. Conta com teen’s e kid’s club, além de pista de boliche.

MELHOR CUSTO/BENEFÍCIO Gran Bahía Príncipe Esmeralda (www.bahia-principe.com) São quatro hotéis no complexo: Punta Cana, Bávaro, Âmbar e Esmeralda. O último é o melhor - e quem se hospeda ali pode aproveitar a área de lazer dos demais, exceto a do Âmbar, que não aceita crianças. No banheiro há uma pequena hidro. Todo mundo se encontra no Pueblo Príncipe, onde há piano-bar, teatro e disco. Barceló Bávaro Palace Deluxe (www.barcelobavaropalacedeluxe.com) Dá para jantar todo dia em restaurantes diferentes: são sete, todos temáticos. Isso sem contar os enormes bufês. O pequeno cassino funciona 24 horas, assim como o sports bar, que tem telão e poltronas melhores que no cinema para assistir a jogos. A piscina para crianças fica devendo Majestic Elegance (www.majestic-resorts.com) É unanimidade: até os dominicanos acham o Majestic um dos melhores de Punta Cana. No

mesmo complexo está o Majestic Colonial, um pouco inferior. Mesmo menor que os resortões, tem seis restaurantes e sete bares. Vale a pena pagar pela pulseirinha VIP e garantir almoço à la carte e acesso a mais quatro bares

SOFISTICADOS Hard Rock HoTel Casino (www.hardrockhotelpuntacana.com) Feioso e grandalhão por fora, foi reformado recentemente para se transformar no Hard Rock Hotel (antes era um Moon Palace). É ideal para quem não quer deixar o hotel, pois fica na Praia de Macao, bem distante de qualquer agito. Tem o maior cassino de Punta Cana: são 450 máquinas caça-níqueis e 40 mesas de jogo Secrets Sanctuary Cap Cana (www.secretsresorts.com) Somente para adultos, o hotel fica em uma região bem distante do burburinho de Punta Cana - e o mar, ali, é ainda mais cristalino. O conforto é inegável: os roupões são de seda e há serviço de concierge 24 horas. Com praia exclusiva e cinco restaurantes, o resort é ideal para casais Tortuga Bay (www.puntacana.com) É difícil achar local mais paradisíaco que este em Punta Cana. Além dos quartos com decoração assinada por Oscar de la Renta, os hóspedes podem fazer as refeições no restaurante Playa Blanca, localizado em uma praia de cinema. O La Yola, de comida mediterrânea, fica realmente dentro do mar

Opções de passeios não “faltam. Bem pertinho da costa

há corais para mergulhar. Você também pode nadar com golfinhos e leões marinhos


17 x

Para ler ouvindo {Ivan Lins - novo tempo}

Foto: Aldo Nunes

Se você ainda não entendeu do que se trata a sigla mais comentada em Bataguassu, convidamos um ‘expert’ no assunto para esclarecer as suas dúvidas. Esse homem fez tão bem a lição de casa, que trouxe para Bataguassu uma conquista, vencendo a disputa com grandes cidades do Mato Grosso do Sul, a exemplo da grande Corumbá. Entenda de forma simples o que é a ZPE? Como é? Pra que serve? Onde fica? E outras perguntas esclarecidas pelo ‘Homem da ZPE’ o prefeito de Bataguassu, João Carlos Lemes.

ZPE QUER DIZER: Zona de Processamento de

Exportação, ou seja, uma área de livre comércio com o exterior, destinada à instalação de empresas voltadas para a produção de bens a serem comercializados no exterior, as quais possuem incentivos fiscais, cambiais e administrativos. Sabemos que taxas, impostos e outros custos de ordem tributária são grandes dificultadores para os empresários e, nessa área estarão livres desses encargos.

COMO É?

Ë um programa do Governo Federal, o qual foi remodelado e incentivado no mandato do Presidente Lula, sendo que a proposta de criação deve ser apresentada pelos Estados e municípios, em conjunto ou isoladamente, ao Conselho Nacional das Zonas de Processamento de Exportação “CZPE”, o qual é composto pelo Ministro de Estado do Desenvolvimento, indústria e Comércio Exterior, que o preside; pelos Ministros de Estado da Fazenda; do Planejamento, Orçamento e Gestão; da Integração Nacional e do Meio Ambiente e pelo Ministro de Estado Chefe da Casa Civil da Presidência da República, após a análise desse Conselho, o pedido é submetido à decisão do Presidente da República. No caso de Bataguassu, o município a solicitou individualmente, na modalidade privada, ou seja: uma empresa privada é responsável em realizar toda a infraestrutura interna, necessária para a operação, ficando o município livre de tais gastos. É importante ressaltar que já vencemos todas essas fases e estamos

Prefeito João Carlos e diretores da ZPE em visita ao início das obras

agora na implantação da obra física.

PRA QUE É?

Esse programa tem por finalidade atrair investimentos estrangeiros, reduzir desequilíbrios regionais, fortalecer a balança de pagamentos, promover a difusão tecnológica, criar empregos, promover o desenvolvimento econômico e social do país e aumentar a competitividade das exportações brasileiras e não tem o objetivo de criar concorrência incentivada com as empresas que atuam no comércio interno.

ONDE É?

A ZPE de Bataguassu esta instalada em uma propriedade que pertencia ao empresário Ulisses Galvan, à margem esquerda da rodovia 395, para quem vai em direção à Três Lagoas, próxima ao porto hidroviário Joaquim Lara (que fica do lado direito, no mesmo sentido), distante aproximadamente 5 km da sede do município. É uma área inicial de 200 hectares, com possibilidade de ampliação, caso haja necessidade. Essa área deve ser cercada, monitorada por câmeras e sistemas de segurança que permitam a instalação da Receita Federal no local, que ficará responsável, principalmente pelos trabalhos de alfandegamentos.

COMO FOI?

Conheci dois jovens paulistanos, Rui Benites e Mauricio Manfra, pessoas empreendedoras, com

visão privilegiada, os quais entenderam o momento de clamor da região para o desenvolvimento, diante da nova legislação que permitia esse plano nos associamos ao sonho de transformarmos Bataguassu em um centro de geração de empregos e rendas e iniciamos essa caminhada, no final de 2007; de lá para cá, somamos valorosos companheiros do setor público, como Governador André Puccinelle, Senador Delcidio, Deputado Federal Vander e companheiros da iniciativa privada como os empresários Ulisses Galvan e Germano Augusto que preside a empresa gestora da ZPE. Sem ter a pretensão de nomear todos os companheiros que aderiram a esse projeto e deram sua contribuição significativa para que se tornasse possível, faço menção honrosa em nome desses citados para representar a todos. A ZPE de Bataguassu é uma realidade! Ao nosso povo fica a certeza, de que dias promissores se aproximam, e que com o momento oportuno da chegada das festas de fim de ano, possamos nos colocar na presença de Deus, e pedir acima de tudo, sabedoria, para nosso povo e nossos governantes. Para que tudo aquilo pelo qual batalhamos em 2011, seja concretizado em 2012. Boas Festas João Carlos Lemes Prefeito de Bataguassu.


FERNANDA CORDEIRO LINDA, SIMPÁTICA E SUPER PROFISSIONAL x

Para ler ouvindo {Leoni - Garotos II}

Para Fernanda a vida profissional começou cedo. Seguindo o caminho da grande maioria das modelos, iniciou sua carreira com apenas 14 anos. Dai em diante foram passarelas, editoriais de moda, capas de revista, catálogos e afins. Hoje prestes a completar oito anos como modelo, Fernanda acumula trabalhos em diversos países, como Coréia, Filipinas, China, Indonésia, Tailândia, México e claro, aqui em nossas terras tupiniquins. Por conta da profissão, só vem ao Brasil uma vez ao ano, época que aproveita pra curtir cada segundo junto da família em Bataguassu. Para nossa felicidade, Fernanda deu uma pausa nas merecidas férias, para posar para nossas lentes num ensaio memorável, com modelitos da Destak Modas e Jaqueline Viana, lingeries e acessórios da Feminy e calçados da Prudentão Calçados. Aprecie sem moderação. Pg. 20


Fotos: Gisele Ferreira - Edição: Alex Taz


‘‘e o sol dará o tom do momento, cheio de poesia e sentimento”...


‘‘a medida certa da sensualidade”...


Produção Executiva: Alex Taz Fotos: Gisele Ferreira Assistente de Foto: Thiago Ferreira Figurino: Juliana Pierre Maquiagem: Ana Laura (Bá) Cabelo: Tabita Wechillym Agradecimentos: Hotel Terra Nova; Haras Imperial (Marcelo e Helena); Destak Modas: Vestido longo salmão Morena Rosa / Vestido preto Morena Rosa; Feminy: Lingeries, jóias e acessórios; Jaqueline Viana: Vestido verde musgo Rery Prudentão Calçados: Sandália Branca.


COMO TUDO COMEÇOU! Por Márcio Romanini

JAN ANTONIN BATA O FUNDADOR Bataguassu é uma cidade muito querida por todos, e que conta com uma história de fundação muito rica. Um levantamento feito pela secretaria de cultura descobriu recentemente novos personagens e novas e curiosas histórias que poucos tem conhecimento. Até onde sabemos esse novo levantamento chegará em breve ao conhecimento da população através de um belo material que promete difundir ainda mais o nome desta cidade. Enquanto esse momento não vem, reunimos com a ajuda do nosso colaborador Marcio Romanini, uma breve história desta cidade que recém completou 58 anos.

O PRINCÍPIO Essa história teve o seu início no ano de 1900, quando Manoel da Costa Lima ou Major Cecílio (título de honra recebido por ser Major da guarda nacional), partiu de sua fazenda Ponte Nova em expedição exploradora, sertão adentro, rumo à fronteira com o Estado de São Paulo. Não tendo conseguido atingir o objetivo, organizou posteriormente uma segunda expedição, que partiu da mesma fazenda Ponte Nova no dia 9 de maio de 1900. Essa expedição atingiu as margens do rio Paraná na barra do Rio Pardo, fundando, o distrito de Porto XV de Novembro. Em julho de 1904, o engenheiro agrimensor Emílio Rivasseau fazia o levantamento e a medição da estrada recentemente aberta por Manoel da Costa Lima. A estrada ligava o arraial de Campo Grande ao Porto XV de Novembro, com uma distância de 54 léguas e 5.103 metros, cujas medidas constavam no Memorial descritivo assinado em agosto de 1904. Em seguida foi essa estrada recebida oficialmente pelo governador do Estado de Mato Grosso, através de seu representante, previamente designado, agrimensor José Paes de Faria. O objetivo da obra era a ligação do comércio com o Estado de São Paulo. Com essas providências, o sertanista Manoel da Costa Lima, já colocava o Porto XV de Novembro ao

alcance de qualquer cidadão mato-grossense.

OS DETALHES DA EPOPÉIA Ao chegar no Porto XV de Novembro, Manoel da Costa Lima se depara com um novo impasse: Como atravessar os 2 km de rio? Não para as pessoas, que poderiam ser facilmente acomodadas em canoas e batelões, mas sim a travessia do gado, das boiadas, vacadas, tropas de burros, cavalos, etc. Sua capacidade, sua inteligência e suas forças eram agora seriamente desafiadas por esse vital problema. Chegou a conclusão de que teria que ser feita uma “balsa curral” grande, para transportar muitos animais de uma só vez. Para rebocar a balsa curral, seria necessário uma lancha grande, um vapor. Surge então outro impasse: Onde encontrálos? Nesta época, não existia nesta região esse tipo de navegação. Mas como o problema exigia solução, Major Cecílio imediatamente seguiu para a cidade de Concepción, no Paraguai, onde vira, de outra feita, vapores que seriam adequados ao serviço. No fim de 1904, efetuava-se em Concepción do Paraguai, a compra do vapor denominado “Carmelita”. Para essa compra, Major Cecílio levou uma boiada com 200 rezes, que foram vendidas no Paraguai. Com o produto da venda do gado, pagou o barco e mandou confeccionar, na mesma cidade, um carretão grande, ultra-resistente, além de

quatro rodas, também super reforçadas com chapas de ferro. Em abril de 1905, o vapor Carmelita, depois de navegar pelo rio Paraguai acima, foi ancorar no rio Aquidauana, na foz do ribeirão Taquarussu. No período entre a compra do vapor e a sua chegada à foz do ribeirão, Major Cecílio, volta à fazenda Ponte Nova para preparar a grande comitiva que o transportaria por via terrestre. Tomou emprestado alguns bois de carro, no total de duzentos, e também carros de bois e carretas, que foram convenientemente preparados para a viagem. Reuniu uns 20 peões carreiros. Abasteceu a comitiva de víveres, ferramentas e de diversos utensílios que lhe pudessem ser úteis naquela expedição. No dia aprazado, estava ele na barranca do rio Aquidauana para iniciar a etapa mais difícil de seu maravilhoso projeto. Tudo aquilo que ali estava no rio, barco a vapor e carretão, teria que ser posto ao seco, na terra firme. Eram toneladas a serem arrastadas para fora d’água. Não existia guindaste e nem sequer uma rampa apropriada. Dispunha somente da força física dos bois e, acima de tudo, da engenhosidade, da inteligência daquele sertanista intrépido. Retirado da embarcação, o carretão foi desmontado quase que totalmente. Retirou-se o mastro, a caldeira, chaminé, enfim, tudo o que dela fosse removível. Por fim, acomodados nos carros e nas carretas.


Depois de muito tempo de trabalho árduo, foi o casco do navio içado do rio Aquidauana e colocado sobre o carretão. Começou então a caminhada rumo à serra e depois sucessivamente, “serra a cima serra a baixo”. Caminhada penosa, exigindo não só dedicação daqueles bravos trabalhadores, mas muito sacrifício. Aquele casco de vapor em cima do carretão era presa fácil do terreno mole, dos brejos e dos areais existentes na rústica estrada. A viagem decorria lenta e morosa. Quando aquele monstro de quatro rodas atolava no brejo ou na areia, havia que ser levantado com todo aquele peso em cima. De uma forma ou de outra o serviço era feito e, o foi por muitas e muitas vezes. Quando o pesado veículo era levantado, colocava-se madeira branca por baixo do mesmo, que muitas vezes também não resistia, atolando-se sob as toneladas de peso. Quando isso ocorria a operação era repetida, tantas vezes quantas se tornassem necessárias. Difícil era atravessar um brejo, onde a comitiva esteve cerca de 15 dias em um só acampamento. Vários problemas surgiram. Toda arrumação do carro era feita de correias torcidas; as tiradeiras, uma vez molhadas, com as constantes chuvas, apodreciam e partiam-se sendo substituídas por material novo, feito na hora. Nas subidas o freio era constituído de pedras ou pedaços de madeira resistente colocados atrás das rodas do pesado veículo. Para as descidas da serra, córregos e nos baixados, o gênio criativo do bandeirante entrou em ação, e o tipo de freio certo foi engenhado. Vinte e cinco juntas de 50 bois alinhados, puxando para a frente o carretão, e ligado no carretão na sua traseira, por uma “fieira” de 6 juntas de 12 bois. Ligado, ou arrastado por esta “fieira”, uma grande tora de madeira; esta e as 6 juntas de bois não permitiam que o carretão disparasse nas descidas ou ladeiras. E quando necessitasse parar o pesado veículo, bastava cercar pela frente a fieira de 6 juntas. Do ponto de partida, na margem esquerda do Rio Aquidauana, subindo e descendo a serra de Maracaju até o arraial, ou vila de Campo Grande, mais de sessenta dias foram gastos.

A ABERTURA DA NOVA ESTRADA DEU ORIGEM A BATAGUASSU A chegada da comitiva em Campo Grande, foi motivo de alegria para toda a sua população, que não se cansava de manifestar o seu espanto e a sua admiração em ver um vapor dentro da vila. E ninguém negou aplausos aos heróis daquela proeza. Obra de louco! Diziam, a uma só voz. Uma verdadeira epopéia, diziam felizes, reconhecendo que foi realizada em época carente de todos os recursos, só tendo sido possível se conduzida por uma força de vontade inquebrantável e uma inteligência muito dotada. A notícia da chegada do vapor se espalhou pelos arredores de Campo Grande. Quem a ouviu não conteve a sua curiosidade e foi ver o navio e cumprimentar os heróis dessa proeza. O condutor mágico, dado antes como um louco, era agora aclamado e homenageado. Hospedado na casa de seu irmão durante 3 dias,

recuperou forças e permitiu que os bois também descansassem. Após os 3 dias de folga, deu novamente o toque de reunir o seu pessoal. E a grande comitiva se colocou em marcha, em demanda da barra do ribeirão Lontra com o Anhanduí, onde chegaram após mais 15 sofridos dias de trabalho. Nesse ponto providenciou-se a montagem de uma oficina para remontagem da Carmelita. Embarcação montada, desceram pelas águas do rio Anhaduí até as do Rio Paraná, no Porto XV de Novembro. No dia 8 de outubro de 1906 foi dado início à navegação a vapor pelos rios Paraná e Pardo. Justamente no dia que Manoel da Costa Lima completava 40 anos. Vale lembrar que todo esse trabalho foi feito às custas de seus poucos recursos financeiros. Para esse empreendimento trouxe duas chatas de São Paulo, em difícil viagem pelo rio Tietê. Construiu balsas-currais, mangueiros, embarcadores com brete, etc. E como se não bastasse, realizou benfeitorias nas margens do rio Pardo. Enfim, foi o pioneiro da primeira ligação Mato Grosso – São Paulo. Para finalizar, deve apenas ser ressaltado seu caráter despojado de quaisquer vaidades e, a prova disso reside no anonimato em que sempre se escondeu. A abertura da estrada de Campo Grande até o Rio Paraná, não concretizava a ligação com o Estado de São Paulo. Faltava transpor o caudaloso rio. Aliás, seu objetivo era exatamente explorar comercialmente a travessia do rio, através de balsas e, para isto, Manoel da Costa Lima trouxe do Paraguai uma lancha a vapor, cujo transporte até aqui foi considerado uma das grandes epopéias do Estado. Um detalhe interessante da travessia era o fato do Major não ter conseguido autorização do Estado de São Paulo para operar com navegação. Isto o obrigava a aportar em uma ilha bem próxima à margem paulista e daí em diante o gado terminava o percurso a nado. O curioso da história não é o fato da burocracia tentar atravancar o progresso e, sim, o senso de obediência às leis que norteava o Major. Mesmo sabendo não haver ninguém para impedi-lo de atracar na margem paulista, cumpria a determinação legal, apesar da dificuldade e do maior custo da travessia.

Manoel da Costa Lima O Desbravador

Vladimir Kubik Pioneiro

Ênio Martins

1º Prefeito

O FUNDADOR

PERSONAGENS

Depois da abertura da estrada ligando Mato Grosso com São Paulo, em 1953, Jan Antonin Bata funda a cidade de Bataguassu

Em 1932, Arthur Diederichen vendeu a Companhia de Viação São Paulo - Mato Grosso, incluindo terras, embarcações, pousos de boiada, armazéns, fazendas e direitos, ao Dr. Jan Antonin Bata, o qual conservou a mesma denominação da Companhia. O Dr. Jan Antonin Bata, nasceu na cidade de Zlim, na antiga Tchecoslováquia, onde era denominado

Diva Câmara Martins


foto histórica

Jan Antonin Bata – Vladimir Kubik e pioneiros “O rei do calçado”. Naquele país foi um grande industrial. Seu pai era fundador das indústrias Bata, e Jan foi seu continuador, ampliando suas fábricas nos cincos continentes. Culto e viajado, dominava sete idiomas. Foi o homem mais importante de Zlim e um dos mais conceituados na Tchecoslováquia, preocupando-se com a educação, instrução e bem estar da comunidade, sendo o nome Bata em sua pátria sinônimo de energia, trabalho, cooperação e honra. Perseguido e injustiçado pelos seguidores de Hitler; exilou-se nos Estados Unidos, de onde veio para o Brasil. Em 1941 já havia instalado uma indústria de calçados em Batatuba, no Estado de São Paulo, primeira cidade que fundou no Brasil. Entre as terras que adquiriu de Arthur Diederichen, quando da compra da Companhia de Viação São Paulo - Mato Grosso, estavam os 70.000 hectares das fazendas Formosa e Limeira, às margens do Rio Pardo, onde decidiu criar uma cidade. Em 1942, no espigão divisor das águas dos córregos Guassu e Sapé; não muito distante do Rio Pardo, escolheu o lugar onde seria edificada a cidade de Bataguassu. Além do planejamento urbano da cidade, fez também o mesmo com a zona rural, com pequenos lotes. Tanto os terrenos urbanos como os rurais eram vendidos a preços módicos, em suaves prestações, para despertar o interesse dos primeiros colonos. Construiu as primeiras casas destinadas aos operários e funcionários da Companhia, um armazém para fornecimento à população florescente e um pequeno templo católico, no centro de onde hoje se encontra a Praça Jan Antonin Bata. Nele colocadas lindas imagens importadas. Montou aqui inicialmente uma

serraria, cuja caldeira fornecia iluminação elétrica para o povoado e movia o motor estacionário que abastecia a população de água. A seguir, começou uma olaria à margem do Rio Pardo, mais tarde transformada em cerâmica. Montou uma leiteria e mais tarde uma granja. Durante a segunda Guerra Mundial, apesar do trabalho relevante desenvolvido por Jan Antonin Bata, o Governo Federal retirou-lhe a concessão da navegação, encampando as ambarcações, os pousos de boiadas e mais uma área de terras em Porto XV de Novembro, incorporando tudo ao Serviço de Navegação da Bacia do Prata. As primeiras casas em Bataguassu foram construídas por Joaquim Simplício da Silva, Manoel Rocha e Durval Catão. Foram construídas pela Companhia de Viação São Paulo - Mato Grosso, de início, uma residência para o administrador, um escritório, um armazém, cerca de vinte casas para colonos e um hotel. Os primeiros habitantes da região, além de Manoel da Costa Lima e seus descendentes, foram Isaac Cardoso Lopes, na fazenda Sapé; Domício de Aragão Bulcão, no pouso Guassu; Felisberto Viana e Ambrósio Lemes na Fazenda Matinha. Em 12 de Maio de 1945, Bataguassu foi escolhida para a sede do então Distrito de Ivinhema, criado pela lei nº. 1805 de 17 de julho de 1930, na data foi criado o Cartório de Paz no Distrito de Ivinhema, o qual funcionou inicialmente na Fazenda Uerê, sendo o primeiro escrivão o Sr. José Francisco da Cruz. Posteriormente o cartório foi transferido para a sede da Fazenda Acampamento, sob a responsabilidade de Blak Paes Ferreira, o qual transferiu o cartório para a vila de Bataguassu. Em 23 de agosto de 1965 faleceu Jan Antonin Bata, esse grande personagem da história do município de Bataguassu.

A emancipação Em 1953 o Governador do Estado de Mato Grosso, Dr. Fernando Correa da Costa, a convite de Tenente Nelson Verlangieri de Oliveira, Pery Martins e Enio Martins, visitou Bataguassu, quando inaugurou uma nova escola, a Escola Rural Mista Coronel Pedro Celestino, e assistiu a um desfile de máquinas agrícolas que o deixou bastante impressionado. Empolgado, o governador prometeu a emancipação política de Bataguassu. No dia 11 de Dezembro de 1953 assinou a Lei 683 que elevou a vila a sede de Município, o qual tinha as mesmas divisas do distrito de Ivinhema, abrangendo as terras que hoje formam os municípios de Bataguassu, Anaurilândia, Nova Andradina, Bataiporã e Taquarussu. A partir desta data foi nomeado Prefeito de Bataguassu, o Sr. Ladislau Deák Filho. Bataguassu foi fundado em 11 de dezembro de 1953, mas a Ata da Sessão Especial de Instalação do Município e da Administração Municipal respectiva, bem como de compromisso e posse dos vereadores e de Instalação da Câmara Municipal e do primeiro prefeito eleito, foi em 19 de fevereiro de 1955, tendo com o primeiro prefeito eleito o Sr. Enio Martins e seu vice-prefeito o Sr. Domício de Aragão Bulcão. Os primeiros vereadores eleitos foram os senhores Pery Barbosa Martins, Lázaro Severino da Silva, José Heitor de Almeida Camargo, Laucidio Ávila de Lima e Joaquim Silvério da Silva. Após a posse concedida pelo Dr. Silvio Borba Carrilho de Oliveira - DD. Juiz Eleitoral da 11ª zona eleitoral – foi feito a eleição para composição da Mesa Diretoria da Câmara Municipal, sendo eleito o primeiro presidente da Câmara Municipal o senhor Pery Barbosa Martins, vice-presidente o Sr. José Heitor de Almeida Camargo, 1º secretário o Sr. Lázaro Severino da Silva. A terra foi recebendo novos habitantes que mais tarde influenciariam em seus destinos, tais como, José Vicente Vitiritti, José Veríssimo do Amaral, Ailton Pinheiro Ferreira, Shiguetsugo Kawanami, Yataka Kasai, Francisco Machado de Souza, Adonel Elias Barbosa, Arlindo Evaristo Bonfim, Odorilho Ferreira, José Francisco Xavier, Manoel Pereira de Souza, José Alves Barroso e Vladimir Kubik

COLONIZADOR Pioneiro e colonizador do Município de Bataguassu, Vladimir Kubik atuou ao lado de Jan Antonin Bata na colonização de parte da região sudeste do Mato Grosso do Sul, que só foi possível graças à Companhia Viação São Paulo - Mato Grosso, da qual Antonin Bata era o proprietário e Kubik trabalhava como administrador. Junto com seu filho, Vladmir José Kubik, lançou um dos primeiros loteamentos imobiliário de Bataguassu. Vladimir Kubik foi casado com Maria Rossato Kubik, com que teve três filhos: Maruska, Vladimir José e Marta. Faleceu no dia 29 de agosto de 2007, aos 90 anos, em sua residência


na cidade paulista de Presidente Prudente.

A FAMÍLIA MARTINS E O PROGRESSO Por volta de 1950, Bataguassu nem imaginava o que a esperava no futuro: a fartura do arroz e mais tarde da pecuária, a instalação de importantes empresas, a educação, enfim todos os elementos que deram forma ao progresso hoje visto. Como importantes figuras dessa história, a Família Martins foi de grande significado para a história de Bataguassu. Nascido entre as cidades de Sidrolândia e Rio Brilhante, precisamente no município de Campo Grande, que na época compreendia o território onde hoje encontra-se Bataguassu. Enio Martins era descendente da família dos “Barbosa da Vacaria” e se destacava na política local. Em 1926, a família mudou-se para uma fazenda onde hoje está a cidade de Nova Andradina. Diva Câmara nasceu em Miranda – MS, em 26 de junho de 1919. Casou-se com Enio no dia 31 de dezembro de 1941, em Campo Grande. Foram morar na fazenda Imbauval, município de Miranda, propriedade do pai de Diva. Mais tarde, com o advento da Segunda Guerra Mundial, Enio teve de se apresentar ao Exército e com o excesso de exercícios físicos contraiu osteomielite, sendo assim julgado incapaz para o serviço militar. Durante o ano de 1944, Enio trabalhava como motorista de caminhão em Campo Grande e com a enfermidade do pai precisou retornar à casa paterna na Fazenda Baile, em Nova Andradina. A família Martins permaneceu no local até a vênda da Fazenda Baile, em 1952, quando no dia 8 de março do mesmo ano, a convite do tenente Nelson Verlangieri D’Oliveira (genro de Jan Antonin Bata), chegaram em Bataguassu. O casal teve três filhos biológicos: Neide, Vilma e Newton, posteriormente assumiram como filha, Maria Aparecida. Enio, com 35 anos, trabalhou como gerente de uma olaria da Companhia de Viação São Paulo - Mato Grosso, que colonizava a área. Enquanto isso, Diva com 32 anos, assumiu como escrivã de paz do distrito de Ivinhema, que tinha sede na vila de Bataguassu, que nessa época pertencia ao município de Rio Brilhante. A nomeação do cargo aconteceu a pedido de Peri Martins, chefe político da região e tio de Enio. Na época, as condições do local eram precárias, não havia nenhuma infra-estrutura, existia apenas 30 casas de madeira no local com aproximadamente 200 habitantes e muito a ser desbravado. Um pequeno cômodo de madeira era usado como capela e a celebrações eram realizadas anualmente pelo sacerdote de Rio Brilhante, que se deslocava a cavalo até a vila. Foi Frei João Damasceno que rezou a primeira missa nesta capelinha de madeira entre os coqueiros da praça central (denominada Jan Antonin Bata), em 29 de Junho de 1948. Foi em 1º de Maio de 1954, que o

foto histórica

Jan Antonin Bata – Vladimir Kubik e pioneiros capuchinho gaúcho, Frei Luís Maria de Tomás Flores, entrou em Bataguassu como primeiro vigário da paróquia. Já nesta época a festa religiosa em homenagem ao santo padroeiro, São João Batista, era realizada com as quermesses durante o mês de junho, a renda arrecadada era revertida para a construção da primeira igreja de alvenaria. A energia elétrica, hoje comum a todos, era racionada, gerada através de um motor estacionário que funcionava das 18 às 22 horas. A alfabetização das crianças era realizada em um salão de madeira de forma bastante precária, onde um professor dava aulas por conta da Companhia colonizadora. Diva preocupou-se desde o início com a educação das crianças da pequena vila. Em sua própria casa, preparou suas filhas e outras crianças para a admissão ao ginásio. Só em 1953 foi edificado pela Companhia colonizadora o primeiro prédio para realizar a alfabetização das crianças do município. Com uma sala de aula, dois sanitários e alojamento para o professor Peri Barbosa Martins e Enio Martins, Tenente Nelson e amigos, preocupados com o desenvolvimento do local, conseguiram que o prédio fosse cedido para o Estado de Mato Grosso. No local foi então criada a Escola Rural Mista Coronel Pedro Celestino, que teve como primeira professora Maria da Conceição, exercendo o cargo até 1965. Mais tarde, após a emancipação do município, a escola rural foi renomeada como Escolas Reunidas Manoel da Costa Lima. Enio Martins foi o primeiro prefeito

eleito oficialmente no município de Bataguassu, exercendo o cargo posteriormente por mais dois mandatos. Diva colaborou durante algum tempo na área da Educação e Promoção Social. É autora de dois poemas em homenagem a cidade, o “Portal de Mato Grosso” e “Canção de Bataguassu”, destacando a economia e a realidade local da época.

foto histórica

Manoel da Costa Lima e Bispos

Texto Original: Márcio Romanini Adaptação: Alex Taz Márcio Romanini dirigiu o jornal Visão por 10 anos, sendo o primeiro jornal impresso de Bataguassu. Veículo para o qual elaborou esta breve história do nosso município.


Fotos by Gisele Ferreira

O Verão chegou! Trazendo além das altas temperaturas toda a alegria dessa estação. Como de costume as grandes marcas apostam alto com muitas opções para o seu guarda roupa. As novas coleções chegam com brilho, glamour, ousadia, cores e sensualidade. Em Bataguassu, as lojas Destak Modas, Feminy, Karazawa, Cantinho da Moda, Espaço da Mulher e Jaqueline Viana reuniram alguns dos seus looks pra mostrar o que vai bombar nesse verão.


Fernanda: vestido branco Carolina Ferrarini da Feminy.

Kelly: Blusa Eva Bella, Short Jeans Boyfriend Di Collani ambos da loja Jaqueline Viana.

46


Daiane: Vestido longo floral da loja Espaรงo da Mulher

Taynara: Macacรฃo Rosa da Karazawa

47


EDITORIAL Fernanda: Vestido preto da Feminy

Kelly: Vestido Branco Perfect Way com brincos Raio de Sol da loja Jaqueline Viana

48


EDITORIAL

Franco: Camisa Xadrez, Camiseta Bรกsica Branca e Calรงa Jeans da Feminy

Luana: Vestido Morena Rosa e Sandรกlia Colcci da Destak Modas

49


EDITORIAL Patr铆cia: Blusa de Paet锚, Short Jeans e acess贸rios do Cantinho da Moda

Raphaella: Vestido Branco de renda e acess贸rios Cantinho da Moda

50


EDITORIAL

Franco: Terno cinza com Camisa manga longa da Karazawa

Kelly: Camisa Dudalina, Regata Outwear Dudalina, Saia Laços e Tiras, Chapéu Raio de Sol, Brinco e Pulseira Raio de Sol, Cinto Artsy da loja Jaqueline Viana.

51


Franco: Camisa manga longa e Calça Jeans Básica do Cantinho da Moda.

Fotos: Gisele Ferreira / Cabelo: Tabita Wechillym / Maquiagem: Ana Laura

Fernanda: Macacão Carolina Ferrarini e acessórios da Feminy.

Aline: Macaquinho estampado Pura Mania

KARAZAWA - Av. Aquidauana, 450. Fone: 3541-1040 / ESPAÇO DA MULHER - Av. Aquidauana, 430 Fone: 3541-3222 / CANTINHO DA MODA - Av. Maracajú, 175, Fone: 3541-1873 JAQUELINE VIANA - Rua Rio Verde, 165. FONE: 3541-3574 / FEMINY - Av Dias Barroso, 746. Fone: 3541-1713 / DESTAK MODAS - Av. Aquidauana, 439. Fone: 3541-1725


57

GUIA BATAMIX Além desta revista que você tem em mãos, o Batamix também produz um jornal impresso e um website. Dentro do nosso jornal, a exemplo da revista, existem espaços publicitários, que com a graça de Deus são esgotados em todas as nossas edições. Para mostrar que o Batamix reconhece e agradece a confiança depositada em nossos veículos, aqui vai uma lista com nome, endereço e telefone de todos os anunciantes que o Jornal Batamix já teve desde o seu lançamento em agosto deste ano. Assim, podemos dizer que todos os nossos parceiros também participaram do lançamento da nossa revista.

+ D MIL UTILIDADES – 1,90 DO JAIR Av. Aquidauana, 583. Fone 3541 1918

ELAINE ESTÉTICA E BELEZA Av. Presidente Prudente, 55. Fone 3541 1513

MAMÃO COM MEL Av. Campo Grande, 130. Fone 3541 1056

2 RODAS MOTO PEÇAS Rua Maracaju, 417 Sala B. Fone 3541 1559

ENGENHEIRA CIVIL DANIELE COSTA Av.Porto XV, 236. Fone 8146 7984/9978 1165

NIPOFLEX Rua Brasilândia, 156. Fone 3541 2610

ASSESCONT Rua Brasilândia, 637. Fone: 3541 1928

EMPÓRIO GENTE DE CASA Rua Nossa Senhora, 376. Fone 3541 3857

OPTICA MASTER Av. Campo Grande, 273. Fone 3541 1842

A PALHOÇA Av. Aquidauana esquina com a brasilândia. Fone 3541 1526

FARMED Av. Campo Grande, 208. Fone 3541 1317

PAIAGUAS Av Campo Grande,229. Fone 3541 2300

A ESCOLAR PAPELARIA E ROSA DECORAÇÕES Av. Maracajú, 246. Fone 3541 1473

FRONZA Av. São josé, 238. Fone 3541 3008

PINCEL MÁGICO Rua Sidrolandia 688. Fone 8133 1775

ALEGRETE CALÇADOS Anexa ao Posto Prudentão. Fone 3541 3946

FIXAR - ADESIVOS DECORATIVOS Rua Geni Businaro, 40. Fone 3541 1502

PRUDENTÃO CALÇADOS Av. Aquidauana, 581. Fone 3541 1994

AUTO BRILHO LAVA - JATO Rua Ponta Porã, 980. Fone 9695 6940 (Fred)

FEMINY Av. Dias Barroso, 746. Fone: 3541 1713

PIMENTA ROSA Rua Dourados, 444. Fone 3541 1464

ADVOCACIA SOUZA Av. Dias Barroso, 281. Fone 3541 2893

GISELE FERREIRA STUDIO FOTOGRÁFICO Fone: 3541 9554

PREFEITURA DE BATAGUASSU Rua Dourados. Fone 3541 1277

AUTO ELÉTRICA E MECÂNICA DOWALTER Rua Anaurilândia, 933. Fone 3541 1765

HIDROBATA - DISK CAÇAMBA E LIMPA FOSSA Av. Porto XV, 282. Fone 3541 3838

PROVET - DR. RONALDO ALCÂNTARA Av. Aquidauana, 198. Fone 3541 1774

ACADEMIA FORCE FITNESS Rua Rio Verde, 56. Fone 3541 2288

IMPAR Av Campo Grande, 449. Fone 3541 1242.

POSTO PRUDENTÃO HOTEL E RESTAURANTE Rod. Manoel da Costa Lima km 31,5. Fone 3541 5000

ADVOCACIA ACIR MURAD SOBRINHO Av. Campo grande, 199. Fone 3541 2260

IMOBILIARIA CONFIANÇA Av. Cuiaba, 300. Fone 3541 1367

RADIO PORTAL AM 1450KHZ Rua Ribas do Rio Pardo, 263. Fone 3541 1200

AGUAZUL Rua Brasilândia, 289. Fone 3541 2819

JAQUELINE VIANA Rua Rio Verde, 165. Fone 3541 3574

RESTAURANTE DA OLGA Av Porto XV de Novembro, 756. Fone 3541 1359

BIONATIVA FARMACIA DE MANIPULAÇÃO E DROGARIA Av. Campo Grande, 439. Fone 3541 2727

KARAZAWA Av. Aquidauana, 450. Fone 3541 1040.

SORVETERIA 4 ESTAÇÕES Av. Aquidauna esquina com Av. Maracajú.

BEATRIZ KIDS E ESPAÇO DA MULHER Av. Aquidauana, 430. Fone 3541 3222

LIVIA FISIOTERAPEUTA Rua Nova Andradina, 594. Fone 3541 2199

SUCOS NATURAIS Av. Porto XV, 86.

BORA BORA TURISMO Rua Brasilândia, 158. Fone 3541 3232

LIDERANÇA CONTÁBIL Rua Nova Andradina, 319. Fone 3541 1406

SUPIMPA Av. Campo grande, 509 loja 3.

BRUNO MORAES Personal Trainer. Fone 9684-7591

LIDER BIKES MS Av. Dias Barroso, 690. Fone 3541 4122

SAMARA MODAS Av. Dias Barroso, 608. Fone 3541 2991

BLESSING – INGLÊS E ESPANHOL Av. Dias Barroso, 145 C. Fone 3541 3971

LIBORIO’S AKUA PARK Fone 3541 2110

TEQUILA’S Av. Dias barroso ao lado do Posto Portal

CANTINHO DA MODA Av. Maracaju, 175. Fone 3541 1873

LOJÃO DAS FÁBRICAS Av. Aquidauana, 410. Fone 3541 1831

VIP ACESSÓRIOS E CALÇADOS Av. Campo grande, 439. Fone 3541 4161

CONNECT.COM Av. Campo Grande, 120. Fone 3541 1414

LIVRARIA EVANGÉLICA VITÓRIA Av. Maracajú, 240. Fone 3541 1550

WORLD VÍDEO Av. Campo Grande, 428. Fone 3541 2749

CASA DE CARNES BOM BIFE Av. Aquidauana, 351. Fone 3541 2169

MIMO’S PRESENTES Av. Campo grande, 439. Fone 3541 2727

XAVIER FISIOTERAPIA - DR GUILHERME LEMOS XAVIER Av. Campo Grande, 192. Fone 3541 1450

DESTAK MODAS Av. Aquidauana, 439. Fone 3541 1725

MALY LANCHES - O LANCHE DO TIÃO Rua São João Batista, 390. Fone 3541 2113

XAVIER ORTODONTIA - DR. DOUGLAS LEMOS XAVIER Av. Dias barroso, 330 A. Fone 3541 3883

D’MONTÃO CONFECÇÕES Av. Aquidauna, 440. Fone 3541 3568

MERCEARIA BRASIL Av. São Francisco de Assis, 280. Fone 3541 1844

YAKISSOBA’S Av. Campo grande, 238. Fone 3541 3955


60

1

FLASH

AQUI VOCÊ VAI VER CLIQUES DE PESSOAS QUE AGITAM A CIDADE E A REGIÃO. E É CLARO, AS MELHORES FESTAS TAMBÉM VÃO PINTAR POR AQUI.

3

4

5

6

2

1. Adilson e Jackeline 2. Vitória comemora seus 15 anos 3. Érica, Marcílio e filhos 4. Você não quer saber o nome de todo mundo nessa foto né? 5. Ricardo, Liamara, Daniel, Rafaelle, Roanderson e Thais. 6. Marcio Romanini e família curtindo o show de João Bosco e Vinícius 7. Poliana e família 8. Célia e Cristiane 9. Maria e Valdir da Paiaguás 10 Sidnei e Lucinha 11. Nathalia e Letícia Primo 12. Paula e Jeferson da Feminy.

7

8

9

10

11

12


61

FESTA DE 58 ANOS

1

DE BATAGUASSU NOS DIAS 10 E 11 DE DEZMBRO O BATAMIX ESTEVE PARTICIPANDO DAS FESTIVIDADES DOS 58 ANOS DE BATAGUASSU, E MUITA GENTE BONITA PASSOU PELA NOSSA TENDA.

2

1. Aline, João Carlos, Fernanda e Paula 2. A Miss Raphaella 3. Dryelli, Tina, Kelly, Gabi e Rafa 4. Alex, Juliana, Gisele e Thiago 5. Mário, Akira, Junior e Marcos Vinícius 6. Marcela e Jeisson 7. Suelen, Bá e Luana 8. Edson e 9. Dallairy e Daiane 10 Keniza e Douglas 11. Camila, Sílvia e Cláudia 12. Margarida, Zélia Bonfim e Sônia. 13. Bruno e Taynara

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13



BATAMIX