Issuu on Google+

Responsabilidade Socioambiental

O DEBATE ENTRE CONSERVACIONISTAS E PRESERVACIONISTAS AULA 9


A CRISE ECOLÓGICA COMO FENÔMENO GLOBAL 

A partir dos anos 1970 ocorreu uma verdadeira Revolução Ambientalista

O movimento ambientalista passou a ter uma base ampla e ganhou muito mais apoio público, podendo ser visto como parte de uma transformação social abrangente que ocorria então na sociedade ocidental.

Eventos que reuniram líderes de todo o mundo como a Conferência de Estocolmo e a Rio-92 legitimaram o ingresso do ambientalismo no plano político, abrindo espaço para que as demandas e valores que estavam emergindo na sociedade civil começassem a ser abordadas pelos Estados.


CONSERVACIONISTAS E PRESERVACIONISTAS 

Atualmente, observamos a atuação de diferentes grupos sociais engajados na proteção do meio ambiente. Esses grupos não são homogêneos, o que significa dizer que eles possuem diferentes motivações e defendem idéias díspares sobre a questão ecológica. Para citar apenas alguns exemplo, há grupos que defendem a natureza pelo seu valor em si, há grupos que defendem por uma necessidade de sobrevivência, como há grupos que pensam no valor econômico do meio ambiente.

Sobre a caracterização do ambientalismo como um movimento plural, devemos compreender primeiro a gênese das orientações ambientalistas, que é marcada pela polarização entre conservacionistas e preservacionistas.


CONSERVACIONISTAS Gifford Pinchot, engenheiro florestal treinado na Alemanha, criou o movimento de conservação dos recursos, apregoando o seu uso racional. Pinchot agia dentro de um contexto de transformação da natureza em mercadoria. Acreditava que a conservação deveria basear-se em três princípios: o uso dos recursos naturais pela geração presente; a prevenção de desperdício; e o uso dos recursos naturais para benefício da maioria dos cidadãos.


PRESERVACIONISTAS 

Se a essência da "conservação dos recursos" é o uso adequado e criterioso dos recursos naturais, a essência da corrente oposta, a preservacionista, pode ser descrita como a reverência à natureza no sentido da apreciação estética e espiritual da vida selvagem

A perspectiva preservacionista considerava que qualquer intervenção humana na natureza era vista de forma negativa. Os parques nacionais eram vistos como a única forma de salvar pedaços da natureza de grande beleza contra os efeitos deletérios do desenvolvimento urbano-industrial.


Aula 9 slides rsocioambiental