Issuu on Google+

ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE VISEU

Recuperação e Avaliação de Informação Pesquisa Alexandre Rodrigues Turma B 10897 Trabalho realizado por Alexandre Rodrigues 10897, no âmbito da Unidade Curricular de Recuperação e Avaliação de Informação, sob a orientação da docente Teresa Barros.


Motores de Busca


O que é um Motor de

Um motor de busca é um software, com o objetivo de encontrar armazenada informações num sistema computacional. Esta busca de informação é feita pelo utilizador, através de palavraschave. Palavras essa que darão origem a uma seleção de informação, mostrando apenas temas relacionados com o pretendido pelo utilizador. Existem vários tipos de motores de busca, são eles: •

Motores de busca globais- pesquisam todos os documentos na rede, em que a apresentação do resultado é aleatória, dependendo do ranking de acessos aos sites. O buscador global mais recente é “oWiglr”. Google, Yahoo e Bing são os motores de busca globais mais com mais acessos.

Motores de busca verticais- realizam pesquisas "especializadas" em bases de dados próprias de acordo com suas propensões. Geralmente, este tipo de motores de busca estão relacionados ao pagamento de uma mensalidade ou de um valor por clique. Trovit, BizRate, SAPO, BuscaPé são alguns dos exemplos deste tipo de motores de busca.


Guias Locais- exclusivamente locais ou regionais. As informações referem-se a endereços de empresas ou prestadores de serviços. É indicado para profissionais e empresas que desejam oferecer seus produtos ou serviços numa região, Estado ou Cidade.

Guias de busca local ou nacional- tem uma abrangência nacional que lista as empresas e prestadores de serviços próximas do endereço do utilizador a partir de um texto digitado. A proximidade é avaliada normalmente pelo Donavera.com, ou por coordenadas de GPS. Os registos básicos são gratuitos possibilitando às micro empresas ou profissionais liberais possam estar presentes na WEB sem terem de investir em sites próprios. É indicado para profissionais e empresas que desejam oferecer seus produtos ou serviços numa localidade, rua, bairro, cidade ou estado e possibilitando ainda a forma mais rápida de atualização dos registos de contactos dos seus clientes ou fornecedores.

Diretórios de Websites- são índices de sites, geralmente organizados por categorias e subcategorias. Tem como principal finalidade permitir ao utilizador encontrar rapidamente sites que desejar, pesquisando por categorias, e não por palavras-chave.

Foram consultados os seguintes sites: http://www4.fe.uc.pt/fontes/pesquisa_na_internet/motores_busca/motores_de_busca.htm


http://visibilidade.net/tutorial/tipos-motores-busca.html http://pt.wikipedia.org/wiki/Motor_de_busca

História da Publicidade

Google Generalista Ramos, Rita. 3 de Dezembro de 2009. “História da Publicidade”; Publicidade e Marketing. Disponível em


https://sites.google.com/site/publicidadeajlr/historia-dapublicidade-3

Resumo: “Pode-se verificar que em toda a evolução da publicidade, quer na antiguidade clássica até a atualidade o principal objetivo da publicidade não mudou. Esta continua a ser utilizada para chamar a atenção do público ao seu produto e assim adquirir lucro.”


Wikipédia, História da Publicidade. Disponível em http://pt.wikipedia.org/wiki/Publicidade, Consultado a 12 de Outubro de 2013

Resumo: “A publicidade é uma atividade profissional dedicada à difusão pública de ideias associadas a empresas, produtos ou serviços, especificamente, propaganda comercial.”

Disponível em http://www.dinheirovivo.pt/Buzz/Artigo/CIECO101008.html, consultado a 12 de Outubro e 2013


Resumo: Existe

uma

comparação

e

ligação entre a Publicidade e o Jornalismo, caracterizando assim a publicidade e o jornalismo e explicando a ligação que existe entre eles, sendo eles noções distintas.

Blog Publicidade (Ponto). Disponível em http://publicidadeponto.blogspot.pt/2009/03/historia-da-publicidade-emportugal.html Consultado a 14 de Outubro de 2013


Resumo:” termos actividade publicitária Portugal, possível distinguir

Em de em é 5

grandes fases. 1ª Fase – os primeiros passos 2ª Fase – O apogeu da rádio 3ª Fase. O advento da publicidade 4ª Fase – Os anos de travessia do deserto 5ª Fase – Os anos de ouro da publicidade”

Blog Publicidade. Disponível em http://www.jn.pt/blogs/tiagosilva/archive/2008/07/07/hist243-ria-da-publicidade.aspx, consultado a 14 de Outubro de 2013


Resumo: “ É possível encontrar sinais de formas de publicidade nas civilizações egípcias e gregas. Nessa altura eram utilizadas as pinturas em muros ou rochas de forma a dar a conhecer os produtos, com a inclusão de mensagens de vendas. Para além destas pinturas eram utilizados panfletos publicitários.”


Disponível em http://www.google.pt/books?hl=ptPT&lr=&id=oTvyEoBUGa4C&oi=fnd&pg=PA205&dq=Hist %C3%B3ria+da+Publicidade&ots=EYXVmnCPTm&sig=sAkZTCbtQhA0MWQ


_Mwz0r07jwJM&redir_esc=y#v=onepage&q&f=false, consultado a 12 de Outubro de 2013

Resumo: “A Publicidade vista pelas tendências dos anos 90. “

Disponível

em

http://www.mundodigital.unesp.br/revista/index.php/comunicacaomidiatica/article/viewArtic le/83/70, consultado a 12 Outubro de 2013.


Resumo: “A interação literatura e publicidade está presente em livros de história da propaganda e em inúmeros trabalhos acadêmicos. Todavia, poucos trabalhos partem para uma discussão de ajustes entre campos científicos na intersecção das áreas de Letras e Comunicação. Nessa perspetiva, o presente texto busca apresentar alternativas para o diálogo entre os Estudos Mediáticos aplicados à publicidade e aos Estudos Literários, enquanto campos científicos de investigação inter-agentes.”


Disponível em http://seer.utp.br/index.php/vol11/article/view/140, consultado a 12 de Outrubro de 2013.

Resumo: “Acusada, por justas razões muitas vezes, de tomar parte da culpa da poluição visual que agride as grandes cidades, a publicidade vê-se na condição de driblar o excesso de imagens, provocado por ela mesma, compondo novas estratégias de diferenciação.”


Disponível em http://www.okara.ufpb.br/ojs/index.php/cm/article/view/16206 , consultado a 12 de Outrubro de 2013.

Resumo: “Neste artigo é desenvolvido um estudo de caso sobre a campanha publicitária para os cigarros Charm, que corporifica uma série de rupturas ocorridas tanto no cenário publicitário brasileiro, quanto na cultura em que ela teve origem, nas décadas de 1970 e 1980.”


Disponível em http://www.lasics.uminho.pt/ojs/index.php/5sopcom/article/viewFile/78/ 199, consultado a 12 de outubro de 2013.

Resumo:“Esta intervenção tentará demonstrar o crescente papel da publicidade audiovisual e apresentar pistas para a sua explicação. Portugal é o país que mais recursos investe em publicidade audiovisual na Europa. Isto é, Portugal é o país que maior percentagem do investimento publicitário canaliza para meios audiovisuais, nomeadamente a televisão. Apesar de existirem algumas condicionantes culturais, como o tempo de televisionamento dos portugueses ou a taxa de analfabetismo, não são suficientes para explicar o fenómeno, pois, já no inicio da década de


setenta, quando a penetração do meio televisão era reduzido, já se verificava a situação.”


DisponĂ­vel em http://4.bp.blogspot.com/_tF8E6Mex6ss/R6vodW2wdI/AAAAAAAAAYI/ps0a9Ndux2I/s1600h/propaganda+cruzeiro+727.jpg, consultado a 12 de Outubro de 2013.


Resumo: Anúncio antigo da Companhia Aérea Cruzeiro. Eles prometem que, ao viajar no novíssimo 727-100 da companhia, você teria uma sensação de viajar no ano 2003.

Disponível em http://3.bp.blogspot.com/SIKT4eIZD18/TVl1skjYFfI/AAAAAAAABRw/dKxRsEm_dp0/s320/onyx.jpg, consultado a 12 de Outubro de 2013.


Resumo: Publicidade de uma marca de consolas, com o slogan “Uma verdadeira batalha de emoções.”

Disponível em http://3.bp.blogspot.com/9AHLINzPjFQ/T7vAOvUBvdI/AAAAAAAADN0/EsS147CUYDk/s640/18892.jpeg, consultado a 12 Outubro de 2013.


Resumo: anúncio antigo da Coca-Cola. Tem características peculiares e encantadoras ao seu modo.

Disponível em http://pearlypassion50s.p.e.pic.centerblog.net/8id0ijdg.jpg, consultado a 12 de Outubro de 2013.

Resumo: Publicidade do modelo 203 do automóvel da Peugeot.


DisponĂ­vel em http://bitdodia.s3.amazonaws.com/wpcontent/uploads/heinz-ketchup.jpg, consultado a 12 de Outubro de 2013.


Resumo: Publicidade criativa do Ketchup da Heinze, superiorizando a sua marca como sendo a melhor.


Disponível em http://www.youtube.com/watch?v=I0yUOHHl0zM consultado a 12 de Outubro de 2013.

Disponível em http://www.youtube.com/watch?v=IugOsBURXPM, consultado a 12 de Outubro de 2013.


Disponível em http://www.youtube.com/watch?v=CjojcTQoC_U, consultado a 12 de Outubro de 2013.

Disponível em http://www.youtube.com/watch?v=aREZCYPpsnA, consultado a 12 de Outubro de 2013.


DisponĂ­vel em http://www.youtube.com/watch?v=CmOyiHljpMg, consultado a 12 de Outubro de 2014.


Santos,Gilmar. 2005, Principios da Publicidade, Disponível em http://books.google.pt/books?id=TvsN9TGW5uUC&pg=PA14&dq=A+hist %C3%B3ria+da+Publicidade&hl=ptPT&sa=X&ei=9TRZUvfeLYi27QbjxYCwAg&ved=0CFcQ6AEwBg#v=onepage& q&f=false, consultado a 12 de Outubro de 2013.

Resumo: “O capítulo 4 traz uma breve revisão da história da publicidade no mundo, no Brasil e em Minas Gerais. O capítulo 5 faz uma síntese dos principais conceitos de marketing e discute como eles se relacionam à publicidade. “


Gonçalez,Márcio.2009. Publicidade e Propaganda. Disponível em http://books.google.pt/books?id=mcjMntKor5gC&pg=PA10&dq=Hist %C3%B3ria+da+Publicidade&hl=ptPT&sa=X&ei=K6laUtCEG8S47Qbuh4GoAw&ved=0CD4Q6AEwATgK#v=onep age&q=Hist%C3%B3ria%20da%20Publicidade&f=false, consultado a 12 de Outubro.

Resumo: Neste livro podemos verificar um pouco da história da publicidade no Brasil.” Assim como na propaganda, o surgimento dos meios de comunicação, e seu desenvolvimento técnico, contribuíram para o avanço da publicidade.”


Marshall, Caroline. Tudo sobre Publicidade. Disponível em http://books.google.pt/books?id=A--ic-1tZT0C&pg=PA138&dq=Hist %C3%B3ria+da+Publicidade&hl=ptPT&sa=X&ei=QqtaUvq4INHG7AbZp4CoBQ&ved=0CFsQ6AEwBjgU#v=onep age&q=Hist%C3%B3ria%20da%20Publicidade&f=false, consultado a 12 de Outubro de 2013.

Resumo: “A história da publicidade é cheia de casos que demonstram o quão importante é a dimensão humana ao se realizar um discurso de vendas.”


Jones, John. 2005. A Publicidade na construção de grandes marcas. Disponível em http://books.google.pt/books? id=45WUMZ0TRH8C&printsec=frontcover&hl=ptPT&source=gbs_ge_summary_r&cad=0#v=onepage&q&f=false, consultado a 12 de Outubro de 2013.

Resumo: 'A publicidade na construção de grandes marcas' reúne textos de autores representativos no setor, provenientes dos meios acadêmicos e profissional, que abordam todos os aspectos do gerenciamento de marcas, de brand equity e de marcas novas ou maduras. O autor estende o conceito de marca a novos segmentos de marketing, como o marketing político, o ambientalista e o cultural. O livro é um 'banco de dados' de teoria e prática publicitária de extrema importância para profissionais de comunicação e marketing


Lara, Milton. 2010. Publicidade A MÁQUINA DE DIVULGAR. Disponível em http://books.google.pt/books? id=rizRTge5IYQC&printsec=frontcover&dq=Hist %C3%B3ria+da+Publicidade&hl=ptPT&sa=X&ei=qq9aUpT5PMWu7AaGiYHgDA&ved=0CFcQ6AEwBjgK#v=one page&q=Hist%C3%B3ria%20da%20Publicidade&f=false, consultado a 12 de Outubro de 2013.

Resumo: “Este

livro apresenta um panorama da publicidade ao longo da história, suas mudanças de postura, críticas sofridas por parte de opositores e contribuições à sociedade.”


Rcaap, Correia, Francisco, “Efficient advertising strategies for the fragrance market”, dissertação, consultada a : 11/11/13, consultada em:

http://run.unl.pt/handle/10362/9504

Abstract: “Fragrances are not just a segmented market. It has become diverse market, providing consumers a variety of multi-dimensional experiences. From customized fragrances to celebrity endorsed perfumes, the possibilities in this lucrative industry are endless. As referred by Bized.co.uk: Most of the fragrance houses have been in existence for many years. Moreover, in order to develop their name and the brand image that is associated with it takes many years of investment and careful brand positioning and promotion. This highlights the importance of marketing communication for this market. Actually, “it is usual these days for the bottle, the name, and the advertising campaign of a new scent to be developed well in advance of the fragrance itself (...). It is the sirensong of advertising that leads us to the counter”.


Rcaap, Freire, Tânia, “Advertising in new media : internship in dutchy design”, dissertação de mestrado (IPC), consultada a: 11/11/13, consultada em: http://repositorio.ipcb.pt/handle/10400.11/1770

Abstract: “The following report concerns the internship held in Dutchy Design, located in Amsterdam, addressing the theme “Advertising in New Media”, in this case applied to the brand Wannaskin. As an introduction to the area of brands, the importance must be stressed on the realization of corporate realities and the definition of clear, easily identified objectives, intended for public recognition. When referring to a brand, the reputation, values and the relationship to the consumer are as important as products and quality themselves. With cultural and technological changes, creating a connection to the consumer is essential. This is where advertising enters, making products, services or ideas known intentionally. Speech coherent advertising allows an easy identification by the consumer, if this link is broken; the logic of communication will be lost.


This research is based on the study of brand communication, more specifically in relation to its promotion. Resorting to literature related to the subject, the best methods were theoretically analyzed. Regarding new media, advertising needs resources for its own dissemination. The Internet, as well as social networks, when correctly managed, is playing a key role in the growth of brands, by improving its corporate image and creating direct contact with specific targets. As an intern, based on the reported studies, some practical work developed during this period is observed. Taking advantage of this Master’s degree in Graphic Design and its respective internship, it is intended this report will be used as a tool for further developments, which due to professional reasons will be performed outside of Portugal.�


Rcaap, Svede, Elina, “The integration of online advertising: The effects of source expertise and certainty level of the message on consumer involvement and persuasion in the context of user-generated advertising”,

dissertação de mestrado (NSBE), consultada a: 11/11/13, consultada em: http://run.unl.pt/handle/10362/9525

Abstract: “This study examined user-generated (UG) advertising in the context of social media networks. The focus was on how people, whether an expert in the area, a non-expert or a friend, influence the reader of the advertisement. Furthermore, the study analyzed how the certainty level of the UG advertisement influences the person viewing the ad. The study showed that for the friend source a high certainty message was more persuasive. However, regarding the certainty no significant results were found for the expert and non-expert. Further, the type of the source had a considerable impact on persuasion. Someone that we personally know (e.g., a friend) was rated most positive for all analyzes


variables. This shows that with the rising usage of social media there are great opportunities for new effective advertising strategies that could include a new type of an endorser – friends.”

Reflexão crítica do Paper

O ritual da comunicação e o ritual do consumo: novas tribos, novos rituais

Pessoas, objetos e relação de significado No nosso quotidiano incorporaram-se rituais mecânicos e involuntários, e apresentam-se como configurações de conhecimento de


uma cultura. Para pronunciarmos as relações estabelecidas entre pessoas, objetos e significados, não podemos esquecer-nos que compõem os objetos não como simples produtos mas como signos produzidos pela publicidade. Conforme Barthes é necessário manter os objetos isolados para perceber o seu significado. Os objetos não se valem por si mesmo, nem pelas suas características de produção, mas sim pelo que significam e representam socialmente. Os objetos surgem associados a funções que ultrapassam a função utilitária. A função do objeto pode ser considerada uma justificação para a sua produção e compra. A publicidade pode ser considerada uma manipuladora dos signos e intermediária entre os homens e os objetos.

A publicidade enquanto novo formato de religião “Toda a cultura tem os seus rituais e são estas práticas que inserem os indivíduos numa determinada religião, comunidade, sociedade ou, em termos mais específicos, num determinado código simbólico” (Silva, Galhardo, & Torres, 2011) A publicidade faz parte do culto do consumo, tendo de obdecer a protocolos que unificam a sociedade e que substituam os rituais religiosos das sociedades, como uma nova ideologia.


Assim como a religião é considerada o elo de ligação entre o homem e Deus, a publicidade é considerada o vinculo entre o homem e o objeto. A publicidade reproduz as práticas sociais que têm a função de a ligar ao consumidor, desenvolvendo uma nova forma de ritualização dos objetos de consumo. “Religião e publicidade pertencem ao domínio do simbólico, dos significados codificados, das aparências. São ambas o domínio da sedução.” (Silva, Galhardo, & Torres, 2011)

O processo de criação: a “magia” dos objectos e os ”milagres” do consumo Os produtos ganham vida para além da sua exterioridade, uma força capaz de expressar valores e emoções, tudo através da publicidade. Os objetos têm de adquirir um valor, para serem devidamente percebidos e desejados. Não considerada uma ferramenta de vendas de produtos, a publicidade revela-se uma entidade transformadora que promove objetos e sonhos. A publicidade é considerada magia. “Uma vez que entra no padrão cultural da sociedade, a magia é eficaz na medida em que gera entre os indivíduos uma linguagem de significados atribuídos a meros objectos.” (Silva, Galhardo, & Torres, 2011) “O capitalismo abstrai-se ds origens do trabalho produtivo e dos objectos enquanto resultado desse mesmo esforço, para se centrar na troca das mercadorias enquanto transportadoras de valor social.” (Silva, Galhardo, & Torres, 2011)


As imagens do consumo: entre o “Ser”, o “ter” e a intimação do vazio. “O consumo é feito de representações e à imagem de uma sociedade fortemente ancorada por imagens. De certa forma, as pessoas são avaliadas e identificadas pelas representações dos bens de consumo que possuem.” (Silva, Galhardo, & Torres, 2011) Os objetos e as representações sociais que estes harmonizam, provocam uma dualidade entre o “ser” e o “ter”. Na junção da identidade e posse, considera-se que a sociedade de consumo já não apresenta sequer a relação entre o ser e o parecer, consequência da criação e comunicação através de signos. Habitualmente um individuo “preparado” pela ordem do consumo acaba por se reger por aquilo que pode ter e pela forma como isso é visto na sociedade. “Os objetos funcionam como acessórios necessários aos rituais, sendo que estes são indispensáveis para perpetuar uma cultura e preencher de significado a existência do individuo. O consumo dos objetos justifica-se pelo cumprimento das suas funções materiais, mas, em essência, visa o preenchimento de lacunas pessoais e sociais que as promessas da publicidade validam.” (Silva, Galhardo, & Torres, 2011) Na sociedade contemporânea, os indivíduos representam-se pelo uso das coisas pela satisfação de necessidades consoante o recurso a mercadorias.


A base da publicidade é o esvaziamento social de significados e necessidade de procurar novos sentidos e estabelecer disparidades entre produtos e pessoas que se assemelham entre si. Tal como acontece com a religião, a publicidade apenas sobrevive pela capacidade de estabelecer motivações fundamentais à existência do homem e de fortalecer o contexto ideológico em que o homem se insere, contribuindo assim para a construção da sua identidade social. O individuo tem também a necessidade de ser um centro de atenção na sua importância e desejos, a publicidade tem assim como objetivo colocar o consumidor no centro do seu discurso. Apesar de serem apenas substância material, os objetos são também mediadores entre o homem e o mundo. “A

publicidade

desempenha

esta

função

fútil,

regressiva,

inessencial, mas com isso, tanto mais profundamente exigida”. (Baudrillard, 1997)


Bibliografia Baudrillard. (1997). Silva, S., Galhardo, A., & Torres, R. (2011). Comunicação e Sociedade.


Portefolio de recuperção e avaliação da informação cópia