Issuu on Google+


A DRI ANA ARTUS O

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

3


A L E S S A N D RO NEUMANN

4

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


A LEX ANDR A DE C ARVA LHO

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

5


C A RI NE KELLY DA COSTA

6

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


C ATI C LYS NI ÉLYS M AT I E LLO

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

7


DANI E L ROTAVA

8

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


DANI ELE ME NIN

Esta foto mostra que os professores estão se mobilizando de forma que querem buscar seus direitos, que no caso é o piso salarial. A nossa Constituição Federal regra isso no seu art. 9º, onde diz: ART 9º: É assegurado o direito de greve competido ao trabalhador decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que deram por meio dele defender. QU E BU S C A GR E V E UM DI RE I TO OU TROS DI RE I TO S Prof. Benta de Ensino Fundamental

22/06/2011

Es cola ) Cardoso , Ar voredo (SC

DEMAR CA J U S T I Ç A Ç Ã O D E T E RR A S O U IN J U Res er va STI Ç A Ind ígena To

ldo P inh al, S e ara (S C )

12/06/2011

o assim o direito Nesta foto mostra que a reserva indígena foi demarcadas, se concretizand ltores que residiam dos indígenas ,que é salvo pela constituição. Mas a questão é e os agricu que compraram a terra nessas terras antes da demarcação, será que foi feito justiça com eles, agricultores tinham d e uma empresa, que no caso foi essa quem expulsou os indígenas? Os tinha, ficou aonde? as escrituras que comprovavam isso, o passado, a historia que cada família o as terras são eles foram simplesmente expulsos, e sem indenização pelas terras. Quand união não vai indenizar consideradas indígenas, elas se tornam patrimônio da união e assim, a local, muitos foram por algo que a pertence. Os agricultores tiveram que se relocar em outro empregados para as cidades, e como a maioria tinha pouco estudo, assim tornaram-se

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

9


D OU G L A S CORT I NA

A cidadania não e atitude passiva, mas ação permanente, em favor da comunidade. Tancredo Neves CR I AN Ç A S V I V EN DO EM SI TU AÇ ÕE S PR EC ÁR IAS Ipu aç u (SC )

03/04/2008

Não existe sucesso ou felicid ade sem o exercício pleno da cidadania e da ética global.

10/06/2011

EN D O O S EU A LU N O S EX ERC TU D A N TE S D IR EI TO D E E S Coronel Frei tas (S C) gis, Colé gio Delia Re

Carlos Roberto Sabbj

10

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


ED UARD O BA LDI SSER A C ARVA LHO S A LLE S

GERÊNCI A EXECUTI VA DO INSTI TUTO NACI ONA L DO SEGURO SOCI A L DE CHA PECÓ

A autarquia federal é responsável pela administração do tripé da seguridade social, composta pela Saúde, Previdência e Assistência Social, e tem como objetivo conceder direitos aos seus segurados e difundir a cidadania pelo Brasil, garantindo acesso à saúde e a renda. 25/06/2011

25/06/2011

DE S CENDEN T E D E IN D ÍG ENA S, COM E RC I A L I Z AVA I T E N S DE CO N F E CÇ Ã O M A N U FAT U R A DA

lmente slação e principa gi le a a nt ro af e borais sem Percebe-se grav ndo atividades la ve ol e nv se de va ta e es vido à menoridad de l ga ile é ro à cidadania, já qu st gi , uma vez ício porque seu re exploração ilícita em vínculo empregat lta su re il nt slação de obra infa Federal e pela legi o çã ui tit ns trabalhista. A mão Co la são garantidos pe que seus direitos complementar. LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

11


E D UA RD O MOREI RA ANTUNE S

A expressão dessa foto é demonstrar que com a construção da usina ve hidroelétrica em Itá, ou um grande avanço na ões cidade, com muitas atraç es turísticas, dando melhor s os condições de vida a todo sim as o moradores e reduzind a desigualdade do local. TO RR E S DA AN TI GA I GR EJ A, LO C A L DA AN TI GA CI DA DE DE I TÁ

O S I TU A D O N A P U ERTO M A D ER EN O S A IR E S C I DA D E D E BU

28/12/2009

13/06/2008

Um local turístico, aonde ao mesmo tempo muito pessoas curte suas férias ou seu tempo livre, muitas pessoas estão ali trabalhando para seu sustento e outras aproveitando.

12

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


FA BI ANE M ARI A GUI M A RÃ E S

20/06/2011

extrema ia, as disparidades sociais, a O crescente estado de misér e que os baixos, o desemprego, a fom ári sal os , da ren de ção tra concen e infantil, a s, a desnutrição, a mortalidad atinge milhões de brasileiro e chegaram são expressões do grau a qu ., etc , cia lên vio a e, ad lid na margi Brasil. as desigualdades sociais no

O Brasil é um paí s de grande contrast e social. A distribuição d e renda é desigual, send o que uma pequena p arcela da sociedade é mui to rica, enquanto grand e parte da população vi ve na pobreza e misér ia. Embora a distribuição de renda tenha melhorado nos últimos anos, em função dos p rogramas sociais, ainda vi vemos num país muito injust o. 20/06/2011

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

13


FA B I A NE MORET TO

S EC R ETA R I A D E ED U C AÇ Ã O e Acredito qu endo Justiça a h s” não está v e dos “Mestre ara ss la c a te n pera ento p o o ensinam que dão tod quando dolecentes e a s, a ç n a ri c sas as s recompen a v o n r o p m busca dente a lga improce ju o d a st e o omo , xigida.Mas c e m e g ta n e porc ser te se é para improceden ra a de verba pa % 5 2 o d a in dest r mais recisamos se educação?P queles que estos com a n o h e s o ar st ju sinar, de pass n e e d m o d tem o is... to aos dema n e im c e h n o c a classe justiça com In e d a g e h ***C !*** trabalhadora

25/06/2011

RE STAURANTE POPUL AR DE CHA PECÓ

Restaurante Popular, obra concluida pelos esforços do ex Prefeito João Rodrigues e o Governo.Hoje o chamado Bandejão atende diariamente a mais de 1.000 pessoas, servindo refeições ao custo de R$ 1,50 de segunda a sexta-feira.Isso que vemos, é uma grande manifestação de Cidadania com a população Chapecoense.Muitos antes tinham que pegar condução para almoçar em casa e voltar 25/06/2011 as pressas para seu serviço, hoje almoçam bem, recebem um ótimo atendimento e não precisam mais se deslocar para suas casa, tormando mais viável seu tempo e dando oportunidade também de fazer uma refeiçã o balanceada e muito bem higienizada pleos profissionais que a preparam.

14

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


FELI PE DEM A RC HI RE FO RM A DE C A LÇ A DA S PA RA AC E SS O FAC I LI TA DO DE C A DE IRA NT E S

A criação de acessos facilitados aos deficientes físicos é extremamente importante em nossa sociedade, pois eles possuem os mesmos direitos que nós, e com certeza muito mais dificuldades. A sociedade deveria ter um respeito muito maior por essas pessoas, pois nos dias em que vivemos com tanta tecnologia e avanços, todas as calçadas no país deveriam ter esse acesso facilitado e todas as repartições privadas e públicas deveriam suprir essas necessidades.

28/06/2011

LI XO S JO GA DO S ÀS M ARGE NS DE E ST RA DA S

28/06/2011

Imagens como essa são vistas com muita freqüência nas ruas e avenidas de tod o país. Lixos são jogados pela janela do carro com muita naturalidade, pessoas por pur a “preguiça” simplesmente jogam o lixo no chão ao invés de levar até uma lixeira. Muitas são as campanhas para a coleta de lixo, mutirões são feitos para recolher esse acumu lo, mas de nada vai adiantar se as pessoas não se conscientizar e com eçar a fazer algo a respeito.

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

15


F RA N C I E L E FA BRI S

16

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


GI SELE FR A NÇ A

17/06/2011

E STUD ANTE S FA Z EM V I SI TA AO A SI LO DE CHA PECÓ (CCI)

“Lutar contra a injustiça custa-me mais do que sofrê-la.” (Jeanne Roland). Parece ser justo acolher os pais, ajudar no que for preciso, ou ao menos tratá-los como humanos de sentimentos, no qual são, depois de terem passado a maior parte de suas vidas dedicando aos seus filhos!!! Isso nem sempre acontece! E quem conta, são alguns idosos visitados.

“A cidadania expressa um conjunto de direitos que dá à pess oa a possibilidade de participar ativam ente da vida e do governo de seu po vo. Quem não tem cidadania está m arginalizado ou excluído da vida socia l e da tomada de decisões, ficando numa posição de inferioridade dentro do grupo social.” DALLARI, D.A. Direito s Humanos e Cidadania. São Paulo: Moderna, 1998. p.14. O direito a educ ação, que traz o conhecimento nece ssário para participar da socieda de atual, e ainda repassar e incentiva r ao público de fora, ter contato co m essa informação nece ssária para o desenvolvimen to de E STUD ANTE S DO CURS O DE uma sociedade mais cidadã. MA SSOT ERA PI A DO CEJ A

25/05/2011

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

17


G UI L HE R ME SI D I NEI MARCON

M A RG IN A LI Z A

ÇÃO

rlos (S C) Neves – Sã o Ca Bairro Tanc re do

ão de risco, sem Família em condiç do e da justiça. assistência do Esta a como água energi Condições básica tentes. ento básico, inexis am ne sa e a ric ét el sociais. as desigualdades O que demonstra

27/06/2011

CI DA DA NI A SEN DO EX ERC I DA Pos to de Saú de – Palmitos (SC )

27/06/2011

Cidadania sendo exercida através do pronto atendimento em posto de saúde do município. Presença do Estado e da Justiça, proporcionando ao cidadão o direito ao acesso a saúde.

18

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


GUSTAVO DE BI A S I

ótimo a, temos um Na foto acim ue omento em q m e d lo p m exe ia, e anos, cidadan direitos hum or p m presentes justiça estava dois fatos: ávamos em Primeiro – Est os matéria Direit uma aula da a, dania e Justiç a id C s, o n a m Hu as os vários tem onde discutim ,e a esse assunto relacionados e professora qu tivemos uma m co s discussõe incentivou as a e questionou fundamento, s rios momento turma em vá as m rar paradig visando queb 21/06/2011 antigos. sala de aula é O: AÇÃ C EDU E A I DAN DA CI Segundo – A do dever do esta m u É . ia DOI S UNI V ERS OS n a d alificados mplo de cida rofessores qu p um ótimo exe m SI MU LTÂ NEO S co , la u a damental é salas de do ensino fun s e ri proporcionar sé s a ir e sde as prim itárias. ualificada de q o çã ca isões human u v d e m a co m s u o r ã d Te a termos cid para lecionar. portante para im te n e m a extrem

Muitas vezes uma imagem vale mais do que mil palavras. Da m esma forma, as pa lavras muitas vezes cort am mais que uma na valha. Na imagem acima, podemos encontra r cidadania, e direito s humanos? ... Fiqu ei bastante tempo an alisando ela, mas não pude encontrar. Desde a expressão do ro sto do rapaz acima, até as condições em que ele esta fazendo comida. Fi co pensando: Se el e faz comida dessa man eira, provavelmen te deve dormir em uma re de, ou algo semel hante. Quando uma pess oa dessas vai ter a chance de batalhar com ig ualdade com uma pessoa que nasce em um a família de classe média/ alta? Com certeza se ele se esforçar poderá. Mas o esforço que terá que fazer, será sem dúvidas muito mai or que uma pessoa com melhores condiçõe s de Foto: Hilário vivêDe ncBiasi ia. É fácil encontrar imagen s onde os direitos humanos estejam omissos ou em falta.

B R A S I L: D E N O RTE A S U L, UM A G R A N D E D E S I G U A LD A D E

17/04/2011

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

19


I S A B E L L A COLLET TA MB OSI que hoje, as as pessoas humanas. Mas sabe-se tod de des rda libe e itos dire são s Direitos humano pois, na realidade, a todas as pessoas é apenas teórica itos dire ses des e dad tivi efe e ão ens em seu a ext stituição Federal de 1988, assegura, Con A . dos eita resp des itos dire s muitos tem seu ureza, garantindoe a lei, sem distinção de qualquer nat ant per ais igu são os “tod que 5º go arti à vida, à no País a inviolabilidade do direito tes den resi s eiro ang estr aos e iros se aos brasile “são direitos sociais e à propriedade” e no artigo 6º que liberdade, à igualdade, à segurança previdência o, a moradia, o lazer, a segurança, a alh trab o o, açã ent alim a de, saú a a educação, ados [...]”. à infância, a assistência aos desampar social, a proteção à maternidade e TA ND O C AR RO CE IROS CO LE DE É LI XO . E STA AT I V I DA A SU A DE SE NV OLV I DA PA RA

07/06/2011

o e Prevençã io o p A e d rupo o ocupa o G nização nã a rg o , ó “ O que pre c e p ui com PA) de Cha nos contrib gma a 1 a Aids (GA 2 á h e ao esti ental qu governam e combate d isas e o ã ç n e rev e as pesqu ações de p no momento em qu fecções, ue e novas in d l ia do HIV, é q d n u dução m o cada vez apontam re ra a prevenção estã o pa e prevençã s d o s a rs u m c ra re g os s pro foram, sos. […] O ientização c s n o c mais escas a uíram com à falta de que contrib te, parando devido ar as en onscientiz gradativam s. [...] É necessário c oce, a ento xame prec e o d ia c financiam n â to ia. Enquan ra a import pessoas pa e controlar a epidem m , ais ad escoberta d r fo e d única form a iv elhor a soroposit e o paciente tem m o d e c is a m to vitar o tratamen a ajuda a e rm fo ta cedo inicia s r e es – Direto de vida e d e rm d e a H d li u a e c u q (Dir tágios. [...]” pecó). A I DS novos con C pa ha B AT E À a G M o O d C te n E DE S Preside NH A D AT I V I D A S A C A M PA D O LG AÇ Ã PA E DI V U E LO G A P S A D A RE A L I Z

20

11 11/06/20

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


I VANI A GOS S LE R

Em uma sociedade em que muitos não possuem nada e outros são donos de quase tudo, chamamos de Desigualdade social. Concluímos que é a concentração de renda que torna a maioria dos brasileiros pobres. A desigualdade social caracteriza-se pelas injustiças ocorridas numa determinada sociedade. Já dizia Rousseau “A igualdade foi estabelecida pela natureza e a desigualdade pelos homens.”

26/06/2011

Ç S I T UA M E E TO S E M T N V E RN O L A S CA O I S CO N I R E D

ÃO

MO RA DO R DO BA IRRO SÃ O PED RO QU E SO BR E V I V E CO MO C ATA DO R DE PA PEL ÃO Eles estão presentes em toda a cidade, mas muitos preferem fingir que eles simplesmente não existem. Entretanto, os catadores de papel com seus carrinhos lotados de material reciclável já fazem parte da paisagem urbana, em um reflexo direto do alto índice de desemprego no Brasil. 23/06/2011

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

21


I Z AQUE CORVA L AN AN DO M EN OR E S TR A BA LH NA RU A

26/06/2011

o Esta imagem é um retrat no da situação, da educação mo nosso pais . Ela mostra co er olv temos muito a se desenv ores através dela. Os educad or revendicam uma melh greve remuneração salarial .A e durou mais de um mês, te esta exposta diariamen umas é sa através da mídia. Es o de das formas de expressã os m ve o cidadania .E com és ela já da resultado, atrav es de dialogo dos educador m ve com o governo, no qual de a chance concordância ambas as partes.

22

das formas de Essa imagem revela a umas e,e que muitas injustiça,exposto na sociedad publicos,mais vezes são vistas pelos orgão crianças que quase sempre são ignoradas, zenvolvendo sua poderia estar estudando, de la,vivendo sua intectualidade, em sala de au como as demais. infancia, de maneira normal is superficial, Estão sendo de uma visão ma uma forma exploradas pela sociedade de humanas inadequada,sem condições perdendo de trabalho digno,em assim sustento de sua infancia, para ajudar no tro meio de sua familia, por não terem ou no oferecido pela subsidio de sobrevencia dig pessoas que não sociedade.Muitas vezes são udar e assim, tiveram a oportunidade de est , colocar seus não tendo outra opção senão filhos para trabalhar.

20/06/2011

GR E V E DO S PRO FE SS OR E S PA RA I M PL AN TAÇÃ O DE UM M EL HO R PI SO S A L AR I AL

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


JEBERTON DA LMORA

“De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a de sonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os pode res nas mãos dos maus, o homem ch ega a desanimarse da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto . ”(Rui Barbosa). DE MOR A PO R AT EN DI M EN TO , LE VA CI DA DÃ O À EX AU ST ÃO FÍ SI C A 10/06/2011

23/05/2011 e 07/06/20 11

“O dinheiro gasto em infindáveis burocracias seria muito mais bem aproveitado se fosse dado como crédito às pessoas mais necessitados de nosso país.” (Muhammad Yunus). [...] atribuir um sentido emancipatório às mudanças que s pretendemos: que as desigualdade de gênero sejam combatidas no contexto do conjunto das desigualdades sociais, pressupondo práticas de cidadania ativa; garantir que o Estado desenvolva políticas sociais que contemplem as dimensões distributivas e de reconhecimento/status que incidam efetivamente sobre este conjunto de desigualdades de classe, gênero e raça/etnia. (CARLOTO, 2004, 153).

LO LI XO SO BR E V I VÊ NC I A PE

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

23


J É S S I C A A LI NE ZÁT T ERA

DE RE UN IÃO DO ROTARY CLU BE QU I LO MB O

Exercer plenamente a cidadania consiste em participar ativamente das decisões da comunidade, da cidade, do Estado e do país, a fim de propor soluções para os problemas em todos os âmbitos do convívio social. É isso que o Rotary Clube faz, congregando líderes das comunidades em que vivem ou atuam, fomentando um elevado padrão de ética ajudando a estabelecer a paz e a boa vontade 20/12/2010 no mundo. Prestam serviços voluntários não remunerados em favor da sociedade as necessitadas ou entidades que atuam como um todo ou beneficiando em casos específicos, pesso muito se expandido, pois possui uma também em favor de desamparados. A filosofia rotária tem plo de cidadãos conscientes de seus direitos legião de voluntários pelo mundo, sendo um bonito exem e igualitário para todos os brasileiros. e deveres que buscam, de forma solidária, um país justo

PE SS OA S NA E S PER A DO ATE ND I ME NTO NO PO STO S AÚ DE SU S DE QU I LO MB O

27/06/2011

24

um sistema Na foto pode-se ver a realidade de ema Único incapaz de atender à procura, o Sist que sua ior de Saúde – SUS, que é muito ma ribuição de capacidade. Falta de verbas, má dist . Falhas leitos, dificuldades administrativa, etc o. Deste que agravam cada vez mais a situaçã bam modo, os pacientes muitas vezes aca padece pela vítimas de injustiças, pois o sistema . insuficiência de recursos e de gestão tradores Porém, sabe-se que existem adminis s, sem competentes que lutam todos os dia a um os tréguas, para oferecer aos cidadã smo tendo assistência digna e de qualidade, me podemos de superar tantas dificuldades. Não dual e negar também que o governo esta s parcerias boa a par municipal tem aberto portas qualificação e tomado medidas corretas para a stão, do atendimento. A gravidade da que tratada seja contudo, exige que a Saúde pública toda hora, com respeito em todos os níveis e a adãos cid pois lidamos com vidas humanas, possuidores de direitos.

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


JONATAN WA LKE R C RI A NÇ A S DO BA IR RO S Ã P E D RO E O M S I T UA ÇÃO DE R I S CO

É fácil de pe rceber nas fo tos a seguir a fa lta de cidad a n ia, pois estas p essoas se tivessem de sde o princíp io de suas vida s seu direito à educação garantido, a realidade nã o seria essa. Veja que, na carrocinha q ue o homem g uia, atrás est á uma criança sem seguran ça alguma e em condições insalubres. A o invés de e star na escola est udando para um dia ter uma vida digna d e um cidadão é o brigado a au xiliar seu pai a rec olher materi ais recicláveis p ara garantir o sustento de sua família.

E SS O S P RO F GRE V E D

25/06/2011

ORE S

13/06/2011

mpra o que foi adão, exigindo que se cu cid de o eit dir u se do en , enquanto eles Professores exerc nada mais justo. Porém io, lár sa u se do to en ças, m aprovado em lei, o au eitos de outros: das crian dir os o ind fer tão es , ão cidad e isso pode refletir exercem o seu direito de país. Mal sabem eles qu sso no do ro tu fu rão se dos jovens, os quais . neles mesmo no futuro LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

25


J ON ATA S NUNE S CORREI A

D E S I G UA L D A DE DE ME RE C I ME N TO S E N T R E O S E XO M A S C U L IN O E F E M IN IN O

, por Entendemos a partir dessa imagem nos sua vez, se verificada com ênfase e um nomes dos funcionários, identifica-s o sex do do sexo masculino, e o outro feminino. Tais funcionários exercem a mesma função, no mesmo departamento da mesma empresa, e além de tudo, possuem aproximadamente o mesmo tempo de empresa, além de que ao abrangir e entrevistar ambos, o em. currículo e a experiência se equival Contudo, outrora nos tempos modernos poderíamos imaginar que a globalização está praticamente impressa no modus operandi atual, porém, é só bastarmos parar e pesquisar para acharmos furos, e falhas nesse sistema que visa a igualdade para todos.

10/06/2011

Nos últimos anos, não se poderiam reclamar dos programas sociais, que emergiram de forma exponencial na tentativa de erradicação da pobreza e da fome. Porém, basta um pequeno senso político, para entendermos que são apenas cartas na manga, a fim de produzir efeitos na hora das urnas. Senso crítico ou não, acho que estamos melhores do que antes, nessa luta, porém precisaríamos melhorar imensamente em busca dos princípios básicos de uma vida social melhor para todos. 30/05/2011

D E S I G UA L D

26

A DE SOCI AL

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


KA SSI O AUGUSTO TOM A Z E LLI

DA S DE A LÇ A C E D A DO T I A L I M C R R E F O C E S S O FA A A S PA R ANTE R I E D CA

ENS À S M A RG S O D A G L I XO S J O DA S DE E STRA

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

27


LU C A S ROSSET TO

A LEGRI A DE UM PRE SENTE Sul do Chile, no estreito de Reloncaví

fazer Tive a oportunidade de o trabalhos de voluntariad com pessoas de baixos s recursos econômicos no 2009. verões de 2007, 2008 e vivem 09/01/2009 As pessoas desse lugar an inc do os mostram crianças br fot as du tas Es e. br po e s sociais. E outra por ser um lugar bastant conosco para os trabalho am for e da pesca e se caracteriza qu ios tár rsi ive un universitários e ganharam dos te de aniversário. Esses en es pr um a, com duas bicicletas, qu vid a su da ho recebido. endo por primeira vez ílias sentiram foi o carin foto do Miguelito, receb fam e s ça an cri as e qu ra a primeira terial, mas o vemos como já se queb os fot as deram um presente ma du s ssa Ne o. de 1000 km a em todo o mund ntiago de Chile (a mais Sa em em viv A pobreza é um problem e qu ios is, como estes Um grupo de universitár menos favorecida. E ma sse cla barreira: o preconceito. da os m co s dia 15 te por ajudar conviver por izade e a busca constan am de lo cu do Estreito de Reloncaví) vín um do um com o outro, geran ainda mantém contato ecida. os da classe menos favor

ÉM F A Z TA M B E S A I N A C I DA D AS N A S CO I S E U Q E P S NA

09/01/2009

Nestas duas fotos vemos grupos de jovens reunidos. Em uma, reunidos ao redor de uma fogueira; se intercalam canções, falas, lágrimas, piadas, declarações, gargalhadas, depoimentos, discursos... esta “reunião” vai até altas horas da madrugada. São jovens pescadores pobres com universitários da Capital do Chile. Ambos trocam experiências de uma maneira muito interessante. São experiências de vida. Uns aprendendo com outros. Na outra foto vemos jovens universitários da Universidad Católica de Chile (de Santiago de Chile) segurando nas mãos uma bandeira. A bandeira do grupo de Trabajos de Verano (Trabalhos de Verão). São jovens que vão para lugares com uma pobreza tal, que os moradores esperam os universitários no verão, para ver como suas casas são construídas ou reformadas, assim desta maneira podem passar de uma maneira mais humana o inverno rigoroso. Estes jovens universitários são provenientes de uma classe social mais acomodada, mas com uma consciência social tal, que não dão interesse nem à suas próprias férias de verão. O objetivo deles? Ajudar materialmente famílias necessitadas e conviver com essas famílias no verão, trocando assim experiências de vida.

28

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


M ANOELE S ANG A LLI

RO F E D OS P E V E GR

S S ORE

S

14/06/2011

Epígrafe ou Citação: Essas são fotos que representam Cidadania, porque são professores e alunos lutando pelo Aumento do Piso Salarial dos professores, Neste dia Professores e alunos mobilizados fora m até a 29º Secretária de Desenvolvimento Regional de Palm itos (SDR) Para Conversar com o Secretário Region al Alencar Fiegenbaum para tentar reverter essa situação. “Infelizmente a única forma de con seguirmos nossos direitos vem sendo através de muita mobili zação [...]” (Professora da Rede Estadual de Santa Catarina Ma ri Luci da Fonseca). “Somente com a legítima liberdade de expressão, pluralidade de informação, respeito à cidadania, e permanente vigilância contra as ten tativas de cercear o Estado democrático de direito, é que poderemos pensar em transformar Regimes de Força, em Regimes de Direito”. (Paulo Miranda)

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

29


MA RC E LO ANTONI O CELL A

“No mundo nada se cria, nada se perde, tudo se transforma¨ (Lavoisier). O melhor destino para o lixo das pessoas é a reciclagem, e o Verde Vida demonstra que com organização, e muito trabalho, é possível unir a conscientização das pessoas, a preservação ambiental, fazendo da reciclagem uma fonte de renda para muitas famílias da cidade de Chapecó.

V ER D E- V I D A C A M IN H Ã O D O CO LE TA D E U S A D O PA R A A CL Á V EI S M AT ER I A I S RE CI

27/05/2011

24/05/2011

HO ME M DE RU A NO CE NT RO DE CH A PEC Ó

O art. 6º, da Constituição Federal de 1988 garante que, são direitos sociais: a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição. Porém as políticas públicas mostram-se ineficazes quando deparamo-nos com pessoas nessa situação, onde nem o mínimo existencial lhes é garantido. Desta maneira, “os miseráveis não têm outro remédio a não ser a esperança” (Willian Shakespeare).

30

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


M ARC ELO DE SOUZ A S C A P INI

ERG U E I D O S O N O A LB Z EN D O S U A MU N I C I PA L FA R EF EI Ç Ã O Esta foto reflete que o município toma as devidas providencias para que pelo menos momentaneamente pessoas desabrigadas possam ter onde dormir, e oque comer, o tempo de permanência e de três dias no local, após isso à assistência social do município toma todas as providencias para encaminhar estas pessoas para seus familiares ou para sua cidade, onde se necessário à prefeitura disponibiliza passagens de ônibus para o transporte das mesmas.

28/06/2011

FA LTA DE DI RE I TO S HU MA NO S, CI DA DA NI A E JU ST I Ç A PO R PA RT E DO PO DE R PÚ BL I CO

Nesta foto podemos ver que se trata de uma moradia em péssimas condições de habitação, ou quase nenhuma condição de habitação, mas mesmo assim tem pessoas que residem nesta casa, 26/04/2011 a um de neste local resi família de sete pessoas três adultos (um idoso) nas ruas. de quem está ai e de catar latinhas e quatro crianças, onde a profissão o, e o ola estão ajudando os pais no trabalh As crianças quando não estão na esc idoso e doente e não pode trabalha.

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

31


MÁ RC I A B ERGA MA S CHI

A agente de saúde trabalha na promoção da saúde, prevenção, recuperação, reabilitação de doenças e agravos mais freqüentes, e na manutenção da saúde da comunidade. Evidencia o direito à saúde de qualidade, a informação. Isso é um estimulo a participação da comunidade no controle social, no planejamento, na execução e na avaliação das ações sociais implantadas pelo município.

I DOSOS DE IRATI-S C

fazendo ar tesanato, exercendo a cidadania, par ticipando ativamente da vida em sociedade

32

31/03/2011

A AG EN TE DE S AÚ DE FA Z EN DO SC TIIRA V I SI TA ÀS FA MÍ LI A S DE PSF vés do Um direito de todo garantido atra

Um programa de incentivo, valorização e inclusão social realizado pela Prefeitura Municipal de Irati, garante ao grupo de idosos do município uma melhor qualidade de vida, fazendo com que essas pessoas desenvolvam sua arte. O grupo desenvolve atividades de lazer e recreação com profissionais em um espaço físico que é disponibilizado integralmente para pratica de atividades de artesanato, atividades esportivas e físicas, dia festivo, tardes dançantes com 1 grupos de dança e reuniões 25/06/201 informativas como de diabéticos, hipertensos, saúde bucal com profissionais da saúde. Neste contexto a cidadania se faz perceptível, pois a valorização se da num contexto geral e amplo, pois todos são acolhidos e incluídos no meio social, participando de forma efetiva, exercendo seus direitos e recebendo apoio da entidade pública.

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


M ARCOS BERN A RD I

A S DUA S FACE S NO TEM PLO DO CON HEC I MEN TO

28/06/2011

06/2011

ca 06/2011 Acessibilidade signifi e qu r não apenas permiti ncias ou pessoas com deficiê participem mobilidade reduzida cluem o e extensão de atividades que in ação, mas a inclusão rm fo in e s iço rv se ada , uso de produtos tes em uma determin en es pr as el rc pa as s da ilidade tem sido do uso destes por to urbanismo, a acessib no e ra tu ite qu estão ar população.Na décadas. Atualmente as tim úl s na e nt ta ns e dos uma preocupação co o do espaço urbano çã ua eq ad de s iço rv s e se em andamento obra da população. es de inclusão de to ad id ss ce ne às s cio edifí

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

33


M AURI C I O C I C HE LE RO

Em meio a grande riqueza do cen tro de Chapeco SC, algo se destaca uma casa sim ples de medidas 0.70mtrs por 1.20mtrs, feita com lona e alguns pedaços de madeira recebidos como doação, na casa não cabe nada além de os dois moradores, os quais tem que dormir em um a posição semi sentadas, pois não ha espaço par a que consigam deitar, um fogo de chão e alguns cobertores é oque os tem aquecido nestas ult imas noites em que a temperatura chegou a gra us negativos. Localizada em meio a grandes cas arões, edifícios e até mesmo grandes comércios muitas vezes usados até como ponto de refe rencia demonstra a ausência de sensibilidade e sob re tudo de humanidade que ha em nossa sociedade, esta fotografia é um exemplo claro de falta de cidada nia CONTRA STE SOCI A L NO e de igualdade. CENTRO DE CHA PECO

28/06/2011

34

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


MAY S A C AROLI NE S ANT IN

“Um país, antes de estar preparado para a democracia, deve estar preparado pela democracia, uma vez que a democracia é um valor universal do humanismo e, sem dúvida alguma, a maior conquista da humanidade consolidada globalmente nesta primeira década do século”. (Amartya Sen, economista indiano (1933). JU S TI Ç A C A RTÓ R I O D E C H A P EC Ó EL EI TO R A L D E 22/06/2011

VA N D A LI S MO 26/06/2011

São diversos os estrago s verificados e os prejuízo s contabilizados no patrimônio público mun icipal. Estes atos de vand alismo têm resultado na destruição total ou parci al de material urbano div erso, sobretudo conten para deposição de resídu tores os urbanos indiferencia dos e papeleiras, entre ou tros.

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

35


MI C HEL L A Z A RE T I

G RU P O ÇÃO DO A T N E S DE E A PR A A V I DA V I V O T DE C AN L U DO SU C A X A MB

25/06/2011

Nessa foto demonstra pessoas que participam do Grupo de Canto financiado pelo departamento de cultura e esportes e também com verbas repassadas pelo Estado para sua evolução. Diante desta estrutura consiste direitos sociais, culturais e econômico relacionado com o estado, a sociedade e a coletividade entre os integrantes, os direitos humanos são para garantia do desenvolvimento destes projetos. Assim não restão dúvidas de que o ordenamento jurídico deve ser interpretado a partir dos direitos humanos. O estado por sua vez tem por fundamento maior o princípio da dignidade da pessoa humana. Daí elevarem-se todos os direitos diretamente relacionados a promover o indivíduo das condições necessárias a plena satisfação deste princípio.

36

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


MI C HE L I MENET RI ER A JUSTIÇA PARA O SENSO COMUM E A INJUSTIÇA DO SI STEMA CARCERÁRIO BRASILEIRO

Epígrafes: “Se o homem falhar em conciliar a justiça e a liberdade, então falha em tudo.” Albert Camus “[...] ao invés de ser um espaço para reeducar o preso, o sistema carcerário do Brasil se tornou uma espécie de ‘pós-graduação’ no mundo co crime”. Renato Marques

08/06/2011

Para grande parte da população a aplicação da justiça é sinônimo de presídios e penitenciárias lotadas, é ver pessoas que cometeram delitos pagarem pelo que fizeram, mas as condições em que se encontram os encarcerados são extremamente precárias. Os direitos dos detentos estão presentes na LEP, em vários documentos internacionais e nas constituições modernas, mas são direitos e garantias que “não saem do papel”, pois as condições em que eles se encontram são desumanas. Os detentos estão separados da sociedade, mas não deixaram de ser seres humanos, e a Declaração Universal dos Direitos Humanos deve valer para todos, inclusive para eles.

rmações “No cerne das transfo o que estão alterando a al, di panorama mun o de informação é recurs ão poder, pela vinculaç com do desenvolvimento a a capacidade de um e aplicar r sociedade em gera formação conhecimentos. A in o concorre, assim, para ia.” exercício da cidadan s Rocha po m Marisa Perrone Ca

O ACE SSO A EDUC AÇÃO É O PRI MEIRO PA SSO PARA O EXERCÍCI O DA CI DA DANI A

21/06/2011

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

37


MOA Z ELI BE RNO M A N I FE S TAÇ Ã O DE P RO FE S S O R E S E A LU N O S P ELO A JU S TE S A L A RI A L

28/05/2011

A pessoa negra busca sua igualdade social há muitos anos, mas ela anda existe, com menos intensidade, mas existe. O combate a descrimina ção apenas cessará, com a conscientização, tan to dos adultos quanto das próximas gerações, na educação em casa e nas escolas. E este é de estrema importância para a criança negra, a descriminação é muito pior, para o entrosamento, para a comunicação e socialização. Todos são iguais perante a lei, independente de raça, cor, religião, opinião, sexo, entre outros. Nós somos os responsáveis pelo julgamento individuo destas pessoas, principalmente como juristas, mas a iniciativa deve-se partir de cada um. Para a construção de um Brasil a favor da igualdade e das lutas sociais.

Esta imagem representa perfeitamente a luta social de um ajuste salarial para os professores. Um movimento social que busca a igualdade entre os trabalhadores públicos. Utilizam muito como exemplo os deputados, que não deixam de trabalhar para a união, mas ganham muito mais que os professores que lidam diariamente com um meio de grande importância para o país, a educação. Evidentemente são cargos diferentes, mas não deixam de serem funcionários públicos, e assim, a desigualdade social já inicia com o membro supremo, o governo.

I GUA LDA DE RACI A L NO TRA BA LHO

12/06/2011

38

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


N ATA N WAGNER

27/06/2011

E RC E M S U A P E S S OA S E X OR ME I O D O C I DA DA NI A P T R A B A LH O

pessoa, o mplo de se mostrar a dignidade da exe nde gra um é ida duv sem o alh O trab do de exercer o teira assinada é certamente um mo emprego remunerado, com sua car de seu país. da contribuir com o desenvolvimento ain e iro sile bra o adã cid de ito dire seu

I D ER AÇ Ã O E FA LTA D E C O N S O P OV O D A R E S P EI TO C O M C I DA D E Certamente um claro exemplo do descaso que os políticos brasileiros tem com seu povo, nos mostra a falta de cidadania e respeito aos cidadãos corretos da sociedade, que pagam seus impostos, e ainda lidam diariamente com as mais adversas situações de desgosto na sociedade.

27/06/2011

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

39


PRI S C I L A ZOT T I S - Meu avô completou no dia 11/09/ 2010, 85 anos de vida. Não acredito que ao longo desses anos tenha tido pleno acesso a cidada nia, justiça e gozo de seus direitos hum anos. Mas tem total apoio de seus filhos para garant ir seus direitos na sua velhice. “Idoso tem direito de viver preferencia lmente junto a família;” Cartilha publicada pelo site da UOL. Fonte: http://mrh1.sites.uol.com.br/m rhcartilhaidoso.htm

D O V OV Ô A N I V ER S Á R I O IG A FO N S O LU D W 11/09/2010

C A MPANHA DO AGA S A LHO LEO CLUBE Coronel Freitas (SC)

08/05/2011

A campanha é realizada todos os anos pelo LEO Clube no município de Coronel Freitas. Arrecadando agasalhos, cobertores e calçados, depois entregues para famílias necessitadas. “Você não pode ir muito longe se não fizer alguma coisa por seu semelhante” Melvin Jones – Fundador do Lions Clube “Quando a coisa mais importante na sua vida social for não esquecer/perder a sua senha do Google é hora de rever a sua vida social.” Diogo Leonardo Marques dos Santos

40

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


RA FA E L G I ULI ANI DA MBROS

RE STAU RANT E POPU L AR – BAND EJÃO

Foi inaugurado em 2007 e integra as ações voltadas à defesa dos Direitos Humanos e Alimentação Adequada. Todos os alimentos utilizados no preparo das refeições vêm da agricultura familiar, através do Programa de Aquisição de Alimentos, ou Compra Direta, desenvolvido em parceria com a Secretaria de Agricultura e Serviços Rurais. Além disso, visa incentivar atividades voltadas para área de segurança alimentar e nutricional, através de oficinas e campanhas educativas. Atualmente serve cerca de mil refeições diárias a um preço de R$ 2,00. Obs: Já está em andamento o projeto para construção de um novo Restaurante Popular em Chapecó. A área escolhida será na Grande Efapi, que tem fácil acesso para estudantes e trabalhadores.

21/06/2011

22/06/2011

S V I V EN DO GRUP O DE PE SS OA ÁR I A EM SI TU AÇ ÃO PR EC

A carência de moradias não se expressa somente nos indigentes e moradores de ruas, que dormem ao relento. Ela é mascarada por meio de situações como as habitações precárias ou os cômodos nos cortiços nos quais famílias literalmente vivem espremidas. A foto foi tirada num terreno desocupado de Chapecó, onde um grupo de pessoas se instalou no local improvisado, que oferece riscos de segurança e à saúde. Um fato interessante é que atualmente faltam 7,2 milhões de habitações em todo o país, e ao mesmo tempo, o número de imóveis vazios impressiona. São mais de 6 milhões no Brasil, a maior parte concentrada na área urbana. São imóveis abandonados ou utilizados como casas de praia ou esperando um locatário ou comprador. Isso mostra a profunda desigualdade social no país.

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

41


RENATA REGINA R A MOS

42

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


RE NN A N B I LI B I O S ANZOVO_

27/06/2011

C A LÇ A D

A SEM R A M PA

Fere o princípio e direit o da acessibilidade, onde pessoas portadoras de deficiente física terão difi culdades para poder se locomover nos passeios públicos. Esta foto foi tir ada em frente ao segund o batalhão da policia militar de Chapecó, no canteiro central.

CA

R A M PA M O C A LÇ A D

27/06/2011

faixa de . Estão na mesma to fo ra ei im pr da ssui o , o canteiro não po Esta foto é a soluçã to fo ra ei im pr na o visto lidade. pedestre, mas com direito de acessibi o do rin fe , es nt rampa para cadeira

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

43


RI C AR DO OSM AR A I G NE R

TO À CE RT I D Ã O : D IR EI À CI D A D A N I A , N AC I O N A LI D A D E, A NOS A D IR EI TO S H U M

“A greve é a linguagem dos que não são ouvidos”. Martin Luther King

28/06/2011

“Os homens sentem-se ligados por algo de forte, quando pensam que a mesma terra, que os trouxe e os nutriu vivos, os receberá em seu seio quando morrerem; é um sentimento natural a todos os povos”. Jacques Bénigne Bossuet “Negar a nacionalidade seria negar os próprios direitos”. Ricardo Osmar Aigner

21/06/2011

GRE V E DOS PRO FE SSO RE S EM S ANTA C ATA RIN A

44

“O que se pretende sustentar de modo mais enfático é que a dignidade da pessoa humana, na condição de valor fundamental que “atrai o conteúdo de todos os direitos fundamentais”, exige e pressupõe o reconhecimento e proteção dos direitos fundamentais de todas as dimensões. Assim, sem que se reconheçam à pessoa humana os direitos fundamentais que lhe são inerentes, em verdade estar-se-á negando-lhe a própria dignidade”. Ingo Wolfgang Sarlet

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


TAT I A NE B E AT RI Z L ANGE

A conservação das estradas e ruas, é um fator importante para a segurança dos motoristas quanto dos pedestres. Ruas mal conservadas oferecem risco a todos, pois prejudicam a locomoção dos pedestres e dos veículos, gerando muitos A DA E U M A IN A C A B D O s. erso LH div es TU ent acid EN e s problema PAV I M EN TAÇ Ã O Palmitos (S C) A má conservação das tas, Rua Marcí lio Frei ruas não significa apenas o descomprometimento da parte dos órgãos públicos responsáveis, mas também 27/06/2011 da falta de cobrança a estes, por parte das pessoas. Muitas vezes, quando jogamos restos medimos as o garrafas e até cigarros nas ruas, não com eto obj ro out er lqu qua ou os, biente, de aliment iclista ou um carro, poluir o meio am toc mo um gir atin lo: mp exe por o consequências, com outros graves dos ralos e esgotos entupidos, entre ta con por s ade cid nas tes hen enc deixar causar te da prefeitura, por não fiscalizar e par que ma ble pro um é bém tam problemas. E isso s. permitir que se veja cenas como esta

RU A PAV I M E N TA D A , C O M B OM E S TA D O D E C O N S E RVAÇ Ã O Avenida Brasil, Palmitos (S C )

Ruas asfaltadas e bem conservadas, são a garantia de cidadania em qualquer lugar do mundo. Independente de vontade política ou manifestação popular, são acima de tudo um direito do cidadão, que gasta boa parte de sua renda, mensalmente e anualmente em impostos.

27/06/2011

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

45


THA I S A LINE KLEIN FRE I TA S

“Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros.” Che Guevara É uma injustiça onde vários políticos ganham milhões de reais, enquanto pessoas como essa senhora passam por muitas dificuldades, passando fome, frio e tendo que se virar sozinha e passar necessidade.

28/06/2011

”O Abrigo possui capacidade para atender 25 crianças vítimas de negligência, violência ou abandono. São acolhidas no local em caráter temporário. Caso seja necessário o acolhimento por um espaço de tempo maior ou indeterminado, as crianças são encaminhadas para outras modalidades do serviço de acolhimento como as Casas Lares, Famílias Acolhedoras ou, se possível, para o Abrigo Domiciliar (em que as vítimas permanecem com familiares)” Fonte – Assessoria de Comunicação – PMC

IS EM V O X I L DE ÇA E D OR A E I NJ US T I A T A C D ÇÃO S I T UA A EZ P O BR

28/06/2011

ÍV EL

A BRI GO MU NI CI PA L DE CHA PEC Ó – S C

No Abrigo é onde o município faz justiça para essas crianças, livrando-as de maus tratos.

46

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


VA LD I R A R AUJO D E SOU Z A

A DE TEN TO S DA PEN I TEN CIÁ RI o páti no AG RÍC OL A DE CH A PEC Ó 4,0 m 2,5x de sol e inter ior de uma cela de s dele tro onde conv ivem três ou qua

No Brasil, o sistema penitenciário é, sob meu ponto de vista, o espaço que contempla o maior desrespeito aos Direitos Humanos, a Cidadania e a justiça. Isso porque é neste espaço que a sociedade deposita seus rejeitados, com a tosca ilusão de que assim procedendo, estará diminuindo ou prevenindo a criminalidade. O Estado, por omisso, haja vista não investir nos pressupostos básicos de formação plena do cidadão, como educação, saneamento básico, habitação digna, saúde e infra-estrutura de maneira geral, 22/06/2011 vai trancafiando os delinqüentes, dando a impressão enganosa de segurança para a sociedade, que por capitalista/consumista, que valoriza muito mais o ter do que o ser, vai aplaudindo a construção de presídios e penitenciárias, em detrimento das escolas e complexos poliesportivos.

CENTRO DE CONV I VÊNCI A DO I DOSO Parque da EFAPI, Chapecó (SC) Parece-me que neste espaço os direitos humanos, a cidadania e a justiça social estão contemplados, haja vista que as pessoas que fazem uso do mesmo, através das atividades desenvolvidas e acompanhadas por profissionais da cada área, melhoram sua qualidade de vida e muitos reencontram, inclusive, as razões para continuar vivendo.

24/06/2011

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

47


VANE SS A C E S CO DON S E LI

DE S C A SO CO M A LI M PE Z A E ORGA NI Z AÇ ÃO MUN I CI PA L

OS AO S C I D A D Ã E D A D I L I B I S AC E S NCI A S D E D E F I C IÊ E R O D TA R O P

27/06/2011

“Qualquer um pode ser uma pessoa com mobilidade reduzida em algum momento da vida. A falta de conhecimento das potencialidades e direitos constitucionais das pessoas com deficiência e dos cidadãos, de forma generalizada, é um fator importante na ineficiência da eliminação dos obstáculos ambientais e atitudinais presentes em nossa sociedade”, lá também foi apresentado o “programa ‘Santa Catarina Acessível’ que mobiliza, além do MPSC, diversas outras entidades e órgãos públicos que firmam um pacto pela promoção da acessibilidade no Estado. Um termo de cooperação que consolidou esse compromisso e deu origem a um grupo de trabalho que começa a percorrer o Estado de Santa Catarina para debater o tema e fomentar a inclusão das normas de acessibilidade nos projetos arquitetônicos, de engenharia e da área do design na iniciativa pública e privada, além de buscar a adequação dos espaços já existentes”.

48

25/06/2011

Se o lixo fosse devidamente separado, poderíamos além de cuidar do meio ambiente, gerar emprego e girar capital na nossa cidade. Pois aumentariam a procura de pessoas para trabalhar na coleta, auxiliando alguns artesanatos e até mesmo isolantes térmicos feitos com materiais recicláveis. Porém, é necessário analisar a infraestrutura que o município proporciona, já que não contamos com lixeiras nas ruas e, muitas das que temos estão depredadas por ações de vândalos, então deve-se ‘pôr na balança’ a responsabilidade, que deve ser tanto do cidadão como também da prefeitura e órgãos responsáveis.

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


VA NE S S A MAT TANA B ONETI

PROF E SS OR E S NA PR AÇ A MU NI CI PA L DE CH A PEC Ó RE I V IND I C AN DO SEU S DIR EI TO S çar Uma forma para se alcan os. a Justiça, é lutar por direit Newton Freitas ples idéia, O direito não é uma sim mente mas uma força viva. Justa tiça jus a por ser uma força viva, s a balança sustenta numa das mão enquanto pela qual pesa o direito, por meio na outra segura a espada pada sem a da qual o defende. A es a balança balança é a força bruta; cia do sem a espada, a impotên tra, e ou direito. Uma completa a direito só o verdadeiro estado de tiça sabe pode existir quando a jus mesma brandir a espada com a anipula a habilidade com a qual m balança.

CO LE TA CO LE TORE S PA RA A OS SE LE TI VA DE RE SÍ DU RE CI CL ÁV EI S RE CI CL ÁV EI S E NÃ O-

19/06/2011

17/06/2011

De uma maneira geral, cidadania seria o conjunto de direitos e deveres que os cidadãos têm com a sociedade em que vivem. A cidadania pode ser exercida em qualquer nível, pode ser nacional, estadual, municipal, etc. Abrange desde o direito de influenciar diretamente na vida política do Estado, através do voto, desde o nascimento as pessoas já tem os seus direitos garantidos, os direitos fundamentais do ser humano, obtendo uma certidão de nascimento, até com um simples ato, em um âmbito com relações mais próximas, como evidenciada na foto, a separação do lixo.

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

49


VARONE S PA SQUA L DR A BAC H FI LHO

rrer em Não se pode inco ora. O equívocos de outr não é o Sistema de Justiça co da substituto ideológi blicas. falta de políticas pú as não é A questão das drog polícia! apenas um caso de do Estado Ministeriu Público Sul, do Rio Grande Do drogas e a respeito do uso de ato infracional

DRO GA S O M A L DA V I DA

25/06/2011

I G U A LD A D E

15/06/2011

“Inclusão é o privilégio de conviver com as diferenças” Mantoan Obs.A foto acima é do garoto Adrian,que esta circulado em vermelho,ele ia estuda atualmente na E.B.M Anita Garibaldi,é um menino quem tem paralis as. crianç outras as cerebral e estuda em uma escola normal,como todas

50

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1


V E R A LU C I A MOD E STO DE MELO

SR C ATANDO MATERI A L RECI CLÁV EL

Este senhor trabalha como catador de material reciclável, ele faz uma seleção minuciosa de tudo que ainda pode ser reaproveitado. Porem não tem seus direitos de trabalhador reconhecido pela sociedade. Ele trabalha de forma autônoma sem qualquer direito resguardado, pois o que produz, não cobre nem mesmo suas despesas e de sua família. Então não conseguira contribuir para garantir uma possível aposentadoria, ele terá que ganhar todos os seus dias, sem ao menos sonhar com FGTS, 13º salário, férias... etc.

10/05/2011

Estas senhoras são responsáveis pela limpeza das ruas da cidade de Chapecó. São pessoas assistida pela sociedade, pois com seu trabalho reconhecido de carteira assinada, contribui para que seus direitos sejam resguardados dentro do que as assiste. É esse já e um diferencial para elas como pessoas, pois o trabalho assalariado garante a sua renda fixa, certa em todos os meses. Isso contribui para um desenvolvimento individual mais saudável delas. Pois com o sentimento de participação na sociedade as faz forte para interagir com mais confiança em seus atos de cidadania junto a sua nação. 06/06/2011

SR A S RE CO LH EN DO O LI XO

LENTE S CI DA DÃS Revista E xper imental da Disciplina Direitos Humanos, Cidadania e Justiça do Curso de Direito da Unochapecó - 2011/1

51


Projeto Gráfico: Alexsandro Stumpf alexsandro@unochapeco.edu.br http://alexsandrostumpf.blogspot.com/ Revisão textual e metodologia: Carmelice Faitão Balbinot Pavi


Revista Lentes Cidadãs 2011