Issuu on Google+

serigrafía

SERIGRAFíA Mau presságio, ou mau design?

Ana Salgado 2 . ano design e comunicação multimédia 09/10


serigrafía

Indice

2

introdução

6

desenvolvimento

11

impressão

16

conclusão


serigrafía

introdução serigrafia por entre os tempos


serigrafía

introdução

introdução Serigrafia ou silk-screen é um processo de impressão.

material serigráfico

Desde os tempos mais remotos, existe no Oriente, o stencil para a aplicação de padrões em tecidos, paredes e móveis. Na China os recortes em papel não eram só usados como uma forma de artesanato, mas também como máscaras para estampa, por exemplo em tecidos. No Japão o processo com stencil alcançou grande notabilidade no período Kamamura quando as armaduras dos samurais , as cobertas de cavalos e os estandartes tinham emblemas aplicados por este processo. Durante os séculos XVII e XVIII ainda se usava este tipo de impressão na estamparia de tecidos. Aos japoneses é atribuída a solução das “pontes” das máscaras: diz-se que usavam fios de cabelo para segurar uma parte na outra. No Ocidente regista-se no século passado, em Lyon França, o processo de máscaras, recortes sendo usado em indústrias têxteis onde a imagem era impressa através dos vazados, a pincel. No início do século registravam-se as primeiras patentes:1907 Inglaterra e 1915 nos Estados Unidos, e o números de impressos comerciais cresceu muito tanto que na América, os móveis, paredes e outras superfícies eram decorados dessa maneira. Foram raros os artistas que utilizaram o processo como ferramenta para a execução de gravuras, ou de trabalhos gráficos. Neste período da grande depressão dos anos 30, nos EUA os esforços do WPA - Federal Art Projects, estimularam um grupo de artistas enca-


serigrafía

Marcel Duchamp Auto REtrato de Perfil, 1959 Serigrafia a vermelho em cartão preto 25 1/2 x 19 3/4 inches

introdução

beçados por Anthony Velonis a experimentar a técnica com propósitos artísticos. Os materiais e equipamentos baratos, facilmente encontrados sem grandes investimentos foram algumas das razões que estimularam os artistas a experimentar o processo. Até Marcel Duchamp, que não era exatamente um artista-gravador, nos deixou um auto-retrato de 1959, uma serigrafia colorida que está no MoMa (Museum of Modern Art). No fim da segunda guerra mundial, quando os aviões americanos aterrizaram em colónia, Alemanha, com as suas fuselagens decoradas com emblemas e comics em serigrafia, surgiu o interesse europeu pela técnica. As barreiras e definições estabelecidas que tratavam a serigrafia como “manifestação gráfica menor” só foram eliminadas no fim dos anos 1950, início dos 1960. O grande responsável por isso foi o processo fotográfico utilizado através da serigrafia e novos conceitos e movimentos artísticos, além do avanço tecnológico. a sua extrema adaptabilidade que permite a aplicação sobre qualquer superfície inclusive tridimensional, muito conveniente para certas tendências artísticas e as suas especificidades gráficas próprias, ou seja características gráficas que apenas a serigrafia pode proporcionar. Da necessidade de artistas como Rauschemberg, Rosenquist, Warhol, Lichtenstein, Vasarely, Amrskiemicz, Albers, Indiana e Stella, houve o desenvolvimento contemporâneo do processo em aplicações artísticas. Novos conceitos foram associados às idéias tradicionais e o estigma “comercial” da serigrafia tornou-se uma questão ultrapassada.


serigrafía

introdução

O termo serigrafia (serigraph, em inglês) é creditado a Anthony Velonis, que influenciado por Carl Zigrosser, crítico, editor e nos anos 1940, curador de gravuras do Philadelphia Museum of Art, propôs a palavra serigraph (em inglês), do grego sericos (seda), e graphos (escrever), para modificar os aspectos comerciais associados ao processo, distinguindo o trabalho de criação realizado por um artista dos trabalhos destinadas ao uso comercial, industrial ou puramente reprodutivo.


serigrafĂ­a

desenvolvimento mau pressĂĄgio, ou mau design simbolos da sociedade revisitados


serigrafía

desenvolvimento

desenvolvimento mau presságio, ou mau design? Desde sempre todas as civilizações se apoiaram em simbolos. Fosse para representar numeros inteiros, como os numeros romanos representados por linhas verticais, ou para representar aquilo que sentiam ou temiam grande parte destes simbolos sobreviveram até a sociedade de hoje e são reconhecidos por todos. Haverá no entanto algum modo de modificando alguns destes simbolos, descolalos da sua conotação inicial? cruz invertida no trono do papa joão paulo II

Foquemo-nos nos entao em dois si,bolos pagãos bem conhecidos de todos para esta abordagem: - a cruz invertida, e - o bode no pentagrama invertido Por milhoes de anos estes simbolos foram associados a conspiraçoes do demónio e dos espiritos malignos, mas analisemos estes simbolos para sabermos melhor do que tratam na verdade, desde o inicio dos tempos.


serigrafía

desenvolvimento - a cruz invertida

a cruz invertida

Miguelangelo merisi a crucificação de são pedro santa maria del popolo, Roma

cruz invertida com rosas design para impressão

A cruz (latina) invertida, não é mais que a Cruz de São Pedro. A origem deste símbolo origina da tradição Católica que diz que São Pedro foi crucificado de cabeça para baixo, pois sentiu que não era digno de ser crucificado da mesma maneira que Cristo (com os pés para baixo). É frequentemente usada com duas chaves, que simbolizam as Chaves do Céu. O teólogo de Alexandria, Orígenes, foi o primeiro a relatar que São Pedro foi crucificado de cabeça para baixo, a pedido do próprio, antevendo maior sofrimento. Hexistem católicos que usam esta cruz como símbolo da humildade e demérito comparado com Cristo. Por outro lado esta cruz é também associada ao Satanismo. Aleister Crowley acreditava que esta cruz era símbolo de Graça invertida, ou afastamento da graça de Cristo, e consequentemente, este símbolo tornou-se bastante popular entre os artistas de black metal, death metal e suas variações. Existem no entanto algumas igrejas evangélicas não aceitam a Cruz de São Pedro sendo no seu entendimento, o significado real o acima citado. utilizando entao como base a cruz invertida como sinónimo para a maioria de nós de ligaçoes satanicas e graça invertida, decidí brincar com o simbolo tornando-o numa imagem marcante mas não pela sua ligação ao demo, mas pela contradiçao de imagem cor padrão, utilizando a cruz mas em vermelhos e cor de rosas, num padrao com flores, que contrastam completamente com a inicial ideia do simbolo.


serigrafía

d e s e n v o l v i m e n t o - o bode no pentagrama invertido

o bode no pentagrama invertido

bode associado ao diabo, dentro do pentagrama invertido

Num dos mais antigos significados do pentagrama, os Hebreus designavam como a Verdade, para os cinco livros do Pentateuco (os cinco livros do Velho Testamento, atribuídos a Moisés). Na Grécia Antiga, era conhecido como Pentalpha, geometricamente composto de cinco As.O pentagrama também é encontrado na cultura chinesa representando o ciclo da destruição, que é a base filosófica de sua medicina tradicional. Neste caso, cada extremidade do pentagrama simboliza um elemento específico: Terra, Água, Fogo, Madeira e Metal. Cada elemento é gerado por outro, (a Madeira é gerada pela Terra), o que dará origem a um ciclo de geração ou criação. Para que exista equilíbrio é necessário um elemento inibidor, que neste caso é o oposto (a Água inibe o Fogo).Os primeiros cristãos tinham o pentagrama como um símbolo das cinco chagas de Cristo. Desse modo, visto como uma representação do misticismo religioso e do trabalho do Criador. Também era usado como símbolo da comemoração anual da visita dos três Reis Magos ao menino Jesus. Ainda, em tempos medievais era usado como amuleto de protecção contra demónios. Os Templários, uma ordem de monges formada durante as Cruzadas, ganharam grande riqueza e proeminência através das doações de todos aqueles que se juntavam à ordem; além de grandes tesouros trazidos da Terra Santa. Na localização do centro da Ordem dos Templários, ao redor de Rennes du Chatres, na França, é notável observar um pentagrama natural, quase perfeito, forma-


serigrafía

bode em pentagrama invertido design para impressao

d e s e n v o l v i m e n t o - o bode no pentagrama invertido

do pelas montanhas que medem vários quilómetros ao redor do centro. Ainda é possível perceber, a profunda influência do símbolo, em algumas Igrejas Templárias em Portugal, que possuem vitrais na forma de Pentagramas. No entanto, Os Templários foram dizimados pela mesquinhez da Igreja e pelo fanatismo religioso de Luis IX, em 1303. Iniciou-se assim a Idade das Trevas, onde se queimavam, torturavam e excomungavam qualquer um que se opusesse a Igreja. Durante esse longo tempo de Inquisição, a igreja mergulhou no próprio diabolismo ao qual se opunha. Nessa época o pentagrama simbolizou a cabeça de um bode ou do diabo, na forma de Baphomet, o mesmo que a Igreja acusou os Templários de adorar. Assim sendo, tal como a cruz invertida, o pentagrama passou de um símbolo de segurança à representação do mal, sendo chamado de Pé da Bruxa. Assim, a perseguição da Igreja fez as religiões antigas se ocultarem na clandestinidade. Para anular esta má conotação do simbolo decidí estiliza-lo e usa-lo também em vermelho e cor de rosa, para anular a agressividade, e mostrar como apenas a cor pode confundir a definição de um simbolo.


serigrafía

impressão impressão em t-shirt


serigrafía

desenvolvimento - impressão

impressão como suporte de impressão escolhi essencialmente a t-shirt, porque é um suporte que as pessoas levam para a rua e que diz sempre um pouco de sí proprio. o desafio seria assimmarios, criar um design que contrariass a ideia inicial do simbolo e que pudess ser usado na rua, sem que foss imediatamente associado ao satanismo ou seus derivantes. seguem-se entao imagens das várias impressoes dos simbolos nas várias cores, para mulher e homem.


serigrafĂ­a

desenvolvimento - impressĂŁo

bode em pentagrama invertido

bode em pentagrama invertido cor de rosa tshirt preta - homem

bode em pentagrama invertido vermelho tshirt cinza - homem


serigrafĂ­a

desenvolvimento - impressĂŁo

bode em pentagrama invertido

bode em pentagrama invertido vermelho camisola branca - mulher

bode em pentagrama invertido rosa top preto - mulher


serigrafĂ­a

desenvolvimento - impressĂŁo

cruz invertida

cruz invertida vermelho tshirt branca - mulher

cruz invertida rosa camisola cinza - mulher


serigrafĂ­a

conclusĂŁo em suma...


serigrafía

conclusão

conclusão em suma, é possivel reproduzir elementos com conotações negativas, transformando as suas conotções, mudando apenas a cor ou alguns pormenores destes simbolos. a impressao destes em tshirt embora se tenha apresentado mais dificil fdo que o esperado, e mesmo depois de alguns contratempos acabou por resultar num trabalho coerente e penso que conseguido com sucesso. o trabalho deixou o bixinho de voltar a experimentar a tecnica, que embora trabalhosa, compensa com o resultado final.


serigrafía

serigrafía maldição ou mau design impressão em tshirt Ana Salgado 2 . ano design e comunicação multimédia 09/10


SERIGRAFIA -