Issuu on Google+

-1-

By RealCursos Rosana N. Moreira Todos os direitos reservados

By

RealCursos


-2-

By

RealCursos

O Blues no início representava a expressão cultural através da música de uma minoria. Sua origem está essencialmente ligada a população negra americana. Com simplicidade, sensualidade, poesia, humor e ironia, o Blues pode ser visto como um reflexo das qualidades e as atitudes dos negros Americanos por mais de um século. A definição e o mais importante sobre o Blues é seu significado além da música, que é uma referência a um estado de espírito. Mas a expressão "O Blues" (The Blues) não se popularizou antes do término da Guerra Civil Americana, quando sua essência passou a ser vista como um meio de descrever o estado de espírito da população afroamericana. Costumava-se dizer que os negros cantavam este tipo de música para tentar se verem livres da tristeza (blues). Como o Blues foi criado basicamente por músicos sem conhecimento formal de música, que não sabiam ler partituras e baseavam-se na improvisação verbal e instrumental, característica fundamental do Blues, que não teve extensão para o jazz. Objetivando tornar a improvisação mais fácil, criaram-se alguns padrões entre os quais o mais familiar é o blues de 12 compassos, que cristalizou-se com a idéia dos três versos . Enquanto canta os dois primeiros, o cantor pode preparar-se para o terceiro que fecha a música. A simplicidade das letras do Blues permitiam que os bluesmen pudessem expressar suas emoções enquanto improvisavam. Esta estrutura era composta por uma progressão harmônica fixa, bem conhecida por todos os bluesmen que eram capazes de tocá-la de maneira quase que automática.

Do Delta para Chicago Nos primórdios, o Blues era uma forma de arte totalmente afroamericana. As mais importantes influências no desenvolvimento do blues foram os cantos de trabalho, praticados nos campos de algodão, bem como as marchas militares, que deram forma a métrica utilizada. Os cantos de trabalho (work songs) salientaram a importância do canto solo ou hollers, que possuíam mais liberdade de estrutura, mas estilisticamente estão muito próximos do estilo do Blues. O estilo


-3-

By

RealCursos

vocal que caracteriza o Blues é uma clara influência dos hollers. Um dos mais famosos cantores de músicas de trabalho foi Huddy Ledbetter, mais conhecido como Leadbelly. Com o aumento da popularidade do Blues, Leadbelly deixou de cantar as work songs, dedicando-se então ao Blues e obtendo muito sucesso. Autoproclamado "Pai do Blues" W.C. Handy conta que ouviu este tipo de música pela primeira vez no Delta do Mississippi em 1903. No final da década de 20, o Blues proliferava-se através de todo o Delta e podia ser ouvido em Fish Fries e Juke Joints, sendo interpretado por nomes como Charley Patton, Son House, Willie Brown, Bo Carter, Mississippi Sheiks e Tommy Johnson. O grande nome do Delta era John Lee Hooker, famoso por Boogie Chillun, primeiramente gravado para o selo Vee Jay Records em 1948. No início dos anos trinta, o mais popular cantor do Blues era Leroy Can, um pianista que foi acompanhado pelo guitarrista Scrapper Blackwell. Sua música tinha um forte caráter sulista e as letras eram temperadas por frustrações, refletindo o comportamento de seus ouvintes. Can foi amplamente plagiado, e seus maiores clássicos, como How Long, How Long Blues e Midnight Hour Blues foram, depois de sua morte em 1935, gravados por inúmeros cantores, até meados da década de setenta. Nos anos quarenta, o coração do Blues mudou-se para a região sul de Chicago. Lá surgiram grandes nomes como Elmore James, Willie Mabon, Jimmy Rogers, Sonny Boy Williamson, Otis Spann, Willie Dixon, Muddy Waters e Howlin’ Wolf. Entre as canções mais representativas deste período podem ser destacadas Hoochie Coochie Man, Mannish Boy, Sloppy Drunk e Don’t Start Me Talkin.

Quem toca o Blues? Há uma grande controvérsia entre os entusiasta do Blues: Poderiam as pessoas que não possuem descendência afro-americana realmente tocar ou apreciar o estilo? Alguns puristas insistem em afirmar que os brancos não são verdadeiramente capazes de entender o Blues, enquanto outros argumentam que o sentimento conhecido como "Blues" vem dos problemas e dificuldades pessoais e pode ser entendido por todo o tipo de pessoa.


-4-

By

RealCursos

Muitas bandas de rock ‘n roll citam como suas primeiras influências bluesmen. Quando os Beatles pisaram na América, fizeram questão de se encontrarem com Muddy Waters e Bo Diddley (e ficaram surpresos ao saberem que eles não eram tão famosos quanto esperavam).Os Rolling Stones criaram seu nome a partir de uma música de Muddy Waters e o guitarrista Keith Richards dizia no início de carreira, que o desejo era direcionar o público para nomes como o de Muddy. Eric Clapton, Jeff Beck, Jimmy Page, Alvin Lee, Steve Miller e Jimi Hendrix também fizeram homenagens aos mestres do blues que os influenciaram.

GRANDES NOMES DO BLUES Seguem abaixo uma lista em ordem alfabética segundo o sobrenome A Allison, Luther B Berry, Chuck Broonzy, Big Bill Bland, Bobby "Blue" C Clapton, Eric Cray, Robert D Diddley, Bo Dupree, Champion Jack F Fulson, Lowell G Guy, Buddy J James, Elmore


-5-

James, Etta Jefferson, Blind Lemon Johnson, Lonnie Johnson, Robert H Hooker, John Lee Hopkins, Lightnin' K King, Albert King, B.B. King, Freddy M Milton, Little R Reed, Jimmy Rogers, Jimmy Rush, Otis S Sam, Magic Slim, Memphis Smith, Bessie T Taylor, Koko V Vaughan, Stevie Ray W Walker, T-Bone Walter, Little Waters, Muddy Wells, Junior Wolf, Howlin' Williamson II, Sonny Boy Winter, Johnny

By

RealCursos


-6-

By

RealCursos

ALGUMAS BIOGRAFIAS:

Luther Allison

Watching you baby, watching you all the time Watching you baby, just watching you all the time Watching you destroy yourself woman, All you do is sit around drinkin' wine Luther Allison em Watching You Data de Nascimento: 17/8/1934 Data de Falecimento: 12/8/1997 Discografia Bรกsica Love Mamma Live '89 - Let's Try It Again Soul Fixin' Man Blue Streak.


-7-

By

RealCursos


-8-

By

RealCursos

Biografia Luther Allison nasceu na cidade de Mayflower, Arkansas em 17 de agosto de 1939 e iniciou-se musicalmente no The Southern Travellers, um grupo familiar de gospel e spiritual, que apresentava-se em igrejas no sul, mas sobrevivia da coleta do algodão. Logo após completar dez anos, mudou-se para Chicago, onde o blues florecia. O blues de Allison teve dificuldades em encontrar espaços, pois não caiu no gosto dos irmãos Chess, proprietários da gravadora que ditava a direção do blues de Chicago. No final da década de 70, costumava tocar no circuito das Universidades, fato pouco comum na época, embora alguns bluesmen fizessem aparições casionais nos campus. O guitarrista foi em 1974 contratado pela Motown, tradicional gravadora de soul, na qual, era o único bluesman do elenco de Berry Gordy. Seu primeiro álbum, Love Me Mamma de 69, pela gravadora fez grande sucesso, mas os três seguintes não obtiveram o mesmo exito. Apesar de nesta época o blues elétrico ter mais de 15 anos, Allison era considerado um roqueiro, chegando inclusive a ser chamado de clone de Jimi Hendrix. Vendo sua carreira ameaçada e tendo notado o interesse dos europeus em sua música, mudou-se para Paris em 1979. Fez grande sucesso na Europa, mas permaneceu por quase duas décadas como um desconhecido em seu país. Em 94, assinou com a gravadora Alligator, lançando Soul Fixin’ Man (na Europa foi lançado como Bad Love). Voltou aos Estados unidos no mesmo ano, lançou quatro discos em três anos e passou a ser disputados pelos mais renomados festivais. Em 10 de julho de 1997, horas após um show, foram diagnosticados tumores nos pulmões e no cérebro, sendo então considerados intratáveis. Aos 57 anos, no dia 12 de julho do mesmo ano, foi internado e morreu. Sua última gravação esta no álbum Paint It Blue (House of Blues), uma coletânea de canções dos Rolling Stones gravadas por diversos bluesmen. Esteve no Brasil em abril de 1995, onde foi uma das principais atrações do Nescafé & Blues.


-9-

By

RealCursos

Big Bill Broonzy

hen my baby left me, she left me broken down She said Goodbye Big Bill, I will see you in another town Now you know I'm lonesome Way these blues keep doggin' me I says that's all right Big Bill will be up someday. Big Bill Broonzy em Big Bill Blues Data de Nascimento: 26/6/1893 Data de Falecimento: 15/8/1958 Discografia Bรกsica The Young Big Bill The Young Big Bill The Young Big Bill Broonzy Do the Guitar Ragn Big Bill Broonzy Sings Folk Blues


- 10 -

By

RealCursos

Biografia A data correta de nascimento de William Lee Conley Broozy não é conhecida. Costuma-se tomar como 26 de junho de 1893 na cidade de Scott, Mississipi, mas há documentos que atestam como sendo cinco anos mais tarde. Com 17 irmãos, Big Bill era filho de ex-escravos das plantações de algodão. Com o estabelecimento de sua família no Arkansas e sob influência de seu tio Jerry Becher, músico de Stonewall Jackson, Big Bill começou sua trajetória musical com o violino, tocando clássicos como Oh Susana e Midnight Special. Aproximadamente aos dez naos conheceu C.C. Rider, uma violinista que acompanhava Fast Black e como consequência apaixonou-se pelo instrumento. Construiu então seu primeiro instrumento de cordas artesanalmente. Tocou em festas e igrejas e até foi pregador. Foi à Europa durante a Primeira Guerra lutar ao lado dos aliados. Depois de seu retorno em 1919, continuou atuando em clubes até que o pai cobrou-lhe uma decisão: a música ou a igreja. A escolha revolucionou a história do blues e partiu em 1920 em direção a Chicago, onde Papa Charlie Jackson ensinou-lhe a tocar violão e conseguiu um contrato com a Paramount. Foi carregador de pianos, zelador, caseiro, faxineiro, motorista de bondes e até garçom, mas sempre seguindo com a carreira musical paralelamente. Seu primeiro sucesso foi Big Bill Blues, de 1927. Realizou a partir daí gravações regularmente, para diversos selos como Perfect Banner, Gennentt, Champion, mas o reconhecimento veio em 35 no Bluebird, subsidiária da RCA. As gravações persistiram e Big Bill já começava a conquistar o trono do Blues de Chigaco, até então pertencente a Tampa Red. Foi em 1938 que veio a grande chance de estourar. John Hammond buscava músicos para o show Spirituals To Sing, que aconteceria no Carnigie Hall. Precisava de músicos genuínos de country-blues. A primeira opção havia sido Robert Johnson, mas a notíca de sua morte impediu a convite. Blind Boy Fuller estava preso. Hammond esqueceu-se de Leadbelly e acabou por convidar Broonzy, que neste momento já começava a flertar com o blues elétrico. O show no Carnegie Hall abriu uma nova faixa de mercado para Big Bill. Gravava para a Chess e Mercury atentendo o público negro e para a


- 11 -

By

RealCursos

MGM e Verve, para os brancos. Fez vários shows na Europa depois de 1951 sendo o primeiro bluesman a tocar na Espanha em 1953. Foi no velho continente que foi escrita sua autobiografia Big Bill Blues(a primeira de um bluesman), pelo belga Yannick Bruynoghe e tambem um documentário em 55 e 56 respectivamente. Em 1957 gravou seu último disco e perdeu a mãe, com 102 anos. Sua saúde, fragilizada por um câncer de garganta não resistiu mais e às 5:30 da manhã, de 15 de agosto de 1958. Big faleceu dentro de uma ambulância, rumo ao Hospital Billings de Chicago. Seus restos mortais encontram-se em Lincoln of Worth, no estado de Illinois. Recebeu vários prêmios póstumos, como o de melhor vocalista da revista alemã Jazz Podium além de melhor artista de blues tradicional em 1968 pela Acadêmia de Jazz Francesa. Muddy Waters, seus sucessos no trono de rei do blues de Chicago, homenageou Big Bill com o álbum Muddy Waters Sings Big Bill Broonzy.Broonzy foi responsável pela adaptação das técnicas de violino para violão, bem como pela composição de aproximadamente 350 temas, sendo que gravou 260 músicas, das quais 100 foram de sua autoria. Sem grandes sucessos, talvez as sua músicas mais populares sejam Key To The Highway e Diggin' My Potatoes, revisitada por vários nomes do blues. Podemos sem sombra de dúvida conceder-lhe o título de padrinho do blues elétrico.

Bobby "Blue" Bland


- 12 -

By

RealCursos

Woh, it's life, baby, Don't try to change my ways... Well, if you want my loving, Don't make no graveyard plays. Bobby "Blue" Bland em It's My Life Baby Data de Nascimento: 27/6/1930 Data de Falecimento: Discografia Básica The 3B Blues Boy: The Blues Years (1952-59) Two Steps From The Blues His California Album Dreamer Long Beach, 1983 Members Only After All First Class Blues Mifnight Run

Biografia Robert Calvin "Blue" Bland nasceu em Rosemark, Tennessee em 26 de junho de 1930, embora o mês correto seja contestado (janeiro segundo alguns autores). Na pequena cidade, que sobrevivia do algodão, aos cinco anos já estava em meio ao gospel e tomava as primeiras aulas de violão. Mudou-se junto com a família em 1947 para Memphis, um dos mais importantes centros do blues urbano na época. Alternou o trabalho como mecânico de carros à atuação junto a grupos de gospel como The Miniatures ou a banda de Adolph Duncan. Costumava ir a Beale Street, rua do blues na cidade, onde as oportunidades costumavam surgir e com Bobby não foi diferente. Formou junto à Roscoe Gordon, Earl Forest, Johnny Ace, B.B. King, Little Junior Parker, Billy Duncan e Willie Nix o grupo The Beale Streeters. Em 1951 ganhou um concurso para calouros no teatro Palace e teve sua primeira oportunidade de ir para um estúdio, grando I Love You Till The Day I Die, chamando a atenção de Ike Turner e dos irmãos Bihari que o contrataram para o selo Modern, onde em 52 gravou


- 13 -

By

RealCursos

Crying All Night e Drifting To Town To Town. Sua fama cresceu e novas oportunidades pareceram. O DJ da rádio WDIA de Memphis, percebendo o potencial de Bland chamou-o para gravar em seu selo, o Duke. Lá registraram-se I.O.U Blues e Army Blues. Alistou-se então no exército e passou dois anos fora do mercado, retornando em 55, quando o Duke pertencia à Don Robey, que explorou e enganou vários de seus contratados, tomando suas canções e registrando-as com um pseudônimo. Iniciava-se então a fase mais produtiva de Bobby Bland, quando surgiram clássicos como It's My Life Baby de 1955, Woke Up Screaming, I Smell Trouble, I've Got Bad Intentions e I Learn My Lesson de 56, seu primeiro sucesso em 57, Further Up Road e em 1961, o maior hit, Turn Your Love Light. Seu estilo foi modelado pelo soul dos anos 60 e pela imposição de gravadoras como a Stax, Tamla, Motown e Atlantic. Os negócios com Robey terminaram em 72 quando ele vendeu seu selo para a ABC/Dunhill, selo no qual Bland tornou-se possuidor de um estilo mais requintado, como pode ser comprovado no álbum His California Album, lançado em 73 e dirigido por Steve Barri. e Seguiram ainda Dreamer de 74 e Together For The First Time Live com B.B. King com que fez uma longa turnê em 76. A venda da ABC para a MCA em 78 resultou em mudança que levaram a gravações sem sucesso. Em 85, Bland abandonou a MCA assinando com o selo indepentende Malaco de Jackson, Mississipi, onde objetivava manter a tradição do soul-blues viva. Ainda em atividade, Bobby lançou vários álbuns depois do ingresso no Malaco, como Members Only, After All, Blues You Can Use, First Class Blues e Midnight Run em 85, 88, 90 e 91 (os dois últimos).


- 14 -

By

RealCursos

Albert King

I been down since I begin to crawl If it wasn't for bad luck, I wouldn't have no luck at all Hard luck and trouble is my only friend I been on my own ever since I was ten Albert King em Born Under A Bad Sign Data de Nascimento: 25/4/1923 Data de Falecimento: 21/12/1992 Discografia Básica The Big Blues Born Under A Bad Sign Live Wire / Power Blues King Does The King’s Thing Lovejoy I'll Play The Blues For You I Wanna Get Funky Albert King Albert New Orleans Heat San Francisco 83 Live I'm In A Phone Booth Baby


- 15 -

By

RealCursos

Biografia O irmão de B.B. King. Era assim que Albert King, costumava se apresentar no início de carreira. Albert Nelson, seu verdadeiro nome, nasceu em Indianola, Mississipi em 25 de abril de 1923. Albert e seus 12 irmãos foram abandonados pelo pai, um pastor protestante em 1928. Anos mais tarde mudou para uma plantação de algodão no estado de Arkansas, onde construiu rusticas guitarras e iniciou uma longa e revolucionária jornada pelo blues. O primeiro violão de verdade foi comprado em 1939 e sua primeira influência foi o grande T-Bone Walker. Albert trabalhava durante todo o dia e durante a noite tentava frequentar clubes de beira de estrada e prostíbulos, mas sua pouca idade costituia um obstáculo. Albert era canhoto e a exemplo de outros guitarristas famosos, esqueceu de inverter a odem das cordas na hora de aprender a tocar sua guitarra, uma clássica Gibson Flying V que batizou de Lucy. Sua primiras atuações foram no Harmony Kings Gospel Quartet, mas profissionalmente apareceu pela primeira vez com a Yancey’s Band onde tocava guitarra ritmica. Aos 25 anos, em Osceola, formou sua primeira banda, o In The Groove Boys, quando incorporou o sobrenome King. Mais tarde, em 1951, a exemplo da maioria dos músicos da época, foi em direção a Chicago tentar a sorte e por lá começou como baterista de Jimmy Reed. Sua primeira gravação aconteceu em 1953, na qual foram registrados cinco temas, dois deles, Bad Luck Blues e Be On Your Merry Way, costaram no primeiro single lançado pelo selo Parrot que foi um fracasso. Voltou em tao para Osceola e para sua antiga banda. Trabalhava de dia e tocava de noite. No final da década de 50, Albert mudou-se para St. Louis e então gravou o primeiro LP The Big Blues, para o selo Bobbin, álbum de onde saiu o hit Don’t Throw Your Love On Me So Strong, em 64. Passou anos no esquecimento até ingressar no selo Stax, de Memphis, por onde haviam passado Otis Redding, Rufus Thomas e Booker T. & M.G.’s. Nasceram então músicas de força que tornaram-se sucessos como Landromat Blues, Crosscut Saw e Oh, Pretty Woman, interpretações que tiveram as bandas de Booker T, Bar-Kays e MarKays como acompanhantes. A solidificação de seu nome veio com o clássico álbum Born Under A Bad Sign, seguido de Live Wire / Power Blues, um show de 1968 no Filmore de São Francisco, tido por alguns críticos como a obra-prima de King.


- 16 -

By

RealCursos

No ano seguinte, flertou com o rock, gravando King Does The King’s Thing, com uma revisão de nove temas anteriormente lançados por Elvis Presley. Ainda em 69, King volta ao blues, acrescentando-lhe pitadas de funk e soul com Years Go By. A tendência de trazer elementos do funk e do soul mante-se nos LP’s seguintes como Lovejoy (1971), I'll Play The Blues For You e I Wanna Get Funky, ambos de 1972, sendo que o último teve a participação de Isaac Hayes. Problemas judiciais prejudicaram a continuidade de Albert a Stax e em 1976, assinou com a Utopia Records, estreiando com Albert, um trabalho cheio de concessôes comerciais e arranjos exageradamente elaborados. Nos dois anos seguintes foram colocados no mercado King Albert e New Orleans Heat, produzido por Allan Toussaint e com influências da música disco. Manteve durante os anos 70 atuações ao vivo magníficas nos mais importantes festivais do mundo como o de Montreux na Suiça, onde gravou o Live em 1989. Paralelemante, enfrentou problemas com os selos, que tentavam impor um estilo comercial, levaram a produzir álbuns menores. Em 1983, voltou com San Francisco 83 e I'm In A Phone Booth, Baby de 1984, um tema escrito por Robert Cray. Retirou-se na segunda metade da década de 80, permanencendo em Brooklyn, Illinois e somente apresentando-se esporadicamente ou em colaborações com a que fez em 1990 junto a Albert Collins no disco Still Got The Blues de Garry Moore, na qul interpretou Pretty Woman. Em 91 gravou junto à Joe Walsh, Bruce Gary e Jim Dickson, Red House, uma homenagem à Jimi Hendrix. Albert King e sua guitarra Lucy foram silenciados por um ataque cardíaco, em 21 de dezembro de 1992, em Memphis, impedindo-lhe de terminar um projeto que preparava: acumulava material com experimentalismos. A força de King com sua voz barítona e seu fraseado na guitarra exerceram influência por gerações, passando por Hendrix, Taj Mahal, Jimmy Page, Eric Clapton, Johnny Winter e Al Krooper.


- 17 -

By

RealCursos

B.B. King

You must be crazy baby You just gotta be out of your mind As long as paying the bills I'm paying the cost to be the boss B.B. King em Paying The Cost To Be The Boss Data de Nascimento: 16/9/1925 Data de Falecimento: Discografia Bรกsica Live At The Regal Live & Well Lucille Completely Well Indianola Mississipi Seeds Live In The Cook County Jail Guess Who Midnight Believer To Know You Is To Love You There Must Be A Better World In Somewhere Blues 'n' Jazz Live At San Quentin


- 18 -

Live At The Apollo Blues On The Bayou Riding with The King

By

RealCursos


- 19 -

By

RealCursos

Biografia Riley B. King, filho de Albert King (não do famoso bluesman) e de Ella King, nasceu em 16 de setembro de 1925, na pequena cidade de Itta Benna no estado do Mississippi. Itta Benna era istante de tudo, a não ser de cidadezinhas como Inverness, onde Howlin' Wolf nasceu, ou Rolling Fork, terra de Muddy Waters ou de Richland, onde Elmore James nasceu. É importante que o conceito de perto de hoje não pode ser aplicado ao Mississippi rural das décadas de 30 e 40, quando o fato de possuir uma mula já um enorme privilégio. Aos quatro anos, os pais de B.B. se separaram e ele cresceu sob os cuidados de seus avós maternos na pequena Kilmichael, no mesmo estado do Mississippi. Sua mãe faleceu quando King tinha somente nove anos. A primeira guitarra veio cinco anos mais tarde e nesta mesma época, ele começou a cantar em corais gospeis. Em 1940. B.B. mudou-se para junto da nova família de seu pai em Lexington, Mississippi permanecendo por lá até 1942, quando retornou à Kilmichael e subsequentemente para Indianola. Ao servir o exército, teve a possibilidade de cantar o Blues pela primeira vez e de se realizar. Após o exército, King trabalhou na fazenda dos Barret, perto de Indianola, mas em 1946 partiu na esperança de uma vida melhor em Memphis.Este é o ano que o próprio King define como o do início de sua carreira. Em Memphis, B. pode entrar em contato com seu primo, o bluesman Bukka White, que lhe ensinou a técnica do "bottleneck", mas sem o "slide." "Eu tentava tocar o slide como ele, mas nunca consegui. Comecei então a fazer a mão vibrar e com o auxílio de um amplificador, podia manter a nota." conta Mr. King. Depois de dez meses em Memphis, B. retornou para Indianola onde permaneceu até 1946. As tentações da cidade grande havia seduzido o jovem bluesman, que com algum dinheiro no bolso, correu em direção a Beale Street de Memphis em 1948. Em um concurso no Palace Theatre conheceu os The Beale Streeters, que reunia Bobby Bland, Rosco Gordon, John Alexander, Little Junior Parker, com que B. pode tocar algumas vezes. O ano de 1949 foi marcado por dois importantes fatos na vida de Mr. King. Quando tocava na cidade de Twist, no Arkansas, dois homens iniciaram um briga, derrubando um lampiäo de querosene e provocando então um enorme incêndio. King lembrou-se que havia esquecido sua guitarra Gibson EE 335 dentro do prédio e voltou para salvá-la. Mais tarde ele ficou sabendo que a briga fora motivada por uma mulher


- 20 -

By

RealCursos

chamada Lucille. Para nunca mais se esquecer do fato, King batizou sua Gibson com o nome daquela mulher que quase levou-o a morte.O segundo fato importante foi a oportunidade dada por Sonny Boy Williamson II (Rice Miller) de cantar em seu programa de rádio na WDIA. O sucesso foi imediato e B.B. tornou-se o garoto propagande de um tônico milagroso chamado Pep-ti- kon, que prometia curar todo tipo de doença. King anunciava no seu programa de dez minutos: " Tome Pep-ti-kon hoje e dia 'Amigo, estou realmente bem.' " Mal sabia ele que o tônico era composto quase exclusivamente de álcool. Na rádio, passou a ser conhecido como "The Blues Boy from Beale Street, Bee Bee King", Blues Boy King e finalmente B.B. King. Aos 73 anos, King continua a levar o blues para todas as pessoas: jovens, velhos, brancos ou negros ao redor de todo o planeta. Trata-se do mais famoso bluesman de todos os tempos. O que tem a carreira mais longa, maior número de albuns gravados, etc... Em 1987, recebeu o Grammy Lifetime Achievement Award pelo conjunto de sua obra. Por cinco décadas, pessoas vem chorando, gritando e cantando com B.B. King, que ainda costuma realizar mais de 200 shows por ano e já esteve em mais de 80 países, do Brasil a China. B.B. King será para sempre o Rei do Blues

Bone Walker


- 21 -

By

RealCursos

They call it stormy Moday, but Tuesday's just as bad They call it stormy Moday, but Tuesday's just as bad Wednesday's worse, and Thursday's also sad Yes the eagle flies on Friday, and Saturday I go out to play Eagle flies on Friday, and Saturday I go out to play Sunday I go to church, then I kneel down and pray. T-Bone Walker em Call It Stormy Monday Data de Nascimento: 28/5/1910 Data de Falecimento: 16/3/1975 Discografia Básica Good Feeling Very Rare Rare and Well Done T-Bone Suffle The Complete Capitol/Black & White Recordings The Complete Recordings of T-Bone Walker: 1940-1954

Biografia Aaron Thibeaux Walker nasceu em Liden, Texas no dia 28 de maio de 1910. Filho cantores e neto de cherokees, viu sua família desabar logo aos dois anos de idade, com a separação dos pais. Mudou-se então para as proximidades de Dallas, onde seu avô materno tinha um serraria. Em Dallas, começou a frequentar a Holy Ghost Church. Influênciado pelo padrasto, Marco Washington e pelo primo K.C. Smith, Walker passou a cantar a aprender lições de banjo, antes que ele mesmo contruisse seu primeiro e rudimentar violão. No início da década de 20, T-Bone foi guia de Blind Lemon Jefferson, tocando e passando a lata para recolher dinheiro pelas apresentações que faziam nas ruas de Dallas. Em 1924 seguiu seu próprio caminho junto com o Big B Tonic Medicine Show do Doutor Breeding onde atuava como cantor, dançarino, músico e comediante. No final dos anos 20, acompanhou Ida Cox. Walker esteve em um estúdio de gravação pela primeira vez em 29.


- 22 -

By

RealCursos

Gravou Trinity River Blues e Wichita Falls para a Columbia, com o nome de Oak Cliff T-Bone. No ano seguinte ganhou o prêmio Cab Calloway Amateur Show, por tocar banjo na orquestra do próprio Calloway. Assim, várias portas se abriram e Walker tocou violão nas bandas de Coley Jones, Lawson Brooks (onde foi sunstituído por Charlie Christian), Count Biloski e Milton Larkin. Antes de mudar para a Califórnia em 35 e casar-se, acompanhou a famosa pioneira Ma Rainey. O apelido T-Bone veio de "T-Bow", palavra criolle que significa bonito, mas há uma segunda versão que na verdade a incapacidade das pessoas pronunciarem seu nome, Thibeaux, foi o motivo de tudo. T-Bone foi um músico com muitos vícios: bebida, jogo e mulheres. Apesar disto, a história conta que foi um bom pai, nunca renunciando ao seu casamento com Viola Lee, com quem teve três filhos. Na Califórnia, atuou na orquestra de Les Hites, onde pode conhcer vários músicos que formariam sua banda mais tarde. Gravou em 39 TBone Blues e três anos mais tarde Mean Old World e Gotta A Break Baby, que fizeram com que sua reputação crescesse cada vez mais e excursionasse por toda a América. Em 1946, mudou para o Selo Black & White, pertencente a Capitol Records, e foi lá, que no ano seguinte, veio seu tema mais conhecido, Call It Stormy Monday. Trabalhou muito com sua banda, mas no final da década de 50 sua saúde mostrava-se debilitada. O alcoolismo tinha causado uma úlcera, que tornaram suas aparições menos freqüentes. Esteve na Europa pela primeira vez em 1962 no American Folk Festival ao lado de nomes como John Lee Hooker e Willie Dixon. Esteve de volta por várias vezes, sozinho ou acompanhando vários músicos, mas o agravamento da saúde em 74 obrigou-o a parar. T-Bone havia granho o Grammy pelo álbum Good Feeling, gravado em 72 na França. Lançou um álbum duplo em 73, Very Rare, com participações de músicos de renome como do trompetista Dizzy Gillespie e do saxofonista Gerry Mulligan. Morreu em 16 de março de 75 num hospital de Los Angeles. Seus restos mortais encontram-se em Inglewood. T-Bone Walker é sem dúvida alguma um dos maiores guitarristas de todos os tempos, tendo sido influência para Albert King, Buddy Guy, Elmore James e B.B. King. O último disse certa vez que "Depois ouvir


- 23 -

By

RealCursos

T-Bone Walker tocando uma guitarra, eu tinha que ter uma." Simplesmente magnĂ­fico.

Stevie Ray Vaughan

"You see that its a big world out there; with enough pain and misery in it; without me going around and helping it out by hurting myself; and consequently, those that care about me. What I am trying to get across to you; is please take of yourselves and those that you love; because that is what we are hear for, that's all we got, and that is what we can take with us. Are you with me ? " Palavras de Stevie Ray Vaughn Data de Nascimento: 3/10/1954 Data de Falecimento: 26/8/1990 Discografia BĂĄsica In The Beginning Texas Flood Couldn't Stand The Weather Soul To Soul


- 24 -

By

RealCursos

Live Alive In Step Family Style The Sky Is Crying Live AT The Carniggie Hall

Biografia Nascido em 3 de Outubro de 1954 em OakCliff/Dallas no coração do Texas.Começou a tocar guitarra sob influência e inspiração de seu irmão mais velho Jimmie Vaughan. Aos 18 anos mudou-se para Austin onde passou a dedicar-se à música o dia inteiro. Lá durante os anos 70 tocou numa banda chamada "The Cobras", cuja formação incluia o batera Chris Layton, baixista Jackie NewHouse e o cantor Lou Ann Barton. Lou Ann sai e a banda muda o nome para Double Trouble (após a música do Otis Rush), e foi com essa banda que, em 1980, foi gravada a transmissão da KLBJ-FM que veio a se tornar disco In The Beginning. Tommy Shannon substitui Jackie em 1981, e no ano que se segue o novo DoubleTrouble toca no Festival de Mountreaux, na Suiça. A atração principal do Festival era David Bowie que após a performance do DoubleTrouble, convida Stevie para tocar no seu próximo disco "Let's Dance". Ao mesmo tempo Jackson Browne lhes oferece tempo livre nos seus estúdios em LA. Aí foi uma questão de tempo (muito pouco tempo) para que eles assinassem com a Epic com o lendário John Hammond. Em maio de 1984 Stevie Ray and Double Trouble gravam seu segundo álbum: "COULDN'T STAND THE WEATHER" . Mal sairam, já entram no estúdio de novo, para lançar, em Agosto de 1985, "SOUL TO SOUL". Disco que traz a primeira participação do tecladista Reese Wynans. Logo "SOUL TO SOUL" se torna o terceiro disco de ouro e a quinta nomeação de Stevie para o Grammy. Grammy Awards Stevie Ray se torna a primeira pessoa a ser nominada duas vezes no mesmo ano na mesma categoria: "Best Rock Instrumental Performance" primeiro por "Back To The Beach"junto com Dick Dale e depois por sua versão de "Say What?"no LIVE ALIVE. Em outubro de 1986 é gravado ao vivo "LIVE ALIVE". "IN STEP", o quinto disco da banda e "o primeiro que fiz sóbrio...e era assustador


- 25 -

By

RealCursos

encarar o estúdio sem minhas usuais bengalas", disse à Guitar World. Mas a abstenção do álcool fez bem, pelo menos o hit "CrossFire" acabou virando seu primeiro hit nas rádios e o disco ganha mais um Grammy. Ainda em 1990 Stevie and The Double Trouble se apresentam no Festival de Jazz de New Orleans e embarcam numa tour pelos EUA. Em 26 de Agosto, East Croy - Wisconsin, após um show que contou com a participação de Eric Clapton, Robert Cray, Buddy Guy e Jimmie Vaughan, o helicóptero que levava Stevie Ray cai, matando a todos. Em Outubro de 91, a música de Stevie Ray and The Double Trouble volta a ser ouvida - "THE SKY IS CRYING" -o álbum contém gravações de estúdios compiladas pelo irmão Jimmie. São dez músicas que vão do período de 84 até 89, com blues clássicos "Close to You Baby"( Muddy Waters) e versões originais de "Empty Arms", "So Excited", além da versão instrumental de "Little Wing" do Jimi Hendrix. Algumas palavras de Stevie Ray "Ya know, right now the most important thing in my life is to make sure you understand that, first of all I thank god I'm alive today, and I mean that. You see, I spent too many years of my life thinking that the big party was the whole thing. It took me quiet a while to find out that the real deal is to be able to be enough of a person on your own to know when somebody loves you and cares about you. You see, we are here, as far as I can tell, to help each other; our brothers, our sisters, our friends, our enemies. That is to help each other and not hurt each other. And sometimes to help them we have got to help ourself. So that we will know that they are around in the first place. Are you listening to me ? Thank you. I'm glad to hear that. "


- 26 -

By

RealCursos


A historia do blues