Page 45

Eu queria perguntar o porquê de ele não ter me dito nada, mas Dez sempre foi evasivo, mesmo quando era mais jovem, então tomei um caminho diferente. — Aonde você foi? Dez se moveu, me sentando no seu colo de maneira que minhas pernas ficassem penduradas nas suas. — A muitos lugares. — Tipo? Seu peito roçou contra meu braço. — Fui ao sul, a Florida e ao Texas, mais acima ao meio oeste e finalmente a Califórnia. O significado da última localização não me passou por alto. — Você foi para casa? Ele hesitou e depois disse: — Sim. A dor aguda atingiu meu peito. — Você foi para casa? — Continua ali, mas foi... derrubada — ele disse e levantou o olhar. Seu olhar estava fixo na escuridão lá fora na janela do meu quarto. — O lugar é só uma casca queimada. Eu sequer pude ir ao segundo andar. Meu pai tinha me contado o que aconteceu ao clã de Dez. Demônios tinham incendiado sua casa depois do ataque, dando a Dez por morto. Foi um milagre ele sair com vida. Ele nunca devia ter voltado ali sozinho. — As cidades afora de West estavam cheias de demônios, então os cacei. Ele continuou, me contando sobre as cidades nas quais esteve, mas nunca, nem uma só vez me disse por que se foi. Eu não tinha certeza se alguma vez ele estaria disposto a compartilhar essa informação. E enquanto sabia que um dia poderia perdoá-lo por ter ido embora, também sabia que nunca esqueceria disso e não tinha certeza se tampouco era algo que de verdade poderíamos superar. Por essa razão, eu não podia aceitar essa reclamação. Se aceitasse, nossa relação se converteria em uma coisa triste e amarga. Mas eu não podia negar a razão de estar em seus braços. Eu não era suficientemente tonta para crer em almas gêmeas ou alguma dessas coisas infantis e sem sentido, mas sempre existiu algo tangível entre Dez e eu, e ainda depois de sua ausência, continuava lá, mais forte do que antes. — Eu poderia te segurar a vida inteira — disse tão baixo, tão rápido que eu não tive certeza de ter ouvido bem. — Mas tenho que ir. — suspirou, deslizando sua mão para baixo no meu braço. — Mas tem uma última coisa.

45

Jennifer l armentrout dark elements #0 5 bitter sweet love [revisado]  
Jennifer l armentrout dark elements #0 5 bitter sweet love [revisado]  
Advertisement