Page 12

Inalei uma grande quantidade de ar, mas o vestido estava tão apertado que restringia minha cintura. — Ele voltou — sussurrei, sem ter certeza do porque tinha a necessidade de dizer isso. Talvez porque não parecesse real. O reflexo de Danika apareceu por cima do meu ombro. Compartilhávamos os mesmos traços, no entanto, ela era uma versão mais minha. — Sim, voltou. Fechei os olhos com força e contei até dez. — Você o viu? — Não. Porque eu perguntei isso? Não me importava. Danika colocou a mão no meu ombro. — Todos estão esperando lá embaixo. O clã inteiro. O Clã inteiro podia pular do Pico Algolquin. Abrindo meus olhos, não vi meu reflexo ou o de minha irmã. Imagens minhas e de Dez juntos piscavam em um passeio de lembranças que não queria, mas uma vez que o vi na minha mente, não pude detê-las. Dez, o diminutivo de um nome que eu sequer podia começar a pronunciar, foi um membro do Clã da Costa Oeste e nunca deveria ter cruzado seu caminho com o meu. Mas quando ele tinha dez anos, todo seu Clã foi aniquilado em um brutal ataque de demônios. Ele acabou em Nova York devido aos laços que sua mãe tinha com nosso Clã. A primeira noite em que ele foi trazido para nossa casa, ele estava com raiva e retraído, quase como um animal selvagem foi encurralado. Estava em sua pele verdadeira, chiando e arranhando a quem se aproximasse. Quando meu pai não o estava buscando, eu oferecia meu pudim para ele. No começo, Dez não quis ter nada a ver comigo. Agachado atrás da biblioteca, ele me acertava com um golpe de suas mãos com garras, a ponto de abrir a pele do meu braço. O medo tinha descido pela minha coluna, mas sentia muita simpatia e preocupação por ele para fugir. Em troca, sentei a uma distância segura e comecei a falar sobre coisas sem importância e tudo aquilo que podia pensar. Levei horas divagando sobre minhas bonecas, minhas tarefas e meus livros favoritos antes de que ele aceitasse meu pudim. Depois disso, ele pediu mais e eu consegui levá-lo a cozinha. Fiquei toda a noite com ele, enquanto comia tudo o que o cozinheiro colocava diante dele e eu o observava, estranhamente atraída pelo garoto desconhecido e silencioso.

12

Jennifer l armentrout dark elements #0 5 bitter sweet love [revisado]  
Jennifer l armentrout dark elements #0 5 bitter sweet love [revisado]  
Advertisement