Page 11

— Está respirando? — perguntou minha irmã, sua voz flutuando vinda de algum lugar atrás de mim. — Jasmine? Concentrada em não vomitar em toda parte, eu não tinha certeza se respirava ou não. Olhei para meu reflexo no espelho. Olhos de um azul claro me devolveram o olhar, localizados em um rosto muito pálido contrastando com o tom escuro dos meus cabelos. Inclusive meus lábios pareciam estar desprovidos de sangue. Minhas bochechas muito afiladas, muito angulosas. A última hora passou como um borrão. De alguma maneira, o clã inteiro sabia que Dez voltou e eles se jogaram em mim no instante que entrei em casa. Fui empurrada para o banheiro, porque aparentemente precisava de um banho. Danika secou meu cabelo, deixando-o solto em largas ondas descendo pelas minhas costas, porque eu estava além da capacidade de fazê-lo por mim mesma. Logo Claudia, que ou não sabia que eu saí às escondidas ou optou por ignorar essa informação devido ao que estava acontecendo, trouxe um vestido azul que eu nunca vi antes. Era apertado ao redor do meu peito e eu vi que se eu me inclinasse muito, meus seios sairiam e diriam oi. Era tradição estar com seu melhor aspecto quando o macho te reclamava. Todo o ritual era bárbaro, absolutamente errado em tantos níveis. Parte de mim entendia a necessidade de ter que emparelhar e produzir alguns bebês. Nossa raça estava morrendo e o que os Guardiões faziam era necessário para manter o equilíbrio entre o bem e o mal e blá, blá, blá. A outra parte se perguntava porque eu me voluntariaria para algo que provavelmente resultaria na minha morte em algum momento. Eram dado sete dias depois que o macho fizesse sua reclamação para poder aceitar ou não, para ter certeza de que ambas as partes entendiam que emparelhar era um compromisso para vida inteira. Não tinha tal coisa como divórcio ou separação entre os de nossa raça. Não éramos obrigadas a dizer sim, e o macho, mesmo se estivesse envergonhado ante todo o clã, tinha que aceitar nossa negativa. Podíamos continuar negando até quando quiséssemos dizer sim e haviam Guardiãs fêmeas que diziam não, como Cláudia. Ela não encontrou um macho que quisesse ainda, mas... Mas meu pai tinha anunciado suas intenções de me emparelhar com Dez há três anos atrás. A noite anterior de seu desaparecimento.

11

Jennifer l armentrout dark elements #0 5 bitter sweet love [revisado]  
Jennifer l armentrout dark elements #0 5 bitter sweet love [revisado]  
Advertisement