Issuu on Google+

OS INSTRUMENTOS DA ORQUESTRA EA QUINTA DA AMIZADE

RELATÓRIO FINAL

RELATÓRIO FINAL

Mara Ribeiro

Os Instrumentos da Orquestra e a Quinta da Amizade


INTRODUÇÃO Penso que o processo de educação, em qualquer área, deve lançar mão de todo tipo de recurso que facilite a aquisição do conhecimento que se quer transmitir. Cabe ao professor identificar, com a mente aberta e sem preconceitos, a cada momento, qual o tipo de material pedagógico mais indicado para ajudar a atingir determinados objectivos. Acredito que a informática é hoje uma ferramenta indispensável para o professor que queira enriquecer os seus recursos pedagógicos. Ela facilita a criação de todo tipo de exercícios - desde os mais genéricos, de musicalização básica e percepção, até aspectos especiais para uma determinada turma ou mesmo para solucionar problemas específicos de aprendizagem de um aluno individual. Mas é importante lembrar que, em contrapartida, a informática cria a necessidade de constante actualização e aperfeiçoamento do usuário. De nada serve um computador "top de gama" nas mãos de um professor que não saiba aproveitar os seus recursos. É preciso que o professor tenha uma sólida formação na sua área de actuação, no nosso caso, em música, na área pedagógica, para detectar claramente os objectivos que quer atingir e criar soluções adequadas e na área de informática, para conhecer e escolher os recursos mais indicados para cada situação.

REFLEXÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Esta Oficina de Formação veio dar resposta às necessidades pessoais manifestadas relativamente ao desenvolvimento de competências que permitissem produzir os mais diversificados recursos didácticopedagógicos e disponibilizá-los na Internet e Intranets para uso da comunidade escolar. No 1º dia de formação fiquei a saber que a mesma tinha como objectivo a concepção de materiais didácticos para a aprendizagem da música. Iniciou-se a primeira aula e falou-se de blogs. Pensei: “- o que é isto?” Depois de alguma pesquisa entendi o significado de blog: blog vem da abreviação de weblog. Isto é, web = tecido, teia, rede, ambiente de Internet e log = diário de blog. Resumidamente, o blog é um diário virtual interactivo. A realização desta formação possibilitou-me a aquisição de capacidades, competências e atitudes ditas transversais às minhas actividades docentes e que são, porventura, aquelas que me dotaram com estratégias de acção que me permitem assumir como professor interveniente, crítico, solidário e empreendedor na aplicação das Novas Tecnologias de Informação e de Comunicação na escola. Após uma análise detalhada da minha intervenção nesta acção de formação, poderei afirmar que resultou, para mim, uma mais valia de conhecimentos e de capacidades no(a): utilização de recursos das TIC's que possam ser transportadas para uma nova dinamização pedagógica dos alunos em actividades a serem desenvolvidas, fora da sala de aula; utilização dos recursos existentes em mediatecas e na Internet de forma a contribuir para a autoeducação e aquisição de técnicas de investigação nos alunos; utilização da Internet e das suas funções pedagógicas no contexto do projecto educativo da escola; Os Instrumentos da Orquestra e a Quinta da Amizade


criação de materiais de suporte electrónico, nomeadamente exercícios com questões e respostas publicadas na WEB; Ainda, esta acção de formação permitiu-me adquirir capacidades de: exploração das potencialidades de cada dos utilitários que compõem o aplicativo Hotpotatoes, Windows Movie Maker, Audacity, Musecore, Didapages; criação de novos materiais para as aulas, através do emprego de software educacional que cria fichas de exercícios interactivas, podendo ser utilizadas em computadores (isolados ou em rede) e na Internet. A publicação destas fichas On-line permitirá ao docente e a cada Escola a criação e a actualização de uma Sala de Estudo permanente e autónoma para uso dos alunos. Dentro e fora da sala de aula, através de um computador ligado à Internet (na escola, em casa, ..), é disponibilizada à comunidade escolar um variado e rico conjunto de recursos didácticos interactivos que contribuem para o apoio ao estudo acompanhado e individual, para o desenvolvimento e o aprofundamento de conhecimentos e, por consequência final, à melhoria do sucesso escolar dos alunos. Durante as sessões não presenciais, elaborei as tarefas/trabalhos propostos pela formadora.

PARECER SOBRE AS METODOLOGIAS EMPREGUES NA OFICINA DE FORMAÇÃO Nesta Oficina de Formação definiram-se inicialmente e de forma clara os objectivos e os critérios de avaliação a atingir pelos formandos. O ensino dos conteúdos programáticos da acção de formação foi sempre assegurado por etapas no blog da formação. A troca de saberes e de experiências durante o processo, nas sessões presenciais, permitiu atempadamente redefinir objectivos, estratégias e metodologias, buscando a maximização da eficácia e adequação do projecto em desenvolvimento. Foi criado nesta oficina de formação um espaço (diário da formação) em que os momentos de reflexão acerca das nossas práticas individuais e reflexões dos temas abordados nas sessões presenciais promoveram a ligação entre as competências adquiridas e a implementação criativa da sua utilização em contextos educativos. Assim, a alternância entre aspectos técnicos/teóricos e aplicações práticas permitiu criar dinâmicas adequadas em cada sessão presencial. Salientou-se nesta oficina a importância do acompanhamento do processo e dos resultados do projecto individual que me coube desenvolver. A implementação de trabalho autónomo no contexto desta oficina surgiu como uma dimensão natural de aplicação e de experimentação, na verificação do saber fazer adquirido, procurando claramente uma estruturação em torno da resolução de problemas concretos na rede de computadores da escola onde sou docente. A actividade de projecto individual, desenvolvida na acção de formação, resultou num acréscimo de influência e de alcance dos saberes adquiridos, assim Os Instrumentos da Orquestra e a Quinta da Amizade


dinamizados pela troca de opiniões entre formador e formando, consolidando competências e promovendo a reflexão através da partilha. Nunca é excessivo sublinhar que coexistiu, nesta acção de formação, uma partilha dos saberes adquiridos, das dúvidas, das reticências e da diversidade das opiniões, forma notáveis, consubstanciando assim o espírito de uma oficina de formação. Esta ficou centrada no resultado da riqueza dos debates e da gestão do grupo e do individual.

APRECIAÇÃO GLOBAL DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Penso que os objectivos da acção terão sido globalmente atingidos. Considerei pertinentes e adequadamente tratados, tanto os temas como as metodologias e os conteúdos abordados. Em minha opinião terei acedido a uma perspectiva mais articulada e aprofundada dos meios informáticos disponíveis nas escolas e das respectivas potencialidades. As estratégias utilizadas ao longo das diferentes sessões pareceram-me terem sido adequadas tanto em termos de selecção como de implementação, com o necessário equilíbrio entre a componente prática e a teórica. Quanto aos meios utilizados, considerou-se a sua utilização adequada ao bom desempenho global da Oficina de Formação. Passei a ser uma entusiasta da formação à distância. Direi que numa realidade educativa em que a utilização das Novas Tecnologias de Informação e Comunicação faz emergir a necessidade evolutiva de um aperfeiçoamento profissional dos docentes, esta Oficina de Formação teve o mérito de dotar-me com conhecimentos e ferramentas que me permitem perspectivar aquelas tecnologias como mais um recurso para a programação de oportunidades de aprendizagem diversificadas ao nível disciplinar, ao nível interdisciplinar e ao nível extracurricular, para além de consubstanciar uma relação pedagógica diferente, eventualmente mais facilitadora do processo de construção de conhecimento dos alunos. Desta forma, globalmente, considerei que a acção foi bem sucedida, no formato em que decorreu, obedecendo a uma adequada gestão por parte da formadora, com grande empenho e motivação da minha parte. Desenvolveu-se numa perspectiva de formação em que a aplicação prática dos saberes, aliada a uma adequada dinâmica pedagógica, promovendo o debate e a troca de experiências e saberes, constituiu um verdadeiro enriquecimento para mim, com claras implicações na vida quotidiana da escola.

Os Instrumentos da Orquestra e a Quinta da Amizade


Relatório Final. Mara Ribeiro