Issuu on Google+

7ºF

Projeto Dormir + para ler melhor

Contos para ler antes de dormir

Textos realizados no âmbito do Projeto Dormir + para Ler Melhor. do PNL Este projeto pretende promover bons hábitos de sono nos jovens para conseguir uma vida saudável, a melhoria da atividade cognitiva e, por essa via, a melhoria dos resultados escolares.

EB Elias Garcia Bibliotecas Escolares do AE Elias Garcia Março 2012/2013


Entre o sono e o sonho Miguel era um rapaz normal que não dormia o suficiente. Assim que chegava a casa, depois de ter vindo das aulas, ia logo para o computador conversar com os amigos. Ficava a noite inteira a conversar e a jogar online com os seus colegas. Certa manhã, quando o despertador tocou, às sete horas da manhã, o Miguel tinha acordado num mundo virtual. Um mundo em que não existiam computadores - um mundo rural. Então, decidiu construir uma engenhoca para substituir o seu estimado computador, pois era um rapaz hábil. Começou a inventar projetos e a arranjar materiais que substituíssem os de um computador. Passou uma semana, passaram duas semanas e, na terceira, já tinha o projeto concluído e os materiais definitivos para a construção de um computador. Construiu o seu computador, que, naquela segunda dimensão, era, na verdade, o primeiro computador. Miguel voltou a sua casa. Acordou com a cabeça debruçada na sua secretária com o seu computador à frente … ainda ligado. Bruno Antunes Nº 9 – 7º F


Entre o sono e o sonho

Era uma vez um menino chamado Tiago que gostava muito de estar sentado em frente ao computador a jogar. A mãe dele chamava-o, mas o Tiago gostava tanto de jogar que nunca respondia. Conseguia estar durante 24 horas a jogar! Um dia, decidiu dormir mais cedo, porque já estava cansado de perder naquele jogo. Então, naquele dia, demorou muito para adormecer, mas lá conseguiu. Sonhou que, por causa do computador, tinha ido doente para o hospital, porque estava muito cansado e, como não dormia nada, não se concentrava na escola e tinha um nível de cansaço muito alto. O médico disse-lhe que era por causa do computador. O Tiago sentia -se muito mal. Era um pesadelo. A mãe dizia-lhe que ele não ia mais ao computador durante um ano para ver se deixava o vício e se ficava melhor. Entretanto o despertador tocou. Acordou e não lhe apetecia nada levantar-se da sua cama quentinha. Além disso, estava cheio de sono. Então, quando abriu os olhos percebeu que aquilo era tudo um sonho. De seguida foi contar à mãe o que sonhara. A mãe disse-lhe que qualquer dia aquilo podia acontecer. O Tiago ficou muito assustado e durante uma semana não foi ao computador! Custou-lhe muito, mas conseguiu. Beatriz Alves nº 8 7ºF


Entre o sono e o sonho

Era uma vez, uma rapariga chamada Bruna que passava os dias a jogar na Wii. Já não comia, nem tomava banho…! Um dia, a Bruna deitou-se às 6 horas da manhã e sonhou, sonhou… A Bruna estava a adorar o sonho, pois passava-se no cenário do jogo Mário Card. A Bruna queria passar os níveis todos. Já estava no nível 11. Estava a conduzir no gelo. De repente, a Bruna não conseguia sentir as mãos de tanto conduzir, e não conseguia sentir os pés de tanto acelerar: - O que vou fazer? Já sei vou acordar!- pensava a Bruna. Por mais que tentasse acordar, não conseguia. Morria em todos os níveis do jogo, na terra, no fogo… Começou a ficar com febre, 39º, 40º… Acordou, finalmente! Teve de ficar na cama, durante duas semanas. Já não queria jogar e o mais incrível era que ela queria ler livros…O vício tinha acabado! Catarina Freitas 7ºF Nº10


Entre o sono e o sonho Os jovens não gostam de perder tempo a descansar, a saborear o sono e a sensação de descanso que temos quando fechamos os olhos. Estão sempre no computador e a jogar playstation até tarde e, quando vão dormir, ficam a ver televisão na cama. Em média mais de metade da população portuguesa sofre de problemas com stress ou de depressão, por não dormir à noite. Todos devemos dormir, pois dá saúde e faz crescer. Ninguém pode ficar sem dormir para ter energia para o dia-a-dia, pois somos seres humanos. Gonçalo Silva 7º F


Mundos Paralelos Tudo começou numa noite fria de Inverno, quando um jovem de 14 anos chamado Miguel se sentou para jogar computador. Era uma criança solitária e todas as noites passava horas a jogar no computador. Certo dia, enquanto jogava computador, - já passava da meia-noite - sentiu-se fraco e então decidiu fechar os olhos por alguns minutos. Quando deu por isso, estava no mundo dos sonhos, onde não havia possível e impossível. Pensava que estava num mundo paralelo, em que era ele quem mandava. Não existia tempo nesse segundo universo, por isso parecia que estava lá há anos. Começou por procurar alguém ou algo que lhe desse uma pista sobre o local onde estava. Mas tudo o que encontrou era um cenário grande e branco e um lápis. Desenhou uma casa no cenário. Quando acabou, recuou um pouco e apreciou a sua obra de arte. Não era uma casa qualquer. Era pequena, apenas com uma divisão. Miguel adorava-a. De repente, acordou. Estava na cama. Lembrou-se que estava atrasado para a escola. Levantou-se e foi para a escola. Chegou ao portão e – bolas! – outro contratempo. Não trouxera a mala. Perto da porta, ouviu um estrondo. Aproximou-se e abriu a porta. Ouviu um barulho estranho, uma pessoa a gritar, uma voz grave. Seguiu a voz, como um filme de suspense…

Gonçalo nº 15 7º F


Entre o sono e o sonho

Era uma vez um menino chamado André. Este rapaz vivia no mundo dos jogos de luta e na escola era um péssimo aluno.Estava sempre com muito sono e tinha más notas, porque odiava tudo o que não tinha a ver com jogos. - André!-gritou a professora. - Sim. - diz o André com cara de sono. - É a segunda ver que estás no 8ºano e ainda estás a dormir! Hoje vou ligar aos teus pais.-afirmou a professora. Nesse mesmo dia, a professora ligou para a mãe do André e explicou a situação. Os pais do André decidiram tirar-lhe o computador e mandá-lo estudar 2 horas por dia e dormir mais cedo. Quando o rapaz soube das regras, ficou muito desanimado e, pensava que não ia conseguir sobreviver sem os jogos de computador, mas fez tudo como combinado para ter de volta o seu computador. Assim, o André foi-se habituando à ideia e sempre antes de dormir lia um pouco. No fim disto tudo o André conseguiu passar de ano graças ao castigo.

Cátia Monteiro nº 27


Entre o sono e o sonho

A Passagem pelo Mundo dos Sonhos

Era uma vez, um rapaz chamado Miguel que adorava jogar no computador e podia ficar a jogar durante horas e horas seguidas sem comer. Na verdade, era perfeitamente capaz de não dormir para acabar de passar mais um nível nos jogos. Houve uma noite, em que já eram onze horas e o Miguel começou a sonhar… Passou rapidamente por um portal, onde se encontrava uma grande cidade, que se chamava “Electromanía”. Era uma cidade num jogo de computador onde ele era uma espécie de rapaz-relâmpago. Ainda mal tinha dado por se encontrar ali, quando sentiu que algo diferente habitava dentro de si, uma espécie de poder… mas ele não sabia qual. Percebeu que já não estava no seu quarto, na sua casa, na sua cidade. Estava noutro mundo, num sítio fantástico onde tudo era diferente, onde não havia céu, árvores, plantas e … não sentia o oxigénio à sua volta. De repente, um robô gigante foi ter com ele e acenou-lhe. O Miguel começou a aperceber-se que conseguia ler as mentes das pessoas, dos animais (robóticos, claro) e de todos os estranhos seres daquele mundo! Quando acordou, sentiu-se bem, não estava cansado e sentia uma estranha energia. Vestiu-se, saiu de casa e quando chegou à escola viu que podia continuar a ler as mentes das pessoas, poder esse que continuou para a eternidade. O seu sonho era real!

Leonor Martins nº 16 – 7º F


Entre o sono e o sonho Madalena era uma rapariga normal que não dormia o suficiente. Passava todas as tardes após vir da escola no seu computador. Deitava-se às três da manha e levantava-se às sete da manha para se preparar para as aulas. Madalena só conseguia fazer isto pois os pais eram médicos e trabalhavam 24 horas por dia, ausentando-se quase sempre. Uma noite, após o jantar e como eram 20 horas, Madalena sentou-se ao computador e adormeceu num sono profundo. No seu sonho apareceu o Humpty Dumpty, dizendo-lhe que não podia continuar sem dormir, pois assim não lia bem! A partir desse acontecimento, Madalena deitava-se sempre muito cedo e até se tornou a melhor da sua turma a ler. Maria Inês Garcia nº 19


Entre o sono e o sonho

O poder dos sonhos Certo dia, um jovem rapaz estava de pijama preparando-se para dormir. Antes de dormir, como de costume, ficou a pensar nos acontecimentos daquele dia. De repente veio-lhe à cabeça um pensamento muito invulgar que talvez a maioria das pessoas não tivessem: “Por que razão temos sonhos?” Talvez os sonhos sejam uma maneira de tornar os nossos desejos mais fortes. Então nesse dia decidiu escrever uma pequena história que era mais ou menos assim : era uma vez uma menina que gostava muito de fantasias. Da vida real, nem por isso, porque achava as leis do Homem cruéis e a maneira como ele julgava os que o rodeavam em geral. Uma noite, como todas as outras, enquanto dormia, esta menina entrou nesta outra dimensão de fantasia. Esta dimensão parecia ser só um sonho mas muito mais real. Então aprendeu que o Homem tem o poder do sonho que desperta a sua imaginação e explora uma parte misteriosa desconhecida do ser humano. Pedro Gomes nº 22 7ºF


Entre o sono e o sonho Miguel era um rapaz de apenas doze anos, que vivia para os jogos de computador, deixando a escola para trás. Sempre que estava nas aulas, estava cheio de sono, pois deitava-se muito tarde para ficar a jogar. Certo dia, estava nas aulas ao meu lado e adormeceu. - Que estranho, - disse-me ele - parece que a sala de aula me transportou para um sítio desconhecido. Acho que estou a ficar maluco! De súbito, algo estranho aconteceu. A professora chamou o Miguel ao pé dela e, pelo pouco que percebi, estava a dizer que sabia o que se estava a passar com ele! Desviou o olhar para mim e fez uma cara de como quem diz “o que é que ela está para ali a dizer?” Fiz um sorriso maroto e continuei a trabalhar. Continuando, o sonho que o Miguel teve foi algo parecido com uma história em que os robôs estavam a comandar a terra! Absurdo, não é? Pois é, o que eu digo é que ele estava a ficar maluquinho… por jogos! Afinal, acho que sei do que é que a professora estava a falar, dos adolescentes de hoje em dia terem os mesmos problemas com os jogos! Um dia, decidi levar-lhe um livro que o meu pai tinha na arrecadação e disse-lhe para ele o ler à noite, em vez de ir para o computador. Era sobre animação e achei que ele ia gostar. Na manhã seguinte ele perguntou-me algo que me soou estranho. - Onde o compraste? - Encontrei-o na arrecadação. – nem foi preciso perguntar o que ele achou… fez o favor de mo dizer! - É giro! –disse-me ele. Não disse nada, aliás reparei que ele andava mais atento nas aulas. Acho que não é preciso dizer o porquê.

Raquel Ferreira, nº23 7ºF


Entre o sono e o sonho O mundo dos sonhos

Olá, eu sou a Tina, mas é só a minha alcunha. O meu nome é Cristina. Vocês sabem o que é o mundo dos sonhos? Não! É um mundo fantástico onde tudo acontece, os sonhos são sempre realizados, até mesmo os mais profundos e sem sentido. Antes só adormecia de madrugada, acordava sempre rabugenta e não sabia porquê. Mas, um dia, a minha mãe apanhou-me a jogar quando devia estar a dormir e tirou todos os aparelhos do meu quarto, e, muito desiludida tive que ir dormir. Nessa noite acordei com um barulho muito estranho. Era como se alguém estivesse a comer. O ruído vinha debaixo da minha cama. Olhei para lá e vi uma criatura estranha. Estendi a minha mão e disse para ela saltar para ela. Mas a estranha criatura não fez nada, então resolvi apanhá-la, e disse: -Tu és muito fofinha. -. Disse eu como se estivesse a falar com uma criança. - Não sou nenhuma criança, larga-me. - Respondeu a criatura -Tu falas? - Não, a sério! - Não é preciso seres mal-educado. Mas afinal que lugar é este? - Desculpa, onde estão as minhas maneiras! Eu sou o soninho e tu estás no mundo dos sonhos,onde tudo pode acontecer. Olhei para baixo e vi que estava a flutuar. Foi fantástico. De repente, ouvi um enorme estrondo. Era o meu despertador, tinha que acordar, mas prometi àquela criatura que iria voltar. Num piscar de olhos estava em casa. Senti-me mais forte, por ter dormido dez horas, e não estava rabugenta, estava feliz e alegre. Desde esse dia nunca mais fiquei na internet até tarde, e aprendi uma bela lição, tenho imensos amigos, principalmente o soninho, que é o meu melhor amigo. Bem tenho de ir dormir, para lá voltar. Adeus até breve. Yasmin Oliveira, Nº 26, 7ºF


Gonรงalo Silva e Eduardo Caldeira


Entre o sono e o sonho