Page 1

NÚMERO

47

novembro 2018

“Glórias de outros tempos”, Eduardo Salgado. 1º prémio concurso de fotografia


editorial

N

esta primeira edição do Jornalsemnome de 2018/2019 publicam-se os trabalhos vencedores do concurso de fotografia e vídeo subordinado ao título “Setúbal: Identidade e Cultura”. Em simultâneo, dão-se a conhecer os poemas mais reconhecidos no concurso de poesia também efetuado no ano letivo transato, o qual promoveu a criação de poesias a partir das imagens do concurso de fotografia. Damos também conta de algumas atividades dos alunos de Físico-Química. Por último, publicamos o historial das atividades do Clube de jogos Matemáticos, bem como dos campeonatos em que participou..

Colaboradores Ana Araújo Ana Margarida Machado Ana Gonçalves André Balsinha Carla Ramalho Catarina Costa Eduardo Salgado Inês Gonçalves Isabel Evangelhista João Oliveira Leonor Cunha Luís Gonçalves Madalena Salgado Mariana Cabica Maria José Miguel Miguel Boullosa Pedro Marrafa Pedro Oliveira Pedro Ribeiro

Equipa responsável

Ricardo Bispo

Alexandra Cabral Ana Paula Rosa Paula Barros

Rosa Duarte Sofia Duarte

Coordenação Alexandra Cabral

Logotipos André e Joana

jornalsemnome@gmail.com 2


A imagem e o poema

Concurso fotografia e vídeo Em 2017-2018 a Biblioteca da Escola promoveu um concurso de fotografia e vídeo sobre o tema Setúbal– Identidade e Cultura, o qual suscitou a curiosidade da comunidade escolar, tendo sido muito participado. Paralelamente, desenvolveu-se, no ensino secundário, o Concurso de Poesia , partindo de uma foto inspiradora,

“Etéreo” , Pedro Ribeiro. 1ª menção honrosa

“Ode Marítima”, Mariana Cabica.2ª menção honrosa

Sofia Duarte .Menção honrosa 3


A imagem e o poema

“Glórias de outros tempos”, Eduardo Salgado .1.º Prémio Ver o sol nascer Ou o mar a ondular Há quem tenha o sonho Há quem não possa faltar

Ficam famílias Inteiras em terra Que passam o tempo Com o interior em guerra

De manhã cedo Saem para trabalhar Só voltarão mais tarde Com um certo aroma a mar

É verdade Alguns não voltam Dedicam a vida ao mar E é neste que se esgotam

Vento ou chuva Passam as tempestades Mas ó, como ficam contentes Se o tempo lhes faz as vontades

Mas se tal acontece Ao menos não é em vão Pois dizem que ser pescador Só é possível quando há paixão.

Apanhar peixe É tudo o que pedem Para poderem sobreviver Com o dinheiro que dele recebem

Leonor Cunha, 3.ª Menção honrosa Com base em “Ver o sol nascer

O barco parte A despedida fica Um peso solta-se A ternura evapora-se Livre como uma gaivota Livre da gaiola Voa para longe Um voo sem volta “Chegada da faina na penumbra”, Inês Gonçalves

4

João Oliveira, 2.ª menção honrosa


A imagem e o poema

Ar Frígido seja o oxigénio que congela a fé (Não acredito em cubos a voar) Ilude-se agora o gelo da alma, Abafado em calor. O suor mortifica-te: Contraem-se os poros, Aperta-se a dor. Dói-me apenas sentir Ar… Ar quente no coração. Ricardo Bispo, 1ª menção honrosa “Etéreo” , Pedro Ribeiro. 1ª Menção Honrosa

“As luzes da noite”, Pedro Marrafa

O libertar da minha natureza Há sombras que assombram mas é a falta da tua que me sufoca. Tantos caminhos para percorrer mas os meus pés preferem agarrar este chão Onde aquilo que parece incansável se encolhe e transforma em luz. Absorvo a vida que esta atmosfera transpira e abafo as vozes que me querem calar. Nos tons quentes da noite despeço-me da covardia que me enterra E submeto-me ao azul frio que congela tal timidez. Jamais o intrépido das luzes me vai calar A noite é minha, é nossa, é de quem a agarrar É dos fracos que se libertam e dos que confiam nas sombras para se revelarem. Assinalo nestas linhas o libertar da minha natureza Não há-de ficar uma palavra por dizer mesmo que ainda haja sombras que assombram Porque é a falta da tua que me sufoca E é esta noite que to digo. Ana Margarida Machado , 1º prémio

5


A imagem e o poema

“A cidade e as suas origens”, Catarina Costa Casa dos avós Cortina tingida de cores belas, Auréola de flores desabrochadas, O tempo passado guardam consigo: Vós, senhores da história que eu sigo. Palete resguardada pelas cinzas Dos minutos que o relógio queimou, Trouxe sorrisos, lágrimas, saudades, O azul do céu como pano limpou. Unidos apenas com uma voz Os tempos juntam, novas flores rompem. De nós, histórias correntes nascem Na nossa casa, casa dos avós! André Balsinha, 3º Prémio

“A fé move marés”, Pedro Marrafa..3º prémio 6


A imagem e o poema

“ Nascer de um dia”, Madalena Salgado Expectativa

No calmo verde dos vales

Hoje, Sinto vontade. Vontade de crescer, Vontade de ser!

No calmo verde dos vales, Sob penumbra mergulhado, Descansa o tranquilo gado Que em cantos se afastam males.

Não é um querer, É um temor Que a esperança assombra, Como o medo da tempestade Quando o desejo se ilumina no horizonte.

Enquanto isolada casa, Por de ímpia natureza, Vive funesta fraqueza, Que atormenta e muito afasta. Se afasta mais cada humano, Foge do outro ou ao animal, Da verdade, pobre insano!

Sucesso, um lar, A prole petiz, Um sol sem sombras, Desejo moldado do receio de não ser feliz.

Mas Deus e bicho, em final, Em tudo ou nada profano, É nexal termo causal.

Hoje, neste instante, O presente escurece. Angústia do futuro sonhado, Ilusão ou desejo perdido Na intensa vontade de apenas Ser.

Luís Gonçalves

Ana Araújo , 2º Prémio

“Glórias de outros tempos”, Eduardo Salgado. 1º prémio 7


A imagem e o poema

Viva a Música! No âmbito da disciplina de Física e Química, os alunos das turmas C, D e E do 8º ano , do professor Pedro Oliveira, construíram vários instrumentos musicais utilizando, apenas, materiais reutilizados e recicláveis. Os trabalhos foram apresentados e defendidos recorrendo a aplicações informáticas e aos recursos digitais. Apesar das restrições, relativamente aos materiais utilizados para a sua construção, todos os instrumentos foram aprovados, alguns com grande distinção. Alguns dos trabalhos foram exibidos numa exposição promovida pela autarquia e também no dia aberto da escola, tendo sido alvo de grande interesse por parte dos visitantes.

Jogos matemáticos

Sessões de Jogos Matemáticos Ao longo do 2º período realizaram-se nas 6ª feiras, na sala 50, sessões de jogos matemáticos, onde os alunos aprenderam diferentes jogos e onde se realizou um campeonato para apurar os alunos participantes no campeonato concelhio e no campeonato nacional de jogos matemáticos.

Campeonato de Jogos Matemáticos do concelho de Setúbal No dia 13 de abril de 2018, os alunos da Escola Secundária de Bocage participaram no 11º Campeonato de Jogos Matemáticos do concelho de Setúbal, que se realizou na Escola Luísa Todi. O aluno Tiago Marques ficou no 3º lugar no jogo Rastros (3º ciclo); o aluno Gonçalo Carrega ficou no 3º lugar no jogo Avanço (3º ciclo); a aluna Ana Gonçalves ficou no 2º lugar no jogo Produto (secundário) e o aluno Robim Mestre ficou no 3º lugar no jogo Avanço (secundário).

Campeonato Nacional de Jogos Matemáticos No dia 16 de março de 2018, os alunos da nossa escola participaram no 14ª Campeonato Nacional de jogos Matemáticos, que se realizou em Torres Vedras, tendo o aluno Tiago Marques ficado em 10º lugar no campeonato onde participaram 2000 alunos.

8

Profile for alexandra cabral

Jsnome 47  

Jornal da Escola Secundária du Bocage

Jsnome 47  

Jornal da Escola Secundária du Bocage

Advertisement