a product message image
{' '} {' '}
Limited time offer
SAVE % on your upgrade

Page 1


Pรกgina |2

Contabilidade Bรกsica na Prรกtica

Contabilidade bรกsica na Prรกtica

Alessandra Nakamura


Página |3

Contabilidade Básica H

oje falaremos um pouco de contabilidade básica. Vamos mostrar: • Aonde é aplicada a contabilidade. • Para quem ela é mantida. • Qual é o objeto dela. • E as principais demonstrações contábeis.

Toda essa informação será útil para darmos início a nossa Contabilidade na Prática. A contabilidade é um instrumento que fornece informações úteis para tomada de decisões dentro e fora da empresa. Com o passar dos anos o governo se utilizou da contabilidade para arrecadar impostos e tornar obrigatório para todas as empresas.

Qual é o campo de atuação da contabilidade? • • • • • • •

Ela é aplicada no comércio: o Em lojas de roupas. o Lojas de sapatos o Restaurantes o Padarias o Qualquer um estabelecimento que seja de venda. Na indústria: o Fábrica de sapatos. o Fábrica de shampoo. o Em todas as fábricas. Setores públicos: o Prefeitura. Bancos. Hospitais e Clínicas particulares. As agropecuárias. E as corretoras de seguro

Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


Página |4

Para quem é mantida a contabilidade? A contabilidade é mantida para Pessoa Física, que somos todos nós, que possuímos CPF. E para pessoa jurídica (são todas as entidades que possuem um CNPJ). As empresas.

Qual é o objeto da contabilidade? O objeto da contabilidade nada mais é que, o patrimônio. Que é o conjunto de bens, direitos e obrigações. O que são os bens na contabilidade? Os bens são tudo aquilo que a entidade necessita para suprir todas as necessidades da empresa. Por exemplo: o imobilizado, que é um carro, uma moto, ou um maquinário, uma impressora. Temos também os intangíveis, que são as Licenças de software, um direito de franquia, que também é caracterizado como bem. Os direitos: São duplicatas a receber. Todos os clientes da empresa, tudo o que a empresa tem a receber dos clientes, é caracterizado como direitos. Ou até mesmo, adiantamento ao fornecedores. Que você faz o pagamento do produto, você paga o produto, mas você tem direito de receber o produto. Então também o adiantamento ao fornecedor, se caracteriza como um direito. As obrigações: Quando a gente fala de obrigação. Tudo que vem na nossa cabeça é: tudo que temos a pagar, os impostos a pagar, salários a pagar, os nossos fornecedores a pagar. Que são todos os fornecedores da empresa. Que a empresa compra os produtos, e ela tem a obrigação de pagar. Ou então até mesmo, os adiantamentos dos clientes. As vezes o cliente paga adiantado mas empresa tem a obrigação de entregar a mercadoria para o cliente. Isso também caracterizado como obrigação. O patrimônio líquido da empresa. São todos os bens mais os direitos, subtraído das obrigações. Vou falar também das demonstrações contábeis. Quais os períodos de apresentações contábeis? A lei das sociedades por ações, estabelece que, ao fim de cada período de 12 meses faz se com base na contabilidade a elaboração das demonstrações contábeis. Período chamado de exercício social. Sem a necessidade de coincidir com o exercício civil. Que é o período de 1/1 até 31/12. Vou explicar um exemplo para vocês entenderem por que não a necessidade de coincidir com o exercício civil. Por exemplo numa empresa que vai trocar de contador, a contabilidade está lá com o contador, de 1/1 ate 31/7. Ai depois de julho ela resolve... Não, a partir de 31 de agosto eu vou estar com outro contador. Então, o que é necessário o contador anterior fazer? Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


Página |5

Ele precisa de encerrar o balaço da empresa do período de 1/1 até 31/7. Então, é por isso que não é exigido coincidir com o exercício civil que é de 1/1 até 31/12. Porque o período do exercício dele vai ser encerrado no dia 31/7. Então as nossas principais demonstrações contábeis são: • •

• •

O balanço patrimonial. A demonstração do resultado de exercícios. o Que geralmente quem pedem são os bancos. Isso eles pedem conforme a necessidade. Geralmente tem empresa que passa o ano inteiro sem pedir o balanço. Más a cada final de exercício temos que ter todos os balanços encerrados. Demonstração dos lucros e prejuízos acumulados. Demonstração dos fluxos do caixa.

Então todos esses relatórios conforme a necessidade dos clientes, eles vão pedir pra nós.

Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


Página |6

Demonstrações Contábeis - Resumo

E

u vou mostrar para vocês um pouquinho de como é um Balancete, só para

vocês terem uma ideia de como é gerado no sistema. Um balancete tem toda parte do Ativo, Passivo, Patrimônio Líquido, Contas De Resultado. O Balanço Patrimonial nada mais é do que todas as contas do nosso Balancete Conciliadas de acordo com os relatórios financeiros da empresa. Então após termos todas as contas conciliadas partimos para o Encerramento do Balanço. Que tem o lucro evidenciado no Balanço. DRE (Demonstração do Resultado de Exercício). Geralmente os clientes pedem o Balanço, mas temos que mandar também a demonstração do resultado do exercício que faz parte de um relatório que complementa o Balanço Patrimonial. Os Custos, o Lucro Operacional Bruto. As Despesas Operacionais e o nosso Lucro Líquido do Exercício. O saldo da DRE tem que fechar com saldo do nosso Balanço. A demonstração dos Fluxos de Caixa.

Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


Página |7

Demonstrações Contábeis (parte 1)

E

u vou falar para vocês um pouquinho dos detalhes do nosso balancete.

Como é o balancete dentro do sistema, como funciona, como encerrarmos um balancete. Temos o Ativo Circulante, a conta Caixa e o nosso saldo. Banco conta movimento. O saldo atual do nosso banco que tem que estar fechado com o valor do extrato bancário; do contrário o balancete terá informações incorretas. As duplicatas a receber, o relatório que temos na parte fiscal e o relatório de contas a receber tem que estar fechado com o saldo da contabilidade. Adiantamentos a empregados, a primeira parcela do décimo terceiro salário. Os tributos a recuperar: ICMS a recuperar, o ICMS a recuperar sobre o ativo imobilizado, imposto de renda retido na fonte a recuperar, pis a recuperar e cofins a recuperar. Eles fazem parte do ativo. Os estoques e as mercadorias para revenda. Na verdade, na prática algumas empresas fazem controle de estoque, outras não. Todas as vezes em que formos encerrar um balanço no final do exercício, temos que pedir esse relatório de estoque para as empresas, para colocar as informações o mais precisas possível aqui no nosso balancete. Temos aqui o nosso imobilizado, temos as instalações comerciais, máquinas e equipamentos diversos, móveis e utensílios, computadores e acessórios e veículos. Todo esse imobilizado faz parte dos bens da entidade, os bens da empresa. Essa parte pessoal, das depreciações acumuladas para máquinas e equipamentos, instalações, temos aí dez por cento de porcentagem de depreciação sobre o valor do imobilizado e a depreciação dos veículos, temos vinte por cento. Gostaria de explicar para vocês, mais detalhado, demonstrando em planilhas, tudo certinho. Por exemplo uma depreciação do ano inteiro, no final do ano antes de fechar o balancete como eu demonstro na contabilidade.

Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


Página |8

Demonstrações Contábeis (parte 2)

D

epois disso o Passivo circulante, as obrigações financeiras, o empréstimo

bancário. Então como temos o empréstimo, temos os juros a apropriar do Banco As obrigações com fornecedores. Observamos que todas as contas do passivo têm natureza credora. As nossas obrigações tributárias e os impostos: o ISS a recolher, ICMS a recolher, Pis a recolher, Cofins a recolher, IRPJ a recolher e CSLL a recolher, são todos os impostos da empresa. O ICMS é sobre as notas fiscais de venda. O pis é sobre as vendas e a prestação de serviços. ISS a recolher, temos um saldo aqui de quatrocentos e oitenta reais, que é sobre as notas fiscais de serviço, porque a nossa empresa presta serviços. O IRPJ que é de apuração trimestral. No caso de uma empresa de Lucro Real, ela não tem o percentual de presunção. As obrigações sociais, são as obrigações com os empregados: os salários a pagar, (folha de pagamento), décimo terceiro salário a pagar. Obrigações com sócios, o prolabore a pagar. Obrigações com terceiros, serviços de terceiros a pagar, obrigações trabalhistas e previdenciárias, temos o INSS a recolher, que é sobre os salários e o pro labore, o FGTS sobre os salários e temos as outras obrigações, que são obrigações de todos os meses: os honorários a pagar, que são os honorários do escritório, aluguéis a pagar, energia elétrica e água e telefone e internet. Bom... no escritório a parte de provisão para décimo terceiro salário e encargos, provisão para férias, essa parte a gente não faz. É desnecessário.

Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


Página |9

Demonstrações Contábeis (parte 3)

E

stoque inicial, compra de mercadorias, ICMS sobre compras, Pis e Cofins sobre

compras, devolução de compras, ICMS sobre devoluções, Pis e cofins sobre devoluções de compras, ICMS sobre fretes, Pis e cofins sobre fretes, o estoque final e a baixa por vendas que é o CMV (custo das mercadorias vendidas). Temos a receita operacional bruta que são as vendas de mercadorias. Essa é a receita durante o exercício. As deduções que são os impostos incidentes sobre a receita que é o ISS, ICMS, Pis, Cofins. Outras deduções, temos as vendas canceladas, a apuração do CMV que é o custo das mercadorias vendidas, todos os custos dos serviços prestados que são os salários, férias, décimo terceiro salário, INSS, FGTS. As despesas operacionais que são as despesas com vendas: salários, férias... As despesas gerais que são os aluguéis, água, energia, telefone e as depreciações, os honorários e alguns materiais de consumo. Depois temos as provisões tributárias: provisão para imposto de renda e provisão para contribuição social sobre o lucro líquido. Depois de todas as contas do balancete conciliadas, todas as contas têm que estar fechadas com o relatório da empresa, com os valores dos saldos dos relatórios da empresa, por exemplo o saldo de INSS a pagar, de FGTS a pagar da empresa tem que estar fechando com a contabilidade. Então estão fechando todos os saldos de extrato bancário, encerramos então a contabilidade e geramos o balanço patrimonial.

Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


P á g i n a | 10

Demonstrações Contábeis (parte 4)

F

alaremos aqui da DRE. A Receita Operacional Bruta que é o Faturamento, a

Revenda de Mercadorias e mais a prestação de serviço. Temos a Dedução da Receita Bruta que são os Impostos Incidentes, ISS, ICMS, PIS, COFINS e Vendas Canceladas. Temos os Custos Operacionais, todos os custos deduzidos. E as Despesas Operacionais. As despesas Financeiras, lucro antes do imposto de renda e da contribuição social. Temos também a DFC e a DLPA, que são relatórios utilizados para geração de ECD é o SPED contábil que na verdade ele é um SPED que a gente entrega uma vez no ano lá no final do mês. O SPED entregue com data final 31/05 de todo ano.

Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


P á g i n a | 11

Livro Diário (Empresas Simples Nacional) O Livro Diário precisa ter o termo de abertura e encerramento com data inicial e final e é preciso emitir o número do livro. Os anexos que são exigidos no Diário: • Balanço; • DRE; • Notas Explicativas; • Plano de contas; Depois de enviado o Livro para o cliente e ele já te devolveu tudo assinado, agora são os procedimentos para registro na junta. O formulário para requerimento de registro de Livros Diários deve ser preenchido no site da Junta Comercial e, posteriormente enviado ao cliente para efetuar o pagamento. Após efetuado o pagamento é necessário o comprovante de pagamento junto ao requerimento para então ser protocolado na Junta Comercial.

Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


P á g i n a | 12

Regimes Tributários no Brasil Simples Nacional Unifica o recolhimento dos seguintes impostos: IRPJ, CSLL, Pis, Cofins, IPI, ICMS, ISS E CPP (Municipal, Estadual e Federal), com faturamento anual limite de 4,8 milhões. Lucro Presumido Empresas com faturamento anual de até 78 milhões: Empresas comércio e indústria: percentual de presunção 8% do faturamento para IRPJ e 12% para CSLL. Empresas que atuam com serviços: percentual de presunção de 32% para IRPJ e CSLL. Alíquota de pis 0,65% Alíquota de cofins 3%. Lucro Real Empresas com faturamento anual acima de 78 milhões. Sua base de cálculo é sobre o lucro líquido da empresa. IRPJ 15% CSLL 9% Pis 1,65% Cofins 7,6%.

Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


P á g i n a | 13

Questionário 1. Para quem a Contabilidade é mantida? a. Apenas para Pessoa Física; b. Apenas para o Fisco; c. Para Pessoas Físicas e Jurídicas; d. Apenas para Pessoa Jurídica; 2. Qual é o objeto da Contabilidade? a. O Imobilizado; b. O Balanço Patrimonial; c. O Patrimônio; d. O Lucro; 3. O Adiantamento a fornecedores é caracterizado como: a. Um bem; b. Uma obrigação; c. Um direito; d. Uma despesa; 4. Qual é o lançamento correto que representa a Integralização de capital? a. D: CAIXA OU BANCO C CAPITAL SUBSCRITO b. D: CAPITAL SUBSCRITO C: CAPITAL A INTEGRALIZAR c. D: CAIXA OU BANCO C: APLICAÇÃO FINANCEIRA d. D: MÓVEIS E UTENSÍLIOS C: CAIXA 5. O lançamento que demonstra a aquisição de mercadorias para revenda corretamente: a. DÉBITO: CAIXA/ CRÉDITO: MERCADORIAS PARA REVENDA b. DÉBITO: FORNEC. DE MERCADORIAS/ CRÉDITO: MERC. PARA REVENDA c. DÉBITO: VENDA DE MERCADORIAS/ CRÉDITO: FORNEC. DE MERCADORIAS d. DÉBITO: MERCADORIAS PARA REVENDA/ CRÉDITO: FORNECEDORES DE MERCADORIAS 6. Qual o lançamento correto que representa aplicação financeira? Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


P á g i n a | 14

a. DÉBITO: CAIXA/ CRÉDITO: APLICAÇÃO FINANCEIRA b. DÉBITO: APLICAÇÃO FINANCEIRA/ CRÉDITO: BANCO c. DÉBITO: MERCADORIAS PARA REVENDA/ CRÉDITO: APLICAÇÃO FINANCEIRA d. DÉBITO: APLICAÇÃO FINANCEIRA/ CRÉDITO: RENDIMENTO EM APLICAÇÃO FINANCEIRA 7. Quais as demonstrações contábeis mostradas no vídeo Demonstrações contábeis (parte1)? a. DRE, DRA, DMPL e DFC b. Balanço Patrimonial, DRA, DFC e DMPL c. Balanço Patrimonial, DRE, DFC e DLPA d. Balanço Patrimonial, DVA, DMPL e DFC 8. As obrigações com fornecedores é uma conta de natureza credora, portanto faz parte: a. Do ativo b. Do Patrimônio Líquido c. Do Passivo d. Contas de Resultado 9. O que significa ECD? a. Escrituração calculada Digital b. Escrituração Fiscal Digital c. Escrituração Contábil Digital d. Estrutura do Plano de Contas 10. Qual o percentual de depreciação para veículos, conforme Legislação? a. 15% b. 10% c. 20% d. 25% 11. Quais dos imobilizados citados no vídeo tem taxa de depreciação 10%? a. Computadores e Periféricos b. Edifícios c. Móveis e utensílios d. Veículos 12. Qual o principal erro de contabilização da depreciação no encerramento do balanço? a. Depreciar móveis e utensílios com taxa de 20% b. Depreciar computadores e periféricos com taxa de 10% c. Depreciar veículos com taxa de 20% d. Depreciar máquinas e equipamentos com taxa de 10% 13. Quais as Demonstrações Contábeis obrigatórias que compõem o Livro Diário? a. Balancete, DRE e Notas Explicativas Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


P á g i n a | 15

b. Balanço Patrimonial, DVA e Notas Explicativas c. DRE, Notas Explicativas e Plano de Contas d. Balanço Patrimonial, DRE e Notas Explicativas 14. Qual o número da folha de início do Livro Diário? a. Folha 01 b. Folha 02 c. Folha 03 d. Folha 04 15. Após terminar o processo de confecção do Livro Diário e colhidas as assinaturas dos titulares e contador, qual o próximo passo? a. Registrar na Receita Federal b. Registrar na Junta Comercial c. Registrar na Previdência Social d. Gerar o Sped Contábil 16. Qual o limite de faturamento anual para empresas do Simples Nacional? a. 3,6 Milhões b. 4,8 Milhões c. 72 Milhões d. 75 Milhões 17. Qual o percentual de Presunção para faturamento de empresas de indústria e comércio? a. 8% para IRPJ e 12% para CSLL b. 12% para IRPJ e 8% para CSLL c. 32% tanto para IRPJ quanto para CSLL d. 32% para IRPJ e 12% para CSLL 18. Qual o Regime tributário onde sua base de cálculo é o Lucro Líquido da empresa? a. Simples Nacional b. Lucro Presumido c. Lucro Real d. Lucro Arbitrado

Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura


P á g i n a | 16 Venha apreender contabilidade na prática. INSCREVA-SE em nosso canal de YOUTUBE: http://bit.ly/alkcontabil

Nossos Cursos: •

Curso Preparatório para o Exame de Suficiência do CFC 2020 o

http://bit.ly/exame_suficiencia_CFC_2020

Contabilidade Básica na prática 2020 o

http://bit.ly/contbasicanapratica2020

Curso Preparatório para o Exame de Suficiência do CFC o

Aproveite o Cupom Desconto - Valido até 15/04/2020 - Em até 6x de R$16,83 sem juros

o

Acesse em: http://bit.ly/cupom_desconto30dias ou escreva em “aplique o cupom”: CUPOM_DESCONTO30DIAS

✔ Seja parte da nossa comunidade no TELEGRAM: https://t.me/alkcontabil ✔ Segue o meu BLOG: https://alkcontabil.blogspot.com/ ✔ Me segue no INSTAGRAM: https://www.instagram.com/alkcontabil/ ✔ Meu Facebook: https://www.facebook.com/alkcontabil/ ✔ Meu twitter: https://twitter.com/AlkContabil Contato Comercial: alekacontabil@gmail.com

Contabilidade básica na Prática

Alessandra Nakamura

Profile for Alessandra Nakamura

Contabilidade Básica na Prática  

O livro tem como missão compartilhar de uma forma simples e objetiva um valioso conteúdo de Contabilidade na Prática.

Contabilidade Básica na Prática  

O livro tem como missão compartilhar de uma forma simples e objetiva um valioso conteúdo de Contabilidade na Prática.

Advertisement