Page 1

Coleção da historiadora Thereza Collor

arte


Adorno de pescoço, ga’u. Fim do séc. XIX e início do séc. XX. Prata, ouro e cobre . Essa caixa-amuleto tem forma de trevo, sua janela é emoldurada por figuras de dragões, arabescos e representações de divindades. Adornment of neck, ga’u. End of XIX century and beginning of the XX century . Silver, gold and copper This amulet-box has clover shape, its window is framed by figures of dragons, arabesques and deities representations.


Do deserto para a metrópole

From the desert to the metropolis

A cultura de uma determinada sociedade pode ser conhecida de diversas formas. Adornos corporais, por exemplo, trazem informações preciosas sobre um povo, país ou continente. Para explorar essa relevante manifestação cultural de diferentes partes do mundo, o SESI-SP realiza a exposição Joias do Deserto. A mostra apresenta cerca de duas mil peças – entre brincos, colares, braceletes, cintos, bolsas, vestes, tornozeleiras etc. – da joalheria tradicional de países africanos e asiáticos, produzidas nos últimos dois séculos. A exposição reúne parte do acervo particular da historiadora e colecionadora Thereza Collor, que começou a ser montado quando ela ainda tinha 14 anos de idade e fez uma viagem ao Irã. Os objetos revelam transformações estéticas e de costumes das diversas produções peculiares de distintos grupos étnicos de algumas regiões desérticas. O detalhe importante é que algumas dessas culturas estão em curso de desaparecimento por conta de novas configurações geopolíticas e dos efeitos da globalização. Uma das principais missões do SESI-SP é levar arte para a nossa população. Acreditamos que o desenvolvimento do Brasil só estará completo quando aliar o crescimento econômico ao amadurecimento cultural de nossa sociedade. Na condição de uma das mais importantes fomentadoras de ações culturais no país, a entidade vem oferecendo atrações de grande qualidade, capazes de atrair novos públicos e renovar o interesse das plateias mais tradicionais. Temos a convicção de que o futuro do Brasil depende de um trabalho efetivo na educação e na cultura, a fim de construir uma sociedade mais informada, independente e democrática.

The culture of a certain society may be known in various ways. Body ornaments, for example, provide valuable information about a people, country or continent. To explore this important cultural event in different parts of the world, SESISP performs the exhibit Jewels of the Desert. The exhibition presents about two thousand pieces - including earrings, necklaces, bracelets, belts, handbags, clothes, anklets etc. - of traditional jewelry from African and Asian countries, produced in the last two centuries. The exhibition brings together part of the private collection of historian and collector Thereza Collor, who began to collect it when she was just 14 years old and made a trip to Iran. The objects reveal aesthetic and customs transformations of the various productions peculiar of different ethnic groups from some desert regions. The important detail is that some of these civilizations are in the process of disappearing because of new geopolitical configurations and effects of globalization. One of the main missions of the SESI-SP is to bring art to our population. We believe that Brazil’s development will only be complete when combining economic growth to the culture maturing in our society. As one of the most important promoters of cultural actions in the country, the organization has been providing high quality attractions, capable of attracting new audiences and renewed interest from more traditional audiences. We are convinced that Brazil’s future depends on effective work in education and culture in order to build a more informed independent and democratic society.

Paulo Skaf

Presidente

President


Tibete


As duas mil peças de metal, fibras naturais, tecido, pedra, couro e conchas apresentadas na exposição Joias do Deserto evidenciam cem anos de produção artesanal — dos meados do século XIX ao XX — de grupos étnicos que vivem nas áreas desérticas do norte da África, Ásia Central, Índia, Tibete e Arábia e de tribos que se estabeleceram em locais remotos.

Adorno de cabeça Ildirgtch, final do séc. XIX e início do séc. XX, grupo étnico Tekke, região de Sünsule, Turcomenistão


Jewels of the Desert The two thousand pieces made of metal, natural fibers, fabric, stone, leather and shells presented in the exhibition Joias do Deserto reveal one hundred years of craft production – from the mid 19th to the 20th century - of ethnic groups living in desert areas of North Africa, Central Asia, India, Tibet and Arabia and tribes that have settled in remote locations.

Head ornament Ildirgtch, end of XIXth century and beginning of century XX, Tekke ethnic group, region Sünsule, Turkmenistan


A série de objetos expostos, que

The series of displayed objects

integra a coleção cuidadosamente formada

comprising the collection carefully made

por Thereza Collor ao longo de mais de três

by Thereza Collor for over three decades

décadas e complementada pela doação

and supplemented by the donation of

de Eugenia Halbreich, registra um mundo fascinante de peculiaridades e simbologias religiosas, sociais e políticas, muito distantes da nossa realidade brasileira. Por isso, a percepção de valor da nossa sociedade é diferente das culturas de

Eugenia Halbreich, register a fascinating world of peculiarities and religious, social and political symbols, very distant from the Brazilian reality. Therefore, the perceived value of our society is different from

origem, motivo de nossa responsabilidade

cultures of origin, which is the reason for

e de nosso respeito na apresentação

our responsibility and respect at exhibiting

desses objetos que preservam a memória

these objects that preserve the memory of

de outros povos.

other people.

Acessório de indumentária Cinto, séc. XIX, Iêmen

Apparel ornament Belt, XIXth century, Yemen


Apparel ornament Fibula, XIXth century

Acessório de indumentária Fíbula, séc. XIX

Especialmente para esta exposição no SESI-SP, estão reunidos raros objetos de adorno para o corpo, cujas características de estética, forma e função deixam claras as associações com a diversidade sociocultural e a inter-relação entre povos de etnias ancestrais. O passado distante dos Impérios Bizantino (século IV ao XV) e Otomano (século XV ao XX), além dos colonialismos francês e britânico (séculos XIX e XX), deixou um legado de costumes e influências que são percebidos na cultura material. Adorno de braço Fim do séc. XIX e início do séc. XX, grupos étnicos Tekke e Yomud, Turcomenistão

Especially for this exhibition at SESI-SP, there are collected rare objects of personal adornment, whose characteristics of aesthetics, shape and function evidence the associations with social-cultural diversity and inter-relationship among people of ancestry ethnics. The distant past of the Byzantine (from the 4th to the 15th century) and Ottoman (from the 15th to the 20th century) Empires, in addition to the French and British colonialism (19th and 20th centuries) left a legacy of common practices and influences that are realized in the material culture. Arm ornament End of century XIX and beginning of century XX, Tekke and Yomud ethnic groups, Turkmenistan


Adorno peitoral Fim do séc. XIX e início do séc. XX, Tibete

Chest ornament End of XIXth century and beginning of XXth century, Tibet

Apparel accessory XIXth century, Yemen

Uma variedade de funções

Acessório de indumentária Séc. XIX, Iêmen

o uso de diversos pares de braceletes

de proteção atesta a tese de que as

pelas noivas na cerimônia de casamento

joias não eram apenas adornos com

com a finalidade de proteção e de

a função original de acessório para

representação das condições sociais

o embelezamento do corpo, mas,

da família. As joias mais antigas

fundamentalmente, testemunhos

guardam os segredos de usos originais

de sólidos conjuntos de valores e do

tradicionais de determinado grupo

cotidiano de uma vida inteira e, em

étnico. Porém, ao longo dos tempos, com

alguns casos, de muitas vidas. Grande

as transformações radicais das regiões

parte das joias apresentadas, algumas

e dos materiais utilizados, a função

com desgaste de uso, confirma status,

inicial de informação identitária foi

hierarquias e dotes e são marcas de

sendo substituída por um sentido mais

costumes locais, como, por exemplo,

decorativo e formal.


Adorno de tornozelo Séc. XIX, Líbia

Leg ornament XIXth century, Libya

Various protection functions confirm the hypothesis that the jewelries were not only adornments to be used originally as an accessory for the decoration of the body, however, they were mainly testimonies of the solid set of values and the everyday of an entire life and, in some cases, many lives. Most of the displayed jewelries, some of them with wear and tear, grant status, hierarchies and endowments and are evidence of local common practices, for example, the use of several pairs of bracelets by brides in their wedding ceremonies in order to protect and represent the social status of

Apparel accessory XIXth century, Nador, Morocco

their families. The oldest jewelries keep the secrets of traditional original uses of a given ethnic group. However, over time, with the radical transformations of the regions and the materials used, the original function of identity information was being replaced by a more of a decorative and formal meaning.

Acessório de indumentária Séc. XIX, Nador, Marrocos


Arm ornament XIXth century, Libya

Neck ornament Hanging talisman box XIXth century, ethnic group Tuareg Adorno de braço Séc. XIX, Líbia

Nesta exposição, o olhar a essas culturas por meio do registro de imagens locais e do recolhimento dessa coleção de joias etnográficas é, portanto, o mote principal para uma reflexão sobre a preservação da memória. Memória de lugares, povos e culturas que estão se transformando rapidamente, não havendo mais tempo a perder para a construção do futuro. Os distintos grupos étnicos a que pertencem os artesãos das “joias do deserto” são, em sua maioria, povos nômades que transitam de um oásis a outro em busca de melhores condições. Há um grande fluxo migratório e minorias significativas entre os grupos berberes, árabes, afro-árabes, sírios, egípcios, persas, balúchis, turcomenos, judeus, africanos, bengalis, paquistaneses, indianos, tibetanos, afegãos, uzbeques, quirguizes e cazaques.

In this exhibition, the look at these cultures by means of local images records and the gathering of these ethnographic jewelry collections is, therefore, the main motto for a reflection on the preservation of memory. Memory of places, people and cultures which are quickly changing, with no time to lose in the construction of the future. The different ethnic groups to which the artisans of the “joias do deserto” belong are mostly nomadic people who move from one oasis to another searching for better conditions. There is a large significant flow of migration and minorities among the groups: Berbers, Arabs, African-Arabs, Syrians, Egyptians, Persians, Baluchs, Turkmens, Jews, Africans, Bengalis, Pakistanis, Indians, Tibetans, Afghans, Uzbeks, Kyrgyz and Kazakhs.


Neck ornament Khamsa, XIXth century, Morocco

Adorno de pescoço Caixa-amuleto pendente Séc. XIX, grupo étnico Tuaregue

Adorno de pescoço Caixa-amuleto pendente Séc. XIX, grupo étnico Tuaregue

Mesmo com características adversas à sobrevivência, milhões de pessoas vivem em áreas desérticas. Dentre os grupos dominantes — de prevalência nômade — destacam-se os tuaregues, de origem berbere, espalhados por toda a extensão saariana. O provérbio tuaregue “as casas são os túmulos dos vivos” indica que, tradicionalmente, para esse grupo, as fronteiras não tinham qualquer significado. Desse modo, é possível perceber, por meio das peças, a diversidade e a complexidade das culturas dessas regiões, para as quais a religião tem uma importância profunda, como é o caso, por exemplo, no Oriente Médio, de grupos minoritários religiosos coexistindo com as várias formas do islã, apesar da sucessão de conflitos políticos.

Neck ornament Hanging talisman box XIXth century, ethnic group Tuareg

Even with adverse characteristics to survival, millions of people live in desert areas. Among the dominant groups – mainly nomadic people – the Tuaregs, of Berber origin, stand out and are spread across the Sahara. The Tuareg proverb “the houses are the tombs of the living” indicates that, traditionally, the borders were meaningless for this group. Thus, one may see through the parts, the diversity and complexity of the cultures of these regions, for which religion has a strong importance, as is the case, for example, of the Middle East, i.e. minority religious groups coexisting with various forms of Islam, despite the series of political conflicts.

Adorno de pescoço, Khamsa, séc. XIX, Marrocos


Adorno de tornozelo Séc. XIX, Rajastão

As peculiaridades estéticas de materiais e técnicas de cada região e de cada tribo estão preservadas nesses objetos por serem joias produzidas em pequenas vilas, zonas rurais e regiões urbanas que, até as primeiras décadas do século XX, ainda não tinham sucumbido às profundas transformações pelas quais passam esses países na era da globalização, com as novas configurações econômicas e geopolíticas. Quanto mais joias adornavam seus corpos, mais desejadas eram as mulheres. As joias representavam proteção contra o mal, reserva financeira, ativo patrimonial e investimento seguro. Com esse potencial de representação, de moeda de troca, símbolo de status e proteção, pode-se compreender por que até nas áreas rurais,

Ankle ornament XIXth century, Rajasthan

a despeito das condições precárias e ferramentas rudimentares, a atividade da joalheria artesanal era tão importante e de excelente manufatura. A movimentação dos povos nômades e dos artesãos que produziam peças em oficinas de pequenas vilas foi disseminando técnicas e estilos decorativos, o que justifica algumas similaridades entre elas. Os mesmos formatos e elementos ornamentais são compartilhados por povos vizinhos e, até mesmo, mais distantes, apesar da grande variedade técnica.


Adorno de tornozelo Todo ou kala, sĂŠc. XIX, RajastĂŁo

Ankle ornament Todo or kala, XIXth century, Rajasthan

The aesthetic peculiarities of materials and techniques of each region and each tribe are preserved in these objects for they are jewelries produced in small towns, rural and urban areas that, until the first decades of the 20th century, had not yet being subject to the deep transformations which these countries experienced in the era of globalization, with the new economic and geopolitical backgrounds. The more jewelries adorned women’s bodies, the more these women were desired. Jewelries accounted for protection against evil, as a financial reserve, assets and safe investment. With this representation potential of currency exchange, a symbol of status and protection, one can understand why even in rural areas, despite the poor conditions and rudimentary tools, the activity of handmade jewelry was so important and of excellent manufacturing. The movement of nomadic peoples and artisans producing parts in small town workshops spread techniques and decorative styles, which explains some similarities among them. The same shapes and decorative elements are shared by neighboring peoples, and even, those more distant, despite the great technical variety.


Apparel accessory Belt, end of the XIXth century and beginning of century XX, Tibet

Acessório de indumentária Cinto, final do séc. XIX e início do séc. XX, Tibete

Adorno peitoral Caixa-amuleto, séc. XIX, Tibete

Apresentar e interpretar esse conjunto de objetos de adorno da coleção de Thereza Collor é abordar também as condições sociais e religiosas, os costumes, as crenças e superstições, além, claro, da qualidade artesanal expressa nos preciosos detalhes de gravação no metal com baixo e altorelevo, da utilização do esmalte e da filigrana (levada pelos judeus que chegaram ao Iêmen e ao norte da África) e das formas e dos desenhos de significados simbólicos. Alguns objetos com poder curativo evocam a

aromaterapia, outros têm a função de proteger do mau-olhado (denominado aym). Alguns remetem também aos símbolos da religião muçulmana, que proíbe as representações de criaturas vivas nos desenhos dos ornamentos, estimulando, assim, as formas geométricas ou abstratas.

Adorno de braço Amelush, séc. XIX, grupo étnico Kabilia (Kaba’il), região da Grande Kabilia, Argélia


Chest ornament Talisman box, XIXth century, Tibet

To display and interpret this set of decorative objects from the collection of Thereza Collor means also addressing the social and religious status, common practices, beliefs and superstitions and, of course, the craftsmanship expressed in precious details of bas-relief or embossed metal engraving, the use of enamel and filigree (taken by the Jews who arrived in Yemen and North Africa) and the shapes and drawings of symbolic meanings. Some objects with healing power evoke aromatherapy; others have the function of protecting against the evil-eye (called aym). Some also refer to the symbols of Islam, which forbids the representation of living creatures in the ornament drawings, thus stimulating the geometrical or abstract shapes.

Head ornament XIXth century, Tibet

Arm ornament Amelush, XIXth century, ethnic group Kabilia (Kaba'il), Argelia

Adorno de cabeça SÊc. XIX, Tibete


Adorno de pescoço Início do séc. XX, Vale do Swat, Paquistão

Acessório de indumentária Cinto, séc. XIX, Marrocos

Acredita-se que o brilho da prata espante o mau-olhado, e a preferência por esse metal é também explicada por motivos religiosos do mundo islâmico, que não recomendava o uso e ostentação do ouro em público. A prata tinha uma força mágica e de purificação. No entanto, a partir do século XIX, com a diminuição das fontes locais do metal e da prata vinda da China e da Grã-Bretanha, algumas joias recebiam banho de ouro, além do aproveitamento e da reciclagem de peças herdadas com defeito e moedas derretidas. Em meados do século XX, com o enriquecimento econômico do petróleo no mundo árabe, mais a influência de culturas estrangeiras, a prata foi sendo substituída pelo ouro em manufatura de joias industrializadas. Apesar de toda essa riqueza cultural, regiões onde surgiram as primeiras civilizações e religiões – alguns dos países africanos e asiáticos que originaram esse acervo – têm baixo índice de desenvolvimento humano (IDH) e alta taxa de analfabetismo atualmente. Com a deterioração dessas culturas ancestrais, parte importante do patrimônio mundial se perderia não fossem a literatura, a arte e a cultura material. Coleções como esta são, portanto, tesouros preciosos.

Neck ornament Beginning of century XX, Swat Valley, Pakistan

It is believed that the brightness of the silver scares the evil-eye, and the preference for this metal is also explained by religious reasons of the Islamic world, which did not recommend the use and ostentation of gold in public. Silver had a magic and purification power. However, from the 19th century, with the decline of local sources of Chinese and British metal and silver, some jewelries received gold plating, in addition to the recovery and recycling of defective inherited parts and melted coins. In mid-20th century, with the economic enrichment of oil in the Arab world, in addition to the influence of foreign cultures, the silver was being replaced by gold in the manufacture of industrial jewelries. Despite all this cultural richness, the regions where the first civilizations and religions were originated - some of the African and Asian countries that originated this collection – currently have low human development index (HDI) and high illiteracy rate. With the deterioration of these ancient cultures, an important part of the world heritage would be lost but for literature, art and material culture. Therefore, collections like these are precious treasures. Apparel accessory Belt, XIXth century, Morocco


SESI - Serviço Social da Indústria - Departamento Regional de São Paulo

FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo

SESI – Social Service for Industry - Regional Department of São Paulo

FIESP – Federation of Industries in the State of São Paulo

Presidente President Paulo Skaf Conselheiros Councillors Elias Miguel Haddad Fernando Greiber Luis Eulalio de Bueno Vidigal Filho Vandermir Francesconi Júnior Nelson Abbud João Nelson Antunes Nilton Torres de Bastos Sylvio Alves de Barros Filho Massimo Andrea Giavina-Bianchi Nelson Luis de Carvalho Freire José Roberto de Melo Ronaldo Bianchi Sérgio Tiezzi Júnior Emílio Alves Ferreira Júnior

Presidente President Paulo Skaf Comcultura – Comitê de Ação Cultural da FIESP Comcultura – FIESP Cultural Action Committee Diretor Titular Director Fernando Greiber Diretores Adjuntos Associate Directors André Sturm José Eduardo Mendes Camargo Mário Eugênio Frugiuele

Superintendente Operacional Operations Superintendent Walter Vicioni Gonçalves Superintendente de Integração Superintendent Integration José Felício Castellano Diretor de Operações Director of Operations Cesar Callegari Diretor da Divisão de Desenvolvimento Cultural Director of Division of Cultural Development Celio Jorge Deffendi

Centro Cultural FIESP – Ruth Cardoso - Galeria de Arte do SESI-SP

Exposição Joias do Deserto

FIESP Cultural Center – Ruth Cardoso - SESI Art Gallery – São Paulo

Jewels of the Desert Exhibition

Gerente de Operações Operation Manager Débora Viana Supervisora Supervisor Alexandra Salomão Miamoto Produtora Cultural Cultural Producer Sueli Nabeshima Encarregado Técnico Tecnical Supervisor Márcio Madi Agentes de Atividades Socioculturais Agent of Sociocultural Activities Elder Baungartner Roberto André Eletricista Electrician Augusto Vicente Costa Monitoria Monitors Leandro Senna Cardoso Gomes e Aline Harume Ueda (estagiários) (interns) Divulgação Disclosure Deivid Gomes de Souza Leni Arietti Tamiris Bronzato (estagiária) (intern) Apoio à Produção Gráfica Support Graphic Production Juliana Cezário Marco Antonio de Lima Valquiria Palma Núcleo de Comunicação Communication Center Danusa Etcheverria Rodrigo Marinheiro Rosângela Gallardo Apoio de Atendimento Support Service Karina Silva

Curadora da Coleção Collection Curatorship Thereza Collor de Mello Halbreich Curadora Convidada para a Exposição Invited Curator to Exhibition Ana Cristina Barreto de Carvalho Coordenação de Conteúdo Coordination of Content Maria José Birraque Revisão de Textos Text Review Gabriela Saraiva Malheiros Projeto Expográfico Expographic Project Haron Cohen Colaboração no Projeto Expográfico Collaboration on Expographic Project Francisco Jordan e Raphael Takano (estagiário) (intern) Fotografia Photography Hugo Curti Thereza Collor de Mello Halbreich Museologia Museology Anna Luiza Sarti Denyse L. A. P. da Motta Nalú Maria de Medeiros Rafael Celidônio Renata Mendes da Rocha Mariana Giurno Comunicação Visual Visual Communication Juliana Cezário Marco Antonio de Lima Valquiria Palma (estagiária) (intern) Cenotecnia e Montagem Scenographic Technology and Montage Pigari Cenografia Iluminação Illumination Augusto Vicente Costa

Embalagem/ Transporte Packaging/Transportation Millenium Transportes Seguros Insurance Affinité Consultoria e Corretagem de Seguros Arte-Educação Art Educators Carina da Silva Lima Cíntia Mota Leite Larissa Vicente S. C. Nogueira Ligia Falci Mauro Ávila Rizo Murillo Peretti Lopes Edição de Conteúdo Text Edition Armazém de Ideias Edison Rodrigues Filho Taís Tanira Rodrigues Telma Iara Mazzocato Criação e Diagramação Creation and Desktop Publishing Phábrica de Produções Alecsander Cavalcanti Coelho Lenoath M. Lemes Marcelo Macedo Paulo Ciola Tradução Text Translation Solução Supernova Consultoria Assessoria de Imprensa Press Officer SESI-SP e Sofia Carvalhosa Comunicação Produção Executiva Executive Production arte3/conceito Textos Texts Ana Cristina Barreto de Carvalho


13 de março a 10 de junho de 2012

Centro Cultural FIESP - Ruth Cardoso

March 13th to June 10th, 2012

FIESP Cultural Center - Ruth Cardoso

Segunda-feira | 11h às 20h Monday | 11am to 8pm

Terça a sábado | 10h às 20h Tuesday to Saturday | 10am to 8pm

Domingo | 10h às 19h Sunday | 10am to 7pm L

Livre para todos os públicos Free to all audiences

www.sesisp.org.br/cultura @sesisp_cultural

Galeria de Arte do SESI-SP SESI Art Gallery - São Paulo

Av. Paulista, 1.313, São Paulo/SP Tel. 11 3146-7405 / 3146-7406


Joias do Deserto  

Material feito para exposição no SESI da coleção de joias da historiadora Thereza Collor

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you