Issuu on Google+

AVEPSALGADAS@GMAIL.COM Nº2 ABRIL 2012

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRAS SALGADAS

EDITORIAL Todos os dias, milhares de crianças e jovens, em todo o País, deslocam-se de sua casa para se encontrarem num local chamado escola. Se estivermos atentos a este fenómeno, verificamos que é um ritual diário que condiciona toda a vida familiar, quer seja dos pais quer seja dos filhos ou mesmo dos avós. Mas, cada vez mais, devemos ter uma atenção redobrada para esta realidade que implica gastos e esgota uma porção muito significativa dos nossos orçamentos, o do estado e o das famílias. É preciso ter a consciência de que estes gastos terão de ser um investimento seguro na qualidade do ensino e da formação de todos os nossos alunos. Hoje, ao pensarmos na Escola, não podemos esquecer a realidade socioeconómica do nosso País. Debatemo-nos com sérios problemas que urgem ser ultrapassados com rigor, competência, inteligência e um esforço coletivo dignos dos grandes momentos da nossa História. Neste contexto de inquietude e de serenidade ao mesmo tempo, pede -se a todos o seu melhor e a necessidade de procurar olhar para a escola, para as suas iniciativas, para os seus desafios com a exata noção de saber se estamos ou não à altura das nossas responsabilidades individuais e coletivas. É, cada vez mais necessário, que as escolas saibam gerir com rigor o seu orçamento e todos os recursos materiais e humanos. É importante e obrigatório que os alunos

sejam vistos como o centro da realidade de todo o processo educativo. É importante, também, que assumam com responsabilidade os deveres inerentes à sua condição de estudantes. Que estejam à altura dos desafios atuais e se preparem para um futuro incerto mas que vale a pena acreditar. Estou plenamente convencido de que esta tem sido a realidade vivida no nosso Agrupamento, por isso, quero felicitar todas as pessoas que têm estado envolvidas e verdadeiramente empenhadas na construção de uma escola de sucesso, de todos e para todos. Aos pais e encarregados de educação, aos professores, aos alunos, aos assistentes técnicos e operacionais, a todos os conselheiros do Conselho Geral, a todas as entidades locais e nacionais que têm dado, de uma forma ou de outra, o seu nobre contributo para o bom nome do nosso Agrupamento, o meu sentido bem-haja. Convicto de que o nosso Agrupamento continuará a ser uma escola de sucesso que educa nos e para os valores desejo, a todos os elementos da nossa comunidade educativa, as maiores felicidades e faço votos de que possam atingir os maiores sucessos pessoais e profissionais. Aproveito para elogiar a qualidade deste pequeno grande jornal e manifestar a minha enorme alegria pelo facto dos nossos alunos já contarem com o Pavilhão Gimnodesportivo para a prática da educação física. Com votos de maiores sucessos para todos.

ATIVIDADES— –2

PASSATEMPOS——11

SOU CRIATIVO—– 13

A MINHA TERRA—15

CURIOSIDADES—- 16

UTILIDADES——–-24

O Diretor 1


ATIVIDADES Os idosos

Vimos que não devemos tratá-los com violência psicológica, física ou verbal…

No dia 26 de janeiro de 2012, fomos ao auditório ver um trabalho do 9ºA que falava da violência sobre os idosos.

No final deram-nos um papelinho com a frase: “Não

Vimos que os idosos são pessoas como nós, que têm muita experiência de vida e merecem o nosso respeito, carinho e merecem serem tratados com dignidade. Os alunos apresentaram um filme e alguns trabalhos de grupo em power point depois de terem visitado o lar de idosos.

Xadrez

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRAS SALGADAS

Desporto Escolar No 2º período letivo, realizaram-se os 3 Encontros Distritais do Desporto Escolar sempre com vitórias, quer individualmente quer coletivamente, do Agrupamento de Pedras Salgadas que participou com 24 alunos no 1º encontro e 28 nos 2 seguintes. Joel Alves foi o vencedor absoluto em Chaves (Nadir Afonso) e Santa Marta de Penaguião e Hugo Fernandes triunfou nas Pedras Salgadas em igualdade pontual com o mesmo Joel Alves. Por escalões, excetuando os sub 18 e por vezes os sub 16, vencemos sempre por intermédio de: Bruno Dias (sub 8), Ana Rita Santos (sub 10), Hugo Fernandes (sub 12) e Joel Alves (sub 14) na Nadir Afonso – Chaves, a 14 Janeiro 2012; Gabriel Jesus (sub 8), Tânia Yé (sub 10), Hugo Fernandes (sub 12) e Joel Alves (sub 14) nas Pedras Salgadas, a 11 Fevereiro 2012; Gabriel Jesus (sub 8), Tânia Yé (sub 10), Lara Pereira (sub 12), Joel Alves (sub 14) e João Paulo Sousa (sub 16) em Santa Marta Penaguião, a 17 Março 2012. Desporto Federado Os campeonatos distritais de jovens realizaram-se nos dias 20 e 22 de Fevereiro nas Pedras Salgadas tendo o Agrupamento obtido 6 títulos de campeão distrital através dos seguintes alunos: Gabriel Jesus (absoluto sub 8), Tânia Yé (absoluto e feminino em sub 10), Hugo Fernandes (absoluto sub 12), Bruna Gomes (feminino sub 12) e Joel Alves (absoluto sub 14). A 2ª edição do Open Xeque-Mate decorreu na tarde do dia 21 de Janeiro de 2012, em Guimarães, coincidindo com a inauguração de "Guimarães Capital Europeia da Cultura 2012" com Joel Alves a ser 6º absoluto, Tânia Yé 13º, Bruna Gomes 16º e Henrique Gomes 20º.

os abandones...não desistas deles...um dia serás tu!”. Gostamos muito. Bruna Pires, 2ºB

Joel Alves disputou de 25 a 29 de Março 2012, em Torres Vedras, o Campeonato Nacional de Jovens, com uma boa prestação. Torneio da Páscoa Na última semana de aulas realizou-se na escola o Torneio da Páscoa dividido por anos letivos e destinado somente aos nossos alunos. Participaram 162 jogadores, com os vencedores masculinos e femininos a serem os seguintes: 1º ano: Alexandre Silva; Tatiana Lourenço e Lara Monteiro. 2º ano: Gabriel Jesus e Fabiana Fernandes. 3º ano: Diogo Lopes e Maria Inês Pereira. 4º ano: Rafael Silva e Tiago Pinto; Ana Rita Santos. 5º/6º ano: David Fernandes e Bruna Gomes. 7º/8º/9º ano: Henrique Gomes e Mariana Carvalho. Xadrez para a comunidade A escola proporciona a toda a comunidade a possibilidade de praticarem xadrez sem qualquer custo financeiro. Às segundas, terças e sextas-feiras, entre as 17:15 e as 18:30 horas no Salão Nobre da Junta de Freguesia, há um professor da escola disponível para ensinar a modalidade a todos os interessados. Paulo Pedroso

2


PNL O nosso Agrupamento irá participar, tal como em anos anteriores, no Concurso Nacional de Leitura 2011/2012. Assim, numa primeira fase, os docentes de língua portuguesa da nossa escola desenvolveram, ao longo do primeiro período, um leque variado de atividades educativas enquadradas no Plano Nacional de Leitura e do P.A.A. do Departamento de Línguas. No dia 11 de janeiro, ficou concluída esta primeira

fase com a realização da eliminatória escolar que aconteceu no auditório da nossa escola. Os alunos do terceiro ciclo responderam a um questionário escrito relacionado com a obra «Os da minha rua» de Ondjaki que tiveram oportunidade de ler durante as férias escolares do Natal. Por fim, foi pedido aos alunos que efetuassem uma breve apresentação oral de um episódio marcante da referida obra. Ficaram, deste modo, selecionados os três alunos que irão representar a nossa escola na fase distrital. Felicitamos a Inês Patrícia Diegas Borges (8º B), Alexandrina Campos Martins (9ºA) e Jorge Abraão Gonçalves do Espírito Santo (9ºC) pela excelente prestação nesta eliminatória e ficam aqui os nossos desejos de boa sorte para a próxima etapa que acontecerá a 2 de maio em Murça! Os docentes de Língua Portuguesa

S. Valentim O dia de Valentim na nossa escola Todas as turmas de segundo, terceiro ciclo e algumas do primeiro, prepararam antecipadamente trabalhos para o dia de S. Valentim. Foram elaboradas rosas metálicas com mensagens alusivas a este dia, escritos em português, em francês e inglês. Também decoramos os espaços da nossa escola com abecedários gigantes e poemas escritos por nós. Todos aderiram com muito entusiasmo. Pelo resultado desta iniciativa resto-nos lembrar, uma vez mais, que a união e o esforço dão grandes resultados. Parabéns a todos os que participaram e que o amor e a amizade, neste dia, e em muitos outros esteja presente em todos os corações! 7ºA

Fotos de João Martins, 9ºA

3


Semana da Leitura e da Poesia

Aguiar

dinamização

da atividade já referida - de expressão plástica

Decorreu de 5 a 9 de

– Padrão e Textura

março a Semana da Lei-

Sobre a História do

tura e da Poesia na nossa

Elmer e Jardim de

escola. Desenvolveu-se um conjunto de atividades que muito agradou a toda a comunidade escolar. Estas atividades tiveram a participação ativa de todos os ciclos de ensino. A abertura da semana fez-se com a exposição de trabalhos elaborados pelos nossos alunos, no átrio da escola. Diariamente, pela manhã foi divulgada a poesia do dia pelas salas de aula, pela tarde, leituras de

Pedras Salgadas, com a dramatização da história O Coelhinho que queria ser rei. Na quinta-feira durante a manhã contamos com a presença das técnicas da Biblioteca Municipal que dramatizaram a história Pedir Por Favor de Kate Tym, para alunos do Pré-escolar, Unidade de Educação Especial e 1º Ciclo. Dada a elevada participação de todos os envolvidos, podemos concluir que a Semana da Leitura e da Poesia foi um êxito. A Equipa da BE/CRE

notícias solidárias recolhidas pelos alunos do 3º ciclo e partilhadas nas salas de aula; durante a hora de almoço foram exibidos, na biblioteca, filmes variados da série Uma Aventura e foi desenvolvida a atividade de expressão plástica – Padrão e Textura Sobre a História do Elmer, previamente lida. Para além destas atividades diárias tivemos a participação de todos os Jardins de Infância: Vila de Conde, na terça-feira com a criação e apresentação da Pequena História do Livro, em filme, usando a nova ferramenta - Prezi da web 2.0; Sabroso de

Fotos de João Martins, 9ºA

4


Semana da poesia

No que respeita ao 1º ciclo, os alunos elaboraram poesias, com as quais se construiu uma árvore de

No que concerne à poesia, a mesma foi mais uma vez dinamizada pelas turmas do quarto ano em parceria com a biblioteca e, nesse âmbito, foi construída na entrada do agrupamento uma instalação, a qual chamava a atenção

poesias. Todos os dias foi apresentado o poema do dia e após exploração oral foram realizados diversos trabalhos relacionados com o mesmo (pesquisas, bibliografia de autor, rimas, poesias, significados, sinonímia, desenhos…). Foi uma semana muito profícua pois mais uma vez se viu que a poesia é um veículo privilegiado, que possibilita de uma forma lúdica a aquisição ou consolidação de competências por parte dos “nossos” alunos.

para o poema do dia e para a semana que estava a decorrer. Em simultâneo eram colocados diariamente

Os docentes do 4ºano

nos expositores das salas do 2º e 3º ciclos os poemas a trabalhar em cada dia: O Poema de Sophia de Mello Breyner Andresen; Poema do Coração de António Gedeão; Mudam-se os tempos mudam-se as vontades de Luís de Camões; Pedra Filosofal de António Gedeão e As pedras de Mª Alberta Menéres.

Semana da Leitura

Faça lá uma poema!

No dia 9 de março, no âmbito da semana

Decorreu entre janeiro e março o concurso a

da leitura e tendo em

nível nacional “Faça lá um poema”. Foram sele-

vista a articulação

cionados os poemas “Amor” de Lénia Fernan-

entre ciclos, o J.I. de

des do 9ºC; “Novo membro da família” de Inês

Pedras

Salgadas,

apresentou a dramatização da história O Coelhinho que queria ser Rei, que teve como objetivo, lembrar a

Martins do 6ºA e “Se eu fosse rico…” de Dilan do 3ºA. Poemas que podes ler na rubrica deste jornal– Sou criativo. As docentes de Língua Portuguesa.

importância da amizade para um crescimento feliz. Que importa ter muitos brinquedos, se não há amigos para brincar!... Educadora do JI de Pedras Salgadas

5


IDA AO TEATRO De uma for-

No dia 28 de fevereiro de 2012, alguns alunos do 5º ano e todas as turmas do 7º e 8º anos foram assistir a uma peça de teatro intitulado “Querida Matemática” a Vila Real. Por volta das 10h e 30m deu-se início à apresentação desta peça da autoria de Nuno Miguel Henriques, no Hotel Miracorgo. Esta peça encenada por dois atores de teatro retratava as diversas situações em que nos

ma divertida e simples

o autor e os

atores deste espetáculo conseguiram cativar o público coma sua boadisposição e profissionalismo. Esta visita permitiu concluir que com originalidade, até os temas didáticos podem ser divertidos e cativadores para todos os alunos. Luana Félix, 7ºA

confrontamos com a Matemática no nosso quotidiano.

trabalhos realizados, na sala de aula pelos alunos

Comemoração do dia da árvore e do dia da água

do segundo ciclo, foram elaboradas mensagens e poemas sobre a importância da floresta. Foi também selecionado o melhor desenho ( Andreia, 5ºB) que foi transformado em autocolante e distribuído

Para comemorar estes dias o Depar-

por toda a comunidade escolar distribuído Os oitavos anos trabalharam temas relacio-

tamento de Ciên-

nados com o mesmo tema e elaboraram e expuse-

cias Sociais e

ram cartazes relativos a este tema, um papelão,

Humanas irá expor

para reciclagem, e uma teia com mensagens sobre

cartazes elabora-

a importância da árvore.

dos pelos alunos na disciplina de Geografia.

Os docentes de Ciências

Serão vendidas plantas ornamentais de exterior e interior. O lucro resultante dessa venda reverterá a favor dos alunos mais carenciados do nosso Agrupamento. Fátima Lucas, docente de Geografia O Departamento de Matemática e Ciências Experimentais decorou o átrio com diversos

6


INTERNET

No passado dia 6 de fevereiro comemorou-se o DIA DA INTERNET SEGURA, de forma a alertar mais uma vez os utilizadores da Internet a estarem atentos às regras básicas de segurança. A Internet é um recurso poderoso para a nossa geração, ajuda nos trabalhos de casa, permite a comunicação à distância, a partilha de informações, trocar e exprimir ideias e opiniões sobre diversos temas de interesse, abrindo novos horizontes de conhecimento oferecendo oportunidades que não existiam há alguns anos atrás. Navegar na Net deve ser visto como estar numa praça pública, isto é necessitamos de observar, saber as regras, manter comportamentos adequados e ter a consciências que nada na vida é 100% seguro. Estar na Internet implica uma exposição a benefícios e riscos, compete aos pais e educadores estarem atentos e alertarem os jovens para uma utilização segura das tecnologias on-line com vista a proteger as crianças e os jovens de possíveis perigos. A Internet é uma fonte inesgotável de informação mas… Para mais informações consulte o site: www.seguranet.pt

CORREIO DA MANHÃ, Domingo, 05.02.2012 7


rios, até edifícios vanguardistas a imaginação ARCOS ÀS esteve patente. Foi, então realizada uma exposição VOLTAS! de trabalhos bastante criativa. Parabéns aos Na aula de EV, os alunos envolvidos. de nono ano, após terem feito uma investigação Patrícia Vagaroso, que resultou num trabadocente de E.V. lho teórico sobre os arcos, sua construção e aplicação, apresentaram propostas gráficas de possíveis aplicações dos mesmos. Como resultado de todo este processo, eis que nasceram maquetes tridimensionais nas quais cada aluno aplicou todos os conhecimentos adquiridos anteriormente. Depois de terem deitado mãos à obra, o resultado está à vista , desde pontes, coroas, colunas, vestuários, castelos, armá-

Canguru Matemático! No dia 21 de março realizou-se o Campeonato Internacional do Canguru Matemático na nossa escola. Participaram neste concurso 78 alunos dos primeiro, segundo e terceiro ciclos.

Depois de um almoço

Visita de Estudo No dia 21 de março, os alunos do nono ano participaram nos “Encontros de Bastidores”, atividade que se realizou no teatro da

divertido no Parque da Cidade, dirigiram-se ao Planetário, onde assistiram à sessão “Visão do Cosmos” Aldora Alves; Anabela Gomes; Ana Rita Soudo e Edite Carneiro

Vilarinha, no Porto.

“Descobrin do Autores” Foram elaboradas as seguintes atividades: uma apresentação representativa da obra Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente como motivação dos alunos do oitavo ano para o estudo da peça no próximo ano letivo, levada a cabo pelos alunos do nono ano e coordenados pela professora Edite

Carneiro. Os alunos do sexto ano expuseram trabalhos alusivos aos autores Jorge Amado e Óscar Wilde. Os alunos do sétimo ano expuseram ilustrações dos capítulos da obra “Quarto com Vista para o Paraíso” de Daniel Marques Ferreira. Os alunos dos oitavos e nonos anos elaboraram e expuseram trabalhos de diferentes tipologias. Os docentes de Língua Portuguesa

Coordenadora do PAM

CAÇA AO OVO! No dia 22 de março realizou-se , como todos os anos, a atividade Caça ao Ovo, atividade dinamizada pelo Departamento de Línguas. Os alunos percorreram a escola orientados por um mapa com objetivo de descobrir onde se encontravam escondidos os ovos e resolver os questionários propostos pelos docentes de Francês, Inglês e Português. Foram apurados os vencedores. Em primeiro lugar ficou o 5ºB, em segundo o 6ºB e em terceiro o 7ºA. Parabéns a todos. O Departamento de Línguas

8


O Sacramento da Quaresma… Ciência na Escola! Quaresma é tempo de calma E de olhar mais para dentro, Para o mistério do centro A que nós chamamos alma Não queiras ser um cristão Só de jejuns e abstinências, Que a melhor das penitências É mudar o coração Páscoa renascimento, é o recomeço...Jesus ressurgiu para nos provar que o amor incondicional existe, assim como a vida eterna. Santa Páscoa a todos! Na disciplina de EMRC foram elaboradas e distribuídas pagelas

A Escola foi contemplada com dois prémios da Fundação Ilídio Pinho/ Espírito Santo. Os projetos intitulam-se “Granito e a Nossa Terra– uma relação intrínseca” e “O Sabor é importante” nos segundos e terceiros escalões respetivamente. No último projeto teremos como parceria a UNICER e será concretizado pelos alunos do terceiro ciclo.

ao segundo e terceiros ciclos, relativas a esta época do

Ana Rita Soudo, a Coordenadora dos Projetos

ano. A docente de Moral também ofereceu, aos alunos do primeiro ciclo, um colar com uma cruz. A docente de EMRC

tos.

Semana das Expressões Na

última

semana

do 2º

período decorreu no

espaço

de

recreio da nossa escola a Semana das Expressões. Este foi o nome atribuído pelo grupo de Educação Visual e Tecnológica (imaginem só, os professores Rui Duarte e Orlando Gonçalves!) a um ateliê de pintura dirigido aos alunos do 1º ciclo do Ensino Básico, e orientado pelos do 2º ciclo. Esta iniciativa visou essencialmente proporcionar momentos de criatividade e expressão artística aos participantes,

O

resultado

foi

aquele que se pôde observar, e que de certa forma já se esperava, ou seja, muito interesse, entusiasmo e, claro, a animação e satisfação que são habitualmente característicos deste tipo de actividades plásticas. Parabéns aos alunos, aos professores, assistentes operacionais e, claro está, àquele que escreveu este artigo, um sujeito que dá pelo nome de Rui Duarte… o do cabelo compridos. O grupo de Educação Visual e Tecnológica

tendo igualmente promovido um convívio interessante e frutuoso entre alunos de dois níveis de ensino distin-

9


PASSATEMPOS

Um recém-nascido na família Os pais de André, Beatriz, Carlota, Daniel e Elsa tiveram um bebé. Que nome escolherão para o seu último filho? Guilherme, Vicente, Francisco ou Xavier?

Uma história de laços

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRAS SALGADAS

Três banqueiros, os senhores Vermelho, Castanho e Verde almoçam juntos. Os três trazem laços de cor. Um traz um laço vermelho, outro um laço castanho e o último um laço verde. De súbito, o homem que tem um laço verde exclama: -Já viram que cada um de nós traz um laço da mesma cor dos nossos nomes mas nenhum traz um laço da cor do seu nome? -Que curioso!- exclama o Sr. Vermelho. Qual é a cor do laço de cada banqueiro?

ADVINHA

FÓSFORO

O que é que pode dar a volta ao mundo ficando sempre num canto?

Como fazer uma cruz com único fósforo sem o partir?

Os ovos misteriosos Um velho aldeão come um ovo todos os dias ao pequeno-almoço. No entanto, não tem galinhas. Nunca compra ovos, nunca pede ovos aos vizinhos, nunca rouba ovos e nunca recebe ovos de presente. Como é que ele consegue comer um ovo por dia?

10


SETES

7

Obtém 100 com sete algarismos 7 utilizando apenas os sinais matemáticos simples (x, +, -, /) 7 7 7 7 7 7

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRAS SALGADAS

Cálculo mental Encontra um número de cinco algarismos seguindo as pistas: o primeiro algarismo é o mesmo que o último algarismo; 

O primeiro algarismo é menos dois que o segundo algarismo;

O primeiro algarismo é menos quatro que o terceiro algarismo;

O quarto algarismo é um quarto do terceiro algarismo.

O total do primeiro e do último algarismos é igual ao terceiro algarismo.

Estrela do mar

Lavas as mãos Antes de te sentares à mesa

Uma estrela do mar fixouse no casco de um barco a 2 metros acima do nível do mar. O mar sobe 1 metro por hora.

Quanto tempo demorará a água a tocar na estrela do mar?

Todas as noites, um pai repete à filha: “Lava as mãos antes de te sentares à mesa”. Para a incentivar, o pai propõe-lhe o seguinte: “Receberás, como mesada, um salário de 6 euros/ hora para lavares as mãos antes do jantar.” A menina demora um minuto a lavar as mãos. Quanto dinheiro receberá por mês?

11


SOU CRIATIVO

A poesia é o céu de um poeta, é o refúgio de um fugitivo, é a casa de um sem-abrigo. Luís Filipe 9º C Amor

Tempestade

Paixão adormecida, Sem vontade de amar … Isso é mau para a nossa vida, Faz-nos a cabeça baixar!

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRAS SALGADAS

A paixão de criança É a mais bonita de se ver. Simplicidade no olhar, Faz o ódio desaparecer. Ao contrário do que se pensa, Ainda há muita paixão! Não apenas por rapazes, Mas por quem está no nosso coração.

Tempo sem igual Em que o coração treme e Manda-me Para outro mundo! Em que tudo é diferente: existem dúvidas Sem precedentes, Tudo fica escuro.

Amor é delicadeza, Amor é união, Amor para mim é isto, Que eu escrevo com a minha mão!

Alguém aparece e

Amor não é apenas Um capricho de criança, Amor está em tudo, Até numa simples dança.

É iluminado e tudo fica calmo novamente.

Amor é tudo aquilo Que simplesmente nos faz sorrir. Aquilo que nos ilumina, Aquilo que gostamos de sentir! Lénia Miriam Vieira Fernandes, 9ºc, nº10

De repente, o meu mundo Alexandrina Campos Martins

9.ºA

N.º1

Amor

Alguém consegue definir o amor? Quem souber faça-me um favor: Não se esqueçam de me dizer!

O Carnaval É tão bom o Carnaval Porque ninguém leva a mal! Fazemos brincadeiras e partidas. As pessoas ficam muito divertidas. Há desfiles e bailaricos. Atiram-se serpentinas a pobres e ricos. Mascaramo-nos do que queremos. Todos nos rimos do que fazemos! Jéssica Maria Ferreira da Silva

Procurei num dicionário E encontrei várias definições: Uma dizia que era sofrer, Outra dizia que era ser feliz. Afinal no que ficamos? Eu, agora que estou para aqui a pensar, Acho que já sei! Acho que é sofrer no início, Parecer feliz no futuro. Nina Machado 9º C

12


O amor é carinho para dar É um sentimento que pode crescer O amor tem alegria no ar Que te pode vencer Amor é um sentimento ardente Que te faz parar Começas por ficar quente Até perceberes que te estas a apaixonar A vida não dura para sempre Encontra o amor da tua vida Se fores crente Aparece na partida Um anjo descobriu Uma luz brilhante Ele assim viu Que essa luz era fascinante Seria real tal beleza Que ele assim avistava Era da pureza Da pessoa que ele amava

Se eu fosse navegador… Se eu fosse navegador teria uma grande caravela à qual daria o nome de Santa Maria. A minha tripulação seria constituída por marinheiros muito experientes. Para me orientar nos longos oceanos, eu usaria a minha bússola dourada e o meu grande quadrante. Eu e os meus destemidos marinheiros partiríamos à aventura, enfrentando ventos e marés, procurando novas terras, novas gentes, aprendendo novos costumes, diferentes tradições, etc. E quem sabe, descobrir riquezas nunca antes sonhadas. Se eu fosse navegador seria muito feliz, minha caravela, cruzando os mares, sabendo que todos os dias seriam dias de aventura. 4ºA

Marisa Frade, 9ºc, nº15

Novo membro da família Estava eu no meu quarto Quando a minha mãe apareceu Estava muito contente O que será que aconteceu? Disse que era uma boa notícia Fiquei um pouco curiosa Ia ter uma nova irmã Que se ia chamar Rosa. Fiquei um pouco pasmada Como poderia ser uma boa notícia Não iria ter tempo para mim Nem que um dia fosse polícia. Passados bastantes meses A queridinha dos meus pais nasceu E logo que a vi O meu coração com força bateu. Na verdade era bonita E os ciúmes depressa passaram Mas a verdade é que os meus pais Nem os parabéns me cantaram. Nem sempre tudo corre bem Nem sempre é como nós queremos Mas temos que aprender a lidar

Se eu fosse rico… Queria poder ser rico, Ou talvez milionário. Poderia comprar o mar, E fazer um oceanário. Compraria muitos brinquedos, E livros com histórias de encantar. Oferecê-los-ia aos meninos, Que nada têm para brincar. Compraria alimentos, E casas para morar. Dá-los-ia aos sem-abrigo, Para poderem ter um lar. Mas para já não sou rico, Sou apenas criança. Mas quero poder olhar, O futuro com confiança. Dilan – 3ºA Nº 5

Com os problemas para crescermos.

Inês Martins 6ºA

13


A MINHA TERRA grafias de construções que, nos rodeiam feitas em granito. Também desenhamos fontes, casas dizendo onde se situavam, quem as fez, como eram, ou seja, as suas características. Tarefas propostas pelos nossos professores. O projeto está a ser desenvolvido pelos alunos, com muito empenho e colaboração. Esperamos por outra

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRAS SALGADAS

visita de estudo, onde vamos fazer reflorestações e Este ano uma dos projetos desenvolvidos pelas turmas

onde possamos conhecer ainda mais sobre o granito.

do quarto ano chama-se “Granito e a Nossa terra”.

Eu acho que este projeto é muito interessante, pois

No começo do projeto fizemos uma visita de estudo à como o granito é a rocha predominante na nossa Transgranitos em Telões, onde vimos vários tipos de região, também ficamos a saber mais sobre a nossa granito, trabalhos realizados em granito, curiosidades terra!!! sobre esta rocha e muitas coisas mais. 4ºAno

No nosso projeto, os alunos trouxeram algumas foto-

Agora, nós e as outras turmas, temos estado a fazer Este período, as turmas do quarto ano estão a trabalhar o projeto: “O Granito e a Nossa Terra”. Foi por isso, que no dia nove de fevereiro fizemos uma visita de estudo à empresa Transgranitos. Lá, fomos muito bem recebidos e pudemos ver como era trabalhado o granito. Vimos como ele chegava em grandes blocos, como era serrado em grandes placas, como era cortado, amaciado e polido… Ficámos impressionados com o tamanho das máquinas. Elas faziam tanto barulho que nos deram tampões para colocar nos ouvidos! Vimos também que os trabalhadores usavam computadores para dizer às máquinas como haviam de fazer. Foi uma visita onde aprendemos muito!

trabalhos para uma grande exposição a realizar no dia vinte de março: recolhemos fotografias da presença do granito na nossa aldeia, fizemos entrevistas a pessoas da nossa terra, realizamos experiências, recolhemos rochas, desenhamos… enfim, temos andado ocupadíssimos. Agora, no dia 21 de março vamos visitar uma pedreira e ajudar a colocar árvores numa zona onde já não vão tirar mais pedra, de modo a que volte a ficar bonita. Vamos igualmente ouvir a GNR a falar da floresta e a mostrar-nos o seu equipamento. Também vão lá estar uns senhores da universidade que irão soltar uma aves. 4ºAno

Houve outras turmas que tiveram mais sorte, pois foi lá a televisão para os filmar.

14


CURIOSIDADES

À grande e à francesa

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRAS SALGADAS

Significado:

Viver

com

luxo

e

ostentação.

Origem: Relativa aos modos luxuosos do general Jean Andoche Junot, auxiliar de Napoleão que chegou a Portugal na primeira invasão francesa, e dos seus acompanhantes, que se passeavam vestidos de gala pela capital.

Coisas do arco-da-velha Significado: Coisas inacreditáveis, absurdas, espantosas, inverosímeis. Origem: A expressão tem origem no Antigo Testamento; arco-da-velha é o arco-íris, ou arco-celeste, e foi o sinal do pacto que Deus fez com Noé: "Estando o arco nas nuvens, Eu ao vê-lo recordar-me-ei da aliança eterna concluída entre Deus e todos os seres vivos de toda a espécie que há na terra." (Génesis 9:16) Arco-da-velha é uma simplificação de Arco da Lei Velha, uma referência à Lei Divina.

Queimar as pestanas Significado:

Estudar

muito.

Origem: Usa-se ainda esta expressão, apesar de o facto real que a originou já não ser de uso. Foi, inicialmente, uma frase ligada aos estudantes, querendo significar aqueles que estudavam muito. Antes do aparecimento da eletricidade, recorria-se a uma lamparina ou uma vela para iluminação. A luz era fraca e, por isso, era necessário colocá-las muito perto do texto quando se pretendia ler o que podia dar azo a " queimar as pestanas".

Há também diversas histórias populares que defendem outra origem da expressão, como a da existência de uma velha no arco-íris, sendo a curvatura do arco a curvatura das costas provocada pela velhice, ou devido a uma das propriedades mágicas do arco-íris - beber a água num lugar e enviá-la para outro, pelo que velha poderá ter vindo do italiano bere (beber).

15


“Carnaval na rua: Páscoa em casa. “ Se durante o Carnaval estiver bom tempo, diz o ditado que a Páscoa será fria e chuvosa.

«Natal à lareira: Páscoa na soalheira. “ Se nesta época festiva passaste o teu Natal bem aconchegado devido ao frio a tua Páscoa será bem mais agradável.

DEFICIÊNCIAS

'Mudo' é aquele que não consegue

Mário Quintana

falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.

'Deficiente' é aquele que não consegue modificar a sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas

'Paralítico' é quem não consegue andar na direção

ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de

daqueles que precisam da sua ajuda.

que é dono do seu destino.

'Diabético' é quem não consegue ser doce. 'Anão' é quem não sabe deixar o amor crescer.

'Louco' é quem não procura ser feliz com o que possui.

E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:

'Cego' é aquele que não vê o seu próximo morrer de

“ A amizade é um amor que nunca

morre.”

frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para os seus míseros problemas e pequenas dores.

'Surdo' é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir os seus tostões no fim do mês.

16


A deficiência Considera-se a deficiência toda a pessoa incapaz de assegurar, por si mesma, total ou parcialmente, as necessidades de uma vida individual ou social, por causa de uma insuficiência, congénita ou adquirida, das suas capacidades físicas ou mentais. Porque são pessoas especiais, têm também direitos especiais, previstos nas leis, para compensar as insuficiências já referidas: por exemplo, têm locais próprios de estacionamento, têm casas de banho adaptadas, acessos próprios nas ruas e edifícios, benefícios nos impostos, dispondo ainda de condições especiais as empresas que lhes derem emprego. Além destes e de outros direitos previstos na lei, os deficientes têm o direito de ser respeitados pela sua

dignidade humana, bem como a participar nas atividades sociais e recreativas, na medida das suas possibilidades. Devemos todos ajudar e apoiar os deficientes, desenvolvendo uma pedagogia que sensibilize a sociedade para a integração plena das pessoas. Os deficientes dão-nos o grande exemplo de força e coragem ao procurarem vencer as adversidades que resultam dos problemas que os afetam. A deficiência não deve ser um entrave mas sim algo que torne as pessoas mais fortes e lutadoras; não deve abater mas sim encorajar e motivar, assim permitindo a todos saber quanto a vida é boa e como é bom aproveitá-la. Acima de tudo, devemos considerar o deficiente como alguém extremamente igual a nós. 4ºAno

Semana das Deficiências 19 a 23 de março de 2012 A ESCOLA desempenha um papel fundamental na INCLUSÃO e é fundamental para a construção de uma SOCIEDADE INCLUSIVA. É aqui que começa a igualdade de oportunidades

A Escola Inclusiva reconhece que todas as crianças podem aprender, reconhece e respeita as suas diferenças, permite que as estruturas, sistemas e metodologias de ensino atendam à diversidade e é um processo dinâmico que está em evolução constante. Tomando como referência as datas comemorativas que evocam as problemáticas da Trissomia 21 e Autismo, o Departamento de Educação Especial levou a cabo a Semana das Deficiências de 19 a 23 de Março de 2012, com uma exposição de trabalhos no átrio da entrada da escola, realizados pelos alunos do Agrupamento, tomando como referência o conceito de Escola Inclusiva numa perspetiva de Escola para Todos. Anabela e Elisa, Educação Especial

17


Trava línguas em francês

Testa os teus conhecimentos "Avoir un coup de foudre", c'est : mourir tomber amoureux immédiatement Rester sous la pluie

Sage chasseur âgé aux yeux chassieux, sachez chasser sans chien chose aisée, ce chat chauve caché

"Tomber dans les pommes", c'est : adorer les pommes s'évanouir dormir

Un gradé dragon dégrade un dragon gradé.

"Poser un lapin", c'est : donner un rendez-vous et ne pas venir aller au restaurant mettre un lapin au four

Trois très gros, gras, grands gris grattent.

Conheces… OBÉLIX (obelisque)

.

Obélix, est l'inséparable ami d'Astérix. Livreur de menhir de son état, grand amateur de sangliers, Obélix est toujours prêt à tout abandonner pour suivre Astérix dans une nouvelle a v e n t u r e . Avec Astérix, il est le personnage central des aventures d'Astérix;. Tombé dans un chaudron rempli de potion magique quand il était petit, la potion magique a un effet permanent sur lui. Il est donc, à son grand regret, privé de potion magique. Il est très susceptible quant à son embonpoint, et toute personne apprend rapidement à ses dépens qu'il n'est pas « gros » mais simplement « enveloppé ».

Créé le 29 octobre 1959. Astérix, le héros de ces aventures. Petit guerrier à l'esprit malin, à l'intelligence vive, toutes les missions périlleuses lui sont confiées sans hésitation. Astérix tire sa force surhumaine de la potion magique du druide Panoramix...

PANORAMIX

(idée fixe)

ASTÉRIX (astérisque)

IDÉFIX (panoramique)

Panoramix, le druide vénérable du village, cueille le gui et prépare des potions magiques. Sa plus grande réussite est la potion qui donne une force surhumaine au consommateur. Mais Panoramix a d'autres recettes en réserve...En tant que détenteur de la recette de la potion magique, Panoramix est souvent la cible des romains. Cependant avec Astérix il trouve toujours les bonnes idées pour déjouer les plans des romains et ramener la paix dans le petit village. Sa grande sagesse ne l'empêche cependant pas d'avoir beaucoup d'humour et d'aimer les bons jeux de mots.

Chien d'Obélix qui l'a dressé à rapporter les menhirs. C'est aussi le seul chien écologique connu, qui hurle de désespoir quand on abat un arbre. Idéfix apparait pour la première fois dans Le Tour de Gaule publié en 1965 : lors du passage d'Atérix et Obélix à Lutèce, il se joint à eux et deviendra par la suite le chien inséparable d'Obélix. Il ne semble pas beaucoup apprécier les histoires d'amour et préfère aller mordre les fesses des légionnaires romains lors des bagarres.

18


Pagan traditions give us the English word "Easter"

British Life & Culture

which comes from the word "Eostre". The Anglo-

EASTER IN THE UNITED KINGDOM

Saxon word for April was "Eostre-monath" (the month of openings). However, it should be remembered that Christians celebrated the resurrection of Christ long before the word "Easter" was used, and

W hat is Easter?

the word they used for the celebration was Easter is the time for holidays, festivals and a time for giving chocolate Easter eggs. But Easter means much more.... Easter is the oldest and the most important Christian Festival, the celebration of the death and coming to life again of Jesus Christ. For Christians, the dawn of Easter Sunday with its message of new life is the high point of the Christian year.

"Pascha", which is derived from and linked to the Jewish festival of Passover. According to Bede, the English monastic historian, the English word Easter comes from the AngloSaxon name for the month of April, which was known as "Eostremonath" in the Anglo-Saxon tongue and since Pascha was most often celebrated in Eostremonath, the English Christians began calling it "Easter". Bede also notes

W hat is the Easter stor y? Easter is the story of Jesus' last days in Jerusalem before his death. The Easter story includes Maundy Thursday (the Last supper leading to the Eucharist), Good Friday (the day on which Jesus was crucified) and Easter Day (the day on which

that the month was named after the Anglo-Saxon goddess Esostre. Rituals related to the goddess Eostre focus on new beginnings, symbolized by the Easter egg, and fertility, which is symbolized by the hare (or Easter bunny). An old rhyme was often sung by children awaiting

Jesus came back to life). It is a sad story because Jesus was killed. But the story has a very happy ending, because Jesus came back to life and visited his friends and followers once more. He did not die at all, but went back up to Heaven to be with God, his father.

their sugary treat: "Hot cross buns, hot cross buns, one a penny, two a penny, hot cross buns. If you do not like them, give them to your sons,

W here name from?

does

Easter

the come

one a penny, two a penny, hot cross buns." Anabela Gomes, docente de InglĂŞs 19


St. Valentine`s day

Saint Valentin Dire "Je t'aime" aux quatre coins du monde La Saint Valentin est la fête des amoureux du monde entier, car l'amour n'a pas de frontières ! En Italie, on vend des petits pains appelés " Baci perugini " qui représentent une tradition amoureuse. En Angleterre, les amoureux s’échangent des cœurs symboliques en carton contre des fleurs. Les coutumes et les façons de dire je t’aime varient selon les pays. En France, nous disons " je t’aime ". Sais-tu comment cela se dit ailleurs sur Terre ? En Angleterre : I love you

Dans les pays arabes : Ana behabik

En Allemagne : Ich liebe diche

En Grèce : S'agapo

Au pays basque : Nere Maitea En Bretagne : karout a ran ac'hanout

En Chine : Wo ai ni

Dans les Iles créoles : En ka emé ou

Au Danemark : Jeg elsker dig

En Italie : Ti amo

En Espagne : Te quiero

20


W ha t f oods a re tra diti on a lly ea ten a t E a ster ti me? G o o d Fri d ay H o t C ro s s B uns a re t r ad it io na lly s erv ed o n G o o d F ri d ay .

A Ho t Cro ss Bun is r ic h, sp iced t ea cake.

H o t C ro s s B uns E a s t er Da y E a s t er da y, lik e C hr is t ma s da y, is a ls o a s s ocia t ed w it h s p ec ia l f o o d. Bo i l ed eg gs a r e t r a dit io na l l y s er v ed at b r ea kf a s t . R oa s t la mb , w hi c h is t h e ma i n d is h a t J ewis h P a s s o v er , is t h e t r a dit i o na l mea t f or t h e ma i n mea l o n E a s t er Da y. S i mn el ca k e is b a k ed f or t ea .

EASTER S i mne l c a ke T he S i mn el ca k e is a f r u it ca ke w it h a f la t

la y er of ma r zip a n ( s u ga r a l mo nd p a s t e) o n t op a nd d ec or at ed w it h 1 1 ma r zip a n b a lls r ep r es ent i n g t h e 1 2 a p os t l es mi n u s J u da s , w ho b et r a y ed C hr is t . O r ig i na ll y t h e s i mn el ca k e wa s a gif t t o mot h er s o n M ot h er i n g S u nda y i n M id L ent . E as t er B is c ui t s E a s t er Bis cu it s a r e s o met i mes ca l l e d "C a k es ", a n d a r e ea t en on E a s t er S u nda y. T hey c o nt a i n s p ic es , cu r r a nt s a nd s o met i mes gr a t ed l emo n r in d.

.

EASTER I KNOW the Summer fell asleep Long weary months ago; Heaped high above her grave I saw The heavy winter snow; Say, sparrow, then, what word you bring; Is it her requiem you sing? The meadow lark is mute, the wren Forgets his late abode, No throstle answering fluteth near, Yet never prelude flowed From ivied bosk or verdant slope More brimming with delight and hope! I, listening, seem to see the blooms That were whilom so dear, And voices loved and silent long I, listening, seem to hear; And longings in my breast confer, And sweet, prophetic pulses stir. "Thou lonely one," they seem to say, "Lost Summer shall return; Wreathed in her shadowy tresses shall The roses blissful burn; Wan lilies at her feet shall lie, And wind-flowers on her bosom sigh. "Here, from this rough and lowly bed, The little celandine Shall lift her sunny glances to The balmy eglantine; And flags shall flaunt by yonder lake, And fair Narcissus there awake." I know the Summer fell asleep Long weary months ago; But ah! all is not lost, poor heart, That's laid beneath the snow; There wait, grown cold to care and strife, Things costliest, dying into life: All changes, but Life ceases not With the suspended breath; There is no bourne to Being, and No permanence in Death; Time flows to an eternal sea, Space widens to Infinity! Author unknown

21


1º. Para homenagear o Deus Saturno, havia uma fes-

ta na Roma Antiga chamada “Saturnais”. As escolas ficavam fechadas, os escravos eram soltos e as pessoas saíam às ruas para dançar. Carros (chamados de “carrum navalis” por serem semelhantes aos navios) levavam homens e mulheres nus em desfile. Muitos dizem que pode ter sido daí a expressão “carnavale”.

3º. De lá para cá, o Carnaval foi mudando aos poucos de cara. Na Idade Média, incluía sátiras aos poderosos. Os foliões protegiam-se de possíveis retaliações com a desculpa de que a festa os deixava loucos (“folia”, em francês, significa loucura).

2º. A Igreja Católica opunha-se a estes festejos pagãos, mas, em 590, decidiu reconhecê-los. Exigiu, porém, que o dia seguinte (Quarta-Feira de Cinzas) fosse dedicado à expiação dos pecados e ao arrependimento.

...o teu coração bate 100 000 vezes por dia e consome 1 Joule por batida!!!

...muitas das estrelas que vemos no nosso céu são estre- ...o ambiente de bares e discotecas possui 50 vezes las que já morreram!!! Estão a tantos mil milhões de anos-luz de distância da Terra que, quando a sua luz chega até nós, já se extinguiram!

mais partículas nocivas que a atmosfera urbana em horas de ponta. O docente João Silva

...o sol é 330 000 vezes maior que a Terra!!! …os cabelos ficam mais longos quando o ar está mais húmido e mais curtos quando está tempo seco!!!

...o dia terrestre não tem 24 h, tem 23 h 56 min e 4,0996s!!!

Mousse de chocolate química Ingredientes: 200ml de chá (qualquer chá) 1 tablete de chocolate; Gelo (qb) Misturas o chá quente com o chocolate até formar uma solução. Colocar o preparado numa taça em banho de gelo e bater, até ficar consistente.

Oração pré-teste de Química Pai Nox que estais nos sais Balanceada seja a vossa nomenclatura Venha a nox o vosso rênio Periódica seja a vossa vontade Assim no ferro como no sal. O pão nox de cada dia nos boroso Oxidai nossa valência Assim como oxidamos a quem nos tem Anidrido Não nos deixeis cair em oxirredução E livrai-nos do sal. Ametal.

22


UTILIDADES

FRUTOS E A SAÚDE ORAL

para o crescimento saudável. A mastigação de FRUTAS DURAS, como a pera ou a maçã, permite exercitar corretamente os músculos do rosto, estimulando o

A aquisição de hábitos alimentares saudáveis desde a infância ajuda a manter um

adequado crescimento ósseo e muscular, aumentar a salivação, e ajudar a manter as gengivas e os dentes limpos.

SORRISO BONITO e uns

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRAS SALGADAS

DENTES

SAUDÁVEIS.

Sabe-se que os hidratos de

EQUIPA DO PES

carbono, principalmente os açúcares,

presentes

em

vários alimentos e bebidas, favorecem o desenvolvimento de cáries dentárias. No entanto, a CARIOGENIDADE DOS ALIMENTOS é diferente consoante o TIPO DE AÇUCARES presentes. Os açúcares que se apresentam na sua forma livre ou adicionados a alimentos, como a SACAROSE, o mel e os xaropes, são potencialmente mais cariogénicos do que os açúcares naturalmente presentes nos alimentos, devido a estarem mais rapidamente disponíveis para as bactérias da cavidade oral. Por isso, deve-se limitar a ingestão de refrigerantes e sumos açucarados, doces, bolos, gomas, rebuçados, caramelos, entre outros alimentos açucarados. Por outro lado, a FRUTOSE (açúcar presente na fruta) não está associada ao desenvolvimento de cáries dentárias. Vários estudos referem que o consumo de FRUTA FRESCA está associado a baixos níveis de cáries dentárias, entre outros benefícios para a saúde, principalmente para as crianças, sendo fundamental

23


RAZÕES PARA VARIAR O CONSUMO DE FRUTOS E HORTÍCOLAS AO LONGO DO ANO O Regime da FRUTA ESCOLAR sugere que nas escolas sejam fornecidos frutos e hortícolas de diferentes variedades ao longo do ano. Isto porque os vegetais de diferentes cores parecem ter propriedades diferentes que se complementam, protegendo de forma eficaz contra a doença e contribuindo para o nosso bem-estar. VERMELHOS E ROSAS São geralmente fontes de licopenos, que pertencem á família dos carotenoides. Por exemplo, o tomate apresenta qualidades apreciáveis de licopenos (em média 3,31 mg em 100g). O licopemo é um antioxidante que, quando absorvido pelo organismo ajuda a impedir e reparar os danos nas células provocados pelos radicais livres. Existe algumas evidências de que o consumo regular de licopeno diminui o risco do aparecimento de cancro na próstata.

BRANCOS Os vegetais de cor branca como a cebola, alho, ou alho francês, podem não ter cor, mas têm numerosos fitoquímicos. A alicina é o mais comum neste grupo que parece ter um papel regulador no colesterol e na capacidade imunológica do organismo.

AZUIS E PÚRPURA Podem conter fotoquímicos como antocianinas e plifenóis que parecem ter um papel importante na prevenção de algumas doenças crónicas como certos tipos de cancro ou doenças cardiovasculares. Entre estes alimentos encontramos as uvas, a ameixa e a cereja.

VERDES LARANJAS E AMARELOS Fontes de betacaroteno que se converte em Vit. A no nosso organismo, sendo importante para o crescimento e reparação de tecidos e na formação de melanina (pigmento responsável pelo bronzeamento da pele e proteção de raios ultravioleta). Os vegetais de cor laranja ou amarela podem ainda conter flavonóides, um grupo de fito químicos que em conjunto com a Vit. C parecem ter um papel importante na prevenção do cancro, no fortalecimento de ossos e dentes, na cicatrização de feridas ou ainda na manutenção de uma pele sadia.

Parecem conter luteína, um potente antioxidante, que poderá ajudar a reduzir o risco de aparecimento de cataratas. Os hortícolas como brócolos e couve-flor contêm também composto endólicos com características antioxidantes.

Equipa do PES

24


Corpo de John Cena, com treinos a tua medida! Segundo a Organização Mundial de Saúde, estima -se que nos países desenvolvidos mais de dois milhões de mortes são atribuíveis ao sedentarismo, e que 60 a 80% da população mundial não é suficientemente activa para obter benefícios na saúde (Organização Mundial de Saúde, 2002). Todos nós sabemos que o desporto é essencial para o crescimento harmonioso do nosso corpo, mas será que estas a praticar em quantidade suficiente? Cada vez mais trocamos a prática de actividade física pelo sofá confortável lá de casa, sem esquecer as tardes “fantásticas” a jogar playstation ou outro vídeo jogo do momento, é este o estilo de vida que queres? Uma criança ou jovem como tu deve praticar em média por dia entre 30 a 60 minutos de actividade física, com intensidade média e alta adaptada a tua idade, obedecendo a 4 factores importantes: Trabalho cardiovascular (corrida); Trabalho de força (levantar/puxar pesos); Trabalho proprioceptivo (agilidade, ritmo, coordenação motora); Treino de flexibilidade (alongar os músculos) Vá lá, não fiques mais de um dia sem praticar desporto, incentiva os teus pais a fazerem desporto contigo, puxa pela imaginação e brinca ao ar livre realizando movimentos e brincadeiras que mexam com o teu corpo, transporta as brincadeiras dos vídeo jogos para a realidade e “transforma-te” no John Cena lá do bairro. Toca a treinar!

Dicas de treino: 

Faz desporto todos os dias (corre, salta, joga basquetebol, a apanhada, etc.), no mínimo entre meia a uma hora todos os dias;  Dá o teu máximo;  Desafia os teus pais, colegas, familiares para fazerem exercício físico contigo;  Pede ajuda aos teus professores de Ed. Físicas, treinadores, misteres para te ensinarem exercícios que envolvam todas as partes do teu corpo (braços, pernas, tronco…);  Se possível faz desporto ao ar livre, aproveitando o que a própria natureza te oferece para trabalhares mais intenso. Referências http://paulosena.com/ http://ipj.pt/ Carlos Pinto professor de Ed. Física carlospintoedfisica@sapo.pt

Desafia os teus colegas com o seguinte exercício Extensão de braços no solo (flexões) Objectivo: Treina várias vezes o exercício proposto (flexões) e desafia os teus colegas para uma “batalha” de flexões, quem fizer mais ganha.

Com o desporto ficas: - Uma pessoa mais activa e com mais energia; - Com a tua autoconfiança e resistência à fadiga mais elevada; - Com um corpo mais “forte”, ficas preparado para enfrentares os obstáculos que surjam no teu dia-adia; - Mais elegante, devido a perca de gordura, pondo de lado aquelas dietas “malucas” que não te levam a lado nenhum; - Com o corpo mais flexível e ágil; - Uma pessoa mais calma e com os sentidos mais apurados; - Mais bonito(a).

1-Parte inicial do exercício

2- Parte final do exercício

25


Bolo da Ternura

MOUSSE DA AMIZADE

Ficha Técnica

Ficha técnica:

Custo: grátis Grau de dificuldade: fácil Tempo de preparação: depende de cada um Para: duas ou mais pessoas

Custo: ser fiel Grau de dificuldade: capacidade de acrescentar os ingredientes. Tempo de preparação: tanto demora muito como pouco. Isso depende de como coloca os ingredientes.

Ingredientes:

Ingredientes:

-Seis ovos especiais -Farinha da alegria q.b -Uma pitada de sentido de humor q.b -Um litro de leite carinho -½ de açúcar compreensivo -Chocolate castanho amoroso -Raspas de chocolate branco sincero -Manteiga paciente

-500g de carinho -200g de felicidade -400g de tolerância -200g de amor -pronto a ajudar o outro -ter tempo para o outro -100g de fidelidade -sentido de humor

Modo de preparação Modo de preparação: O primeiro passo é separar a tolerância da intolerância dos ovos especiais. Bata a tolerância com cuidado e só posteriormente a junte com a intolerância num tacho. Em seguida junte o açúcar compreensivo e mexa. Com o açúcar e os ovos misturados é altura de juntar a farinha da alegria tendo em conta que esta mistura não fique muito espessa. Depois adicione leite carinhoso para que a massa fique no ponto. Por fim, adicione uma pitada de sentido de humor e mexa para os dois lados, pois se fizer o contrário a massa fica desproporcional. Unte a forma com manteiga paciente, ponha a massa na forma eleve forno. Derreta o chocolate castanho amoroso e rape o chocolate branco sincero. Quando a massa estiver no ponto desenformea cuidadosamente e deite o chocolate castanho amoroso derretido por cima. Por último ,deite as raspas de chocolate branco sincero. Nota Bem: Este bolo não deve ser só comido mas sim bem saboreado…

Junta os vários ingredientes que estão indicados em cima. Bate-os bem e mistura um pouco de chocolate *. Mas não metas demasiado chocolate se não podes estragar tudo. Agora guarda esta sobremesa num grupo de pessoas. Se um dia esta mousse se estragar volta a fazer outra com os mesmos ingredientes mas tenta usá-los de outra forma. Para: no mínimo duas pessoas. *chocolate significa poder abusar um pouco mas sem exagerar. João Pedro, 8ºB

Inês e Laura, 8ºB

26


Uma história de laços Um recém-nascido na família Francisco. Os pais estão a seguir a ordem alfabética.

FÓSFORO Basta acendê-lo e traçar uma cruz com a ponta queimada.

Vermelho: castanho Castanho: verde Verde: vermelho O homem com o laço verde que profere a exclamação não pode ser o Sr. Verde. O Sr. Vermelho que lhe responde não pode ter um laço vermelho nem verde. O Sr. Vermelho usa, portanto, o castanho. Deduz-se que o Sr. Castanho tem o verde e o Sr. Verde, o vermelho.

ADVINHA

Os ovos misteriosos

Um selo

Tem patas e come os ovos das suas patas.

SETES Eis algumas respostas possíveis: 777/7 - 77/7

Estrela do mar Nunca porque o barco flutua.

Cálculo mental Se o primeiro algarismo =A, a ordem dos algarismos é a seguinte: A, A+2,A + 4, 1/4 (A+4), A. A soma do primeiro e do último algarismos é igual ao terceiro algarismo (2A=A+4). A resposta é, portanto, 46 824

Lavas as mãos Antes de te sentares à mesa Nos meses de 31 dias, a menina receberá 3,10 euros e nos de 30 dias, 3 euros. 6 euros/hora equivalem a 6 euros /60 minutos, ou seja, por um minuto 0,10 euros (10 cêntimos de euro) por lavagem de mãos. Basta multiplicar pelo número de dias de um mês.

Agradecimentos A equipa de trabalho do jornal “O Pedrinhas” agradece a todos os alunos e professores que contribuíram para esta segunda edição. Esperamos continuar a receber textos de toda a comunidade escolar (desta vez também queremos textos de encarregados de educação e funcionários!) Boa Páscoa a todos! Ficha Técnica Equipa de trabalho: Aldora Alves; Carlos Esteves; Edite Carneiro; Isabel Silva; Isabel Dias; Paulo Pontes; Patrícia Vagaroso. Coordenação: Sílvia Pinto Tiragem: 20 exemplares

27


Jornal Escolar 2º Periodo