Issuu on Google+


Sumário

01 02 04 04 04 05 05 06 06 06 07 07 07 08 08 08 08 08 09 09 09 10 10 11 11 12 12 13 13 14 15 15 16 16 16 17 17 18 19 19 20 20 21 21 22 22 23 23 24 24 24 24

Apresentação Programação Atividades Formativas Oficinas Pensamentos de um corpo que dança Mostra Oficina de Dança Conversa Sobre Dança Mostras de Dança Circuito Itinerante de Dança Mostra de Dança Mostra de Solos, Duos e Grupos Mostra 2 Minutos para Dança Mostra Dia Internacional da Dança Cortejo Dançando na Rua Mercado Cultural Artes Visuais Performances Exposição Instantâneo Exposição Espaço/Corpo Cine Dança Mostra Curta Dança Cambindas de Triunfo Grupo Mojubá Olha a Pisada tim-tim-tim Folias de reis Afoxé Filhos de Zaze Coreografias Pavuna e Era Uma Vez... Samba de Veio Coco do Manuel Objeto Gritante Ilhados-encontrando as pontes Compartilhados Aganjú ...na noite, Encontro-me! Samba de Coco Trupé Eu vim da ilha Tatudobrega O Homem Vermelho Ausências presentes Tu Sois De Onde? Maria Colombina e Zé Pierrot Pernambucano Para sempre teu Baque Opará Ser íbrido Travessia No Caminho das Alimentadeiras Capitanear O Baile cena dançante Dj Dekú Brega DJ Jocélio Bello


... Petrolina vem se destacando no cenário nacional, não apenas pelo seu desenvolvimento na fruticultura irrigada, mas na produção artística e em especial na dança. O desenvolvimento nessa área caminha a passos largos, uma estrada aberta pelo Sesc Petrolina que através das suas ações vem priorizando a formação através da arte. Assim, essa expressão encontrou solo fértil, fortalecendo-se e ampliando sua produção. A cada ano surgem novos grupos e com eles novas possibilidades de diálogos na contemporaneidade. Pensar que na década de 80, nessa mesma terra onde o rio corre, ecoava o som de um batuque e com ele nascia o Batuk-ajé, grupo de dança popular inspirado na cultura negra, semente plantada pelo sonho que gerou esse movimento no Vale do São Francisco. Que um dia, o sonho era apenas dançar um “Ritmo Quente”, coreografias que eram imitações de filmes reprisados na TV ou assistidos nos antigos vídeos cassetes. Hoje a dança produz sentidos e se transformou numa aldeia onde valem todos os ritmos. Em Petrolina “Vale dançar”! VALE DANÇAR é uma aldeia de dança. Um projeto local, mas que mantém no seu conceito o cruzamento com o Palco Giratório, projeto do Departamento Nacional do Sesc, bem como todos os seus desdobramentos. Assim, os diálogos foram ampliados com as linguagens de música, cinema, literatura, teatro e artes visuais. Nesta edição a diversidade está presente, seja na rua, no palco ou na praça. Balé clássico, dança popular, de salão, de

rua, do ventre ou dança contemporânea, todas essas vertentes se encontram no mesmo canto, na mesma aldeia. Os espetáculos programados que são de origem de outros estados e da capital pernambucana como: Objeto Gritante (São Paulo/SP), O Homem Vermelho (Rio de Janeiro/RJ); e Compartilhados, Travessia e Tu sois de onde? (Recife/PE) possibilitam o intercâmbio com as produções locais, gerando trocas e aprendizados mútuos. Além das apresentações, nesta edição destacamos as ações formativas que permeiam toda a programação, projetos sistemáticos desenvolvido pelo Sesc Petrolina como: Pensamentos de um corpo que dança, Dois minutos para dança, Conversa sobre dança e Circuito itinerante de dança, estes propõem discutir o fazer, apreciar e contextualizar, tríade importante para a compreensão dessa linguagem na cena contemporânea. Vamos atender aos toques que ainda ecoam do Batukajé chamando todas as tribos. Eles dizem: Vamos dançar! Há quem diga que neste vale tudo que se planta dá, então lancemos sementes, apreciando imagens de corpos que cresceram irrigados pelas águas do Velho Chico e alimentados de sonhos. Aqui a diversidade mostra seu corpo em cores múltiplas, aromas das frutas e vinhos de sol, abraço sonoro em quem chega, saudade tenra em quem parte. Dançai! Jailson de Lima Silva. Supervisor de Cultura do Sesc Petrolina.

Aldeia Vale Dançar 2013

01


Programação

2013

13/04 – 09 às 12h e 15 às 18h – Oficina de Arte-educação em dança com André Vitor Brandão e Jailson Lima – Sala de dança. 15 a 19/04 – 09 às 12h – Oficinas de dança nas escolas públicas – Bairros de Petrolina. 17 e 18/04 – 16 às 19h – Seminário: Pensamentos de um corpo que dança com a Cia de Dança do Sesc Petrolina – Teatro Dona Amélia. 17 e 18/04 – 19 às 22h – Oficina de Dança e Percussão com o Grupo Boi Mojumbá – Sala de dança. 19 a 24/04 – 09 às 21h – Exposição Painel Instantâneo – Hall de entrada do Sesc.

19/04 Cortejo Dançando na rua

16h – Mostra Oficinas de dança– Salão do Sesc; 16h30 – Grupo Cambindas (Triunfo/PE) – Rua em frente ao Sesc; 17h – Grupo Boi Mojumbá (Olinda/PE) – Rua em frente ao Sesc; 17h30 – Grupo de Xaxado Luiz Pedro (Triunfo/PE) – Rua em frente ao Sesc; 18h00 – Grupo Folias de Reis (Petrolina/PE) – Rua em frente ao Sesc; 18h – Afoxé Filhos de Zaze (Juazeiro / BA) – Palco Bambuzinho; 19h – Cia Aérea de Dança (Rio de Janeiro / RJ) – Palco Bambuzinho; 19h20 – Samba de Veio (Petrolina / PE) – Palco Bambuzinho; 20h – Coco do Manuel (Recife / PE) – Palco Bambuzinho.

20/04

20h – Objeto Gritante / Mauricio de Oliveira & Siameses (São Paulo/SP) – Teatro Dona Amélia / Projeto Palco Giratório.

20 e 21/04 09 às 12h – Oficina de Dança do Ventre – Sala de dança. 15 às 18h – Oficina de Dança de Salão – Sala de dança. 21 e 22/04 – 09 às 12h – Oficina Improvisação e Composição com Mauricio de Oliveira – Sala Teatro Dona Amélia / Projeto Palco Giratório.

21/04

18h – Ilhados / Grupo Experimental (Recife/PE) – Teatro Dona Amélia; 19h – Mostra de Cinema Cine Dança – Terraço da Galeria de Artes; 20h – Compartilhados / Grupo Experimental (Recife/PE) – Teatro Dona Amélia.

22 a 27/04 – Encontro de professores e instrutores de dança do Sesc Pernambuco.

22/04

15h – Meu querido catavento / Coletivo Trippe (Petrolina/PE) e Aganjú / Cia Casa de Orates (Petrolina/PE) – Escola Municipal José Fernandes Coelho – Roçado; 15h – Conversa sobre dança / Experiências Pedagógicas – Biblioteca;


18h – Mostra de dança – Palco Bambuzinho; 20h – Eu vim da ilha / Cia de Dança do Sesc (Petrolina/PE) – Teatro Dona Amélia; 23 e 24/04 – 09 às 12h – Oficina de Dança Contemporânea com Mônica Lira.

23/04

16h – Fuá na casa de Zé Mané – Escola Municipal Anete Rolim – Pedra Linda; 18h – Mostra de dança – Palco Bambuzinho; 20h – O homem vermelho (Rio Janeiro/RJ) – Teatro Dona Amélia.

24/04

15h – Conversa sobre dança / Diálogos entre ilhas – Biblioteca; 18h – Mostra de dança – Palco Bambuzinho; 20h – O homem vermelho (Rio Janeiro/RJ) – Teatro Dona Amélia.

25 e 26/04 – 09 às 12h – Oficina de Dança Contemporânea com Tainá Barreto; 25 e 26/04 – 19 às 21h – Oficina de Ballet Clássico com Cynthia Ramos – Sala de dança.

25/04

09h – Aganjú / Cia Casa de Orates (Petrolina/PE) – Escola Municipal Jacob Ferreira – Cosme Damião; 18h – Aganjú / Cia Casa de Orates (Petrolina/PE) – Palco Bambuzinho; 19h – Ausências presentes / Grupo Peleja (Recife/PE) – Teatro Dona Amélia; – ... Na noite, encontro-me.../ Dijma D’arc (Juazeiro/BA) – Teatro Dona Amélia; 20h – Apresentações de Solos, Duos e Grupos – Teatro Dona Amélia.

26/04

09h – Mostra de dança de salão / Cia de Dança Canuto (Petrolina/PE) – Escola Municipal Paulo Freire – São Gonçalo; 15h – Conversa sobre dança / Processos Criativos – Biblioteca; 18h – Maria Columbina e Zé Pierrot (Salgueiro/PE) – Palco Bambuzinho; 20h – Para sempre teu / Qualquer Um dos 2 Cia de Dança (Petrolina/PE) – Teatro Dona Amélia.

27/04 OverDança

16h – Mercado cultural – Corredor de entrada do Sesc; 16h – 2 Minutos para dança (Petrolina/PE)– Sala de dança; 17h – Baque Opará (Petrolina/PE) – Espaço da Cantina; 18h – Mostra Dia Internacional da dança – Palco estacionamento; 18h – Ser híbrido / Grupo Corpo da vez (São Paulo/SP) – Sala de dança; 19h – Mostra Curta Dança – Terraço da Galeria de Artes; 19h – Tu sois de onde? / Grupo Peleja (Recife/PE) – Teatro Dona Amélia; 19h30 – Travessia / Grupo Grial (Recife/PE) – Ginásio; 20h30 – Performances – Mercado Cultural; 21h– No caminho das Alimentadeiras / Coletivo Trippe (Petrolina/PE) – Espaço atrás da biblioteca; 21h30 – Matingueiros (Petrolina/PE) – Palco estacionamento; 22h – Travessia / Grupo Grial (Recife/PE) – Ginásio; 22h – Pernambucano / Cia Soul Dance (Salgueiro/PE) – Teatro Dona Amélia; 22h30 – O baile / Cia de Dança Canuto (Petrolina/PE) – Salão do Sesc; 23h – Performances – Mercado Cultural; 23h30 – Coco Trupe de Arcoverde (Arcoverde/PE) – Palco estacionamento; 01h – Tatudobrega / Cia de Dança do Sesc (Petrolina/PE) – Espaço da Cantina; 01h40 – Cena Dançante / DJ Dekúbrega – Espaço da Cantina; 02h30 – Cena Dançante / DJ Jocélio – Espaço da Cantina.


Atividades Formativas Oficinas de Iniciação e capacitação em dança Tem como objetivo dar continuidade ao processo formativo trazendo profissionais de outras cidades oportunizando o conhecimento através dos diversos olhares sobre a dança. Oficina de arte educação / dança 13/04 de 09h às 12h e 15h às 18h | Sala de Dança Instrutores: Jailson Lima e André Vitor Brandão Oficina de dança e percussão 17 e 18/04 de 19h às 22h Local: Sala de Dança Instrutor: Grupo Mojumbá Oficina de dança do ventre 20 e 21/04 de 09h às 12h Local: Sala de Dança Instrutora: Janah Ferreira

Oficina de dança de salão 20 e 21/04 de 15h às 18h | Local: Sala de Dança Instrutor: João Carlos Oficina improvisação e composição 21 e 22/04 de 09h às 12h Local: Sala Teatro Dona Amélia Instrutor: Mauricio de Oliveira (Projeto Palco Giratório) Oficina de dança contemporânea 23 e 24/04 de 09h às 12h Local: Sala de Dança Instrutora: Mônica Lira Oficina de dança contemporânea 25 e 26/04 09h às 12h Local: Sala de Dança Instrutora: Tainá Barreto Oficina de balé clássico 25 e 26/04 19h às 21h Local: Sala de Dança Instrutora: Cynthia Ramos

Pensamentos de um corpo que dança Cia de Dança do Sesc Petrolina

Ação formativa com o objetivo de ampliar a pesquisa em dança. Um espaço para estudo, reflexão e discussão das diversas possibilidades de criação. Com apresentações de trabalhos teóricos e práticos dos bailarinos da Cia de Dança do Sesc Petrolina, nessa edição o recorte será a história de Angel Vianna, mestra que muito contribui para o fortalecimento da dança contemporânea brasileira.

Aldeia Vale Dançar 2013

Livre

17 e 18/04 das 16 às 19h Teatro do Sesc Gratuito

FICHA TÉCNICA Orientação de trabalhos: Jailson Lima. Apresentações de trabalhos teóricos e práticos: Adriana Santos, Alexandre Santos, André Vitor Brandão, Cleybson Lima, Fernando Pereira, Herbet Junior, Júlia Gondin, Adriano Alves, Nilzete Miranda, Alexandre Santos, Clara Isis, Mary Ane Nascimento, Rafaedna Brito, Thierri Oliveira, Wagner Damasceno e Wendell Britto. 04


Mostra Oficina de dança A mostra é um espaço para por em prática o conhecimento adquirido durante 05 (cinco) dias de atividades. Algo que traz também um caráter lúdico, ao transpor uma prática construída em âmbito escolar, imbuída de significados, para um espaço considerado artístico. Dessa forma, cada oficina trará uma pequena apresentação, como resultado do processo vivenciado durante o período da oficina. Oficina de Dança contemporânea 15 a 19/04 l 14h às 17h Local: Esc. Mun. José Fernandes Coelho - Roçado Instrutor: Wendell Britto Oficina de Dança Popular 15 a 19/04 l 14h às 17h Local: Esc. Mun. Santo Antônio - Ilha do Massangano Instrutor: Fernando Barros

Livre

19/04 Sexta 16h Salão do Sesc Gratuito

Oficina de Dança Contemporânea 15 a 19/04 l 09h às 12h Local: Escola Municipal Anete Rolim - Pedra Linda Instrutora: Júlia Gondim Oficina de Dança Popular 15 a 19/04 l 09h às 12h Local: Esc. Municipal Jacob Ferreira - Cosme Damião Instrutora: Sinara Alencar Oficina de Dança de Salão 15 a 19/04 l 09h às 12h Local: Escola Municipal Paulo Freire - São Gonçalo Instrutora: Bianca Santos

Conversa sobre dança Diálogos, trocas, experiências... A dança em seu pensamento mais contemporâneo, baseia-se nos diálogos que geram reflexão, na construção crítica do corpo de quem dança e do olhar de quem vê. O projeto “Conversa sobre dança” acontecerá em três momentos distintos: “Experiências pedagógicas” em que professores de dança das unidades do Sesc Pernambuco farão relatos de experiência sobre suas práticas pedagógicas. “Diálogos entre ilhas” intercambiará os espetáculos “Eu vim da ilha” da Cia. de Dança do Sesc Petrolina, “Ilhados” e “Compartilhados” do Grupo Experimental de Recife discutindo as confluências e divergências entre os dois trabalhos. “Processos Criativos” focará a discussão na obra em processo da Mostra de Solos, Duos e Grupos, discutindo e analisando pontos que se entrecruzam no momento da criação. Aldeia Vale Dançar 2013

Livre

Experiências Pedagógicas 22/04 15h Local: Biblioteca Mediador: André Vitor Brandão Diálogos entre ilhas 24/04 15h Local: Biblioteca Mediador: Leidy Costa Processos criativos 24/04 15h Local: Biblioteca Mediador: Clara Isis 05

17 e 18/04 das 16 às 19h Teatro do Sesc Gratuito


Mostras de Dança Circuito Itinerante de Dança O intuito de promover o encontro entre os participantes das oficinas promovidas pelo Aldeia Vale Dançar nos bairros Pedra Linda, Roçado, São Gonçalo e Cosme e Damião e grupos de dança da cidade, Cia de Dança do Sesc Petrolina, Coletivo Trippé, Cia Casa de Orates e Cia Canuto de Dança grupos onde os instrutores das oficinas dançam, além da abertura que será com a coreografia apresentada pelos alunos, um desdobramento das oficinas. É uma ação formadora em que o aluno tem a oportunidade de ver o seu instrutor em cena, bem como, também a oportunidade dos alunos se apresentarem no seu bairro. 23/04 16h Esc. Mun. Anete Rolim - Pedra Linda Fuá na casa de Zé Mané – Cia. de dança do Sesc Petrolina Direção e Coreografia: Jailson Lima Bailarinos: Alexandre Santos, Adriana Santos, Adriano Alves, André Vitor Brandão, Clara Isis, Cleybson Lima, Fernando Pereira, Herbet Junior, Julia Godim, Mary Ane Nascimento, Rafael Sisant, Rafaedna Brito, Thierri Oliveira, Wagner Damasceno e Wendell Brito.

22/04 Grupo Capoeira Brasil (Petrolina /PE) Reis de Boi. Grupo Rhua – (Juazeiro/BA) 23/04 Coreografia 4M's. Grupo Norte BA Crew (Juazeiro/BA) Aldeia Vale Dançar 2013

22 a 26/04 Escolas de Petrolina Gratuito

22/04 15h Esc. Mun. José F. Coelho – Roçado; Meu querido cata-vento – Coletivo Trippé Bailarinos: Adriano Alves e Wendell Brito Direção: Adriano Alves 22/04 15h Esc. Mun. José F. Coelho – Roçado; 25/04 09h Esc. Mun. Jacob Ferreira - C. Damião Aganjú – Cia. Casa de Orates Direção: Fernando Barros. Bailarinos Criadores: Fernanda Luz, Fernando Barros, Marcos Aurélio Soares e Sinara Alencar. Figurinos: Fernando Barros e Sinara Alencar. Adereços e parâmentos: Fernando Barros. Cenografia: Fernando Barros. Iluminação: Antonio Pablo. Contra-regra: Jessica Senna, Paulo Junior e Scheila Luiza. 26/04 09h Esc. Mun. Paulo Freire - São Gonçalo Fragmentos – Cia. Canuto de dança Espetáculo que traduz o encanto da dança de salão, por estilos que veiculam sensualidade e vigor a partir de expressivo nível técnico. Direção: Marcos Canuto e Ítalo Ramon.

Mostra de Dança A Mostra de Dança que acontecerá na Praça do Bambuzinho tem como proposta agregar ao projeto Aldeia Vale Dançar grupos que desenvolvem trabalhos de dança em suas comunidades de forma continuada, profissionalmente ou não. A mostra conta com uma variedade de estilos: dança popular, dança de rua e dança de salão. Dessa forma, propõe o diálogo com as diferentes formas do fazer da dança na região.

Livre

Livre

22 a 26/04 18h Praça do Bambuzinho Gratuito

Demonstração de Roda de São Gonçalo. Grupo de São Gonçalo do Quilombo Lambedor (Lagoa Grande/PE) 24/04 Reisado. Grupo Reisado do João de Deus (Petrolina/PE) Fragmentos do espetáculo Êxtase. Cia de Dança Canuto (Petrolina /PE) Apresentação de Break Dance. Grupo Legião B-Boys (Petrolina /PE) 26/04 Aganjú. Cia Casa de Orates (Petrolina/PE) 26/04 Maria Columbina e Zé Pierrot (Salgueiro/PE)

06


Mostra de Solos, Duos E Grupos Criação é a palavra de ordem dessa ação: Mostra de Solos, Duos e Grupos, onde os bailarinos e criadores se encontram para apresentar seus processos criativos, dividindo-os com o público. Complementando essa ação formativa foram convidados quatro analistas da área, para que junto com os criadores possam encontrar conexões e diálogos na cena contemporânea, assim, fortalecendo a linguagem a partir dos diversos de olhares. Solos: Mergulhos. Pedro Lacerda; Fluidez. Milla Ingrid Marques; Chão. Fernanda Luz; Ponto Neutro. Cristiane Crispim. Duos: Devanear. Wagner Damasceno e Wendell Brito;

A Mostra 2 Minutos para dança tem como finalidade ampliar o espaço de experimentação em dança. Oportunizado aos bailarinos da Cia de Dança do Sesc Petrolina investigar novas possibilidades de movimento e expressar através do corpo. São 15 solos de 2 minutos onde é possível apreciar a dança autoral. FICHA TÉCNICA Intérpretes-criadores: Adriana Santos,

Analistas Convidados: Maria Paula Costa Rêgo Renata Pimentel Tainá Barreto Orlando Dantas

O Segredo das Bonecas. Grupo Ballet Cláudia Ramalho. Bailarinas: Bruna Fernanda, Layane Thais, Maria Fernanda Consuel, Blenda Carla, Laine Nunes, Edima Castro, Edivânia Castro, Tamyris Thuama, Vanessa Cristina e Nívea Santos. Pasion e Caminho das Índias. Grupo Ballet Sacramentina. Direção Geral: Cynthia Ramos. Assistente de palco: Márcia Nolair. Bailarinos: Ana Paula Almeida, Ingrid Palloma Ferreira, Amábylle Aldeia Vale Dançar 2013

16 anos

Duração 40min.

27/04 Sábado 16h Sala de Dança do Sesc Gratuito

Adriano Alves, Alexandre Santos, André Vitor Brandão, Clara Isis, Cleybson Lima, Fernando Pereira, Herbet Junior, Julia Godin, Mary Ane Nascimento, Rafaedna Brito, Rafael Sisant, Thierri Oliveira, Wagner Damasceno e Wendell Britto. Execução de luz: Carlos Tiago. Execução de som: Nilzete Miranda. Cenotécnica: Lucylene Lima. Orientação: Tainá Barreto. Coordenação Geral: Jailson Lima.

Mostra Dia Internacional da Dança A mostra tem como objetivo comemorar o dia 29 de abril Dia Internacional da Dança e divulgar a produção de grupos que desenvolvem trabalhos com Balé Clássico. Acontecerá no palco em frente ao estacionamento do Sesc Petrolina com diversas apresentações de temática livre.

22 a 26/04 18h Praça do Bambuzinho Gratuito

Equilíbrio. Bárbara Rocha e Brunna Rocha; Quarto 27. Cleybson Lima e Túlio Torres. Grupos: Vida de Boneco. Julia Gondim, Thierri Oliveira, Rafaedna Britto e Rafael Sisant; As Três Graças. Elizabete Oliveira, Emile Souza, Jô Zahara, Naira Costa e Juliana de Fátima; Conflitos. Eron Pimenta, Mylena Amorim e Kamilla Alves; Você. Cintia Melo, Malena Libório, Sandra Guimarães e Taciana Torres.

Mostra 2 Minutos para Dança Cia de Dança do Sesc Petrolina

Livre

Livre

27/04 Sábado 18h Estacionamento do Sesc Gratuito

Alves, Laiane Souza, Rainise Almeida, Raquel Gaudêncio, Isis Caroline, Jéssica de Morais, Larissa Maendes, Dianny Sisnaldo, Nathalya Larissa, Thayanne Maia, Alexandre de Sousa e Eduardo Pereira. Grande Finale. Grupo Ballet Flaviana Moura. Bailarinas: Mariana Alencar, Tainá Libório, Ivana Alencar, Isadora Bassani, Ana Karina Espírito, Victoria Passos, Patrícia Correia, Jaiza Alves, Lara Mendes, Geise de Santana. Coreografia: Flaviana Moura. Sonho de Bailarina. Grupo Ballet Criart. Direção: Andrezza Azevedo. Coreografia: Andrezza Azevedo e Carla Peixinho. Divas. Grupo Ballet Vivência. Coreografia: Milla Ingrid. Bailarinas: Michele, Maria Clara, Letícia Dantas, Letícia Ferro, Maria Lívia, Lívia Maria, Ana Julia e Amanda. 07


Cortejo dançando na rua Um grande corredor de ritmos que parte do Sesc Petrolina anunciando o início do Aldeia Vale Dançar. Nas ruas, bailarinos, artistas e passantes festejam mais uma troca

Livre

19/04 Sexta 16h Rua do Sesc Gratuito

de experiências convidando o público para participar do evento que se inicia. O cortejo vai ao encontro da Praça do Bambuzinho onde acontecerão diversas apresentações.

Mercado Cultural

Livre

O Mercado cultural é um espaço destinado à comercialização de vários produtos alternativos, onde artistas das mais variadas áreas expõem e comercializam seus produtos, variando de artesanatos e roupas, passando por acessórios, até produtos culinários. O mercado não possui apenas produtos; possui conceitos! Caminhando entre as barracas do mercado, ainda é possível apreciar algumas performances instantâneas criadas especialmente para intervir nesse lugar de troca. Coordenação: Sandra Guimarães.

27/04 Sábado 16h Entrada do Sesc Gratuito

Bendita Receita; Aió Artesanato; Dona Xanda; Rose Oliveira; Aldercy Coelho Chocolates; Incomum Criativa; Brisa Dias - Garagem das Coisas; Dona Darci - Licores Artesanais; Traço; Sara Patrícia; Sesc Petrolina

Artes visuais Performances

Livre

Os espaços do Sesc Petrolina será palco para a arte da performance. Artistas foram convidados para realizarem ações performáticas discutindo temas relacionados ao corpo, além de propor experimentar outros espaços para apresentações. No Overdança, a qualquer momento, na calçada, numa escada, do seu lado uma performance poderá acontecer. Fique ligado!

Amarras. Raffinha Britto. Contato Corpo. Herbet Junior. Culto a Beleza. Wagner Damasceno e Keilla Suendel. Signos. Adriana Santos. Em Busca do Corpo Perfeito. Thierri Kobaiashi. Um Reflexo Envelhecido. Julia Gondim. Maminha Alcatra Contra-Filé. Wechila Andrade.

Exposição Instantâneo Painel fotográfico mutante que ganha corpo com os múltiplos olhares de três fotógrafas e mais visitantes colaboradores. Entre o registro documental e a arte da fotografia ficam impressos o labor artístico do movimento de Dança do Vale do São Francisco e do Brasil. E caso você se anime em colaborar com a exposição é só encaminhar os arquivos à curadoria Aldeia Vale Dançar 2013

27/04 Sábado Durante o Overdança Gratuito

Livre

19 a 24/04 das 09 às 21h Hall de entrada do Sesc Gratuito

através dos mediadores. Quem quiser adquirir os arquivos é só baixar no facebook do Instantâneo http://www.facebook.com/instantaneo.fotos FICHA TÉCNICA Curadoria: Thom Galiano. Mediadores: Ádila Madança e Daniel Ribeiro. Fotógrafas: Lizandra Martins, Lisbeth Cabral, Regina Lima e convidados. 08


Exposição Ranilson Viana Espaço/Corpo: Poéticas da Matéria Petrolina/PE

A exposição “Espaço/Corpo: Poéticas da Matéria” traz para a Galeria de Artes Ana das Carrancas a primeira individual do artista petrolinense Ranilson Viana. A exposição nasceu do desejo do artista de se desprender de antigas amarras, amadurecer seu processo criativo, vencer barreiras e limitações para encontrar na sua poética uma arte liberta e libertadora, portanto, escolheu como ponto de partida o tema

“liberdade” para criar suas esculturas, além de investigar as possibilidades de representação da figura humana no suporte tridimensional. A exposição tem curadoria de Edneide Torres e André Vitor Brandão. 05 de Abril a 05 de Maio - seg. a sex. 9h às 12h | 13 às 18h | 19 às 21h Galeria de Artes Ana Das Carrancas Informações e Agendamento Escolar: 3866 7454

Cine Dança: Filme Carmem Propondo uma aproximação entre linguagens o Cine Dança no Aldeia Vale Dançar apresenta: “Carmem”, filme de Carlos Saura baseado na ópera Carmem de Georges Bizet, com livreto de Prosper Mérimée. O filme traz uma leitura contemporânea, perceptível no momento em que funde a narrativa da Ópera à história de um coreógrafo que procura uma dançarina para fazer o papel de Carmem, borrando as fronteiras entre a vida real e a própria trama da ópera de Bizet.

Eu vim da ilha - Circulação Direção, Edição e captação: Fernando Pereira Revisão: Jailson Lima Mostra 14 de dança Direção, Edição e Captação: Fernando Pereira Revisão: Jailson Lima Aldeia Vale Dançar 2013

Duração 97min.

21/04 Domingo 19h

Livre

Terraço da Galeria de Artes Gratuito

FICHA TÉCNICA Filme: Carmem. Diretor: Carlos Saura. Direção e Coreografia: Carlos Saura e Antônio Gades. Fotografia: Teo Escamilla. Música: Paco De Lucia. Elenco: Laura del Sol, Antonio Gades, Cristina Hoyos, Paco de Lucía, Juan Antonio Jiménez,José Yepes, Sebastián Moreno, Gómez de Jerez, Manolo Sevilla e Marisol.

Mostra Curta Dança Vídeo e dança cada vez mais tem se aproximado, seja, fundido de tal forma a criar outra linguagem como no caso da vídeodança ou como registro. A dança encontra no suporte vídeográfico uma forma de tornar-se em alguma medida menos efêmera. A Mostra Curta Dança reuni interações entre dança e vídeo que se aliam no campo do registro. Os vídeos exibidos durante a mostra são documentários de ações em dança realizadas em 2012 e início de 2013, assim como, documentários sobre o Maracatujaba e o samba de veio da Ilha do Massangano.

Livre

Livre

19/04 Sexta 17h Rua do Sesc Gratuito

Ailton Marcus: Um pouso para a dança Direção e Roteiro: Thom Galiano Edição de Imagens: Fernando Pereira Liquidificador de corpos Direção e Roteiro: Adriano Alves e Fernando Pereira Edição e Captação de Imagens: Fernando Pereira Se essa rua fosse minha Direção e Roteiro: Adriano Alves e Fernando Pereira Edição e Captação de Imagens: Fernando Pereira Tricotando entre grupos Direção e Roteiro: Adriano Alves e Fernando Pereira Edição e Captação de Imagens: Fernando Pereira Pandeirinho Direção, Roteiro, Fotografia e Edição: Robério Brasileiro Cortejo das cores Direção, Roteiro, Fotografia e Edição: Robério Brasileiro Revisão: Jailson Lima 09


Cambindas de Triunfo Grupo Cambindas de Triunfo

Triunfo/PE

Duração 10min.

SINOPSE As cambindas de Triunfo, também chamadas popularmente de cambinas, surgiram por volta de 1913, fundada pelo Sr. Luiz Miguel, filho de Santina Fateira. Com a morte do Sr. Luiz Miguel, os Srs. João de Pastora e José Maleiro deram continuidade às atividades das Cambindas. O Sr. João Rufino foi por muitos anos responsável pelo grupo que animava os carnavais de Triunfo. Infelizmente, o grupo das Cambindas de Triunfo com o tempo se desfez e a dança entrou no esquecimento”. Maria Helena Pádua- Pesquisadora. O GRUPO O espetáculo de dança CAMBINDAS DE TRIUNFO é resultado do Projeto - Cambindas de Triunfo: Resgatando a Cultura de um Povo, incentivado pelo funcultura 2010 e realizado em 2012, nos meses de fevereiro, março e abril, concluindo em maio nos dias 05 e 06 no Cine Theatro Guarany (Triunfo). O grupo é formado por 15 (quinze) integrantes entre meninos e meninas com idade de 10 a 15 anos.

Livre

19/04 Sexta 16h30 Rua do Sesc Gratuito

FICHA TÉCNICA Coordenação: Daiane Nonato, Diana Rodrigues e Jéssica Caetano. Dançarinas: Claire Emilie, Geovana Fernanda, Janilma Alves, Jussara Maria, Larissa Rayane, Letícia Sampaio, Pâmylla Larissa, Raiany Moraes, Stefani Cristini e Tamires dos Santos. Percussionistas: Emerson de Oliveira, Hakkinen Diniz, Jamison Ian, Leandro dos Santos e Keitel Henrique.

toques E Danças Brasileiras Grupo Mojubá

Olinda/PE

Duração 1h

SINOPSE ”Brincar na rua ainda pode ser muito bom”. TOQUES E DANÇAS BRASILEIRAS pode ser apresentado no formato de roda (palco arena) ou cortejo, pensando em integrar todos que participam da brincadeira: oficineiros, alunos e espectadores. Todos são convidados a dançar e brincar com os sotaques diferentes e vibrantes da cultura popular brasileira. Bumba-Meu-Boi, Cocos, Cirandas e Cacuriás animam e contagiam os espaços coletivos. O GRUPO O grupo foi fundado em 06 de abril de 2008 por Daniela Santos e Renato Ramos. Consiste na vivência dinâmica da cultura popular e na pesquisa de ritmos populares brasileiros. Com intercâmbios fortes, dentre eles, com grupos como o Rio Maracatu (RJ), Boi da Floresta (MA), Grupo As Três Marias (RJ, MA), Leão Coroado (PE), vem desde o ano de 2008 fazendo arrastões no carnaval de Olinda com seu grupo de percussionistas, bailarinos e brincantes. Promovendo oficinas para arte-educadores, crianças, jovens e adultos. O repertório do grupo é formado por variados ritmos da cultura popular brasileira, Aldeia Vale Dançar 2013

Livre

19/04 Sexta 17h Rua do Sesc Gratuito

permeando entre: Bumba-meu-boi, Cacuriás, Maracatu, Coco, Samba e Ciranda, entre outros. Somos um grupo formado por arte-educadores, professores e pesquisadores. Trabalhamos com a cultura e a arte como construção de valores humanos na interface da arte e educação. FICHA TÉCNICA Daniela Santos – Canto e Dança. Renato Ramos - Canto e Percussão. Denise Zambonato – Percussão e Canto. Anderson Kleyton - Dança e Canto. 10


Olha a Pisada tim-tim-tim Grupo Xaxado Luiz Pedro

Triunfo/PE

Duração 15min.

SINOPSE O Grupo de Xaxado Luiz Pedro da cidade de Triunfo dança ao som do triângulo, sanfona e zabumba, animada pelo cantor, que entrava músicas do grande Luiz Gonzaga. Dança o xaxado original, o estilizado e o xote com passos apressados e animados, interagindo com o público. Sua indumentária remota à época do cangaço e expressa a autêntica brasilidade nordestina. Define Lampião como um bandido, mas dotado de rara inteligência, como estrategista, poeta, artesão, adivinho... Distribuiu rapadura, produto predileto do bando e dos engenhos de Triunfo. O GRUPO O Grupo de Xaxado Luiz Pedro foi fundado em julho de 1997, quando dos cem anos de nascimento de Lampião. É formado por jovens estudantes. Tem se apresentado em várias cidades de Pernambuco e em outros estados, em palcos, teatros, quadras e espaços públicos. Apresenta-se sempre no final de semana durante o ano inteiro para os turistas que visitam Triunfo.

Livre

19/04 Sexta 17h30 Rua do Sesc Gratuito

Fez apresentações para autoridades, a exemplo do governador de Pernambuco, para secretários estaduais, a Cônsul da Venezuela Koromoto, e participou de filmagens como: Domingo Espetacular e para uma equipe de televisão de Barcelona, Espanha. Divulga o sertão nordestino através da dança. FICHA TÉCNICA Coordenadora: Diana Rodrigues Lopes. 4 componentes do Quarteto Pé de Serra Felix da Mata Redonda.10 dançarinos.

Folias de reis Associação Cultural Danado de Bom

Petrolina/PE

Duração 1h

SINOPSE Belo espetáculo, o diferencial deste Reis está no uso de facões em vez de espadas, porque os facões retinem melhor no aço mais largo... Representações simbólicas de guerra e paz, com um fundo religioso no Ciclo Natalino, místico de muitas tradições, de múltiplas origens e um sincretismo singular, afirmando-se como folguedo popular, vivo, dinâmico. O GRUPO Essa manifestação folclórica oriunda da comunidade da vila mocó resiste ao tempo, pois existe a mais de 40(quarenta) anos, onde alcançou grau de organização a ponto de se fortalecer, difundindo o reconhecimento desse valor artístico cultural. Este Reino não tem dono, tem tantas majestades que no coletivo de lembranças de infância, anos idos e vividos, distribuem o poder por tantos quantos os admiram, os incentivam os fazem brilhar. O grupo está em torno de 30 participantes, pronto para apresentações e com muita vontade de ampliar o folguedo, além do acervo de muitas cantigas, de tipos e personagens tradicionais. Aldeia Vale Dançar 2013

Livre

19/04 Sexta 18h Rua do Sesc Gratuito

FICHA TÉCNICA Presidente: Vandelmar Nogueira da Silva. Coordenador do Ciclo: Roniere Santos Silva. 11


Afoxé Filhos de Zaze Grupo Afoxé Filhos de Zaze

Juazeiro/BA

SINOPSE O espetáculo revive a cultura afro-brasileira, uni o povo do Axé e da sociedade, mostra durante o evento a beleza da cultura negra. Divulga o trabalho cultural e social dos terreiros, Ilê Axé Omincaiode situado nos bairros Quidé e Palmares na cidade de Juazeiro-BA. O GRUPO O desejo de fundar o bloco Afoxé Filhos de Zaze surgiu a partir do sentimento de prestar uma grande homenagem ao pai do grupo, Manoel Rodrigues Rosa, que era do Axé e grande folião da festa de momo. Também o desejo de fazer algo que envolvesse a comunidade e o povo de santo em um momento único de descontração e, sobretudo de valorização da nossa cultura. Cresceram em um terreiro que ao longo do tempo surgiram ramificações e perceberam a necessidade de romper as barreiras que vinham envolto à religiosidade e cultura do grupo. E por acreditar que a resistência cultural não é nada mais, nada menos do que a voz de um povo que exalta sua alegria e desabafa em louvor paz e a união. A realização desse

Livre

19/04 Sexta 18h Palco Praça Bambuzinho Gratuito

trabalho culmina o desejo mais íntimo de afro descendente e filhos de Zaze. FICHA TÉCNICA Presidente: José Rosa. Vicepresidente: Florisvaldo Rosa. Diretores/Produtores: Zenaide Rosa, Edna Rosa, Edson rosa, Edimeire Rosa, Gilvan Rosa, Rosimar Rosa, Herivelton Rosa, Erivaldo Rosa, Elson Rosa, Humberto Dantas, Robson Dias, Wilson Silva, Carmem Lúcia e Emanoel Santos. Cantores: Cidenilson e Zequinha. Bateria: Murilo, Venícius, Gabriel, Demian, Mateus, Igor, Cris, Hélio, Gil, Branca, Indira, Rejane, Alisson, Ruan, Denisan, Duila, Negão e Erinaldo. Dançarinos: Ozana, Zequinha, Alice, Cláudia, Falconeri, Léo, Gabriela, Tamires e Fabiano. Nosso pai fundador: Manoel Rosa. Em memória Mãe Flora.

coreografias “Pavuna” e “Era Uma Vez...” Cia Aérea de Dança

Rio de Janeiro/RJ

Duração 15min.

SINOPSE A dupla apresentará trechos do espetáculo “Samba-Dança Gafieira e coisa e tal” da Cia Aérea de Dança que tem como principal característica a fusão de linguagens na dança de salão. O GRUPO Baseando-se na técnica da dança contemporânea e com os olhos voltados para tudo que seja genuinamente popular, a CIA AÉREA DE DANÇA encontrou seu caminho, o seu espaço e, mais do que isto, o seu compromisso com a cultura brasileira. A CIA vem desenvolvendo um trabalho sempre voltado para a pesquisa e criação de uma arte cujas raízes se encontram na história, nos modos e no gosto popular do carioca e do brasileiro em geral. FICHA TÉCNICA Direção e Coreografia: João Carlos Ramos. Músicas: Simon Jeffs, Copa 7, Naná Vasconcelos, Aquarela Carioca e Pagode Jazz Sardinhas Club. Dançarinos: João Carlos Ramos e Paula Souza. Aldeia Vale Dançar 2013

Livre

12

19/04 Sexta 19h Palco Praça Bambuzinho Gratuito


Samba de Veio Grupo SAMBA DE VEIO DA ILHA DO MASSANGANO

Petrolina/PE

Duração 40min.

SINOPSE Grupo de pessoas que se reunem em círculo e ao som de instrumentos de percursão dançam e tiram versos que tratam do seu cotidiano. Durante a apresentação as pessoas são convidadas a participar da dança que contagia a todos que estão presentes. O GRUPO Grupo de cultura popular da Ilha do Massangano com origem a mais de cem anos, foi originado de uma brincadeira para animar os moradores na festa de reis, no mês de janeiro. Os componentes são pessoas simples, pescadores, barqueiros feirantes e agricultores da Ilha do Massangano.

Livre

19/04 Sexta 19h20 Palco Praça Bambuzinho Gratuito

Coco do Manuel Grupo Coco do Manuel

Recife/PE

Duração 1h

SINOPSE O grupo se dispõe a divulgar e defender o Coco de Terreiro (Coco de Mazurca), e vem apresentando trabalhos e composições diferenciadas, buscando sua identidade, dando nova roupagem ao tradicional, sintonizando com as questões contemporâneas, não esquecendo os ensinamentos dos antigos mestres. Na sua trajetória artística, inicialmente, o Coco se firma participando dos eventos dos ciclos carnavalesco e junino, em pequenos polos localizados nos bairros do Recife. O GRUPO O grupo Coco do Manuel surgiu em 2007, a partir da constante vivência de seus integrantes com as manifestações afro-brasileiras. FICHA TÉCNICA Manuel: voz principal e tambor. Cristiano Ferraz: voz, Percussão e arranjos. Vaininha: Voz e percussão fina. Marcio Grandão: Percussão e voz. Rafaela Oliveira: Voz e percussão fina. Rodrigo Félix: Percussão e voz.

Aldeia Vale Dançar 2013

Livre

13

19/04 Sexta 20h Palco Praça Bambuzinho Gratuito


Objeto Gritante Grupo Mauricio de Oliveira & Siameses

São Paulo/SP

Duração 55min.

Livre

SINOPSE O tema deste trabalho está diretamente relacionado à questão do ofício do artista das artes cênicas, sobretudo no tocante à relação com seu corpo e à utilização das máscaras sociais. A Cia. Siameses, do coreógrafo Maurício de Oliveira, mergulha com este trabalho em um diálogo sobre razões que os artistas insistem em defender, sobre o valor de estarem despindose cotidianamente diante de outros indivíduos, em busca de uma razão primordial de existência. Esse trabalho é resultado de uma parceria com Duda Paiva, artista brasileiro radicado na Holanda e um dos grandes nomes do teatro de objetos europeu. O GRUPO Sediada na Capital Paulista, a Companhia Mauricio de Oliveira e Siameses tem sete anos. Promove o aprimoramento da pesquisa corporal, envolvendo o artista no processo de compreensão do funcionamento de

sua própria estrutura mente/corpo, por meio do estudo da Hatha Yoga, do balé clássico e de outras técnicas corporais, além de preocupar-se com a valorização da dança como arte, a fim de que ela se expanda e ocupe um território mais amplo e respeitável. FICHA TÉCNICA Concepção e Direção: Mauricio de Oliveira e Duda Paiva. Coreografia: Mauricio de Oliveira. Intérpretes: Ivan Bernardelli e Natalia Fernandes ou Mauricio de Oliveira. Iluminação: Silviane Ticher. Figurino e Cenário: Mauricio de Oliveira e André Mello. Cenotécnico: Antônio Oliveira. Objetos: Duda Paiva e André Mello. Músicas: Gavin Bryars - Farewell to Philosophy; Hildur Gudnadottir - Without Sinking. Texto: Livre adaptação do texto Carta aos Atores, de Valère Novarina. Programação visual: Ivan Bernardelli. Direção de Produção: Tanza Produções – Alessandra Herszkowicz.

Oficina Improvisação e composição Grupo Mauricio de Oliveira & Siameses

20/04 Sábado 20h Teatro do Sesc R$ 4,00 e R$ 2,00

Livre

21 e 22/04 das 09h às 12h Teatro do Sesc R$ 4,00 e R$ 2,00

São Paulo/SP Carga horária 1h

Os participantes dos workshops serão convidados a experimentar técnicas corporais que favoreçam a apreensão dos mecanismos de funcionamento da estrutura de integração corpo e mente, tendo uma visão mais detalhada do trabalho de pesquisa da Cia. Aldeia Vale Dançar 2013

Público-alvo: Aberto gratuitamente para profissionais da área. Número máximo de participantes: 20. Ministrante: Mauricio de Oliveira, Ivan Bernardelli ou Natalia Fernandes.

14


Ilhados-encontrando as pontes Grupo Experimental

Recife/PE

Duração 45min.

SINOPSE Parte integrante da pesquisa coreográfica desenvolvida pelo Grupo Experimental, “ILHADOSencontrando as pontes” é a primeira tradução cênica deste processo. Neste movimento inaugural, duas gerações constroem as pontes, revelando partes da história do ilhado Grupo Experimental. Abrimos a porta da criação para dar passagem ao movimento das águas, para ouvir nas conchas a voz dos ventos, para deixar entrar luzes que podem encontrar as pontes, deixar misturar em dança as tantas histórias. Dois corpos, dois momentos e muitas pontes. O lugar desenhado nos corpos, e a dança carregando o lugar para todo e qualquer lugar. Caminhos de água e sentimentos, pontes feitas de marés, marés de gente. Dança que espelha vida que espelha dança. O que de mim está em você e o que de ti cabe em mim? No encontro com as pontes, os sons, os cheiros...sabores, saberes ancestrais. Tesouros únicos, as pérolas raras que guardei ilhadas sabem tudo de mim, de nós...e agora

Livre

21/04 Domingo 18h Teatro do Sesc R$ 4,00 e R$ 2,00

fazem- se pontes para nos dizer. Estamos ilhados, somos ponte-ilhados... e quando a ponte se faz, a pergunta chega: O que você vai trazer da ilha? É urgente desaguar para saber-se ilha, saber ser ilha!

Compartilhados REPERTÓRIO

Grupo Experimental

Duração 50min.

SINOPSE “Indivíduos são seres no mundo e, como tal, portadores de um lugar social e de uma temporalidade, a sua e a herdada, vivida e dividida, comungada de sentimentos, partilhada...” (Hallbwachs). Deixando emergir a trama de uma história pessoal, corpos se tornam a memória coletiva desta obra coreográfica, partilhando momentos e traduzindo experiências. Os intérpretes se deslocam no espaço de tempo, atravessando épocas, conectando falas de uma infância passada numa realidade repressiva, em um lugar geograficamente delimitado e cercado por regras e limites. Relatos de um povo ilhado, mergulhado em seu mar interior revolto de memórias e sonhos e que se depara com o limite do seu mar de fora. Como o corpo pode mostrar todo esse movimento de águas? Olhar o paraíso e suas belezas, muitas vezes embutidas na face e no coração dos seus protagonistas, desvelando uma intimidade de lembranças, experiências, alegrias, tristezas, ideias, medos, dores... Uma fala muda de muitos. Nesta obra, todos “Compartilhados”. Aldeia Vale Dançar 2013

Livre

15

21/04 Domingo 20h Teatro do Sesc R$ 4,00 e R$ 2,00


Aganjú Cia Casa de Orates

Petrolina/PE

22/04 Segunda 15h Esc. Mun. José Fernandes Coelho – Roçado Gratuito

Duração 40min.

SINOPSE A Terra era um vasto oceano e os orixás desejavam conhecê-la. Olorum encarregou Oxalá de descer ao Aiyê e espalhar o pó preto que formaria a Terra firme. Entregou a ele o saco com o pó preto... Oxalá então partiu em viagem, mas no meio do caminho sentiu sede... Exu, vendo que Oxalá sentia sede, ofereceu-lhe vinho de palma, e tanto vinho que Oxalá embriagou-se e caiu em sono profundo, Exu tomou o saco da criação e o levou a Olorum, a quem contou que Oxalá beberá... Olorum então entregou o saco a Odudua, que com ele desceu a terra e criou “AGANJÚ”, a Terra firme. Olorum então criou um grande dendezeiro, pelo qual desceram à Terra todos os orixás... GRUPO Da sede pela cultura popular e da vontade de fazer um trabalho de pesquisa diferenciado, em abril de 2011 um grupo de bailarinos aceitaram colocar as suas máscaras de loucos e se internarem de vez nesse nosso hospital psiquiátrico, nesse nosso manicômio, nessa nossa Casa de Orates. Com aprovação no edital Microprojetos Bacia do São

25/04 Quinta 18h Palco Praça Bambuzinho Gratuito

Livre

25/04 Quinta 09h Esc. Mun. Jacob Ferreira Cosme Damião Gratuito

Francisco 2012 Governo Federal FUNARTE, a Cia Casa de Orates apresenta “Aganjú”, o seu espetáculo de estreia. FICHA TÉCNICA Direção: Fernando Barros. Bailarinos Criadores: Fernanda Luz, Fernando Barros, Marcos Aurélio Soares e Sinara Alencar. Figurinos: Fernando Barros e Sinara Alencar. Adereços e parâmentos: Fernando Barros. Cenografia: Fernando Barros. Iluminação: Antonio Pablo. Contra-regra: Jessica Senna, Paulo Junior e Scheila Luiza.

...na noite, Encontro-me! Dijma Darc

Juazeiro/BA

Duração 9min.

SINOPSE O que se espera de uma vida conturbada, do turbilhão de inconformismo e dor? Como se o organismo se recusasse a ser feliz, a estar bem. É que ser feliz às vezes dói, não é fácil. A noite torna-se uma aliada para lidar com seus medos, refletir, conhecer-se e tentar vencer a si mesmo.

Livre

25/04 Quinta 19h Teatro do Sesc R$ 4,00 e R$ 2,00

FICHA TÉCNICA Intérprete e criadora: Dijma D'arc.

Samba de Coco Trupé SAMBA DE COCO TRUPÉ

Arcoverde/PE

SINOPSE No dia 02 de maio de 2009 surgiu no bairro do São Miguel, um grupo de samba de coco para fazer a folia daquele bairro, um grupo montado pelo mestre “Ciço Gomes” que já vinha desde seus 15 anos como puxador de samba. Esse é o meu, é o seu, é o nosso samba que vem da raiz dos africanos, o coco que é a embolada e os versos que são imaginados, cantados na hora, o trupé que vem do som dos tamancos. Aldeia Vale Dançar 2013

Livre

27/04 Sábado 23h30 Estacionamento do Sesc Gratuito

FICHA TÉCNICA Vocais: Cícero Araújo (Cicinho), Jairene e Dona Maria. Percussão: Edneuton, Fábio, Novinho e Lalo. Dançarinos: Fagner (Valete), Diego, Bruno, Diogo e Bruna. Figurinos: Dona Maria. 16


Eu vim da ilha Cia de dança do SESC

Petrolina/PE

Duração 45min.

SINOPSE Espetáculo de dança contemporânea que utiliza no seu conceito alguns elementos e signos da Ilha do Massangano em Petrolina, comunidade, que fica no meio do Rio São Francisco. A travessia, o rio, os sons e as pessoas que moram na Ilha inspiraram na construção do espetáculo. Eu vim da Ilha propõe um diálogo entre movimento e as sensações de pertencimento que, o ser, sentir e estar na Ilha produz no corpo explorando suas diversas possibilidades. GRUPO Com 18 anos de atividades, vem desenvolvendo ações sistemáticas firmando-se definitivamente no Vale do São Francisco. Ao longo desses anos a Cia vem realizando espetáculos e projetos para o fortalecimento e difusão da dança contemporânea na região, sendo referência em diversos festivais no estado de Pernambuco. Recebeu o prêmio APACEPE 2012 de Melhor Espetáculo de Dança e Melhor Trilha Sonora com o espetáculo Eu Vim da Ilha. FICHA TÉCNICA Direção e Coreografia: Jailson Lima. Assistente de Direção: André Vitor Brandão. Preparação

Livre

22/04 Segunda 20h Teatro do Sesc R$ 4,00 e R$ 2,00

Corporal: Gracy Marcus. Concepção e Criação de Trilha Sonora: Sonia Guimarães. Concepção de Figurino: Maria Agrelli. Concepção e Execução de Iluminação: Carlos Tiago. Cenotécnica e Camareira: Lucylene Lima. Execução de Sonoplastia: Nilzete Miranda. Músicas de saudação e despedida: Carol Andrade. Bailarinos: Adriana Santos, Adriano Alves, Alexandre Santos, André Vitor Brandão, Clara Isis, Cleybson Lima, Fernando Pereira, Julia Godin, Mary Ane Nascimento, Rafaedna Brito, Thierri Oliveira, Wagner Damasceno e Wendell Britto.

Tatudobrega REPERTÓRIO

Cia de dança do SESC

Duração 40min.

SINOPSE TATUDOBREGA é uma intervenção de dança que passeia pela música tida como “brega”, música esta que está nas feiras, nos carrinhos de cds piratas, nos bares e bordeis. De rimas fáceis e palavras simples, “brega” se constrói na intervenção enquanto estética, enquanto possibilidade de comunicação. Com coreografias irônicas e repletas de clichês, os bailarinos exploram os tipos e trejeitos dos personagens que surgem do imaginário “cafona” que o estilo e a estética brega propõem. FICHA TÉCNICA Direção: Jailson Lima. Colaboração Artística: Cátia Cardoso e André Vitor Brandão. Interpretes – criadores: Adriano Alves, Alexandre Santos, André Vitor Brandão, Clara Isis, Cleybson Lima, Fernando Pereira, Julia Godin, Mary Ane Nascimento, Nilzete Miranda, Regiane Nascimento, Wendell Britto, Adriana Santos, Wagner Damasceno, Herbet Junior, Rafaedna Brito, Rafael Sisant, Elizabete Oliveira, Thierri Oliveira e Carlos Tiago. Execução de luz: Joannis Stefanis. Execução de som: Akylys Symon.

Aldeia Vale Dançar 2013

16 anos

17

28/04 Domingo 01h Espaço da Cantina do Sesc Gratuito


Marcelo Braga

Rio de Janeiro/RJ

foto Renato Mangolin

O Homem Vermelho Duração 55min.

23/04 Terça 20h Teatro do Sesc R$ 4,00 e R$ 2,00 24/04 Quarta 20h Teatro do Sesc R$ 4,00 e R$ 2,00

14 anos

SINOPSE Histórias que um corpo carrega e suas formas de comunicação, são as questões trazidas neste projeto solo do bailarino Marcelo Braga para o espetáculo O HOMEM VERMELHO, que conta com a colaboração dramatúrgica da atriz Simone Spoladore , o olhar sensível em imagens do cineasta Walter Carvalho, trilha sonora do músico Domenico Lancellotti e assistência de direção da bailarina Laura Samy. Há três anos afastado da cena como intérprete, devido a um raro linfoma de pele, o dançarino passou a observar o mundo através de frestas em espaços privados. No lugar do palco aberto ao público, a casa se tornou o cenário para reflexão e observação de sua própria trajetória. Da janela de seu apartamento em Copacabana, pelos corredores e salas de espera de consultórios e hospitais, o artista foi construindo pouco a pouco o percurso narrativo desta criação, que revisita com humor e otimismo fatos e histórias de sua vida. Como num jogo da memória, peças vão sendo viradas uma a uma à procura de seu par. GRUPO Iniciou seus estudos de dança em 1979, na Fundação Clóvis Salgado/Palácio das Artes (Belo Horizonte/MG). A partir de 1982, em Juiz de Fora/MG, dança peças de João Saldanha, Rodrigo Pederneiras, Ana Mondini, Lourdes Bastos e Victor Navarro, especialmente criadas para a Corpus Cia. de Dança. Em 1987, muda-se para Nova Iorque, onde aperfeiçoa seus estudos de dança clássica na escola do Joffrey Ballet e de dança moderna na Alvin Aldeia Vale Dançar 2013

AileyScholl. Em 1989, de volta ao Brasil, passa a integrar o Atelier de Coreografia, dirigido por João Saldanha, colaborando desde então, como assistente, cenógrafo, figurinista e bailarino nas criações da companhia. Em 1999, recebe o Prêmio RioDança de melhor bailarino do ano e em 2005, com Saldanha, parte para uma residência na Citè dês Àrts em Paris/FR, onde consolidam parceria com a Bienal de Dança de Lyon para co-produção e apresentação do espetáculo Extracorpo. Atualmente, à frente de seu primeiro projeto autoral - O HOMEM VERMELHO - vencedor do Prêmio FADA 2011, Marcelovem se apresentando, desde sua estreia, sempre com sucesso de público e da crítica especializada, nos principais teatros do país. FICHA TÉCNICA Criação, movimento, texto, luz, figurino, espaço cênico: Marcelo Braga. Assistente de criação e movimento: Laura Samy. Colaboração dramatúrgica: Simone Spoladore. Filme “O HOMEM VERMELHO”: Walter Carvalho. Imagem: Ding Musa. Edição: Leonardo Gudel. Trilha original: Domenico Lancellotti. Baixo acústico e elétrico: Alberto Continentino. Guitarras: Pedro Sá. Bateria, voz, percussão: Domenico Lancellotti. Gravação e mixagem: Igor Ferreira – estúdio Jimo/RJ. Objeto sonoro: Michel Groisman. Máscaras: Marina Vergara. Design gráfico: Roberto Unterladstaetter. Fotos e imagem pele: Renato Mangolin. Poesia do leite: Christophe Tarkos. Sonoplastia: Thiago Tafuri. Operação de luz: Renato Ramos. Cenotécnico: Custódio Vieira. Realização: Casulo Produções. 18


Ausências presentes Grupo Peleja

Recife/PE

SINOPSE “Ausências presentes – corpos femininos em trança” é uma pesquisa desenvolvida pela dançarina Tainá Barreto, a partir de sua vivência de campo junto a mulheres da cidade de Condado que fazem parte da comunidade no entorno do cavalo marinho, brinquedo popular originalmente realizado por homens. Este trabalho, incentivado pelo Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), tem por objetivo observar o universo feminino em torno do cavalo marinho e perceber como as mulheres, mesmo não sendo protagonistas na brincadeira, revelam-se presenças essenciais na estrutura, no imaginário e nas simbologias que compõem o brinquedo. Ao lançar um olhar para a vida cotidiana das mulheres da Zona da Mata Norte, região historicamente marcada pela exploração do trabalhador rural e pelas relações desiguais de gênero, esta pesquisa vem, nas entrelinhas, elucidar as sutilezas de um universo que não é contemplado na brincadeira e tornar visível o que não está em evidência. A pesquisa resultou em uma performance de dança, uma exposição de fotos da pesquisa de campo e um documentário curta-metragem. A performance, de nome “Ausências presentes”, foi criada a partir de diversos

Livre

25/04 Quinta 19h Teatro do Sesc R$ 4,00 e R$ 2,00

estímulos como imagens, músicas, objetos e relatos colhidos em viagens de campo, quando a dançarina pode aprofundar sua convivência com as mulheres da comunidade do cavalo marinho, brinquedo que investiga desde 2004. O foco da criação para a dança são os corpos, as histórias marcadas nestes corpos, e ainda como estes corpos (femininos) aparecem representados na brincadeira. FICHA TÉCNICA Idealização, pesquisa e criação: Tainá Barreto. Orientação do processo criativo: Maria Acselrad. Consultoria artística: Letícia Damasceno. Videomaker: Orlando Nascimento. Fotografia: Renata Pires. Tema musical: Cláudio Rabeca. Arte gráfica: Iara Sales. luminação: Lineu Gabriel. Edição da trilha sonora: Orlando Nascimento. Produção executiva: Iara Sales e Tainá Barreto. Apoio de produção: Lineu Gabriel. Confecção de adereços: Maria do Carmo (Dona Preta). Entrevistadas: Ivanice Silva (Ita), Jaclécia Silva (Clécia), Maria do Carmo (Dona Preta), Maria Soares (Maíca), Severina Alves (Dona Bia) e Severina Maria da Conceição (Dona Didi).

Tu Sois de Onde? REPERTÓRIO

Grupo Peleja

Duração 50min.

SINOPSE A pergunta “tu sois de onde?” é o impulso motor da poesia visual e corporal que Lineu Gabriel constrói sobre questões como identidade, fluxos e migrações. De onde? De quê? De quem? Tu “sois” da casa ou do mundo? Que pessoas e coisas te atravessam? ... Partindo de memórias pessoais e trazendo para a cena ferramentas corporais diversas, o espetáculo evidencia como fio condutor o mergulho na pesquisa sobre a dança de maracatu rural e o convívio com os Caboclos-de-lança da Zona da Mata Norte de Pernambuco. Neste trabalho, Lineu Gabriel assume seu olhar estrangeiro e investe no potencial de transformação de uma dança tradicional. Partindo de indagações pessoais e subjetivas, acaba por tocar em questões humanas, compartilhando temas universais, caracterizados pela constante procura de si. O espetáculo estreou em 2013 no Festival Janeiro de Grandes Espetáculos, em Recife/PE, onde recebeu os prêmios de Aldeia Vale Dançar 2013

12 anos

27/04 Sábado 19h Teatro do Sesc Gratuito

melhor bailarino (Lineu Gabriel), melhor cenário (Eduardo Albergaria), melhor iluminação (Eduardo Albergaria) e melhor trilha sonora (Cláudio Rabeca e João Arruda). FICHA TÉCNICA Concepção e interpretação: Lineu Gabriel. Direção: Ana Cristina Colla (Lume Teatro). Assistência de direção: Tainá Barreto e Helder Vasconcelos. Trilha sonora original: Cláudio Rabeca e João Arruda. Orientação da pesquisa sobre Maracatu de Baque Solto: Aguinaldo Silva. Desenho de luz e cenário: Eduardo Albergaria. Adereços e figurino: Fabiana Pirro. Arte gráfica: Iara Sales. Fotografia: Renata Pires. Realização e produção: Grupo Peleja. 19


Maria Colombina e Zé Pierrot Cia Soul Dance

Salgueiro/PE

Duração 1h

26/04 Sexta 18h Palco Praça Bambuzinho Gratuito

Livre

SINOPSE Dança e teatro são os elementos utilizados para narrar a história de amor nascida no calor do frevo de um carnaval pernambucano. Os jovens Maria e Zé são Colombina e Pierrot, personagens da Comédia Dell'arte, um gênero de teatro popular que surgiu na Itália, no século XVI. Embora Maria Colombina e Zé Pierrot não representem a história italiana, foram inspirados nela. O antagonista é o valentão da cidade, principal impedimento entre os apaixonados, pois a linda jovem Maria está comprometida ao “Diabo Loiro”. Comédia e romance envolvem o público numa emocionante e divertida história. GRUPO A Cia Soul Dance foi fundada no dia 10 de dezembro de 2011, com o intuito de fortalecer a arte e a cultura da nossa região. Um dos objetivos é fortalecer o teatro e a dança como arte viva em nosso cotidiano. Atualmente conta com 18 componentes entre dançarinos, atores, produtores e outros. A Cia Soul Dance busca em seus espetáculos

envolver a dança em suas diversas modalidades, teatro e artes plásticas, tendo como intuito promover uma linguagem mais abrangente da arte. Já participou de eventos como: Janeiro de Grandes Espetáculos e Cultura Livre nas Feiras (Ambos Promovidos pela FUNDARPE), Festivais e Amostras de dança (Promovidos pela Prefeitura Municipal e pela Secretaria de Cultura de Salgueiro) e festividades locais como Carnaval e São João. FICHA TÉCNICA Diretor cultural: Ysmalley Thomas Pereira Quesado. Presidente: Susana Micaelle Vieira. Diretora de produção: Ellyne Albuquerque Pereira. Sonoplastia e iluminação: Nildo Santos. Direção e produção de mídia: Kaysa Sampaio. Cenografia e figurino: Cristiano Sousa. Dançarinos: Carla Vanessa Silva, Cícero Santos, Duana Ferreira, Emanuella Eugênio, Ericka Oliver, Isaac Souza, Israel Silva, Lucas Galdino, Pedro Gabriel Silva, Risoleta Santos, Wendy Silva e Willian Silva.

Pernambucano REPERTÓRIO

Cia Soul Dance

Duração 1h

SINOPSE O espetáculo “PERNAMBUCANO” tem por finalidade expor a cultura pernambucana e suas diversidades. Para ser mais específico, o espetáculo apresentará algumas das principais danças do estado de Pernambuco e seus pontos econômicos, turísticos e sociais em sua extensão, na forma de espetáculo de dança. O espetáculo conta com coreografias de caboclinho, forró, Aldeia Vale Dançar 2013

Livre

27/04 Sábado 22h Teatro do Sesc Gratuito

baião, xaxado, maracatu, pífano e frevo. A apresentação do espetáculo será realizado através de coreografias evolutivas desses segmentos. 20


Para sempre teu Qualquer Um dos 2 Cia de Dança

Petrolina/PE Duração 45min.

SINOPSE O sujeito caminha, de constatar-se partido/fragmentado, descrente de complementar-se no outro (traz a carga dos afetos desfeitos; das juras para sempre esfaceladas), e segue em direção ao mergulho em si mesmo, para entender que ser completo de si é aceitar as próprias contradições/traições que o remetem ao mais coerente de si. GRUPO A Qualquer um dos 2 Cia de Dança foi criada em 2007 com o objetivo de manter um trabalho sistemático e profissional na linguagem da dança contemporânea. Com o fato curioso de ser formada apenas por artistas do sexo masculino, a Cia tem alcançado projeção nacional, com participação em festivais dentro e fora do estado. Tem investigado nos seus processos criativos aas relações afetivas na contemporaneidade. FICHA TÉCNICA Bailarinos: Alexandre Santos, André Vitor Brandão; Adriano Alves; Cleybson Lima, Wendell Britto e Rafael Sisant. Dramaturgia/textos do programa: Renata

12 anos

26/04 Sexta 20h Teatro do Sesc R$ 4,00 e R$ 2,00

Pimentel. Figurino: Maria Agrelli. Costureira: Xuxu. Design de luz: Luciana Raposo. Operação som/ camareira: Lucylene Lima. Operação luz: Fernando Pereira. Trilha sonora: Monday - Ludovico Einaudi, This is England OST - Ludovico Einaudi, Muzika moih vecherov - Ludovico Einaudi, El paso de mandinga - Gabriel Chwojnik, Adagio non troppo / Tomaso Albinoni, Ten minutes of freedom - Arvo Part. Assistência de Coreografias: Alexandre Santos e André Vitor Brandão. Coreografia e Direção: Jailson Lima. Agradecimentos: Galiana Brasil, pelo sensível olhar artístico que nos acompanhou em todo o processo.

Baque Opará Grupo Baque Opará

Petrolina/PE

SINOPSE O grupo percussivo Baque Opará (que significa Rio – Mar, na língua dos nativos índios trukás) traz em sua essência ritmos pernambucanos como maracatu - nesse aspecto, recebe forte influência do mestre Bernardino José, do Maracatu Nação Pernambuco – coco e ciranda, embalados pelos sons das alfaias, caixas, abês, ganzás, agogôs, balanços e sorrisos. Por onde passa, o som desses instrumentos e o entusiasmo dos batuqueiros convidam permanentemente o público a não ficar parado e entrar na enorme festa da música, da arte e da cultura popular. GRUPO Foi em novembro de 2008 que ocorreu o primeiro encontro de sete pessoas de diferentes origens, mas com uma paixão em comum, a música de raiz. No entanto o grupo foi batizado em janeiro do ano seguinte. Nesse despretensioso início, não havia instrumentos para todos os integrantes, e caixas de sapato faziam vezes de alfaias. Isso não impediu que no carnaval daquele ano o Baque Opará, já devidamente equipado, desfilasse em seu primeiro cortejo, revelando o caráter arrojado do grupo. Aldeia Vale Dançar 2013

16 Livre anos

27/04 Sábado 17h Espaço da Cantina do Sesc Gratuito

Desde então é crescente o número de participantes e da participação do Baque em eventos importantes do calendário cultural da região. Os encontros até hoje acontecem no pôr-do-sol dos domingos, às margens do Rio São Francisco, na orla de Petrolina. FICHA TÉCNICA Mestra-fundadora: Barbara Cabral. Caixa: Carina Oliveira e Barbara Cabral. Alfaia: João Nascimento, Roberta Duarte, Geórgia Romero, Aline Melo, Tarcísio Campina, Luciana Florentino e Omar Dantas. Ganzás: Cheila Bedor e Thais. Abês: Luísa Gardênia, Rebeca, Marta Malaquias e Solange Soares. Agogôs: Tereza Bezerra, Trindade Bezerra e Rafael. 21


Ser Híbrido Grupo Corpo da Vez

São Paulo/SP

SINOPSE Livremente inspirado na Obra de Virginia Woolf. A partir das provocações da obra Orlando, de Virginia Woolf, onde um jovem nascido na Inglaterra da idade moderna, após uma estada na Turquia, sofre alterações em seu corpo e acorda mulher, “Ser Híbrido”(provisório), espetáculo solo do “Grupo Corpo da Vez”, mostra algumas alterações que nosso corpo pode sofrer, a partir de sensações, mutilações e até mesmo da mudança de sexo. Como no romance de Virgínia, o protagonista, uma figura andrógina, leva-nos numa viagem onírica através dos tempos, marcada pela identidade sexual que muda de homem para mulher de acordo com suas intenções. O homem contemporâneo a cada dia se torna mais mutante, muito disso se dá mais pela necessidade e pela imposição do ambiente em que vive, do que pela sua vontade. E o Grupo Corpo da Vez, instigado por essas alterações físicas e emocionais, apresenta seu mais novo espetáculo.

18 anos

27/04 Sábado 20h Sala de Dança do Sesc Gratuito

FICHA TÉCNICA Concepção: Orlando Dantas e Ton Carbones. Coreografia: Ton Carbones. Figurino: Orlando Dantas.

Grupo Grial

Recife/PE

Foto Ruy Barbosa

Travessia Duração 45min.

SINOPSE “Travessia” é um mergulho festivo na caminhada milenar da contação de histórias. No desejo de reforçar os elos que nos ligam às origens mais remotas da cultura brasileira, o Grial parte da “contação” inicial representada pelas pinturas e insculturas das nossas itaquatiaras (principalmente da Pedra do Ingá, no agreste paraibano), até chegar às versões mais recentes de histórias transmitidas pela oralidade e cuja autoria inicial se perdeu no tempo. Histórias que formam a nervura central da nossa personalidade criadora, cujos fios se estendem através das gerações e são ludicamente tecidos pelo Grial, que procura, por sua vez, encontrar novas possibilidades de contá-las, mantendo acesa a chama dessa tradição. GRUPO Criado em 1997 pelo escritor Ariano Suassuna e a coreógrafa Maria Paula Costa Rêgo, o Grupo Grial inicia sua pesquisa de construção em dança contemporânea tendo no seu cerne conceitual e coreográfico os traços hereditários que estão inscritos na Tradição popular de Pernambuco. Dessa herança encoberta é que o Grupo Grial Aldeia Vale Dançar 2013

27/04 Sábado 19h30 Ginásio do Sesc Gratuito Livre

27/04 Sábado 22h Ginásio do Sesc Gratuito

faz pulsar a sua arte. FICHA TÉCNICA Concepção e Coreografia: Maria Paula Costa Rêgo. Direção de Arte e Cenário: Dantas Suassuna. Bailarinos: Anne Costa, Aldene Ferreira, Dayse Marques, Emerson Dias, Iara Sales, Orunmilá Santana e Maria Paula Costa Rêgo. Cantadeira: Isaar França. Trilha Sonora: Claudio Rabeca e Públius Lentulus. Figurino: Andrea Monteiro. Desenho de Luz e Iluminação: Luciana Raposo. Cenotécnica e Sonoplastia: Marcelo Almeida. Produção Executiva: Grupo Grial. 22


Coletivo Trippé

Petrolina/PE

Duração 38min.

Foto Maurício Fidalgo

No Caminho das Alimentadeiras

27/04 Sábado 21h Espaço Atrás da Biblioteca Gratuito

12 anos

SINOPSE O espetáculo é resultado de um estudo corporal que teve como mote as Alimentadeiras de Almas do Vale do São Francisco. Na coreografia perambulamos por um caminho de fé e devoção às almas, percorrido pelas Alimentadeiras, buscando em cantos trêmulos e nas batidas do coração penitente, sensações e lições. Ao som da matraca que rege o terço de cânticos, seguimos em eterna doação. São corpos que pedem misericórdia para as almas necessitadas oferecendo-lhes prece e luz. Corpos rodeados pela ideia do pecado que deve ser ungido em penitência no purgatório. Corpos que se entrelaçam e que se despedaçam. GRUPO Um aglomerado de bailarinos que se espalham por grupos do Vale do São Francisco, se encontrando por compartilharem o mesmo desejo, o de experimentar a criação, e esse desejo visceral não é apenas de criar, mas se baseia na devoção ao experimento, na busca por novos caminhos. Iniciando experimentações desde abril de

2011, o coletivo vem agindo na intenção de fortificar o movimento de dança do Vale do São Francisco, articulando ações que contemplem as janelas (princípios) em que se baseiam os seus intuitos. FICHA TÉCNICA Concepção, Direção, Coreografias, Bailarina, Maquiagem e Assistência de figurinos: Regiane Nascimento. Concepção, Direção, Coreografias, Bailarino, Cenografia e Programação Visual: Adriano Alves. Bailarinos criadores: Wendell Britto, Rafael Sisant, Cleybson Lima e Clara Isis. Orientação artística: Jailson Lima. Criação de trilha sonora original: Sônia Guimarães. Concepção de figurinos: Maria Agrelli. Criação e execução de iluminação: Carlos Tiago. Colaboração visual e desenhos: André Vitor Brandão. Confecção de figurinos: Xuxu. Assistente técnico: Akylys Symon. Cenotécnica: Wagner Damasceno. Confecção de cenografia: Metalúrgica e Cazza Enxovais. Produtora executiva e sonoplasta: Nilzete Miranda. Assistente de produção: Diego Ravelly.

Capitanear Matingueiros

Petrolina/PE

Duração 1h

SINOPSE O grupo Matingueiros aborda novos experimentos nesta apresentação, mescla a sonoridade sertaneja com elementos armoriais, traz uma nova atmosfera para as evoluções e figurinos do exuberante balé matingueiro. FICHA TÉCNICA Violão, voz e pífanos: Wagner Miranda. Percussão: Marcondes dos Santos, Celso José e Egleston Gabriel. Baixo acústico: João Jandiroba. Viola: Gustavo Nóbrega. Violino: Anderson Matheus e Lorena Lima. Violoncelo: Igor Farias. Bailarina, coreógrafa e figurinista: Gicia Mazda.Bailarinos: Gleice Santos, Carla Raquel, Jaiane Ferreira, Kervin Yuri e Samuel Menezes. Aldeia Vale Dançar 2013

Livre

23

27/04 Sábado 21h30 Estacionamento do Sesc Gratuito


O Baile

Cia de dança Canuto

Petrolina/PE

Duração 50min.

SINOPSE O ambiente democrático que favorece a integração dos amantes da dança de salão, dos que vivem por inspiração e, através dessa modalidade artística, conseguem ampliar seus laços, assim como para que os mais reservados externem parte de suas reais intenções. Enfim, todos se comunicam e se revelam. Estilos: Bolero, Samba, Forró e Tango. GRUPO Desde 2006, a Cia de dança Canuto contribui de forma expressiva para a ampliação do alcance da dança de salão, formando dançarinos e coreógrafos. FICHA TÉCNICA Direção e Coreografia: Marcos Canuto. Dançarinos: Corpo de dançarinos da Cia Canuto e convidados.

Livre

27/04 Sábado 22h30 Salão do Sesc Gratuito

cena dançante Na cena dançante o público é quem comanda, é ele quem está em cena no espetáculo-festa de encerramento do projeto. Os DJs Dekú Brega e Jocélio Bello dão o tom e o ritmo da festa deixando para público a tarefa do divertimento, de não ficar parado um só minuto. A cena dançante anuncia o fim do Aldeia Vale Dançar e nada melhor do que se despedir dançando, celebrando, comemorando...

Dj Dekú Brega SINOPSE Fazendo confluir ritmos que vão do brega ao samba e ao funk, o Dj dekú brega, propõe uma experiência Marshup¹, explorando os vestígios de brasilidade que provem da mistura.

Livre

¹ Marshup: Termo que veio da música, mais especificamente da eletrônica e significa misturar.

28/04 Domingo 1h40 Espaço da Cantina do Sesc Gratuito

DJ Jocélio Bello SINOPSE Artista urbano, integrante do COLETIVO COLETÂNEA, responsável pela seleção musical do programa coletânea; da rádio Transamérica, toda sexta-feira. MC de importantes Festivais culturais como: Raiz & Remix, Umbuzada Sonora, Conexão Vivo e Carnaval Alternativo de Juazeiro-BA. Aldeia Vale Dançar 2013

Livre

24

28/04 Domingo 2h30 Espaço da Cantina do Sesc Gratuito


SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO DEPARTAMENTO NACIONAL PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL ANTÔNIO OLIVEIRA SANTOS

Ficha Técnica

DIRETOR GERAL MARON EMILE ABI-ABIB

Curadoria André Vitor Brandão Galiana Brasil Jailson Lima

DIRETOR DIVISÃO ADMINISTRATIVA E FINANCEIRA JOÃO CARLOS GOMES ROLDÃO DIRETOR DIVISÃO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ÁLVARO DE MELO SALMITO DIRETOR DIVISÃO DE PROGRAMAS SOCIAIS NIVALDO DA COSTA PEREIRA

Coordenação André Vitor Brandão Thais Mirella Thom Galiano Carlos Tiago Célia Regina Nilzete Miranda Wechila Andrade Cristiane Crispim Sandra Guimarães

CONSULTOR DA DIREÇÃO GERAL JUVENAL FERREIRA FORTES FILHO GERENTE DE CULTURA MARCIA LEITE TÉCNICOS DE ARTES CÊNICAS MARIANA PIMENTEL RAPHAEL VIANNA VICENTE PEREIRA JUNIOR DEPARTAMENTO REGIONAL PERNAMBUCO

Douglas Xavier Carmem Moraes Akylys Symon

Equipe de Produção Gracy Marcus Delson Lopes Zezinho Lecter Laise Gomes Suely Regina Antonio Manoel Carol Andrade Wagner Damasceno Thierri Oliveira Rafaedna Britto Tiago Vidal

Registro Fotográfico Regina Lima Lizandra Martins Equipe de Filmagens ACP Assessoria de Imprensa CLAS – Comunicação & Marketing

Equipe Técnica Carlos César

Coordenação Geral Jailson Lima

PRESIDÊNCIA JOSIAS SILVA DE ALBUQUERQUE DIRETOR REGIONAL ANTÔNIO INOCÊNCIO LIMA DIRETOR ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO WLADIMIR PAULINO VILELA

serviço

DIRETORA DE ATIVIDADES SOCIAIS SILVIA CAVADINHA CÂNDIDO DOS SANTOS DIRETORA DE EDUCAÇÃO E CULTURA TERESA CRISTINA DA ROSA FERRAZ GERENTE DE CULTURA JOSÉ MANOEL DA SILVA SOBRINHO ASSESSORA DE COMUNICAÇÃO MAÍRA ROSAS TÉCNICA DE ARTES CÊNICAS GALIANA GALINDO BRASIL UNIDADE EXECUTIVA PETROLINA GERENTE HEDNILSON ROBERTO BEZERRA DA SILVA

Todos os espetáculos no Teatro Dona Amélia custarão R$ 2,00 (Comerciários e Estudantes) e R$ 4,00 (Público em geral), exceto no OverDança que a entrada é franca, porém é necessário retirar convite na bilheteria. As demais ações e espetáculos que acontecem em outros espaços são gratuitos, porém limitadas a capacidade do espaço. Oficinas: R$ 10,00 (Estudantes e Comerciários) R$ 20,00 (Usuários e Público em Geral)

SUPERVISOR DE CULTURA JAILSON LIMA EQUIPE DE CULTURA ANDRÉ VITOR BRANDÃO MARCOS CANUTO PETRÔNIO RANIERE THOM GALIANO CLARA ISIS LEIDY COSTA ARIANE SAMILA CARLOS TIAGO FERNANDO PEREIRA NILZETE MIRANDA LUCYLENE LIMA ALEXANDRE SANTOS JANDIARA MENDES THAIS MERELLA JANDIARA MENDES

Sesc Petrolina. Rua Pacífico da Luz, 618, Centro, Petrolina-PE Informações: (87) 3866.7474 (87) 3866.7454 www.sescpe.com.br

APOIO

REALIZAÇÃO



Aldeia Vale Dançar 2013