Page 9

Q

uem é Zulmiro de Carvalho ?

Não é fácil sintetizar o percurso de um artista com 45 anos de carreira, tanta obra feita e tanto reconhecimento a nível nacional e internacional. Escultor português, Zulmiro de Carvalho nasceu em 1940, em Valbom, Gondomar. Efectuou os estudos no Curso de Escultura na Escola Superior de Belas-Artes entre 1963 e 1968.  Foi docente da Escola de Belas-Artes do Porto, a partir de 1969.  Como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, frequentou a St. Martin's School of Art em Londres de 1971 a 1973.  Expõe regularmente desde 1964. Participou em dezenas de exposições individuais e colectivas, em Portugal e no estrangeiro.  Distinguido com diversos prémios nacionais: Prémio de Escultura da Fundação Calouste Gulbenkian de 1986, entre muitos outros.  É autor de diversas realizações de arte pública na região do Porto, Braga e Macau, entre outros.  No Porto, podem ser vistas esculturas do autor no Jardim de S. Lázaro, no Cemitério do Prado Repouso, no BCP, no Mercado Abastecedor ou na Prelada.

Gonçalo Cadilhe

“O que a gente leva da vida é a vida que se leva” Patrícia Costa e Pedro Gomes do 11ºG

A convite da Biblioteca e no âmbito do projecto da C.M.P.—Porto do Futuro, a ESAS teve o prazer de receber Gonçalo Cadilhe - um escritor verdadeiramente aventureiro . Alunos e professores tiveram a oportunidade de ouvir algumas peripécias das viagens que tem feito pelo Mundo. O escritor e jornalista brincou com a valorização dos bens materiais das sociedades de consumo e mostrou-nos as "suas" casas espalhadas pelo planeta, assim como os amigos que fez na sua última viagem que durou cerca de dezanove meses (sem apanhar um único transporte aéreo). Durante a conferência, fez questão de manter diálogo constante com o público presente, estando sempre, o seu discurso, aliado a um grande sentido de humor. Gonçalo Cadilhe é um exemplo para qualquer um de nós no sentido em que nos encoraja a viajar, fascinando-nos com relatos dos lugares mais belos do planeta, a usufruir da vida de uma forma intensa e a arriscar tudo numa viagem inteiramente enriquecedora a nível cultural. 

• Página 9

OLIMPÍADAS DE LÍNGUA PORTUGUESA Mª Luísa Mascarenhas Saraiva profª responsável pela Biblioteca

A BE elegeu como objectivo geral da sua acção o incentivo ao conhecimento e bom uso da língua portuguesa e ao desenvolvimento de hábitos de leitura, considerados num sentido amplo que engloba a diversidade de suportes e a cultura científica, humanística e literária. Para ir ao encontro do primeiro objectivo a Biblioteca promoveu, no ano passado, o concurso “Dar…à Língua” que, semanalmente, proporcionou uma revisão e um esclarecimento de muitas questões de ordem linguística. Este ano, entre outras actividades que integram o Projecto “A MINHA PÁTRIA É A LÍNGUA PORTUGUESA”, a Biblioteca e os Professores de Português decidiram lançar as Olimpíadas de Língua Portuguesa, colmatando internamente aquilo que consideram uma falta em termos nacionais. Desta forma, ao apelarmos para o gosto, curiosidade e conhecimento nesta matéria estruturante e de importância transversal a todos os currículos, pretendemos dar um contributo para o sucesso educativo dos alunos. As Olimpíadas constarão de duas provas, uma para o 3º ciclo e outra para o Secundário, e terão lugar na segunda semana do terceiro período. A entrega dos prémios aos vencedores de cada categoria deverá ocorrer na festa de fim de ano, momento alto de convívio da nossa comunidade. Contamos com o entusiasmo e a adesão dos nossos alunos e dos nossos professores para o sucesso desta iniciativa.

ABRIL

2011 I NÚMERO

XXIX

JornalESAS_abril_2011  

Jornal oficial da Escola Secundária Aurélia de Sousa, Porto

JornalESAS_abril_2011  

Jornal oficial da Escola Secundária Aurélia de Sousa, Porto

Advertisement