Page 10

Centenário da República Entrevista à professora Mª João Cerqueira No ano das comemorações do Centenário da República, o JORNALESAS encontrou-se com a professora de História e Coordenadora do Departamento das Ciências Sociais e Humanas que gentilmente nos deu uma entrevista. O seu enorme interesse histórico e cultural é inquestionável.

Ser republicano é respeitar a diferença, a educação, a cultura, a cidadania… Entrevistada por Pedro Gomes e Patrícia Costa do 10ºG

Página 10

O que significa ser republicano? Antes de pensar o termo ―republicano‖ é necessário falar de ―república‖. República, res publica, ou seja, um bem comum, um regime que é feito para estar ao serviço de todos. Ser republicano é respeitar a diferença, a educação, a cultura, a cidadania… Ainda faz sentido ser republicano nos dias de hoje? Faz sentido, claro, se tivermos uma República que seja uma democracia autêntica, que respeite as diversas opiniões. Nem sempre se pode associar, como normalmente se faz, república com democracia e monarquia com ditadura. Há repúblicas que são ditaduras e nós temos um bom exemplo: o Estado Novo; e monarquias que são democracias exemplares. O importante não é a república e a monarquia, mas sim a democracia. Concorda com a forma como é abordado o tema no Ensino Básico e Secundário? Seria impensável que os programas de História não abordassem o tema ―república‖. Penso que no que diz respeito à Primeira República Portuguesa, aquilo que perdura mais na memória dos alunos são os aspectos negativos, aquilo que afinal explica a sua curta duração. E muitas vezes é colocado num plano perfeitamente secundário o papel que ela desempenhou, por exemplo, na educação. Esta foi um dos principais objectivos dos republicanos, embora não tenha sido concretizado como quereriam, devido ao fraco estado das finanças. Mas conseguiram reduzir o analfabetismo - o que tem lógica visto que defendiam o Sufrágio Universal - e criar duas novas Universidades: a do Porto e a de Lisboa, criando ainda

o ensino para adultos e bibliotecas itinerantes. É também preciso chamar a atenção dos alunos para os valores republicanos: o laicismo, a igualdade de direitos e de oportunidades, os direitos naturais, o dever de respeito pela cultura e pelas ciências e ainda a defesa de uma educação para a cidadania - aliás o tema do nosso Projecto Educativo há já vários anos. Quais as actividades mais significativas levadas a cabo pela ESAS, nas Comemorações do Centenário da República? O grupo de História resolveu, desde o início do ano, realizar algumas actividades comemorativas do Centenário da implantação da I República. Comemorou-se a revolução republicana de 31 de Janeiro de 1891 com uma exposição de trabalhos dos alunos do 9º ano e a passagem de imagens no ―open space‖, ao longo do dia, sobre o Porto e a revolução falhada; têm sido publicados num blogue (http:// centenariorepublicaesas2010.blogspot.com/) os trabalhos que têm estado a ser realizados pelos alunos do Básico e Secundário. Em colaboração com o clube de dança e com a Biblioteca foi realizado um sarau. Foi um encontro com a Dança, a Poesia e a História, no dia 30 de Abril. Tem havido a preocupação de divulgar as diversas efemérides que, pelo país inteiro, mas sobretudo no Porto, têm sido realizadas – colóquios, exposições, conferências… E pensamos ainda iniciar o próximo ano lectivo, nas proximidades do dia 5 de Outubro, com mais algumas actividades… 

JUNHO

2010 I NÚMERO

XXVII

Jornalesas Junho 2010  

Edição de Junho de JornalESAS, jornal da Escola Secundária Aurélia de Sousa, Porto