Page 1

Boletim Eletrônico do Mandato do Vereador Alberto Heck (PT) - Novembro de 2019

Alberto Heck faz reflexão sobre liberdade do ex-presidente Lula Alberto João Heck (PT) ocupou a tribuna da Câmara de Vereadores, no dia 11 de novembro, para refletir sobre a soltura do ex-presidente Lula, ocorrida no dia 8, que estava preso na Polícia Federal em Curitiba após condenação em segunda instância. Heck fez uma reflexão sobre porque a liberdade de Lula incomoda muita gente enquanto situações mais graves não causam tanto aborrecimento, através da leitura de um texto que circula na internet de autor desconhecido.

“Lula Livre te incomoda? Por que Aécio livre não te incomoda? Por que Michel Temer livre não te incomoda? Por que o caso Queiroz não te incomoda? Por que a Reforma da Previdência do Paulo Guedes que acaba com os seus direitos não te incomoda? Por que a Privatização da Petrobrás não te incomoda? Por que os milicianos da família Bolsonaro não te incomoda? Por que a morte de Marielle não te incomoda? Por que o aumento de desempregados não te

incomoda? Por que a desigualdade social não te incomoda? Por que a suspensão de 19 medicamentos gratuitos do SUS não te incomoda? Por que o aumento do Tempo Mínimo de Contribuição de 15 pra 20 anos não te incomoda? Por que a liberação de

166 agrotóxicos em 4 meses (mais de 1 veneno por dia) do governo Bolsonaro não te incomoda? Por que o Orçamento de Bolsonaro para 2020 que tira metade dos recursos do MEC para pesquisa não te incomoda? Estranho né?”

Vereadores aprovam Moção de Repúdio contra alteração no plano de carreira do magistério

Alberto Heck faz referência ao dia de combate a violência contra a mulher

O vereador Alberto Heck (PT) encaminhou no dia 11 de novembro, e foi aprovada por unanimidade pelos vereadores, a Moção de Protesto e Repúdio Contra os Projetos de Alteração no Plano de Carreira do Magistério Público Estadual, no Estatuto do Servidor Público do RS e na Previdência Estadual em conjunto com o vereador Bruno Faller (PDT). Heck justificou o encaminhamento da Moção dizendo que o governo quer atacar os professores, desvalorizando seus salários e com isso a

Alberto João Heck (PT) ocupou a tribuna no dia 25 de novembro para se manifestar pelo Dia Internacional da Não Violência Contra a Mulher. A Câmara de Vereadores promoveu uma reunião especial alusiva ao dia, um pouco antes da sessão ordinária naquela data, com a presença do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher. Heck lembrou de uma reunião especial que o mandato fez há dois meses sobre “Educação, Trabalho e Gênero: empoderamento e protagonismo da mulher a partir da escola pública” e a importância de discutir o tema. Sobre a violência contra a mulher ele destacou que “as estatísticas impressionam, mas elas ainda não são reais, pois os números são muito maiores”, se referindo aos casos que não são notificados pela polícia. O vereador petista salientou, ainda, que existe uma rede relativamente bem estruturada aqui no município para atender a mulher vítima de violência, mas que é preciso vencer o medo e a vergonha e fazer a denuncia do agressor. “Parabéns a Iara Bonfante, a Susana Gaab e a todas as conselheiras pelo trabalho em prol do respeito e dignidade à mulher vítima de violência”.

própria educação. “Nós sabemos da importância da educação pública e de qualidade para a população mais pobre”, salientou.

Servidores públicos participam de reunião especial na Câmara Servidores públicos estaduais, principalmente, policiais, técnicos científicos, trabalhadores da saúde e professores participaram de uma reunião especial na Câmara de Vereadores no dia 20 de novembro, às 16h30. As diversas categorias se manifestaram sobre as demandas específicas e também reforçaram o que atinge a todos com os projetos de alteração no plano de carreira do magistério público gaúcho estadual, no estatuto do servidor público do RS e na previdência estadual. Ficou

claro um ponto! Na forma como está a proposta do governo Leite impõe mudanças radicais, que provocarão a redução das remunerações e, como consequência, nos valores das aposentadorias para todos os servidores, que atualmente já sofrem com o sucateamento da máquina pública e a falta de infraestrutura. O vereador Alberto Heck secretariou a reunião que foi um importante espaço para mostrar à sociedade as reivindicações das categorias e a relevância do serviço público

Vereadores aprovam Moção de Repúdio contra alteração no estatuto e na previdência da Brigada e dos Bombeiros Militar

Câmara fica superlotada por funcionários públicos para encontro com Brum e Kelly A Câmara de Vereadores ficou superlotada por funcionários públicos estaduais que lutam por dignidade e um serviço público de qualidade. No dia 21 de novembro, às 19h, o CPERS/ Sindicato promoveu uma reunião entre várias entidades de servidores públicos estaduais e os deputados estaduais Edson Brum (MDB) e Kelly Moraes (PTB). Alberto Heck se manifestou, como vereador e professor estadual, na reunião falando da relevância da mobilização dos servidores neste momento para sensibilizar a sociedade a lutar pela qualidade dos serviços públicos e pela unidade de seus trabalhadores.

Alberto João Heck (PT) encaminhou no dia 25 de novembro e, foi aprovado por unanimidade pelos vereadores uma Moção de Protesto e Repúdio Contra os Projetos de Alteração no Estatuto do Servidor Público do RS e na Previdência Estadual da Brigada Militar e do Corpo de Bombeiros Militar para ser enviada ao governador Eduardo Leite e a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul. Heck argumentou que a proposta do governo é nefasta aos servidores, pois significa a redução das remunerações, inclusive nos valores das aposentadorias para todos os servidores, em especial aos profissionais da Educação e da Segurança, que atualmente já sofrem com a falta de condições dignas de trabalho. “Atenção para este dado, aproximadamente 2.400 brigadianos já solicitaram pedidos para a reserva, portanto, a proposta do governo não resultará em economia relevante em curto prazo para o Estado, além de afetar imediatamente o serviço de segurança público, agravando ainda mais o desgaste do atraso e do parcelamento de salários”, justificou ele.

Profile for Alberto Heck

Boletim Alberto Heck - Novembro de 2019  

Boletim Alberto Heck - Novembro de 2019  

Advertisement