Page 1

MANUAL DE SOBREVIvÊNCIA FABICANA


(de certa forma) Desamparados, caímos de paraquedas num campo de batalha que já travava guerras antigas. Sem experiência, sem conhecimento e munidos exclusivamente de uma visão distante e muitas vezes distorcida do mundo que iremos experimentar pela primeira vez, atemo-nos à única coisa que é capaz de nos confortar diante dessa selva de assustadora ferocidade: a esperança de traçar um caminho pleno e tranquilo durante os anos em que a ela estivermos ligados. Tamanha é a ingenuidade destes pobres seres. E conforme o tempo voa, vemos desmoronar um mundo de idealizações criado por nossos passados. Passados estes que uma vez foram sonhadores, criaram expectativas e imaginaram que tudo o que viesse a seguir seria banhado à mais pura satisfação. A realidade é dura e chocante: sejamos todos bem-vindos à verdadeira faculdade. Assombrados desde que éramos jovens demais para entender algo sobre qualquer coisa, o fantasma da faculdade já nos pressionava para que tomássemos decisões que sequer éramos capazes de entender por completo. Mas decidimos e fizemos dar certo. Agora aqui estamos. E precisamos de ajuda. Oh céus, como precisamos. Entendam caros calouros: nós já fomos alunos como vocês. Se hoje estamos onde estamos, é porque passamos por tudo pelo que virão a passar. Se falamos com a propriedade com a qual falamos, é porque já entendemos tudo o que virão a entender. Se escrevemos estas palavras para que tenham o melhor tempo de suas vidas, é porque percebemos que era tudo o que queríamos que tivessem escrito para nós. Hoje, daqui de onde estamos, compreendemos todas as frustrações, todos os choques e todas as incertezas que tivemos quando ocupávamos o lugar que agora ocupam, pois foi sentindo na pele que percebemos como estávamos desarmados para enfrentar esse mundo assustador que chamamos de “real”. O que lhes escrevemos hoje é tudo aquilo com o que gostaríamos de ter sido aconselhados antes de entrar na faculdade, pois, acreditem ou não, mais do que um exercício mental, estão todos a ingressar numa grande prova de resistência. Se nos permitirem, gostaríamos que nos dessem a mão e passeassem por um apanhado de vivências, visões de mundo e conselhos que uma geração inteira de Fabicanos se empenhou em contribuir para que chegassem até vocês, assim como gostariam que tivessem chegado até eles anos atrás. Podemos?


ARME-SE! HÁ UM MUNDO REAL A SER DESCOBERTO Do primeiro ao último semestre, do ritmo agitado da Comunicação às diretrizes rígidas das Ciências da Informação, somos todos Fabicanos. Como tais – que agora vocês também o são – além das boas-vindas queremos presenteá-los com a experiência que adquirimos e alguns breves dizeres que, temos certeza, serão extremamente valiosos para os anos que virão. Aqui, vida acadêmica e vida pessoal se fundem nas palavras de diversos alunos que passaram por solo Fabicano, como forma de convidá-los para uma excelente passagem universitária. Respirem, leiam com atenção e não se afobem! O que estamos prestes a compartilhar pode ser (e é) muito mais fácil de aplicar na vida real do que as fórmulas e equações que acompanhavam o menino Vestibular.

Primeiramente, o básico: faculdade NÃO é tudo nessa vida. Faculdade é uma questão de escolha. Saúde mental, física e felicidade são o que realmente importa. Nenhum diploma vale mais do que isso.

NÃO PIRA! Por mais difícil que qualquer coisa possa parecer, pra tudo na vida se dá um jeito e com a faculdade não é diferente. Só não vale desistir sem tentar dar conta.


1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Respire, conte até 10 e tome um café (ou um porre). No fim sempre dá tudo certo.

A UFRGS oferece OITO anos para a conclusão do curso. Não se desespere pra fazer tudo correndo. Faça tudo no seu próprio ritmo.

Oito anos é tempo que dá e sobra. Aproveite ao máximo tudo o que você quiser e precisar, mesmo que isso signifique terminar a graduação depois do tempo programado. Isso é perfeitamente comum.

Em oito anos dá tempo para fazer bolsa, iniciação científica e estágio. Três coisas importantes na formação de qualquer Fabicano. Em quatro anos também.

Nunca, em hipótese alguma, compare-se aos outros. Cada um tem o seu ritmo, cada um tem suas habilidades e cada um tem as suas próprias condições.


Respeite seus próprios limites. A sobrecarga de disciplinas e de compromissos é mais comum do que imaginamos e uma das principais causas de colapsos nervosos.

Ou seja, se não há tempo ou pique:não se encha De cadeiras simplesmente por ganância.

Isso não é prêmio pra ninguém. Faça pouco, mas faça bem: aproveite cada momento e aprendizado das disciplinas e bibliografias, principalmente daquelas que são mais atrativas para você. Quanto às outras, lidem da melhor forma possível.

A vida social é imprescindível para uma boa vida acadêmica. NÃO abandonem os momentos de lazer em prol da faculdade. Existe harmonia entre a diversão e o estudo.

Suguem conhecimento dos professores. Um assunto pode parecer chato, mas também pode fazer uma falta tremenda no dia-a-dia.

Invista naquilo que te dá prazer e pratique com empenho. Muitas vezes será necessário buscar motivação fora da Universidade. A prática real está fora do meio acadêmico.


Seja você mesmo. Nunca mude para agradar os outros. Há lugar para todos dentro da faculdade.

Em momentos de dificuldade, tente não se diminuir. Você é brilhante e mais cedo ou mais tarde isso vai florescer. Não se sabote.

Não perca a chance de se desafiar. Você acaba de entrar em um lugar novo, e sair da zona de conforto é extremamente necessário.

Frequência nas disciplinas não é sinônimo de bom desempenho. Assistir todas as aulas não garante aprendizado. Se necessário, falte, mas organize as faltas.

Conforme o curso avança, as coisas tendem a ficar mais difíceis. O início do curso é quando há mais tempo livre para fazer qualquer coisa.


Cadeiras eletivas são nossa eterna relação de amor e ódio. São mais de 60 créditos que podem ser muito bem aproveitados (ou não).

Dificilmente todas as eletivas disponíveis nos agradarão. Escolha aquelas pelas quais há um mínimo de interesse para torna-la agradável. Informe-se BEM antes de escolher.

Eletivas no início do curso são uma boa pedida. Os primeiros semestres são um bom momento para matricular-se no maior número possível (respeitando seu próprio limite).

Se não estiver trabalhando e tiver tempo livre, arrisque buscar cadeiras eletivas em campi mais distantes.

Só é possível estagiar a partir do terceiro semestre. Nos dois primeiros procure saber sobre bolsas acadêmicas. São um importante impulsionador para quem não tem experiência dentro do mercado.


Tente não criar expectativas. Crie seu próprio juízo sobre as coisas.

Corra atrás de tudo. O mundo acadêmico não entrega nada de mão beijada. Aproveite a faculdade para ver o mundo de uma forma diferente. Converse com o máximo de pessoas que puder abrindo a cabeça para

diferentes visões. O desempenho na faculdade não diz sobre quem você é: atrasar, trancar ou repetir disciplinas não é o fim do mundo. É melhor do que surtar.


Tente se inteirar do mercado de trabalho sempre que puder. Deixar para buscar inserção no mercado mais tarde pode ser um tiro no pé.

Sentir-se perdido é normal. Há muita divergência entre o que aprendemos dentro da sala de aula e o que é exigido no mercado de trabalho.

A faculdade dá a base mas o que ensina é o mundo lá fora. Não estranhe sentir-se acanhado diante do mundo profissional.

A chave de tudo é o autoconhecimento. Conhecer seu próprio ritmo, seus limites e suas necessidades é o primeiro passo para tomar qualquer decisão.


Quando você se sentir frustrado ou perdido, lembre-se que há muitos na mesma situação.

CONVERSEM

Passar pela Fabico é como um relacionamento: quando está bom, está bom; quando não está, respira e discute a relação.

Seja sempre sincero consigo mesmo!


Chega a ser interessante não? Como dezenas de estudantes conseguiram reunir vivências e preocupações, vindas de diferentes experiências, a partir de uma única motivação: fazer com que as futuras gerações de Fabicanos dispusessem de um rico arsenal de dicas e conselhos para enfrentar quaisquer adversidades que se apresentassem em seus anos de acadêmicos. O preparo que buscamos proporcionar a vocês, que agora adentram esse antro de descobertas, era nosso principal objetivo ao criar este manual. Manual, entendamos contudo, é o tipo obra em formato pequeno que contém diretrizes relativas a uma determinada disciplina. Este livreto, entretanto, que busca mais orientar do que definir passos, cabe frisar, não é tido como verdade universal. Diferentes personalidades e particularidades refletem em diferentes formas de encarar os desafios, e nosso papel aqui fora exclusivamente uma tentativa de ajuda para encará-los da melhor forma possível. Mais do que manual, somos um guia. Abrimos possibilidades, damos sugestões e indicamos caminhos. O resto é com vocês.

Sejam bem-vindos. Sejam sempre muito felizes.


criado por:

Alan Soares, Bruna Dalbem, Bruno Manganelli, Isadora Aires, Lauren Laux, Priscilla Frasnelli e Vittoria Ben

Manual de sobrevivência fabicana  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you