Page 1

PRIMEIRA IMPRESSÃO - PÁG 8

Lei do deputado Pedro Lupion em defesa do idoso é sancionada no Paraná É considerada violência contra o idoso “qualquer ação ou omissão praticada em local público ou privado que lhe cause morte, dano ou sofrimento físico ou psicológico”

a cada ano em decorrência da maior longevidade da população”, afirma. De acordo a proposta, a prática dos atos dessa lei acarretará ao infrator a multa de 3 mil reais. “Acredito que a nossa proposta tem também um importante papel cultural, no sentido de divulgar e acelerar o respeito aos direitos das pessoas idosas e de elimi-

deve ser garantida a esse público” violência às pessoas idosas e isso o motivou a apresentar a proposta de lei. “Nosso projeto visa garantir a integridade e o respeito devido a esse público, que cresce em ritmo célere

O JORNAL DA FAMÍLIA QUATIGUAENSE

nar e reduzir as atitudes preconceituosas que são dirigidas contra elas”, argumenta. Pela Lei, a notificação será emitida por um médico e encaminhada à delegacia, ao Ministério Público do Paraná e à Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado para que sejam tomadas as providências cabíveis.

WWW.MPDIARIO.COM.BR

22 DE MARÇO / 2014

ANO I - Nº 1

Antônio Bordignon

Divulgação

Sandro Nascimento

A Lei que cita normas de proteção e defesa da pessoa idosa contra atos discriminatórios, de violência ou maus-tratos praticados foi sancionada pelo governador Beto Richa (PSDB). De acordo com o Estatuto do Idoso, entende-se como idosa a pessoa com idade igual ou superior a 60 anos.

“A integridade

Da autoria do deputado estadual Pedro Lupion (Democratas), a Lei recebeu o número 17858/2013 e visa inibir qualquer tipo de violência, dano ou sofrimento, seja físico ou psicológico, ao idoso. O deputado Pedro Lupion explica que tem observado a constante divulgação, pela mídia, do aumento da

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

DIRETOR - ALAN QUEIROZ

Serviços de saúde deverão notificar as autoridades em casos de suspeita ou confirmação de violência praticada Assessoria

PRIMEIRA IMPRESSÃO UM EXEMPLO DE HISTÓRIA

Um dos homens mais ricos e poderosos do Paraná tem uma rotina simples e tranquila. Transformou seu nome em sinônimo de qualidade e hoje, ao lado da esposa Amália Zanini, observa na sombra sua rede de loja de materiais de construção ser administrada pelos filhos. PÁG.5

PEDRO LUPION Lei em defesa do idoso é sancionada no Paraná PÁG. 8

PARTO

AFINAL, O QUE ESTÁ ACONTECENDO COM O HOSPITAL?

Médicos ainda CPI está apurando denúncias de irregularidades na fazem procedimentos administração da casa de desnecessários PÁG. 7 saúde. A filha do prefeiUm lixão irregular to, médicos e empresas dentro de Quatiguá estão envolvidos PÁG.3 PÁG. 6

Anuncie a sua empresa com a gente.


PRIMEIRA IMPRESSÃO - PÁG 2

NOTAS

A divulgação da informação precisa e correta é dever dos meios de comunicação e deve ser cumprida independentemente da linha

política de seus proprietários e/ou diretores ou da natureza econômica de suas empresas”

EDITORIAL

A PRIMEIRA EDIÇÃO

“Não existe uma segunda chance para causar uma primeira boa impressão”. O autor dessa frase é desconhecido, mas tinha total convicção – e razão – sobre o que falava. Nós criamos conceitos sobre as pessoas através das atitudes delas no cotidiano. Se você, por exemplo, conhece uma pessoa que, na ocasião, esteja agindo de uma maneira que você não concorde, dificilmente essa impressão negativa do primeiro contato poderá ser revertida. Com um veículo de comunicação não é diferente. O jornal “Primeira Impressão” nasce com o objetivo de levar conhecimento, entretenimento e, o mais importante, representar e dar voz à comunidade quatiguaense. Estamos determinados a mostrar o melhor e o que ainda precisa mudar em nossa cidade.

Queremos um lugar que seja um sinônimo de orgulho. A criação, a realização e a execução desse tabloide é sinal de comprometimento com a comunidade quatiguaense. O propósito é manter uma linha editorial sem interferências políticas e empresariais ou pontos de interrogação, sempre pautada pela ética jornalística e pelo compromisso social. O conteúdo dessa primeira edição já denota algumas características deste veículo de comunicação. Mas estamos preparados para evoluirmos. A cada edição, novidades e adaptações necessárias para transmitir informações com clareza, qualidade e seriedade. O “Primeira Impressão”, a princípio, será um jornal quinzenal e as pautas locais serão prioridades em cada edição. Contaremos histórias de pessoas que ajudaram a constrir a histó-

Expediente

ria da cidade e abordaremos assuntos que afetam toda a população, além de noticias da região e do Brasil. Hoje, nossa Quatiguá tem uma Saúde Pública doente, uma Educação analfabeta e uma população trabalhadora carente de governantes, e políticos sem atitudes. Precisamos reagir e mudar essa triste realidade. O “Primeira Impressão” está aqui pra colaborar. Todo o trabalho é para que, com o tempo, o “Primeira Impressão” se torne um material de referência, conquistando prestígio da comunidade. Esta edição que você está em mãos é a primeira desse jornal que espera contar com o apoio da população para melhorarmos cada dia mais nossa cidade.

- (Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros)

CHARGE

CNPJ - 19.895.966/0001-62 Diretor Responsável e Diagramação: Alan Junior de Queiroz Avenida Drº João Pessoa, nº 1544, centro Quatiguá (Paraná) Telefone- (43) 9915-3240 Tiragem: 4.000 exemplares Circulação: Quatiguá, Joaquim Távora, Guapirama e Siqueira Campos

Entra no ar o novo portal de notícias da região

PERIGO NO PARTO

Quase 20 anos depois de a Organização Mundial de Saúde recomendar o fim de procedimentos desnecessários durante o parto, algumas técnicas ainda são usadas no Brasil. Segundo a OMS, o uso abusivo de ocitocina, fórceps e a pressão na barriga passaram a ser considerados abusivos. Os especialistas no assunto alertam que esses médotos podem causar nas mulheres comportamentos semelhantes aos das vítimas de abuso sexual

CRIANÇAS

Número de crianças matriculadas em creches no Brasil aumenta 7,5%. Os dados são do Censo da Educação Básica. A comparação é entre os anos de 2012 e 2013. Ao todo, 7,590 milhões de matrículas foram realizadas na educação infantil em 2013.

EDUARDO-MARINA PARA PRESIDÊNCIA

PIADA

Um homem dirigindo no trânsito, pára, e repentinamente, alguém bate no vidro do carro dele. Ele abaixa o vidro e pergunta o que o outro homem quer. O outro homem diz: “O prefeito da cidade foi sequestrado e o resgate é 50 milhões de reais. Se o resgate não for pago, o sequestrador irá jogar gasolina e atear fogo nele. Nós estamos arrecadando contribuições. Tu gostarias de participar?” O homem no carro pergunta: “Na média quanto o pessoal está doando?” O outro homem responde: “Em torno de 5 a 10 litros de gasolina”.

TELEFONES PÚBLICOS

Vida longa ao “Primeira Impressão”, o jornal Prefeitura de Quatiguá.....................3564 1381 da família quatiguaense.

PRIMEIRA IMPRESSÃO

PRIMEIRA IMPRESSÃO - PÁG 7

Hospital São Vicente de Paulo.........3564 1276 Posto de Saúde................................3564 1814 Delegacia de Polícia.........................3564 1272 Biblioteca Pública............................9978-1374 Rodoviária.......................................3564 1254 APAE................................................3564 1176 Correio.............................................3564 1655 Lotérica............................................3564 1714 Cisnorpi............................................3511 1800

www.mpdiario.com.br

Dirigentes de PSB e Rede acertaram para esse mês de março o lançamento da chapa presidencial encabeçada por Eduardo Campos, com Marina Silva como vice. A ideia é criar um fato político forte para iniciar o ano pós-Carnaval. A dupla também estrelará os programas do PSB em abril. Diante do cenário em que Marina ainda aparece mais bem posicionada que Campos no Datafolha, a ordem é intensificar aparições conjuntas para forçar a transferência dos votos.

CADÊ O SEU RG?

A cada 14 segundos, um consumidor brasileiro teve o RG usado por criminosos em janeiro. Os dados foram divulgados pelo Indicador Serasa Experian de Tentativas de Fraude. Ainda de acordo com o estudo, perder documentos como o RG ou o CPF dobra a possibilidade da pessoa ser vítima de golpistas.

SECA NO BRASIL

Um relatório do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) aponta que o nível dos reservatórios das hidrelétricas do Sudeste e Centro-Oeste deve permanecer abaixo da média em março. O governo decidiu acionar as usinas térmicas, de custo mais alto por causa do problema. Segundo o ONS, o país atravessa uma das piores secas dos últimos 80 anos e o risco de faltar energia é de 5,7%, um índice considerado alto para especialistas.

Novo portal de notícias de Quatiguá e região

Entrou no ar o novo e mais completo site de notícias da região, o portal Movimento Popular (MP) Diário . Informações sobre tudo que acontece em Quatiguá, na região, no Brasil e no mundo em um único lugar. O endereço do novo portal é www.mpdiario. com.br. Com uma linguagem atual e construído dentro do princípio do jornalismo, o MP Diário trás uma platafor-

ma moderna, dinâmica e clara que permite maior facilidade na visualização das notícias. Além disso, estão disponíveis aos internautas as opções de enviar seus comentários, denúncias e sugestões de pautas. E as novidades não param por aí: mural de fotos e recadostambém farão parte dos destaques da página principal do MP Diário. O portal de fácil navegação facilita aos visitantes

+Informativo +Notícias

PADRÃO FIFA

O presidente da Fifa, Joseph Blatter, disse, em entrevista a um jornal, que a Copa do Mundo no Brasil já é um sucesso, citando os mais de nove milhões de pedidos de ingressos feitos. Disse, ainda, que acredita que os prováveis protestos durante o Mundial não devem afetar a segurança da competição e disse que a expressão “padrão Fifa”, levada às ruas pelos manifestantes para exigir hospitais e escolas, entre outros, é só o reconhecimento da excelência da entidade.

localizar o que procura. Há notícias de interesse geral e informações para todos os internautas, com a qualidade e responsabilidade que uma verdadeira notícia exige. O MP Diário é coirmão do jornal Primeira Impressão e juntos serão duas novas opções para a Quatiguá e região se informarem. Acesse agora e fique por dentro de tudo que acontece na sua cidade.

O novo portal de notícias da região!

+Moderno

Tudo sobreQuatiguá, região, brasil e mundo

www.mpdiario.com.br +dinâmico


Terreno particular vira depósito irregular de lixo da prefeitura

En�u�nt� i�s� �� Qua�i�u�...

Eduardo Molina

E essa bomba na sua mão prefeito?

Charge desenhada pelo artista quatiguaense Alan Godinho a pedido do Primeira Impressão.

IGREJA INTERNACIONAL DE DEUS

MINISTERIO MONTE SINAI CULTOS: SEGUNDA AS 19:00 ORAÇÃO TERÇA AS 19:00 CAUSAS IMPOSSIVEIS QUARTA AS 19:00 hs PROSPERIDADE QUINTA AS 19:00 hs ORAÇÃO SEXTA AS 19:00 hs LIBERTAÇÃO SABADO AS 18:00 hs PROSPERIDADE DOMINGO AS 09:00 hs SANTA CEIA DO SENHOR

IGREJA ADVENTISTA 7º DIA CULTOS: QUARTA AS 19:45 hs SABADOS AS 09:00 hs DOMINGO AS 19:45 hs TV NOVO TEMPO CANAL 58

A prefeitura de Quatiguá vem causando sérios transtornos e crimes ambientais na cidade e, colocando seus funcionários em risco de penalidades. Hoje, a antigo loteamento Camilo, em frente à garagem municipal, pertence à Associação dos Trabalhadores Sem Teto de Quatiguá. A prefeitura tem jogado caminhões de lixo nesse terreno particular e deixa evidente a incompetência da gestão do prefeito Fernando Dolenz - e desrespeito a lei federal No 9.605 de 12 de fevereiro de 1998, que diz no artigo 54: “causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos a saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora. Pena - reclusão, de um a quatro anos, e multa”. Registramos em fotos o caminhão da prefeitura fazendo o depósito criminoso no local. Lembrando: antes da atual gestão o terreno estava limpo. Após várias reclamações, o prefeito se comprome-

Lixão no meio da cidade???

teu comigo, Pastor Eduardo, que através do vereador Júlio Zanlorenzi, iria providenciar a limpeza e a recuperação do terreno, mas até agora nada. Providências judiciais serão tomadas para solucionar esse uso irregular do terreno – e o mais grave – o uso do local como depósito de lixo no meio da cidade. Apesar de sua aplicação à tutela ambiental já estar indiscutivelmente firmada em nosso ordenamento jurídico legal, a discussão doutrinária a respeito de sua utilidade prossegue. A princípio, a denúncia, no caso da pessoa jurídica, deve obedecer ao estipulado no parágrafo único do artigo 3º da Lei 9.605/98. Segundo tal dispositivo, a peça inicial acusatória deve especificar como parte no pólo passivo da ação, não apenas a pessoa jurídica infratora, mas, também, as pessoas físicas que contribuíram para o delito ambiental. Todavia, na situação em que não for possível a apuração dessas pessoas naturais, esta circunstância deve ser explanada na peça inicial acusa-

tória, sob pena da mesma ser considerada inepta. No caso dos crimes de menor potencial ofensivo, estes são regulados pela Lei dos Crimes Ambientais em seus artigos 27 e 28 e, também, pela Lei 9.099/95. O artigo 27 estabelece a possibilidade da aplicação imediata da pena de multa - ou restritiva de direitos - sempre quando houver a prévia reparação do dano ambiental. De acordo com o artigo 28, poderá ocorrer, inclusive, a declaração de extinção de punibilidade, desde que haja laudo de constatação de reparação do dano ambiental. A pena de multa poderá ser fixada de 1 a 360 salários mínimos, podendo, ainda, ser aumentada em até três vezes no caso de estar se demonstrando ineficaz, desde que observada a situação. Para ter mais dignidade, vamos limpar nossa cidade.

ESPECIAL

PRIMEIRA IMPRESSÃO - PÁG 3

HOSPITAL OU LAVANDERIA?

Relatórios preliminares apontam participação de médicos e empresas no esquema de desvio de verba Alan Junior de Queiroz

OPINIÃO

Alan Junior de Queiroz

PRIMEIRA IMPRESSÃO - PÁG 6

Alan Junior de Queiroz

Ninguém tem dúvidas que a má administração do Hospital São Vicente de Paulo, de Quatiguá, é um problema crônico e hereditário. Direitos trabalhistas não cumpridos com o INSS, por exemplo, foram responsáveis pela perda de status de entidade filantrópica e impediu a obtenção da Certidão Negativa, documento que comprova que a entidade está em dia com contribuições previdenciárias. Sendo assim, a prefeitura ficou impedida de repassar qualquer quantia ao Hospital. Mas, no final de 2012, uma liminar da Justiça permitiu que a prefeitura continuasse repassando, por mês, cerca de 75 mil reais em subvenção a casa de saúde. Com essa determinação, o Hospital continuou atendendo a população e o valor repassado em 2013 não foi usado para quitar valores em aberto com o INSS. A Justiça já está cuidando desse caso. Segundo denúncias recebidas pelos vereadores dos próprios funcionários do Hospital, o dinheiro da subvenção de 2013 não teria sido bem administrado. Os vereadores confirmam a desconexão das denúncias de 2013 com gestões anteriores. Àquela liminar de 2012, obtida pelo próprio

LEILA SALVI:

“Eu creio que os trabalhos se encerrem antes do prazo. Queremos saber o destino do dinheiro da subvenção. Um auditor vai analisar a documentação.”

JOSUÉ DE PÁDUA:

“Hoje falta tudo no Hospital: médico, remédio, comida e pagamento dos funcionários. Não lembro que na gestão passada precisou de liminar da Justiça para pagar funcionário.”

PEDRO TOLEDO:

Em crise: diante de acusações graves a direção se cala.

prefeito Fernando Dolenz ciam salários atrasados e a (PSDB), 54, dividiu as contas falta de produtos básicos e e os problemas do Hospital excênciais para prestarem entre gestão passada e atual. atendimento à população. O Primeira Impressão A vereadora Leila Salteve acesso ao Requerimento vi (PSDB), 34, Josué de Páde Criação da Comissão Par- dua Melo (PMDB), 40, e Júlamentar de Inquérito (CPI), lio Cezar Zanlorenzi (PSDB), solicitada pelo vereador Pedro 42, serão os encarregados em Toledo (PMDB), 63, e apro- apurar as denúncias recebivado no dia 24 de fevereiro das. Na primeira quinzena por unanimidade pela Câmara de junho, a comunidade quade Vereadores. tiguaense vai “Não fui que o relaA filha do prefei- receber pedi essa CPI, tório final das foi a popula- to, Isabella Dolenz, investigações. ção”, declarou. médicos e empresas A Comissão já Segunteriam superfatura- está analisando o documendo documentos do notas fiscais” e começará a to, a filha do prefeito, Isabella ouvir depoiDolenz, aparece como perso- mentos dos funcionários e nagem principal do esquema ex-funcionários do Hospital. de desvio de verba; que deveNo dia 17, duranria ter sido usado para com- te uma reunião na Câmara prar utensílios, medicamentos de Vereadores, a Comise pagamento dos funcionários. são divulgou as primeiras Só em dezembro, Isabella te- informações sobre o caso. ria retirado da conta do Hos- A vereadora Leila Salvi pital R$ 70 mil reais sem dar fez a leitura de um relatójustificativa. Por enquanto, o rio de duas páginas assiparadeiro do dinheiro é des- nado pela contadora do conhecido. Por enquanto. Hospital Cristiane Dargel. Funcionários ouviSegundo o documendos pela reportagem denun- to, durante o primeiro ano

da gestão do prefeito Fernando Dolenz, um esquema de lavagem de dinheiro teria drenado o dinheiro da subvenção da prefeitura ao Hospital. Isabella Dolenz, médicos e empresas teriam superfaturado notas fiscais. Em 2013, segundo o relatório, O Hospital teria comprado alimentos que não fazem parte do cardápio, por exemplo, a compra inusitada de 100 quilos de bananas, de uma só vez. Médicos teriam recebido por serviços não realizados. Além do uso irregular de cheques, saques suspeitos e diferenças entre os salários pagos aos médicos que trabalharam no plantão. Procurados pelo Primeira Impressão, a direção do Hospital e Isabella Dolenz não quiseram falar sobre o assunto. “Precisamos de pessoas preparadas trabalhando lá dentro. Que sejam apurados os fatos”, alfinetou Anitta. “E que a sociedade ajude dando apoio aos membros dessa CPI, para que a verdade venha à tona e que não fique sendo apenas acusações”, finalizou Josué de Pádua.

“Não foi prestado conta de 2013 até agora. Torcemos para que as denúncias não sejam verdadeiras. Tiveram 1 ano pra pedir CPI de gestão passada e agora querem fazer junto. Não concordo.”

ANITA CAMILO:

“Sou a favor da CPI de 2013. Não acredito em desvios, e sim em má administração. Houve muitos pedidos de CPI para apurar os últimos 5 anos. Foi a gestão passada que deixou o Hospital perder a filantropia.”

CHRYSRIAN COSER:

“Todo mundo é inocente até que prove o contrário. O povo está clamando por respostas. Nenhum vereador fez uma emenda pedindo CPI de 5 anos no dia 24. Agora querem tirar o foco das investigações”

ISRAEL MARQUES:

“A Comissão está justa, pois tem integrantes dos dois lados. A princípio será só 2013. Se for preciso, uma CPI da gestão passada também será feita”

HIDERALDO ESTEVAM:

“Não podemos julgar antecipadamente. Precisamos trabalhar com algo concreto. Essa CPI é um trabalho independente de oposição. Mas se houve alguma irregularidade que seja punido.” O vereador Ariovaldo Robles não foi encontrado pela reportagem para falar sobre o assunto. O vereador Júlio Zanlorenzi optou por não falar sobre o caso.


PERFIL

PRIMEIRA IMPRESSÃO - PÁG 4

PRIMEIRA IMPRESSÃO - PÁG 5

Antônio Bordignon

riais para construção. Dono Alan Junior de Queiroz da rede de lojas Construca Aos 18 anos um ra- sa Bordignon, hoje observa paz deixou a fazenda onde na sombra todas elas serem viveu com os pais e mais administradas pelos filhos. A veia empreendetrês irmãos para tentar a vida na cidade. Ficou para trás dora revelou- se em 1957 o trabalho pesado da roça e quando resolveu abrir uma tornou-se aprendiz de me- cerealista. No inicio compracânico. Com um olhar am- va e vendia cereais e laranjas pliado, enxergou a oportu- com um caminhão que havia nidade em abrir sua própria ganhado do pai. “Meu comeempresa. Ele se tornou um ço de vida foi difícil”, relaempresário bem sucedido, ta. Em 1975 a cerealista se transformou seu nome em transformou em madeireira. uma marca e ficou milio- Antônio aproveitou a opornário. Essa é a trajetória de tunidade para ampliar os neAntônio Bordignon que nes- gócios depois de ver a difite ano completará 82 anos. culdade que os moradores de Filho de fazendeiro, Quatiguá tinham para erguer Antônio foi forçado a tra- construções. Sem concorrênbalhar desde criança. “Não cia, o negócio deslanchou. Sua mulher gostava Amália lemda roça, bra que no mas se eu começo o não fosmaior prose, apablema foi nhava”, a inadimrecor da. plência dos A preco(Amália Zanini) clientes. ce iniciaApesar disção no trabalho fez com que aban- so, a empresa cresceu, gadonasse na 4ª série do funda- nhou filiais e fechou parcemental a escola rural. Desde rias com as melhores marcas então não voltou à sala de do ramo e fornecedores. Em aula. “O estudo dele foi à 2005 receberam uma provida, que lhe ensinou muita posta e venderam as duas locoisa” diz a mulher Amália jas de Londrina para o grupo Zanini Bordignon, 73 anos. multinacional francês Saint As histórias dos em- Gobain. Hoje a Construcasa preendedores são, comu- Bordignon têm cerca de 400 mente, construídas com mui- empregados e uma frota de, to trabalho. Com Bordignon aproximadamente, 50 caminão foi diferente, construiu nhões. Antônio diz que passua marca pessoal poderosa sou o controle das lojas para à base de madeira, tijolos, os filhos, mas na prática, nunareia, cimento e tudo o que ca se afastou do negócio que aparece numa lista de mate- é considerado líder do varejo

Arquivo Pessoal

Empresário transformou nome em marca e em sinônimo de qualidade

“Nossos filhos são

uma benção. As coisas mais preciosas para nós”

da construção em toda região do Norte do Paraná. “O nosso diferencial é o mix de produtos oferecidos, preços e formas de pagamento”, diz Roberto Zanini Bordignon,

filho responsável pelo grupo. As pessoas mais próximas descrevem Antônio como um homem atencioso, honesto, econômico e, exigente com horários e

Casal Bordignon rodeado pelos filhos

prazos. Família e saúde são suas prioridades. “Está sempre pronto para ajudar quem o procura. É como um pai

pra mim” declara Rosemere Rouiller, funcionária há mais de duas décadas. Para trabalhar na empresa esfor-

ço é uma característica indispensável; a compensação vem como bônus no salário. O empresário tem um estilo de vida e uma rotina tranquila, passa maior parte

do dia em casa. De manhã, lê os jornais O Estado de S. Paulo e Folha de Londrina. Apesar de a leitura ser um dos lazeres preferido, nenhum livro de ficção con-

seguiu prendê-lo até o fim. Em contrapartida, afirma já ter lido a bíblia três vezes. Aos 24 anos, conheceu a senhora Bordignon durante um baile. A mineira

havia pedido para que segurasse a blusa enquanto dançava. Rolou uma química e logo engataram um namoro. “Ele foi meu único namorado”, garante Amália. Durou nove meses até se casarem, a pedido do pai dela. “Ele é um homem perfeito pra mim”, declara. O casamento perdura há 57 anos e teve como frutos sete filhos - dois de criação. “São uma benção, as coisas mais preciosas para nós”. Antônio, assim como qualquer pessoa na sua idade, tem limitações físicas e psicológicas, mas afirma não ter medo da morte. Diagnosticado, em 2012, com problemas renais e talassemia - doença que afeta o sangue, procurou médicos do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, para se tratar. Antônio já chegou a ter acompanhamento 24 horas de três enfermeiros que se revezavam e o ajudavam. “Ele não queria, mas a família decidiu que era melhor”, diz a mulher. Hoje Antônio está rico, muito rico, embora prefira não falar sobre o assunto. “Mas garanto que comecei do zero”. E revela os alicerces de uma boa administração de bens, família e empresa: planejamento, economia e honestidade. “Muitas pessoas que começaram comigo não foram para frente, gastaram dinheiro à toa”, compara. Biográfias de empresário do quilate de Antonio Bordignon inspira e encoraja novos empreendedores que procuram além de construir uma carreira de sucesso, uma forma de mudar a realidade.

PRIMEIRA IMPRESSÃO - 1ªed.  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you