Page 1

Entrevista / Interview

Miriam Inoue ARQUITETURA ARCHITECTURE

E

m 1978 ela começou a pesquisar as atribuições de um arquiteto, depois disso, se encantou, estudou e sempre trabalhou como profissional deste ramo. Com três décadas dedicadas a arquitetura, Miriam Inoue da Habitate Arquitetura em Madeira (São Paulo - SP) ao lado de Elizabeth Sallai Lopes é uma verdadeira defensora do uso da madeira em construções. Porém alerta para a correta utilização da matéria-prima. Esta parceria resultou na efetivação de vários projetos por todo o Brasil, todos exclusivos. Miriam Inoue concedeu com exclusividade esta entrevista à Revista Referência Produtos de Madeira: uma entrevista cheia de ensinamentos e particularidades.

40

41

I

n 1978, she began to look at the attributes of an architect, and became enchanted with the profession, began to study, and since then has always worked as a professional in the sector. With three decades devoted to architecture, Miriam Inoue from Habitate Arquitetura em Madeira (São Paulo (SP), along with partner Elizabeth Sallai Lopes, is a true proponent of the use of wood in buildings, but warns us as to the need for the correct use of the raw material. This partnership has resulted in the realization of various projects throughout Brazil, all of them unique. Miriam Inoue granted this interview to Revista REFERÊNCIA Produtos de Madeira: an interview full of lessons and particularities.

Divulgação


What do you think about the use of wood in architecture? Wood offers an unparalleled natural beauty, in addition to being a material which transmits tranquility and coziness to living spaces. After much research, I found in the wood structure constructive system, important solutions for the optimization of the job. Provided that it is worked properly, the use of wood reduces the construction time and provides a cost compatible with a conventional job, with the privilege of having a noble material as a protagonist of our architecture.

Divulgação

42

O que acha da madeira na arquitetura? A madeira oferece uma beleza natural inigualável, além de ser um material que transmite tranquilidade e acolhimento aos ambientes. Encontrei, depois de muita pesquisa, no sistema construtivo em estrutura de madeira, soluções importantes na otimização da obra, desde que trabalhado corretamente, o uso da madeira reduz o tempo da construção e proporciona um custo compatível com uma obra convencional, com o privilégio de termos um material nobre como protagonista da nossa arquitetura. Esta é uma alternativa sustentável? Já sabemos que a arquitetura sustentável é um caminho inevitável e aprendemos que toda consciência no projeto e na construção agrega na qualidade do produto e no bem estar do homem, certamente devemos fazer a nossa parte, como arquitetos. É preciso se certificar de que a madeira utilizada é provinda de manejo florestal sustentável, ou seja, a árvore madura é extraída da floresta dando espaço e abertura para ocorrer a fotossíntese, facilitando o crescimento de novas árvores. Estas sequestram mais carbono e liberam mais oxigênio, contribuindo para a redução do efeito estufa. Se considerarmos que um pilar de

madeira chega praticamente pronto na obra, comparado a um pilar de concreto que precisa de uma forma de madeira (que será descartada no final da obra), ferros e concreto, concluímos que o consumo de energia e tempo é consideravelmente mais baixo no primeiro caso. Sendo a madeira um material orgânico, depois de cumprir a sua função no ciclo de vida da construção, irá se decompor e enriquecer o solo , enfim, podemos enumerar vários fatores que tornam o uso da madeira sustentável desde que tenha procedência legal. Devemos sempre lembrar que a madeira é um recurso natural renovável, usar com responsabilidade é contribuir com a sustentabilidade na construção e garantir a matéria-prima fundamental no nosso trabalho. De que forma, especificamente, utiliza a madeira nos projetos? A madeira em nossos projetos é utilizada primeiramente na estrutura (pilares, vigas e caibros). Quando trabalhamos com madeira, o esquema estrutural nasce junto com o estudo preliminar de arquitetura. Devemos esta importância uma vez que todos os pilares e vigas ficam aparentes. Trabalhar com modulações é importante para manter a organização na malha da estrutura, tal recurso nos auxilia em um resultado estrutural limpo e consequentemente

com custos mais baixos. O cuidado mais importante quando focamos o custo, é trabalhar com vãos que são tolerados pelas bitolas das peças de mercado, peças fora de padrão encarecem a estrutura. No entanto, o trabalho do engenheiro é desenvolver peças estruturais para soluções arquitetura x custo, daí saem infinitas ideias que valorizam o projeto arquitetônico. Além de toda a estrutura da casa, utilizamos muito a madeira em forros, caixilhos e assoalhos de áreas de permanência prolongada como dormitórios e salas. Tem alguma preferência por espécie de madeira? Itaúba é uma das preferidas, pela resistência e durabilidade em estruturas de madeira. Angelim pedra ou cedrinho costumo utilizar em forros. Peroba mica é bastante utilizada nos caixilhos, já itaúba em decks e por fim, cumaru no assoalho. Como acontece o desenvolvimento dos projetos? O primeiro passo é o desenvolvimento do projeto de arquitetura, nas próximas etapas fazemos parcerias com engenheiros e fornecedores. Alan Dias é o engenheiro responsável pelos cálculos e dimensionamentos. Trabalhamos juntos com o objetivo de respeitar a plasticida-

Is wood a sustainable alternative? We already know that sustainable architecture is the inevitable path and have learnt that having environmental conscience in the design and construction aggregates quality to product and human well-being. Certainly we, as architects, must do our part. We must make sure that the wood being used comes from sustainably managed forests, i.e. the mature tree is extracted from the forest providing space and openings for photosynthesis to occur, facilitating the growth of new trees. This way, these trees sequester more carbon and release more oxygen, contributing to the reduction of the greenhouse effect. If you consider that a wood column arrives on the job site almost ready to be used, compared to a concrete column that needs a wood mold (that will be discarded at the end of the job) steel reinforcing bars and concrete, you can conclude that the consumption of energy and time is considerably lower in the first case. Wood, by being an organic material, after fulfilling its role in the construction life cycle, will decompose and enrich the soil. In the end, we can enumerate various factors that make the use of wood sustainable as long as it has a legal origin; you must always remember that wood is a renewable natural resource and to use it with responsibility is to contribute to sustainability in construction and to ensure a fundamental raw material for our work. How, specifically, do you use wood in your designs? Wood in our designs is used primarily in structures (columns, beams and roofing rafters). When working with wood, the structural scheme is born together with the preliminary architectural study, we must give importance to the structural scheme as all columns and beams are outward. When working with modulations, it is important to keep the organization in the makeup of the structure, because such a resource helps us have a clean and consequently lower cost structural result. When focusing on costs, we should be careful of only working with spans that use standard sized pieces available in the market. Non-

Miriam Inoue

Entrevista / Interview

standard pieces add a cost to the structure; however, the work of the structural engineer is to develop structural pieces for solutions, architecture vs. cost, hence leading to an infinite number of ideas that give value to the architectural design. In addition to the entire structure of a house, we use wood in ceilings, window and door frames, and floors in areas with a prolonged permanence such as bedrooms and living rooms. Do you have a preference for a species of wood? Itaúba is one of my favorites for wood structures because of its resistance and durability. Angelim Pedra or Cedrinho is often used for ceilings. Peroba Mica is used for window and door frames, and Itaúba for decks, and finally, Cumaru for flooring.

How do the designs come about? The first step is the development of the architectural design. For the next steps, we partner with engineers and suppliers. Alan Dias is the engineer responsible for calculations and dimensioning; we work together with the goal of respecting the plasticity, the volumetric measurements and the lightness of architectural design, always coupled to the cost to make the use of the constructive system easier, thus making it very market competitive. An important step is the contact with suppliers. In this sense, the company that provides all the wood for our structures is Zanchet, due to our confidence in the origin, in the quality of the material delivered and in the guarantees. Wood houses are highlights of your work, what can one expect from a design signed by Miriam Inoue? Today, I work exclusively with designs using wood structures due to my identity with the material, because I believe in the quality of well-being for the people who live in a house with a wood structure and because of my passion of being able to participate in the entire process, from the creation of the design to the building in the field, where I can observe and develop details to enrich and improve the system. Bold and daring, are these part of your designs? Architects love to be a step ahead, a overhang or a span a little larger than the last design, a different solution and even Cartesian designs without daring, but with a wealth of detail and very good results; for any kind of proposal, we always count on the engineers to help us make it safely. I like to mention a job carried out on Ilhabela (SP), a piece of land along the sea. The project was built on the slope of a large 40 meter high rock; its con-

43


Entrevista / Interview de, volumetria e leveza do projeto de arquitetura sempre atrelado ao custo para viabilizar o uso do sistema construtivo, tornando-se assim, bastante competitivo no mercado. Uma etapa importante é o contato com fornecedores. Neste sentido, a empresa que fornece todas as madeiras de nossas estruturas é a Zanchet, pela confiança na procedência, qualidade do material entregue e garantia.

Why should wood be worked by people who understand its performance? Wood is an organic material and there are precautions to be taken from the start of the preliminary architectural study to the structural design and completed by maintenance. However, learning to work with wood is as simple as for any other material that we must understand if it is to be used in a design.

Por que a madeira deve ser trabalhada por pessoas que conhecem seu desempenho? A madeira é um material orgânico, existem cuidados a serem tomados desde o início do Estudo Preliminar de Arquitetura, passando pelo projeto estrutural e concluindo pela manutenção. No entanto aprender a trabalhar com madeira é tão simples quanto qualquer outro material que devemos conhecer para aplicar em um projeto.

Qual o estilo mais procurado pelos clientes? Acho que não existe uma busca por estilos, basta que o cliente goste de madeira, ainda que muitos aqui vejam a arquitetura em madeira como um “estilo rústico”, creio que as possibilidades vão muito além. Nosso grande foco é a necessidade do cliente e os instrumentos para o projeto: terreno, entorno, insolação, ventos, sistema construtivo, materiais, etc. O estilo é o resultado do projeto e não a busca inicial, o que particularmente gosto muito.

São cerca de 30 anos dedicados a profissão, como vê a evolução do uso da madeira na arquitetura? No início percebi muita resistência do mercado na aceitação da madeira, mas ao longo dos anos e com a crescente valorização do material, agregada à racionalização do sistema construtivo, é notório o aumento na busca pelo uso do material em residências.

Já fez algum curso em específico para lidar com a madeira? Fizemos uma extensão universitária em São Carlos, mas praticamente a totalidade de nossos conhecimentos vieram de canteiros de obras aprendendo com carpinteiros e na parte teórica debatendo soluções com os engenheiros. É extremamente importante que se tenha conhecimento do que se está fazendo. Caso contrário, em pouco tempo se tem um resultado totalmente diferente daquilo que se havia proposto.

You have dedicated some 30 years to the profession, how do you see the evolution of the use of wood in architecture? At the beginning, I noticed a lot of resistance from the market in accepting wood, but over the years and with a growing appreciation of the material, aggregated to rationalization of constructive systems, there has been a striking increase in the searching out of the material for use in residences. What is the style most sought-after by clients? I don’t think that there is a search for style; it is just that the clients like wood. Even though many here in Brazil see wood architecture as

Divulgação

44

E a ousadia, como fica posicionada em seus projetos? Arquitetos adoram dar um passinho

struction was a challenge, and we liked the result, but all designs have their own charm with their own special characteristics.

Divulgação

As casas de madeira são destaques do seu trabalho. O que pode se esperar de um projeto assinado por Miriam Inoue? Hoje trabalho exclusivamente com projetos em estrutura de madeira por identidade com o material, por acreditar na qualidade do bem estar das pessoas que moram em uma casa em estrutura de madeira e pela paixão de poder participar de todo o processo, desde a criação do projeto até a montagem em campo onde posso observar e desenvolver detalhes para enriquecer e melhorar o sistema.

adiante, um balanço ou um vão um pouco maior do que o último projeto, uma solução diferente e até mesmo projetos bastante cartesianos sem grandes ousadias, mas com riqueza de detalhes e resultados muito bons, para qualquer tipo de proposta contamos sempre com os engenheiros que nos ajudam a viabilizar com segurança. Gosto de citar uma obra feita em Ilhabela (SP), um terreno em frente ao mar. O projeto foi implantado em uma encosta de uma grande rocha de 40 metros de altura. Sua construção foi um desafio, gostamos do resultado, mas todos os projetos tem o seu encanto cada qual com sua característica diferenciada.

a “rustic” style, I believe that the opportunities go further. Our major focus is on customer need and on the instruments needed for the design: land, surroundings, sunshine, winds, constructive system, materials, etc. The style is the result of the design and not the initial search, which I particularly like very much.

sity in São Carlos, but almost all of my knowledge comes from jobs, learning from carpenters, and the theoretical part from discussing solutions with the engineers. It is extremely important to be aware of what one is doing. Otherwise, you will have a result completely different from what was proposed.

Have you taken any courses on how to specifically deal with wood? I took an extension course at the Univer-

45

Divulgação

Divulgação

Entrevista Arquiteta Miriam Inoue  

Estrevista da Arquiteta Miriam Inoue, que projeta estruturas de madeira, citando o nome do Eng. Alan Dias como calculista de suas estruturas...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you