Issuu on Google+


EDITORIAL O Brasil é notadamente uma referência para diversas modalidades esportivas por revelar grandes nomes do futebol, das artes marciais, basquete, atletismo, entre outros, que carregam um algo a mais, além da técnica. E é isto que nos faz quebrar recordes, levantar multidões, arrancar aplausos e conquistar títulos. Tais vibrações também são muito evidentes nas arenas espalhadas nas mais variadas partes do planeta por onde passam os competidores e a montaria em touros, um dos esportes mais radicais da atualidade. E, a PBR (Professional Bull Riders), orgulha-se em fazer parte desta história de adrenalina, mudança de vida e respeito com o próximo e de consideração para com os animais. Desta forma, é imensurável a honra que sentimos por estarmos culturalmente inseridos dentro de uma das maiores manifestações culturais do país, o rodeio brasileiro. Testemunhamos a transformação do peão em atleta profissional, e dos touros em atletas de peso, personagens centrais deste esporte radical. Para o público, amante da modalidade, é o momento para manifestações de ousadia, desenvoltura e entusiasmo, perante o encontro da astúcia do homem versus o colosso animal. Martha Cajado - diretora-presidente PBR Brasil Adriano Moraes - diretor de competições PBR Brasil


“

Touros sĂŁo considerados atletas de peso


1

US$

15

US$

milhões

É o valor das premiações em torneios realizados em todo o mundo

A PBR

milhão É o valor da premiação para o campeão mundial

1000 Competidores registrados nos países onde há PBR

Professional Bull Riders

Criada em 1992 nos Estados Unidos, a PBR (Professional Bull Riders) é a principal liga de montaria em touros em todo o mundo, com campeonatos realizados ainda no Brasil, Canadá, México, Nova Zelândia, Austrália e China. O principal torneio é o mundial da categoria, cuja final é realizada em Las Vegas, reunindo atletas de todos os países onde há provas da PBR. No Brasil, a liga está presente desde 2006 promovendo

o maior campeonato da modalidade em arenas dos estados de Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Paraná, entre outros. Suas principais etapas são realizadas dentro de grandes festas do peão e rodeios, já que este esporte está inserido na cultura sertaneja do nosso país. O Monster Energy PBR é o torneio oficial em terras brasileiras. Ele vale pontos para o ranking do mundial da categoria.


O peão é reconhecido como atleta profissional


94

,38

pontos

A maior nota registrada na PBR Brasil, entre Alex Marcílio e Bipolar, em Londrina, 2013.

ESPORTE

8

segundos É o tempo máximo de duração de uma montaria

0 a 100 Valores onde se encontram as notas da montaria

A montaria em touros

O tempo é um dos principais fundamentos deste esporte. São apenas oito segundos para que o competidor se equilibre sobre o touro e os juízes possam julgar o conjunto da montaria. Os juízes são os responsáveis por avaliar o desempenho de ambos os atletas, separadamente. A nota total só pode chegar aos 100 pontos e a somatória deste total é feita de 50% dos competidores e 50% dos touros.

O atleta não pode demorar a sair do brete, nem se utilizar de apoios, como se escorar no próprio corpo, ou do animal, ou ainda em objetos da arena. Sua desenvoltura e equilíbrio, alinhados à técnica, permitem boas notas. Os atletas de peso, ou touros, são avaliados nos quesitos giro, coice, pulo, intensidade e grau de dificuldade. Não há como ensiná-los a pular: isto vem da índole do animal.


Força e concentração

Pontos No Monster Energy PBR, são somadas as bonificações dos cinco melhores de cada round e dos melhores da final. O resultado desta soma será a nota do competidor no ranking.

Lei do Rodeio O rodeio é uma atividade esportiva regulamentada pela Lei Federal nº. 10519, desde 2002. Conhecida como “Lei do Rodeio”, ela instituiu normais gerais e considera provas de cronometragem e montaria, como a dos touros, em modalidades esportivas. Já o “peão” é reconhecido como atleta profissional desde 11 de abril de 2001, por meio da lei nº. 10220.


CAMPEONATO Monster Energy PBR

O maior campeonato de montarias em touros do Brasil é o Monster Energy PBR, responsável por realizar etapas nas principais arenas do país, incluindo a final histórica, em Barretos. O torneio é um verdadeiro celeiro de talentos, promovendo

nomes importantes entre competidores e atletas de peso. Pontos conquistados nas etapas são válidos para o ranking mundial da Built Ford Tough Series, cuja final ocorre em Las Vegas, com premiação de US$ 1 milhão para o campeão.


““

O esporte maisXxxxxxxxxx radical xxxxxxxxxx do planeta


ANIMAIS Cuidados especiais

Na PBR os animais são tratados com o mesmo respeito que os competidores que os montam. A empresa é inteiramente comprometida em assegurar a saúde, a integridade e o respeito a cada animal que entra em suas arenas. Destratar um animal seria um dano ao esporte, do qual depende a própria subsistência do competidor e dos seus associados. Sendo assim, o cuidado e o tratamento de um animal da PBR é uma prioridade para aqueles que gerenciam e/ou participam dos seus eventos. Todas as pessoas que estão ligadas ao esporte têm relação com o campo e a este modo de vida, prevalecendo a paixão e o amor pelos animais. O sedém aperta os testículos do atleta de peso? Não. Este equipamento é feito de corda de lã natural ou de crina revestida com lã natural. O equipamento é usado para estimular os pulos, mas não machuca. A regra da Montaria em Touro exige que o equipamento jamais seja usado a ponto de imobilizar ou causar dor. Se apertado, inibe os músculos dos flancos e reduz a ação de saltar. Os touros são obrigados a pular? Não há como fazer com que um touro desperte a habilidade para o esporte. Para se ter ideia, em um rebanho com 100 touros, apenas 5% possui capacidade para torneios, já que não há como desenvolver a índole de um animal para o pulo. Ele pode passar por treinamentos quando pequeno para se acostumar com a montaria, desde que tenha capacidade para tal. As esporas causam ferimentos nos animais? Não. A pele de um touro é de cinco a sete vezes mais espessa que a pele humana. Os competidores da PBR utilizam esporas de pontas arredondas, permitidas nas especificações da Lei Federal. Os competidores que violam essa regra recebem multa, suspensão e/ou desqualificação.


Os touros são tratados com crueldade? De forma alguma. Os touros de montaria que competem na PBR recebem tratamento com alimentação balanceada, exercícios para fortalecimento dos músculos, banhos diários, aveia, transporte adequado e até caminhadas na areia. A maioria dos donos de companhia tem ligação com o tradicional homem do campo, repassando respeito e admiração por estes animais. O que diz a lei e quais os cuidados com os animais em uma etapa? A Montaria em Touros é regulamentada por duas leis federais: a 10.220, que equipara o caubói de rodeio a atleta profissional, e a 10.519, que dispõe sobre a fiscalização da defesa sanitária animal, que leva em consideração o transporte de animais, a presença de médico veterinário habilitado, atestado de vacinação contra febre aftosa e outras doenças, além de infraestrutura que garanta a integridade física de todos os animais em cada evento. Quando os touros chegam à competição, todos são verificados. Se houver algum problema, algo de anormal, ele é tratado e retirado da competição. Os competidores também são avaliados para que não haja nenhum sinal de que um acessório possa ferir o touro ou prejudicar sua saúde.


PROFISSIONAIS Eles também fazem o esporte

Além dos touros, atletas e juízes, a montaria requer outros profissionais qualificados. Locutores

Salva-vidas

Sua função é informar ao público a ficha técnica como títulos, peso do touro, aproveitamento, premiações, posição no ranking, entre outras informações primordiais para que o público entenda bem o esporte e conheça a performance dos atletas.

Eles são essenciais para a segurança dos atletas da PBR Brasil. Assim que o cronômetro para, eles sabem que é hora de agir, separando o touro do competidor. Diferentemente de algumas competições, os salva-vidas da PBR Brasil não são palhaços de arena, são atletas.


Laçador A PBR exige a presença de um laçador, ou salva-vidas a cavalo. Ele é responsável por retirar o touro de perto do competidor, de forma a manter a segurança dos atletas.

Equipe médica Os competidores também ganham atenção especial. Além de toda uma equipe médica disponível para qualquer situação, de emergência ou não, os atletas recebem tratamento especial de fisioterapeutas. Os profissionais estão de prontidão em todas as etapas, prontos para atender a qualquer solicitação.


Adriano Moraes

Ednei Caminhas

Guilherme Marchi

Renato Nunes

Silvano Alves

ATLETAS Campeões mundiais

Para compreender a dimensão deste esporte radical, das 22 finais mundiais, nove foram conquistadas pelos brasileiros Adriano Moraes (1994, 2001 e 2006), Ednei Caminhas (2002), Guilherme Marchi

(2008), Renato Nunes (2010) e Silvano Alves (2011, 2012 e 2014). Os brasileiros despontam ainda como os favoritos do esporte, estando sempre entre as posições de liderança.


O Brasil é um celeiro de atletas

EXPEDIENTE Informativo PBR Brasil - Rua Doutor Gilberto Lopes Silva, 2092 - São José do Rio Preto/SP - (17) 3229 2400 - Supervisão: Martha Cajado | Jornalista responsável: Elaine Madalhano | Redação: Jorge Cardoso | Projeto gráfico: Alan Altero - Comunic Comunicação Corporativa - 17 3201-7510 - Fotos: André Silva (PBR Brasil).


17

3229.2400

R. Doutor Gilberto Lopes Silva, 2092 São José do Rio Preto - SP

www.pbrbrazil.com.br

PBR Brazil

@pbrbrazil

pbrbrazil


Press kit pbr 2015