Issuu on Google+

MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA

Prof. Edilson da Costa


SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO..................................................................................................1 1 REDAÇÃO E EDITORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS.....................2 1.1 ESTUDO PESSOAL........................................................................................2 1.2 REDAÇÃO E EDITORAÇÃO...........................................................................2 1.2.1 Margens.......................................................................................................2 1.2.2 Entrelinhas..................................................................................................2 1.2.3 Tipo e tamanho de letra.............................................................................3 1.2.4 Parágrafos...................................................................................................3 1.2.5 Paginação....................................................................................................3 1.2.6 Citações.......................................................................................................3 1.2.7 Notas de rodapé..........................................................................................5 1.2.8 Títulos: formatação em itens e sub-itens.................................................5 1.2.9 Referências..................................................................................................7 2 O PROJETO DE PESQUISA.............................................................................17 2.1 TEMA...............................................................................................................17 2.1.1 Delimitação do tema...................................................................................17 2.2 PROBLEMA.....................................................................................................18 2.3 JUSTIFICATIVA...............................................................................................18 2.4 OBJETIVOS.....................................................................................................18 2.4.1 Objetivo geral..............................................................................................18 2.4.2 Objetivos específicos.................................................................................18 2.5 HIPÓTESE.......................................................................................................19 2.6 REFERENCIAL TEÓRICO..............................................................................19 2.7 METODOLOGIA OU PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS.....................20 2.7.1 Diagnóstico do campo de pesquisa.........................................................20 2.7.2 Pesquisa bibliográfica................................................................................21 2.7.3 População-alvo...........................................................................................21 2.7.4 Amostra........................................................................................................22 2.7.5 Coleta, análise e interpretação de dados.................................................22 2.8 CRONOGRAMA..............................................................................................23 2.9 REFERÊNCIAS...............................................................................................24 EXERCÍCIO............................................................................................................26 3 ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO...................................................29 3.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS.......................................................................31 3.1.1 Capa.............................................................................................................31 3.1.2 Folha de rosto.............................................................................................32 3.1.3 Dedicatória..................................................................................................33 3.1.4 Agradecimentos..........................................................................................34 3.1.5 Epígrafe........................................................................................................35 3.1.6 Resumo........................................................................................................36


3.1.7 Sumário........................................................................................................37 3.1.8 Lista de ilustrações....................................................................................38 3.1.9 Lista de abreviaturas, siglas e símbolos..................................................39 3.2 ELEMENTOS TEXTUAIS................................................................................40 3.2.1 Introdução...................................................................................................40 3.2.2 Desenvolvimento........................................................................................40 3.2.3 Conclusão....................................................................................................41 3.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS.......................................................................41 3.3.1 Referências..................................................................................................42 3.3.2 Apêndice......................................................................................................43 3.3.3 Anexo...........................................................................................................43 3.3.4 Glossário.....................................................................................................43 REFERÊNCIAS......................................................................................................44 APÊNDICE 1 – ROTEIRO RESUMIDO DO TRABALHO ACADÊMICO..............45 APÊNDICE 2 – RESUMO.......................................................................................47 APÊNDICE 3 – RESENHA.....................................................................................49 ANEXO 1 - MODELO DE RESENHA....................................................................51 ANEXO 2 – MODELO DE PROJETO DE PESQUISA..........................................56 ANEXO 3 – MODELO DE ARTIGO.......................................................................60


1

MÉTODOS E TÉCNICAS DE PESQUISA Prof. Edilson da Costa

APRESENTAÇÃO O objetivo deste texto é apontar algumas orientações importantes e necessárias para a vida acadêmica que se inicia, pois há exigências específicas para esta nova etapa dos estudos. Portanto, é indispensável uma nova postura de estudo considerando fundamentalmente a autonomia e a independência intelectual do universitário, ou seja, os professores apontarão os caminhos e os estudantes, numa postura de auto-atividade, deverão percorrê-lo adotando uma perspectiva crítica, rigorosa, disciplinada e com muito esforço. Nessa nova jornada não basta o aluno passivamente assistir aula e ser um cumpridor de tarefas. O estudante tarefeiro não serve mais. É preciso estar comprometido com o que está se propondo a fazer. Hoje, diante das grandes mudanças do mundo do trabalho, exige-se um profissional que estude o tempo todo e que tenha iniciativa para resolver problemas. Diante dessas questões, algumas orientações serão apontadas. São as mais corriqueiras do cotidiano acadêmico. Isso significa que o presente texto tem a intenção de somente indicar alguns passos para o início da vida acadêmica. O aprofundamento fica por conta do estudante que deverá consultar a bibliografia sugerida, além de verificar a proposta de Plano de Ensino da disciplina.


2

1 REDAÇÃO E EDITORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 1.1 ESTUDO PESSOAL Um bom começo é incrementar, à medida do possível, ou começar a formar sua biblioteca com revistas especializadas, dicionários de língua portuguesa, filosofia, sociologia e as obras clássicas de sua área de conhecimento. Além disso, é indispensável que se explore as bibliotecas públicas e principalmente a da instituição que você estuda. A participação em encontros, cursos, palestras e seminários contribuem muito para o seu crescimento intelectual e, além disso, o contato com os professores das diferentes disciplinas também é importante, pedindo-lhes sugestões para leitura complementar. 1.2 REDAÇÃO E EDITORAÇÃO Para a realização de trabalhos acadêmicos, normas devem ser seguidas. Esta normalização tem como base as Normas de Documentação da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Muitos são os manuais de normas que tornam mais acessível a linguagem dessas normas à comunidade, como é o caso das Normas para Apresentação de Documentos Científicos da Universidade Federal do Paraná, que se encontra disponível em muitas bibliotecas. A consulta dessas normas é indispensável, mas para uma iniciação imediata à postura acadêmica, seguem algumas dicas que se baseiam na ABNT. 1.2.1 Margens O trabalho acadêmico deverá ser impresso sempre em folha “A4”, que tem as dimensões 21,0 x 29,7 cm, em apenas um lado da folha, na cor preta, respeitando as seguintes medidas para as margens: a) Superior 3 cm b) Inferior 2 cm c) Esquerda 3 cm d) Direita 2 cm 1.2.2 Entrelinhas a) 1,5 para o texto e citações de até 3 linhas. b) Simples para citações com mais de 3 linhas, notas de rodapé, tabelas, quadros, ilustrações e a nota da folha de rosto.


3 1.2.3 Tipo e tamanho de letra a) Fonte Times New Roman tamanho 13 ou Arial tamanho 12 para os títulos, parágrafos e citações de até 3 linhas. b) Fonte Times New Roman tamanho 11 ou Arial tamanho 11 para citações com mais de 3 linhas, notas de rodapé, tabelas, quadros ou ilustrações. 1.2.4 Parágrafos Os parágrafos devem iniciar a 1,25 cm a partir da margem esquerda. 1.2.5 Paginação As páginas pré-textuais (folha de rosto, dedicatória, agradecimento, epígrafe, resumo, sumário e outras) recebem numeração em algarismos romanos, com letras minúsculas, na margem inferior e centralizada, a partir da folha de rosto, que é contada, porém não é numerada. A capa não recebe numeração nem é contada porque se trata de uma proteção física do trabalho. As folhas textuais (a partir da Introdução até as Considerações Finais) e pós-textuais (referências, apêndice, anexo, glossário) são numeradas com algarismos arábicos na margem superior à direita, colocando-se apenas o número, sem outro sinal (Ex.: 1, 2, 3... e não 02 ou -2, ou 2. ). Todas as páginas recebem numeração, inclusive as páginas que iniciam capítulos. 1.2.6 Citações Citação é a menção, no texto, de uma informação extraída de outra fonte. O Autor utiliza-se de um texto original para extrair a citação, podendo ser reproduzido literalmente (citação direta, literal ou textual), interpretando, resumindo ou traduzindo (citação indireta ou livre), ou uma informação extraída de uma fonte intermediária (citação de citação). Citação direta curta No caso de citação textual curta – de até três linhas -, esta vem incorporada ao parágrafo. Quando o nome do (s) autor (es) citado (s) ou o (s) título(s) da obra citada estiver(em) incluídos na sentença, apenas a data e a (s) página (s) são incluídas entre parênteses. Exemplo: Ao defendermos essa Proposta de Mudança, em nossa Faculdade, introduzindo uma nova metodologia de ensino de Matemática, o fazemos com pioneirismo, pois, como afirma Vasconcelos (1996, p. 21): “De que adiantará um professor que apenas se preocupe com o ato de ensinar, sem se inquietar com o fato de estar, ou não, o seu aluno aprendendo?”


4

Citação direta longa No caso de citação longa – com mais de três linhas – esta deve aparecer em parágrafo isolado, entrelinhas em espaço simples, utilizando-se recuo de 3,75 cm da margem esquerda, com o corpo da letra menor (11) que o texto, sem as aspas, terminando na margem direita do trabalho. Exemplo 1: Chama-se Rede a uma interligação de bibliotecas independentes que usam ou constroem uma base de dados comum [...] vendem serviços e produtos, oferecem serviços ou têm membros em muitos estados ou regiões, e desejam formar programas cooperativos com outras redes (BROWN, 1999, p. 38).

Exemplo 2: Esses pré-juízos contra a profissão, segundo Baptista e Barreira (1997, p. 173), se evidenciam Desde o processo de escolha da carreira, permanece durante a socialização do aluno de enfermagem, principalmente quando convivem com professores e alunos de outras carreiras de saúde, e em especial com os da carreira médica.

Citação de citação (apud) Quando o autor não se utiliza do texto original, mas de uma citação feita numa obra consultada, a citação pode ser reproduzida literalmente ou interpretada, resumida ou traduzida. Esse tipo de citação deve ser evitado ao máximo, já que a obra final não foi consultada e há risco de má interpretação e incorreções. Neste caso, usa-se a expressão latina apud ou sua tradução em português – “citado por“ -, seguida da indicação da fonte secundária efetivamente consultada. Exemplo 1: Segundo Anastasi (1977, apud ARRAES; RUIZ, 1983, p. 28) “podem-se inferir as possíveis implicações para o processo de seleção [...] trabalho com teses não são padronizados para a população em que está sendo feito o trabalho”.


5 Exemplo 2: Esta questão da mudança nos currículos é polêmica. Segundo Cesarino (1990, apud SOUZA et al., 1994, p. 482), “da mesma forma que a Universidade é o retrato da sociedade, um currículo é também a ‘cara’ da instituição”. Exemplo 3: Diz o autor: A bibliografia do improvável, e eu penso a partir deste princípio que o corpo funciona somente com direções que são estatisticamente improváveis. Se o metabolismo fosse desenvolvido em séries de prováveis reações, e reações termodinamicamente espontâneas, nós seríamos consumidos pelo calor (SZENTGYOERGYI, 1960, apud COULTER, 1994, p. 236).

1.2.7 Notas de rodapé Servem para complementar ou esclarecer informações e são notas indicadas ao pé das páginas, podendo ser de referência, com indicação das fontes consultadas, e de conteúdo evitando explicações longas dentro do texto. Exemplo: Nesse contexto, as pessoas são chamadas a atuar de maneira diversa àquela que estavam habituadas. Há então uma mudança de paradigma 1, que afetará sem dúvida a relação homem-trabalho.

1.2.8 Títulos: formatação em itens e sub-itens TÍTULO 1 – Quando se tem um item primário, isto é, que tem APENAS um dígito ou número inteiro. Características: Arial 12; MAIÚSCULO; NEGRITO; alinhado à esquerda; dois espaços após o número (e não ponto); distante cerca de 5 cm da margem superior. Texto: 2 entrelinhas após o título. Inicia-se sempre em página nova.

1

Entende-se por paradigma aquilo que os membros de uma comunidade partilham e, inversamente, uma comunidade científica consiste em homens que partilham um paradigma. São realizações científicas universalmente conhecidas que durante um certo período de tempo nos oferecem, além dos problemas, as soluções modelares para a comunidade envolvida com a ciência.


6 Exemplo: 1 INTRODUÇÃO......................................................................................................6 TÍTULO 2 – quando se subdivide o item primário, isto é, trata-se de um sub-item e, neste caso, tem dois dígitos inteiros. Características: Arial 12; MAIÚSCULO; sem negrito; alinhado à esquerda; dois espaços em branco após o número (e não ponto); 2 cm antes e 2 cm após o título. Exemplo: 2 AVALIAÇÃO........................................................................................................9 2.1 AVALIAÇÃO PERIÓDICA.................................................................................9 2.2 AVALIAÇÃO PERMANENTE...........................................................................16 Título 3 – quando se subdivide o sub-item, isto é, trata-se de um título terciário, apresentando 3 dígitos inteiros. Características: Arial 12; MAIÚSCULO/minúsculo; Negrito apenas o texto (os números não são); alinhado à esquerda; dois espaços em branco após o número (e não ponto); 1,5 cm antes e 1,5 cm após o título. Exemplo: 2 AVALIAÇÃO....................................................................................................9 2.1 AVALIAÇÃO PERIÓDICA.............................................................................9 2.1.1 Provas e trabalhos práticos em sala de aula......................................22 2.1.2 Pesquisa de Campo................................................................................29 Título 4 – quando se subdivide o título terciário apresentando 4 dígitos inteiros. Suas características são semelhantes ao título 3, diferenciando-se por ser TUDO SEM NEGRITO. Exemplo: 2 AVALIAÇÃO....................................................................................................9 2.1 AVALIAÇÃO PERIÓDICA.............................................................................9 2.1.3 Provas e trabalhos práticos em sala de aula......................................22 2.1.3.1 Provas escritas.......................................................................................26 2.1.3.1 Trabalhos em grupo................................................................................28 2.1.4 Pesquisa de Campo................................................................................29

OBS: EVITE SUBDIVIDIR ALÉM DO TÍTULO 4!


7 1.2.9 Referências Antes do ano 2000, as Referências eram denominadas Referências Bibliográficas; a mudança se deu porque atualmente não se usa apenas livros como fonte de pesquisa bibliográfica, tendo outros tipos de documentação referenciada e impressa. O aluno deverá tomar o máximo de cuidado ao relacionar as referências consultadas: todas as citações que aparecem no texto deverão constar na lista de Referências, e todo material referenciado deverá ter sido utilizado no texto, seja em citações diretas ou indiretas. Alguns elementos são essenciais nas Referências. São eles: autor (es), título, local de edição, editora e data da publicação. Os títulos das obras deverão ser destacados (negrito, itálico ou sublinhado), optando-se por uma forma de destaque, e não as três ou duas ao mesmo tempo.

a) Livros SOBRENOME DO AUTOR, Prenome ou iniciais. Título do livro. Edição. Local: Editora, data. • Um autor Exemplo: PASSOS, Eliane. Ética nas organizações. 2. ed. São Paulo: Ed. Atlas, 2000. • Dois autores BASTOS, J. ; LOPES, M. Educação Tecnológica: uma proposta interdisciplinar. São Paulo: Cortez Editora, 2001. •

Três autores

ANTUNES, C.; CAMARGO, E. M.; COSTA E SILVA, H. , 2002. Antropologia: uma introdução. 3.ed. São Paulo: Atlas, 2006. • Mais de três autores Havendo mais de três autores pode-se indicar o primeiro autor, seguido da expressão latina et al. (et alii). No caso de projetos de pesquisa, relatórios, etc, onde é indispensável certificar a autoria, pode-se citar o nome de todos (NBR 6023:2000). NOGUEIRA, Eva et al .Manual de trabalhos técnicos. 21 ed. Petrópolis: Vozes, 2006.


8 b) Capítulo de livro • Quando o autor do capítulo não for o autor do livro SOBRENOME DO AUTOR DO CAPÍTULO, Prenome. Título do capítulo. In: SOBRENOME DO AUTOR DO LIVRO, Prenome. Título do livro. Edição. Local: Editora, data. Página inicial e final do capítulo. Exemplo: LEONARDI, Maria Lúcia Azevedo. A sociedade global e a questão ambiental. In: CAVALCANTI, Clóvis (Org.). Desenvolvimento e natureza: estudos para uma sociedade sustentável. 3. ed. São Paulo: Cortes Editora, 2001. p. 195-207. • Quando o autor do capítulo é o próprio autor do livro SOBRENOME DO AUTOR DO CAPÍTULO, Prenome. Título do capítulo. In: ______. Título do livro. Edição. Local: Editora, data. Página inicial e final do capítulo. Exemplo: SOUZA, João de. A importância de Rousseau. In: ______.História da Educação. São Paulo: Ed. Moderna, 1999. p. 37-51.

c) Trabalhos acadêmicos, dissertações, teses SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título. Data. Número de páginas. Tese ou dissertação (Grau e área) - Unidade de Ensino, Instituição, local e a data de defesa. • Trabalho acadêmico Exemplo: SAS, Raul. Componentes estruturais cefatolétricos da classe III em jovens xantodermas da região de Maringá. 1997. 50 f. Trabalho de Conclusão de Curso – Curso de Ortodontia, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 1997. • Dissertação Exemplo: COSTA, Edilson da. A práxis da ação comunicativa numa escola técnica: contribuições de Jürguen Habermas. 2002. 128 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia) - Programa de Pós Graduação em Tecnologia, Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná, Curitiba, 2002.


9 • Tese Exemplo: COSTA, Edilson da. A impossibilidade de uma ética ambiental: o antropocentrismo moral como obstáculo ao desenvolvimento de um vínculo ético entre ser humano e natureza. 2007. 181 f. Tese (Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2007.

d) Trabalhos apresentados em congressos, seminários, etc. SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título do trabalho. In: CONGRESSO, número, ano, local. Título da publicação. Local: Editora, data. Página inicial e final do trabalho. Exemplo: VOLPI, José Henrique. A modernidade e os conflitos sócio-psico-ambientais. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE PSICOLOGIA CORPORAL, 5, 2004, Foz do Iguaçu. Anais do V Congresso Brasileiro de Psicologia Corporal. Curitiba: Centro Reichiano, 2004. p. 211-227.

e) Periódicos • Periódico considerado no todo TÍTULO DO PERIÓDICO. Local: Editora, ano do início da publicação. Exemplo: REVISTA DE ADMINISTRAÇÃO. Curitiba: APA, jan. 1996-

Um fascículo da coleção


10 TÍTULO DO PERIÓDICO. Título do fascículo ou suplemento. Local: Editora, v. , n. , data. Número total de páginas do fascículo. Nota indicativa do tipo de fascículo. Exemplo: VALOR ECONÔMICO. O problema dos juros no Brasil. São Paulo: PUC, v. 19, n. 7. nov. 1991. 88 p. • Artigo de periódico SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título do artigo. Título do periódico, local, v. , n. , página inicial e final do artigo, data. Exemplo: COSTA, Edilson da. O pensamento de Habermas como contribuição inovadora para a Educação Tecnológica. Desafios da apropriação do conhecimento tecnológico, Curitiba, v.1, n. 1, p. 43-50, jan./dez.2000. • Artigo não assinado em jornais TÍTULO do artigo. Título do periódico, local, data. Página. Exemplo: FACULDADES buscam solução para o problema do plágio. Gazeta do Povo, Curitiba, p. 4, 20 dez. 2004. • Artigo assinado de jornais SOBRENOME DO AUTOR, Prenome. Título do artigo. Título do periódico, local, data, página. Exemplo: MORALES, Amauri. Células-tronco: a polêmica continua. Folha de São Paulo, São Paulo, 18 mar. 2005. p. 12.

f) Leis, decretos, portarias, regulamentos, etc. LOCAL. Identificação da legislação e data. Ementa. Título da publicação oficial, local, v. , n. , página, data. Seção, parte. Exemplo: SÃO PAULO. Resolução nº 12, de 19 de abril 1989. Aprova o Programa Estadual de Saúde Bucal: diretrizes para os programas regionais e municipais de saúde. Diário Oficial do Estado de São Paulo, São Paulo, v. 15, n. 10, p. 75, 20 abr. 1989. Seção 1, p. 8.


11

g) Gravação de vídeos e filmes cinematográficos TÍTULO. Responsável. Local, Produtora, Distribuidora. Data. Número de unidades físicas (tempo de projeção): características de som, cor, dimensões. Notas. Indicação de filme cinematográfico ou gravação de vídeo. Exemplo: CIVILIZAÇÕES antigas: o processo de mumificação no Egito. Dirigido por Carl Newman. Londres: BBC, 1994. 1 fita de vídeo (60 mim): son. (leg), color (NTSC), padrão 8 mm, VHS.

h) Transparências SOBRENOME, Prenome. Título. Local. Editor. Data. Número de unidades físicas: cor, dimensões. Notas. Exemplo: SILVA, Antonio. Ética Empresarial. Curitiba, 2004. 10 transparências. P&b. 30 x 20 cm.


12

i) Material cartográfico (mapas, Atlas, globos, fotografias aéreas para fins cartográficos, cartas hidrográficas, imagens aérea, espacial e terrestre por sensores remotos, etc). SOBRENOME, Prenome. Título. Edição. Local, Editor, data. Número de unidades físicas: indicação de cor, dimensões. Escala. Notas. Exemplo: INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Mapa do Brasil. Rio de Janeiro, 2002. 1 mapa: color. 120 x 80 cm. Escala: 1:6.000.000

j) Textos manuscritos SOBRENOME, Prenome. Título. Data. Descrição física. Notas. Manuscrito. • Carta Exemplo: TELL, Eli. [Carta]. 06 jul. 1997, Salvador [BA] [para] Ivo Tell, Curitiba.Manuscrito. • Trabalhos escolares e notas de aula Exemplo: JUNQUEIRA, José Carlos. Anotações de aulas ministradas no curso de Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento da Universidade Federal do Paraná (UFPR), disciplina de Análise de Impactos Ambientais, 2º sem. 2004.


13

l) Entrevistas ENTREVISTADO. Título. Local, data. Nota de entrevista. • Entrevista publicada Exemplo: MORIN, Edgar. A complexidade e a questão ambiental. Paris, 2003. Istoé, São Paulo, v. 52, n. 8, p. 6-11, 15 jun. 2001. Entrevista concedida a Ivan Lefebvre.

• Entrevista não publicada Exemplo: Capra, Fritjof. Fritjof Capra: depoimento [out 2004]. Entrevistador: Julio Marques. Curitiba: UFPR, 2004. 1 fita cassete (60 min), 3 ¾ pps, estéreo.

m) Atas de reunião NOME DA INSTITUIÇÃO, Local. Título e data. Livro nº , página inicial - página final. Exemplo: FUNDAÇÃO DE AÇÃO SOCIAL, Curitiba. Ata da reunião do dia 28 de outubro de 2003. Livro 4, p. 18-22. n) Relatórios SOBRENOME, Prenome. Título. Local, Editor. Data. Notas especiais. Exemplo: UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central. Relatório de Atividades 2004. Curitiba, 2005. Mimeografado.


14

o) Bíblia BÍBLIA. Idioma. Título. Tradução ou versão. Local: Editor, data. Nº de páginas ou nº de volumes. Notas. Exemplo: BÍBLIA. Português. A Bíblia de Jerusalém. Tradução por Euclides Martins Balancin et alii. São Paulo: Edições Paulinas, 1987. Para referenciar uma parte da Bíblia deve-se colocar o título da parte antes da indicação do idioma. Exemplo: BÍBLIA. Evangelho segundo São Lucas. Português. A Bíblia de Jerusalém. Tradução por Euclides Martins Balancin et alii. São Paulo: Edições Paulinas, 1987. p. 1926-1978.

p) Enciclopédias e dicionários NOME DA ENCICLOPÉDIA. Local: Editor, data. Total de volumes. Exemplo: ENCICLOPÉDIA Barsa. São Paulo: Encyclopaedia Britannica do Brasil, 1999. MICHAELIS: moderno dicionário da língua portuguesa. São Paulo: Companhia Melhoramentos, 1996. Exemplo de Enciclopédia em CD-ROM: ENCICLOPÉDIA Barsa. São Paulo: Encyclopaedia Britannica do Brasil, 2002. 1 CD-ROM.


15

q) Documentos eletrônicos SOBRENOME, Prenome. Título. Fonte (se for publicado). Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: data (dia, mês, ano). •

Documentos consultados on-line

Exemplo: SCHOR, Tatiana. O Discurso da Modernidade como práxis: Habermas e a Teoria Crítica. Disponível em <http://www.unir.br/~primeira/artigo145.html> Acesso em: 15 mar. 2005. • Artigos de jornais Exemplo: LOBATO, Elvira. Ex-dirigentes do Banco central foram condenados. Folha de São Paulo, 05 abr. 2005. Disponível em <http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc0504200502.htm> Acesso em: 05 abr. 2005 • Artigos de periódicos Exemplo: PRATES, Gláucia A. Tecnologia da informação em Pequenas Empresas: analisando empresas do interior paulista. Administração On Line, São Paulo, v. 3, n. 4, out./dez. 2002. Disponível em <http://www.fecap.br/adm_online/art34/prates.htm> Acesso em: 20 dez. 2003. • Arquivo em disquete SOBRENOME, PRENOME. Nome do arquivo. Extensão do arquivo. Local, data. Características físicas, tipo de suporte. Notas Exemplo: CIDRAL, Luiz Carlos. Artigos.doc. Curitiba, 22 abr. 2008. 2 disquetes, 3 ½ pol. Word for Windows 7.0.


16 • Informações obtidas via cd-rom AUTOR. Título. Local: Editora, data. Tipo de suporte. Notas. Exemplo: CAMARGO, João. O Vaticano. In: Almanaque Abril. São Paulo: Abril, 1998. 1 CDROM. • Correio eletrônico (e-mail) SOBRENOME, Prenome do remetente (endereço eletrônico do remetente). Assunto da mensagem. SOBRENOME, Prenome do destinatário (endereço eletrônico do destinatário) precedido das palavras e-mail to. Data da mensagem. Exemplo: COSTA, Edilson da (ecosta@uol.com.br). Informações sobre Tecnologia. E-mail to CASTRO, Marcos (macastro@terra.com.br). 29 set. 2003.


17

2 O PROJETO DE PESQUISA

A primeira providência que se deve tomar quando se pretende realizar uma pesquisa é elaborar o projeto: documento escrito que contém todos os elementos de planejamento de uma pesquisa a ser realizada. Nenhuma pesquisa deverá ser realizada sem um projeto, da mesma forma que não se constrói um prédio sem ter antes uma planta. Serve, portanto, como guia e para organizar a realização do trabalho. A seguir apresenta-se, de modo explicativo, cada um dos elementos do projeto.2 2.1 TEMA O tema é o assunto, é aquilo que trata a pesquisa, o trabalho, a monografia que se pretende redigir. É o aspecto mais genérico de um assunto dentro de uma área de conhecimento. O tema deve mostrar qual o objeto da pesquisa. 2.1.1 Delimitação do tema

2

No Anexo 3 apresentamos um modelo de PROJETO DE PESQUISA.


18 Ao ser delimitado, o tema deverá apresentar qual o enfoque (uma parte do todo - o tema), em que espaço (geográfico) e tempo (histórico) será realizada a pesquisa. 2.2 PROBLEMA (ou: PROBLEMATIZAÇÃO) Nenhum tema pode ser tratado se não for um problema. Em um ou dois parágrafos, mostrar exatamente o que vai ser pesquisado, em forma de pergunta, a questão chave que levou a pesquisar, e que será respondida com o resultado da pesquisa. Exemplos: A aplicação do método de estudo da estrutura de histórias aos alunos da 4ª série do Ensino Fundamental produzirá aumento do rendimento escolar? A criação de um planejamento estratégico resolve o problema da Empresa X? 2.3 JUSTIFICATIVA Na justificativa deve-se citar as razões que tornam importante a realização da pesquisa proposta, do ponto de vista da sua contribuição pessoal para a ciência e para a sociedade. No caso de apresentar seu projeto a órgãos financiadores, é importante convencer os patrocinadores; no meio acadêmico, o professor orientador deverá ser convencido sobre a validade da realização da pesquisa. Como justificativa deverá ser redigido um texto dissertativo de aproximadamente uma página explicando a importância do trabalho para a área de conhecimento do curso e para sua formação especificamente. Contextualizá-lo e apresentar todos os dados que tiver sobre ele. Perguntas que deverão ser respondidas nesse texto: Por que vou fazer essa pesquisa? Qual a relevância social? Qual a contribuição para a ciência? Qual a contribuição pessoal, para o curso ou para a instituição na qual se trabalha? 2.4 OBJETIVOS Em um trabalho científico os objetivos existem para demonstrar para que pesquisar e quais os propósitos do estudo. Dividem-se em Objetivo Geral e Objetivos Específicos. 2.4.1 Objetivo geral Definir de modo geral e abrangente o que se pretende alcançar com a pesquisa. Mostrar onde você quer chegar, indicando de forma genérica qual o objetivo principal a ser alcançado, sem qualquer comentário adicional. Deve ser claro e conciso.


19

2.4.2 Objetivos específicos Detalhar o objetivo geral mostrando o que se pretende alcançar. Indicar exatamente o que será realizado visando a atingir o objetivo geral. Os objetivos devem iniciar sempre com um verbo no infinitivo, e deverá conter um único verbo, que deve situar-se no âmbito de estudar, proporcionar, elaborar, apresentar, desenvolver, aplicar, conhecer, identificar, etc. Exemplo: A pesquisa a ser realizada tem por objetivo geral ....................................... Para atingir esse objetivo geral, foram escolhidos os seguintes objetivos específicos: a) Visitar ............................................................................................... b) Conhecer........................................................................................... c) Compreender..................................................................................... d) Analisar............................................................................................. e) Caracterizar....................................................................................... 2.5 HIPÓTESE Elaborar a hipótese sob a forma de uma frase afirmativa que representa uma possível resposta para a questão chave (problema) da pesquisa e que será analisada no trabalho. Exemplo: Sendo o turismo uma fonte de receita para um município que apresente esse potencial, caso o atendimento seja feito de maneira correta isso acarretará um afluxo maior de visitantes à cidade X, trazendo divisas e conseqüentemente ajudando em seu desenvolvimento.

2.6 REFERENCIAL TEÓRICO Também chamado de Revisão de Literatura, Revisão Bibliográfica, Fundamentação Teórica, Quadro Teórico etc., apresenta o que já foi dito sobre o assunto. Trata-se de um texto sobre uma visão geral do problema, a partir de autores consultados, onde se faz citações mencionando-se as fontes consultadas. Nesta parte do projeto, o texto não é conclusivo, pois a pesquisa ainda será feita.


20

2.7 METODOLOGIA OU PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS A metodologia mostra o como vai ser realizada a pesquisa, indicando como obter e como trabalhar com as informações. Deverá mostrar onde e como fazer a pesquisa, indicando ainda onde serão obtidas as informações. Através de um texto dissertativo, explicitar que procedimentos metodológicos serão utilizados para fazer o trabalho : pesquisa bibliográfica, de campo, documental, questionários, entrevistas, testes, comparações, etc. Se possível elaborar modelos dos instrumentos a serem utilizados. Nessa fase do projeto, deve-se optar por um tipo de pesquisa. Esta poderá ser apenas bibliográfica, mas poderá também ser empírica, com trabalho de campo, através de um estudo de caso. Após relacionar o tipo de pesquisa escolhido, o investigador deverá selecionar um método que norteará sua análise e as técnicas que operacionalizarão os métodos através do uso de instrumentos como entrevistas, questionários, observações, etc. para a coleta de dados. O pesquisador deverá ainda deixar bem claro o universo em que pretende desenvolver a pesquisa: determinar a instituição e definir a população-alvo e a amostra. A seguir, relacionamos alguns passos que o aluno pesquisador poderá seguir para constar em seu projeto. 2.7.1 Diagnóstico do campo de pesquisa Diagnóstico é o conjunto de dados, descritos minuciosamente, que permite identificar um determinado fenômeno ou objeto a ser pesquisado. Para elaborar o diagnóstico, o pesquisador pode se utilizar da pesquisa documental e de técnicas de pesquisa como observação sistemática, questionário e entrevista. De acordo com o propósito da pesquisa, o aluno pesquisador deverá prever no projeto quais os procedimentos que tomará para diagnosticar seu campo de pesquisa, como por exemplo: • Histórico do campo de pesquisa. O objetivo é contextualizar o campo para melhor compreender a ação dos seus agentes. Poderá ser feito através de documentos verificando dados desde a origem do campo até o momento da pesquisa. Se o campo de pesquisa não possuir este histórico sistematizado, então deverá ser construído através de outros documentos como fotos, atas e/ou entrevistas e questionários. • Estrutura física É uma análise da adequação da arquitetura ou do espaço físico com as funções que seu objeto de análise desenvolve. O levantamento deverá ser feito através da observação direta durante a realização das atividades, podendo ser complementado através de entrevistas com os usuários ou os participantes diretos sempre que necessário. Neste caso


21 o aluno deverá verificar tudo aquilo que seja relevante para sua pesquisa, como por exemplo: a) As dimensões do espaço físico. b) A adequação da iluminação, design, segurança. c) A conservação, higiene, conforto. • Filosofia e/ou missão Verificar a filosofia e/ou missão que norteia a ação de campo. Para realizar este trabalho o meio mais acessível é a pesquisa no projeto político ou no planejamento da entidade. Caso este documento não exista a filosofia deverá ser inferida por meio de consulta a outros documentos como atas de reuniões, folhetos de propaganda, entrevistas com a direção etc. • Recursos humanos A partir da análise do organograma da instituição, indicar o perfil de todos os agentes que compõe o quadro funcional da entidade. Por quadro funcional compreende-se o corpo técnico-administrativo e serviços gerais. Para traçar o perfil o levantamento poderá ser feito através de pesquisa documental. Caso a instituição não possua tais documentos o perfil deverá ser construído através de um questionário. Além do quadro funcional, se for o caso, considerar também aqueles agentes que participam do seu campo, como por exemplo clientes, concorrentes, fornecedores. • Atividades desenvolvidas Nesse item é necessário distinguir entre aquelas atividades que são indispensáveis para que a instituição cumpra a sua função e aquelas que ela realiza e/ou oferece para viabilizar sua filosofia. Nesse sentido é importante não só o levantamento das atividades mas uma avaliação crítica, observando se existe coerência na proposta e na execução das atividades, como as funções e a filosofia da instituição. A maior parte da investigação é feita por meio de observação direta, mas é também necessário a análise de documentos como metas, planejamentos, etc. O dados podem ser enriquecidos com entrevistas formais e informais com os agentes. 2.7.2 Pesquisa bibliográfica Neste item deverão ser indicados quais os procedimentos que serão tomados para se fazer a pesquisa bibliográfica. Normalmente, a maior dificuldade do aluno pesquisador é definir o seu tema e o seu problema de pesquisa. Partindo do interesse e entusiasmo por um determinado assunto, deve iniciar a pesquisa pelo levantamento das fontes, seguido pela leitura atenta e comprometida. São estas fontes que sustentarão a pesquisa e a partir delas será construído o referencial teórico. Para tanto, sugere-se alguns passos: a) Seleção de artigos científicos em revistas, anais e Internet.


22 b) Leitura de pelo menos uma monografia pertinente ao assunto escolhido. c) Levantamento bibliográfico em bibliotecas.

2.7.3 População-alvo Neste momento o aluno deverá indicar o universo de objetos que será estudado ou os sujeitos da pesquisa. Entende-se por universo ou população alvo “a totalidade de indivíduos que possuam as mesmas características, definidas para um determinado assunto” (RÚDIO, 1995, p. 49). Para definir a população-alvo, deve-se adotar critérios bastante rigorosos de inclusão e exclusão, pois a população tem uma grande influência na generalização dos resultados. Para investigar um grupo de hipertensos (inclusão) pode delimitar o tipo ou estágio de hipertensão, exigindo comprovação para que não haja interferência de outros males (exclusão). Deve-se selecionar o mais preciso possível o universo da pesquisa definindo: a) quem observar; b) local; c) circunstâncias. Exemplo: Na pesquisa o problema é verificar a influência da Internet nos hábitos de consumo e interação social entre os jovens universitários, de 18 a 20 anos, de uma determinada instituição. a) QUEM OBSERVAR De acordo com o problema, indicar o que for necessário. Jovens universitários de 18 a 20 anos, de uma determinada instituição particular, ambos os sexos, usuários da Internet. b) LOCAL Indicar onde a população será observada. c) CIRCUNSTÂNCIAS Indicar em que circunstâncias a população será pesquisada. 2.7.4 Amostra Muitas vezes a população alvo é grande demais para se fazer pesquisa. Deve-se, então, selecionar uma amostra como faz o profissional de análise clínica para um exame de sangue. Ele colhe apenas uma amostra. Para Contandriopoulos (1997, p. 60) amostra é um subconjunto de indivíduos da população-alvo, com as mesmas características, para que o resultado possa ser generalizado. 2.7.5 Coleta, análise e interpretação de dados Neste momento do projeto o aluno deverá pensar como fará para coletar os dados, indicando quais os instrumentos que vai utilizar e quais os critérios que serão utilizados para análise e interpretação das informações obtidas. Dependendo do tipo de informação que o pesquisador pretende obter, ele deve definir o tipo de instrumento que vai utilizar. Entende-se por instrumento de pesquisa aquilo que é utilizado para a coleta de dados. Há muitos instrumentos


23 que podem ser utilizados e variam de acordo com o tipo de investigação que se pretende fazer. Alguns exemplos: - Questionário - Entrevista - Observação - Coleta Documental - Técnicas Mercadológicas - Medidas de opiniões e atitudes - História de vida, etc. No exemplo proposto sobre o hábito de consumo e interação social com os usuários da Internet, pode-se selecionar uma amostra do total de alunos e aplicar um questionário. Dos alunos que responderam ao questionário pode-se selecionar uma ou outra amostra para na realização da entrevista pois somente o questiona ´rio não valida a pesquisa. Obtidos os dados, o aluno deverá indicar no projeto que procedimento irá adotar para organiza-los e posteriormente analisa-los e interpretá-los. De maneira simplificada apresenta-se a seguir modelo de metodologia que poderá servir de roteiro para o Projeto de pesquisa: Exemplo: A revisão bibliográfica será feita mediante leitura sistemática, com fichamento de cada obra, ressaltando os pontos abordados pelos autores pertinentes ao assunto em questão....... A pesquisa de campo será realizada na....................................................., período ............................. e como instrumento de coleta de dados utilizar-se-á o questionário/ou/entrevista......... 2.8 CRONOGRAMA Nessa parte o aluno deverá fazer uma previsão do tempo necessário para a realização da pesquisa, considerando o tempo e os procedimentos metodológicos definidos, distribuindo a tarefas no tempo em que o trabalho deverá estar pronto. Aqui pode ser utilizado algum tipo de quadro, o que facilitaria a visualização das tarefas em seqüência. Exemplo: PERÍODO JAN. FEV. MAR. ABR. MAIO JUN. ETAPAS 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 Elaboração do projeto Revisão bibliográfica Coleta dos dados em campo Tabulação dos dados Análise dos dados Redação preliminar do trabalho


24 Redação final, digitação, encadernação Entrega final FONTE: O autor 2.9 REFERÊNCIAS É o conjunto de elementos que permite a identificação das publicações, abrangendo livros, artigos, publicações, sites da Internet. Exemplos: ALMEIDA, J. Administração e Controle. São Paulo: Atlas, 1997. CONTRANDIAOPOULOS, A-P et al. Saber preparar uma pesquisa: definição, estrutura e financiamento.São Paulo: Hucitec, 1997. SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 21 ed. rev. e ampl. São Paulo: Cortez, 2000. TAVARES, M. B. Biblioteca digital: bibliografia internacional anotada. Disponível em: http://www.unicamp.br/bc/bibvirt3.htm Acesso em: 15 jul. 2004

OBS.: O projeto de pesquisa deverá conter os seguintes elementos: Elementos pré-textuais a) Capa • Ao alto da página, a partir da primeira linha, fazer constar o nome da instituição, em CAIXA ALTA. • Na segunda linha digitar o nome do curso, também em CAIXA ALTA • Ao centro da folha e centralizado, o título do projeto, em CAIXA ALTA e negrito. • Ao final, na penúltima linha, o nome da cidade, em CAIXA ALTA, e na última linha, o ano. b) Folha de rosto • O nome do autor, em CAIXA ALTA • Título, centralizado, em CAIXA ALTA e negrito • Nota indicando a natureza do trabalho, a disciplina, o curso e o nome da instituição, além do nome do professor. • Local e ano, assim como na capa. Elementos textuais3 a) Tema e Delimitação do Tema b) Problema c) Justificativa 3

Estes elementos poderão ser digitados em seqüência, aparecendo mais de um na mesma folha, não havendo necessidade, portanto, de colocar cada elemento do projeto em folha distinta.


25 d) e) f) g)

Hipótese Objetivos: Geral e específicos Referencial teórico Metodologia ou Procedimentos Metodológicos

h) Cronograma i) Referências Elementos pós-textuais a) Apêndices b) Anexos


26

EXERCÍCIO

O exercício a seguir pretende ser um roteiro que ajudará na montagem do Projeto de Pesquisa

1 TEMA E DELIMITAÇÃO DO TEMA __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 2 PROBLEMA (Redigir na forma interrogativa a questão chave da pesquisa)

__________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ __________________________________________________________________ 1 JUSTIFICATIVA (Redigir um texto dissertativo de aproximadamente uma página explicando a importância do trabalho para a área de conhecimento do curso e para sua formação especificamente. Contextualizá-lo e apresentar todos os dados que tiver sobre ele).


27 2 OBJETIVOS (Descrever os principais objetivos que se pretende atingir com a realização do trabalho. Utilizar verbos como analisar, identificar, comparar, diagnosticar evitando verbos que possam transmitir idéias valorativas ou julgamentos).

4.1 OBJETIVO GERAL: _________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ 4.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS: a)_______________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ b) _______________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ c)________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________ 3 HIPÓTESE (S) (Elaborar a (s) hipótese (s) - frase (s) afirmativa (s) que representa (m) possível (is) resposta (s) para a questão chave (problema) - da pesquisa e que será (ao) analisada (s) no trabalho)

6 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA / OU / REFERENCIAL TEÓRICO /OU/ REVISÃO BIBLIOGRÁFICA (Redigir um texto dissertativo de aproximadamente uma página explicando os principais referenciais teóricos e termos chaves que serão utilizados durante a realização do trabalho):

7 METODOLOGIA (Explicar, através de um texto dissertativo, que procedimentos metodológicos serão utilizados para fazer o trabalho : pesquisa bibliográfica, de campo, documental, questionários, entrevistas, testes, comparações... Se possível elaborar modelos dos instrumentos a serem utilizados):

A revisão bibliográfica será feita mediante leitura sistemática, com fichamento de cada obra, ressaltando os pontos abordados pelos autores pertinentes ao assunto.......


28 A pesquisa de campo será realizada no....................................................., período ............................. e como instrumento de coleta de dados utilizar-se-á o questionário/ou/entrevista......... 8 CRONOGRAMA (Elaborar um quadro especificando o cronograma de atividades até a apresentação final do trabalho)

PERÍODO ETAPAS

JAN. FEV. MAR. ABR. MAIO JUN. 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4

Elaboração do projeto Revisão bibliográfica Coleta dos dados em campo Tabulação dos dados Análise dos dados Redação preliminar do trabalho Redação final, digitação, encadernação Entrega final

9 REFERÊNCIAS Relacionar todas as referências utilizadas para a elaboração do projeto de pesquisa seguindo as normas da ABNT.

HEEMANN, Ademar. Natureza e ética: dilemas e perspectivas educacionais. Curitiba: Ed. da UFPR, 1993.

*********************************************************************************** Após a realização do projeto, o aluno estará apto a iniciar a pesquisa propriamente dita.


29 3 ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO A estrutura de um trabalho de pesquisa independente do tema abordado, das finalidades do estudo e do esquema estabelecido pelo autor compreende três partes: pré-textuais, textuais e pós-textuais. Pré-Textuais • Capa • Folha de rosto • Páginas preliminares (opcionais) - Dedicatória - Agradecimentos - Epígrafe • Resumo • Sumário • Lista de ilustrações (opcional) • Lista de abreviaturas, siglas e símbolos (opcional) Textuais • Introdução • Desenvolvimento • Conclusão Pós-Textuais • Referências • Apêndices e Anexos (opcionais) • Glossário (opcional)


30 Estrutura básica de apresentação dos trabalhos acadêmicos

Anexo ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS Apêndices Referências

TEXTO PROPRIAMENTE DITO Texto

Sumário Listas Resumo *Agradecimentos *Epigrafe ou Dedicatória ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

Folha de Rosto Capa

* Elementos opcionais


31 3.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS São chamados pré-textuais os elementos que contêm informações e ajudam na identificação e na utilização do trabalho. 3.1.1 Capa Elemento obrigatório. É a parte externa do trabalho usada como proteção física. Deve conter informações indispensáveis à sua identificação, na seguinte ordem: o nome da instituição, título e subtítulo (se houver) do trabalho (negritado), local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado e ano da entrega. MODELO DE CAPA

3 cm NOME DA INSTITUIÇÃO (Arial 12, caixa alta)

3 cm

2 cm

TÍTULO (Arial 12, negrito)

CIDADE ANO

2 cm


32 3.1.2 Folha de rosto É a parte indispensável em qualquer tipo de trabalho. Deverá reproduzir todas as informações essenciais que identifica o trabalho, ou seja: autor (aluno); título; nota indicando a natureza acadêmica do trabalho, além da unidade de ensino e instituição em que é apresentado; nome do professor da disciplina; local (cidade) e ano (em algarismos arábicos). MODELO DE FOLHA DE ROSTO

3 cm NOME (S) (Arial 12, CAIXA ALTA)

10 espaços duplos

3 cm cm

2

TÍTULO SUB-TÍTULO (SE HOUVER) (Arial 12, negrito) 8 cm →

Trabalho apresentado à disciplina... do curso de..........da UFPR – Universidade Federal do Paraná Professor Edilson da Costa (Arial 10, espaço simples)

CIDADE ANO 2 cm


33 3.1.3 Dedicatória A dedicatória é opcional. Texto, geralmente curto, no qual o autor presta uma homenagem ou dedica seu trabalho a alguém. É transcrita na parte inferior da página e dispensa a palavra Dedicatória. MODELO DE DEDICATÓRIA

3 cm

3 cm

2 cm

A meus pais

ii 2 cm


34 3.1.4 Agradecimentos Página opcional que o autor manifesta agradecimento a pessoas e instituições que, de alguma forma, colaboraram para a execução do trabalho. Coloca-se no espaço superior da folha a palavra AGRADECIMENTOS. MODELO DE AGRADECIMENTOS

3 cm AGRADECIMENTOS Ao professor Fulano de Tal, pelos conhecimentos transmitidos. Aos colegas do curso, pela amizade. A todos que ajudaram durante a realização deste trabalho. 3 cm

2 cm

iii 2 cm


35 3.1.5 Epígrafe Epígrafe é a inscrição colocada no início de um trabalho, podendo figurar também no início de cada capítulo ou partes principais. A fonte de onde se extraiu é indicada abaixo da epígrafe, alinhada na margem direita. É opcional. MODELO DE EPÍGRAFE

3 cm

3 cm

2 cm

Somente onde há vida, há também vontade: mas não vontade de vida e sim vontade de potência! (NIETZSCHE, 1983, p. 238) iv

2 cm


36 3.1.6

Resumo (do tipo “sinopse”)

Este Resumo, do tipo sinopse, é a apresentação concisa do texto, destacando-se os aspectos de maior interesse e importância, ou seja, o objetivo, o método, os resultados e as conclusões do trabalho ou da monografia. Deve ser redigido em um único parágrafo, em espaço simples, em página distinta e ter no mínimo 250 e no máximo 500 palavras. Deve ser auto-explicativo utilizando a terceira pessoa no singular e dando preferência ao verbo na voz ativa. A primeira frase deve ser significativa, explicando o tema principal da pesquisa. MODELO DE RESUMO

3 cm RESUMO

Este trabalho, resultado de pesquisa realizada em uma instituição de ensino técnico, tem por objetivo possibilitar a aplicação do pensamento de Jürguen Habermas à prática da sala de aula, como proposta de um novo paradigma tecnológico de educação, 3 cm relacionando o pensamento desse filósofo com a2 cm pedagogia. Através de uma pesquisa bibliográfica de cunho interpretativo-reflexivo apresenta a filosofia de Habermas como fundamento de um novo paradigma: o lingüístico. Seus resultados mostram que a prática de uma ação comunicativa, que privilegia as atividades coletivas, facilita a solução de um problema e gera novos saberes. Aponta ainda algumas contribuições de Habermas À Educação Tecnológica, mostrando que esta deve preparar o cidadão para viver a atual realidade: usufruir da tecnologia sem ser por ela dominado.

v 2 cm


37

3.1.7 Sumário Elemento obrigatório. É a indicação do conteúdo do documento, refletindo as principais divisões e seções na mesma ordem e grafia em que se apresentam no texto. Deve oferecer ao leitor uma visão global do estudo realizado e deve ainda: • ser localizado após a folha de rosto, folhas de dedicatória, agradecimentos, epígrafe e, que, aliás, não devem constar no sumário; • ser transcrito em folha distinta, com o título centralizado; • o título do capítulo ou seção deve aparecer no sumário com o mesmo fraseado e tipo de letra utilizado no texto; • o número da página inicial do capítulo ou seção deve ser ligado ao título por linha pontilhada. MODELO DE SUMÁRIO

3 cm

1,25 cm SUMÁRIO

3 cm

2 espaços duplos 1 INTRODUÇÃO.................................................1 2 TIPOS DE CONHECIMENTO............... ...........6 2.1 SENSO COMUM................................ ..........8 2.2 CONHECIMENTO CIENTÍFICO.................10 2 cm

2.2.1 Ciências formais.....................................16 ¬ 2.2.2 Ciências factuais................... ................17 2.2.2.1 Ciências naturais....................................17 2.2.2.2 Ciências sociais......................................18 3 CONSIDERAÇÕES FINAIS...........................20 REFERÊNCIAS...................................................23

vi

2 cm


38

3.1.8

Lista de ilustrações (tabelas, gráficos, figuras, quadros e outros)

Elemento opcional. É a relação seqüencial dos elementos ilustrativos, devendo aparecer na mesma ordem em que constar o número dom trabalho seguida do título e da página onde se encontra. Recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo de ilustração, quando muito numerosas. As ilustrações devem aparecer o mais perto possível do lugar em que são mencionadas e destacadas do texto por dois espaços duplos. A construção da(s) tabela(s) deve(m) obedecer às Normas de Apresentação Tabular publicada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 1983). MODELO DE LISTA DE ILUSTRAÇÕES

3 cm LISTA DE GRÁFICOS GRÁFICO 1: Grau de escolaridade......................43 GRÁFICO 2: Tempo de magistério.......................44 GRÁFICO 3: Contato com o computador..... . ...46 3 cm GRÁFICO 4: Recursos utilizados..........................47 2 cm GRÁFICO 5: Acesso à Internet.............................49

vii

2 cm


39

3.1.9 Lista de abreviaturas, siglas e símbolos Elemento opcional. É a relação em ordem alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto, seguidas das palavras e expressões correspondentes grafadas por extenso e, se muito numerosas, devem vir em listas próprias. A lista de símbolos deve ser elaborada na ordem apresentada no texto e com o seu devido significado. MODELO DE LISTA DE ABREVIATURAS

3 cm LISTA DE ABREVIATURAS ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas CFE – Conselho Federal de Educação IES – Instituição de Ensino Superior ............................ 3 cm

2 cm

viii

2 cm


40

3.2 ELEMENTOS TEXTUAIS O texto é a parte do trabalho onde se expõe o conteúdo da pesquisa. Sua organização é determinada pela natureza do trabalho. São os seguintes elementos fundamentais: introdução, revisão de literatura, metodologia ou procedimentos metodológicos, análise e interpretação dos dados e considerações finais ou conclusão. 3.2.1 Introdução A introdução é a parte inicial do texto. Tem a finalidade de dar ao leitor uma visão clara e simples do assunto do trabalho, expor os objetivos, explicar os motivos que levaram o autor a realizar a pesquisa (justificativa) e finalizar a introdução com a indicação das partes componentes do corpo do trabalho (estrutura). É importante ressaltar que a introdução, como a primeira seção do texto, receberá sempre o indicativo 1 (um), de acordo com a norma NBR 6024:1990. Deverá apresentar, portanto, sob a forma de texto. • Apresentação do tema. • Justificativa (razão da pesquisa). • Objetivos. • Definição do problema. • Formulação das hipóteses (ou questões norteadoras) • Menção da metodologia, técnicas e instrumentos utilizados (rever o projeto do trabalho). • Referir-se aos tópicos principais do desenvolvimento do texto dando o roteiro ou a ordem de exposição. 3.2.2 Desenvolvimento Tem o objetivo de desenvolver o tema principal, ressaltando os aspectos mais importantes, discutindo, analisando e interpretando os dados coletados. A divisão desta parte depende do propósito e da natureza da pesquisa. No entanto, deve ser clara e obedecer a uma seqüência lógica que exprime a própria construção do conhecimento, ou seja, a explicação do objeto estudado, desde o seu ponto de partida até o seu ponto de chegada. Resumidamente, o desenvolvimento é o corpo do trabalho: arrolamento, análise, interpretação e julgamento dos dados pesquisados. Ter como base as fontes consultadas. Mencionar nas citações, de preferências indiretas, as referências dos autores (autor, ano, página). Obs.: Não se deve utilizar as palavra desenvolvimento. Para cada item ou capítulo devem ser atribuídos títulos de acordo com o assunto estudado.


41

3.2.3 Conclusão A conclusão, ou considerações finais, representa a síntese do trabalho. Constitui-se de uma resposta ao objetivo enunciado na introdução. Nela deve aparecer ainda a posição do autor da monografia, bem como questões em aberto, direcionando para novas pesquisas

3.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS São elementos complementares que têm relação com o texto, mas que, para torna-los menos densos e não prejudica-los, costumam vir apresentados após a parte textual.


42

3.3.1 Referências Referências consistem numa listagem que obedece a uma ordem alfabética única de sobrenome de autor e título para todo tipo de material consultado, permitindo a identificação das publicações, no todo ou em parte, ou seja, é a relação das fontes bibliográficas utilizadas pelo autor e todas as obras citadas no texto devem obrigatoriamente figurar na lista de referências. Listar somente as citadas no texto do trabalho. MODELO DE REFERÊNCIAS

3 cm REFERÊNCIAS ANDRADE, M.A. Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 2005. ECO, Umberto. Como se faz uma tese. São Paulo: Perspectiva, 1999. Gestão participativa. Disponível em www.escolahoje.com.br. Acesso em 08 jan. 2008

3 cm

2 cm

2 cm


43

3.3.2 Apêndice Elemento opcional, que consiste em um texto ou documento elaborado pelo autor, a fim de complementar sua argumentação, sem prejuízo da unidade nuclear do trabalho. Os apêndices são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Exemplo: APÊNDICE A – QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO 3.3.3

Anexo

Elemento opcional, que consiste em um texto ou documento não elaborado pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração. Os anexos são identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Exemplo: ANEXO A – POLULAÇÃO DE CURITIBA NO ANO 2000 3.3.4 Glossário Elemento opcional. Consiste em uma lista em ordem alfabética de palavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro utilizadas no texto acompanhadas das respectivas definições.


44

REFERÊNCIAS ACEVEDO, C. R.; NOHARA, J. J. Monografia no curso de Administração: guia completo de conteúdo e forma. São Paulo: Atlas, 2004. CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. São Paulo: Cortez, 2000. ECO, U. Como se faz uma tese. 17 ed. São Paulo: Perspectiva, 2002. LUDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. LUNA, S. V. Planejamento de pesquisa: uma introdução. São Paulo: EDUC, 2000. MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas; amostragens e técnicas de pesquisa; elaboração, análise e interpretação de dados. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1990. MATTAR NETO, J. A. Metodologia científica na era da informática. São Paulo: Saraiva, 2002. ______. Fundamentos de metodologia científica. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1991. RUDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 29. ed. Petrópolis: Vozes, 2001. SALOMON, D. V. Como fazer uma monografia. São Paulo: Martins Fontes, 2001. SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 21. ed. rev. e ampl. São Paulo: Cortez, 2000. TRIVINOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 1994. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Normas para apresentação de documentos científicos: teses, dissertações, monografias e trabalhos acadêmicos. v. 2. Curitiba: UFPR, 2000. VIEIRA, S. Como escrever uma tese. 5. ed. rev. e ampl. São Paulo: Pioneira, 1999.


45

APÊNDICE 1 - ROTEIRO RESUMIDO DO TRABALHO ACADÊMICO O trabalho acadêmico divide-se basicamente em três partes: Introdução, Desenvolvimento e Conclusão. 1 INTRODUÇÃO Iniciar a Introdução com uma explicação do trabalho/pesquisa realizado, bem como seu significado. O que se vai fazer e por quê? Deve ser indicado o objeto da investigação, ou seja, a área ou o foco do estudo realizado. Na introdução, ainda são apresentadas as razões para a escolha do tema. (Justificativa) Qual a importância ou relevância do tema? Quais as razões que o(a) levaram a propor este trabalho, nesta área, neste tema? Quais as razões que o(a) levaram a optar por isto? Qual o valor para o meio acadêmico e para a sociedade do desenvolvimento desta pesquisa? (Objetivos) Objetivo Geral Indicar de forma genérica qual o objetivo principal a ser alcançado, sem qualquer comentário adicional. Deve ser claro e conciso. Objetivos Específicos Detalhar o objetivo geral mostrando o que se pretende alcançar. Tornar operacional o objetivo geral, indicando exatamente o que será realizado visando a atingir o mesmo. Os objetivos devem iniciar sempre com um verbo no infinitivo: Proporcionar, Elaborar, Apresentar, Desenvolver, Aplicar, Conhecer, Identificar, etc. (Partes do trabalho) Descrever de maneira breve o conteúdo de cada parte ou capítulo do trabalho. 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Neste Capítulo deve-se realizar uma análise bibliográfica do que já foi escrito sobre o tema da sua monografia. Procurar apresentar os enfoques recebidos pelo tema ou área na literatura publicada em livros ou revistas científicas. É um referencial teórico para dar suporte ao desenvolvimento do trabalho. 3 METODOLOGIA Neste capítulo você mostrará como foi realizado o trabalho, ou seja, quais os mecanismos utilizados e qual a forma da apresentação final. Indicar como foram coletadas as informações (questionários, entrevistas, observações diretas, etc.), qual a escola, comunidade, empresa, quantas pessoas foram abordadas. Pela Metodologia ou procedimentos metodológicos, você deverá responder ao como? Onde? Com que? Obs: Esta parte poderá vir no mesmo capítulo “A Pesquisa e seus resultados”.


46

ETAPA II 4 A PESQUISA E SEUS RESULTADOS A pesquisa propriamente dita. Seus relatórios, suas informações, enfim, seu desenvolvimento total: os dados levantados, as perspectivas, o contexto situacional. ETAPA III 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS Apresentar uma síntese do trabalho realizado, demonstrando se os objetivos foram alcançados. Faz-se também, nesta, hora, uma análise do mérito da pesquisa (contribuição, relevância e viabilidade). Apresentar recomendações de melhorias nos processos pesquisados e propostas de novos estudos para o ambiente pesquisado no tocante às necessidades percebidas. REFERÊNCIAS Toda bibliografia utilizada em seu trabalho deverá constar deste capítulo. APÊNDICES E ANEXOS No ANEXO você irá anexar cópias dos documentos citados no corpo do trabalho e cópias dos instrumentos utilizados nas pesquisas como questionários, formulários, roteiros de entrevistas, etc. Caso você tenha preparado algum material (como um roteiro, por exemplo) deverá constar com o nome de APÊNDICE.


47

APÊNDICE 2 - RESUMO O resumo é a apresentação concisa e freqüente seletiva do texto, pondo em destaque os elementos de maior interesse e importância. Consiste no trabalho de condensação de um texto capaz de reduzí-lo a seus elementos de maior importância. Tem a finalidade de difundir o mais amplamente as informações e permitir, a quem o lê, decidir sobre a conveniência de consultar o texto completo. 1. CARACTERÍSTICAS DE UM RESUMO a) Formado de parágrafos de sentido completo. Depois de feito o resumo, dispensa-se a leitura original para compreensão do conteúdo. b) O resumo não indica tópicos apenas, mas condensa sua apresentação de tal modo que possa dar uma visão global do texto. Comporta análise e apreciação a partir de uma compreensão do texto. c) Mantém a fidelidade às idéias do texto, ou seja, o resumo deve conter todas as idéias e somente as idéias importantes do autor. d) Ajuda na captação, análise, relacionamento, fixação, e integração do que se estuda. 2. NORMAS PARA UM BOM RESUMO a) Separar os dados essenciais secundários. b) Selecionar as idéias principais. c) Considerar o que deve ser anotado de acordo com o uso que se vai fazer. d) Relacionar os elementos destacados e condensá-los. e) Não resumir antes de ler, de esclarecer todo o conteúdo, de sublinhar e fazer anotações na margem do texto. f) Desenvolver o assunto com as próprias palavras, de maneira dissertativa, usando frases curtas. g) Usar parágrafos para separar os elementos importantes e diferentes. h) Em cada parágrafo, deverá haver um só elemento importante. i) Não usar numeração como no esquema. 3. TIPOS DE RESUMO a) Resumo descritivo ou indicativo: nesse tipo de resumo, descrevem-se os principais tópicos do texto original e indicam-se sucintamente seus conteúdos. Não dispensa, portanto, a leitura do texto original para a compreensão do assunto. Quanto à extensão, deve ter entre 20 e 30 linhas digitadas em Fonte Arial tamanho 12, divididas em parágrafos. Utilizam-se frases curtas que, geralmente, correspondem a cada elemento fundamental do texto; o resumo descritivo, porém, não deve limitar-se à enumeração pura e simples das partes do trabalho. b) Resumo informativo ou analítico: é o tipo de resumo que reduz o texto 1/3 ou 1/4 do original, abolindo-se gráficos, citações, exemplificações abundantes, porém mantendo-se as idéias principais. não se permite a opinião pessoal do autor do


48 resumo. O resumo informativo que é o mais solicitado nos cursos de graduação, deve dispensar a leitura do texto original para o conhecimento do assunto. c) Resumo crítico: Consiste na condensação do texto original a 1/3 ou 1/4 de sua extensão, mantendo-se as idéias fundamentais, mas permite opiniões e comentários do autor do resumo. Tal como o resumo informativo, dispensa a leitura do original para a compreensão do assunto. No resumo crítico, não pode haver citações. d) Sinopse (em inglês, synopsis ou summary; em francês, résumé d'auteur): Neste tipo de resumo, indicam-se o tema ou assunto da obra e suas partes principais. Trata-se de um resumo bem curto, elaborado apenas pelo autor da obra ou por seus editores.


49

APÊNDICE 3 - RESENHA Resenha é uma descrição minuciosa que compreende certo número de fatos. É a apresentação do conteúdo de uma obra. Consiste na leitura, no resumo, na crítica e na formulação de um conceito de valor do livro ou texto feito pelo resenhista. 1. FINALIDADE: A finalidade de uma resenha é informar o leitor, de maneira objetiva e cortês, sobre o assunto tratado no livro, evidenciando a contribuição do autor: novas abordagens, novos conhecimentos, novas teorias. A resenha visa, portanto, apresentar uma síntese das idéias fundamentais da obra. 2. REQUISITOS BÁSICOS: a. Conhecimento completo da obra. b. Competência na matéria. c. Capacidade de juízo de valor. d. Independência de juízo. e. Correção e urbanidade (polidez). f. Fidelidade ao pensamento do autor. 3. IMPORTÂNCIA DAS RESENHAS: Oferece um breve comentário sobre a obra e uma avaliação da mesma – principalmente para quem não dispõe de grande tempo para fazer uma leitura mais minuciosa de uma determinada obra. 4. ESTRUTURA: a) Descrição bibliográfica: em que se indicam todos os elementos da referência bibliográfica que identificam o escrito. • Autor (es) • Título (e subtítulo, se houver) • Imprensa (local da edição, editora, data) • Número de páginas • Ilustração (tabelas, gráficos, fotos etc.). b) Credenciais do autor • Informações gerais sobre o autor • Autoridade no campo científico • Quando fez o estudo? Por que? Onde? c) Conhecimento: consiste em expor detalhadamente ou resumidamente o conteúdo da obra. • Resumo detalhado das idéias principais • De que trata a obra? O que diz? • Possui alguma característica especial? • Como foi abordado o assunto? • Exige conhecimentos prévios para entendê-lo?


50 d) Apreciação: é o julgamento da obra, referindo-se ao seu conteúdo. • Como o autor se situa em relação ao tema abordado? E em relação às circunstâncias culturais, sociais, econômicas, históricas? • Qual a contribuição da obra? Existem idéias verdadeiras, originais, criativas? Conhecimentos novos, abordagem diferente? • O autor é objetivo, simples, apresenta linguagem correta, ou o contrário? e) Indicação da obra: A quem é dirigida? Ao grande público, a especialistas ou estudantes?

A seguir o anexo 1 apresenta-se MODELO DE RESENHA tendo como fonte o livro Fundamentos de Metodologia Científica, de Eva Maria Lakatos e Marina de Andrade Marconi.


51

ANEXO 1 – MODELO DE RESENHA ALUNO (A)

TÍTULO

Resenha apresentada à disciplina ......................... do Curso de ........................da Faculdade ........................................ Professor: Edilson da Costa.

CIDADE ANO


52 1 OBRA PEREIRA, João. Cor, profissão e mobilidade: o negro e o rádio de São Paulo. São Paulo: Pioneira, EDUSP, 1967. 285 p. 2 CREDENCIAIS DO AUTOR João Pereira é brasileiro. Graduou-se em Ciências Sociais pela USP. Obteve o grau de mestre na Escola de Ciências Sociais; doutorou-se pela Faculdade de Ciências e Letras da Universidade de São Paulo; é livre-docente na mesma faculdade. Exerceu o magistério em todos os níveis de ensino, tendo sido diretor em ginásios no interior do Estado de São Paulo. Durante quatro anos foi responsável pela cadeira de Antropologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Presidente Prudente. Atualmente é titular de Antropologia e chefe do Departamento de Ciências Sociais. Publicou as seguintes obras: Italianos no Mundo Rural Paulista e A Escola Secundária numa sociedade em mudança.


53 3

RESUMO Depois da Primeira Guerra Mundial inicia-se no Brasil o processo de

industrialização. E no Brasil rural, cuja sociedade se divide em estamentos, contrapõe-se um Brasil urbano, cuja sociedade é de classes. Além do crescimento natural, as populações aumentam também em resultado das migrações internas, que começam a existir e, sobretudo devido à migração estrangeira, modificam o panorama étnico brasileiro. Modifica-se a pirâmide social, e as Revoluções de 22, 24 e 30 atestam tal fato. O operariado aumenta em proporção superior à da população, a publicidade começa a entrar em cena como estimuladora do consumo. Como conseqüência dessas mudanças, a estrutura ocupacional se amplia e diversifica, abrindo novas oportunidades de trabalho remunerado e fazendo surgir novas profissões. Cor, nacionalidade, posição de família, fortuna e grau de escolaridade passam a ser fatores de posicionamento dos indivíduos nos novos grupos sociais. É dentro desse quadro de efervescência que surge e se desenvolve a radiodifusão. O rádio surgiu no Brasil com uma proposta educacional. Posteriormente, a realidade de seus altos custos obrigou que se recorresse à publicidade como fonte de receita. Por outro lado, o desenvolvimento industrial fazia necessária a procura de novas mídias, e o rádio oferecia-se como adequado para tal. Três grupos, externos ao rádio mas a ele ligados, exercem influência sobre seus rumos: os anunciantes, os publicitários, o público. O anunciante pode tentar influir no padrão da emissora, pois é de seu interesse que a emissora obtenha boa audiência. O publicitário atua como intermediário entre a emissora e o anunciante. O público atua de várias maneiras, de acordo com seu grau de interesse e participação. A maioria só influi na programação numericamente, detectada através da pesquisa de audiência. Uma pequena parcela participa através de cartas e telefonemas e outra, ainda menor, comparece aos auditórios. Por fim, existem os calouros e os fãs-clubes.


54 O Censo de 1950 acusava 37,5% da população brasileira como sendo de cor, 11,2% no Estado de São Paulo e 10,2% da população no município de São Paulo. Para os indivíduos de cor, a integração no sistema sócio-econômico é difícil, sendo as posições de maior destaque e melhor remuneração obtidas mais facilmente pelos brancos. Contudo, no setor programático do rádio, em especial como cantor popular, o negro encontra possibilidade de participação e ascensão. Também a freqüência a programas de calouros é importante. Alguns indivíduos a vêem como possibilidade de entrar para o meio radiofônico como profissionais, embora, na realidade, a porcentagem de aproveitamento desses elementos seja inexpressiva. Outros, mesmo conscientes dessa impossibilidade, apresentam-se como calouros para obter uma compensação de sua realidade cotidiana, que lhe é oferecida pelo contato com pessoas famosas e por uma notoriedade momentânea quando se apresenta no programa e é ouvido e aplaudido. Entre as dificuldades que o negro encontra para penetrar no rádio, poucos entrevistados se referem à cor como fator de influência. Atribuem essa dificuldade à falta de instrução, falta de “padrinho” e falta de talento. Tanto entre profissionais como entre os calouros, o tema cor é um tabu, existindo pouca consciência dos problemas raciais. Os negros que obtêm sucesso servem como mitos e incentivos aos que o buscam. A partir da década de 20 surge no meio musical brasileiro uma procura das raízes nacionais em contraposição aos valores europeus. Nesse contexto, a música negra obtém aceitação e destaque. A expansão do rádio colaborou para a difusão da música urbana, permitindo maior destaque para a música de origem negra divulgada através do rádio.

A revalorização da música e de todo o

complexo cultural a ela ligado trouxe consigo a valorização do elemento humano identificado co ela: o negro.


55 4

APRECIAÇÃO Trata-se de obra de cuidadoso rigor metodológico, que explora e conclui

sobre os problemas que se propõe a estudar, sem desvios ou distorções. Utiliza várias técnicas de coleta de dados, obtendo assim maior riqueza de informações. É uma obra original e valiosa porque aborda um dos tabus da sociedade brasileira: o preconceito racial e a situação do negro. Apresentados num estilo simples e claro, os resultados e a análise destes permitem, inclusive, pesquisa em outros campos de atividade que não o rádio, logicamente se respeitadas as peculiaridades de cada atividade. 5 INDICAÇÕES Esta obra apresenta especial interesse para estudantes e pesquisadores de Sociologia, Antropologia, Etnografia e Comunicação Social. Pode ser utilizada tanto em nível de graduação como de pós-graduação, pois apresenta linguagem simples, sendo também útil como modelo, do ponto de vista metodológico.


56 ANEXO 2 – MODELO DE PROJETO DE PESQUISA

1 TEMA: TURISMO 1.1 DELIMITAÇÃO DO TEMA O atendimento ao turista nos estabelecimentos comerciais da cidade da Lapa, PR, no primeiro semestre do ano de 2007. 2 DEFINIÇÃO DO PROBLEMA É possível melhorar o atendimento ao turista nos estabelecimentos comerciais da cidade da Lapa? 3 JUSTIFICATIVA A questão do atendimento ao turista nos estabelecimentos comerciais é de grande relevância social e econômica para a cidade. Sendo a Lapa uma cidade de grande potencial turístico, este deverá ser explorado ao máximo, levando a cidade a um crescimento em todos os setores de sua economia. A importância dessa pesquisa se apresenta em dois aspectos: a) Contribuir para o desenvolvimento do turismo na Lapa, através do engajamento dos alunos do curso de Gestão Hoteleira em um problema que diz respeito à sua realidade social, pois visa à publicação de seus resultados. b) Contribuir para o desenvolvimento da ciência, uma vez que a referida pesquisa servirá para a compreensão de diversos conteúdos da disciplina Métodos e Técnicas de Pesquisa, como: Projeto de Pesquisa, Hipóteses, Variáveis, Normalização e Redação de trabalho científico. Servirá ainda como avaliação do segundo bimestre da disciplina. A partir da compreensão de que o bom atendimento é fundamental para a satisfação do cliente, de modo especial o turista, esta pesquisa apresenta grande importância não só no ambiente acadêmico, mas também para a sociedade, uma


57 vez que o resultado da mesma será apresentado äs autoridades competentes do município. 4 OBJETIVOS 4.1 OBJETIVO GERAL Verificar como está sendo feito o atendimento ao turista na cidade da Lapa. 4.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS a) Visitar estabelecimentos comerciais da cidade. b) Realizar pesquisa em locais turísticos do município, como o Centro histórico e o Parque Estadual do Monge. c) Entrevistar visitantes nos pontos turísticos e nos estabelecimentos comerciais. d) Redigir um trabalho sobre turismo acrescentando os resultados das pesquisas. e) Apresentar trabalho escrito e um seminário, mostrando os resultados da pesquisa. 5 HIPÓTESE Sendo o turismo uma fonte de receita para o município, caso o atendimento seja feito de maneira correta isso acarretará um afluxo maior de visitantes à cidade da Lapa, trazendo divisas e conseqüentemente ajudando em seu desenvolvimento. 6 REFERENCIAL TEÓRICO O turismo é hoje uma das maiores fontes de emprego e renda do mundo em que vivemos. Um mundo que aposta na globalização econômica, onde a tecnologia e o desejo de consumo encurtam as distâncias. Todo mundo quer viajar, e assim o turismo cresceu em importância.


58 O Brasil, pela sua grande extensão territorial, tem muitos e variados atrativos turísticos que se dividem em: naturais e culturais, sendo naturais qualquer elemento da natureza, como animais raros, praias, rios, chapadas, florestas e culturais tudo aquilo que é produzido por um povo ao longo de sua história como patrimônio histórico, culinária local e regional, artesanato, música, festas religiosas etc. (DORNELLES, 1998, p. 67)

As possibilidades de turismo são enormes. Quantos atrativos poderiam ser explorados com sucesso na cidade da Lapa? Quanta coisa se perde por não explorar essa riqueza em potencial? Segundo Souza “os atrativos só se tornam realidades turísticas depois de localizados e corretamente explorados” (1995, p. 15). Sendo assim, existe na cidade da Lapa grande capital turístico. A prestação de serviços deve ser cada vez mais intensificada, descobrindo novas maneiras de ajudar a empresa a crescer e a cidade da Lapa a ter um turismo ainda mais forte. 7 METODOLOGIA a) A parte teórica será realizada a partir da coleta de dados com a indicação de fontes, em livros, revistas especializadas e Internet. b) A parte prática será realizada através de entrevistas feitas em pontos turísticos e estabelecimentos comerciais do município. 8 CRONOGRAMA PERÍODO ETAPAS

MAIO JUNHO JULHO 1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4 Elaboração do projeto x x Revisão bibliográfica x x Coleta dos dados em x campo Tabulação dos dados Análise dos dados Redação final, digitação, encadernação Apresentação do seminário Entrega final

x x x x x x


59 9 REFERÊNCIAS DORNELLES, Francisco. Meu negócio é turismo. São Paulo: Moderna, 1998. SOUZA, Joaquim. O que é turismo. Lapa: Ed. da FAEL, 2001.


60

ANEXO 3 – MODELO DE ARTIGO TÍTULO DO ARTIGO SUBTÍTULO (opcional)

[Nome (s) Completo (s) e, se em equipe, em Ordem Alfabética] 4 Professor Orientador (Nome Completo com sua Titulação)

RESUMO O resumo só poderá ser elaborado depois de concluído o trabalho. Normalmente, constitui-se de uma breve explicação coerente e concisa dos pontos relevantes de todo o trabalho, respondendo as seguintes perguntas: Do que se trata o trabalho?; Qual(ais) o(s) objetivo(s)?; Qual(ais) a(s) metodologia(s) utilizada(s)?; Qual(ais) o(s) principal(ais) resultado(s) e a(s) sua(s) relevância(s)?; O que se concluiu?;Não exceder 900 caracteres (15 linhas ou 150 palavras). 1 INTRODUÇÃO

A introdução diz respeito ao próprio conteúdo do trabalho: sua natureza, seus objetivos, sua metodologia. A introdução não pode ser dispensada, pois é parte integrante do desenvolvimento do trabalho científico. Na introdução, deve-se anunciar a idéia central do trabalho, delimitando-se o ponto de vista enfocado em relação ao assunto e a extensão; deverá ser situado o problema ou o tema abordado, no tempo e no espaço. Nesta parte deve ser enfocada a relevância do assunto no sentido de esclarecer seus aspectos obscuros, bem como da contribuição desse trabalho para uma melhor compreensão do problema.

4

Colocar aqui a formação e outras titulações que julgar pertinente


61 2 CORPO DO TRABALHO (os títulos e subtítulos são livres conforme o assunto tratado) Nesta parte, o autor deve se preocupar em apresentar o trabalho resultante de sua pesquisa. Isto implica numa apresentação clara, lógica e objetiva dos “prós” e “contras” com relação ao tema, buscando-se sempre a fundamentação teórica. (Não esquecer de citar os autores consultados, principalmente o sobrenome deles, o ano das obras e páginas consultadas. Por exemplo: ... Por sua vez, Marconi e Lakatos (1997, p. 259-301) afirmam que ... 2.1 CITAÇÃO CURTA Conforme as Orientações Metodológicas da ABNT, sugere-se que o (s) autor (es) opte (m) pela paráfrase (fundamentar teoricamente, utilizando-se da idéia do autor citado, mas com as próprias palavras, demonstrando-se entendimento e poder de síntese e creditando-se a idéia ao autor que sustenta o ponto de vista a favor ou contra ao que se está dissertando). Sendo assim, a paráfrase, quando fiel à fonte, é geralmente preferível a uma citação direta. Podem ser acrescentados os números das páginas inicial e final do texto lido (parte ou capítulo). É escrita sem aspas, com o mesmo tipo e tamanho da fonte (letra) utilizados no parágrafo do texto no qual está inserida, acrescentando-se ao final da paráfrase o sobrenome do autor, ano e página. Por exemplo: ao se parafrasear a idéia de lei apresentada pelo autor Genovese, ele o fará da seguinte forma: A lei não pode ser vista como algo passivo e reflexivo, mas como uma força ativa e parcialmente autônoma, a qual mediatiza as várias classes e compele os dominantes a se inclinarem às demandas dos dominados (GENOVESE, 1974). Por outro lado, existem momentos em que se faz necessário fazer uso de citações curtas (de uma até três linhas) para melhor ilustrar o trabalho acadêmico. Neste caso, deve-se transcrever ipsis literis (ao pé da letra) o que o autor pesquisado afirma, obedecendo alguns quesitos: aspas, texto transcrito e


62 referência no corpo do texto. Por exemplo: Para Eckel (2002, p. 27) “os trabalhos acadêmicos devem ser um reflexo das orientações metodológicas do professor orientador e do saber fazer do orientado”. Como se pode notar no exemplo fictício, referenciou-se o autor, ano e página seguido do texto entre aspas do que o autor sempre afirma. 2.2 CITAÇÃO LONGA Em certos trabalhos acadêmicos, as citações longas (texto transcrito do autor pesquisado que ultrapasse mais de três linhas) se fazem necessárias. Neste caso, o texto transcrito deverá ser apresentado como no exemplo a seguir (espaço simples, fonte tamanho 11): Os trabalhos acadêmicos devem ser um reflexo das orientações metodológicas do professor orientador e do saber fazer do orientado. Todo trabalho acadêmico reflete organização na sua apresentação geral e de suas partes específicas. Se temos bons manuais de como elaborar trabalhos acadêmicos seguindo as normas prescritas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, por quê não segui-los? (ECKEL, 2002, p. 27).

Para a apresentação e discussão do tema, o autor poderá fazer uso de diversas ferramentas, tais como: estatísticas, tabelas, gráficos e outros, que venham complementar o texto e amparar as análises discutidas. Existem várias possibilidades de elaboração de citações tanto diretas como indiretas ou outras formas de citação. Sendo assim, sugere-se sempre consultar as normas para apresentação de documentos científicos elaborados pela UFPR, mais especificamente o livreto 7 (sete): Citações e Notas de Rodapé. Consulte as normas, pois assim é que se vai aprendendo a elaborar trabalhos acadêmicos. A apresentação do tema é a parte mais livre do artigo, pois é neste momento que o autor pode argumentar sobre o tema e inferir determinadas considerações. Contudo, a argumentação deve ser sólida, além de seguir uma seqüência lógica e coerente. Sugere-se uma linguagem impessoal, ou seja, evitar o “eu” e “nós”, os “achismos”, “os jargões”, “as gírias”, a linguagem vulgar e não acadêmica.


63

3 CONSIDERAÇÕES FINAIS As

considerações

finais

ou

“conclusão”

devem

limitar-se

a

um

posicionamento sintetizado da argumentação desenvolvida na pesquisa. Elas só podem ser apresentadas a partir da fundamentação da pesquisa com base na(s) análise(s). As considerações finais sempre devem responder aos questionamentos ou estar coerente com o que foi apresentado na introdução do artigo. REFERÊNCIAS Todas as referências devem ser colocadas em ordem alfabética, seguindo as normas de referenciação da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT; poderá ainda ser utilizado o manual de Normas para Apresentação de Documentos Científicos da UFPR. Não esquecer que todo autor citado no corpo do trabalho deverá ser apresentado nas referências. Para a elaboração das referências, usar os modelos apresentados neste manual, que se encontram nas páginas 7-16 e 44.


1209602879